doe agora TV TV
INÉDITO:
  • SEG21:00
REPRISES:
  • DOM04:00
  • TER07:30
  • QUI09:00
  • SAB17:00

O dízimo ainda é válido hoje?


“O dízimo é válido ainda hoje ou só era válido para o povo do antigo Israel?”
“Qual o real sentido da Arca da Aliança? Qual o seu objetivo?”
“Miguel é um nome de Jesus?”
“A devolução do dízimo é um meio para a pessoa ser abençoada?”
“Existe o seio de Abraão?”
“Os dinossauros existiram? Se sim, quando foram extintos? Isso aconteceu a milhões de anos?”
“Jesus pede que guardemos o sábado?”
“Se Enoque já está no céu, por que temos que esperar a segunda vinda de Cristo?”
“Por quanto tempo Jesus esteve morto?”

Você está em: Vídeos

Compartilhe:


Comente



  • gleidson ferreira em 14 de abril de 2012 1:27

    gostaria de uma resposta ,fale sobre atos 15



    • Ana Carolina em 15 de abril de 2012 12:05

      Olá Gleidson!
      Como você não especificou sua dúvida sobre atos 15, enviamos para seu e-mail alguns artigos relacionados a esse capítulo. Caso ainda tenha dúvidas, escreva para namiradaverdade@novotempo.org.br
      Abraços e que Deus te abençoe!



    • roberta em 17 de abril de 2012 12:11

      olá tenho uma duvida em qual texto da biblia está falando que o valor do dizimo é 10%,
      tem mesmo um valor correto que deus pede???



      • Ana Carolina em 19 de abril de 2012 15:54

        Olá Roberta,
        Obrigado por sua pergunta. A palavra “dízimo” é apenas a tradução, em levíticos 27, a palavra hebraica usada é “ma’aser” que significa “pagamento de uma décima parte”. No novo testamento a palavra grega é “decate” que quer dizer “décima parte”. A origem etimológica da palavra “dízimo” é o termo latino “decimus” que também se refere à décima parte. Portanto, a palavra de Deus nos deixa claro que o dízimo não é um valor qualquer e sim um valor instituído por Deus para que devolvamos a Ele. Espero ter ajudado! Caso ainda tenha dúvidas, escrava para namiradaverdade@novotempo.org.br
        Abraços e que Deus te abençoe!!



  • sonia em 14 de abril de 2012 13:59

    é muito bom saber que Deus nos abençoa por amor ,não por algo em troca. nada que falarmos ou que façamos ira mudar o amor de Deus que é gratuito,por isso eu Sonia devo dar o dizimo e oferta com gratidão por tudo que já recebi,principalmente pelo dom gratuito da vida
    muito obrigado por este estudo sobre dizimo . ate o próximo programa que Deus abençoe muitíssimo avida de vocês com o derramamento do Espirito Santo pra que capacitem cada vez mais a vocês como dom da interpretação da Bíblia verdadeiramente correta .
    um abraço fique com DEUS .amém



    • Ana Carolina em 14 de abril de 2012 18:44

      Olá Sônia!
      Obrigado por suas palavras, saber que pessoas nos desejam sabedoria e oram por nós, conforta nossos corações.
      Abraços da famíla “Na Mira”



  • jose acacio em 14 de abril de 2012 14:46

    O DIA DA MORTE DE JESUS
    EM QUE DIA MORREU E RESSUSCITOU JESUS CRISTO? Pra a maioria dos cristãos, a resposta a esta pergunta é Ele morreu na sexta feira e ressuscito no domingo de Páscoa;. Porem não é tão simples assim. Examinnando as Escrituras encontraremos a verdade sobre ao dia da morte de JESUs na Cruz. Examinar uma série de testo bíblicos que faram entender melhor.
    (CL.2:17) EX. 12:1-14; DT.16-6-16;NM.28:17,18). (LV.23:8. EX. 12:5 JO1:29EX 12:18-20JO 19.19:17A MORTE DE JESUS COM RELAÇÃO A PÁCOA 1CO. 5:7. É algo determinante que faz coincidir, tambem, no mesmo dia e hora a morte de Jesus. O cordeiro de Páscoa era imolado à tarde do décimo quarto dia de Nisã e comido depois ao pôr do sol. D mesma forma que o cordeiro páscal lembra a salvação da escravidão do Egito, CRISTO, o cordeiro pascal, lembra a salvação do pecado.
    A DETERMINAÇÃO DA DATA DA MORTE DE JESUS!
    VAMOS AGORA DESCOBRIR O ANO DA CRUCIFICAÇÃO DE JESUS.
    Já sabemos que o dia de sua morte se deu no dia 14 de Nisã
    A profecia de Daniel 9 Dn. 9:24-270 457 a.C(Ne.2:1) Até o dia quando chegasse o Messias, passariam 483 anos 69×7=483-457=26).cumpriu-se literalmente no batismo de Jesus, quando João batizou O no rio Jordão, iniciando assim o seu ministério no outono do ano 27 d.C. Segundo a profecia, o Principe seria tirado (morto) no meio da septuagésima semana profética, ou seja, três anos e meio depois do concerto, o que se deu no ano 31 d.C.ver ano de sua morte. Lc. 3:1-3. e muito mas…



  • luiz ferreira de brasilia em 14 de abril de 2012 22:30

    prf. estou muito feliz com seus comentarios



  • Reginaldo Murata em 14 de abril de 2012 22:42

    Parabens pelo programa!Esta sendo muito bom acompanhar vcs,e assim tenho aprendido muito através da internét.Deus vos abençoe.Abraços!



  • Maria Luiza Mezencio em 14 de abril de 2012 23:47

    parabéns vcs são maravilhosos verdadeiramente enviados por Deus.



  • claudemir dos santos em 16 de abril de 2012 8:47

    Jesus nos disse;Dai a Deus o que é de Deus,e a césar o que é de césar,portanto o dizimo é uma necessidade estritamente material e está sob a nossa responsabilidade,e ai de nós se a usarmos mal,pois é feita em nome de Deus,pois muitos tiram proveito proprio dela. Que o dizimo seja usado apenas para a divulgação do evangelho. Embora muitos utilizam a crença do dizimo para arrecadar os donativos necessarios,outros arrecadam donativos de uma forma mais trabalhosa que de certa forma dignifica o esforço de servir a Deus,pois o trabalho sempre será uma Benção. Abraços a todos e muita paz.



    • Ana Carolina em 16 de abril de 2012 14:46

      Olá Claudemir!
      Obrigado por seu comentário. Você tem razão, às vezes nos deparamos com casos de mal uso do dízimo e isso certamente nos revolta. Mas o que conforta o coração do cristão sincero é que a salvação é individual e o que cabe a nós é devolver o dízimo com a bíblia diz, a outros cabe admisnistrar os recursos e cada um dará conta de suas responsabilidades perante Deus.
      Abraços da família Na Mira da Verdade!!



  • Stele Prates em 16 de abril de 2012 11:24

    Olá, são pontos pertinentes que os programas da novo tempo nos proporciona.
    Mas, devo fazer uma correção a Sônia, que fez um comentário interessante, no entanto
    você disse que “[…] por isso eu Sonia devo dar o dizimo e oferta com gratidão por tudo que já recebi,principalmente pelo dom gratuito da vida[…]”, deu pra entender o que você gostaria de dizer, mas, é bom salientar que nós devemos devolver o dízimo não apenas porque recebemos benção, mas principalmente porque é uma ordenança de Deus a nós.

    Um grande abraço



  • joniuton amorim viana filho em 16 de abril de 2012 12:36

    É Pecado Comer Carne de Porco?



    • Ana Carolina em 16 de abril de 2012 15:48

      Olá Joniuton!
      Na Bíblia, em levíticos 11 temos instruções sobre o que é melhor para nossa saúde, recomendo também o artigo http://zip.net/bwgyvS, onde o professor Leandro explica sobre outros textos da bíblia referentes à ingesta de carne de porco.
      Abraços e que Deus te abençoe!



      • JOAO BATISTA ASSUNÇAO DA SILVA em 1 de agosto de 2012 10:38

        Amigo Bom dia!

        Sempre assisto os programas da novo tempo, quero receber esta revista gratis, mais faço cadastro mais nao recebo a senha no meu imail, como faço pra que receba a senha e solicita ssim o material?? agradeço a resposta no meu imail.



        • Ana Carolina em 1 de agosto de 2012 12:18

          Olá João,
          Ficamos felizes por seu interesse em conhecer mais da palavra de Deus. Você pode pedir a revista pelo e-mail namiradaverdade@novotempo.com. Que Deus continue abençoando sua vida e te dando sempre entendimento vindo dEle. Abraços



  • Bruna Giroldo em 16 de abril de 2012 17:26

    Olá, não sou adventista mas desde que comecei a assistis a tv Novo Tempo estou encontrando muitas respostas para minha vida, mas gostaria que fosse falado um pouco mais sobre o sábado e como devemos guardá-lo. Obrigada
    Bruna Giroldo
    Santo André – SP



  • Jacqueline Rocha em 16 de abril de 2012 20:37

    Olá, gostaria de saber porque em algumas denominações homens ficam de um lado e mulheres de outro.



  • Marcio em 17 de abril de 2012 18:05

    por que meu cmentario foi apagado e nao publicado a palavra de deus fala que nada fica no oculto essa é maneira como vcs agem diante de uma pergunta isso so da entender o quanto a pergunta incomoda vcs ,,,,,



  • celiosouza1@hotmail.com em 17 de abril de 2012 19:54

    por favor se nao for incomodo poderia me enviar por imail a resposta

    sobre o dizimo ser válido ainda hj?pois nao tenho como acessar o audio do video relacionado

    a ese tema…..parei de dar meu dizimo por ter muitas duvidas em relaçao a isto

    uma vez vi alguem dizer q dizimo é coisa da velha aliança por tanto nao é mais obrigatorio ja que estamos na nnova aliança…desde ja agradeço….



    • Ana Carolina em 19 de abril de 2012 15:38

      Olá Célio!
      Não temos como enviar o audio do programa, mas você pode solicitar essa resposta por e-mail escrevendo para namiradaverdade@novotempo.org.br
      Abraços e que Deus te abençoe!



  • Marcio Henrique em 17 de abril de 2012 22:15

    Gostaria d saber se no meu caso em relaçao ao dizimo devo devolver o q
    produzi durante o mes ou o valor q sou registrado na carteira de trabalho
    pois trabalho com produçao? Agradeço a atenção



    • Ana Carolina em 19 de abril de 2012 15:31

      Olá Márcio!
      Boa sua pergunta! A bíblia diz que devemos devolver o dízimo de TUDO o que temos, “e de tudo lhe deu Abrahão o dízimo…” gen 14:20. Antes, gostaria de ressaltar que Deus não precisa do nosso dízimo, mas quer que participemos de Sua obra. Devolver o dízimo é reconhecer que tudo pertence a Deus, que Ele é nosso Senhor e que dependemos dEle. A palavra de Deus nos aconselha a, quando recebermos qualquer valor, que separemos a décima parte para Deus e só então utilizemos o restante.
      Espero ter ajudado, caso tenha outras dúvidas, escreva para namiradaverdade@novotempo.org.br
      Que Deus te dê sabedoria e te abençoe sempre!
      Abraços da equipe Na Mira



  • Paulo Nascimento em 18 de abril de 2012 10:24

    Olá Pastor Leandro Quadros,
    Você o Tito e a equipe do Programa Na Mira da Verdade, estão de parabéns.
    Estão realizando um ótimo trabalho, peço que continuem fortes e firmes, pois sei que não é fácil.
    Ao ver que muitas pessoas perseguem a Igreja, me lembro de Lutero, o mesmo era perseguido por pregar a Palavra de Deus de maneira correta. E o poder e as pessoas que o acusavam, usavam apenas ameaças e o poder que tinham nas mãos, mas nunca a Palavra de Deus para rebater.

    Mais uma vez Parabéns e que Deus continue iluminando a todos vocês.
    Grande Abraço.



    • Ana Carolina em 19 de abril de 2012 15:07

      Querido Paulo,
      Obrigado por suas palavras, elas nos dão fôlego extra para seguir com a missão de levar a verdade e apressar a volta de Jesus! Ore, sempre que se lembrar, por esse ministério. Que a palavra de Deus seja sempre nossa força e nosso escudo.
      Abraços e que Deus te abençoe!



  • ana cristina lopes em 18 de abril de 2012 10:55

    onde eu acho na biblia o valor do meu dizimo pois trabalho por conta propria e nao sei como calcular eu abato as minhas despesas e dou o dizimo do restante como eu faço essa conta por favor me ajude



    • Ana Carolina em 19 de abril de 2012 15:02

      Olá Ana Cristina,
      Obrigado por postar sua dúvia, certamente esclarecerá dúdidas de outros leitores também. O santo dízimo sempre deve ser separado do salário bruto, pois, antes de qualquer planejamento e definição de orçamento, devemos separar a décima parte que pertence a Deus. Não que Ele precise do nosso dinheiro, mas o pede para que cooperemos com a pregação do evangelho (1 Co 9:6, 7; Ml 3:8-10) a fim de sermos os maiores beneficiados (Ml 3:10; Pv 3:9, 10). Além disso, o dizimar é uma demonstração de lealdade e agradecimento a Deus por tudo o que Ele nos dá.

      Deus nos mantém vivos com os alimentos, as roupas, plano de saúde, emprego e muitas outras coisas. Os 10% (dez por cento) que Ele nos pede realmente é muito pouco comparando com tudo o que Ele tem nos dado mesmo sem merecermos. Se desejar, pode estudar mais sobre o assunto em: Gênesis 14:20; Gênesis 28:22; Levítico 27:32; Hebreus 7:2 e ver que o dízimo é a 10% da nossa renda bruta.

      Que Deus te abençoe!



  • Suzana em 21 de abril de 2012 17:37

    Olá Leandro Quadros!Quero pedir desculpas por um dia ter feito um comentário feio ao seu respeito por causa de um programa que ouvi sobre casar-se com jugo desigual. Na época fiquei muito zangada mas hoje entendo, ainda que haja muito amor entre o casal as diferenças religiosas quando vem os filhos podem ate separar o casal se um não ceder. Por favor me perdoa. Aproveitando gostaria de saber sobre os dinossauros, quero que minha filhota cresça sabendo a verdade.Um grande abraço, Deus esteja com vcs.



  • luiz carlos cotta em 28 de abril de 2012 19:15

    Ola, quero parabenizar o programa na mira da verdade porque tem me esclarecido muita duvidas
    porque e na Bíblia que vcs. ensinam.Parabéns !
    Deus continue abençoa-los.



  • Angela Alves de Paula em 9 de maio de 2012 12:54

    Queridos, tenho sido edificada grandiozamente com a programação do Novo Tempo. Sou de outra denominação e venho pedido para Deus me dá a direção se estou no lugar certo, pois a igreja que frequento faz muitos propositos com valores financeiros e fico pensando se isso é de Deus ou é do homem. Sou dizimista e ofertante, pois sei que é biblíco e faço com maior prazer. Gosto demais de vocês, pois vejo que são sérios, porém gostaria de mais informações sobre “santificar” o sábado.Por favor me ajudem. Obrigada, Angela



    • Ana Carolina em 9 de maio de 2012 15:37

      Olá Angela,
      Obrigado por suas palavras tão gentis, é sempre uma alegria para nós poder ajudar! Aquí mesmo no blog, temos alguns textos e vídeos sobre o tema, um que acho bem interessante é o http://zip.net/btgHM8. Também enviamos para seu e-mail artigos sobre a guarda do sábado. Caso ainda tenha dúvidas, você pode escrever para namiradaverdade@novotempo.org.br
      Que Deus te dê sabedoria e discernimento.
      Abraços da família Na Mira!



  • Joel Miranda em 14 de maio de 2012 19:15

    Sou crente em Cristo Jesus, e atúo como Diácono na Primeira Igreja Batista em São Gonça- lo, onde nascí e de onde sou membro desde os meus 12 anos(hoje estou com 80). Gostaria de saber o seguinte: A doutrina adventista, prega que o sábado é um dia sagrado, pois faz parte dos Dez Mandamentos da Lei de Deus. Concordo que nós como crentes em Cristo Jesus, temos o dever de guardar os Mandamentos do Senhor, do contrário seremos desobe-
    dientes à Sua ordem. Mas, se Jesus fez quasi todos os seus milagres em dias de sábado, sendo por isso duramente criticado pelos escribas e fariseus, que eram ferrenhos legalistas, eu então pergunto: se Ele assim procedia e combatia o legalismo dos Judeus usando frases como: “Meu Pai trabalha até agora, e eu trabalho também”; “O sábado foi feito por causa do homem e não o homem por causa do sábado”; “Qual de vocês se um boi cair num buraco num dia de sábado, deixará de tirá-lo por ser sábado”? E muitas outras referências que Ele fazia ao sábado. Então, se Jesus assim procedia, Ele era desobediente ao Pai Celestial?



    • Marcell Carbonare em 23 de maio de 2012 0:06

      Joel MIranda, o “trabalho” que Jesus fazia aos sábados não tinha nada a ver com o trabalho secular. Jesus curava, ajudava aos necessitados, pregava, esse era o trabalho que Jesus fazia, e é o nosso exemplo de como guardar o sábado verdadeiramente. Jesus guardava o sábado, tanto que ia à sinagoga nesse dia. Esse era o costume dele, e não era por ele ser judeu, mesmo porque ele entrou em ferrenhos debates com os escribas e fariseus porque eles adicionavam regras e tradições humanas que não haviam sido estabelecidas por Deus, tornando assim a guarda do sábado um fardo. Não há em lugar nenhum da Bíblia uma ordem para que esqueçamos desse dia sagrado, ou que guardemos o domingo ou qualquer outro dia.
      Grande abraço!



  • valdecir em 22 de maio de 2012 15:27

    Olá Joel miranda,normalmente as igrejas evangélicas estão tentando de qualquer maneira colocar na cabeças de seus membros que a guarda de sábado não exite mais,ou seja se o sábado não deve ser observado os outros mandamento tambem não, em um tribunal de Justiça eles usam a ´biblia para fazer um juramento, a bíblia é a única regra de fé, sem lei não tem pecado e se não tem pecado por que Jesus voltar..A lei ela nos mostra o nosso erro e com isso nos consertamos diante de Deus, nos não vivemos em um mundo sem lei.



  • FRANCISCO DAS CHAGAS em 30 de maio de 2012 17:22

    ATRAVEZ DO ENSINAMENTO DE ELEN WHITE SOBRE A PURIFICACAO DO SANTUARIO CELESTIAL EU APRENDI COM ELA QUE NAO EXISTE MAIS SANTUARIO TERRESTRE,OU SEJA TEMPLO TERRESTRE A NAO SER O NOSSO CORPO.,QUE SOMOS LIVRES PARA ADORAR A DEUS EM VERDADE E EM ESPIRITO NAO PRECISAMOS MAISDAR PRESENCA DE DEUS NO TEMPLO,COMO NO PASSADO,MAIS A SUA PRESENCA NA NOSSA VIDA,NO NOSSO CARATER DE ACORDO COM SUA PALAVRA….MAIS ACHO QUE O DIZIMO TAMBEM ESTA LIGADO COM ESSE ESTUDO DA PURIFICACAO DO SANTUARIO TERRESTRE SIM,POIS O DIZIMO ERA PARA O SUSTENTO DOS SACERDOTES QUE ADMINISTRAVAM O TEMPLO TERRESTRE,QUE FOI DESTRUIDO 70 ANOS DEPOIS DE CRISTO,SE HOJE NAO EXISTE MAIS SANTUARIO ,E CLARO QUE NAO EXISTE QUEM CUIDE DE TEMPLOS SE NAO PRECISA DE ZELADORES DE TEMPLOS TAMBEM NAO PRECISA DE DIZIMOS QUE ERA PARA ESSE FIM…HAA MAIS E O EVANGELHO PRECISA SER DIVULGADO E CLARO PARA ISSO DEVEMOS SIM AJUDAR A GRANDE OBRA MISSIONARIA DO EVANGELHO,MAIS NA MINHA OPINIAO NAO MAIS COM DIZIMOS E SIM COM MANTIMENTOS VOLUNTARIOS,ENTREGUE COM AMOR,ASSIM ERA BEM MAIS SEMELHANTES A CRISTO E A NOSSO AP PAULO…ESSA E MINHA OPINIAO COM SINCERIDADE FICAM COM DEUS….



  • joao januario luemba sumbo em 9 de junho de 2012 18:55

    professor, eu quero saber donde veio a mulher que caie casou, sendo ele o primeiro filho do do ser humano vivente?



    • Ana Carolina em 12 de junho de 2012 16:24

      Olá João,
      Muito obrigado por fazer parte da família “Na Mira da Verdade”, da Rede Novo Tempo. Peço desculpas, mas a política do blog é discutir os temas aquí apresentados. Você terá suas perguntas respondidas se as enviar para namiradaverdade@novotempo.org.br. Que Deus te abençoe!



  • paulo cesar angelo de araujo em 19 de junho de 2012 15:29

    Em que parte estamos da estauta mostrada na visão de Daniel?



    • Ana Carolina em 20 de junho de 2012 16:07

      Amigo, acreditamos que estamos já nas unhas da estátua! Enviei para seu e-mail um texto sobre esse tema, espero que lhe seja esclarecedor. Que Deus te abençoe.
      Abraços



  • Luiz H. em 19 de junho de 2012 16:34

    Aprendo muito com a mira da verdade



  • elvenes de melo soares em 19 de junho de 2012 16:55

    Ola professor, eu tenho um duvida: Se eu doar o meu dizimo de uma forma diferente, doando não diretamente a igreja, mas sim doando diretamente a algumas das varias instituições de caridade existentes, ainda assim estarei exercendo o dizimo de forma correta? obrigado!!!! e Deus o abençoe….



    • Ana Carolina em 20 de junho de 2012 16:03

      Olá Elvenes,
      Obrigado por participar do blog Na Mira da Verdade. Enviei um texto sobre Dízimo para seu e-mail, caso tenha outras dúvidas, escreva para namiradaverdade@novotempo.com, é sempre uma alegria poder ajudar!
      Abraços



  • Messias Oliveira em 20 de junho de 2012 15:18

    Olá, sou baterista de uma banda de rock ‘Banda Novo Hábito’ e fico muito chateado por muitos irmãos felarem q rock não é de Deus e tal… minha adoração a Deus é sincera e verdadeira, me dedico a cada dia p fazer o melhor para meu pai (Deus) sempre falo com Deus q para mim não adianta apenas só tocar, quero fazer a diferença… . O que vcs poderiam falar sobre isso?

    abraço!!!



    • Ana Carolina em 20 de junho de 2012 16:19

      Olá Messias,
      Obrigado por acessar e comentar aquí no blog Na Mira da Verdade. Enviei um texto sobre Rock para seu e-mail, caso tenha outras dúvidas, escreva para namiradaverdade@novotempo.com
      Que Deus te abençoe!
      Abraços



  • margarida duarte ferreira em 23 de junho de 2012 0:01

    caro Tito e Prof.Leandro Quadros amo este programa tenho aprendido muito com vocês. por favor me tirem uma duvida. Quando Jesus voltar nos os salvos vamos subir com Ele certo? E quantos os que ficarem? como será isso? me expliquem por favor. um grande abraço



    • Ana Carolina em 26 de junho de 2012 16:48

      Olá Margarida,
      Obrigado por suas palavras, o objetivo desse programa é aproximar as pessoas de Deus e ficamos muito felizes ao saber que estamos cumprindo esse propósito! Enviamos para seu e-mail, mas você pode ler mais sobre o tema nos links http://zip.net/bgf879 e http://zip.net/bkg3tp. caso ainda tenha dúvidas, escreva para nós! Nosso e-mail é namiradaverdade@novotempo.com
      Que Deus te abençoe!



  • luiz carlos de moura junior em 23 de junho de 2012 15:15

    se o dizimo naquele tempo era para tribo de levi,para construção do templo.se nós hoje somos da tribo de esrael,porque temos que dar o dizimo em tão.



  • MOREIRA em 24 de junho de 2012 17:48

    OLÁ, AMADOS EU TENHO UMA PEQUENA DÚVIDA SOBRE DÍZIMOS E GOSTARIA DE CONTAR COM O APOIO DOS SÁBIOS IRMÃO PARA QUE ME FOSSE ESCLARECIDA, ANTE DE TUDO QUERO QUE SAIBAM QUE SOU DIZIMISTA E QUE NÃO TENHO NADA CONTRA, MAS POREM DIZIMO E OFERTO NÃO PORQUE ESSE ATO AINDA TENHA LEGALIDADE, E SIM PELO DESEJO DE VER A OBRA CRESCER… VISTO QUE ESTAMOS NO TEMPO DA GRAÇA QUERIA QUE OS IRMÃOS ME INFORMASSEM DENTRO DO NOVO TESTAMENTO ONDE DIZ QUE TENHO QUE DIZIMAR OU SEJA A OBRIGATORIEDADE JÁ QUE EM (NE 12:44) A BÍBLIA NOS ENSINHA QUE O DÍZIMO FAZIA PARTE DA LEI, SABENDO QUE A MESMA FOI ABRROGADA POR JESUS O NOSSO SALVADOR…



    • Ana Carolina em 27 de junho de 2012 16:52

      Olá Sidney,
      Muito obrigado por ter acessado nosso blog, você é muito bem vindo aquí! Ficamos felizes pelo seu interesse em buscar mais conhecimento. De acordo com a sua solicitação, enviamos para seu e-mail alguns textos sobro o dízimo no Novo Testamento. Caso ainda tenha dúvidas sobre esse ou outros temas, escreva para namiradaverdade@novotempo.com, é sempre uma alegria poder ajudar!



  • Osvaldo Silva em 30 de junho de 2012 1:07

    Pastor Leandro: este comentário que você utilizou em 2ª Corintios 9.6-8 não trata de dízimo, manda cada um contribuir conforme o seu coração. O texto é claro, porque criar uma intepretação sem existir ?
    É mais fácil a seguinte justificativa: no NT não obriga ninguém a pagar o dízimo, mas devolvemos o dízimo porque cremos que Deus é o dono de tudo e dono de nossas vidas, inclusive, das nossas finanças, conforme Salmo 24.
    Um forte abraço. Muito bom o programa, assisto aqui em Porto Velho-Rondônia.



    • Ana Carolina em 5 de julho de 2012 17:20

      Olá Osvaldo,
      mostrei seu comentário para o professor Leandro, eu disse concordar que o texto não fala diretamente do dízimo, mas, cremos que o princípio ali exposto se aplica à devolução dos dízimos: devolver com alegria.

      Um abraço!



  • tomaz santana d e souza em 3 de julho de 2012 22:32

    quantos tempo tem a igreja catolicas e quanto tempo tem a igreja adventista



  • JOSÉ PINTO em 9 de julho de 2012 11:40

    É MUINTO BOM SABER QUE TEM UM CANAL MARAVILHOSO QUANDO A GENTE PRECISA DE QUALQUER CONSELHO É SÓ CLICAR .



  • PAULO em 24 de agosto de 2012 19:41

    VOCE INTERPRETA A BIBLIA CONFORME O SEU FAVOR! MAIS SAIBA QUE O POVO DE ISRAEL HOJE NAO DAO MAIS O DIZIMO, POIS O DIZIMO ERA PRA SER LEVADO DIRETO AO TEMPLO, COMO O TEMPLO ESTA DESTRUIDO, ENTAO ELES SO DAO OFERTAS! QUANDO JESUS CONVERSAVA COM NAO JUDEU, ELE FALAVA DE DEUS E DA IGREJA! QUANDO FALAVA AO JUDEU ELE FALAVA NA LEI…PORQUE? ORA O POVO JUDEU É CRIADO NA LEI, ISSO ERA SABEDORIA PARA SE CHEGAR AO CORAÇÃO DO JUDEU.DEUS DEU UMA VISAO A PEDRO,TIAGO,JOAO, PORQUE? PARA QUE ELES TIVESSEM CERTEZA QUE DEVERIAM OUVIR SOMENTE JESUS! E NAO MAIS A LEI! O DIZIMO HOJE, É UMA OFERTA DE AMOR, PARA QUE IGREJA POSSA PAGAR SUAS CONTAS, NO SUSTENTO DOS PASTORES, E TAMBEM EM FAVOR DOS IRMAOS POBRES QUE PRECISAM DE AJUDA!



    • Vanderlei em 16 de dezembro de 2012 11:45

      Cristãos Não Sujeitos a Pagar Dízimos. Em nenhuma ocasião se ordenou aos cristãos do primeiro século pagar dízimos. O objetivo primário do arranjo de dízimos, sob a Lei, era sustentar o templo e o sacerdócio de Israel; conseqüentemente, a obrigação de pagar dízimos cessaria quando aquele pacto da Lei mosaica chegasse ao fim, por estar cumprido, por meio da morte de Cristo na estaca de tortura. (Ef 2:15; Col 2:13, 14) É verdade que os sacerdotes levitas continuaram a servir no templo em Jerusalém até que este foi destruído em 70 EC, mas os cristãos, a partir de 33 EC, tornaram-se parte de um novo sacerdócio espiritual que não era sustentado por dízimos. — Ro 6:14; He 7:12; 1Pe 2:9.
      Como cristãos, foram incentivados a dar apoio ao ministério cristão, tanto por sua própria atividade ministerial como por contribuições materiais. Em vez de darem quantias fixas, especificadas, para custear as despesas congregacionais, deviam contribuir “segundo o que a pessoa tem”, dando “conforme tem resolvido no seu coração, não de modo ressentido, nem sob compulsão, pois Deus ama o dador animado”. (2Co 8:12; 9:7) Foram incentivados a seguir o princípio: “Os anciãos, que presidem de modo excelente, sejam contados dignos de dupla honra, especialmente os que trabalham arduamente no falar e no ensinar. Porque a escritura diz: ‘Não deves açaimar o touro quando debulha o grão’; também: ‘O trabalhador é digno do seu salário.’” (1Ti 5:17, 18) Contudo, o apóstolo Paulo deu exemplo, procurando não acarretar à congregação uma carga financeira indevida. — At 18:3; 1Te 2:9.



      • Maiara Costa - Equipe em 26 de março de 2013 14:55

        Olá Vanderlei!
        Grande satisfação poder manter contato com você.
        Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.
        Deus tem muitos meios de ajudar o ser humano a vencer seus defeitos de caráter e, um dos que mais o Senhor tem trabalhado para tirar do coração humano é o egoísmo. O egoísmo nos faz egocêntricos, autossuficientes e insensíveis para com as necessidades do próximo.
        Uma das maneiras que Deus criou para tirar o egoísmo de nosso coração e desenvolver em nós um caráter semelhante ao de Jesus é o sistema de dízimos. Este sistema Divino, quando adotado na vida pessoal, ajuda o dizimista a desprender-se do dinheiro, tornando-se uma pessoa liberal e mais preocupada em atender às necessidades alheias.
        Existe alguma base teológica, moral ou espiritual para a devolução do dízimo? Por que devemos devolver? No que deve ser empregado? Há na Bíblia alguma indicação de que seja realmente na quantia de 10%?
        Onde diz na Bíblia que o dízimo deve ser de 10%?

        A palavra Dízimo vem da palavra hebraica “Malaser” e da palavra grega “Dekate”, e traduzido significa “um décimo”. Todos sabemos que “um décimo” é 10%.
        Portanto, sabemos que a quantia do dízimo deve ser 10% porque este é o significado da palavra.
        Base Teológica para o Dízimo – Novo Testamento.
        No Novo Testamento (N.T.) não existe uma passagem Bíblica que mande dizimar; mas há passagens que confirmam esta prática. Não há nada no N.T. que rejeite a prática do dízimo. Como vimos anteriormente, não foi preciso repetir de modo direto este mandamento porque era uma prática tão comum que não necessitava de lembrar as pessoas. (assim como a guarda do sábado). Como “não existe adoração sem oferta”, não foi preciso repetir.
        Alguns textos que mencionam o dízimo no Novo Testamento:

        A. HEBREUS 7:1-10.
        Neste texto há a menção do dízimo, mostrando que o apóstolo sabia sobre o assunto.
        “Existe uma continuidade sabática de dízimo no Novo Testamento”.
        Devemos adorar a Deus no dia que Ele escolheu e devolver aquilo que Ele pediu.

        B. Lucas 18:12: “Jejuo duas vezes por semana e dou o dízimo de tudo quanto ganho”.
        Neste contexto, Jesus condenou a justiça própria dos fariseus e não o ato de dizimar. Os fariseus usavam o dízimo como meio de adquirir a misericórdia de Deus.

        C. Mateus 23:23 – Lucas 11:42.
        “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque dais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho e tendes negligenciado os preceitos mais importantes da Lei: a justiça, a misericórdia e a fé; devíeis, porém, fazer estas coisas, sem omitir aquelas!” Mateus 23:23 – grifo meu.
        “Mas ai de vós, fariseus! Porque dais o dízimo da hortelã, da arruda e de todas as hortaliças e desprezais a justiça e o amor de Deus; devíeis, porém, fazer estas coisas, sem omitir aquelas”. Lucas 11:42 grifo meu.
        Jesus não disse aos fariseus para não dar o dízimo; Ele disse que eles deveriam “fazer estas coisas sem omitir aquelas”, praticar a justiça, a misericórdia e a fé juntamente com o ato de dizimar.
        Jesus, de modo claro, confirmou a validade da prática de dizimar. Esta prática só terá valor se cultivarmos um bom caráter e nos lembrarmos de ajudar aos órfãos e necessitados. Dizimar sem demonstrar misericórdia para com o semelhante não é frutífero para a vida do cristão.

        D. I Coríntios 9:13-14.
        “Não sabeis vós que os que prestam serviços sagrados do próprio templo se alimentam? E quem serve ao altar do altar tira o seu sustento? Assim ordenou também o Senhor aos que pregam o evangelho que vivam do evangelho…” I Coríntios 9:13-14.
        Aqui Paulo traça um paralelo entre os levitas (V.T.) e os obreiros do N.T. Implicitamente endossa a prática do dízimo.
        O Dízimo é designado por Deus para a pregação do evangelho. Se não fosse o sistema de dízimos, não teríamos os pastores nos presidindo, os obreiros e outros trabalhadores que dedicam suas vidas em levar o evangelho.
        É graças ao sistema de dízimos que a igreja adventista pode fornecer cursos bíblicos e outros materiais gratuitos às pessoas. Muitos não teriam conhecido as boas novas da salvação se não fosse o ato liberal e desprendido dos irmãos em separar o dízimo.
        Jesus nunca condenou o dízimo, mas o seu mau uso.

        Não dar o dízimo é um roubo a Deus?
        “Roubará o homem a Deus? Todavia, vós me roubais e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas”. Malaquias 3:8 – grifo meu.
        Este texto é muito claro. Cada vez que a pessoa deixa de devolver o dízimo, está roubando a Deus, o que é muito grave. Se a pessoa tem a audácia de roubar a Deus, imagine o quanto pode fazer com um ser humano. Roubar a Deus faz com que roubar as pessoas seja mais fácil.
        Uma das consequências de roubar a Deus é a maldição: “Com maldição sois amaldiçoados, porque a mim me roubais, vós, a nação toda”. Malaquias 3:9.
        Tive a oportunidade de conhecer um obreiro bíblico muito dedicado, chamado Luiz. No período em que morei com ele e sua esposa (também obreira bíblica), ele contou-me de sua experiência como dizimista.
        No início de sua vida cristão, ele não acreditava muito que o dízimo era o plano de Deus para a propagação do evangelho. Pensou consigo mesmo: “Eu não vou andar dando dízimo para pastor…”
        E assim o fez. Parou de dizimar.
        Ele era uma pessoa que tinha muitos bens: casas, carros, terras e uma linda família; mas num período de três anos em que deixou de devolver o dízimo, as coisas mudaram.
        No fim deste período (3 anos) ele viu-se morando de aluguel, sem seus carros, sem os terrenos, os filhos ficaram doentes e, para comer, os vizinhos tinham de trazer comida até a sua casa.
        Pensou: “Mas o que é que está acontecendo com minha vida, meu Deus! Eu sou um cristão fiel a Ti e como pode acontecer-me isto?”. Ficou apavorado.
        Mas o Espírito Santo, sempre preocupado com Seus filhos, tocou em seu coração e o fez perceber onde estava o problema. Concluiu o irmão: “Ah! Acho que estou passando por tudo isto porque deixei de devolver o dízimo…”.
        Após uma profunda análise e oração, o irmão Luiz resolver provar a Deus. Fez o propósito de voltar a dar o dízimo e devolver tudo aquilo que tinha deixado de dar para ver o que iria acontecer.
        Num período de três anos, sabe qual foi sua situação? Ele conseguiu comprar casas, carro, dar estudo para seus filhos (um tem faculdade de computação e trabalha em um uma Associação da Igreja Adventista) e também está ajudando um filho a manter-se nos Estados Unidos, onde está estudando na área de computação, como seu irmão.
        Viu a diferença que faz na vida de qualquer um devolver o dízimo? Aquele que é fiel a Deus é muito abençoado; já o que rouba a Ele irá colher aquilo que plantou.
        Faça o propósito de ser fiel ao Senhor; não atrapalhe a Deus da dar-lhe todas as bênçãos que Ele quer. A decisão é sua.

        “Mas o Dízimo não está nos Dez Mandamentos…”
        Mesmo não estando nos Dez mandamentos, o sistema de dízimos é válido, pois o não dá-lo é uma violação do 7o mandamento: “Não furtarás”. (Êxodo 20:15).
        Existem muitas outras coisas que não estão diretamente (mas indiretamente) nos Dez Mandamentos: “Oração, batismo, o amor, o perdão, o regime alimentar, a abstenção de fumar e beber, de ingerir drogas, o serviço da comunhão, o rito de humildade, o não se unir em jugo com infiéis, etc., etc.”
        Foi Deus quem criou este sistema; não o homem.
        Ao dar o dízimo, a pessoa é abençoada em tudo. Deus diz isto:
        “Trazei todos os dízimos à casa do Tesouro, para que haja mantimento na minha casa; e provai-me nisto, diz o SENHOR dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu e não derramar sobre vós bênção sem medida”. Malaquias 3:10.

        Qual é o verdadeiro sentimento que devemos ter ao devolver o dízimo?
        “Cada um contribua segundo tiver proposto no coração, não com tristeza ou por necessidade; porque Deus ama a quem dá com alegria”. 2 Coríntios 9:7.
        “Porque, se há boa vontade, será aceita conforme o que o homem tem e não segundo o que ele não tem”. 2 Coríntios 8:12.
        A pessoa deve devolver o dízimo de boa vontade, com alegria e não por necessidade (“vou dar o dízimo para ser abençoado e ganhar muito dinheiro”) ou por imposição.
        Há pastores hoje, que além de obrigar, exploram os fiéis, cobrando-lhes altas somas em dinheiro.
        Deus não Se agrada de que as pessoas sejam exploradas. Cabe a cada um saber para quem está dando o seu dízimo, se não o está contribuindo para que exploradores continuem levando miséria às famílias.

        O Dízimo deve ser 10%. Mas, e as ofertas? Deus estabeleceu uma quantia?
        De acordo com 2 Coríntios 9:7, cada um deve contribuir “segundo tiver proposto no coração”. Isto quer dizer que cabe “ao ofertante” escolher a quantia.
        Não é errado a igreja estipular aos membros um alvo de dinheiro para construir uma nova igreja, etc. Mas será errado se alguém “obrigar os membros” a darem a quantia que o pastor quer.
        Certa vez, em uma pequena cidade, o pastor de uma igreja evangélica falava eloquentemente sobre a importância das ofertas. Em seguida, muitos foram à frente para contribuir. Entre estas pessoas, estava um homem humilde, que mal tinha uma roupa para vestir-se, desejoso de contribuir para com a igreja; ele tinha 1 real no bolso e doou o que podia.
        O “pastor”, ao ver que o homem tinha apenas um real, disse há congregação: “Vocês estão vendo a esmola que este homem está trazendo para Deus?! Ele acha que Deus é um mendigo! Como é que Deus vai abençoar uma pessoa dessas?…”
        Será que tal “pastor” estava certo? Vejamos o que a Bíblia disse sobre isto:
        “Estando Jesus a observar, viu os ricos lançarem suas ofertas no gazofilácio. Viu também certa viúva pobre lançar ali duas pequenas moedas; e disse: Verdadeiramente, vos digo que esta viúva pobre deu mais do que todos. Porque todos estes deram como oferta daquilo que lhes sobrava; esta, porém, da sua pobreza deu tudo o que possuía, todo o seu sustento”. Lucas 21:1-4.
        Jesus, como de costume, estava no templo para adorar a Deus. Enquanto olhava para o movimento, viu muitos ricos dando suas grandes ofertas no gazofilácio e também uma viúva pobre. Sabe o que Jesus disse acerca da viúva?
        Ele não a rejeitou, como o fez o pastor daquela igreja com aquele homem; sabe o que Jesus disse? Veja:
        “Verdadeiramente vos digo que esta viúva pobre deu mais do que todos”. E sabe por que Jesus falou tal coisa?
        “PORQUE PARA DEUS NÃO IMPORTA A QUANTIA QUE DAMOS EM OFERTA, MAS SIM O QUE DAMOS DE CORAÇÃO”.
        Entre uma pessoa que dá dois mil reais de oferta e uma pessoa que dá um centavo, Deus irá valorizar mais a oferta daquele que deu com o coração e não para aparecer. Se a pessoa que deu os dois mil reais der apenas para mostrar que pode, sendo que o outro deu daquilo que tinha (um centavo), para Deus a melhor oferta será a daquele que deu um centavo, pois o fez com sinceridade.
        Pena que muitos teólogos de muitas igrejas não saibam (ou não aceitam) este princípio!
        Dê ofertas a Deus na proporção que seu coração desejar; mas devolva a Ele o Dízimo (10%) que Lhe pertence.
        Você está sendo fiel, querido membro de igreja (ou não), em devolver o que é de Deus? Está sendo fiel, pastor de igreja, no uso do dízimo? Está respeitando a decisão de cada irmão em ofertar de acordo com o que está proposto em seu coração?
        Se não o estiver fazendo, peça a Deus que lhe ajude e que perdoe o seu pecado, e Ele o fará. Faça uma breve oração neste momento e peça o auxílio do Espírito Santo em sua jornada como dizimista e como administrador do dinheiro do Senhor. Deus está mais desejoso de dar o Espírito Santo aos Seus filhos do que um pai em dar alimento para seus filhos:
        “Ora, se vós, que sois maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais o Pai celestial dará o Espírito Santo àqueles que lho pedirem?” Lucas 11:13.
        Que Deus te abençoe grandiosamente.
        Um forte abraço.
        Equipe do Na Mira.



  • Camila em 27 de agosto de 2012 16:01

    Olá,
    Eu fui batizada mas estou afastada há 10 anos. Apesar disso gostaria muito de dizimar pois sinto que seria um passo. Como eu poderia fazer isso sem frequentar?



    • Maiara Costa - Equipe em 18 de fevereiro de 2013 12:03

      Olá estimada amiga e irmã em Cristo Camila!
      É uma grande satisfação poder manter contato com você.
      Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.
      Primeramente: Mesmo estando afastada a tanto tempo da igreja, isso não significa que Cristo tenha se afastado de você, pois Ele continua exatamente no mesmo lugar de sempre, isto é , ao Seu lado (Isaías 57:15; Jeremias 23:23).
      Segundo: Já que sente em seu coração a vontade de devolver a Deus aquilo que pertence a Ele, então o faça em uma igreja que esteja de acordo com o plano bíblico para os dízimos e ofertas. O dízimo deve ser usado para a pregação do evangelho e as ofertas para a manuntenção da Casa do Senhor.
      Contudo, hoje primeiramente o que Deus pede para você entregar é o seu coração (Provérbios 23:26).
      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira.



  • Lais em 22 de setembro de 2012 13:45

    Olá tem uma dúvida os dinossauros foram criados por Deus? Eles comiam humanos e por isso se corromperam? É pecado estuda estes animais ou querer saber mais sobre eles?Obrigado aguardo anciosa!!!



    • deboramichele em 9 de outubro de 2012 16:51

      Olá Lais,
      Ficamos felizes por seu interesse em conhecer mais sobre a Bíblia.
      Para que possamos ajudá-la esclarecendo suas duvidas, por favor, nos envie para o e-mail namiradaverdade@novotempo.com.
      Que Deus a abençoe!



  • Adão em 18 de outubro de 2012 10:55

    Tenho uma duvida, ( porque as pessoas fogem a oracao e Jejum uma vez que orar é falar com Deus e muitos de nos fugimos a oracao sera que tambem estamos a fugir a Deus? ) peço os irmaos em Cristo do programa na Mirada verdade para me satisfazer a minha preocupacao.



    • deboramichele em 18 de outubro de 2012 15:04

      Olá Adão,
      Será um prazer ajudá-lo, por favor, envie-nos sua pergunta através do e-mail namiradaverdade@novotempo.com e lhe responderemos.
      Que Deus lhe abençoe!
      Um abraço,



  • André em 13 de novembro de 2012 23:10

    O que revolta na verdade é ouvir este senhor que apresenta o programa dizer que na época de Moisés se dava o dízimo em alimentos porque isso era a moeda na época, ora, que mentira, que engano, se o próprio texto que fala do dízimo diz que quando o caminho for longe demais a pessoa deveria vender os alimentos por dinheiro e levar o dinheiro na mão. Você não leu isso não amigo? passou despercebido? e mais quando chegasse ao local, ainda sim a pessoa não daria o dinheiro, mas novamente compraria alimentos. Não tem isso na sua bíblia não?



    • Maiara Costa - Equipe em 14 de novembro de 2012 8:42

      Estimado amigo André!
      Grande satisfação poder manter contato com você.
      Que a paz do Senhor esteja sempre em seu coração.
      Era uma prática comum nos dias de Moisés o dízimo ser dado na forma das primícias dos frutos da terra, pois o dízimo sustentava a tribo de Levi que cuidava dos serviços do santuário. O dinheiro mesmo existindo ainda não era a moeda principal da época.
      O mais importante no dizimar e ofertar é o espírito com que isso está sendo feito (2 Coríntios 9:7).
      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira.



  • André em 14 de novembro de 2012 13:30

    Me desculpe irmão, mas 2 Corintios 9:7, em nenhum momento fala de dízimo, mas sim de assistência aos santos, ou seja aos crentes necessitados! Li e reli, alí não fala de dízimo, embora seja um versículo tão usado como o de Malaquias para sustentar uma doutrina que é verdadeira (a do dízimo) porém o que eu não concordo é torcer versículos para convencer as pessoas de uma doutrina que inclusive é biblica e como tal poderia usar os versículos que realmente falam disso como nos livros de levítico, e os outros livros de Moisés!



    • Maiara Costa - Equipe em 16 de novembro de 2012 11:25

      Estimado amigo André!
      É uma grande satisfação poder manter contato com você.
      Que a paz do Senhor esteja sempre em seu coração.
      Mesmo que o contexto interno ali esteja se referindo as ofertas alcaçadas para ajudar os necessitados que haviam naquela igreja, o princípio contido ali de dar com liberalidade e alegria pode ser aplicado tanto aos dízimos como as ofertas.
      Muito obrigado por sua participação.
      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira.



  • gidivaldo rios em 27 de novembro de 2012 18:09

    olá,Joel Mirando,entenda que, jesus veio para cumprir e ensinar a cumprir as leis e os mandamentos:mat.5:17(isto é cumprir na sua morte, quando falou: tudo está consumado)são 241 leis e mandamentos incluindo DÍZIMO que na lei tinha outro desígnio no contrário de hoje;outrora ninguém entre os judeus conseguia cumprir; até que veio o cordeiro para por fim, na velha aliança:II cor.3:13,14.Se com cristo fomos sepultados,com ele ressuscitamos:rom:6:4.Daí, após a ressurreição de Cristo, não se vê nem um apóstolo ordenando nem pedindo o dízimo, e ninguém tinha necessidade de coisa alguma.Amem



  • ricardo em 4 de dezembro de 2012 21:47

    RESPOSTA SOBRE A VERDADE SOBRE O DIZIMO
    quanto ao dizimo e esta claro que fazia parte da antiga aliança abolida por Jesus Cristo, se voce ler as cartas destinadas as igreja, nao se fala de dizimo e sim de oferta voluntaria, o dizimo era para os sacerdotes levitas, nao so os dizimos mas parte das ofertas que era levada ao altar a lei de moises dava direito ao sacerdote de ficar com certa parte, quando no livro de malaquias fala: nos dizimos e ofertas alçadas, fala sobre aquilo que era direto do sacerdote pela lei de moises, poi o dizimo era dado para sustento dos levitas, era de ano em anos e no fim de 3 anos era para os levitas, viuvas orfao e pobres:

    VEJA DEUTERONOMIO CAPITULO 14 VERSO 24 AO 29

    24 E quando o caminho te for tão comprido que os não possas levar, por estar longe de ti o lugar que escolher o SENHOR teu Deus para ali pôr o seu nome, quando o SENHOR teu Deus te tiver abençoado;
    25 Então vende-os, e ata o dinheiro na tua mão, e vai ao lugar que escolher o SENHOR teu Deus;
    26 E aquele dinheiro darás por tudo o que deseja a tua alma, por vacas, e por ovelhas, e por vinho, e por bebida forte, e por tudo o que te pedir a tua alma; come-o ali perante o SENHOR teu Deus, e alegra-te, tu e a tua casa;
    27 Porém não desampararás o levita que está dentro das tuas portas; pois não tem parte nem herança contigo.
    28 Ao fim de três anos tirarás todos os dízimos da tua colheita no mesmo ano, e os recolherás dentro das tuas portas;
    29 Então virá o levita (pois nem parte nem herança tem contigo), e o estrangeiro, e o órfão, e a viúva, que estão dentro das tuas portas, e comerão, e fartar-se-ão; para que o SENHOR teu Deus te abençoe em toda a obra que as tuas mãos fizerem.

    veja no no verso 27 fala que os levitas nao receberam herança de terra para plantar e colher
    (apenas receberam cidades para morar) e como nao tinha como plantar e colher as outras onze tribo de ano em ano separa dizimo das colheitas para ajuda los,veja que no verso28 explica que ao fim de 3 anos o dizimo da colheita era pra ser dada aos leivtas, estrangeiros,orfaos,viuvas. veja primeiramente que era dado de ano em ano, em alimentos, so para os levitas, ao fim de 3 anos alem dos levitas viuvas,orfaos,estrangeiros, tambem participariam dele, veja se aas igrejas da atualidades fazem dessa maneira claro que nao, o Senhor Jesus aboliu a lei do dizimo,na Graça Verdadeira nao se cobra dizimo.

    VEJA NUMEROS CAPITULO 18 VERSO 28

    28 Assim também oferecereis ao SENHOR uma oferta alçada de todos os vossos dízimos, que receberdes dos filhos de Israel, e deles dareis a oferta alçada do SENHOR a Arão, o sacerdote.

    veja que depois de recolhido os dizimo dos filhos de israel tinha que se oferecer dos uma oferta alçada dos dizimos recibido pelos levitas, e essa parte separada pela lei de moises tinha que ser dada ao sumo sacerdote que na epoca era Arao,
    agora eu pergunto as igrejas de hoje faz dessa maneira, claro que nao pois isso era uma lei cerimonial que foi abolida por Jesus Cristo, hoje nao existe sacerdote e nem sumo sacerdotes como os levitas que cuidava do tabernaculo, O Senhor Jesus e nosso Sumo Sacerdotes, e ele nos fez reis e sacerdotes, entao hoje existem um sacerdocio espiritual, espiritualmente falando, e nesse sacerdocio espiritual nao existe cobranças de dizimos e ofertas alçadas como no antigo testamentos (antiga aliança)

    VEJA AGORA MALAQUIAS 3:10
    “Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim nisto, diz o SENHOR dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós uma bênção tal até que não haja lugar suficiente para a recolherdes.” (Malaquias 3 : 10)

    quando se falar trazer a casa do tesouro, a casa do tesouro nao e uma igreja, mas era tipo um celeiro onde se amazenava os dizimos que depois era distribuidos aos levitas, orfaos viuvas e estrangeiros, e quando disse: para que haja mantimento em minha casa, nao esta se referindo a igreja, mas esta se referindo ao sacerdote levitico, ou seja aos levitas.

    VEJA AGORA HEBREUS CAPITULO 7 VERSO 1 AO 28

    CAPÍTULO 7
    1 PORQUE este Melquisedeque, que era rei de Salém, sacerdote do Deus Altíssimo, e que saiu ao encontro de Abraão quando ele regressava da matança dos reis, e o abençoou;
    2 A quem também Abraão deu o dízimo de tudo, e primeiramente é, por interpretação, rei de justiça, e depois também rei de Salém, que é rei de paz;
    3 Sem pai, sem mãe, sem genealogia, não tendo princípio de dias nem fim de vida, mas sendo feito semelhante ao Filho de Deus, permanece sacerdote para sempre.
    4 Considerai, pois, quão grande era este, a quem até o patriarca Abraão deu os dízimos dos despojos.
    5 E os que dentre os filhos de Levi recebem o sacerdócio têm ordem, segundo a lei, de tomar o dízimo do povo, isto é, de seus irmãos, ainda que tenham saído dos lombos de Abraão.
    6 Mas aquele, cuja genealogia não é contada entre eles, tomou dízimos de Abraão, e abençoou o que tinha as promessas.
    7 Ora, sem contradição alguma, o menor é abençoado pelo maior.
    8 E aqui certamente tomam dízimos homens que morrem; ali, porém, aquele de quem se testifica que vive.
    9 E, por assim dizer, por meio de Abraão, até Levi, que recebe dízimos, pagou dízimos.
    10 Porque ainda ele estava nos lombos de seu pai quando Melquisedeque lhe saiu ao encontro.
    11 De sorte que, se a perfeição fosse pelo sacerdócio levítico (porque sob ele o povo recebeu a lei), que necessidade havia logo de que outro sacerdote se levantasse, segundo a ordem de Melquisedeque, e não fosse chamado segundo a ordem de Arão?
    12 Porque, mudando-se o sacerdócio, necessariamente se faz também mudança da lei.
    13 Porque aquele de quem estas coisas se dizem pertence a outra tribo, da qual ninguém serviu ao altar,
    14 Visto ser manifesto que nosso Senhor procedeu de Judá, e concernente a essa tribo nunca Moisés falou de sacerdócio.
    15 E muito mais manifesto é ainda, se à semelhança de Melquisedeque se levantar outro sacerdote,
    16 Que não foi feito segundo a lei do mandamento carnal, mas segundo a virtude da vida incorruptível.
    17 Porque dele assim se testifica: Tu és sacerdote eternamente, Segundo a ordem de Melquisedeque.
    18 Porque o precedente mandamento é ab-rogado por causa da sua fraqueza e inutilidade
    19 (Pois a lei nenhuma coisa aperfeiçoou) e desta sorte é introduzida uma melhor esperança, pela qual chegamos a Deus.
    20 E visto como não é sem prestar juramento (porque certamente aqueles, sem juramento, foram feitos sacerdotes,
    21 Mas este com juramento por aquele que lhe disse: Jurou o Senhor, e não se arrependerá; Tu és sacerdote eternamente, Segundo a ordem de Melquisedeque),
    22 De tanto melhor aliança Jesus foi feito fiador.
    23 E, na verdade, aqueles foram feitos sacerdotes em grande número, porque pela morte foram impedidos de permanecer,
    24 Mas este, porque permanece eternamente, tem um sacerdócio perpétuo.
    25 Portanto, pode também salvar perfeitamente os que por ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles.
    26 Porque nos convinha tal sumo sacerdote, santo, inocente, imaculado, separado dos pecadores, e feito mais sublime do que os céus;
    27 Que não necessitasse, como os sumos sacerdotes, de oferecer cada dia sacrifícios, primeiramente por seus próprios pecados, e depois pelos do povo; porque isto fez ele, uma vez, oferecendo-se a si mesmo.
    28 Porque a lei constitui sumos sacerdotes a homens fracos, mas a palavra do juramento, que veio depois da lei, constitui ao Filho, perfeito para sempre.

    veja que no verso 5 fala claramente que aqueles que receberam o sacerdocio levitico tinham ordem SEGUNDO A LEI DE RECEBER DIZIMOS DE SEUS IRMAOS, ou seja era segundo lei (antiga aliança), na Graça Verdadeira (Nova Aliança) nao se cobra dizimo,agora veja que no verso 12 fala que mudando seo sacerdocio se faz mudança de lei, ou seja a lei foi mudada, nao existe necessidade da lei de receber dizimos, e agora veja que no verso 18 fala clara mente que o precedente mandamento e abrrogado ou seja abolido por sua fraqueza e inutilidade, entao o precedente mandamento que era o assunto sobre o dizimo que estava sendo abordado nesse texto, foi abrrogado ou seja abolido, veja tambem que nos versos 12 e 13 fala que o Senhor Jesus era da tribo de juda que na tinha nada a ver como o sacerdocio levitico, hoje estamos num sacerdocio espiritual em que Jesus Cristo e o Sumo Sacerdote e nos seus servos fomos feitos reis e sacerdotes como fala em outra parte, hoje o nosso sacrificio nao deve ser um um dizimo ou uam oferta alçada, mas sim um coraçao puro e sincero que da um louvor puro sincero e verdadeiro a Deus pois e dessetipo de sacrificios que Deus se agrada.

    AGORA VEJA HEBREUS CAPITULO 13 VERSO 8 AO 12
    8 Jesus Cristo é o mesmo, ontem, e hoje, e eternamente.
    9 Não vos deixeis levar em redor por doutrinas várias e estranhas, porque bom é que o coração se fortifique com graça, e não com alimentos que de nada aproveitaram aos que a eles se entregaram.
    10 Temos um altar, de que não têm direito de comer os que servem ao tabernáculo.
    11 Porque os corpos dos animais, cujo sangue é, pelo pecado, trazido pelo sumo sacerdote para o santuário, são queimados fora do arraial.
    12 E por isso também Jesus, para santificar o povo pelo seu próprio sangue, padeceu fora da porta.

    veja bem que no verso 10 fala bem claro que temos um altar que nao tem direito de se alimentar dele aquele que serve a ele, ou seja nao deve o pregador viver a custa dos fieis, ali era doutrinas da antiga aliança que nao tem nada a ver como a nova,e uma nova doutrina, novos costumes e novas promessa da parte de Deus, por isso no verso 8 fala pra pra vigiarmos sobre doutrinas varias e estranhas, pois essas doutrinas sao da antiga aliança que foi abolida por Nosso Senhor Jesus Cristo, nao existe mandamentos de dizimos pra Igreja da Nova Aliança, esse mandamento era pra antiga aliança, hoje os que estao na Verdadeira Graça nao guarda esse mandamento da antiga aliança.



    • Maiara Costa - Equipe em 5 de dezembro de 2012 15:24

      Estimado amigo e irmão em Cristo Ricardo!
      Grande satisfação poder manter contato com você.
      Muito obrigado por sua participação.
      Que a paz do Senhor esteja sempre em seu coração.
      Deus tem muitos meios de ajudar o ser humano a vencer seus defeitos de caráter e, um dos que mais o Senhor tem trabalhado para tirar do coração humano é o egoísmo. O egoísmo nos faz egocêntricos, autossuficientes e insensíveis para com as necessidades do próximo.
      Uma das maneiras que Deus criou para tirar o egoísmo de nosso coração e desenvolver em nós um caráter semelhante ao de Jesus é o sistema de dízimos. Este sistema Divino, quando adotado na vida pessoal, ajuda o dizimista a desprender-se do dinheiro, tornando-se uma pessoa liberal e mais preocupada em atender às necessidades alheias.
      Existe alguma base teológica, moral ou espiritual para a devolução do dízimo? Por que devemos devolver? No que deve ser empregado? Há na Bíblia alguma indicação de que seja realmente na quantia de 10%?
      Esta e outras questões iremos abordar no presente estudo.

      Base Teológica para o Dízimo – Velho Testamento.

      O dizimar não era prática exclusiva dos israelitas. Existem atualmente registros arqueológicos que comprovam isto:

       Registros da cidade de Ugarit (XIV A.C) mostram que este povo dizimava.
       Era praticado entre os gregos e os romanos.
       Também há um documento neobabilônico datado do século VI A.C, que relata o sistema de dizimar.
      Outro fato que merece nossa atenção é que nunca, nos cultos de adoração a Deus, os adoradores ficaram sem dar alguma oferta. “Não existe adoração sem oferta”. Isto é muito claro nas Escrituras.

      O dízimo:
      – Sempre foi no passado uma prática comum; fazia parte da vida das pessoas.
      – É de origem divina. (veremos a seguir)

      Por que devemos Dizimar?

      O dizimar está baseado no princípio de que tudo pertence a Deus e, como reconhecimento disto, devolvemos a Ele parte de nossa renda, que é dele: o dízimo.
      Isto é evidente nos seguintes textos:
      “Ao SENHOR pertence a terra e tudo o que nela se contém, o mundo e os que nele habitam”. Salmos 24:1. “Minha é a prata, meu é o ouro, diz o SENHOR dos Exércitos”. Ageu 2:8. “Não digas, pois, no teu coração: A minha força e o poder do meu braço me adquiriram estas riquezas. Antes, te lembrarás do SENHOR, teu Deus, porque é ele o que te dá força para adquirires riquezas; para confirmar a sua aliança, que, sob juramento, prometeu a teus pais, como hoje se vê”. Deuteronômio 8:17-18. “Buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas”. Mateus 6:33. “Também todas as dízimas da terra, tanto dos cereais do campo como dos frutos das árvores, são do SENHOR; santas são ao SENHOR”. Levítico 27:30. “Trazei todos os dízimos à casa do Tesouro, para que haja mantimento na minha casa; e provai-me nisto, diz o SENHOR dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu e não derramar sobre vós bênção sem medida”. Malaquias 3:10.
      Ao separar o dízimo, estamos reconhecendo que nossa força para trabalhar, nossos bens, nossa família, saúde e tudo o que possuímos vem de Deus e que Ele deve estar em primeiro lugar em nossa vida; as outras coisas (bens materiais) vêm como uma consequência.
      No texto de Malaquias 3:10 claramente se vê que o dízimo é de origem divina, pois foi Deus quem pediu para trazermos os dízimos até a Sua casa.

      Onde diz na Bíblia que o dízimo deve ser de 10%?

      A palavra Dízimo vem da palavra hebraica “Malaser” e da palavra grega “Dekate”, e traduzido significa “um décimo”. Todos sabemos que “um décimo” é 10%.
      Portanto, sabemos que a quantia do dízimo deve ser 10% porque este é o significado da palavra.

      A. GÊNESIS 14: O Dízimo de Abraão.
      “E bendito seja o Deus Altíssimo, que entregou os teus adversários nas tuas mãos. E de tudo lhe deu Abrão o dízimo”. Gênesis 14:20.

      1 – Neste capítulo o princípio do dízimo é altamente valorizado por Abraão, o “Pai da Fé”. Os descendentes espirituais de Abraão (todos nós) devemos fazer o mesmo.
      Ele “deu o dízimo de tudo” (verso 20). A palavra hebraica Ntn (Natham) = “dar” significa também ‘devolver’.
      Este ato de Abraão revela Altruísmo, pois:
      – Ele devolveu ao rei Sodoma os bens que eram dele;
      – Devolveu ao rei de Salém o Dízimo que pertencia a Deus.
      Abraão só teve este espírito de Altruísmo porque tinha uma íntima comunhão com Deus e porque “devolvia o Dízimo a Deus”; como vimos antes, o ato de devolver o dízimo desenvolve em nós um caráter liberal e altruísta. Se Abraão devolveu ao rei de Sodoma o que era dele, foi porque antes disso ele era um fiel dizimista e, graças a isto, ele tinha tal caráter.
      O mesmo irá acontecer conosco caso sejamos fiéis em devolver a Deus o que Lhe pertence.

      2 – O Receptor do Dízimo.
      • O Dízimo não deve ser devolvido a qualquer pessoa. Isto é visto no exemplo de Abraão, que devolveu a Melquisedeque, Rei de Salém, que era Sacerdote.
      • Deve-se devolver ao instrumento apontado por Deus.

      3 – Base Teológica para o Dízimo.

      • Deus é o Criador. Ele tem direito de propriedade:
      “Minha é a prata, meu é o ouro, diz o SENHOR dos Exércitos”. Ageu 2:8.

      • Deus é quem dá as bênçãos.
      “A benção precede o ato de Dizimar. Sem essa bênção preliminar é impossível dizimar”. Portanto, se todos somos abençoados por Deus, devemos devolver o dízimo.
      Nós, humanos, somos mordomos de Deus; administradores dos bens que Ele dá. A verdadeira mordomia cristã consiste em dedicar a Deus todos os nossos talentos, inclusive o dinheiro. A seguinte frase ilustra bem como é a verdadeira mordomia: “Mordomia é a resposta do crente a tudo o que Deus fez e tem feito por nós”.

      • Deus preserva a vida humana. (Gênesis 14:20)
      Nossa vida e a de todos os seres do universo dependem de Deus. Sem Ele, nenhuma criatura pode subsistir. A Bíblia diz que o Senhor Jesus é quem sustenta a todos com a vida:
      “Ele é antes de todas as coisas. Nele, tudo subsiste. Ele é a cabeça do corpo, da igreja. Ele é o princípio, o primogênito de entre os mortos, para em todas as coisas ter a primazia, porque aprouve a Deus que, nele, residisse toda a plenitude”. Colossenses 1:17-19, grifo meu.
      “A vida é tão frágil que não pode ser plenamente preservada por esforços humanos”.
      ] Assim, pode-se afirmar que “dizimar é rejeitar o egoísmo”.

      B. GÊNESIS 28: 10-22: O Dízimo de Jacó.

      1 – O compromisso de Jacó com Deus.
      Disse ele: “Então o Senhor será o meu Deus” (verso 21). Isto nos ensina que “a entrega a Deus antecede o ato de dizimar”. Não podemos dizimar sem antes nos entregarmos a Deus totalmente (antes de devolver o dízimo, Jacó fez uma entrega de si mesmo a Deus).
      Quando não temos vontade de dizimar é porque tal entrega não foi completa; precisamos do Espírito Santo para nos ajudar a dar o coração e as afeições a Deus.

      2 – O Cuidado de Deus por Jacó.
      Neste capítulo, Deus prometeu a Jacó:
      – Descendentes;
      – Proteção;
      – Terras;
      – Bens.

      Deus abençoa em todos os setores da vida aquele que entrega sua vida a Ele e devolve o dízimo. Ele nos convida a fazermos este teste. Se Jacó foi abençoado, nós também o seremos.
      Lembremos:
      “Deus escolheu a Abraão; mas este também escolheu a Deus”.
      “Deus escolheu a Jacó; mas este também escolheu a Deus”.
      “Deus nos escolheu; devemos escolhê-lo”.
      Somente assim estes grandes homens receberam as bênçãos de Deus e conosco não é diferente. Como prova desta escolha, devolveram o dízimo. Estamos dando a Deus aquilo que lhe pertence por direito?
      Veja que promessas lindas Deus fez a Jacó:

      “Eu te darei a terra”;
      “Eu sou contigo”;
      “Eu cuidarei de ti”;
      “Eu te trarei de volta”;

      Estas bênçãos não são exclusivas para Jacó! São para nós também, caso sejamos fiéis a Deus em tudo:

      Receberemos a Nova Terra;
      Deus sempre será conosco;
      Deus sempre nos cuidará;
      Deus nos trará de volta para o paraíso perdido e para os Seus braços de amor.

      3 – Jacó fez um voto.
      Decidiu que seria fiel ao Senhor na devolução do dízimo.

      4 – Jacó Adorou.
      Jacó uniu a adoração com o ato de dizimar, pois na Bíblia um está ligado ao outro.
      Pesquisando a história, vê-se que os conceitos de adoração e do dízimo sempre foram conhecidos mesmo entre os pagãos e o são até hoje.
      Mesmo entre os pagãos, há ainda hoje a dedicação de um dia exclusivo de adoração aos seus deuses e a devolução do dízimo; isto leva à conclusão de que:
       Sempre existiu na mente humana a ideia de que há um dia de guarda; como sabemos, a Bíblia diz que este dia é o Sábado;
       O dízimo sempre fez parte da adoração a Deus.
      Isto continuará, pois assim como Deus é eterno, a adoração a Ele e os ‘modos de adorá-lo que Ele estabeleceu’ são eternos – neste caso, a guarda do sábado e a devolução do dízimo.
      “Dizimar é parte integrante do ato de adoração”.
      Alguns teólogos dizem: “o Velho Testamento foi abolido”. Mas, então, por que eles continuam pregando sobre a importância de devolver o dízimo?
      Há muita incoerência em afirmar também que a guarda do sábado foi abolida. É incoerente o argumento de muitos autores a respeito deste assunto, pois eles pegam o que lhes convém no Velho Testamento (caso do dízimo) e lançam fora o que não lhes convém (a guarda do sábado). Ora, como vamos aceitar um ensinamento e rejeitar outro, sendo que ambos estão unidos? Lembre-se: “a adoração e o ato de dizimar estão ligados um ao outro”.
      Muitos dizem que o mandamento do sábado não foi repetido no Velho Testamento; mas uma ordem de dizimar também não o foi; assim como o dízimo, a guarda do sábado foi “confirmada” no Novo Testamento; não foram repetidos porque não havia necessidade, pois as pessoas da época seguiam muito bem estas instruções (lembrando de que a guarda do sábado é mencionada no Novo Testamento).
      Se tivéssemos de abolir a guarda do sábado porque este mandamento não foi repetido de modo “direto” (foi repetido “indiretamente” através do exemplo de Jesus, Virgem Maria e dos apóstolos), também teríamos de abolir em todas as igrejas evangélicas o ato de dizimar.
      Devolução do dízimo e adoração a Deus no sábado estão ligados em um mesmo princípio.

      Base Teológica para o Dízimo – Novo Testamento.
      No Novo Testamento (N.T.) não existe uma passagem Bíblica que mande dizimar; mas há passagens que confirmam esta prática. Não há nada no N.T. que rejeite a prática do dízimo. Como vimos anteriormente, não foi preciso repetir de modo direto este mandamento porque era uma prática tão comum que não necessitava de lembrar as pessoas. (assim como a guarda do sábado). Como “não existe adoração sem oferta”, não foi preciso repetir.
      Alguns textos que mencionam o dízimo no Novo Testamento:

      A. HEBREUS 7:1-10.
      Neste texto há a menção do dízimo, mostrando que o apóstolo sabia sobre o assunto.
      “Existe uma continuidade sabática de dízimo no Novo Testamento”.
      Devemos adorar a Deus no dia que Ele escolheu e devolver aquilo que Ele pediu.

      B. Lucas 18:12: “Jejuo duas vezes por semana e dou o dízimo de tudo quanto ganho”.
      Neste contexto, Jesus condenou a justiça própria dos fariseus e não o ato de dizimar. Os fariseus usavam o dízimo como meio de adquirir a misericórdia de Deus.

      C. Mateus 23:23 – Lucas 11:42.
      “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque dais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho e tendes negligenciado os preceitos mais importantes da Lei: a justiça, a misericórdia e a fé; devíeis, porém, fazer estas coisas, sem omitir aquelas!” Mateus 23:23 – grifo meu.
      “Mas ai de vós, fariseus! Porque dais o dízimo da hortelã, da arruda e de todas as hortaliças e desprezais a justiça e o amor de Deus; devíeis, porém, fazer estas coisas, sem omitir aquelas”. Lucas 11:42 grifo meu.
      Jesus não disse aos fariseus para não dar o dízimo; Ele disse que eles deveriam “fazer estas coisas sem omitir aquelas”, praticar a justiça, a misericórdia e a fé juntamente com o ato de dizimar.
      Jesus, de modo claro, confirmou a validade da prática de dizimar. Esta prática só terá valor se cultivarmos um bom caráter e nos lembrarmos de ajudar aos órfãos e necessitados. Dizimar sem demonstrar misericórdia para com o semelhante não é frutífero para a vida do cristão.

      D. I Coríntios 9:13-14.
      “Não sabeis vós que os que prestam serviços sagrados do próprio templo se alimentam? E quem serve ao altar do altar tira o seu sustento? Assim ordenou também o Senhor aos que pregam o evangelho que vivam do evangelho…” I Coríntios 9:13-14.
      Aqui Paulo traça um paralelo entre os levitas (V.T.) e os obreiros do N.T. Implicitamente endossa a prática do dízimo.
      O Dízimo é designado por Deus para a pregação do evangelho. Se não fosse o sistema de dízimos, não teríamos os pastores nos presidindo, os obreiros e outros trabalhadores que dedicam suas vidas em levar o evangelho.
      É graças ao sistema de dízimos que a igreja adventista pode fornecer cursos bíblicos e outros materiais gratuitos às pessoas. Muitos não teriam conhecido as boas novas da salvação se não fosse o ato liberal e desprendido dos irmãos em separar o dízimo.
      Jesus nunca condenou o dízimo, mas o seu mau uso.

      Não dar o dízimo é um roubo a Deus?
      “Roubará o homem a Deus? Todavia, vós me roubais e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas”. Malaquias 3:8 – grifo meu.
      Este texto é muito claro. Cada vez que a pessoa deixa de devolver o dízimo, está roubando a Deus, o que é muito grave. Se a pessoa tem a audácia de roubar a Deus, imagine o quanto pode fazer com um ser humano. Roubar a Deus faz com que roubar as pessoas seja mais fácil.
      Uma das consequências de roubar a Deus é a maldição: “Com maldição sois amaldiçoados, porque a mim me roubais, vós, a nação toda”. Malaquias 3:9.
      Tive a oportunidade de conhecer um obreiro bíblico muito dedicado, chamado Luiz. No período em que morei com ele e sua esposa (também obreira bíblica), ele contou-me de sua experiência como dizimista.
      No início de sua vida cristão, ele não acreditava muito que o dízimo era o plano de Deus para a propagação do evangelho. Pensou consigo mesmo: “Eu não vou andar dando dízimo para pastor…”
      E assim o fez. Parou de dizimar.
      Ele era uma pessoa que tinha muitos bens: casas, carros, terras e uma linda família; mas num período de três anos em que deixou de devolver o dízimo, as coisas mudaram.
      No fim deste período (3 anos) ele viu-se morando de aluguel, sem seus carros, sem os terrenos, os filhos ficaram doentes e, para comer, os vizinhos tinham de trazer comida até a sua casa.
      Pensou: “Mas o que é que está acontecendo com minha vida, meu Deus! Eu sou um cristão fiel a Ti e como pode acontecer-me isto?”. Ficou apavorado.
      Mas o Espírito Santo, sempre preocupado com Seus filhos, tocou em seu coração e o fez perceber onde estava o problema. Concluiu o irmão: “Ah! Acho que estou passando por tudo isto porque deixei de devolver o dízimo…”.
      Após uma profunda análise e oração, o irmão Luiz resolver provar a Deus. Fez o propósito de voltar a dar o dízimo e devolver tudo aquilo que tinha deixado de dar para ver o que iria acontecer.
      Num período de três anos, sabe qual foi sua situação? Ele conseguiu comprar casas, carro, dar estudo para seus filhos (um tem faculdade de computação e trabalha em um uma Associação da Igreja Adventista) e também está ajudando um filho a manter-se nos Estados Unidos, onde está estudando na área de computação, como seu irmão.
      Viu a diferença que faz na vida de qualquer um devolver o dízimo? Aquele que é fiel a Deus é muito abençoado; já o que rouba a Ele irá colher aquilo que plantou.
      Faça o propósito de ser fiel ao Senhor; não atrapalhe a Deus da dar-lhe todas as bênçãos que Ele quer. A decisão é sua.

      “Mas o Dízimo não está nos Dez Mandamentos…”
      Mesmo não estando nos Dez mandamentos, o sistema de dízimos é válido, pois o não dá-lo é uma violação do 7o mandamento: “Não furtarás”. (Êxodo 20:15).
      Existem muitas outras coisas que não estão diretamente (mas indiretamente) nos Dez Mandamentos: “Oração, batismo, o amor, o perdão, o regime alimentar, a abstenção de fumar e beber, de ingerir drogas, o serviço da comunhão, o rito de humildade, o não se unir em jugo com infiéis, etc., etc.”
      Foi Deus quem criou este sistema; não o homem.
      Ao dar o dízimo, a pessoa é abençoada em tudo. Deus diz isto:
      “Trazei todos os dízimos à casa do Tesouro, para que haja mantimento na minha casa; e provai-me nisto, diz o SENHOR dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu e não derramar sobre vós bênção sem medida”. Malaquias 3:10.

      Qual é o verdadeiro sentimento que devemos ter ao devolver o dízimo?
      “Cada um contribua segundo tiver proposto no coração, não com tristeza ou por necessidade; porque Deus ama a quem dá com alegria”. 2 Coríntios 9:7.
      “Porque, se há boa vontade, será aceita conforme o que o homem tem e não segundo o que ele não tem”. 2 Coríntios 8:12.
      A pessoa deve devolver o dízimo de boa vontade, com alegria e não por necessidade (“vou dar o dízimo para ser abençoado e ganhar muito dinheiro”) ou por imposição.
      Há pastores hoje, que além de obrigar, exploram os fiéis, cobrando-lhes altas somas em dinheiro.
      Deus não Se agrada de que as pessoas sejam exploradas. Cabe a cada um saber para quem está dando o seu dízimo, se não o está contribuindo para que exploradores continuem levando miséria às famílias.

      O Dízimo deve ser 10%. Mas, e as ofertas? Deus estabeleceu uma quantia?
      De acordo com 2 Coríntios 9:7, cada um deve contribuir “segundo tiver proposto no coração”. Isto quer dizer que cabe “ao ofertante” escolher a quantia.
      Não é errado a igreja estipular aos membros um alvo de dinheiro para construir uma nova igreja, etc. Mas será errado se alguém “obrigar os membros” a darem a quantia que o pastor quer.
      Certa vez, em uma pequena cidade, o pastor de uma igreja evangélica falava eloquentemente sobre a importância das ofertas. Em seguida, muitos foram à frente para contribuir. Entre estas pessoas, estava um homem humilde, que mal tinha uma roupa para vestir-se, desejoso de contribuir para com a igreja; ele tinha 1 real no bolso e doou o que podia.
      O “pastor”, ao ver que o homem tinha apenas um real, disse há congregação: “Vocês estão vendo a esmola que este homem está trazendo para Deus?! Ele acha que Deus é um mendigo! Como é que Deus vai abençoar uma pessoa dessas?…”
      Será que tal “pastor” estava certo? Vejamos o que a Bíblia disse sobre isto:
      “Estando Jesus a observar, viu os ricos lançarem suas ofertas no gazofilácio. Viu também certa viúva pobre lançar ali duas pequenas moedas; e disse: Verdadeiramente, vos digo que esta viúva pobre deu mais do que todos. Porque todos estes deram como oferta daquilo que lhes sobrava; esta, porém, da sua pobreza deu tudo o que possuía, todo o seu sustento”. Lucas 21:1-4.
      Jesus, como de costume, estava no templo para adorar a Deus. Enquanto olhava para o movimento, viu muitos ricos dando suas grandes ofertas no gazofilácio e também uma viúva pobre. Sabe o que Jesus disse acerca da viúva?
      Ele não a rejeitou, como o fez o pastor daquela igreja com aquele homem; sabe o que Jesus disse? Veja:
      “Verdadeiramente vos digo que esta viúva pobre deu mais do que todos”. E sabe por que Jesus falou tal coisa?
      “PORQUE PARA DEUS NÃO IMPORTA A QUANTIA QUE DAMOS EM OFERTA, MAS SIM O QUE DAMOS DE CORAÇÃO”.
      Entre uma pessoa que dá dois mil reais de oferta e uma pessoa que dá um centavo, Deus irá valorizar mais a oferta daquele que deu com o coração e não para aparecer. Se a pessoa que deu os dois mil reais der apenas para mostrar que pode, sendo que o outro deu daquilo que tinha (um centavo), para Deus a melhor oferta será a daquele que deu um centavo, pois o fez com sinceridade.
      Pena que muitos teólogos de muitas igrejas não saibam (ou não aceitam) este princípio!
      Dê ofertas a Deus na proporção que seu coração desejar; mas devolva a Ele o Dízimo (10%) que Lhe pertence.
      Você está sendo fiel, querido membro de igreja (ou não), em devolver o que é de Deus? Está sendo fiel, pastor de igreja, no uso do dízimo? Está respeitando a decisão de cada irmão em ofertar de acordo com o que está proposto em seu coração?
      Se não o estiver fazendo, peça a Deus que lhe ajude e que perdoe o seu pecado, e Ele o fará. Faça uma breve oração neste momento e peça o auxílio do Espírito Santo em sua jornada como dizimista e como administrador do dinheiro do Senhor. Deus está mais desejoso de dar o Espírito Santo aos Seus filhos do que um pai em dar alimento para seus filhos:
      “Ora, se vós, que sois maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais o Pai celestial dará o Espírito Santo àqueles que lho pedirem?” Lucas 11:13.
      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira.



  • Daniel Alves Pena em 11 de dezembro de 2012 3:21

    Sobre o comentário do jornalista e consultor sobre o uso do véu, gostaria de fazer algumas consideração. O amado disse que Paulo orienta a usar o véu, pois as mulheres poderiam ser vista como prostituta ao saírem a rua.
    Mas o texto é claro sobre a questão de ser usado apenas em atos litúrgicos de orar e profetizar.
    Sobre o a mulher confundida como prostituta no antigo testamento, a exegese não foi bem aplicada, pois era outro tipo de véu, o amado deve saber que existem 4 tipos de véu na palestina.
    O versículo 10 de 1 Coríntios deixa claro que o uso era por causa dos anjos.
    Paz



  • edson em 8 de outubro de 2013 23:29

    Ja excluiram meu ultimo comentario, pq falei a verdade, 2 cor. 9 nada fala de dizimo, este de devolver dizimo nunca vi este termo, pregar dizimo mostra falta de fe e nao acreditar que o TODOPODEROSO possa levantar pessoas que ofertem, como aconteceu em 2cor.8 e diversas outras passagens. temos que seguir a doutrina dos apostolos, qual deles (devolveu) o dizimo, qual pregou o dizimo, a quem Malaquias tava pregando::: a quem o Jesus tava alertando em mateus 23. (Ai de vos) nao e mandamento.



    • edson em 8 de outubro de 2013 23:42

      …continuando, as igrejas deveriam enxergar o que representou o dizimo na lei, e notar que nunca foi ensinado pelo Messias . poderiam ensinar justamente o que ta escrito (isso e certo, quem pouco semeia, pouco ira colher, quem muitomn semeia ira colher muito), ainda (honra o teu YHWH com a primicia da tua renda , e com todo os seusn bens) Ai sim, e falar a verdade, dizimo nunca foi devolvido, dizimo era pago aos levitas, nao vinha da fe, nem de amor, nem dan generosidade confome ensina os evangelhos e epistolas.



    • Maiara Costa - Equipe em 9 de outubro de 2013 11:33

      Olá Edson!
      Muito obrigado por seu contato com o Programa Na Mira da Verdade.
      Primeiramente o seu comentário não foi excluído, o que ocorre é que conforme vão chegando outros comentários na caixa, aqueles mais “antigos” vão ficando para trás e somem do campo de visão do blogueiro e internauta, apenas isso.
      Agora vamos à algumas considerações referentes ao seu comentário.

      1) 2 Coríntios 9 nada fala de dizimo.

      Está correto, o assunto que Paulo estava tratando com a igreja ali não era esse. O contexto ali é outro.
      O contexto em que Paulo escreve é para incentivar a igreja a dar as suas ofertas com generosidade e amor, isso fica evidente nos versos 5 a 7:

      “Assim, achei necessário recomendar que os irmãos os visitem antes e concluam os preparativos para a contribuição que vocês prometeram. Então ela estará pronta como oferta generosa, e não como algo dado com avareza. Lembrem-se: aquele que semeia pouco, também colherá pouco, e aquele que semeia com fartura, também colherá fartamente. Cada um dê conforme determinou em seu coração, não com pesar ou por obrigação, pois Deus ama quem dá com alegria“.

      De acordo com o conceituado Comentário do Novo Testamento de William Barclay,p. 75 e 76, havia pelo menos quatro formas de doar:

      a) Pode-se doar por obrigação.
      Pode-se cumprir a obrigação da generosidade mas fazê-lo como se pagasse uma conta ou um imposto. Isso podia se tornar como um dever desagradável e com óbvio desgosto. Podia fazer-se de tal má vontade que seria melhor não fazê-lo.

      b) Pode-se dar simplesmente para gratificar-se a si mesmo.
      Pensa-se mais no sentimento agradável que se experimenta quando se dá, que nos sentimentos da pessoa que recebe. Há pessoas que dá moedas a um mendigo mais pela satisfação que obtêm deste fato que por um verdadeiro desejo de ajudar. Este tipo de dádiva é essencialmente egoísta. A pessoa que dá desta maneira está dando a si mesma em lugar de dar a outros.

      c) Pode-se dar por motivos de prestígio.
      A verdadeira fonte desta maneira de dar não é o amor, mas sim o orgulho. Não se doa para ajudar, mas para glorificar o doador. Em realidade, é provável que não se desse se não se soubesse, fosse visto e elogiado. Pode ser que se dê também para acumular créditos com Deus, como se alguém pudesse ter a Deus como seu devedor.

      d) A única forma verdadeira de dar é sob a compulsão do amor.
      Dar porque não se pode deixar de fazê-lo, porque ver uma alma necessitada desperta um desejo que não se pode silenciar nem aquietar-se. Na realidade isto é dar à maneira de Deus, visto que Ele amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho.

      É esse o assunto que o apóstolo Paulo está tratando com a igreja de Corinto, o espírito da doação, o problema da igreja não estava com os dízimos. Contudo, nada há de errado em aplicar esse princípio ensinado por Paulo também para os dízimos, afinal os dízimos também não devem ser devolvidos à Deus como uma obrigação, ou para alcançar prestígio e gratificação.
      Isso é o que Ele estava tentando corrigir nos fariseus (Mateus 23:23), Cristo não os estava repreendendo por serem dizimistas, mas sim por estarem deixando de lado princípios importantíssimos da lei: a justiça, a misericórdia e a fidelidade. Eles deveriam continuar dizimando, mas sem se esquecer desses princípios.

      2) Para que servia o dízimo e a oferta no Antigo Testamento.

      O dízimo foi separado no Antigo Testamento para o sustento da tribo de Levi e quem eram os levitas.
      Os levitas foram aqueles que permaneceram fiéis a Deus quando o povo se pôs à adorar o bezerro de ouro (Êxodo 32:25,26), eles foram separados para cuidarem dos serviços do tabernáculo que incluía o sacerdócio e serviços tanto de manutenção como de cânticos, ou seja, eles não tinha outra função.
      Qual era a função do santuário no Antigo Testamento.
      Primariamente para ensinar o plano da redenção, sendo assim, aqueles levitas e sacerdotes eram pregadores do evangelho no Antigo Testamento
      Hoje não há mais o sacerdócio e muito menos a tribo de Levi, contudo o evangelho continua sendo pregado por pastores, obreiros, evangelistas, que vivem da pregação do evangelho em tempo integral, sendo assim, da mesma forma como era feito no Antigo Testamento é feito nos dias de hoje e parte dos dízimos são para os sustentos desses obreiros, a outra parte é usada diretamente nas campanhas de evangelismo e produção de materiais para a evangelização.
      Já as ofertas tinham o objetivo de fazer a manutenção do tabernáculo (Êxodo 25) e ajudar aqueles que estavam mais necessitados, isso é o que a igreja nos dias de hoje busca fazer.

      3) Temos que seguir a doutrina dos apostolos

      Está totalmente correto, a doutrina que os apóstolos seguiam era o que estava no Antigo Testamento, visto o Novo Testamento ainda não existir naqueles dias, por isso muitas coisas que continha o velho testamento não foi repetido no Novo, não se fazia necessário, a devolução dos dízimos, por exemplo, era uma dessas coisas.

      O Velho e o Novo Testamento são uma coisa só. Não foi Deus quem criou a divisão dos livros da Bíblia em “Velho” e “Novo”, e sim os homens. Não que isso seja errado, pois serve para separamos “nominalmente” os livros, para fins didáticos (até facilita a procura dos textos); mas, não devemos separar os escritos do Antigo e Novo Testamento em nível de doutrinas, ensinos e validade, pois tudo veio do mesmo Deus.

      4) Paulo vivia de dízimos ou não? I Coríntios 9: 13 a 15

      I Coríntios 9:13 a 15: “Não sabeis vós que os que administram o que é sagrado comem do que é do templo? E que os que de contínuo estão junto ao altar participam do altar? Assim ordenou também o Senhor aos que anunciam o evangelho, que vivam do evangelho. Mas eu de nenhuma destas coisas usei e não escrevi isso para que assim se faça comigo; porque melhor me fora morrer do que alguém fazer vã esta minha glória”.

      Paulo declara que os que trabalhavam na pregação do evangelho deveriam viver do evangelho, ou seja, estavam em harmonia com Malaquias 3:10 “Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim, diz o SENHOR dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu e não derramar sobre vós uma bênção tal, que dela vos advenha a maior abastança”.
      No entanto, em algumas ocasiões ele preferia fazer uso deste direito (cf. Filipenses 4:16 a 18) “Porque também, uma e outra vez, me mandastes o necessário a Tessalônica. Não que procure dádivas, mas procuro o fruto que aumente a vossa conta. Mas bastante tenho recebido e tenho abundância; cheio estou, depois que recebi de Epafrodito o que da vossa parte me foi enviado, como cheiro de suavidade e sacrifício agradável e aprazível a Deus”.

      “Depois disto, partiu Paulo de Atenas e chegou a Corinto. E, achando um certo judeu por nome Áqüila, natural do Ponto, que havia pouco tinha vindo da Itália, e Priscila, sua mulher (pois Cláudio tinha mandado que todos os judeus saíssem de Roma), se ajuntou com eles, e, como era do mesmo ofício, ficou com eles, e trabalhava; pois tinham por ofício fazer tendas”. Atos 18:1 a 3 Através desse trabalho é que Paulo se mantinha.

      Paulo ao fazer essa declaração sobre seu modo de viver diz que era certa a devolução dos dízimos e ofertas para ajudar aos que não tinham outro meio de sustento, e que os que precisassem, vivessem do evangelho assim como ele precisou certa vez e fez uso.

      Para finalizar: devolvemos o dízimo pelo simples fato de que ele não nos pertence, mas sim a Deus.

      “Todos os dízimos da terra, seja dos cereais, seja das frutas, pertencem ao Senhor; são consagrados ao Senhor”. Levítico 27:30

      Se a décima parte pertence a Ele, deve ser devolvida.

      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira



  • Nayara Silva em 7 de novembro de 2013 8:48

    Bom dia!

    Postei meu comentario neste espaço acerca do dízimo, mas ele não foi disponibilizado. Devo aguardar, ou devo reenvia-lo? Eu acho que eu não agredir, nem ofendir ninguem.

    Obrigado,

    NAYARA SILVA



    • Maiara Costa - Equipe em 26 de novembro de 2013 9:19

      Olá Nayara!
      Muito obrigado por seu contato com o programa Na Mira da Verdade.
      Peço a gentileza de que aguarde, pois tenho muitos comentários para moderar e estou voltando agora da licença médica.
      Sendo assim, gostaria de contar com a sua compreensão e paciência.
      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira



  • valdete da silva almeida em 18 de novembro de 2013 22:50

    gostaria de receber um estudo á respeito do dizimo



    • Maiara Costa - Equipe em 3 de dezembro de 2013 16:09

      Olá Valdete!
      Muito obrigado por seu contato com o Programa Na Mira da Verdade.
      O estudo será enviado à você.
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira



      • flavio oliveira em 4 de janeiro de 2014 20:27

        Esse debate sobre Dízimos rende muito, não sou totalmente contra, sou a favor de que as pessoas saibam a verdade, tenho a humildade pra reconhecer que aprendo muito com vocês, sou quase um adventista, mas acho errado impor isso pra igreja, isso esta até no voto batismal, acho que deveria ser voluntário, todo pessoa convertida sabe que a obra de Deus aqui nessa terra precisa de dinheiro para pregar o evangelho e ajudar os necessitados, mas dizimo não tem nada haver com dinheiro e tinha um dizimo que até poderia ser vendido deuteronomio14:22-29, qual é o entendimento que vocês tem desse texto?



        • Maiara Costa - Equipe em 8 de janeiro de 2014 10:00

          Olá Flávio!
          Você está corretíssimo na questão de que ninguém deve ser obrigado a dizimar ou ofertar, pois conforme ensina a própria Bíblia, o princípio de doar é algo voluntário e de um coração agradecido a Deus por tudo o que Ele é e faz por nós (2 Co 9:7).
          A Igreja Adventista do Sétimo Dia não obriga a nenhum de seus membros a dizimarem e ofertarem, visto que ela compreende o princípio áureo do governo de Deus que é o livre arbítrio. Contudo a Igreja entende e reconhece a importância que tem os dízimos e as ofertas na vida daqueles que foram salvos pelo sangue de Cristo.
          O voto batismal é nada mais e nada menos do que uma profissão de fé, e para alguém chegar espontaneamente a esse entendimento requer estudo das Sagradas Escrituras.

          Vamos a resposta de sua pergunta em relação a Deuteronômio 14:22-29.

          No texto citado, podemos perceber que Deus pedia ao povo o dízimo de todo o fruto do campo (verso 22). Era um dízimo especial, um segundo dízimo que o Senhor queria que os israelitas devolvessem no final de cada três anos para ser doado aos levitas (porque não tinham herança entre o povo de Israel), aos estrangeiros, aos órfãos e ás viúvas. Era diferente do primeiro dízimo que servia só para manter os Levitas e Sacerdotes (Números 18:21, 26).
          Interessante é que, como as pessoas muitas vezes colhiam muito e o local para a entrega do dízimo era muito longe (verso 24), Deus permitia que eles guardassem e levassem tudo de uma vez só num período mais favorável. Isso por causa da quantidade de produtos acumulados e da distância. Tal estratégia ensinada por Deus evitaria que certos produtos mais perecíveis se estragassem no caminho.
          O mesmo princípio não se aplica aos dias do hoje porque (1) não enfrentamos dificuldades em relação à distância – temos várias igrejas nossas para dizimar e (2) recebemos em dinheiro (um “produto não perecível) e não em produtos agrícolas. O dinheiro “não pesa tanto” no bolso de modo que tenhamos que “carregá-lo” com dificuldades. Assim, não se justifica reter os dízimos para dar no final do ano, por exemplo, como alegam alguns irmãos. Além disso, nos tempos em que vivemos, em que Jesus está muito perto de voltar (Apocalipse 22:20) precisamos com mais urgência levar nossos dízimos até a igreja para que a pregação do evangelho não seja atrasada.
          O amor de Deus é tão grande que Ele se preocupa com todos os necessitados. Assim como naquele tempo a bênçãos de Deus eram dadas ao povo se cumprissem Seus mandamentos – inclusive o de ajudar os necessitados – hoje também seremos abençoados se fizermos nossa parte em ajudar os carentes. Pregar o evangelho não é somente falar das Escrituras, mas envolve sim o “atender aos necessitados”. Precisamos entender que o ser humano é um todo indizível e que para estar bem e feliz, este todo deve desenvolver-se harmoniosamente. Não adiantará ajudarmos aos outros a suprirem suas necessidades espirituais sem ajudá-los em suas necessidades físicas, mentais e sociais.
          É por isso que Jesus dirá aos fiéis quando Ele voltar: “… Vinde, benditos de meu Pai! Entrai na posse do reino que vos está preparado desde a fundação do mundo. Porque tive fome, e me destes de comer; tive sede, e me destes de beber; era forasteiro, e me hospedastes; estava nu, e me vestistes; enfermo, e me visitastes; preso, e fostes ver-me. Então, perguntarão os justos: Senhor, quando foi que te vimos com fome e te demos de comer? Ou com sede e te demos de beber? E quando te vimos forasteiro e te hospedamos? Ou nu e te vestimos? E quando te vimos enfermo ou preso e te fomos visitar? O Rei, respondendo, lhes dirá: Em verdade vos afirmo que, sempre que o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes”. Mateus 25:34-40.

          Que Deus te abençoe grandiosamente.
          Um forte abraço.



  • Rogerio em 4 de janeiro de 2014 21:27

    PODERIA MANDAR PARA MIM UM ESTUDO SOBRE DIZIMOS



    • Maiara Costa - Equipe em 8 de janeiro de 2014 9:47

      Olá estimado Rogerio!
      O estudo será encaminhado seu e-mail.
      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira



  • Eddie Morgan em 5 de janeiro de 2014 17:07

    olá roberta, observei a sua pergunta e não me contive….

    no Velho Testamento, como vc deve saber os filhos de jacó foram dividos em doze tribos, sendo que uma, a de Leví, esta tribo estava destinada a cuidar da arca bem como dos sacrifícios, ou seja, era uma tribo voltada para tomar de conta do templo, num português claro, cuidava somente das coisas espirituais, e não tendo tempo para plantar, cultivar ou cuidar de rebanhos, foi instituído or Deus que as demais onze tribos de israel ou jacó se preferir, contribuissem com a décima parte de tudo que colhessem e doassem à tribo de Leví para que eles se mantessem, hoje em dia, muitas igrejas usam esse texto para onerar seus fiéis como uma espécie ” se não pagar esses dez por cento não terá comunhão com Deus”, tudo mentira, é um engôdo, o que se requer dos fiéis é: dentro de suas possibilidades o que poder doar será bem recebido, é assim que funciona, agora dizer que tem que ser dez por cento é uma mentira, até por que nós não estamos mais debaixo da lei mosaica, aquela dada por Deus à Moisés lá no sinai, Jesus, com sacrifício, aboliu aquela lei, que Deus esteja com você.

    do irmão na fé, Eddie Morgan

    http//:noticias-do-reino.comunidades.net // evangelizadores sem fronteiras



    • Maiara Costa - Equipe em 8 de janeiro de 2014 12:48

      Olá Eddie!
      Muito obrigado por seu contato com o Programa Na Mira da Verdade.
      A própria palavra hebraica (Malaser) e grega (Dekatê) para dízimo significa a décima parte.

      A lei cerimonial não é o Pentateuco, mas sim leis ritualísticas que se encontram no Pentateuco.
      As leis cerimoniais (sacrifícios de cordeiros, holocaustos, observância de festas religiosas, etc) faziam parte da expiação do pecado; como Jesus veio, morreu na cruz e fez completa expiação pelos pecados da humanidade, tais leis cerimoniais que apontavam para Cristo e a expiação não mais precisam ser observadas.
      Jesus, “o cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo” (João 1:29) já pagou o preço pelo resgate humano. Quando Ele morreu na cruz, o véu do santuário rasgou-se em dois (Mc 15:38; Lc 23:45), dando testemunho assim de que não mais precisaríamos demonstrar fé no salvador através do sacrifico de animais.
      Já o mandamento do dízimo não foi abolido por Cristo, pois não era uma lei cerimonial. Lembremos que lei cerimonial é aquela cujos ritos têm a ver com a expiação dos pecados; como o dízimo não fazia parte da expiação dos pecados, o mesmo não pertencia à lei cerimonial.
      A devolução do dízimo baseia-se no princípio de que Deus é o dono de tudo e, como reconhecimento a isto, devolvemos a Ele 10% do que Lhe pertence. É uma questão de fidelidade a Deus e adoração a Ele. Deixar de devolvê-lo é o mesmo que roubar a Deus (Malaquias 3:8).
      Prova de que o sistema de dízimos e ofertas não foi abolido na cruz (além de não ser uma lei cerimonial) é o fato de ter sido aprovado por Cristo (Mateus 23:23) e pelo apóstolo Paulo (I Coríntios 9:13-14, etc.).
      Com o sistema de dízimos Deus tem por objetivo:

      1) Direcionar nossa adoração a Ele e nossas afeições;
      2) Desenvolver em nós um coração voluntário, sem egoísmo, que aprenda a repartir com os outros as bênçãos que Ele nos dá;
      3) Pregar o evangelho a fim de que Jesus possa voltar o mais rápido possível para nos buscar e terminar com todo o mal.

      Vejamos um estudo elaborado pelo Pastor Roberto Roncarolo sobre esta questão:

      “Se a lei cerimonial foi abolida na cruz do calvário, porque não ficou abolida a ordenança do dízimo?”

      Pelas seguintes razões:

      1. Porque embora o dízimo tenha sido incorporado à legislação levítica, sua prática data desde os tempos dos patriarcas e “baseia-se em um princípio tão duradouro como a lei de Deus”: o reconhecimento de Deus como Criador, Senhor e único dono de todas as coisas. Por isso, ainda antes do pecado, o princípio do dízimo estava implícito no ato de não comer o fruto proibido. Dessa forma, sua instituição e princípio reitor são muito anteriores ao código levítico e em nenhum sentido fez parte da lei cerimonial nem esteve, em conseqüência, entre as “sombras” que deveriam desaparecer com a morte do Senhor. Abraão deu os dízimos a Melquisedeque muito antes de ser dada a lei cerimonial. (Gênesis 14:20; Hebreus 7:14).

      2. Porque nunca foi uma medida de contribuição levítica dentro do grupo de leis civis que Deus deu a Seu povo no Sinai. Pelo contrário, sempre foi uma responsabilidade ou dever religioso, que Deus colocou e coloca até hoje diante de Seus filhos, para seu próprio bem espiritual e destinado a um fim sagrado.

      3. Porque expressando-se por meio do dízimo, o princípio imutável do reconhecimento de que Deus é o Criador, Senhor e dono de tudo, sua vigência vai além da validez temporal da lei cerimonial hebréia, estendendo-se desde a cruz até ao fim do tempo. “Esse sistema foi uma bênção ao povo judeu, do contrário o Senhor não lho haveria dado. Assim será igualmente uma bênção aos que o observarem até ao fim do tempo”.

      4. Porque enquanto Deus tiver um povo neste mundo, Ele não cederá seus direitos de dono e espera esse reconhecimento da parte de Seus filhos através da ordenança do dízimo. “Tal (referindo-se à experiência de Abraão e de Jacó ao darem o dízimo) era a prática dos patriarcas e profetas antes do estabelecimento dos judeus como nação. Mas quando Israel se tornou um povo distinto, o Senhor lhe deu definida instrução sobre esse ponto. ‘Todas as dízimas do campo, da semente do campo, do fruto das árvores, são do Senhor: santas são ao Senhor’. (Levíticos 27:30). Essa lei não deveria caducar com as ordenanças e ofertas sacrificais que tipificavam a Cristo. Enquanto Deus tiver um povo na Terra, Suas reivindicações sobre eles serão as mesmas”.

      Despeço-me com um texto para a reflexão:

      “E de tudo o que me deres certamente te darei o dízimo”. Gênesis 28:22

      Um voto que Jacó fez com Deus.

      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira



  • luiz em 20 de janeiro de 2014 10:16

    Eu acho que dizimo ñ tem nada a ver com decima,pq se fosse pra dar a decima Deus tinha escrito,dê a decima parte de tudo que vc ganha,quem pode mim provar que na biblia manda dar os dez porcento prove ok. Pq a concorencia,e a briga das igrejas evanlicas é grande porque transformarão o dizimo em decima e o povo coitados ñ questinam nada.



    • Maiara Costa - Equipe em 20 de janeiro de 2014 13:01

      Olá Luiz!
      Obrigado por seu contato com o Programa Na Mira da Verdade.
      A palavra dízimo no hebraico (Malaser) e no grego (Dekate), significa a décima parte, sendo assim, não há necessidade alguma de Deus escrevê-la.
      Paulo em 2 Timóteo 3:16 diz que TODA a Escritura é inspirada por Deus, sendo assim, o Antigo Testamento é tão inspirado quanto o Novo. Lá o Senhor pediu que a décima parte de toda a renda fosse trazida à Ele, ou seja, seria santa à Ele.
      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira



      • flavio oliveira em 22 de janeiro de 2014 20:56

        isso não é justo! meu comentário foi retirado, se vocês não tem base bíblica pra comentar um assunto pode ignorar a mensagem, mas não precisa retira-la. qual é o problema? não ofendi ninguém, será que é falta de humildade pra reconhecer o erro, ensinem bíblia para as pessoas e deixe o Espírito santo trabalhar no coração delas.

        o melhor aluno é aquele que sabe o quanto precisa saber!



        • Maiara Costa - Equipe em 23 de janeiro de 2014 9:00

          Olá Flávio!
          Bom dia.
          Os únicos comentários que são retirados desse espaço são aqueles extremamente ofensivos e não visam a edificação e os repetidos. Nenhum comentários seu foi retirado, muito pelo contrário! Todos os seus comentários estão sendo respondidos. Aquele que você fez a pergunta sobre Ellen White já foi respondido.
          Se porventura não o encontrar, envie novamente.
          Que Deus te abençoe grandiosamente.
          Um forte abraço.
          Equipe do Na Mira



          • flavio oliveira em 24 de janeiro de 2014 21:51

            Foram retirados 2 comentários sobre o dizimo, como o primeiro foi retirado eu mandei outro parecido com duas perguntas e como eu já imaginava não foi respondido, foi retirado também, não vou repetir mais, eu creio que vocês mesmo sem “conhecimento” se esforçam pra fazer alguma coisa, enquanto muitos só sabem criticar e não fazer nada, fico com vergonha quando vejo um líder religioso ensinando algo que eu sei que esta errado e eu não posso fazer nada (não é o caso de vocês), vocês ensinam errado também, mas é bem menos do vejo por ai. olha só essa frase: se vocês não deram 10% do salário esta roubando a Deus e vai pra o inferno por que roubar é pecado, só que as pessoas não examinam o texto. não sabem o que é dizimo, quantos dízimos que tinham, quem que falou, pra quem que falou, quando que falou, não sabem o que é a casa do tesouro, não sabem quem é o devorador, não sabem quem recebia os dízimos , quem era beneficiado com ele, e a promessa que era pra TODA NAÇÃO. quero dizer que não sou totalmente contra, o problema que muitos se tornam religiosos, tira 10% do seu salário e acha que já fez sua obrigação, vai a igreja todos os sábados e já tá bom demais, isso é religiosidade, serve a igreja e acha que esta servindo o criador por que foram ensinados assim, e nem sempre servir a igreja esta servindo a cristo. eu volto a repetir o verdadeiro adorador ele sabe da necessidade da obra de Deus aqui nessa terra, e não precisa ninguém dizer pra ele quanto que ele tem dar pra igreja, isso não acontecia na igreja primitiva e tinham pessoas que doavam ate suas propriedades, e era uma igreja que crescia poderosamente, por que a obra era dirigida totalmente pelo Espírito santo. hoje o evangelho tem crescido no Brasil, mas pra mim é um dos piores momentos da igreja, são péssimos os testemunhos, porque as pessoas querem encher os templos, não importam como, se trazem babilônia, propaganda da prosperidade, reteté, evangelho da determinação, e uma coisa que tenho observado, é que existe até propaganda pra ser dizimista, fala que é testemunho mas será que todos é testemunhos? ou será que é uma propaganda da igreja pra arrecadar mais? será que o cristão que tem Jesus no coração ele precisa assistir propaganda pra ofertar?
            eu gostaria muito de ver os lideres ensinando bíblia nas suas congregações, mas infelizmente é um sonho difícil de se tornar real.
            Eu acredito que o Leandro sabe o que é dizimo, por que que ele não da um ensinamento sobre isso?
            tenha todos uma ótima semana



          • Maiara Costa - Equipe em 29 de janeiro de 2014 14:31

            Olá Flavio!
            Mais uma vez venho lhe explicar que os únicos comentários que são retirados são aqueles que são duplicados ou ofensivos. Quando os comentários não aparecem para os internautas, isso não significa que foram retirados, mas sim que conforme vão chegando outros comentários, eles acabam ficando não visíveis na tela.
            Já foi enviado à você um estudo completo sobre o dízimo? Se caso tiver interesse informe.

            Que Deus te abençoe grandiosamente.
            Um forte abraço.
            Equipe do Na Mira



  • Eduardo em 11 de fevereiro de 2014 8:46

    O dízimo nunca foi em dinheiro, embora já houvesse dinheiro naquela época, o que se comprova em Gênesis 42:25 e Deuteronômio 14:22-26. E Jesus, em Mateus 23:23 confirma o dízimo agrário, muito embora em seu tempo o comércio e dinheiro fosse uma coisa comum em Israel. Irmãos, será que vocês não percebem que estão ensinando doutrinas de homens que aprenderam com a sua denominação religiosa? Esse negócio de dar dinheiro na igreja é o que tem sustentado os escândalos e a vida luxuosa de muitos líderes, enquanto o evangelho nos ensina a repartir as nossas rendas com os necessitados.



    • flavio oliveira em 11 de fevereiro de 2014 22:48

      sobre a sua pergunta, eu já fiz um estudo sobre dizimo e descobrir que o que a bíblia fala sobre dízimos, não tem nada haver com o que vocês ensinam o que temos que fazer é orar a Deus para que ele abra os olhos de vocês para que um dia possam ensinar o que realmente a bíblia ensina e não o que a igreja defende.
      que o eterno dê a vocês uma feliz quarta feira



  • Maycon winicios em 22 de fevereiro de 2014 18:40

    E verdade que devemos dar o dizimo de tudo que ganhas idependente de ser dinheiro ou roupas?



    • Maiara Costa - Equipe em 25 de fevereiro de 2014 15:17

      Olá Maycon!
      Obrigado por seu contato com o programa Na Mira da Verdade.
      O Prof° Leandro Quadros disse no ultimo programa que gosta de dizimar dos presentes que recebe. Pelo menos dos presentes que dá para fazer isso!

      “O dízimo dos seus rebanhos, um de cada dez animais que passem debaixo da vara do pastor, será consagrado ao Senhor”. Levítico 27:32

      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.



  • ROSILENE em 30 de março de 2014 11:15

    decer as águas sem ser casados civilmente é pecado?



    • Maiara Costa - Equipe em 2 de abril de 2014 15:38

      Olá Rosilene!
      Obrigado por seu contato com o programa Na Mira da Verdade.

      As igrejas que se mantêm mais fiéis à Bíblia em relação ao princípio da relação sexual ser autorizada por Deus apenas dentro do contexto do casamento (Gn 2:24; 1 Coríntios 7:9; Hebreus 13:4), não batizarão um casal que está convivendo maritalmente sem serem oficialmente casados no civil, desta forma, o ideal é o que o casal que está buscando colocar a vida em conformidade com a vontade de Deus, regularize o seu casamento.

      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.



  • Cristiane em 23 de abril de 2014 3:03

    Olá! Comecei a assistir a novo tempo a menos de um mês e estou gostando muita da programação, incluindo o na mira da verdade que descobri a pouco, mas que já tirou muitas das minhas dúvidas, porém ainda tenho muitas. Sempre tive muitas dúvida referente ao dízimo e o apresentador do”está escrito”,programa também da novo tempo disse que não era correto dar o dízimo citando até a uma passagem da bíblia onde Jesus fala para um Jovem doar tudo o que ele tem para os pobres, explicando que devemos dar aos necessitados e não a igreja. Fiquei com dúvidas sobre isto já são da mesma igreja e estão pregando algo diferente.Me orientem por favor! Agradeço por tudo que já me acrescentaram e oro a Deus para que os abençoe dando sempre entendimento para que tirem dúvidas de pessoas como eu sedentas da palavra do Senhor.



    • Maiara Costa - Equipe em 23 de abril de 2014 15:08

      Olá Cristiane!
      Muito obrigado por seu contato.
      Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.

      Estive conversando com o pastor Ivan Saraiva e ele disse que não fez menção à isso que está afirmando em relação ao dízimo, poderia passar, por favor, qual foi o programa e dia em que assistiu?
      Os dízimos e as ofertas fazem parte do plano de Deus para os seus filhos, um vai para a proclamação da mensagem (Dízimo) e o outro para manutenção e crescimento da igreja (Oferta), desta forma, tanto os dízimos como as ofertas devem fazer parte da adoração dos filhos de Deus.

      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.



  • ELIZABETE JOCINEIA DA SILVA em 12 de maio de 2015 11:20

    QUERO DEIXAR MEUS PARABÉNS….SOU DAQUI DO MATO GROSSO…DISTRITO DE CANGAS POCONE´MT…ESTOU FELIZ POIS ESTOU PAGANDO O SINAL PELA PARABÓLICA…DEIXO MEU ABRAÇO….FELIZ POR VCS COMPARTILHAREM O ENSINAMENTO DE JESUS GRATUITAMENTE….MUITO RARO NOS DIAS DE HOJE. ELIZABETE…ABRAÇO IRMÃO.



  • Adalberto em 16 de junho de 2015 0:01

    Porque os pregadores de malaquias 3. 8 a 10 não pregam que quem tá vá rolando os dizimos era os sacerdotes e que o livro de malaquias foi escrito para repreender os sacerdotes já que se cobrá dizimo porque não ajuda as pessoas carentes como manda malaquias



    • Maiara Costa - Equipe em 16 de junho de 2015 11:34

      Olá Adalberto!
      Obrigado por seu comentário.

      Com toda a certeza estimado amigo, não podemos isolar o contexto histórico no qual o livro de Malaquias foi escrito, pois primariamente ele está escrevendo para um povo pós-exílio que estava voltando a praticar os mesmos erros que os havia levado a cativeiro, no qual a própria liderança espiritual estava dando mau exemplo, é nesse contexto que o profeta escreve.

      Malaquias advertiu contra a falta de crescimento espiritual dos que haviam retornado do cativeiro babilônico. Muitos haviam voltado a Judá, mas parece que o coração deles continuava na Babilônia. E não deveríamos nós tomarmos o mesmo cuidado! Visto que somos salvos por graça, mas queremos continuar vivendo como perdidos!

      Que Deus te abençoe.
      Um forte abraço.



  • Roberio Santana em 27 de agosto de 2015 17:55

    olá, onde na bíblia fala que os dízimos em malaquias foi alterado por dinheiro como hoje as igrejas recebem, pois lá fala que era alimento.



    • Maiara Costa - Equipe em 22 de setembro de 2015 15:28

      Olá estimado amigo e irmão em Cristo Roberio!
      Muito obrigado por seu contato.
      Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.

      O princípio contido no dízimo é que devemos consagrar a décima parte de nossa renda ao Senhor (Levítico 27:30,32; Provérbios 3:9). Nos dias do antigo Israel, mesmo existindo dinheiro, a renda deles era extraída dos cereais e frutos da terra, por isso, o dízimo deles era extraído daí. Já em nossa realidade, nossa renda é extraída do dinheiro, pois é com isso que somos pagos pela nossa jornada de trabalho.

      Nós Adventistas do Sétimo Dia temos como princípio de fé para a vida cristã a crença na mordomia ou fidelidade, cremos que somos despenseiros de Deus, responsáveis a Ele pelo uso apropriado do tempo e das oportunidades, capacidades e posses, e das bênçãos da Terra e seus recursos que Ele colocou sob nosso cuidado. Reconhecemos o direito de propriedade da parte de Deus por meio do serviço fiel a Ele e a nossos semelhantes, e devolvendo os dízimos (pois os mesmos não são pagos!) e dando ofertas para a proclamação de Seu evangelho e para a manutenção e o crescimento de Sua igreja.

      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.



  • CLEBER em 2 de janeiro de 2017 13:26

    SINTO MUITO DE DECEPCIONAR, MAS DIZIMO É LEI DE MOISES DADA AO POVO DE ISRAEL, NUNCA UMA NAÇÃO DIZIMOU FORA DE ISRAEL. NÓS SOMOS GENTIOS, ALEM DO MAIS EM COLOSSENSES PAULO VAI DIZER QUE QUALQUER UM QUE AINDA SEGUE A LEI MOSAICA , DESTITUIDO ESTÁ DE CRISTO. AGORA CADA UM FAZ SUA ESCOLHA OU OBEDECE A LEI DE MOISES OU A LEI DE CRISTO.



    • Maiara Costa - Equipe em 4 de abril de 2017 10:14

      Olá estimado amigo Cleber!
      Muito obrigado por seu contato.
      Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.

      Será que Moisés falava coisas diferentes de Cristo?

      “Contudo, não pensem que eu os acusarei perante o Pai. Quem os acusa é Moisés, em quem estão as suas esperanças. Se vocês cressem em Moisés, creriam em mim, pois ele escreveu a meu respeito. Visto, porém, que não crêem no que ele escreveu, como crerão no que eu digo?”. João 5:45-47

      Será que Cristo falou contra Moisés?

      “E começando por Moisés e todos os profetas, explicou-lhes o que constava a respeito dele em todas as Escrituras. E disse-lhes: “Foi isso que eu lhes falei enquanto ainda estava com vocês: Era necessário que se cumprisse tudo o que a meu respeito está escrito na Lei de Moisés, nos Profetas e nos Salmos”. Lucas 24:27,44

      “Não pensem que vim abolir a Lei ou os Profetas; não vim abolir, mas cumprir”. Mateus 5:17

      Amigo, tudo o que Moisés escreveu, não veio dele mesmo, mas sim de Deus, portanto, é lei de Deus e não de Moisés!

      O dízimo é uma linda forma que o Senhor nos deu de tirar do nosso coração a mesquinhes e desenvolver em nós a generosidade, o desprendimento, a gratidão, o reconhecimento. De fato, no Novo Testamento, não encontraremos esse ato de adoração, de forma tão explícita (muito provavelmente por não ser um problema enfrentado pela igreja cristã), contudo, iremos encontrar irmãos dando tudo o que tem por amor a Cristo e aos outros (leia o livro de Atos e verá isso), desta forma, o que é mais fácil: 10% da renda ou tudo?

      Concluo com um texto para reflexão:

      “Honra ao SENHOR com os teus bens e com as primícias de toda a tua renda”. Provérbios 3:9

      Que Deus continue te abençoando grandiosamente.
      Um forte abraço.