INÉDITO:
  • SEG22:00
REPRISES:
  • DOM10:00
  • SEG04:30
  • TER02:30
  • TER13:00
  • QUI00:30
  • SAB04:00
  • SAB19:00

Soberania Divina ou Tirania divina?


Pai ignorando o filho

Há uma crença satânica que se veste com uma roupagem de “Soberania Divina” e que tem feito um grupo de pessoas acreditar num Deus “Soberano” ao ponto de decidir quem irá se salvar e quem irá se perder. Essa é a chamada “dupla predestinação”.

Por que essa crença se veste com uma roupagem de Soberania Divina? Simplesmente porque os adeptos (muitos deles pessoas sinceras) dessa teoria maligna creem que Deus, para ser Soberano, deve decidir até mesmo quem irá para o lago de fogo, não importa o quanto essa pessoa em vida tenha tentado se relacionar com Jesus e fazer Sua vontade durante a vida.

Um claro exemplo do que é esse ensino é a imagem de um pai que, enquanto carrega o filho no colo, o ignora, diríamos assim, prestando atenção em seu celular. O Deus calvinista carrega um pecador no colo durante a vida, porém, ignora-o dando atenção apenas à Sua Soberania doentia, esquecendo-se assim do filho por quem morreu na cruz.

Na verdade, tais crentes na dupla predestinação compreendem muito equivocadamente a Soberania Divina (certamente, nenhum de nós pode ter a pretensão de entender a Deus. Porém, não exageremos ao ponto de tornar Seu caráter parecido com o do Diabo). Decidir quem irá se perder não é o mesmo que Soberania, e sim TIRANIA. Uma coisa nada tem a ver com a outra!

Se fôssemos argumentar como os Calvinistas em torno da Soberania de Deus, poderíamos supor que Deus não é tão Soberano assim, pois, se o fosse, “Predestinaria” a todos para serem salvos, obrigando-os a terem a vida eterna. A Soberania de Deus, nesse caso, seria MUITO MAIS EFICAZ. Veja o quanto é falha a argumentação calvinista, e que a mesma não se sustenta biblicamente e nem filosoficamente.

Na verdade, a Soberania de Deus está justamente no fato dEle permitir que as pessoas, CONDUZIDAS pelo Espírito Santo (Jo 16:8-10), tomem suas próprias decisões corretas, se deixarem-No atuar em suas vidas. Deus é tão Soberano que capacita seres pecadores a tomarem boas escolhas (Fp 2:13), mesmo que no final elas decidam se perder.

Essa compreensão da Soberania Divina se harmoniza com Seu caráter amoroso, que oferece a salvação a TODAS as pessoas (1Tm 2:1-4), sem fazer acepções (Rm 2:11; At 10:34).

O Deus apresentado pelos que creem na dupla predestinação jamais seria servido, adorado e amado pelos anjos. Afinal, eles veriam-No constantemente sendo preconceituoso em “ir com a cara” de alguns e “não ir com a cara de outros”.

Louvado seja a Jesus por nos apresentar um Deus amoroso que bate à porta do coração de cada pecador (Ap 3:20)! Louvado seja o Espírito Santo por desmascarar com a Bíblia a crença diabólica na dupla predestinação, que se veste com uma roupagem de falsa “Soberania Divina”!

Nesse dia, não se esqueça de que o Deus de Abraão, Isaque e Jacó é também o seu Deus. Não importa quão longe tenha ido: em Sua Soberania Ele lhe oferece uma nova chance:

“Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei” (Mt 11:28).

Se quiser conhecer um pouco mais sobre o posicionamento bíblico a respeito da predestinação, bem como ajudar amigos a abandonarem esse falso ensino chamado “dupla predestinação, veja mais informações em meu segundo livro, acessando o link www.leandroquadros.com.br/livros

Na pergunta número 17 (págs. 53-59), abordo alguns dos principais textos mal utilizados por calvinistas para defenderem essa heresia que comentei nesse post.

Além disso, o livro está num preço promocional (de 29,90 por 19,90), com o intuito de espalhar a Verdade da Palavra de Deus para as mentes sinceras.

Mais uma coisa importante: quem compartilhar esse post com amigos estará concorrendo a um livro “Na Mira da Verdade, vol. 2”.

Um abraço e que Deus lhe abençoe ricamente!

fb.com/namiradaverdade.nt
fb.com/leandroquadrosnt
#namiradaverdade
@lsquadros


Você está em : Heresias
Compartilhe:


Comente



  • Hércules Gleydson em 18 de fevereiro de 2014 13:58

    Muito bom professor. Um Deus caprichoso e doentil como o deus apresentado pela predestinação calvinista. Afinal, Deus teria originado o mal no universo, somente para demonstrar sua soberania?



    • Maiara Costa - Equipe em 18 de fevereiro de 2014 16:16

      Olá Hércules!
      Exatamente, de acordo com a herética doutrina calvinista da dupla predestinação, Deus teria originado o mal no universo somente para demonstrar sua soberania! Um absurdo!
      Amigo, você autorizaria eu me utilizar dessa pergunta para propor um bom debate no face do Na Mira?
      Um forte abraço.



  • wesley em 18 de fevereiro de 2014 17:29

    professor leandro quadros preciso muito saber de uma coisa sei que Deus não pode me responder pessoalmente mas ele pode responder atravéz do senhor e o senhor pode me responder por email se quiser 4 pessoas da parte do meu pai entre eles 3 irmãos dele estão virando espiritas a minha tia ja é espirita praticamente e diz conversar com mortos em sonhos eu gostaria de saber primeiro se os espiritas invocam e conversam com demonios sabendo que são demonios ou se eles invocam e conversam com demonios PENSANDO, ACHANDO que são espiritos de pessoas desencarnadas? e segundo se eu sabendo da verdade Deus me aconselha a alerta-los ou me afastar deles? por gentileza prof preciso saber disso pois gosto bastante deles.



    • Maiara Costa - Equipe em 19 de fevereiro de 2014 12:34

      Olá Wesley!
      Obrigado por seu contato com o programa Na Mira da Verdade.
      Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.
      Quero iniciar a resposta para sua indagação com uma certeza:

      “Há muito tempo Deus falou muitas vezes e de várias maneiras aos nossos antepassados por meio dos profetas, mas nestes últimos dias falou-nos por meio do Filho, a quem constituiu herdeiro de todas as coisas e por meio de quem fez o universo”. Hebreus 1:1,2

      Esse texto bíblico nos mostra que o nosso Deus é um Deus que fala, que se comunica com os seus filhos e a forma principal que o Pai se comunica conosco é por meio de Sua Palavra (João 5:39; 17:17). Sendo assim, Deus pode e quer falar com você por meio da Bíblia.

      1) Os espíritas invocam e conversam com demônios sabendo que são demônios ou eles invocam e conversam com os mortos PENSANDO que são espíritos de pessoas desencarnadas?

      Muitos espíritas acreditam que ao falar com os “mortos”, estão na verdade falando com entes queridos que já partiram e também com uma categoria de “espíritos” que são considerados “espíritos de luz”. Sendo que muitos são sinceros naquilo que acreditam. Isso podemos comprovar nos cinco pilares do espiritismo: Reencarnação, o estado do homem na morte, a lei do karma, os médiuns e a lei da evolução.

      Para compreender esses assuntos dentro da perspectiva bíblica quero encorajá-lo à acessar: http://novotempo.com/namiradaverdade/serie-espiritismo-estudo-1/, e ler todos os nove estudos escritos sobre essa temática. Digite no campo de busca a palavra espiritismo ou espírita para ter acesso aos outros artigos que já foram escrito e desta forma saber como abordar o assunto de forma cristã.

      2) Eu sabendo da verdade Deus me aconselha a alerta-los ou me afastar deles?

      Vamos ao que a Palavra de Deus tem a dizer sobre isso:

      “Vocês são a luz do mundo. Não se pode esconder uma cidade construída sobre um monte. E, também, ninguém acende uma candeia e a coloca debaixo de uma vasilha. Ao contrário, coloca-a no lugar apropriado, e assim ilumina a todos os que estão na casa. Assim brilhe a luz de vocês diante dos homens, para que vejam as suas boas obras e glorifiquem ao Pai de vocês, que está nos céus”. Mateus 5:14-16

      “Vocês, porém, são geração eleita, sacerdócio real, nação santa, povo exclusivo de Deus, para anunciar as grandezas daquele que os chamou das trevas para a sua maravilhosa luz“. 1 Pedro 2:9

      Quando nós conhecemos a verdade do evangelho temos responsabilidades diante de Deus e somos chamados à sermos luz para um mundo que está em trevas. Você pode e deve pregar para os seus familiares, mas faça isso com sabedoria, e fale apenas daquilo que você realmente tem conhecimento. Nunca agrida ou comece apontando os erros, mas sim busque aquilo que há em comum e inicie o diálogo por este caminho, pois se você agredir e atacar a fé da pessoa, ao invés de atraí-la para Cristo, irá repeli-la. Acesse os artigos que lhe recomendei, estude sobre o espiritismo antes de querer falar sobre ele. Quero recomendar à você que adquira o livro: Por que não sou mais espírita, escrito por Mauricio Braga, ex-kardecista, e por dezesseis anos professor de kardecismo, da editora Casa Publicadora Brasileira, para saber como abordar assuntos difíceis polêmicos.

      Contato: 0800-979-06-06 ou http://www.cpb.com.br

      Conte conosco para o que precisar!

      Despeço-me com um texto para reflexão:

      “Antes, santifiquem Cristo como Senhor em seu coração. Estejam sempre preparados para responder a qualquer pessoa que lhes pedir a razão da esperança que há em vocês”. 1 Pedro 3:15

      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.



  • Leila Assis Abreu Veloso e Silva e Jonatã Silva, Montes Claros MG em 19 de fevereiro de 2014 11:31

    Somos presbiterianos , mas até hoje não entendo a doutrina da predestinação, porque a Bíblia ora fala da liberdade que Deus deu pra gente optar, ora fala que Deus predestina . É um mistério isso! Por exemplo, eu não entendo porque Deus (por causa de uma guerra dele com o Satanás) deixa tantos inocentes sofrerem. Na minha falha mente humana eu acho que se eu posso acabar com o sofrimento de alguém e deixo a pessoa sofrer, então eu também sou responsável pelo sofrimento daquela pessoa. Se eu permito que um assassino ande à solta, sendo que eu posso prende-lo, eu também sou responsável pelos assassinatos que ele comete. É muito complicado! Essas coisas não é bom nem a gente apurar muito não, senão a gente fica tã..tã. Eu acho… eu é que acho que Deus criou as pessoas livres e deu liberdade a todas as criaturas dele ( Dt 30:25). Eu lembrei da cena de um filme a que assisti outro dia com meu esposo e meu filho e no filme alguém questionava a Deus e Deus concedeu a esta pessoa por uma semana a onipotencia, a onisciencia e a onipresença. Em uma cena a pessoa que tinha poderes divinos vira para uma outra personagem e grita: “Me ame!”, mas a personagem não atendeu aquela solicitação. E no fim ao devolver o poder a Deus, a pessoa falou:” Eu pude fazer tudo, menos obrigar as pessoas a me amarem”. Foi só um filme, uma ficção, mas eu falei com meu filho: Deus pode tudo, mas tem um ponto fraco (entre aspas): ele criou as criaturas dele com a capacidade de amá-lo ou de rejeitá-lo.



  • Hercules Gleydson em 19 de fevereiro de 2014 13:52

    Claro, será muito bom esse debate.



  • Jonas Kakaroto em 19 de fevereiro de 2014 15:55

    Por Zenayde Mesquita

    Assisto assiduamente a Novo Tempo, tenho muitos amigos e familiares Adventistas e admiro muitas pregações e doutrinas pregadas. Mas não posso deixar de externar meu repúdio a forma como foi “esclarecido” o tema do suicidio no programa NA MIRA DA VERDADE dia 18/02/2014. Passou um aspecto “normal” da ação, e que Deus poderia ser compassivo e perdoar aquele “desatino” caso fosse por uma depressão por exemplo. A forma que foi dita no programa passou uma leveza tão grande, um ar de “normalidade” que se um suicida estivesse assistindo não pensaria duas vezes em fazer a besteira com essas palavras de “consolo”….Ora, sabemos muito bem os princípios biblicos quanto ao tema, sabemos tb que nosso Deus é misericordioso e só a ele pertence o julgar. Mas ao esboçar essa possibilidade de “perdão”, por ser um tema que envolve vida/morte é necessário tb ponderar junto ao telespectador a gravidade do ato, a responsabilidade e o caminho que a biblia indica para que escolhe tal prática. Agora o absurdo dos absurdos, ou o maior INCENTIVO AO SUICIDIO, foi comparar o ato com a vingança de Sansão contra os filisteus ressaltando-o como herói da fé. Primeiro Sansão não cometeu NENHUM ATO SUICIDA, o suicidio é tirar a própria vida, Sansão tinha como objetivo se vingar, matar os filisteus, ainda que custasse sua vida naquele desmoronamento.Foi um ato heroico, ele dizimou aquele povo que guerreava e oprimia o povo de Deus, ele deu sua vida por isso, se não caisse na cabeça dele aquelas colunas certamente ele não teria pedido pra terminarem de dar “cabo” da sua vida.Se Deus desse força como ele pediu para praticar tal ato contra sua própria vida teriamos um Deus contraditório, pois Ele é o Senhor da vida!!! Por favor gente, tenhamos mais responsabilidade com o alimento espiritual a quem está assistindo. Isso veio de Deus realmente? Ou o ponto de vista humano? Tinha meu filho adolescente na sala e fiquei extremamente preocupada pois já passamos por isso na família e sabemos que essa idade há um fervilhão de ideias e teorias sendo construidas….Sinceramente peço ao Senhor que os oriente, que os de espirito fraco que tenham ouvido essa palavra infeliz não se sintam encorajados/estimulados com a palavra de “ânimo” que foi dada para esse ato destruidor, que mata o suicida e a família que fica.



    • Maiara Costa - Equipe em 19 de fevereiro de 2014 16:16

      Olá Jonas!
      Boa tarde.

      O Dr. Calvin Rock diz que há pessoas que sofrem de depressão e se suicidam devido a um desequilíbrio químico não resultante de um estilo de vida errôneo. Será que Deus responsabilizará uma pessoa que tomou tal decisão tendo as suas faculdades mentais seriamente enfraquecidas? Muitos cristãos saudáveis e lúcidos são afetados por um acidente, doença ou velhice que perdem a lucidez e podem cometer suicídio. Nesse conceito do amor de Deus não se exclui a possibilidade de sua salvação. (Adventist Review, 8 de junho de 1989,p.13).
      Se essa pessoa mesmo sendo cristã fiel a Deus e aos seus mandamentos cometer suicídio por motivos de depressão profunda Deus não irá julgá-la somente por esse ato em isolado, pois somente Deus saberá se ela se arrependeu ou não, pois a pessoa naquele momento não sabe o que está fazendo. Agora se alguém se suicida por falta de fé aí é diferente.

      Existem três personagens bíblicos que se suicidaram em circunstâncias que não oferecem esperança para salvação. Um deles é Aitofel, conselheiro de Davi, que, pela sua traição e suicídio, é considerado o Judas do Antigo Testamento (2 Samuel 17:23), Saul que desobedeceu às ordens divinas em várias ocasiões,e o Espírito do Senhor apartou-se dele. Após consultar uma médium, Saul pelejou contra os filisteus e durante a batalha cometeu suicídio (1Samuel 31) e Judas, após trair o Mestre, devolveu as trinta moedas de prata aos sacerdotes aos sacerdotes e enforcou-se. Aqui nesses casos querido amigo Rafael não foi por motivo de depressão profunda, mas sim por falta de fé.
      E a bíblia é muito clara em dizer que Deus não leva em consideração os tempos da ignorância (Atos 17:30), porém também deixa muito claro que tudo o que não provém de fé é pecado. (Romanos 14:23).
      Quando a bíblia diz que Deus nos julgará pelas nossas obras, isso não quer dizer que somos salvos por elas, pois não somos (Efésios 2:8-10), somos salvos por Cristo (Atos 4:12) as nossas obras apenas evidenciam qual foi o resultado da salvação em nossa vida e que tipo de fé temos.

      Se você querido amigo conhece alguém que cometeu esse ato tão extremo, não se desespere. Deus saberá julgá-lo com a mesma misericórdia que teve com os outros seres humanos.
      “Rendei graças ao SENHOR, porque ele é bom, porque a sua misericórdia dura para sempre.”Salmos 136:1.
      “Longe de ti o fazeres tal coisa, matares o justo com o ímpio, como se o justo fosse igual ao ímpio; longe de ti. Não fará justiça o Juiz de toda a terra?”. Gênesis 18:25.

      Um forte abraço.



  • Sr. Adventista em 19 de fevereiro de 2014 22:41

    Nesta dupla predestinação, Cristo não precisaria nem bater na porta de uma casa condenada para entrar. Ele derrubaria a porta e arrastaria uma pessoa à força para ser salva, enquanto que, com outros, pregaria a porta com tábuas e pregos, e então, simplesmente os ignoraria.

    A maior graça alcançada pelos salvos seria, então, o de terem sido predestinados a se salvarem.

    E o maior crime, cometido pelos que estariam dentro casa, seria o de terem sido predestinados a se perderem.

    Essa dupla predestinação é mesmo algo terrível!



  • Adaister em 20 de fevereiro de 2014 10:31

    Como podemos fazer para abrirmos um debate entorno desse assunto?



    • Maiara Costa - Equipe em 20 de fevereiro de 2014 13:47

      Olá Adaister!
      Sinta-se a vontade para debater por aqui mesmo ou pelo facebook do Leandro Quadros.
      Que Deus o abençoe.
      Um forte abraço.



      • Adaister em 21 de fevereiro de 2014 21:30

        Pois bem Maiara, primeira escritura em pauta para debate “Romanos 9:22”, existem vasos preparados por Deus para a perdição?



        • Maiara Costa - Equipe em 25 de fevereiro de 2014 15:38

          Olá Adaister!
          Quanto tempo que não aparece por aqui.
          Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.
          Não adianta debatermos versículos isolados, pois isso foge às regras de exegese e hermenêutica, portanto, quero recomendar à você que acesse:
          http://goo.gl/Hh4s7n.

          Que Deus te abençoe grandiosamente.
          Um forte abraço.



        • Osmar Ferreira em 28 de fevereiro de 2014 21:48

          Adaister e demais, por isso dentre muitos Textos na Palavra de Deus que deixa bem claro que a predestinação dupla (que Deus elege uns para salvar o outros para matar) nasceu na mente de Satanás, existe Um Texto que joga uma pá de cal naqueles que ecoam a voz de Satanás com a heresia da predestinação determinista, vejam: “Então, o Rei dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos”(Mat. 25: 41). Quero chamar atenção para o fato de que o Rei declara que o fogo foi preparado para o diabo e seus anjos e não para os malditos que por escolha estarão a Sua esquerda ou os benditos (Mateus 25:34) que por escolha estarão a Sua direita. Ou seja, o fogo foi preparado para Satanás e seus anjos, e não para o ser humano. Por isso só irá para o fogo, por escolha, por rejeição a Palavra de Deus, por livre arbítrio Portanto, “irmãos, por trás do ensinamento da predestinação dupla (que Deus elege uns para salvar o outros para matar), satanás está ensinando, insinuando, está fazendo alguns crerem que :
          -ele deixou de ser Lúcifer para ser satanás por eleição de Deus.
          – a terça parte dos anjos foram também predestinados por Deus à tornarem-se demônios.
          -o mal foi predestinado por Deus.
          -o ladrão veio para matar, roubar e destruir por predestinação Divina, ou seja, ele e seus demônios fazem o que fazem Por predestinação de Deus. È isso que Satanás quer que as pessoas pensem.
          Mas queridos, lembram-se, de João 8:44
          E, ainda Segundo o ensino da predestinação dupla ou determinista, estão a afirmar que Deus predestinou dois sacerdotes para levarem fogo estranho perante a Sua face para assim poder destruí-los e assim mostrar Sua santidade naqueles se achegam a Ele. É o caso de Nadabe e Abiú. Eles foram separados por Deus para ministrar como sacerdotes de Deus, as ‘coisa’ e o povo de Deus, no Tabernáculo de Deus. Eles eram símbolos de Cristo e Seu Ministério a favor da humanidade. Contudo foram fulminados por Deus por levarem “fogo estranho perante a face do Senhor, o que Ele não ordenara”(Lev. 10:1) . Mas observe que os sacerdotes na verdade usaram o livre arbítrio na escolha do fogo estranho e não predestinados ou eleitos para a pratica daquele mal pelo próprio Deus. Pois a ordem do Senhor era não oferecer incenso estranho (Êxodo 30;8,9) ou como diz em Lev. 10 “o que Ele (o Senhor) não ordenara”. É imperativo mencionar que a vontade de Deus é que sejamos “santo como Ele é Santo” e não que levemos fogo estranho perante a sua face. E, que foi Deus quem escolheu Arão e seus filhos Nadabe, Abiú, Eleazar e Itamar para oficiarem como sacerdotes perante Sua Face (Êxodo 28:1).

          E, também sobre a predestinação dupla, a presença da Árvore da Vida no relato bíblico na queda da Adão e Eva, faz cair por terra o ensino diabólico da predestinação determinista ou dupla (que Deus elegeu uns para salvar o outros para matar). Eles foram expulsos do jardim do Éden, para que não mais comesse do fruto da Árvore da Vida, este fato, deixa bem claro, que o homem foi predestinado para viver eternamente, porém com livre arbítrio, com poder de escolha. E, ao escolher comer do fruto da Árvore da Ciência do bem e do mal, não pode mais ter acesso a Árvore da Vida, que segundo a Palavra de Deus, se comessem, viveriam eternamente ( Gênesis 3;22). Chamo atenção para o fato de que Deus protegeu a Árvore da Vida não só de Adão e Eva, mas também de seus descendentes (Gen. 3:22,23,24-Apoc.2:7), deixando a certeza de que todos foram predestinados a ter a vida eterna. Mas não como um robô. Mas não sem direito de escolher comer da “Árvore da Vida” ou da “árvore do conhecimento do bem e do mal” (Gen. 2:9).
          Originalmente o homem foi criado e predestinado para está eternamente salvo, veja na Palavra de Deus que quando Deus disse: “ Façamos o homem a Nossa imagem, conforme a Nossa semelhança” e em seguida a Palavra diz: “Criou Deus, pois o homem a Sua imagem, a imagem de Deus”, os abençoando dizendo para serem fecundos multiplicando e enchendo a terra(Gen. 1:26,27,28). Era para encherem a terra de pessoas exatamente na mesma condição de Adão e Eva foram criados de Gênesis 1:27. Observe que foi com a entrada do pecado por causa do homem (Rom. 5:12-I Cor. 15: 21,22)e não por causa de Deus, que todos os descendentes de Adão perderam a condição de eternamente salvos da presença do pecado. Veja que Deus disse para o homem se eles comessem morreriam, ou seja, somente se eles comessem, foi uma condição. Come e morrem. Não coma e vivam eternamente salvos da presença do pecado e da morte. Ou seja, eles tinham como escolha A Palavra de Deus que disse coma e morra não coma e viva. Contudo, escolheram outra palavra que disse coma e certamente não morrerás (Gen. 3:1 a 7). Portanto, Deus originalmente predestinou Adão Eva e seus descendentes para estarem salvos, para não comerem do fruto daquela arvore(Gen. 2:16,17). Contudo, deu-lhe livre arbítrio para comer ou não. Porem, mesmo após a queda do homem, Deus em Jesus predestinou todos para salvação. A condição é a mesma: Escolha A Palavra de Deus (João 1:1,14- Apoc. 19:13) e viva. Rejeita e morra.
          Ainda sobre a predestinação dupla ou determinista, percebe-se que tal ensino é semelhante a doutrina da seleção natural. Sendo que a predestinação determinista segundo eles é de origem Divina, já que os defensores dessa heresia afirmam que há pessoas que foram selecionadas por Deus como pessoas fortes para Salvação antes da entrada do pecado. A pregação da predestinação dupla trás nas entrelinhas que Deus predestinou Lúcifer para ser Satanás, bem como predestinou a entrada do pecado. Seleção de pessoas que a despeito da própria vontade serão salvas ou salvas por não terem vontade própria, e sim pela soberania de Deus, enquanto outros são considerados fracos pelo fato de não terem sidos selecionados por Deus para a vida Eterna, mesmo se aceitarem a Cristo como Salvador, já que segundo tal ensino, já existem os eleitos.
          O que se percebe é que a diferença entre a seleção natural e a seleção pela predestinação dupla é a origem, já que segundo tais ensinadores, foi Deus que em Sua Soberania selecionou antes, ou pré-selecionou, uns para a Salvação e outros para a DES GRAÇA.. Ensino diabólico.
          E, ainda mais: é incontroverso que dentre as pessoas que já morreram muitos eram ateus. Sendo assim, podemos afirmar que segundo a predestinação dupla (que Deus elegeu uns para salvar o outros para matar), que foi Deus que predestinou as pessoas para serem ateus. Como se vê, tal ensino é realmente satânico. Osmar Ferreira-nadanospodemoscontraverdade@bol.com.br



  • Jonas Kakaroto em 20 de fevereiro de 2014 11:24

    😀



  • diego antonio de oliveira em 20 de fevereiro de 2014 14:58

    E a primeira que concordo com o programa parabens pelo artigo publicado.
    Essa doutrina diabolica tem que cair por terra em nome de JESUS.
    Limitar a salvaçao e um insulto ao sacrificio vicario de cristo.
    Deus amou o mundo de tal maneira que seu filho unigenito para todo aquele que nele crer nao pereça, mas tenha a vida eterna.
    Parabens mesmo continuem dai que eu continuo daqui combatendo essa cancer no nosso meio.



  • Luís em 20 de fevereiro de 2014 20:45

    QUE A PAZ DO ETERNO CRIADOR ESTEJA SOBRE TODOS NÓS!
    Eu quero falar sobre a questão do dízimo, de acordo com a PALAVRA, da forma que está escrito. Eu um comentário do Leandro, onde ele é até um pouco duro com as pessoas que falando do dízimo da forma que está escrito, e não devemos agir dessa forma, pelo contrário, devemos abençoar a todos! Se o dízimo não foi constituído em favor dos levitas e do serviço da tenda da reunião, qual era seu objetivo então? Os Levitas não podiam trabalhar nem criar animais, pois foram separados para servirem ao CRIADOR, tinham que estar disponíveis para essa obra. Só para deixar mais claro, vou escrever algo que muitos já sabem, mas não observam: O dízimo era na forma de frutos da terra e das árvores e também animais, o dinheiro daquele tempo, só aparecia em caso de resgate de parte deste dízimo por aquele que o entregou. Sabemos também que O UNGIDO, é o SACERDOTE, e não vemos o mesmo cobrando dízimo de nenhum dos seus seguidores, mas ensinando que devemos amar ao próximo como a nós mesmo, e uma das formas de amar ao próximo é ajudando o mesmo em suas necessidades. O mais importante em tudo é que o CRIADOR não precisa do dinheiro desse mundo para usar alguém e fazer a OBRA, dinheiro que muitas vezes vem com a estampa do inimigo, como semíramis, o olho do inimigo e etc. Vou citar dois exemplos: João Batista realizou a obra que lhe foi dada com perfeição, sem usar dinheiro. O UNGIDO, da mesma forma, nem um jumento para andar ele adquiriu, todo valor que chegava às mãos de Judas, era exclusivamente usado para dar aos pobres, isso só não acontecia quando, Judas, metia a mão na bolsa e roubava para ele. O que mais vemos nos dias de hoje, são pessoas que se dizem pastores, explorando as ovelhas, comendo sua gordura e tirando a sua lã, essas pessoas usam as PALAVRAS das ESCRITURAS e oprimem os pobres, lhes dando cargas de grande peso, deixando as mesmas na dificuldade.
    Mesmo que eu seja para vocês, um falso profeta, ignorante, analfabeto funcional, desonesto, por ver a AS ESCRITURAS dessa forma, mesmo assim, eu faço como o meu salvador me ensinou: QUE O ETERNO CRIADOR, EM O NOME DO UNGIDO, ABENÇOE A TODOS VOCÊS!
    FIQUEM NA PAZ!



    • Maiara Costa - Equipe em 21 de fevereiro de 2014 10:40

      Pois bem Luis!
      Você realmente se acha tudo isso?
      Lamento muito, pois o nome de ninguém foi mencionado no comentário de Leandro Quadros.
      O comentário que ele fez foi a respeito de pessoas ignorantes e que querem permanecer assim.
      Seria esse seu caso?
      Não seria você sincero para avaliar tudo o que a Palavra de Deus tem a dizer sobre o assunto?

      Que Deus o abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.



  • Luís em 21 de fevereiro de 2014 19:47

    QUE A PAZ DO UNGIDO ESTEJA SOBRE NÓS!
    Maiara costa, realmente o apresentador não citou nomes, mas comentou o que acha das pessoas que estudam as ESCRITURAS da forma que é só não entende que o dízimo foi constituído em favor dos Levitas para que realizassem o serviço na tenda da reunião quem não quer ou aquele que tira proveito financeiro do dízimo! Eu não me encaixo em nenhum dos adjetivos citados pelo apresentador, às pessoas que não aceitam o ensino do dízimo da forma que ele e muitos outros pregadores passam como se fosse uma obrigação para os salvos NO UNGIDO! Os comentários dele estão no programa do dia 18/02/14!
    Quero deixar claro que amo a todos da forma que meu REDENTOR ensinou, não guardo mágoa nem tenho raiva de nenhum de vocês, pelo contrário, sempre que posso, vejo a da novo tempo que tem uma ótima programação!
    QUE AS BENÇÃOS DO ETERNO CRIADOR ESTEJA SEMPRE SOBRE VOCÊ MAIARA HOJE E SEMPRE!
    FIQUEM NA PAZ DO UNGIDO!



    • Maiara Costa - Equipe em 25 de fevereiro de 2014 15:53

      Olá Luis!
      Para nós o dízimo não é obrigatório, mas sim uma resposta ao amor e gratidão ao Deus que é o dono de toda a Terra e todas as nossas coisas (Salmo 24:1), e que nos dá a força para trabalharmos e tirarmos o nosso sustento.

      Somos despenseiros de Deus, responsáveis a Ele pelo uso apropriado do tempo e das oportunidades, capacidades e posses, e das bênçãos da Terra e seus recursos, que Ele colocou sob o nosso cuidado. Reconhecemos o direito de propriedade da parte de Deus por meio de fiel serviço a Ele e a nossos semelhantes, e devolvendo os dízimos e dando ofertas para a proclamação de Seu evangelho e para a manutenção e o crescimento de Sua Igreja. A mordomia e um privilégio que Deus nos concede para desenvolvimento no amor e para vitóriasobre o egoísmo e a cobiça. O mordomo se regozija nas bênçãos que advêm aos outros como resultado de sua fidelidade.

      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.



    • Osmar Ferreira em 28 de fevereiro de 2014 22:34

      Luís , a Palavra do ETERNO em Malaquias 3:8,9 está afirmando que Seu povo O estavam roubando nos dízimos e nas ofertas. E, a mesma Palavra do ETERNO declara que ladrão na vai para o céu (1 Coríntios 6.9,10). Veja você, que o UNGIDO deixou claro que não devemos negligenciar ou omitir o dizimo (Mat.23:23). Portanto, dizimar ou não, tem haver com o estado do coração da pessoa ou do conhecimento acerca do assunto biblicamente falando. Um coração em que o UNGIDO habita, não tem dificulda de dizimar e de declarar que: “Para nós o dízimo não é obrigatório, mas sim uma resposta ao amor e gratidão ao Deus que é o dono de toda a Terra e todas as nossas coisas (Salmo 24:1), e que nos dá a força para trabalharmos e tirarmos o nosso sustento”.
      Agora, um coração onde o egoísmo habita, certamente terá dificuldade em devolver o dizimo. Na verdade acha que o dizimo é dele e não do ETERNO. Logo, é classificado pela Palavra do ETERNO, como ladrão por reter o que não lhe pertence.
      Osmar Ferreira-nadanospodemoscontraverdade@bol.com.br



  • Filipe Silva em 21 de fevereiro de 2014 23:41

    OI, me chamo Filipe e sou da cidade Gravataí, Rio Grande do Sul, Quero fazer uma pergunta:
    O batismo é só um? qual é o certo?
    Pergunto isso pois, muitos pregadores dizem que o batismo certo é no nome de Jesus, porém outros dizem que o certo batismo é em nome do Pai do Filho e do Espírito Santo. E agora poderias me ajudar? Desde já agradeço! Paz!



    • Maiara Costa - Equipe em 25 de fevereiro de 2014 15:27

      Olá Filipe!
      Obrigado por seu contato com o programa Na Mira da Verdade.

      Cremos com certeza que o nome de Jesus é poderoso no batismo, mas não cremos que os apóstolos tenham mudado a própria ordem deixada por Jesus em Mateus 28:19,20.
      O nome de Jesus é tão poderoso que aparece junto com o Pai e o Espírito Santo, interessante que essa palavra “nome” em grego “onoma” significa sobre a autoridade, ou seja, igualando as três pessoas da trindade ou divindade e demonstrando que a pessoa que é batizada por imersão em nome da trindade passa a pertencer a mesma e torna-se sua propriedade. ¹
      Quando em Atos aparece o batismo em nome de Jesus, aquilo só de deu por se tratarem de judeus que estavam se convertendo ao cristianismo e passando a aceitar a Cristo como Salvador, ou seja, o batismo foi daquela forma para confirmação da crença deles em Cristo.
      Os apóstolos em momento algum alteraram a ordem vinda de Cristo. Pelo trabalho que a Trindade desempenha em nossa salvação, não faria sentido o batismo ser apenas em nome de Jesus, pois não há distinção entre o Pai, Filho e o Espírito Santo.

      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.



      • alcindo rogalski em 16 de junho de 2014 18:55

        o papa bento 16 no seu livro, pagina 86 do seu livro, afirma que a trindade é uma invençaõ de igreja católica: ja esta escancarado, todo mundo ja sabe, mas é para se cumprir que a mãe das meretrizes: não esta sozinha APOC:17 ela tem suas filhas<´e são idolatras, nunca creram em 1 só DEUS como diz<tiago:2:19, A trindade que são 3 divindades, o nome ja o desmascara, nosso mandadento é: deot:6:4~5 e 1 cor 3:11 e JOAO:13:13 AMÒS: 4:12 eJOAO:1:11~12, fala desta verdade não oculta ela



        • Maiara Costa - Equipe em 17 de junho de 2014 11:54

          Olá Alcindo!
          Bom dia.

          A trindade não são três divindades, mas uma Divindade, constituída por três seres pessoais distintos. Completamente relacionados e envolvidos em minha salvação, mas se você prefere não crer nisto, sinta-se a vontade!

          A natureza das três pessoas da Divindade não nos é possível compreender plenamente, mas, pelas evidências escriturísticas, podemos compreender e aceitar Sua existência.
          Nossa mente finita não pode entender, mas a Revelação nos diz claramente: “Ouve ó Israel, o Senhor Teu Deus é um único Deus” (Deuteronômio 6:4). Entretanto, se observarmos atentamente as evidências bíblicas, este Deus único é composto de três pessoas distintas.
          Apresentaremos, a seguir, uma série de textos sobre as três pessoas da Divindade.
          Em Êxodo 3:4 temos a revelação acerca do nome de Deus – “Eu Sou o que Sou”. Normalmente, aceitamos que esse texto está falando de Deus Jeová, o Pai. No entanto, João 8:58 nos diz que os judeus queriam matar Jesus porque Ele disse “EU SOU”. Percebemos aqui que, na verdade, quem se manifestou na sarça ardente (Êxodo 3:4-12) foi Jeová, o Filho. Isso é confirmado pelo relato de Atos, capítulo 7.
          Em João 10:30, outra vez os judeus queriam pegar em pedras para matar Jesus. Ele dissera: “Eu e o Pai somos um”. Eles o acusaram de blasfêmia porque Ele se proclamara igual a Jeová, o Pai.
          Não entendemos tudo, mas somos chamados a aceitar essa e outras revelações da Palavra – precisamos crer!
          Continuando, em 2 Pedro 1:17 nos é declarado que Jesus recebeu de Deus o Pai (Jeová) a honra e a glória quando lhe foi dirigida a voz: “Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo.”
          Aqui temos duas coisas específicas: primeiro, que há uma pessoa chamada Pai; segunda, que Ele é identificado como Jeová (Deus).
          Vamos para outras evidências acerca das pessoas da Divindade:

          A Pessoa de Jesus
          Em Apocalipse 1:8 lemos: “Eu sou o Alfa e o Ômega (o princípio e o fim), diz o Senhor, aquele que é, que era e que há de vir, o Todo-Poderoso.”
          Quem é esse? Sem dúvida, Deus o Pai.
          Examinaremos agora o capítulo 22:7, 13 e 16. “Alfa e Ômega, o princípio e o fim”. Essas expressões são aqui claramente atribuídas a Jesus. Por quê? Porque Ele sendo Deus (Jeová), o Filho também pode assumir esses títulos.
          O título “Filho do homem” é atribuído a Jesus (Apocalipse 1:12). Já os versos 17 e 18 fazem referência a esse Filho do homem como o Alfa e o Ômega, o primeiro e o último. Jesus, sem dúvida, é Deus (Jeová), o Filho.
          Coloquemos lado a lado Isaías 44:6 e Apocalipse 1:17 e 18. Há dois “primeiro e último”, dois “Alfa e Ômega”. É a mesma pessoa falando em distintas ocasiões!
          Até este ponto, temos mostrado que há duas pessoas: Pai e Filho e ambas são chamadas de Jeová. Romanos 9:5 é um texto adicional para mostrar que Cristo é “Deus bendito eternamente”.

          A Pessoa do Espírito Santo
          Saiamos em busca da terceira pessoa. Há uma terceira pessoa identificada como o Espírito Santo e que também se chama Jeová (Deus).
          Em Atos 5, há um texto interessante que nos passa por alto quando lemos apressadamente. Temos ali a história de Ananias e Safira.
          Nos versos 3 e 4, lê-se: “Disse então Pedro: Ananias, por que encheu Satanás o teu coração para que mentisses ao Espírito Santo e retivesses parte do preço da verdade? Não mentiste aos homens, mas a Deus.”
          Quem é esse Espírito Santo? A resposta está no verso 4: “Não mentiste aos homens, mas a Deus.”
          Duas coisas: Pedro apresenta (verso 3) o Espírito Santo como uma pessoa e, no verso 4, reconhece que essa pessoa é Deus (Jeová).
          O capítulo 13:1 e 2 de Atos tem mais detalhes. Ali nos diz que o Espírito Santo falou: “Apartai-me a Barnabé e a Saulo para a obra que os tenho chamado”.
          Notemos que o Espírito Santo fala e faz um chamado especial (para serviço) sem qualquer intermediário. Ele fala, decide, escolhe, separa (chama) a quem Ele deseja.
          Conclusão: há três pessoas que são chamadas igualmente de Deus ou Jeová.

          Evidências Adicionais:

          1. Na encarnação – Lucas 1:35 – As três pessoas, em diferentes funções, são mencionadas.
          2. Batismo de Jesus – Mateus 3:16 e 17 – O Pai, o Filho e o Espírito Santo presentes por ocasião do batismo.
          3. A comissão evangélica – Mateus 28:19 – Outra vez encontramos a Trindade na fórmula oferecida para o batismo dos crentes.
          4. Na Ressurreição de Jesus – Atos 3:26; 2 Tessalonicenses 1:10; João 2:19-21 – Temos o Pai e o Filho envolvidos na ressurreição. Para completar o quadro, temos Romanos 8:11. Aqui o Espírito é apresentado como autor da ressurreição de Cristo. Atos 17:31 menciona Deus, o Pai, ressuscitando. O Deus triúno participou na ressurreição de Jesus.
          5. Bênção apostólica – 2 Coríntios 13:13 – Outra vez, o Pai, o Filho e o Espírito Santo atuando em favor da igreja cristã.

          Muito mais poderia ser acrescentado, pois há dezenas e centenas de textos para formar um quadro mais amplo. Em toda a Escritura temos evidência da ação de três Pessoas amorosas, poderosas, oniscientes e onipresentes unidas em um só propósito: salvar Seus filhos e guiá-los para a felicidade eterna.

          Se aceitarmos o conceito bíblico de unicidade na pluralidade não teremos dificuldades em entender esta questão.

          Temos muitas evidências na Palavra de Deus de que a Divindade é formada por três seres distintos, mas que são um no poder, no caráter e no propósito. Não são três deuses, mas três pessoas que formam a Divindade. São tão unidos que não podem ser chamados de três deuses

          Podemos ver esse conceito de unicidade na pluralidade comparando os textos de Deuteronômio 6:4 e Gênesis 2:24:
          “Ouve, Israel, o SENHOR, nosso Deus, é o único SENHOR.” Deuteronômio 6:4.
          “Por isso, deixa o homem pai e mãe e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne.” Gênesis 2:24.

          As palavras sublinhadas nos dois versículos, no original hebraico, são as mesmas: echad, que significa “um entre outros”. Do mesmo modo que Deus é “único no sentido plural”, Adão e Eva eram “uma só carne no sentido plural”.

          Caso o texto de Deuteronômio 6:4 estivesse negando a Trindade, Gênesis 2:24 também deveria negar a “pluralidade” de Adão e Eva, uma vez que eles eram “uma só carne”.

          Além disso, se Moisés quisesse negar que a Divindade é composta por mais de uma Pessoa, teria de usar a palavra yachid, que exclui a possibilidade de existirem outros seres inerentes à Divindade, ao invés de echad.

          O papa também diz que Maria está no céu, que o domingo deve ser guardado em lugar do sábado, que os elementos da ceia se transubstanciam e que podemos orar pelos mortos, não me diga que você crê nisso também?!

          Que Deus te abençoe grandiosamente.
          Um forte abraço.



          • alcindo rogalski em 17 de junho de 2014 12:59

            na multidao de letras mentes são confundidas, O meu DEUS não precisa de ajudador, na sua uniciencia, unipresença e unipotencia, ele sempre foi absuluto e se naõ for assim nós tiramos [dividimos] rom;1:23, seus atributos nanca o dividiram no ANT. TESTAMENTO, e muito menos no Novo. Testamento tiago:2:19,2 cor 11:3 JUD:1:3~4 seus ministérios CHAMADOS: PAI, FILHO E.S. naõ formam uma trindade que estudada são 3 divindades, e isto é abominável pela biblia. mas sim 1 só Deus que foi chamado PAI como criador FILHO como redentor E.S. como emanador, e não tres pessoas distintas isto é falta de compreençaõ e as pessoas vão se perder LEIA: atos: 4:12 COLOC:3:17 atos :2:38 ]COMPARA:ISAIAS 48:11 /1joao5:20 ISAIAS 44:6 Apoc1:17~18 /e21:5~7 ,meu povo saberá meu nome diz Deus ISAIAS52:6 ATOS:2:38 [AMÒS:4:12 compara joao:1 :11~12.]



          • Maiara Costa - Equipe em 17 de junho de 2014 13:52

            Olá Alcindo!
            Se o seu Deus não precisa de ajudador, então porque você está aqui tentando ajudá-lo?
            Não vou ficar aqui discutindo com você um assunto que o Espírito Santo pode te revelar, entretanto, se você prefere crer que Ele não existe, sinta-se a vontade, de maneira nenhuma irei discriminá-lo por isso e respeitarei a sua opinião.
            Evidências bíblicas você já tem, fique a vontade para negá-las ou aceitá-las!

            Que você permaneça escolhido de acordo com o pré-conhecimento de Deus Pai, pela obra santificadora do Espírito Santo, para a obediência a Jesus Cristo e a aspersão do seu sangue: Graça e paz lhes sejam multiplicadas. (1 Pedro 1:2).

            Um forte abraço.



  • ROOSEWELT LEITE MOREIRA em 21 de fevereiro de 2014 23:51

    concordo plenamente com a interpretação do professor. Mas como explicar a existência do mal e do sofrimento humano. Existe um proposito para o mal. como entender isso de um Deus que é todo amor e todo poder.



    • Maiara Costa - Equipe em 25 de fevereiro de 2014 14:58

      Olá Roosewelt!
      Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.

      A Bíblia não nos dá todos os detalhes sobre a origem do mal, mas nos garante pelo menos duas coisas importantes: primeiro que Deus não foi o criador do mal (Salmo 5:4) e segundo que o mal surgiu no coração de Lúcifer (Ezequiel 28:15). Isso Paulo chama de o “mistério da iniqüidade” (2Tessalonicenses 2:7), relembrando que a palavra grega para mistério é misterion que significa uma verdade que estava oculta e foi revelada.
      O que a Bíblia revela sobre o mistério da iniqüidade é que um ser criado por Deus perfeito se envaideceu por causa de sua beleza, formosura e sabedoria (Ezequiel 28:13-17), e se envaideceu de tal maneira que intentou ser adorado como Deus (Isaías 14:12-14). Ele se esqueceu que era uma criatura e como criatura recebia vida, sabedoria, formosidade, resplendor de Deus e não dele mesmo. Lúcifer desviou os olhos de Seu Criador e passou a contemplar a si mesmo. Isso é vaidade, adorar-se a si mesmo, fazendo-se de si mesmo um “deus”. Isso nos mostra como Deus criou todas as suas criaturas com o livre arbítrio, ou seja, a liberdade de escolher fazia parte da perfeição.

      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.



    • alcindo rogalski em 18 de junho de 2014 10:38

      Maiara: veja que Deus nos escolheu para pregar sua palavra, mas ele nao dividirá sua glória ele é absuluto isaias 48:11 ZACARIAS:14:9 o E.S. é o próprio JESUS coloc:1:26~27 e veja o que 2pedro:1:1 o mistério de Deus é cristo tu o conheceu ta revelado veja col 2:2~3 e 1joaõ:5:20 HEB;13:8 veja APOC:1:17~18. e APOC:21:5~7.



      • Maiara Costa - Equipe em 18 de junho de 2014 11:14

        Com toda a certeza amigo Alcindo!
        Entretanto, a minha compreensão é bem diferente da sua, pela experiência que tenho com esse Deus trino, mas como já disse, respeito a sua opinião.

        Crer no Espírito de Deus, no Filho de Deus ou em Deus Pai é uma experiência gerida unicamente pela fé. Nossa mente limitada e pecadora prefere naturalmente questionar e descrer.

        Paulo, referindo-se aos descrentes de Deus, declara: “Pois desde a criação do mundo os atributos invisíveis de Deus, seu eterno poder e sua natureza divina, têm sido vistos claramente, sendo compreendidos por meio das coisas criadas, de forma que tais homens são indesculpáveis” (Romanos 1:20).

        Deus é um ser relacional. Elohim (do hebraico אֱלוֹהִים , אלהים, pronunciado Elohim. Elohim é plural em si e em sua concordância) é relacional por ser “echad” (unidade composta). Por ser Pai, Filho e Espírito Santo que Ele pode dizer que é amor. Porque o amor só pode acontecer em algum relacionamento entre seres livres e inteligentes. Deus é amor e sempre foi, por ser essencialmente plural e relacional.

        Quanto ao Espírito Santo, encontramos na profecia bíblica anúncios eloquentes sobre um extraordinário derramamento do Espírito Santo como chuva serôdia (Joel 2). Mesmo em face deste evento prometido, surge uma onda de incredulidade a respeito de sua personalidade. Entendemos que o inimigo de Deus vislumbra que este ponto do conhecimento de Deus é fundamental para estabelecer sua vitória no coração daqueles que aceitam sua proposta de descrer da pessoa do Espírito de Deus.

        Observamos que existe atualmente um empenho apaixonado, por parte de algumas pessoas, que deixaram de crer no Espírito Santo como uma pessoa, para conduzir tantos quantos seja possível a descrer do Espírito, assim como elas. Enquanto, como igreja, o evangelho está sendo pregado e clamamos pelo derramamento do Espírito para conclusão da obra, alguns trabalham para compartilhar sua incredulidade. Assim não entram e impedem de outros a entrar no Reino de Deus (Lucas 11:52). Assim como muitos rejeitaram o Messias, estão rejeitando o Espírito da Verdade (João 16:13) e, naturalmente, estão rejeitando o Filho de Deus também.

        Conhecer a pessoa do Espírito de Deus é necessário, assim como conhecer a pessoa do Filho de Deus e o Pai. Cremos que esse conhecimento não pode ser obtido mediante debate, mas por meio de uma busca pessoal pela intimidade com Deus. É através de uma experiência sincera, de um coração quebrantado, que se pode sentir e compreende na prática a atuação e os papéis divinos desempenhados na vida humana. Então se você tem dúvidas sobre a natureza do Espírito Santo, converse com Ele sobre sua dificuldade, suplique com humildade pelo Seu derramamento e cremos que você viverá uma tremenda experiência de descobertas – é uma questão de fé (Hebreus 10:38).

        Quando uma pessoa decide descrer no Espírito Santo, ela simplesmente fecha as portas do coração para Cristo. Ela pode continuar dizendo que crê no Filho de Deus e que O ama, mas não pode senti-Lo, compreende-Lo e recebe-Lo em seu coração. Porque todas estas obras são realizadas pelo Espírito Santo. Observe que essas pessoas ficam amargas, críticas, confusas, perdidas na igreja (quando insistem em continuar frequentando), embora se sintam superiores pelo privilégio do conhecimento que julgam ter. Nunca vi uma pessoa que não crê no Espirito Santo apaixonada por Jesus e com uma vida cheia de frutos. Seus argumentos são afiados, conseguem torcer detalhes e posiciona-los como verdades capazes de confundir e plantar a incredulidade no coração. Eles se satisfazem ao ver o resultado da dúvida na vida alheia. Estas pessoas podem ser sinceras, bem intencionadas, mas não tem missão genuína, direção e acabam se cansando de peregrinar por caminhos vazios. Quando se organizam como igreja, em pouco tempo sua liderança se desfaz em brigas, por causa do dinheiro (dízimos e ofertas) e outros pecados sexuais. A olhos nus, podemos ver que onde não há o mover do Espírito, não pode haver um movimento genuíno.

        “Todo aquele que disser uma palavra contra o Filho do homem será perdoado, mas quem blasfemar contra o Espírito Santo não será perdoado” (Lucas 12:10).

        Em toda a Bíblia encontramos a participação de um ser que tem personalidade, caráter próprio, que age com poder, pensa, sofre, geme, assiste, intercede… Observe a seguir que a personalidade do Espírito Santo é claramente inferida do testemunho bíblico. As seguintes referências não deixam dúvida a respeito:

        (1) Ele é citado entre pessoas: “Pois pareceu bem ao Espírito Santo e a nós não vos impor maior encargo” (Atos 15:28). Além disso, Ele aparece na fórmula batismal junto ao Pai e ao Filho (Mat. 28:19); seria redundância Jesus mencionar o Espírito Santo, tendo já mencionado o Pai, fosse Ele a mera energia dEste; também não faria sentido Jesus ordenar o batismo em nome de uma Pessoa, o Pai, de outra Pessoa, o Filho, e agora em nome de uma energia, o Espírito.

        (2) Ele é o Senhor (II Coríntios 3:17 e 18). Este termo define personalidade e divindade quando aplicado ao Pai e ao Filho; porque não quando aplicado ao Espírito?

        (3) Ele possui mente (Romanos 8:27). O termo grego traduzido “mente” neste texto em algumas versões é phrónema (alguma coisa que se tem em mente, que passa pela mente, o pensamento), em contraste com nous (a mente como sede da consciência, da reflexão, da percepção, do entendimento, do julgamento crítico e da determinação). O importante é que phrónema pressupõe a existência de nous. Apenas um ser pessoal é dotado de nous, e pode exercer phrónema. O Espírito Santo é um ser pensante, o que implica inteligência. Ele não pode ser menos que uma pessoa.

        (4) Ele tem sentimentos:

        • pode ser contristado – Efésios 4:30
        • expressa anseio – Tiago 4:5
        • possui alegria – I Tessalonicenses 1:6
        • ama – Romanos 15:30
        • expressa vontade – I Coríntios 12:11

        (5) Pode, e deve, ser mantida comunhão com Ele (Filipenses 2:1; II Coríntios 13:13). Não se mantém comunhão com uma energia.

        (6) Não é mero poder, mas tem poder (Romanos 15:19). Seria outra redundância a Bíblia falar do poder do Espírito Santo, fosse Ele mero poder; seria “o poder do poder”!

        (7) Pode-se mentir a Ele (Atos 5:3). Mente-se a uma pessoa e não a uma energia.

        (8) Pode-se-Lhe resistir (Atos 7:51). É possível cumprir o papel de um resistor (componente que impede, ou atenua, o fluxo da corrente elétrica) para com o Espírito Santo? Sim, e isto o pecador faz quando, diante do apelo divino, prefere permanecer no erro. Mas isso não significa que o Espírito Santo não seja uma pessoa, pois não é apenas a uma energia que se resiste. Pessoas também podem ser resistidas, incluindo Deus (11:17). O texto fala de se resistir às claras evidências da verdade, apresentadas pelo Espírito Santo.

        (9) Pode-se guerrear contra Ele (Gálatas 5:17). O que é uma intensificação de resistência ao Espírito Santo.

        (10)Pode-se ultrajá-Lo (Hebreus 10:29). Como é possível ultrajar uma energia? Ultrajar se liga naturalmente ao sentido de afrontar, insultar, difamar, injuriar, ofender deprimir, vilipendiar, desacatar, vituperar, envergonhar. Como se pode fazer tudo isso a uma energia?

        (11)Pode-se blasfemar contra Ele como se blasfema contra o Filho (Mateus 12:31). É possível blasfemar contra uma energia? Blasfema-se contra uma pessoa, como é o caso de Jesus aqui.

        (12)Ele executa específicas funções próprias, não de uma energia, mas de uma pessoa:

        • sonda, perscruta a Deus – I Coríntios 2:10.
        • concede dons para a edificação da Igreja – I Coríntios 12:8 e 12.
        • manifesta-Se nesses dons – I Coríntios 12.7 (em outras palavras, ao conceder dons à Igreja o Espírito Se dá a ela).
        • contende com pecadores – Gênesis 6:3.
        • ordena sobre itens relevantes para a obra e o povo de Deus – Atos 8: 39; 10:19 e 20.
        • envia pessoas no processo do cumprimento de alguma missão – Atos 10:19-20.
        • ensina o que uma vez ouviu – João 16:13 (ouvir não é próprio de uma energia), ver também 14:26; I Coríntios 2:13.
        • revela, especialmente pelo exercício profético – Atos 1:16; II Pedro 1:21; I Timóteo 4:1.
        • testifica através da intuição na consciência, bem como com o testemunho da Igreja – Romanos 8:16; Atos 5:32; Apocalipse 22:17.
        • move o agente humano na captação da revelação divina – I Pedro 1:21.
        • incute novas realidades ainda não percebidas – Hebreus 9:8.
        • indica a correta compreensão do que é revelado – I Pedro 1:11
        • guia os filhos de Deus – Romanos 8:14, inclusive na busca de “toda a verdade” – João 16:13.
        • assiste nas fraquezas – Romanos 8:26.
        • intercede corrigindo nossas orações – Romanos 8:26.
        • produz frutos na vida dos que se submetem a Ele – Galátas 5:22 e 23.
        • lava e renova, o que resulta em salvação – Tito 3:5. Em João 3:5 e 6 este ato é referido por Jesus em termos do novo nascimento.
        • escreve a lei de Deus nas tábuas do coração – II Coríntios 3:3.
        • santifica – II Tessalonicenses 2:13; I Pedro 1:2
        • sela os que são de Deus – Efésios 1:13.

        Como já dissemos, crer em Deus é uma questão de fé, mediante uma experiência pessoal, intima e profunda com Ele. Deus não faz questão de provar que Ele existe, simplesmente nos convida a uma amizade pessoal, e, então, Ele se revela. Quando você aceitar que o Espírito Santo é uma pessoa, se essa for a sua condição, e começar a relacionar-se com Ele, seu jeito de pensar, sentir e agir sofrerão mudanças extraordinárias. Seu coração se encherá de alegria e experimentará um novo nascimento, o do Espírito (João 3:6).

        Decida crer no Espírito de Deus e se você já crê, clame pelo Seu batismo diário e então você verá a glória de Deus.
        Um forte abraço.



        • alcindo rogalski em 18 de junho de 2014 11:29

          Só vou te fazer 2 perguntas então: me explica a trindade e de unde ela veio seu principio, 2 pergunta: me mostra 1 só pessoa batizada nos titulos :pai,filho e E.S. eu te darei as duas respósta a seguir na sua respósta



          • Maiara Costa - Equipe em 18 de junho de 2014 11:40

            Os textos bíblicos que te enviei, e olha que não foram poucos já te respondem a primeira pergunta. Sobre a segunda pergunta, registros históricos podem nos comprovar que o batismo em nome do Pai, Filho e Espírito Santo, conforme, orientou Jesus em Mateus 28:19, era praticado pelos apóstolos e pela igreja primitiva.

            O nome de Jesus é tão poderoso que aparece junto com o Pai e o Espírito Santo, interessante que essa palavra “nome” em grego “onoma” significa sobre a autoridade, ou seja, igualando as três pessoas da trindade ou divindade e demonstrando que a pessoa que é batizada por imersão em nome da trindade passa a pertencer a mesma e torna-se sua propriedade.

            Quando em Atos aparece o batismo em nome de Jesus, aquilo só de deu por se tratarem de judeus que estavam se convertendo ao cristianismo e passando a aceitar a Cristo como Salvador, ou seja, o batismo foi daquela forma para confirmação da crença deles em Cristo.
            Os apóstolos em momento algum alteraram a ordem vinda de Cristo. Pelo trabalho que a Trindade desempenha em nossa salvação, não faria sentido o batismo ser apenas em nome de Jesus, pois não há distinção entre o Pai, Filho e o Espírito Santo.

            Em algumas discussões cristológicas recentes, a indicação em que entram três partes (trinitária) incluída em textos padrões de Mateus 28:19 são frequentemente suspeitas. O problema é que ele soa muito trinitário para ser incluído nas palavras originais de Mateus. Como resultado, alguns eruditos modernos tem sugerido que o final do evangelho de Mateus poderia bem ter sido adicionado por escribas posteriores sob a influência das controvérsias trinitárias que enredaram na Igreja Cristã nos séculos 3 e 4. A evidência primária onde tais sugestões se baseiam é a citação ou alusão a este texto nos escritos de Eusébio. Como exemplo, nós podemos notar suas palavras na História Eclesiástica, Livro III.5.ii:

            “Depois da ascensão de nosso Salvador, os judeus acrescentaram ao crime cometido contra ele a invenção de inúmeras ameaças contra seus apóstolos: Estevão foi o primeiro que eliminaram, apedrejando-o ; depois dele, Tiago, filho de Zebedeu e irmão de João, a quem decapitaram; e depois de todos, Tiago, o que depois da ascensão de nosso Salvador foi o primeiro designado para o trono episcopal de Jerusalém e morreu da forma que já descrevemos. E os demais apóstolos sofreram milhares de ameaças de morte e foram expulsos da terra da Judéia. Porém, com o poder de Cristo, que havia-lhes dito: Ide e fazei discípulos de todas as nações em meu nome , dirigiram seus passos para todas as nações para ensinar a mensagem”.

            Com base nesta citação de Eusébio bem como a aparente “fórmula batismal” de Atos e as epistolas, alguns comentaristas tem sugerido que a frase trinitária do versículo 19 é uma alteração do texto por inserção de palavras litúrgicas ou expansão das palavras originais de nosso Mestre, que ordenou o batismo “em Meu nome” ao contrário de no “nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo”.

            Os que defendem essa idéia são aqueles que não crêem na existência da trindade e preferem acreditar nas palavras de Eusébio que era alguém totalmente inconstante em suas opiniões.
            Os que defendem essa idéia não podem ignorar o fato que há vários outros documentos patrísticos, anteriores a Eusébio que comprovam a autenticidade da expressão em Mateus 28:19.
            Por exemplo, pelo Didaquê, bem como por Clemente, o Pastor de Hermas, Irineu, Tertuliano de Cartago, Hipólito de Roma, e Orígenes de Alexandria.

            Porém esses defensores que a Trindade não aparece em Mateus 28:19 deveriam também usar o próprio texto de Eusébio de Cesárea no qual ele admite que Mateus 28:19 está sim no original em grego.
            Escrito por Eusébio e por ele apresentado diante do Concílio de Nicéia.

            Nesse credo Eusébio não apenas nomeia explicitamente ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo, mas também confirma a autenticidade de Mateus 28:19:

            “Cremos em um Deus o Pai Onipotente, Criador de todas as coisas visíveis e invisíveis; e em um Senhor Jesus Cristo, o Verbo de Deus, Deus de Deus, Luz de Luz, Vida de Vida, e Filho unigênito, o primogênito de toda criação, por quem todas as coisas foram feitas; que pela nossa salvação foi feito carne e habitou entre os homens; e sofreu; e ressuscitou no terceiro dia; e ascendeu ao Pai; e virá outra vez em glória, para julgar vivos e mortos. [Cremos] também em um Espírito Santo. Cremos que cada um deles é e existe, o Pai verdadeiramente Pai, e o Filho verdadeiramente Filho, e o Espírito Santo verdadeiramente Espírito Santo; como nosso Senhor, ao enviar seus discípulos a pregar, disse:

            “Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo”.

            Portanto podemos afirmar que a frase: “em o Nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo estão sim escritos nos originais em grego, pois esses textos foram pouco mexidos por copistas.

            Para identificarmos na Bíblia um texto que foi acrescentado por copistas, ele geralmente está entre colchetes e em itálico, ou seja, a letra está deitadinha. E não é o caso de Mateus 28:19.

            O batismo em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, além de igualar as três pessoas da Divindade, demonstra que ao sermos batizados dessa forma passamos a pertencer nos tornamos propriedade exclusiva e ficamos estreitamente relacionados daquele em cujo nome fomos batizados.

            Se estudarmos em toda a Bíblia o assunto da trindade perceberemos quão envolvidos com a nossa salvação estão o Pai, Cristo e o Espírito Santo.

            Posso, se quiser, lhe recomendar algumas literaturas.
            Um forte abraço.



          • alcindo rogalski em 18 de junho de 2014 12:12

            veja maiara: voce é muito educada e jesus te ama: ROM 10;13 mas veja que a biblia diz que todo que invocar o nome do senhor será salvo, Deus tem um none is;52;6 veja joao5;43 este Deus estava em cristo ;2cor 5;19 col1;19 tem cuidado para nao ser enganado;coloc2;8~9 para mim nao há duvida do que eu creio o nome do pai,filho e E.S, é jesus, pois ele sera chamado jesus pois salvara seu povo dos seus pecados atos;4;12 coloc;3;17



          • Maiara Costa - Equipe em 18 de junho de 2014 12:28

            Está bem Alcindo!
            Você também é muito amado por Cristo e também muito educado, entretanto, não conseguirá mudar as minhas convicções.
            Se você quer continuar a crer que o Espírito Santo não é uma pessoa divina e que Jesus Cristo não é divino, eu o respeito. Afinal, estas convicções apenas Ele, o Divino Espírito Santo (Atos 5:3,4), por meio da Bíblia, pode te dar, contudo, não o forçará à isso de maneira nenhuma, pois é um Deus educado.

            Pai, Filho e Espírito Santo, desempenham funções diferentes dentro do plano de redenção, isso já está declarado, nos muitos textos que te passei. Você porventura, os leu? Por que não refuta todos aqueles que já foram passados?

            Um abraço.



          • alcindo rogalski em 18 de junho de 2014 13:04

            preciso fazer esta declaração:Eu sei que o pai o filho e o E.S. efetuam papeis difefentes, pois são os ministérios de 1 DEUS mas não como pessoas distintas,e sim ministérios do unico Deus EX;DEUS estava em cristo2cor;5;19 se jesus fosse o Deus filho por que ele oraria 1 Deus naõ precisa de oração, mas sim o filho de DEUS, e se o E.S. fosse 1 Deus de quem jesus é filho entaõ, eu creio em 1so DEUS o pai e seus ministérios,pai, filho e E.S. foi Deus que se fez carne e achado na matéria vizivel chamau~se filho de DEUS pois todo q tem 1 principio ´e filho porisso o filho naõ e é eterno, nisto a biblia concorda , fé deve ter base biblica ao contrario é perigoso,jo;1;1 e14o verbo era Deus, o filho é o plano da salvaçaõ , veja atos 20;28 Deus comprou com seu próprio sangue sua igreja,e naõ com sangue do filho pois, foi Deus quem veio vestido de carne a terra,joao14;6~10 quem ve a mim ve o pai 2 naturezas mas 1só DEUS, um abraço



          • Maiara Costa - Equipe em 18 de junho de 2014 14:32

            Vou ter de discordar de você novamente Alcindo, nos seguintes pontos:

            A teoria de que Deus manifestou-se em diferentes ocasiões de três modos diferentes chama-se modalismo . Vejamos se a Palavra de Deus dá margem para essa crença.

            “Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo” Mateus 28:19. “Quando vier, porém, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará as coisas que hão de vir.” João 16:13. “Tendo Jesus falado estas coisas, levantou os olhos ao céu e disse: Pai, é chegada a hora; glorifica a teu Filho, para que o Filho te glorifique a ti, assim como lhe conferiste autoridade sobre toda a carne, a fim de que ele conceda a vida eterna a todos os que lhe deste. E a vida eterna é esta: que te conheçam a ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste. Eu te glorifiquei na terra, consumando a obra que me confiaste para fazer; e, agora, glorifica-me, ó Pai, contigo mesmo, com a glória que eu tive junto de ti, antes que houvesse mundo.” João 17:1-5. “Batizado Jesus, saiu logo da água, e eis que se lhe abriram os céus, e viu o Espírito de Deus descendo como pomba, vindo sobre ele. E eis uma voz dos céus, que dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo.” Mateus 3:16-17.

            Na fórmula batismal registrada em Mateus 28:19 vemos que são mencionados três seres divinos e não meramente “Deus manifesto em três atributos”. “A construção da frase no grego deixa claro que Jesus está se referindo a três pessoas diferentes. Ele ensinou, sem margem de dúvida, a doutrina da Trindade” Jesus não estava dizendo para os discípulos batizarem “em nome dos três atributos de Deus”, mas em nome de três seres distintos, de forma que o batizando evidenciasse sua fé no Deus triúno.

            Outras evidências disto vemos nos textos subsequentes. João 16:13 afirma que o Espírito Santo “diria tudo o que tivesse ouvido”. É ilógico supormos que o Espírito Santo (“um dos atributos de Deus”) falasse acerca do que ele “ouviu de si mesmo”, “de seu outro atributo”. João 17:1-5 relata que Jesus levanta os olhos ao Céu, ora ao Pai e pede para que “seja glorificado juntamente com Ele”. De que modo Jesus poderia estar orando para Ele mesmo no Céu? Obviamente que Ele orava por ser glorificado na companhia de outro ser divino. Já o texto de Mateus 3:16-17 explica-nos que no momento em que Jesus foi batizado, o Espírito Santo desceu e o Pai falou lá do Céu. Se os títulos Pai, Filho e Espírito Santo fossem apenas três manifestações de Deus, como Jesus iria “descer sobre Ele mesmo” e “falar para Ele mesmo” de lá do Céu enquanto presente aqui na terra? Impossível!

            Toda a minha argumentação está embasada na Bíblia, contudo, se você prefere não crer, essa é uma escolha sua!
            Um abraço.



          • alcindo rogalski em 18 de junho de 2014 14:54

            SE saõ 3 seres divinos entaõ há tres Deuses, isto é idolatria R:1joao 5.20e21, se tem 3 Deuses o nome do filho é jesus que quer diser Jeova salvador , quem salvou foi jesus , qual é o nome dos dois deuses então, e se jesus é Deus filho onde esta sua mãe celestial, vou te dar 1 texto se estudado claramente quebra toda tese trinitariana joao 14;15~18 jesus diz q os dicipulos ja conheciao o consolador ele estava ali habitando , pois nao tinham recebido ainda entao era ele proprio pois só viria em espirito, nao mais em carne,coloc;1;26~27, e só um pai nao pode deixar orfam v18, bem nitida está ai um só Deus e seus ministerios,ou atrebutos tiago2;19



          • Maiara Costa - Equipe em 18 de junho de 2014 15:29

            Creia como quiser amigo Alcindo!
            Um abraço.



        • alcindo rogalski em 18 de junho de 2014 17:18

          Maiara : tudo que voces dizem esta embazado na biblia, a Palavra seja testemunho, ela será nosso juizo ; o livro de atos é a história da igreja primitiva Paulo diz GAL 1:8 tudo que passa que os aPOSTOLOS PREGARAM É ANATEMA[MALDITO] TUDO QUE MOSTREI TEM BASE BIBLICA E VOCE SÓ FICOU EM MATEUS28;19, QUE ESTA DIZENDO PARA BATIZAR NO NOME,E NAO NOMES, PEDRO EM ATOS;2;38 SABIA QUAL ERA O NOME, A TRINDADE É CRIAÇAO CATÓLICA, POR FALTA DE EMTENDIMENTO, É A IGREJA Q SAIU DA ORIGEM , O FUNDANENTO DE UM CRISTAÕ É O BATISMO, REP:MORTE E NACIMENTO, ISTO É CRISTIANISMO, COM TODO RESPEITO A TRINDADE VEM DE UMA PALAVRA FEMININA,[SANTISSIMA] DESONRÓSE E MAIS ELA NASCEU EM rOMA, A IGREJA DE JESUS NASCEU EM JERUSALEM ;ATOS2;38~44.



          • Maiara Costa - Equipe em 18 de junho de 2014 17:50

            Vamos analisar a sua argumentação Alcindo:

            1) VOCÊ SÓ FICOU EM MATEUS28;19

            Tem certeza que eu só embasei a resposta em Mateus 28:19? Os blogueiros vão poder confirmar se eu só usei Mateus 28:19! Pois, envie à você muitos textos bíblicos, além desse.

            Contudo, se você quer continuar negando a verdade bíblica da trindade, como já disse várias vezes, sinta-se a vontade! Poderia colocar aqui toda uma argumentação teológica e histórica sobre o desenvolvimento da doutrina na Bíblia e no adventismo, mas não o farei, pois você, pelo que me parece não está interessado em analisar os fatos!

            Você já tem textos bíblicos suficientes, avalie-os dentro de seus respectivos contextos, e deixe o Espírito Santo falar ao seu coração. O fato de você estar escrevendo em caixa alta, algo que é extremamente ofensivo na comunicação verbal, só demonstra falta de argumentos bíblicos, mas como já disse, respeito o seu livre arbítrio de querer permanecer crendo desta forma.

            Tenho base bíblica e prática para crer no trabalho do Pai, Cristo e do Espírito Santo em minha vida, e agradeço muito ao Espírito por tudo que fez, faz e ainda fará em minha vida e por nunca desistir, afinal, Ele é o paracletos que veio para ser o representante de Cristo em minha vida. Concordo plenamente com você, a Palavra seja o nosso juízo!

            Deixo um texto para nossa reflexão, texto este, escrito muito tempo antes de existir a Igreja Católica Apostólica Romana:

            “E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, a fim de que esteja para sempre convosco”. João 14:16

            Só a título de informação, a palavra grega outro aqui é heterós e a palavra Consolador é parákletos, Cristo estava dizendo que iria rogar ao Pai, que enviasse alguém como Ele, portanto, Eles são sim, três seres pessoais distintos!

            Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus o Pai e a comunhão do Espírito Santo sejam com você (2 Coríntios 13:13). Encerro aqui as minhas colocações.

            Um forte abraço.



  • ROOSEWELT LEITE MOREIRA em 22 de fevereiro de 2014 0:01

    As vezes somos tentados a não entender .Mas apenas a aceitar o que não entendemos. porque para onde iremos nos se só tu tens palavra de vida eterna .



  • Renato em 22 de fevereiro de 2014 0:50

    Caro prof. Leandro Quadros, em uma de suas respostas no último programa, o senhor chamou de analfabeto funcional aqueles que leem Mateus 23:23:24 e não conseguem entender do jeito como o senhor entende. Pois é, sou evangélico, graduado,pós-graduado e professor universitário e segundo o senhor, sou um analfabeto funcional. Lembre-se que em textos bíblicos não é a letra que instrui e sim o Espírito Santo de Deus. No meu entendimento, o sr. Jesus repreendeu os fariseus, pois nem eles e ninguém cumpria a totalidade dos mandamentos, assim também disse Pedro, que nem eles ou seus pais cumpriram toda a lei. Nessa passagem é obvio que os fariseus dizimavam e deveria continuar, pois ainda estavam debaixo da lei naquele período de transição até a morte do senhor na cruz. Por essa razão Jesus diz “deveis fazer essas coisas sem esquecer as demais”. Quanto a dízimo de presente, o senhor disse que verifica quanto custa o presente que ganhou, calcula o dízimo… pois é, se o senhor ganhar ou herdar uma ferrari ou um avião de um parente, vai ficar difícil dar o dízimo e ficar com o presente sem vender, não é…. Quanto a justificativa de que os que pregam o evangelho que vivam do evangelho (e isso justificaria, segundo o senhor, cobrarem o dízimo nas igrejas), significa viver em tudo o que implica viver do evangelho, como por exemplo, quando o sr. Jesus orienta aos discípulos que deveriam sair em dois apenas com as sandálias nos pés, sem posses ou salários, quer dizer humildade, sem qualquer bem ou rendimentos. Viver do evangelho para a maioria dos pastores assalariados de hoje, é moleza, queria ver viver do Verdadeiro Evangelho. Bastam as ofertas para sustentarem a pregação do evangelho. Dízimo sempre foi relacionado a comida, confirmado pelo próprio sr Jesus, e eram para celebração com viúvas, pobres, levitas da época. Basta ler Deuteronômio, mas é só para quem não é analfabeto funcional…. viu.



    • Maiara Costa - Equipe em 25 de fevereiro de 2014 15:23

      Olá Renato!
      Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.
      O Leandro não disse que aqueles que pensam diferente dele são analfabetos funcionais, mas sim aqueles que tem a oportunidade de conhecer realmente o que a Bíblia tem a dizer, mas preferem permanecer na ignorância. Seria esse seu caso?

      A lei cerimonial não é o Pentateuco, mas sim leis ritualísticas que se encontram no Pentateuco.
      As leis cerimoniais (sacrifícios de cordeiros, holocaustos, observância de festas religiosas, etc) faziam parte da expiação do pecado; como Jesus veio, morreu na cruz e fez completa expiação pelos pecados da humanidade, tais leis cerimoniais que apontavam para Cristo e a expiação não mais precisam ser observadas.

      Jesus, “o cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo” (João 1:29) já pagou o preço pelo resgate humano. Quando Ele morreu na cruz, o véu do santuário rasgou-se em dois (Mc 15:38; Lc 23:45), dando testemunho assim de que não mais precisaríamos demonstrar fé no salvador através do sacrifico de animais.

      Já o mandamento do dízimo não foi abolido por Cristo, pois não era uma lei cerimonial. Lembremos que lei cerimonial é aquela cujos ritos têm a ver com a expiação dos pecados; como o dízimo não fazia parte da expiação dos pecados, o mesmo não pertencia à lei cerimonial.

      A devolução do dízimo baseia-se no princípio de que Deus é o dono de tudo e, como reconhecimento a isto, devolvemos a Ele 10% do que Lhe pertence. É uma questão de fidelidade a Deus e adoração a Ele. Deixar de devolvê-lo é o mesmo que roubar a Deus (Malaquias 3:8).
      Prova de que o sistema de dízimos e ofertas não foi abolido na cruz (além de não ser uma lei cerimonial) é o fato de ter sido aprovado por Cristo (Mateus 23:23) e pelo apóstolo Paulo (I Coríntios 9:13-14, etc.).

      Com o sistema de dízimos Deus tem por objetivo:
      1) Direcionar nossa adoração a Ele e nossas afeições;
      2) Desenvolver em nós um coração voluntário, sem egoísmo, que aprenda a repartir com os outros as bênçãos que Ele nos dá;
      3) Pregar o evangelho a fim de que Jesus possa voltar o mais rápido possível para nos buscar e terminar com todo o mal.

      Vejamos um estudo elaborado pelo Pastor Roberto Roncarolo sobre esta questão:

      “Se a lei cerimonial foi abolida na cruz do calvário, porque não ficou abolida a ordenança do dízimo?”

      Pelas seguintes razões:

      1. Porque embora o dízimo tenha sido incorporado à legislação levítica, sua prática data desde os tempos dos patriarcas e “baseia-se em um princípio tão duradouro como a lei de Deus”: o reconhecimento de Deus como Criador, Senhor e único dono de todas as coisas. Por isso, ainda antes do pecado, o princípio do dízimo estava implícito no ato de não comer o fruto proibido. Dessa forma, sua instituição e princípio reitor são muito anteriores ao código levítico e em nenhum sentido fez parte da lei cerimonial nem esteve, em conseqüência, entre as “sombras” que deveriam desaparecer com a morte do Senhor. Abraão deu os dízimos a Melquisedeque muito antes de ser dada a lei cerimonial. (Gênesis 14:20; Hebreus 7:14).

      2. Porque nunca foi uma medida de contribuição levítica dentro do grupo de leis civis que Deus deu a Seu povo no Sinai. Pelo contrário, sempre foi uma responsabilidade ou dever religioso, que Deus colocou e coloca até hoje diante de Seus filhos, para seu próprio bem espiritual e destinado a um fim sagrado.

      3. Porque expressando-se por meio do dízimo, o princípio imutável do reconhecimento de que Deus é o Criador, Senhor e dono de tudo, sua vigência vai além da validez temporal da lei cerimonial hebréia, estendendo-se desde a cruz até ao fim do tempo. “Esse sistema foi uma bênção ao povo judeu, do contrário o Senhor não lho haveria dado. Assim será igualmente uma bênção aos que o observarem até ao fim do tempo”.

      4. Porque enquanto Deus tiver um povo neste mundo, Ele não cederá seus direitos de dono e espera esse reconhecimento da parte de Seus filhos através da ordenança do dízimo. “Tal (referindo-se à experiência de Abraão e de Jacó ao darem o dízimo) era a prática dos patriarcas e profetas antes do estabelecimento dos judeus como nação. Mas quando Israel se tornou um povo distinto, o Senhor lhe deu definida instrução sobre esse ponto. ‘Todas as dízimas do campo, da semente do campo, do fruto das árvores, são do Senhor: santas são ao Senhor’. (Levíticos 27:30). Essa lei não deveria caducar com as ordenanças e ofertas sacrificais que tipificavam a Cristo. Enquanto Deus tiver um povo na Terra, Suas reivindicações sobre eles serão as mesmas”.

      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.



    • Osmar Ferreira em 28 de fevereiro de 2014 22:58

      Renato , a Palavra de Deus em Malaquias 3:8,9 está afirmando que Seu povo O estavam roubando nos dízimos e nas ofertas. E, a mesma Palavra de Deus declara que ladrão na vai para o céu (1 Coríntios 6.9,10). Veja você, que o Senhor Jesus deixou claro que não devemos negligenciar ou omitir o dizimo (Mat.23:23). Portanto, dizimar ou não, tem haver com o estado do coração da pessoa ou do conhecimento acerca do assunto biblicamente falando. Um coração em que Jesus habita, não tem dificuldade de declarar que: “Para nós o dízimo não é obrigatório, mas sim uma resposta ao amor e gratidão ao Deus que é o dono de toda a Terra e todas as nossas coisas (Salmo 24:1), e que nos dá a força para trabalharmos e tirarmos o nosso sustento”.
      Agora, um coração onde o egoísmo habita, certamente terá dificuldade em devolver o dizimo. Na verdade acha que o dizimo é dele e não de Deus. Logo, é classificado pela Palavra de Deus, como ladrão por reter o que não lhe pertence.
      Quanto a sua declaração de que eles estavam “debaixo da lei naquele período de transição até a morte do senhor na cruz!. Por essa razão Jesus diz “deveis fazer essas coisas sem esquecer as demais”., para tentar justificar a negligencia do dizimo ou desqualificar a verdade bíblica de que o dizimo pertence a Deus por isso deve ser devolvido, deixou bem claro que realmente você é analfabeto funcional. E, quanto aos seus diplomas graduação e pós graduação, o diabo também é, e está totalmente perdido. Por falar em perdido(mas não no sentido de salvação), você está completamente, é so comparar sua postagem com a resposta da Maiara Costa – Equipe .
      Osmar Ferreira-nadanospodemoscontraverdade@bol.com.br



  • Karen de Mello em 24 de fevereiro de 2014 15:02

    Oi de novo, hehe. Obrigada pelas respostas, Maiara! Aqui não é bem o local certo para essa pergunta, mas eu gostaria de saber o que significa isso que Cristo disse (não lembro o cap e o versiculo…:( ): Tudo que for ligado na Terra, será ligado no céu e tudo que for desligado na Terra, será desligado no céu. O que Ele quis dizer com isso?

    Outra coisa, minha mãe tem o dom da profecia, ela ora bastante, mas não tem tempo de ler a bíblia. Ela come carne de porco e gordura, e fuma. A bíblia não permite nenhuma dessas coisas e diz que há caminhos que pro homem parece direito mas no fim conduz a morte. Tenho medo de que ela esteja no caminho errado… 🙁

    Mais uma, hoje em dia, o diabo tem forjado muitas coisas como se fosse Deus. Como saber se minha vida é dirigida por Deus ou se é pelo diabo?

    E a última: sempre que estou muito preocupada com alguma coisa, eu sonho como se Deus estivesse me acalmando. Aí ás vezes é por sonho e ás vezes é por Ele usando alguém para falar. Será que quem está falando é o diabo se passando por Deus? Como saber isso?



    • Maiara Costa - Equipe em 25 de fevereiro de 2014 11:40

      Olá Karen!
      Disponha.

      Vamos as respostas de suas perguntas:

      1) O que Jesus quis dizer com o texto de Mateus 18:18: “Tudo que for ligado na Terra, será ligado no céu e tudo que for desligado na Terra, será desligado no céu”.

      Esse texto estimada amiga nos mostra que a igreja de Cristo teria autoridade para disciplinar os seus membros e até mesmo removê-los da comunhão se preciso fosse, pela própria conduta e procedimento desse membro (Mateus 18:15-17), contudo, a forma como a igreja deve tratar o errante, deve ser a mesma que o reino do céu trata, pois toda a disciplina tem por objetivo a salvação (Hebreus 12:10,11). Esse é o assunto que Cristo está tratando ali com seus discípulos.

      2) É possível ter o dom profético, mas não viver com o estilo de vida de acordo com a Palavra de Deus?

      Precisamos compreender primeiramente o que é o dom profético na Bíblia!

      Se nós saíssemos pelas ruas da cidade e fizéssemos uma pesquisa, perguntando o que é um profeta, o que as pessoas diriam?

      Certamente a maioria das pessoas, dentro e fora da igreja, diria que profeta é alguém que tem a capacidade de prever o futuro. Mas será realmente isso?

      Quero lhe dizer que “prever o futuro” pode fazer parte do trabalho de um profeta, mas não é algo indispensável, nem sua principal atividade, embora grande número de profetas tenha anunciado algo por vir.
      A palavra hebraica para profeta é Nabi que significa o que fala por outro ou porta voz, anunciador. Essa palavra ocorre mais de 300 vezes no Antigo Testamento.

      A palavra grega para profeta é prophetes que significa aquele que fala antecipadamente ou abertamente, proclamador da mensagem divina, um intérprete dos oráculos de Deus, a pessoa em quem o Espírito Santo descansa (Números 11:17-29), alguém, a quem e por quem Deus fala (Números 12:2).

      A palavra profecia do grego propheteia significa a declaração da mente e do conselho de Deus, é a declaração do que não pode ser conhecido por meios naturais, é a descrição antecipada da vontade de Deus, quer com referência ao passado, presente ou futuro.
      Essa era a principal atividade de um profeta: ser porta voz de Deus, Seu mensageiro.

      Quais as características de um profeta verdadeiro?

      a. 1 João 4:1,2- O verdadeiro profeta ensina que Jesus era de fato um ser humano
      Esse teste exige mais que um simples reconhecimento de que Jesus Cristo viveu sobre a Terra. O verdadeiro profeta deve confessar o ensinamento bíblico da encarnação, Divindade e pré existência, nascimento virginal, verdadeira humanidade, vida sem pecado, sacrifício expiatório, ressurreição, ascensão, ministério intercessor e segundo advento.

      b. Mateus 7:15-23- O verdadeiro profeta produz bons frutos
      Esse conselho é crucial ao se avaliar a reivindicação do profeta. Em primeiro lugar vem a vida do profeta. A vida do profeta deve ser caracterizada pelo fruto do Espírito (Gálatas 5:22,23), não pelas obras da carne (Gálatas 5:19-23). Em segundo lugar, esse princípio diz respeito à influência do profeta sobre os outros. Quais os resultados observáveis na vida daqueles que aceitam as mensagens? Porventura as mensagens do profeta habilitam o povo de Deus para missão e o unem em sua fé (Efésios 4:12-16)?

      c. Deuteronômio 18:21,22- As predições do verdadeiro profeta se cumprem
      Embora as profecias possam representar uma parcela relativamente pequena da mensagem profética, a sua exatidão deve ser demonstrada.

      d. Jeremias 28:1-9; 28:15-17; Isaías 8:20- A mensagem do verdadeiro profeta se harmoniza com todas as mensagens que Deus enviou anteriormente através dos outros profetas.
      Esses textos implicam que a mensagem do qualquer profeta deve estar de acordo com a lei e o testemunho de Deus, manifestados ao longo de toda a Bíblia. Um profeta posterior jamais deverá contradizer um profeta anterior. O Espírito Santo jamais contradiz o Seu próprio testemunho anteriormente concedido, pois em Deus não pode existir variação ou sombra de mudança (Tiago 1:17).

      e. Daniel 10:7-10- Algumas vezes as visões eram acompanhadas por certas alterações no corpo do profeta.
      Enfraquecimento geral
      Fortalecimento (Daniel 10:18,19)
      Ausência de respiração (Daniel 10:17)
      Êxtase, com os olhos bem abertos (Números 24:3,4,15 e 16)

      No êxtase, o profeta não vê nem ouve o que se passa ao seu redor, mas permanece de olhos bem abertos e atento somente ao que Deus está lhe mostrando. É semelhante ao que ocorre conosco quando temos um sonho, pois permanecemos em nosso quarto, mas não temos a consciência do que se passa ao nosso redor. Essas manifestações físicas aconteciam algumas vezes, quando o profeta estava em visão, para que as pessoas presentes pudessem crer que havia um poder sobrenatural atuando sobre o profeta e, assim, tivessem fé.

      Toda a pessoa que reivindica possuir o dom de profecia, deve ser submetida a tais testes. Se enfrentar positivamente todos eles, podemos ter a confiança de que efetivamente o Espírito Santo concedeu a ela o dom de profecia.

      Com relação à carne de porco e o fumo, sabemos pelas Sagradas Escrituras que esse tipo de alimento e narcótico não é permitido por Deus para consumo (Levítico 11; Deuteronômio 14; Isaías 65:2-4; 66:15-17). Sua mãe deve compreender pela Bíblia que o corpo dela é o templo do Espírito Santo e desta forma deve ser muito bem cuidado (1 Coríntios 3:16,17; 6:19,20).

      3) Como saber se minha vida é dirigida por Deus ou pelo diabo?

      Pela sua forma de se comportar saberá se está sendo dirigida por Deus ou pelo inimigo (Mateus 7:16; Gálatas 5:19-23), outro ponto importante, Deus jamais vai te conduzir para fazer algo de errado. Sendo assim, avalie como tem se comportado e leia esses textos bíblicos que a ajudarão a saber quem está tendo o controle de sua vida. Em relação se os seus sonhos ou as pessoas que vem falar a você são usadas por Deus ou não, você deve observar se essas mensagens estão em conformidade, harmonia com a Palavra (a Bíblia) ou não, se houver algo que não está de acordo com o que Deus deixou escrito na Bíblia, então não pode vir dEle, pois Deus não entra em contradição com o que inspirou a escrever.

      Que a Bíblia Karen seja sempre o seu guia, pois ela é uma lâmpada que não nos deixa andar no escuro (Salmo 119:105).

      Despeço-me com um texto para reflexão:

      “Jovens, eu lhes escrevi, porque vocês são fortes, e em vocês a Palavra de Deus permanece e vocês venceram o Maligno”. 1 João 2:14

      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.



  • Edilberto Ribeiro de Souza em 24 de fevereiro de 2014 18:27

    Boa tarde Maiara, preciso saber quais significados tem a palavra “espírito”, Não o Santo…..



    • Maiara Costa - Equipe em 25 de fevereiro de 2014 10:35

      Olá Edilberto!
      Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.

      • Alma é traduzida como: vida (Gênesis 9:4,5; 35.18; Salmo 31:13), pessoa (Gênesis 14:21; Deuteronômio 10:22; Atos 27:37), cadáver (Números 9:6); apetite (Eclesiastes 6:7) coração (Êxodo 23:9) ser vivente (Apocalipse 16:3) pronomes pessoais (Salmo 3:2; Mateus 26:38). A palavra “alma” aparece na Bíblia aproximadamente 1600 vezes e em nenhum caso refere-se a uma entidade imaterial com imortalidade e que sobreviva fora do corpo.

      • Espírito pode ser traduzido como: vento (respiração – Gênesis 8:1), espírito (no sentido de alento, ânimo – Juízes 15:19), atitude ou estado de espírito (Romanos 8:15; 1 Coríntios 4:21), sopro ou hálito de Deus (2 Tessalonicenses 2:8) consciência individual (1 Coríntios 2:11, primeira parte). O termo também é usado para se referir a seres pessoais: anjos e demônios (Hebreus 1:14; 1 Timóteo 4:1); a Cristo (1 Coríntios 3:17 ) a Divina natureza de Cristo (Romanos 1:4), à Terceira Pessoa da Trindade (Romanos 8:9-11; 1 Coríntios 2:8-12 ); a Deus Pai (João 4:24) e a pessoas vivas (Hebreus 12:22, 23).

      Interessante é que em nenhum momento nas Sagradas Escrituras alma e espírito são sinônimos de uma entidade imaterial pensante que sobrevive fora do corpo após a morte!

      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.



  • Edilberto Ribeiro de Souza em 25 de fevereiro de 2014 13:12

    Olá Maiara, muito obrigado pelo o esclarecimento



  • Luís em 5 de março de 2014 18:33

    Olá Luís,
    Osmar Ferreira resposta para seu comentário em Soberania Divina ou Tirania divina?:

    Luís , a Palavra do ETERNO em Malaquias 3:8,9 está afirmando que Seu povo O estavam roubando nos dízimos e nas ofertas. E, a mesma Palavra do ETERNO declara que ladrão na vai para o céu (1 Coríntios 6.9,10). Veja você, que o UNGIDO deixou claro que não devemos negligenciar ou omitir o dizimo (Mat.23:23). Portanto, dizimar ou não, tem haver com o estado do coração da pessoa ou do conhecimento acerca do assunto biblicamente falando. Um coração em que o UNGIDO habita, não tem dificulda de dizimar e de declarar que: “Para nós o dízimo não é obrigatório, mas sim uma resposta ao amor e gratidão ao Deus que é o dono de toda a Terra e todas as nossas coisas (Salmo 24:1), e que nos dá a força para trabalharmos e tirarmos o nosso sustento”. Agora, um coração onde o egoísmo habita, certamente terá dificuldade em devolver o dizimo. Na verdade acha que o dizimo é dele e não do ETERNO. Logo, é classificado pela Palavra do ETERNO, como ladrão por reter o que não lhe pertence. Osmar Ferreira-nadanospodemoscontraverdade@bol.com.br
    QUE A PAZ DO ETERNO ESTEJA SOBRE NÓS!
    Maiara, recebi este comentário no e-mail, vou comenta-lo por aqui!
    Com relação a Malaquias 3,8-9, se o texto for lido da forma que é, e não transportando para este tempo, fica claro que foi uma PALAVRA dirigida ao povo de “ISRAEL”, que inclui também os sacerdotes levitas. Se a gente analisar o texto do versículo 6 ao 12, veremos claramente que foi um texto dirigido aos filhos de Jacó. No versículo 12 está escrito: “Todas as nações vos proclamarão felizes, porque sereis uma terra de delícias, disse YHWH dos Exércitos”! Terra de delícias, referente aos alimentos que “ISRAEL” produziria, se o povo, inclusive os sacerdotes, não desviassem a porcentagem que foi estabelecido em Levíticos 27, pelo próprio CRIADOR! Este texto pede que seja levado ao templo de pedra, todo o dízimo, este templo de pedra, não existe mais e no seu lugar está construída a mesquita de Omar, o dízimo constituído pelo CRIADOR sempre foi alimento, para que seu propósito fosse cumprido, o dízimo em dinheiro, é uma forma Greco Romana de impor um fardo as ovelhas! Em Mateus 23,23, o UNGIDO se dirige aos escribas e fariseus, e mais uma vez é declarado nas ESCRITURAS, que dízimo é alimento e não dinheiro! (GOSTARIA DE SABER, ONDE ESTÁ ESCRITO QUE OS DISCÍPULOS, DEPOIS QUE COMEÇARAM A SEGUIR O UNGIDO, PAGARAM DÍZIMO. E ONDE ESTÁ ESCRITO QUE O UNGIDO PEDIU PARA SEUS SEGUIDORES PAGAREM O DÍZIMO? LEMBRANDO, DÍZIMO!) E é claro, que sei que tudo é do CRIADOR, e que ELE tudo criou, tudo que vemos, e o que não vemos! O que se deve ensinar, é que cada um de nós, ajude a quem precisa, da forma que puder, seja com alimento, com água, com roupas, com algo que realmente seja útil para a vida do próximo! E que todos os que seguem ao UNGIDO, seja ovelha, ou um estudioso, que todos preguem a BOA NOVA e anuncie onde estiverem que temos um SALVADOR, que deu sua vida por nós no madeiro!
    FIQUEM NA PAZ DO NOSSO REDENTOR!



    • Osmar Ferreira em 14 de março de 2014 22:26

      Luiz você escreveu que “o dízimo constituído pelo CRIADOR sempre foi alimento, para que seu propósito fosse cumprido”. Contudo, você deixou de comentar que só foi em alimento quando o dinheiro não era necessário e não porque era proibido, que o dizimo em dinheiro não era pecado ou que dizimo em dinheiro não cumprisse seu propósito como insinua os inimigos da verdade. Observe essa verdade em Deut. 14:24, 25, 26. É incontroverso para aqueles que crêem no UNGIDO como diz as Escrituras(João 7:38,39) que tanto Abraão quanto Jacó não só tinham gado, ovelhas, mas também ouro ou dinheiro da época e a declaração bíblica é que em “E DETUDO LHE DEU ABRAÃO O DIZIMO” (Gen. 14:20), “E, DE TUDO QUANTO ME CONCEDERES, CERTAMENTE EU TE DAREI O DIZIMO” (Gen. 28:22). Portanto, me desculpe pela franqueza, mas a declaração de que “o dízimo em dinheiro, é uma forma Greco Romana de impor um fardo as ovelhas!” É uma declaração diabólica. Em Malaquias 3,8-9, o ETERNO deixa claro que há roubo em dízimos e ofertas e o UNGIDO elogiou a oferta em dinheiro da viúva pobre. Você também que fazer crer que em Mateus 23:23 o UNGIDO está dizendo que dizimo é exclusivamente alimento, quando na verdade a Palavra do ETERNO ( que o UNGIDO declarou que ELA não pode ser anulada – João 10:35) em Deuteronômio 14: 24,25 e 26 fala em dizimo em dinheiro. Portanto, seus argumentos mostram que você não tem conhecimento sobre o assunto ou vem de espírito imundo.

      Quanto aos discípulos do UNGIDO, faço questão de ressaltar que em Atos 2: 41 e 42 que os foram batizados e receberam sua palavra perseveraram na doutrina dos apóstolos. E, a doutrina dos apóstolos nada mais é senão a ESCRITURAS (QUE O UNGIDO DECLAROU QUE NÃO PODE ANULADA E QUE DA TETEMUNHO DELE -João 5:39 E João 10:35) E A PALAVRA DO UNGIDO CONFORME ESTÁ EM JOÃO 2:22-JOÃO 7;38,39- JOÃO 8; 51. PALAVRA DO UNGIDO QUE INCLUIU Deuteronômio 14: 24,25 e 26. Sem falar que no livro de Atos nos é informado que os cristãos vendiam as suas propriedades e bens, distribuindo os produtos entre todos e aos pés dos apóstolos(Atos 2:45 e 4:36,37).
      Como se vê, Luiz seus argumentos mostram que você não tem conhecimento sobre o assunto ou vem de espírito imundo.
      Osmar Ferreira-nadanospodemoscontraverdade@bol.com.br



  • Jeferson em 11 de março de 2014 20:48

    Professor Leandro Quadros, com todo respeito, mas o senhor está errado ao dizer que essa é a crença calvinista. Na verdade, isso daí é obra dos Hiper-calvinistas, eles sim, são os culpados de passarem essa visão de um Deus tirano. Por favor, reveja os conceitos citados.



    • alcindo rogalski em 13 de março de 2014 16:01

      sei que voçe tem leitura, [letra] só lhe falta compreençaõ das coisas de DEUS, pois está taõ esplicada , por que ir contra a palavra? , mas saiba que é espada de dois gumes,



    • alcindo rogalski em 13 de março de 2014 16:18

      esta tão bem esplicado,jeferson, onde há erro ai,todos que torcem a verdade responderão por ela, a mira da verdade é para conhece~la ou para tentar destrui~la.



  • Daniel em 15 de março de 2014 11:01

    quando a pessoa te levanta uma calunia de uma coisa que voce nao fez e melhor calar ou chegar ate ela e esclarecer sabendo que ela vai inventar mais coisa por que ela nao tem Jesus no coração o que Jesus fala sobre isso na Biblia.Nos devemos afastar por que não e a primeira vez que ela apronta devemos perdoar novamente ou dar uma lição como afastar.



    • Maiara Costa - Equipe em 17 de março de 2014 14:45

      Olá Daniel!
      Satisfação poder manter contato com você.
      Trate essa pessoa com a mesma graça que Jesus te trata (Mateus 5:43-48).

      Deixo um texto para reflexão:

      “Sejam bondosos e compassivos uns para com os outros, perdoando-se mutuamente, assim como Deus os perdoou em Cristo”. Efésios 4:32

      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.



  • Luís em 1 de abril de 2014 20:50

    QUE A PAZ DO ETERNO ESTEJA SOBRE TODOS NÓS!
    Osmar ferreira, que o CRIADOR te perdoe, por afirmações de quem não conhece o interior dos seres humanos, o ESPÍRITO que habita em mim, é o ESPÍRITO da VERDADE! “Basta ao discípulo ser como seu mestre, e ao servo como seu senhor. Se chamaram Belzebu ao pai de família, quanto mais aos seus domésticos?” (Mateus 10 : 25) Sua visão da questão dízimo é humana, e quem anula a PALAVRA é a sua pessoa, quando diz que dízimo pode ser dinheiro (lembrando que o dízimo foi constituído para os levitas, membros da família de Levi, é o que está escrito!!!!!!!)! Se eu seguisse palavras de espírito imundo, como você disse, eu estaria fundando uma denominação ou participando de uma que impõe este fardo as ovelhas! E MAS UMA VEZ, QUE O ETERNO ATE PERDOE! SUAS PALAVRAS SÓ ME TRAZEM ALEGRIAS, QUANDO VOCÊ DIZ QUE EU FALO POR MEIO DE espírito imundo, POIS AS ESCRITURAS, POR MEIO DO MEU REDENTOR DIZ: “Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo o mal contra vós por minha causa.” (Mateus 5 : 11) SHALOM PARA TODOS OS QUE ESTÃO NO CAMINHO!



  • Francisco em 7 de outubro de 2014 19:36

    Argumentação boa, porém inconsistente, parece mais um desabafo do que uma exposição e um posicionamento bíblico. Faltaram bases bíblicas consistentes, e estes apresentados em em choque com uma centena de outros.