Clique aqui e Saiba mais
doe agora TV TV
INÉDITO:
  • SAB15:30
REPRISES:
  • SEG16:30
  • TER10:30
  • QUA-SAB23:00
  • SEX19:30

Categoria

  • A origem de Darwin

    Quando Darwin esteve em Galápagos, ele juntou amostras e informações da vida selvagem do lugar. Ao voltar para a Inglaterra em 1836, as suas ideias começaram a tomar forma e no passar dos anos, a sua Teoria da Evolução se tornou um dos paradigmas mais populares entre os cientistas.


  • Biogeografia e Galápagos

    Estudar sobre a presença ou ausência de plantas e animais nas diversas regiões do mundo se torna uma investigação carregada de história e ecologia nas mãos da Biogeografia; ciência que encontra nas Ilhas Galápagos, assim como em outros terrenos insulares, condições ideais para se estudar a forma em que as espécies animais e vegetais que as habitam foram capazes de chegar e sobreviver em lugares tão remotos.


  • Seleção natural e adaptação

    Nossa vida depende diretamente da biodiversidade; e ainda que este conceito seja em sua essência simples, sua abrangência se estende a conceitos extremamente complexos.


  • A genética da variabilidade

    Mendel foi o primeiro a formular com total precisão uma nova teoria hereditária, expressada no que logo seria chamada de “Leis de Mendel”, e que contestariam por completo a pouco rigorosa teoria hereditária por mistura de sangue, ou pangênese, sugerida por Darwin.


  • Perplexidade na complexidade

    Pode a complexidade ser produto do acaso? Seria um design inteligente a única explicação para os complexos sistemas que vemos interagindo na natureza?


  • Geologia das Galápagos

    Embora as Ilhas Galápagos sejam conhecidas mundialmente pela visita de Charles Darwin em 1835, é a interessante combinação da biodiversidade animal e vegetal com as curiosas condições geograficas e climáticas a verdadeira raiz do as fazem um verdadeiro paraíso científico, que em sua peculiaridade também nos permite refletir sobre o que nos interessa como um todo: nossas origens.


  • Sociologia da ciência

    Pode uma investigação limitada pela negação almejar o conhecimento pleno? Pode ser considerado um cientista como inteiramente sincero se ele da lugar a preconceitos que poderiam transformar muito mais que suas interpretações?