doe agora TV TV
INÉDITO:
  • SEG21:00
REPRISES:
  • DOM04:00
  • TER07:30
  • QUI09:00
  • SAB17:00

Para psiquiatra, doutrina da “dupla predestinação” prejudica a mente


foto-2012-05-16-13-48-06-Saraiva-Simples-Demais-BlipouO psiquiatra cristão Timothy R. Jennings, em seu livro Simples Demais: Um modelo bíblico para a cura da mente[i], afirmou que a doutrina da dupla predestinação não faz bem à saúde mental.

No capítulo 14, intitulado “O Caminho da Morte”, Dr. Jennings explica que a verdade divina entra em nossa mente através da razão e da consciência e que, por isso, “Satanás faz tudo o que pode para impedir que a verdade de Deus alcance nosso entendimento”, pois, “sem a razão e a consciência, somos incapazes de compreender a verdade e, portanto, impotentes em nossa luta pela liberdade” do “eu” e do poder do pecado[ii].

Segundo o autor, um dos métodos que o inimigo se utiliza para destruir a razão, a fim de que os outros não conheçam toda a verdade sobre Deus, “é convencer as pessoas a crer em antíteses[iii] e em coisas que não fazem sentido”[iv]. Afinal, o desconsiderar a razão, aceitando crenças diferentes que não podem ser verdadeiras ao mesmo tempo, faz parte de “um comportamento destrutivo” que gradualmente debilita a consciência, “de modo que ela deixa de ser sensível à quebra da lei divina do amor e da liberdade[v].

Entre as “crenças que se excluem mutuamente” e que “destroem a razão”, o Dr. Jennings coloca a dupla predestinação, por ela ser uma antítese, que não faz sentido algum. Para ele, a doutrina contraria a verdade sobre o método divino de usar o amor e a liberdade para salvar e curar a mente do ser humano.

Essa doutrina também é prejudicial à razão porque apresenta um Deus contraditório e sádico, que em Seu amor [que amor?] escolhe quem irá se perder [como amar sem ser livre para amar?]. De acordo com o escritor, isso é uma óbvia contradição, e que faz nossa parte racional do cérebro ser enfraquecida, de modo que damos terreno às forças do mal (cf. Fp 4:8; 1Pe 5:8).

Veja a seguir o trecho completo extraído do livro Simples Demais: um modelo bíblico para a cura da mente:

“Um dos métodos que Satanás usa para destruir a razão é convencer as pessoas a crer em antíteses e em coisas que não fazem sentido. Para atingir esse alvo, ele as influencia a desconsiderar a razão, para que aceitem duas coisas que não podem ser verdadeiras ao mesmo tempo. Por exemplo, Satanás contraria a verdade que Deus é amor, levando-nos a crer que Ele escolhe quem se salvará e quem se perderá, insistindo em que não temos livre-arbítrio nessa questão. Como já vimos[vi], o amor não pode existir sem liberdade. Portanto, as duas crenças se excluem mutuamente. As duas não podem ser verdadeiras ao mesmo tempo, e a única maneira de acreditar em ambas é renunciando à razão. Numa situação como essa, racionalizamos a contradição, dizendo: ‘Aceito isso pela fé’, o que, conforme já vimos[vii] simplesmente não é fé”[viii].

Perceba que para esse médico, a “racionalização” calvinista para explicar o ato de um Deus de amor predestinar outros para arderem no inferno, não pode ser chamado de “fé” (e muito menos de “paradoxo”[ix]). Isso é uma flagrante antítese que, se for nomeada de “paradoxo” apenas para torná-la mais “coerente”, prejudicará consideravelmente nosso lado racional, o que trará sérios prejuízos à nossa espiritualidade.

Além de agredir a razão, tal doutrina que mostra um “Deus de amor predestinando pessoas para fazerem as coisas que Ele não ama”, ou “um Deus de amor que predestina as pessoas para odiarem”, é totalmente antibíblica à luz de muitos textos bíblicos que pude apresentar ao leitor em diversos artigos no blog do “Na Mira da Verdade” (veja, por exemplo, o artigo “Deus não predestinou crianças para serem sacrificadas aos ídolos pagãos”, clicando aqui. Poderá também ler o post “Deus não tem culpa de o Diabo ser Diabo” ao clicar aqui.)

Portanto, Samuele Bacchiocchi estava com toda razão quando argumentou em seu livro Crenças Populares:

“Se fosse verdade que o destino eterno de cada ser humano já foi decretado de antemão por eleição divina, então poderíamos perguntar: por que Deus permite que cristãos caiam e sejam tentados a pecar, se Ele próprio poderia guardá-los de cair? Se a graça irresistível de Deus garante que uma pessoa salva seja sempre salva, por que Sua graça também não impede essa pessoa de pecar desde o início? É muito mais racional crer que Deus estimula uma reação de fé e amor no coração humano e depois concede o poder de escolha para aceitar ou rejeitar o Seu dom de salvação” [x].

Que você e eu, amigo(a) leitor(a), abandonemos toda e qualquer crença irracional que, longe de ser baseada na fé bíblica, que é apoiada em evidências (cf. Rm 12:1; Hb 11:1), se constitui (como a doutrina da dupla predestinação) em uma antítese, que prejudica a razão e nosso discernimento espiritual.

Sei que não é fácil abandonar um conceito que alimentamos por muito tempo. Porém, em Seu amor o Senhor quer que você e eu estejamos abertos às novas verdades que Ele revela progressivamente (Pv 4:18), porque é através delas que Deus irá nos curar e salvar.

Um abraço carinhoso.

 

[http://leandroquadros.com.br/livros/]

 

 

 



[i] Timothy R. Jennings, Simples Demais: Um modelo bíblico para a cura da mente (Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 2012).

[ii] Ibidem, p. 160.

[iii] O mesmo que oposição de ideias ou palavras.

[iv] Jennings, Simples Demais…, p. 161.

[v] Ibidem, p. 160 (Grifos acrescidos).

[vi] No decorrer de todo o livro, o autor aborda que a liberdade e o amor devem “trabalhar” juntos, para que o amor possa existir verdadeiramente.

[vii] Especialmente no capítulo 9, intitulado “A Realidade da Fé”.

[viii] Ibidem, p. 161.

[ix] Muitos confundem “paradoxo” com “contradição absurda”, diríamos assim. O “paradoxo” é uma figura de linguagem que permite o escritor apresentar no mesmo texto ideias aparentemente contraditórias ao senso comum, mas, que têm sentido. Já a “contradição absurda” não apresenta ideias que apenas parecem contrariar o senso comum. Elas também contrariam a razão e o bom senso e não possuem qualquer sentido. Esse é o caso da doutrina da “dupla predestinação”, que jamais deveria ser chamada de “paradoxo” para justificar sua “contradição absurda” em alegar que Deus predestina as pessoas a se perderem, e que elas façam o mal que Ele mesmo condena nos Seus Mandamentos (Êx 20:1-17; Dt 5:1-21). Por exemplo: a ideia de que o Deus da Verdade, que desaprova a mentira, possa ao mesmo tempo predestinar pessoas para serem mentirosas, é uma “contradição absurda” e não um paradoxo. Além disso, é uma heresia monstruosa por apresentar a Deus como aquele que predestinou inclusive o Diabo para ser o “pai da mentira” (Jo 8:44).

[x] Samuele Bacchiocchi, Crenças Populares: O que as pessoas acreditam e o que a Bíblia realmente diz (Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 2012), p. 299.

Você está em: Heresias

Compartilhe:


Comente



  • Marco Antonio (Curitiba - PR) em 6 de março de 2013 10:38

    A doutrina da dupla predestinação evidencia em seus defensores um comportamento semelhante ao que foi denunciado pelos reformadores desde o século XV: a suposta autoridade dos pais da igreja.

    Há um agravante: ao contrário dos primeiros pais da igreja – que apenas acrescentavam seus pontos de vista a uma unidade denominacional, a igreja primitiva – os modernos pais fundaram denominações cujos fiéis os alçaram a uma espécie de andor teológico: “Calvino locuta, causa finita!”. E a sucessão de gerações dessas igrejas apenas solidificou esse concreto doutrinário, tornando-o inexpugnável ao sublime princípio do Sola Scriptura. Em vez de cumprirem sua função profética de “reparadores de brechas”, a maioria dos protestantes erigiu paliçadas, fossos com crocodilos, ameias e ponte levadiças para proteger suas tão queridas tradições.



  • Régerson em 6 de março de 2013 10:42

    Muito bom o artigo! De fato, a ideia da predestinação tem um problema macro hermenêutico [pressuposto platônico-filosófico]. A base macro hermenêutica está na atemporalidade de Deus… ou seja, é o “deus” da filosofia platônica de dois mundos o material e o mundo das luzes, onde o mundo sobrenatural é um eterno presente [essa ideia de eternidade como um eterno presente permeia a maioria dos livros de teologia sistemática]. Isto é, como tudo já existe no presente eterno de Deus [posição platônica, não bíblica] os decretos, ou seja, tudo o que poderia acontecer no nosso mundo natural/material que é reflexo do eterno [platonismo puro] já está “decretado” [já existe] na atemporalidade do mundo sobrenatural. Infelizmente é uma doutrina não bíblica e como diz o artigo acima: “Essa doutrina também é prejudicial à razão porque apresenta um Deus contraditório e sádico, que em Seu amor [que amor?] escolhe quem irá se perder [como amar sem ser livre para amar?]”. Sugiro algumas obras para ampliar a discussão: “Ser e Tempo” – Martin Heidegger, “Cristo e o Tempo” – Oscar Cullmann, “Desconstruindo a teologia: Uma proposta metodológica” – Fernando Canale [este é um artigo que pode ser encontrado no blog de mesmo nome: Desconstruindo a Teologia]; e o livro “O Princípio cognitivo da Teologia Cristã: Um estudo hermenêutico sobre Revelação e Inspiração” também do Dr Canale livro editado no Brasil pela UNASPRESS. Em breve quero publicar um artigo que fala exatamente sobre estes pressupostos [macro, meso e micro] e sua influência sobre a hermenêutica bíblica, um assunto muito importante, mas que a muito ignorado pela maioria dos estudiósos. Que Deus abençoe a todos e mais uma vez parabéns professor Leandro Quadros e toda sua equipe pelo belo trabalho!



    • leandroquadros em 6 de março de 2013 10:58

      Que comentário instrutivo o seu, Régerson. E, que obras fantásticas indicou!

      Muito obrigado por tais referências bibliográficas. Um abraço e que Deus o abençoe!



  • Franklin em 6 de março de 2013 11:42

    Já que somos predestinado a salvação e a perdição, porque então eu deveria renunciar os prazeres da carne? Se o que eu faço não é importante para Deus, já que ele me predestinou a salvação ou a perdição independente do que eu faço. Aos irmão Calvinistas, só tenho uma coisa a lhes dizer saiam de vossas igrejas e caiam na esbornia, porque ou vcs estão salvos ou perdidos mesmo! vejam que o tema que eu levanto é puramente de Lógica, por isso eu Fico com as escrituras sagradas.
    Os céus e a terra tomo hoje por testemunhas contra vós, de que te tenho proposto a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe pois a vida, para que vivas, tu e a tua descendência,
    Deuteronômio 30:19
    Como é observado em Deuteronômio o senhor pede nós escolhamos a vida. OU seja Nós somos responsaveis pelas nossa escolhas !



  • adaister em 6 de março de 2013 14:32

    Na verdade, eu creio na existência da predestinação (Ef 1:5) porem também creio no livre-arbítrio (João 3:16) São duas doutrinas quê estão em uma plena harmonia nas escrituras, não podemos crê em um, e anula o outro. Porem descreio do tal determinismo por parte dos Calvinistas.



  • Alan Douglas em 6 de março de 2013 14:33

    Professor algumas dúvidas!
    Cristo veio morrer ou ser morto ?
    Se Ele veio morrer, então como seria a Sua morte? Se Ele permitiu que O matassem, então aquelas pessoas não teriam sido predestinadas? Professor como entender Atos 4:25-28? Esse texto é usado pelos presbiterianos como que Deus tivesse predestinado Herodes, Pilatos, os gentios e os judeus a se perderem!!! Me ajude a entender!



    • Maiara Costa - Equipe em 3 de setembro de 2013 16:16

      Olá Alan!
      Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.
      Por isso é que meu Pai me ama, porque eu dou a minha vida para retomá-la. Ninguém a tira de mim, mas eu a dou por minha espontânea vontade. Tenho autoridade para dá-la e para retomá-la. Esta ordem recebi de meu Pai. João 10:17,18
      Para isso o Filho de Deus se manifestou: para destruir as obras do Diabo. 1 João 3:8
      Cristo escolheu morrer para nos salvar.
      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira.



  • marileide espindola batista aguia em 8 de março de 2013 0:16

    parabens por vcs ser um estrumento de Deus não se esqueça a profecia está acontecendo,e com certeza fico com nossa querida escritura a final tem uma pessoas que está longe das sequencia do juizo é mais facil eu escolher uma religião de que tudo posso que não posso até porque se compararmos com um exemplo de livro temos por exemplo matematica não tem etapas? soma+;divisão;subtração pois uma pagina é interligada a outra assim é nossa querida escritura o povo prefere não ter muito conhecimento da verdade nem tds é claro mas quando de fato a realidade mostra coisa que diante dos nossos olhos é melhor ficar com a felicidade ilusoria do que a verdade por que doi e muito e assim a ficha cai a maneira de como eu encaro os desafios me levam por caminhos ilusorios ou reais que é mostrada pela escritura e só tem duas escolha a vd eternaou a morte mas não liga vcs estão sendo luz para verdade biblica muitas benças amooo vcs parabens por ser essa pessoas

    sincera e um estrumento de DEUS vc não tem noção com jesus está contente cm vc bjs!!!!



  • Diogo em 8 de março de 2013 3:07

    E a ira do SENHOR se tornou a acender contra Israel; E INCITOU A DAVI CONTRA ELES, dizendo: Vai, numera a Israel e a Judá.
    2 Samuel 24:1;
    E, vendo Davi ao anjo que feria o povo, falou ao SENHOR, dizendo: Eis que EU SOU O QUE PEQUEI, e eu que iniqüamente procedi; porém estas ovelhas que fizeram? Seja, pois, a tua mão contra mim, e contra a casa de meu pai.
    2 Samuel 24:17

    Eu pergunto:
    Como pode Deus incitar Davi a pecar, se em Tiago 1:13 afirma que isso é impossível?
    Se assim for, então Ele, o nosso Deus, é o pecador e responsável pelo pecado, e não o Davi.
    Deus determina que nós pequemos segundo a sua vontade, fazendo coisas que Ele odeia?
    Se isto for verdade, Jesus participou de um teatro e de nada vale a pregação, já que ninguém precisa escolher nada. Os que estão salvos esperem a gloria, os que não estão… Nada podem fazer. Tão pouco faz sentido discutirmos isso, nem mesmo faria necessário existir a bíblia, já que em nada serviria para a salvação.
    Por isso eu entendo cada vez mais os Ateus, certos assuntos da bilblia, mal explicados, podem despistar e muito o nosso entendimento. Em vez de atrair pessoas sinceras, jogamos por terra tudo que nela há.

    Que o Deus Amor conceda a graça do aprendizado, e não permita afastar amados por nossa ignorância.



  • Rafael em 8 de março de 2013 11:05

    Boa tarde.
    Ótimo texto Professor!
    Ainda bem que não sigo filosofia humana, por mais que direcione a bíblia, sigo a bíblia que é a filosofia de Deus.
    É muito complicado a pessoa seguir uma filosofia que fala que Deus predestinou o ser humano para fazer o mal e predestinou alguns para salvação. Há argumentação bíblica hermeneuticamente claro para mostrar que a salvação é para todos.
    Se o cristão se centra a defender o evangelho de filosofia humana ele começa a se desvirtuar do evangelho que é puro e simples.
    Antes de estudar a palavra de Deus, faço uma oração e peço ao Espírito Santo que me ilumine para ministrar sua palavra em minha vida para eu não realizar interpretações que não estejam nas escrituras e que venha seguir somente o que está na bíblia.
    Os versículos abaixo são um dos mais bonitos da bíblia:
    TRADUÇÃO JOÃO FERREIRA ALMEIDA ATUALIZADA
    João 3:16-17 – “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que TODO aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.
    Portanto Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o MUNDO fosse SALVO por ele ”
    Que palavras lindas, pois ela motiva o ser humano ter esperança na vida eterna, em Jesus Cristo, e mostra como Deus nos ama.

    Creio que a religião verdadeira é aquela que ajuda as pessoas em suas tribulações, prega Jesus Cristo e a salvação e se mantém incontaminado do mundo, pois isto é o que conta para Deus.

    Tiago 1:27 -” A religião pura e imaculada diante de nosso Deus e Pai é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas aflições e guardar-se isento da corrupção do mundo. ”

    “… Vão pelo mundo todo e preguem o evangelho a todas as pessoas.” (Marcos 16.15/NVI)

    “Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações…” (Mateus 28.19/NVI)

    “… e serão minha testemunhas … até os confins da terra.” (Atos 1.8/NVI)

    O amor(agape em grego) é a linguagem universal do Cristão e isto está faltando para esta geração, por isso poucos estão indo pregar o verdadeiro evangelho.

    Abraços e fique com Deus



  • Osmar Ferreira em 8 de março de 2013 16:59

    Veja o que colei em http://chamabereana.blogspot.com.br/2012/12/o-calvinismo-na-teoria-e-impossibilida.html

    …“Quando um cristão evangeliza alguém necessita falar do amor de Deus, da morte de Cristo em lugar do pecador por amor a ele. Então é natural que um cristão diga para um não convertido: “Deus te ama, Jesus morreu por você!” O problema para um calvinista é que, em fazendo isto, ele estará mentindo na maioria das vezes em que evangelizar. Já que o Senhor Jesus disse que a maioria das pessoas entra pela porta larga que conduz ao caminho largo da eterna perdição, conclue-se que naturalmente evangelizamos com maior frequência pessoas que irão para o inferno, não-eleitas. Se eu digo para um não eleito “Jesus te ama, ele se sacrificou na cruz por ti”, sendo eu calvinista, estou mentindo, porque no postulado calvinista o Messias não amou nem morreu pelo não-eleito. Que grave contradição; para o calvinista cumprir a grande comissão ele precisa pecar, ou seja, mentir com assustadora frequência. Só não peca se não evangelizar. Um momento! Aí cometeria outro pecado, o da desobediência, o da omissão por não cumprir o mandamento do Senhor Jesus do ide, de pregar o evangelho a toda criatura…”
    Por Sandro Moraes-http://chamabereana.blogspot.com.br/2012/12/o-calvinismo-na-teoria-e-impossibilida.html
    Osmar ferreira- nadanospodemoscontraverdae@bol.com.br



  • Osmar Ferreira em 8 de março de 2013 17:06

    Dentre muitos Textos na Palavra de Deus que deixa bem claro que a predestinação dupla (que Deus elege uns para salvar o outros para matar) nasceu na mente de Satanás, existe Um Texto que joga uma pá de cal naqueles que ecoam a voz de Satanás com a heresia da predestinação determinista, vejam: “Então, o Rei dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos”(Mat. 25: 41). Quero chamar atenção para o fato de que o Rei declara que o fogo foi preparado para o diabo e seus anjos e não para os malditos que por escolha estarão a Sua esquerda ou os benditos (Mateus 25:34) que por escolha estarão a Sua direita. Ou seja, o fogo foi preparado para Satanás e seus anjos, e não para o ser humano. Por isso só irá para o fogo, por escolha, por rejeição a Palavra de Deus, por livre arbitrio Portanto, “irmãos, por trás do ensinamento da predestinação dupla (que Deus elege uns para salvar o outros para matar), satanás está ensinando, insinuando, está fazendo alguns crerem que :
    -ele deixou de ser Lúcifer para ser satanás por eleição de Deus.
    – a terça parte dos anjos foram também predestinados por Deus à tornarem-se demônios.
    -o mal foi predestinado por Deus.
    -o ladrão veio para matar, roubar e destruir por predestinação Divina, ou seja, ele e seus demônios fazem o que fazem Por predestinação de Deus. È isso que Satanás quer que as pessoas pensem.
    Mas queridos, lembram-se, de João 8:44
    Segundo o ensino da predestinação dupla ou determinista, podemos afirmar que Deus predestinou dois sacerdotes para levarem fogo estranho perante a Sua face para assim poder destruí-los e assim mostrar Sua santidade naqueles se achegam a Ele. É o caso de Nadabe e Abiú. Eles foram separados por Deus para ministrar como sacerdotes de Deus, as ‘coisa’ e o povo de Deus, no Tabernáculo de Deus. Eles eram símbolos de Cristo e Seu Ministério a favor da humanidade. Contudo foram fulminados por Deus por levarem “fogo estranho perante a face do Senhor, o que Ele não ordenara”(Lev. 10:1) . Mas observe que os sacerdotes na verdade usaram o livre arbítrio na escolha do fogo estranho e não predestinados ou eleitos para a pratica daquele mal pelo próprio Deus. Pois a ordem do Senhor era não oferecer incenso estranho (Êxodo 30;8,9) ou como diz em Lev. 10 “o que Ele (o Senhor) não ordenara”. É imperativo mencionar que a vontade de Deus é que sejamos “santo como Ele é Santo” e não que levemos fogo estranho perante a sua face. E, que foi Deus quem escolheu Arão e seus filhos Nadabe, Abiú, Eleazar e Itamar para oficiarem como sacerdotes perante Sua Face (Êxodo 28:1).

    A presença da Árvore da Vida no relato biblico na queda da Adão e Eva, também faz cair por terra o ensino diabolico da predestinação determinista ou dupla (que Deus elegeu uns para salvar o outros para matar). Eles foram expulsos do jardim do Édem, para que não mais comesse do fruto da Árvore da Vida, este fato, deixa bem claro, que o homem foi predestinado para viver eternamente, porém com livre arbítrio, com poder de escolha. E, ao escolher comer do fruto da Árvore da Ciência do bem e do mal, não pode mais ter acesso a Árvore da Vida, que segundo a Palavra de Deus, se comessem, viveriam eternamente ( Gênesis 3;22). Chamo atenção para o fato de que Deus protegeu a Árvore da Vida não só de Adão e Eva, mas tambem de seus descendentes (Gen. 3:22,23,24-Apoc.2:7), deixando a certeza de que todos foram predestinados a ter a vida eterna. Mas não como um robo. Mas não sem direito de escolher comer da “Árvore da Vida” ou da “árvore do conhecimento do bem e do mal” (Gen. 2:9). Osmar Ferreira-nadanospodemoscontraverdade@bol.com.br



  • Emanuel Monte em 9 de março de 2013 11:21

    Prezados,

    Acerca da predestinação, contesto:
    se Deus não escolhe, então a salvação depende da vontade do pecador! Se assim fosse, todos seriam salvos, pois, quem não deseja ir para o céu? E o que dizer de Efésios 1:04 e05? e João 15:16?



    • leandroquadros em 11 de março de 2013 15:49

      Prezado Emanuel:

      A questão não é se “Deus escolhe” e sim “se Ele escolhe alguns” e rejeita outros. Realmente, a salvação é uma iniciativa divina (Jo 3:16). Porém, sua graça atua no pecador (Fp 2:13) para que este possa decidir corretamente pelo uso de sua vontade em aceitar o plano divino (Ap 22:17).

      A salvação depende da vontade e inicitiva de Deus, e da vontade do pecador em querer ser salvo (Mt 7:13, 14). Do contrário, ninguém iria para o céu por amor, pois não há amor sem liberdade para amar. Só valorizaremos a salvação porque fomos livres para amar a Deus por Sua salvação gratuita.

      Textos como Efésios 1:5 fala da predestinação, mas, não nos moldes calvinistas. O texto diz que Deus “em amor nos predestinou nele antes da fundação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis em sua presença”. Veja que a questão aqui não é “predestinar alguns e excluir outros”, mas, “predestinar os que aceitam a mensagem de salvação para que tenham um caráter santo e irrepreensível”. A predestinação não envolve “escolher uns e rejeitar outros”, mas em predestinar o tipo de caráter que os salvos em Cristo terão como resultado do novo nascimento.

      Em João 15:16 encontramos o mesmo princípio, Emanuel: Jesus nos escolheu para darmos frutos, mas não escolheu outros para “não darem frutos” e fazerem as coisas erradas que Ele mesmo Jesus odeia! Crer que a predestinação é “excludente” deturpa o caráter amoroso de Deus que quer que “todos sejam salvos” (1Tm 2:4) 2Pe 3:9).

      Um abraço e muita paz!



  • Libni em 10 de março de 2013 22:46

    Existe uma grande diferença entre fato de Deus saber quem será salvo e dizer que Ele predestinou uma pessoa. A verdade é que Ele sabe que será salvo ou não, porém apesar disso não é Ele quem predestina a pessoa, pelo contrário, tenta alcançá-la apesar de saber que não terá exito.(isso prova o seu amor). Existem muitos crentes que usam a frase: “É a vontade de Deus”. E muitos a usam quando acontece um coisa ruim. Discordo completamente. Quando uma mulher está gravida por exemplo, e durante toda a gravidez fuma e bebe, sendo que por fim o filho nasce com deficiências poderá dizer que foi a vontade de Deus que aconteceu assim? O próprio Deus não ensina o caminho certo a seguir? Como somos predestinados se Deus nos dá modos para viver mais?



  • Laercio Dos Santos em 10 de março de 2013 23:28

    Deus predestinou todos para a vida eterna, a questão é que temos o livre arbítrio, então podemos nos predestinar para se perder.enfim, nós somos aquilo que queremos pois estamos livres para ser o que quisermos.



    • Gelson Braz em 15 de março de 2013 16:24

      Em poucas palavras Laercio dos Santos falou tudo.



  • ronaldo dias em 11 de março de 2013 21:16

    não creio q Deus determina q um homem nasca pra pecar e outro não,fiz aulgum estudos e pude verificar apenas uma forma d predestinação,q é em relação aos profetas,como Jeremias,1:1a10,q diz antes q (antes eu t formasse no ventre materno,eu t conheci,e t constitui profeta as nações),como tb João Batista,q viria clamando do deserto a vinda d Cristo,Moises,Sansão q Deus enterfiriu na historia para traze-lo a vida,pos sua mãe não podia ter filhos,e tantos outros profetas,sobretudo é claro q Deus respeitou o seu livre arbitrio,mais entendam apenas sobre predestinação sobre profetas,tão somente eles,nos seres normais não!!



  • SERGIO em 13 de março de 2013 1:24

    GOSTARIA DE SABER SE APOCALIPSE 11:18-19:

    E iraram-se as nações, e veio a tua ira, e o tempo dos mortos, para que sejam julgados, e o tempo de dares o galardão aos profetas, teus servos, e aos santos, e aos que temem o teu nome, a pequenos e a grandes, e o tempo de destruíres os que destroem a terra.
    E abriu-se no céu o templo de Deus, e a arca da sua aliança foi vista no seu templo; e houve relâmpagos, e vozes, e trovões, e terremotos e grande saraiva.
    JULGAMENTO – SANTUARIO – ARCA DA ALIANÇA,

    SE ESTA PASSAGEM REFERE-SE AO JUIZO INVESTIGATIVO INICIADO EM 1844?



    • Maiara Costa - Equipe em 23 de setembro de 2013 16:59

      Olá Sergio!
      Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.
      Esse texto representa o seguinte: tanto o juízo final após o milênio como o inicio da segunda parte do trabalho de Cristo no santuário celestial, ou seja, o juízo investigativo em 1844.
      Gostaria de recomendar à você a leitura do livro: Uma Nova Era Segundo as Profecias do Apocalipse da editora CPB.
      Contato: 0800-979-06-06 ou cpb.com.br
      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira



  • Gabriel Bortone em 15 de março de 2013 21:53

    Qual a visão mais correta: Amilenismo,pós milenismo ou pré milenismo histórico, E o porque , e me dê também a refutação dos que estiverem errados



    • Maiara Costa - Equipe em 24 de setembro de 2013 14:23

      Olá Gabriel!
      Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.
      O amilenarismo pode assumir duas formas: Uma considera o futuro reino milenial um adendo desnecessário à escatologia, uma intercalação inútil entre o glorioso evento e o juízo dramático. A outra forma situa o milênio entre a morte de Cristo e Sua segunda vinda; durante esse tempo, Satanás fica preso, no sentido de não poder impedir a pregação do evangelho a todas as nações!

      Pré Milenarismo: Este termo designa basicamente a crença na segunda vinda de Cristo antes do milênio, no entanto, há pelo menos dois tipos de pré-milenarismo.
      Pré-milenarismo dispensasionalista: para esses o alvo da história é o reino milenial de Cristo sobre a Terra, esse arranjo depende do cumprimento literal ds profecias do Antigo Testamento para Israel como nação. Após a vinda de Cristo, o milênio consistirá num período de evangelismo e prova, sob o reinado pessoal de Cristo sobre a Terra.

      Pré-milenarismo bíblico: esse nome tem que ver com os pré-milenaristas que creem que o milênio ocorrerá após a segunda vinda. No entanto, o reino milenial será no céu, enquanto na Terra tudo é desolação, esse é o correto (Jeremias 4:23-27 e Apocalipse 20:1-3).

      Pós milenarismo: pretende ter uma visão positiva do triunfo do evangelho de Cristo sobre a Terra. Seus proponentes esperam que o evangelho avance com muito poder para derrotar as forças do mal antes do segundo advento. Durante o milênio, o poder do evangelho será manifesto,e a influência do cristianismo permeará nações e sociedades. Esse reino milenial será estabelecido na Terra como prova convincente do poder e do triunfo de Cristo. Depois de apresentada essa prova, Cristo voltará para estabelecer o Seu reino eterno.

      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira



  • Victor em 16 de março de 2013 22:23

    Professor Leandro Quadros,O senhor poderia me explicar Salmos 37:13? Neste texto estar afirmando que Deus ira rir do impio pois o dia do seu juizo estar chegando,mas em outros textos afirman que Deus nao tem prazer na morte do impio e sim que se converta-se e tenha vida eterna.Poderia me explicar isto?



    • Maiara Costa - Equipe em 19 de março de 2013 14:01

      Olá estimado amigo e irmão em Cristo Victor!
      É uma grande satisfação poder manter contato com você.
      Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.
      O texto de Salmo 37:13 é uma linguagem poética e humana para descrever o desprezo divino pelos intentos dos ímpios.
      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira.



      • Victor em 19 de março de 2013 20:17

        Muito obrigado irmã Maiara Costa,Que Deus te abençoe e de guie pelos caminhos desta vida 🙂



        • Maiara Costa - Equipe em 20 de março de 2013 11:26

          Olá estimado amigo e irmão em Cristo Victor!
          Grande satisfação poder manter contato com você.
          Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.
          Obrigado por suas palavras e que o Senhor também te guie e ilumine.
          Um forte abraço.
          Equipe do Na Mira.



  • Leonardo H em 17 de março de 2013 4:01

    A dupla predestinação é uma daquelas doutrinas protestantes feitas por pessoas que tinham preguiça de pensar, ou ao menos não compreendiam completamente os termos da discussão escolástica.

    Pessoalmente acho que esse problema todo é mais profundo no ocidente, que deve muito da sua teologia a Sto Agostinho, tanto o Catolicismo Romano, quanto o protestantismo histórico (Lutero era Agostiniano). Agostinho no entanto percebia o problema obvio da predestinação dupla e nunca a afirmou completamente, afirmando apenas que Deus predestina os salvos. É óbvio que a predestinação de agostinho tem como corolario a predestinação à perdição, mas ainda assim, o fato dele não te-la enunciado claramente mostra que ele entendia claramente a terrivel consequencia da tese proposta, deixando o problema para teologos posteriores, que evidentemente nunca resolveram bem a questão.

    No oriente – nas tradições cristãs ortodoxas – esse problema da predestinação não é tão importante. Naquelas regiões existe uma apreciação maior pelo paradoxo e mistério que no ocidente nós não temos; em função da nossa herança filosofica de querer esmiuçar e esgotar cada questão.

    Concluindo, a predestinação dupla é um filho direto da predestinação Agostiniana. E os protestantes que tanto levantam a bandeira da predestinação dupla, deveriam atentar para o fato de que essa é uma leitura latina, romana e que não tem um paralelo no cristianismo anterior a Calvino, nem mesmo em Agostinho, apesar de ser a semente da controversia.



  • Paulo Cezar Cajaiba Souza em 6 de abril de 2013 11:42

    Quem tem preguiça de pensar são pessoas que não pesquisam essa doutrina a fundo antes de ficar falando asneiras sem sentido julgando fatos da história eclesiástica que não compreendem muito bem (Jó.38.1). Não é dado ao homem o direito de questionar os desígnios de Deus (Rm. 9). Deus é o modelador dos vasos. Ele os molda como bem quiser.



    • Maiara Costa - Equipe em 9 de abril de 2013 17:54

      Olá Paulo Cezar!
      Grande satisfação poder manter contato com você.
      Que a graça e a paz de Jesus esteja sempre em seu coração.
      Seguindo sua linha de raciocínio como tem certeza de que está “modelado” para salvação ou perdição?
      E mesmo se você tivesse vivido uma vida “justa” buscando estar em conformidade com a vontade divina ao chegar no final da história acharia justo receber a condenação e a perdição?
      Não é esse o pensamento bíblico.
      Por mais que não possamos compreender plenamente todos os desígnios de Deus, aquilo que é suficiente para a nossa salvação, Ele nos permitiu saber por meio da Bíblia (2 Timóteo 3:15).
      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira.



  • Clovis em 6 de abril de 2013 17:25

    Amigos,

    Haveria interesse em ler uma resposta de um “doente mental” ao artigo acima publicado? Se houver, posso postar.

    Em Cristo,

    Clóvis



    • Maiara Costa - Equipe em 10 de abril de 2013 17:59

      Olá Clóvis!
      Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.
      Vemos que não há problema algum amigo, pois da mesma forma que dispusemos a opinião de um psquiatra experiente no assunto, também será interessante termos esse depoimento.
      Sendo o mesmo curto não muito longo podemos postar.
      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira.



  • monica em 8 de junho de 2013 17:14

    o verdadeiro batismo é realizado no rio ou na piscina?



    • Maiara Costa - Equipe em 10 de junho de 2013 17:53

      Olá estimada amiga Monica!
      Satisfação poder manter contato com você.
      Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.
      O verdadeiro batismo é o por imersão (Efésios 4:5; Mateus 3:16; João 3:23), quer seja realizado na piscina ou no rio.
      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira.



  • vivaldo em 13 de setembro de 2013 15:10

    Obrigado por nos disponibilizar tão excelente conteúdo!