Documentário conta histórias de maus-tratos em casas geriátricas

O Ministério Público lançou esta semana o documentário Projeto Cuidar: Vidas Reconstruídas. O material conta os casos de maus tratos e intervenções realizadas no município de Cachoeira do Sul em casas geriátricas que abrigavam mais de 600 pessoas. Todo o processo de intervenção, numa força tarefa que reuniu MP, Prefeitura, Estado e União, foi acompanhado e divulgado, mas as histórias e relatos das vítimas só foram liberados neste material que exibiremos na íntegra no NT SUL Mais deste final de semana, sábado e domingo, às 23h.

Em 2015, levantamento do Ministério Público constatou que Cachoeira do Sul “era um depósito de gente”. A conclusão veio quando foram confirmadas a existência de 22 casas de repouso, que abrigavam 768 moradores egressos de 60 municípíos do estado, além de Cachoeira do Sul, e, inclusive, de institutos psiquiátricos. Aliados aos altos números e a falta de seletividade dos pacientes, de acordo com as necessidades, casos evidentes de maus tratos motivaram a adoção de medidas de reparação em programa que mudou essa história. O processo deu origem ao documentário Projeto Cuidar: Vidas reconstruídas, que mostra da barbárie ao resgate da dignidade das pessoas que viveram dias de terror nas casas hoje extintas.

E como a interventora informou na época, nenhum dos residentes teve identidade revelada. O processo seguiu e passados três anos, após, inclusive, o fechamento da casa Perpétuo Socorro, o caso mais grave encontrado em Cachoeira do Sul, o documentário revela os relatos de quem sobreviveu após dias de tristeza e dor e hoje teve a vida transformada e vivencia a realidade de um cotidiano digno com seus direitos assegurados e uma vida feliz.


Comente