doe agora Jornalismo Jornalismo
INÉDITO:
  • SAB21:00
REPRISES:
  • DOM15:00
  • SEG12:00

Redação NT 10/02/2018 | completo


No debate de hoje falamos sobre a repercussão das campanhas na internet, após os escândalos de assédio sexual em Hollywood e a discussão que se levanta sobre a representação da mulher no cinema. Convidamos a médica infectologista, Marta Ramalho, para esclarecer alguns mitos e verdades sobre as vacinas e a febre amarela. Ela vai explicar porque alguns pais ainda insistem em não vacinar seus filhos.

Você está em: 2018, Programas

Compartilhe:


Comente



  • Juarez em 12 de fevereiro de 2018 10:18

    Wagner Cantori. Como jornalista de um veículo de comunicação cristão você se referir aos flanelinhas como “gentalha” é uma falta de respeito que não cabe a um programa, nem pela questão humana. Como que uma emissora confessional cristã permite um apresentador se referir a um ser humano como gentalha. É uma vergonha.



  • Juarez em 12 de fevereiro de 2018 10:31

    Elio Moura…vossa pessoa é muito leviana ao citar a lei dos guardadores como uma lei morta. A sua “presunção” apenas vislumbrou uma lado da moeda. Você generalizou flanelinha e guardador de carro. São duas grandezas distintas. O flanelinha faz o que o Kléber citou: cobra e vai embora. O guardador de carro, que é minha profissão em Lei e decreto, consta na Constituição Federal e é distinta de flanelinha. Mais respeito à Lei e a classe de profissionais dessa área. Se há corruptores dessa ordem, isso se deve a falta de fiscalização e interesse de ordem pública. Sou Guardador de carro com orgulho, não preciso coagir ninguém e os clientes são 100% assíduos sem reclamações. Faltou interesse de sua parte em pesquisar sobre a situação de cada região. Eu sou de Porto Alegre. Forte abraço. Deus vos abençoe com serenidade, pois também sou cristão.