doe agora TV TV
INÉDITO:
  • SEG21:00
REPRISES:
  • DOM04:00
  • TER07:30
  • QUI09:00
  • SAB17:00

Só o Pai é Deus? De maneira alguma! (João 17:3)


 

JesusCristoJoão 17:3 afirma que Deus Pai é o único ser absolutamente divino? Não é isso o que o texto diz. Leiamos:

“E a vida eterna é esta: que te conheçam a ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste”.

Alguns têm usado essa declaração de Jesus para negar a absoluta divindade de Cristo, tão bem definida em Isaías 9:6, que O chama de “Pai da Eternidade”; em Atos 3:15, que o qualifica como “Autor da Vida”; e tão claramente definida (entre muitos outros textos) em Colossenses 2:9, onde Jesus é apresentado como um ser absolutamente divino em quem “habita, corporalmente, toda a plenitude da Divindade”.

Todavia, se em João 17:3 Cristo estivesse dizendo que o Pai é “o único Deus verdadeiro” em comparação com Ele mesmo, teríamos de supor que Cristo é um deus falso. Percebe o grande problema? Cristo estaria depondo contra si mesmo, pois a Bíblia diz que Ele é Deus (Jo 1:1-3; Rm 9:5). Não tem como a Bíblia chamá-Lo de Deus e Ele mesmo afirmar que só o Pai é verdadeiro (e Ele, Jesus, falso), entende? Deus sempre será a verdade (Jr 10:10) e Cristo faz parte dessa divindade que é a verdade (ver Jo 14:6).

Em sua oração sacerdotal em João 17, Jesus não está contrastando Sua natureza com a do Pai, e sim contrastando a natureza divina do Pai com os falsos deuses pagãos. Ele está focando “a necessidade de as pessoas reconhecerem o único Deus verdadeiro em oposição aos ídolos e outros falsos deuses”, e também enfatiza nesse texto “a necessidade de reconhecê-Lo como meio de Salvação”[1].

Quando a Bíblia compara a Jesus com o Pai, ela não apresenta apenas Deus Pai como Deus Verdadeiro. Veja o que o mesmo autor do evangelho de João escreveu em sua 1ª Carta:

“Sabemos também que o Filho de Deus veio e nos deu entendimento, para que conheçamos aquele que é o Verdadeiro. E nós estamos naquele que é o Verdadeiro, em seu Filho Jesus Cristo. Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna (1Jo 5:20).

Note que nesse texto o apóstolo João chama a Jesus de Deus verdadeiro e fonte de vida eterna.

Por isso, os antitrinitarianos (os que são contra a doutrina da Trindade) não deveriam usar João 17:3 para negar a absoluta divindade de Jesus Cristo. Fazer isso é desrespeitar o texto bíblico e tirar dele uma ideia que não existe.

Além disso, noutro contexto, em João 10:30, quando Jesus comentou sobre Sua relação com o Pai, Ele se colocou no mesmo nível de Deus, ao ponto de quererem apedrejá-Lo por blasfêmia (Jo 10:31-33). Em João 10:30 Ele afirmou claramente que Ele e o Pai eram “um” no sentido de serem unidos tanto em amor quanto na essência divina (veja-se também Colossenses 2:9).

Esse conceito de unidade essencial entre as Três Pessoas da divindade combate qualquer tipo de politeísmo porque, ao contrário da doutrina bíblica da Trindade, que ensina existir Três Pessoas distintas que formam a divindade e que possuem a mesma essência (Mt 28:19; Jo 14:16; 2Co 13:13, etc), o politeísmo ensina existirem deuses com diferentes essências divinas e distintos poderes. Enquanto que a doutrina da Trindade iguala as Pessoas que formam a divindade, o politeísmo desiguala, apresentando um deus melhor e mais poderoso do que outro.

Desse modo, o conceito de Triunidade encontrado na Bíblia nada tem a ver com politeísmo, como afirmam alguns que estão desinformados em relação ao assunto.

 

DOIS TIPOS DE TEXTOS SOBRE JESUS

Algumas pessoas sinceramente não sabem (outros, ignoram) que na Bíblia há pelo menos dois tipos de versículos que tratam da natureza de Cristo. Precisamos considerá-los juntos, se quisermos aprender tudo aquilo que nos foi revelado sobre a Pessoa de Jesus na Bíblia.

Nas Escrituras encontramos textos que mostram o Salvador no mesmo nível que Deus Pai (Colossenses 2:9) e versos que O mostram numa condição inferior ao Pai (João 14:28).

– Os versículos que colocam a Cristo no mesmo patamar que as demais pessoas da divindade se referem a Ele em Sua natureza divina.

– Já os versos que apresentam a Jesus numa condição “inferior” se referem a Ele em Sua condição encarnada, na qual se encontra subordinado ao Pai.

Essa subordinação de Cristo é apenas funcional e não essencial. Devido à Sua encarnação, Ele assumiu uma função inferior ao Pai, limitando voluntariamente até mesmo a própria Onisciência (Mt 24:36). Porém, na sua essência como Deus, Cristo em nada difere do Pai, tanto que reassume totalmente Sua Onisciência após Sua ascensão: “[…] para que o coração deles seja confortado e vinculado juntamente em amor, e eles tenham toda a riqueza da forte convicção do entendimento, para compreenderem plenamente o mistério de Deus, Cristo, em quem todos os tesouros da sabedoria e do conhecimento estão ocultos”.

Resumindo, podemos dizer, como Geisler e Howe[2]:

Ilustração - Divindade de Cristo

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Espero que essas breves considerações tenham lhe ajudado. Caso queira se aprofundar ainda mais no estudo da doutrina da Trindade, recomendo umas poucas obras que lhe serão bastante úteis:

A Trindade: como entender os mistérios da pessoa de Deus na Bíblia e na história do cristianismo, de Woodrow Whidden, Jerry Moon e John W. Reeve. Pode ser adquirida com a Casa Publicadora Brasileira pelo site www.cpb.com.br ou pelo telefone 0800-979 0606.

A Doutrina do Espírito Santo no Antigo e Novo Testamento, de Stanley M. Horton. Esse material foi publicado em língua portuguesa pela Casa Publicadora das Assembleias de Deus (CPAD) e pode ser adquirido no site www.cpad.com.br

Evangelismo, de Ellen G. White. Nas páginas 613 a 617 ela apresenta declarações belíssimas sobre a divindade de Cristo e a personalidade e divindade do Espírito Santo. O material também é da Casa Publicadora Brasileira.

– A Teologia Sistemática de Norman Geisler também poderá ser bastante útil em sua pesquisa. No vol. 1, cap. 12, intitulado “A Unidade e a Trindade de Deus”, há inclusive uma seleção de textos que comprovam a identificação de Cristo com Javé do Antigo Testamento. Essa obra também pode ser adquirida através da CPAD.

Um abraço e que Deus lhe abençoe ricamente!

 

[www.leandroquadros.com.br/livros]

 

 


[1] Max Hatton, Understanding the Trinity (Alma Park Grantham, Linconlnshire, England: Autumn House, 2001), p. 78.

[2] Norman Geisler e Thomas Howe, Manual Popular de Dúvidas, Enigmas e “Contradições” da Bíblia (São Paulo: Mundo Cristão, 1999), p. 428.


Você está em : Textos difíceis
Compartilhe:


Comente



  • Eliene da Silva Oliveira em 1 de agosto de 2013 11:25

    Amo o Na mira da Verdade! estou sempre aprendendo coisa boa, entendendo mas a palavra do Senhor,tem coisa melhor? pra mim Não,A palavra de Deus nos fortalece cada dia mas e mais.



  • Virginia Chiaro em 1 de agosto de 2013 11:33

    Fale mais sobre a divindade do Espírito Santo.



    • Maiara Costa - Equipe em 1 de agosto de 2013 12:04

      Olá Virginia!
      Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.
      O Espírito Santo é a maior bênção que um filho de Deus ou a igreja pode receber. Junto com ele vêm todas as demais bênçãos espirituais. O Espírito Santo constitui-se a terceira pessoa da trindade, e é o representante pessoal de Deus Pai e de Jesus Cristo. É Ele quem opera no coração para abrandá-lo e mostrar-lhe sua necessidade. Sem ele não se converteria uma só pessoa.

      Como podemos ter certeza de que o Espírito Santo é um ser real? Qual sua influência na vida das pessoas? Como podemos ter sua presença em nossa vida? Antes de estudarmos sobre o Espírito Santo, vejamos alguns textos bíblicos que comprovam a doutrina da trindade:

      Mateus 28:19 – “Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo”. Na forma batismal, Jesus ensinou os discípulos a batizarem em nome de três pessoas. No batismo de Jesus, temos uma grande evidência sobre a existência do Espírito Santo: “Batizado Jesus, saiu logo da água, e eis que se lhe abriram os céus, e viu o Espírito de Deus descendo como pomba, vindo sobre ele. E eis uma voz dos céus que dizia: “Este é o meu filho amado, em quem me comprazo”. Você percebeu? Ao Jesus ser batizado, o Espírito Santo desceu em forma de pomba sobre seu ombro (isto simboliza a aceitação e aprovação de Deus ao ato de Cristo batizar-Se), e o Pai falou lá do Céu, ou seja: Dois estavam aqui embaixo e Um em cima no Céu!

      2 Coríntios 13:13 – “A graça do Senhor Jesus, e o amor de Deus, e a comunhão do Espírito Santo sejam com todos vós”. Neste verso, o apóstolo abençoou os coríntios em nome da Trindade.

      Qual o papel respectivo das três pessoas da Trindade?

      Deus Pai – É o princípio e absoluto, o iniciador, o grande doador (Ver Gênesis 1:1,26; Apocalipse 4:11; 1 Coríntios 8:6; 1 Pedro 1:1,2; João 3:16, 6:37,44,65; Romanos 8:28-30; Efésios 1:19,20; Atos 2:23, etc.). Ele é nosso Pai celestial (Mateus 6:6-9) e por Jesus Cristo criou todas as coisas (Hebreus 1:1-3; Colossenses 1:16-18)

      “Graça e paz a vós outros da parte de Deus, nosso Pai e do Senhor Jesus Cristo” (Filipenses 1:2)

      Deus Filho – É o criador (pela Sua palavra), o porta-voz, o Messias; o Rei, o Profeta, o sacrificador, o executor, o realizador, a vítima voluntária, o mediador (João 1:1-3; Colossenses 1:16; Hebreus 1:2,3; Apocalipse 3:14; João 6:44; 12:32; 1 Coríntios 8:6; Romanos 6:23; 1 Pedro 1:1,2; 1 Coríntios 1:30; Atos 4:12; 1 Timóteo 2:5, etc.) Jesus existia antes de Sua encarnação(João 8:57 e 58), antes que o mundo existisse (João 17:5). Ele existe desde a eternidade (Miquéias 5:2; Apocalipse 1:8, 11 e 17, etc.)

      “… e estamos no verdadeiro, em seu filho, Jesus Cristo. Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna” (1 João 5:20)

      Deus Espírito Santo – É o intermediário, o consolador que esclarece e santifica, o continuador (Gênesis 1:2; João 14:26, 16:7-11; 1 Coríntios 8:6; 1 Pedro 1:1,2, 3:18, etc.) Foi Ele quem inspirou os profetas a escreverem a Bíblia Sagrada (2 Pedro 1:20 e 21). Jesus disse que o Espírito Santo seria nosso “consolador” (João 14:16-18; 16:7). O termo grego traduzido por “consolador” quer dizer defensor, auxílio, amparo, advogado. Isto mostra-nos que Ele é mais um consolador e que não é diferente daquele a que substitui. Ele tem os mesmos poderes de Cristo ressuscitado; pode agir em toda a parte e ao mesmo tempo, sem estar limitado nem ao tempo nem ao espaço.

      “Quando te desviares para a direita e quando te desviares para a esquerda, os teus ouvidos ouvirão atrás de ti uma palavra, dizendo: Este é o caminho, andai por ele”. (Isaías 30:21).

      Em Gênesis 1:1-3, temos uma das provas mais conclusivas sobre a existência da Trindade: “No princípio, criou “Deus” o céu e a terra. A terra, porém, estava sem forma e vazia: havia trevas sobre a face do abismo, e o Espírito de Deus pairava sobre as águas. Disse Deus: Haja luz; e houve luz.”

      A palavra hebraica para “Deus” neste texto é Elohim. Esta palavra é uma forma “PLURAL” usada para descrever Deus. Gênesis 1: 26 comprova isso ao Deus dizer: “Façamos o homem á nossa imagem, conforme a nossa semelhança…” Vemos claramente que a divindade é composta por mais de uma pessoa.

      No verso 2, lemos: “…o Espírito de Deus pairava sobre as águas…” Podemos perceber que o Espírito Santo estava “presente” na criação.

      O Espírito Santo é uma pessoa, e não uma mera influência. A própria Bíblia diz ser ele Deus (Atos 5:3,4). Em 2 Coríntios 3:17, Ele é chamado de Senhor .

      Um grande número de textos apresenta-nos o Espírito Santo como possuindo características de um ser vivo, real. Vejamos:

       Fala (1 Timóteo 4;1);
       Ensina (1 Coríntios 2:13);
       Testifica (Romanos 8:16);
       Intercede (Romanos 8:26);
       Reparte os Dons (1 Coríntios 12:11);
       Convida (Apocalipse 22:17);
       Entristece-se (Efésios 4:30);
       Pode ser resistido (Atos 7:51);
       Dá ordens (Atos 16:6,7);
       Ama (Romanos 15:30);

      É admitido geralmente que três qualidades particulares constituem a personalidade: a inteligência, a afetividade e a vontade. Uma personalidade normal possui a faculdade de raciocinar, amar e tomar decisões. E estas três qualidades são apresentadas pela Bíblia como pertencendo ao Espírito Santo!

      Como podemos ter o Espírito Santo em nossa vida ?

      • Pedi-lo em oração (Mateus 7:7-11; Daniel 6:10; Salmo 55:17);
      • Estudar a Bíblia (João 5:39);
      • Obedecer (João 14:15; Atos 5:32).

      Você gostaria de ter a maravilhosa companhia do Espírito Santo em sua vida? Então, peça a Jesus que Ele terá o maior prazer em enviar-lhe. Quando uma pessoa o recebe em sua vida, passa por uma transformação de caráter. Ele tem poder de libertar você de qualquer vício, de ajudar em qualquer situação. No momento que permitir que o Santo Espírito de Deus habite em seu ser, você desenvolverá os frutos do Seu caráter, que irão preparar você para viver dignamente neste mundo e também para herdar a vida eterna no Céu. Estes frutos são: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio (Gálatas 5:22 e 23).
      Gostaria de recomendar à você a leitura do livro: O Seu Amigo o Espirito Santo da editora CPB.
      Contato: 0800-979-06-06 ou cpb.com.br
      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira.



      • Tina em 22 de agosto de 2013 1:33

        Onde na Bíblia está numerado em primeiro,segundo e terceira pessoa?Se Jesus é a segunda pessoa,como dizem,pq Ele diz que é a primeira em Apocalipse Eu sou o Alfa e o Ômega, o princípio e o fim, o primeiro e o derradeiro.
        Apocalipse 22:13



        • Maiara Costa - Equipe em 2 de setembro de 2013 17:45

          Olá Tina!
          Isso é apenas uma questão didática para fins explicativos.
          Que Deus te abençoe grandiosamente.
          Um forte abraço.
          Equipe do Na Mira.



          • burt walker em 7 de abril de 2014 23:48

            Burt Responde: Interessante qudo Jesus veio a terra a luta dele e dos primitivos cristão era provar que ele ( JESUS ) era o filho de DEUS, hoje 2000 anos depois nada mudou, os CRISTÃOS VERDADEIROS continuam a luta (espiritual ), procurando de maneira simples mas verdadeira , mostrar que Jesus é o FILHO DE DEUS, Veja João 10:36, onde ele afirma que é “Filho de Deus´´,o que me entristece é que voces não são pessoas que não pesquisam a Biblia o que os torna mais condenaveis, pois perdem a exelente oportunidade
            estar entre os verdadeiros ADORADORES, que no tempo do fim estariam Adorando o Pai
            .e lembrem-se que quem falou isso foi o proprio Jesus, leia João 4:23, ele usa overbo adorar no tempo futuro, ja antecipando que em nossos dias estariam erroneamente adorando
            ele Jesus.Por isso que Paulo em 1º Corintios 8:6, “para nos (os cristãos verdadeiros), ha
            realmente um só Deus, o PAI, de quem procedem todas as coisas e nos para ele, e ha um só Senhor , Jesus Cristo , por intermedio de quem são todas as coisas e nos por intermedio
            dele´´, o texto é claro . DEUS É DEUS DE JESUS CRISTO , e em um unico versiculo Jesus
            chama DEUS 4 VEZES DE “ MEU DEUS´´, veja Apocalipse 3:12.
            Agora encerro,este breve comentario com uma pergunta :Quem é o DEUS de nosso Senhor
            Jesus Cristo, como Paulo chama e Efesios 1:17 ,??



          • Maiara Costa - Equipe em 8 de abril de 2014 9:58

            Olá Burt!
            Que a graça e a paz de nosso Senhor e Salvador Jesus esteja sempre em seu coração.

            O termo Filho de Deus conforme lhe foi apresentado em resposta anterior deve ser compreendido a luz da língua original em que foi escrito, e isso já lhe foi mostrado.
            Se Jesus não considerasse a Si mesmo como Deus, não teria aceitado adoração das pessoas e teria corrigido essa idéia “equivocada”. No entanto, Ele não o fez. Assim, temos poderosa evidência bíblica da divindade de Cristo.
            O apóstolo Paulo que você tanto menciona devia estar com sérios problemas quando escreveu os seus livros na Bíblia, pois por mais de uma vez ele se refere a Cristo como um Ser Divino (Romanos 9:5; Colossenses 1:16,17; 2:9; 2 Coríntios 13:13), dentre muitos outros textos.

            Se você quer continuar crendo em Cristo como uma criatura, sinta-se a vontade, você tem toda a liberdade para isso, entretanto, prefiro continuar crendo em Cristo como Deus Todo Poderoso, Criador e Redentor que Ele é!

            Despeço-me com um texto para reflexão:

            “Deles são os patriarcas, e a partir deles se traça a linhagem humana de Cristo, que é Deus acima de todos, bendito para sempre!Amém”. Romanos 9:5

            Que Deus te abençoe grandiosamente.
            Um forte abraço.



  • Roney em 1 de agosto de 2013 11:45

    Professor Leandro Quadros, achei um Vídeo no Youtube, que acho que não poderia ficar sem suas respostas,nao sei se aqui é o local correto para mostrar isso, mas é onde consegui. Se possivel, de uma resposta a esse Cidadão q nao sabe o que faz. Que Deus te Ilumine Sempre.Abraços



    • Maiara Costa - Equipe em 1 de agosto de 2013 15:58

      Olá estimado amigo Roney!
      Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.
      Muito obrigado por seu comentário.
      Encaminhei ao Leandro para que possamos analisar esse video e assim refutá-lo.
      Retiramos o link para que outras pessoas não compartilhem do erro.
      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.



  • vantuir em 1 de agosto de 2013 12:05

    Muito bom! Parabens



  • Oswaldo Cavalcante em 1 de agosto de 2013 12:05

    Se o autor de Hebreus, inspirado pelo Espírito Santo, afirmou de forma evidente no capítulo 1 versos 10 a 12 que Jesus é O próprio Senhor YHWH, Àquele que no princípio fundou a terra e fez os céus com Suas próprias mãos, mostrando que são para Cristo as exaltações do Salmo 102:25-27, quem sou eu para discordar! Pelo contrário: “que Todos os anjos de Deus O ADOREM” (Hb. 1:6).

    E para mostrar de vez que Cristo é igual ao Pai em Sua natureza, Isaías é claro como o rio da vida: “Assim diz o Senhor, o Santo de Israel, o seu Criador: … Fui eu que fiz a terra e nela criei a humanidade. MINHAS PRÓPRIAS MÃOS ESTENDERAM os céus; eu dispus o seu exército de estrelas. [Isaías 45:11,12]. Ora se Hebreus diz que foram as mãos de Cristo, então quem fala em Isaías é Jesus. Então, “que Todos os anjos de Deus O ADOREM” (Hb. 1:6), e que nós adoremos Jesus com eles! Amém!



    • Maiara Costa - Equipe em 1 de agosto de 2013 12:23

      Olá estimado amigo Oswaldo!
      Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.
      Muitíssimo obrigado por suas tão importantes considerações.
      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira.



    • Pollyanna em 28 de setembro de 2013 20:30

      Oswaldo Cavalcante, quanto ao que disse sobre a palavra traduzida como Senhor ser YHWH em Hebreus 1:10-12 tem forte indícios de não estar correto pois Hebreus foi escrito em grego, como todo novo testamento, e a palavra seria “kurios” usada até como título de respeito dentre muitos outros usos. Fonte: Nueva Concordancia Strong Exhaustiva.



      • Maiara Costa - Equipe em 7 de outubro de 2013 12:03

        Olá Pollyana!
        Muito obrigado por seu contato com o Programa Na Mira da Verdade.
        Acredito que o que o Oswaldo quis dizer não é que a tradução ali da Palavra Senhor estava em hebraico, pois nisso você está correta em seu comentário, mas sim que o autor de Hebreus estava se referindo a Cristo como o YHWH do Antigo Testamento, isso podemos confirmar alguns versos acima quando o próprio Pai chama Cristo de Jeová (versos 8,9).
        Que Deus te abençoe grandiosamente.
        Um forte abraço.
        Equipe do Na Mira



  • José Aparecido Silvério dos santos em 1 de agosto de 2013 12:22

    Fico muito agradecido, Professor Leandro Quadros, por mais este belíssimo esclarecimento e prá mim um ótimo aprendizado!!!
    Deus o ilumine para sempre.
    Att., José Aparecido – Brotas-SP



  • Tomé G. White em 1 de agosto de 2013 12:38

    OLÁ! Gostei do Artigo! Estou lendo apartir de Angola-Luanda, e esta semana acabei de ler o livro “A DIVINDADE DE CRISTO”de Leon Lienard, da publicadora Servir, e este artigo veio apenas apimentar o meu conhecimento. Já não me restam dúvidas de que Jesus é Deus todo podero.



    • Maiara Costa - Equipe em 1 de agosto de 2013 15:00

      Olá Tomé!
      Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.
      Que Deus seja louvado amigo.
      Que você continue crescendo na graça e conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo (2 Pedro 3:18).
      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira.



  • Jéfferson Marques em 1 de agosto de 2013 13:15

    Olá a Paz seja convosco irmãos, sempre gosto de entrar nesse blog de estudos bíblicos, realmente é uma benção. A Bíblia apresenta um Único Deus Verdadeiro, para mim Trindade não existe, pois não há base bíblica para isso.Creio em uma Só Pessoa, com manifestações diferentes, e não em três pessoas separadas com manifestações distintas. Jesus Cristo é o Deus Único e Verdadeiro o que acontece é que hora se apresentou como Pai na criação, como Filho na Redenção (Humanidade) e agora atua em nosso ,meio como Espírito Santo na consolação. Jesus o nosso Amado Deus e Querido Salvador. Deus os abençoe.



    • Maiara Costa - Equipe em 1 de agosto de 2013 16:05

      Olá Jéfferson!
      A teoria de que Deus manifestou-se em diferentes ocasiões de três modos diferentes chama-se modalismo . Vejamos se a Palavra de Deus dá margem para essa crença.
      “Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo” Mateus 28:19. “Quando vier, porém, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará as coisas que hão de vir.” João 16:13. “Tendo Jesus falado estas coisas, levantou os olhos ao céu e disse: Pai, é chegada a hora; glorifica a teu Filho, para que o Filho te glorifique a ti, assim como lhe conferiste autoridade sobre toda a carne, a fim de que ele conceda a vida eterna a todos os que lhe deste. E a vida eterna é esta: que te conheçam a ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste. Eu te glorifiquei na terra, consumando a obra que me confiaste para fazer; e, agora, glorifica-me, ó Pai, contigo mesmo, com a glória que eu tive junto de ti, antes que houvesse mundo.” João 17:1-5. “Batizado Jesus, saiu logo da água, e eis que se lhe abriram os céus, e viu o Espírito de Deus descendo como pomba, vindo sobre ele. E eis uma voz dos céus, que dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo.” Mateus 3:16-17.
      Na fórmula batismal registrada em Mateus 28:19 vemos que são mencionados três seres divinos e não meramente “Deus manifesto em três atributos”. “A construção da frase no grego deixa claro que Jesus está se referindo a três pessoas diferentes. Ele ensinou, sem margem de dúvida, a doutrina da Trindade” Jesus não estava dizendo para os discípulos batizarem “em nome dos três atributos de Deus”, mas em nome de três seres distintos, de forma que o batizando evidenciasse sua fé no Deus triúno.
      Outras evidências disto vemos nos textos subsequentes. João 16:13 afirma que o Espírito Santo “diria tudo o que tivesse ouvido”. É ilógico supormos que o Espírito Santo (“um dos atributos de Deus”) falasse acerca do que ele “ouviu de si mesmo”, “de seu outro atributo”. João 17:1-5 relata que Jesus levanta os olhos ao Céu, ora ao Pai e pede para que “seja glorificado juntamente com Ele”. De que modo Jesus poderia estar orando para Ele mesmo no Céu? Obviamente que Ele orava por ser glorificado na companhia de outro ser divino. Já o texto de Mateus 3:16-17 explica-nos que no momento em que Jesus foi batizado, o Espírito Santo desceu e o Pai falou lá do Céu. Se os títulos Pai, Filho e Espírito Santo fossem apenas três manifestações de Deus, como Jesus iria “descer sobre Ele mesmo” e “falar para Ele mesmo” de lá do Céu enquanto presente aqui na terra? Impossível!

      Deuteronômio 6:4 não contradiz a ideia de que a Divindade é composta por três Pessoas?
      “Ouve, Israel, o SENHOR, nosso Deus, é o único SENHOR.” Deuteronômio 6:4.
      Este verso de Deuteronômio, no qual se afirma que há “um único Senhor” de modo nenhum contraria a doutrina da trindade. A palavra hebraica para único (ou um) é echod e não indica uma “unidade absoluta” em muitas passagens bíblicas, mas uma “unidade composta”. Eis um exemplo: “Por isso, deixa o homem pai e mãe e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma (echod) só carne”. Gênesis 2:24. Se a palavra uma (echod) devesse ser interpretada com o sentido mencionado por alguns, então teríamos de admitir que Adão e Eva não eram duas pessoas também; apenas uma. Tal seria um disparate.
      Interessante é que se Moisés quisesse negar a existência de mais de um Ser na Divindade ele poderia ter usado (em Deuteronômio 6:4) ao invés de echod, a palavra yachid, que lhe era disponível, mas não o fez. Isto deve ser conclusivo para nós.
      Em Deuteronômio, afirmar que há um único Deus não nega a existência da trindade, assim com Gênesis ao afirmar que Adão e Eva eram ‘uma só carne’ não nega que eram ambos duas pessoas, uma unidade composta. Conquanto a Trindade seja um mistério, devemos aceitar a revelação bíblica para o nosso próprio bem.

      Não disse Jesus que “ele e o Pai eram um”?
      “Eu e o Pai somos um.”
      Especialmente dois termos neste versículo irão provar-nos que Deus Pai e Deus Filho são personalidades distintas. O e (kai) é uma conjunção aditiva. Logo, o Pai é alguém além de Cristo, em adição a Ele e não o próprio Cristo. A palavra um “está em gênero neutro, (hen e não no masculino heis) o que indica que não se discute a unidade das pessoas. Jesus afirmou sua unidade com o Pai em vontade, propósito e desígnios. O Pai respalda as palavras e ações de Jesus” . O fato de a palavra um ser no grego hen, indica duas pessoas na mesma divindade. Veja também que o verbo está no plural, “somos” e não no singular, “sou”.
      Biblicamente, o modalismo nega a personalidade distinta do Pai, do Filho e do Espírito Santo e deve ser rejeitada.

      Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a comunhão do Espírito Santo sejam com você. 2 Coríntios 13:13.
      Um forte abraço.



  • Alan Douglas em 1 de agosto de 2013 14:18

    Olá professor, queria entender algo. Creio que quando Cristo se encarnou não deixou de ser Deus e que Ele quando esteve aqui nesta terra não usou da Sua divindade, porém dependia do poder do Pai e do Espírito Santo. Escutei três pregações, duas com o Dr. Rodrigo Silva e uma com o Pr. Esteban Bohr onde relatam que Cristo irá viver durante toda a eternidade limitado ao um corpo humano, Ele não deixará de ser Deus, porém não usará os Seus atributos divinos. Esse foi o preço que Ele se aceitou por amor a nós, dependerá do poder do Pai e do Espírito Santo durante toda a eternidade! Mas nesse artigo o senhor relatou que Cristo voltou a ser Onisciente quando ascendeu ao céu. A questão é: Cristo ao ascender para o céu voltou a usar os seus atributos divinos???



    • Maiara Costa - Equipe em 1 de agosto de 2013 15:25

      Alan: falei com Leandro e ele me disse o seguinte:

      “Realmente alguns teólogos creem que Jesus se auto-limitou por ocasião de sua encarnação. Entretanto, sendo que a Bíblia deixa claro em Colossenses 2:3 que Ele ressumiu Sua Onisciência, cremos não ser seguro afirmar que, mesmo tendo um corpo físico, Jesus tenha deixado de ser Onipresente. Há a possibilidade realmente, porém, particularmente prefiro pensar diferente de meus amigos que ensinam o contrário”.

      Um abraço.



  • Leila Assis Abreu Veloso,Montes Claros em 1 de agosto de 2013 16:15

    Concordo com o artigo acima em genero, número, grau e pessoa, muito bacana.



  • CARLA SILVA em 1 de agosto de 2013 17:02

    meu irmao. em joao10:28, jesus diz claramente q o PAI é maior do q ELE.
    ELE, em outro texto diz tbem q é O CAMINHO para q cheguemos ao pai.Reconhecermos que existe um PAI, superior a JESUS CRISTO nao é tirar o mérito dele, muito pelo contrario, pq foi atraves dele q tivemos a oportunidade de termos a salvaçao de volta… alem do mais depois do batismo de JESUS CRISTO (diz a BIBLIA) abriu-se os céus e uma voz disse: ” este É O MEU FILHO…”, alem do mais na biblia em lugar nenhumm é citado a palavra trindade. ESSA palavra tem origem no cristianismo falso fundada pelo catolicismo. (ESPERO Q ENTRE EM CONTATO COMIGO E TENHA CORAGEM DE PUBLICAR MINHA OPINIÃO CONTRADITÓRIA A SUA). UM ABRAÇO



    • Maiara Costa - Equipe em 1 de agosto de 2013 18:05

      Olá Carla!
      Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.
      Obrigado por seu comentário.
      João 10:28 diz: “Eu lhes dou a vida eterna, e elas jamais perecerão; ninguém as poderá arrancar da minha mão”.
      Será que um ser que não fosse divino teria autoridade para dar algo que ele mesmo não tem em sí? Como poderia Cristo dar vida eterna se Ele não tivesse o atributo divino da eternidade (1 Timóteo 6:15,16)?
      Você leu o artigo com atenção estimada amiga?
      O fato da palavra trindade não aparecer escrita na Bíblia, “provar” que ela não exista é um “argumento” que demonstra-se infundado por si só, pois “no livro Divino também não se encontram palavras como Bíblia, Milênio, Teocracia e outras que igualmente não repudiamos, porque o que se busca nas Escrituras são fatos e não nomenclatura”.
      Também não são mencionadas palavras como “ascensão” e “encarnação”, doutrinas defendidas por praticamente todos os cristãos. Nem por isso deixaremos de crer na ascensão de Cristo e em sua encarnação.

      Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a comunhão do Espírito Santo sejam com você. 2 Coríntios 13:13
      Um forte abraço.



  • Jéfferson Marques em 1 de agosto de 2013 19:27

    Postei o comentário, para até aprender com esse abençõado blog, mas as suas respostas irmã Maiara não provaram absolutamante nada,a respeito da suposta “Trindade”
    “modismo” não é a crença no Deus que se revelou a mim e transformou a minha vida, o maravilhoso Deus que sirvo chamado Jesus, nunca sempre se revelou a mim e aos povo da biblia de maneira singular, em no termo hebraico a palavra relacioanda a Deus nunca se referiam a mais de uma pessoa, basta analisar o radical da palavra.Deus é Um, Único absoluto, o que fez o Céu e terra, que possui três formas de manifestação, de sua Divindade, e não de três pessoas separadas e distintas. Deus os abençõe.



    • Maiara Costa - Equipe em 2 de agosto de 2013 9:37

      Olá Jéfferson!
      Primeiramente não é modismo, mas sim modalismo o nome da crença que Deus se manifestou em três formas diferentes.
      Segundo: há texto nessa resposta que lhe dei que mostram não ser possível essa crença modalística.
      Terceiro: no artigo também há a explicação da palavra hebraica para um, único e uno.
      Recomendo que leia com mais atenção a resposta.
      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.



  • Pedro Hilton em 1 de agosto de 2013 21:37

    Excelente!!!!! Só não entende quem não quer…



  • kaypym em 1 de agosto de 2013 22:35

    VEJAM ESTE ESTUDO



    • Maiara Costa - Equipe em 2 de agosto de 2013 9:58

      Olá Kaypym!
      Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.
      Muito obrigado por sua participação.
      Já enviei ao Leandro Quadros o link do vídeo e do blog para que possamos analisar e refutar, contudo retiramos o link daqui para que os outros internautas não fiquem expostos ao erro.
      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.



  • Felipe Santana da Silva Melo em 2 de agosto de 2013 0:38

    Bom estudo professor, quero me aprofundar a respeito do nome de “Jesus” sobre as traduções, estou estudando um pouco de Judaismo Messianico e estou encontrando muitos erros nas traduções da biblia, se você tiver a condição de me mandar um estudo falando melhor sobre a questão da tradução, minha duvida é sera que realmente o Jesus que adoramos é o Yeshua que morreu por nós?? me mande algum material para meu e-mail.
    GRATO PELA ATENÇÃO.



    • Maiara Costa - Equipe em 2 de agosto de 2013 9:47

      Olá Felipe!
      Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.
      Estarei encaminhando em seu e-mail um material que creio poderá ajudá-lo.
      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira.



  • Joao Paulo em 2 de agosto de 2013 3:52

    Amiga,nao existe cristianismo nem verdadeiro ou falso quando se nega a divindade de cristo!simplesmente nao se trata de cristianismo.



    • João Paulo em 3 de agosto de 2013 0:40

      Meu comentario foi para Carla Silva



  • diego antonio de oliveira em 2 de agosto de 2013 15:45

    concordo plenamente com o leandro.
    Jo(1.1,2″)No principio, era o Verbo,e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.Todas as coisas foram feitas por ele e para ele,e sem ele nada do que foi feito se fez”



  • ALCINDO KARAS DE SOUZA em 2 de agosto de 2013 20:59

    Caro Jefferson; Se Jesus e Deus são a mesma pessoa. Me responda: quando Jesus estava na terra o céu estava sem Deus? e Deus morre? Que o Espirito Santo de Deus te ilumine.



  • Claudemir dos Santos em 2 de agosto de 2013 21:18

    Deus é mais que um pai,pois ele nos consola em nossas fraquezas materiais,por isso ele permitiu que o homem escreve-se as verdades bíblicas inspiradas por ele,mas com uma dose de influencia material,pois o homem ainda não esta preparado para uma verdade mais explicita,pois para entender a verdade espiritual o homem devera ser mais simples e humilde,ou seja,despojados dos bens materiais. Jesus esta prestes a visitar a terra,mas a conduta religiosa de muitos lideres que se dizem Cristãos estão longe de servir de bons exemplos para preparar as pessoas para vinda de Jesus,mas Deus não esta de braços cruzados,pois a mão dele deve estar dirigindo esta novo papa Francisco para a renovação da igreja católica que sem duvida é a base de todas as religiões Cristã,eu tenho comentado a pessoas de varias religiões sobre sobre a nobre conduta do papa francisco,e todos estão encantados com os seus exemplos,e agora vamos ver quem sera a próxima denominação religiosa que Deus estendera a sua mão. Abraços e muita paz em Jesus.



    • Maiara Costa - Equipe em 6 de agosto de 2013 17:10

      Olá Claudemir!
      Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.
      Nós devemos seguir e ter a Bíblia como nossa regra de fé e prática (João 5:39; Atos 17:11), pois ela é a luz para os nossos caminhos (Salmos 119:105).
      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira.



  • Elias Ferreira em 3 de agosto de 2013 2:07

    aonde na Bíblia se encontra a palavra trindade?Cristo significa ungido ,se ele é o ungido foi ungido por alguém: (Deus)e que também foi enviado por quem? (Deus pai) ,portanto são três a divindade Deus pai ,Deus filho e o espirito santo.como ele mesmo nos ensinou :Pai nosso que estás no céu ! filho de Deus Também é Deus.



    • Maiara Costa - Equipe em 5 de agosto de 2013 14:00

      Olá estimado amigo Elias!
      Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.
      Muito obrigado por suas considerações.
      O fato de não constar o nome “Trindade” nas Escrituras não seria uma prova de que não existe o Espírito Santo ou a Trindade?
      Tal “argumento” demonstra-se infundado por si só, pois “no livro Divino também não se encontram palavras como Bíblia, Milênio, Teocracia e outras que igualmente não repudiamos, porque o que se busca nas Escrituras são fatos e não nomenclatura”.
      Também não são mencionadas palavras como “ascensão” e “encarnação”, doutrinas defendidas por praticamente todos os cristãos. Nem por isso deixaremos de crer na ascensão de Cristo e em sua encarnação.
      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira.



  • Thiago Foguel em 3 de agosto de 2013 18:20

    Se o mundo era sem forma e vazia, e foi Deus quem criou o mundo de onde ele surgiu?



    • Maiara Costa - Equipe em 5 de agosto de 2013 12:22

      Olá Thiago!
      Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.
      Nós podemos crer no relato da criação dividido em dois momentos.l
      O primeiro quando Ele cria a matéria, isso a Bíblia não nos informa quando foi e o segundo quando Ele dá forma e preenche aquilo que estava vazio (Gênesis 1).
      Recomendo à você a leitura do livro: A História da Vida da editora CPB.
      Contato: 0800-979-06-06 ou cpb.com.br
      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira.



  • ANA LUCIA MARTINS DURÃES em 3 de agosto de 2013 23:24

    olá amigos do na mira da verdade, me tirem uma dúvida, quando a bíblia fala dos irmãos, e irmãs de jesus está se referindo a irmãos de sangue ou a parentes próximos ou primos, por que os teólogos católicos dizem que no aramaico não existia uma palavra específica para designar primos ou parentes próximos, por isso a bíblia usa o termo irmãos, quando na verdade ela quer dizer primos, sendo assim, quando a bíblia fala em irmãos e irmãs de jesus, ela quer dizer primos ou parentes próximos, já que não havia uma palavra no aramaico para designar primos ou parentes próximos, usando então o termo irmãos, isso está correto? Eles são irmãos de sangue de jesus, ou apenas primos Dele?



    • Maiara Costa - Equipe em 5 de agosto de 2013 11:48

      Olá estimada amiga Ana Lucia!
      Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.
      Muito obrigado por sua participação.
      Quando a Bíblia fala dos irmãos de Jesus (Mateus 12:46; Marcos 3:31), de acordo com a tradição dos pais da Igreja (segunda geração de líderes da Igreja primitiva) são filhos de José de um primeiro matrimônio, pois acredita-se que ele era viúvo, eles eram meios irmãos de Jesus da parte de José que era seu pai por adoção.
      O Novo Testamento não foi escrito em aramaico (língua em que parte do Antigo Testamento foi escrito), mas sim em grego koine.
      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira.



  • Maria Altamira F. Lima dos Santos em 4 de agosto de 2013 15:09

    muito bom gostei muito…



  • Igor Medeiros de Oliveira em 4 de agosto de 2013 23:08

    Ola gostaria de perguntar,Qual é a luz do primeiro dia e do terceiro?
    Um abraço para o Leandro Quadros e o Tito Rocha!



    • Maiara Costa - Equipe em 5 de agosto de 2013 10:45

      Olá Igor!
      Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.
      Muito obrigado por sua pergunta.
      Sabemos que a Bíblia é a perfeita palavra inspirada pelo Espírito Santo (2 Timóteo 3:16; 2 Pedro 1:19-21), e sendo assim sabemos que Deus não falha (João 10:35; Atos 5:3,4). Contudo quando analisamos Gênesis 1:4 e 14 parece estar a Bíblia entrando em contradição. Analisemos agora os dois versos.
      “Deus viu que a luz era boa, e separou a luz das trevas (verso 4). Disse Deus: Haja luminares no firmamento do céu para separar o dia da noite. Sirvam eles de sinais para marcar estações, dias e anos, e sirvam de luminares no firmamento do céu para iluminar a terra. E assim foi”(versos 14,15).
      Será que há contradição entre esses dois textos? Como é possível existir luz no primeiro dia sendo que o sol só foi criado no quarto dia?
      Primeiramente devemos compreender que o sol não é a única fonte de luz no universo. Além disso, é possível que ele já existisse desde o primeiro dia, tendo somente aparecido ou se feito visível no quarto dia. Vemos luz num dia nublado, mesmo quando não nos é possível ver o sol. (Manual Popular de Duvidas, Enigmas e Contradições da Bíblia, Mundo Cristão, Norman Geisler e Thomas Howe, p. 34).
      Segundo: Sem luz não poderia haver vida, e quando o Criador começou a obra de produzir ordem a partir do caos e introduziu várias formas de vida vegetal e animal na Terra, era essencial que houvesse luz. A luz é uma forma visível de energia, que, por sua ação sobre as plantas, transforma elementos compostos inorgânicos em alimento para o ser humano e para os animais. A luz é um símbolo da presença divina, pois Deus é luz e vida (1 João 1:5; Atos 3:15) (Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia,CPB- Tatuí-SP,p.p 190).
      Portanto a própria presença de Deus iluminou e trouxe vida para aquele lugar, isso é uma grande prova de que os dias da criação foram seis dias literais de vinte e quatro horas, pois não haveria como a vegetação ter sobrevivido longos períodos de tempo sem a presença da luz solar.
      Terceiro: A palavra luzeiros no hebraico não é a mesma que luz. O termo luzeiros aqui significa fontes de luz, portadores de luz, luminares.
      Portanto concluímos que a luz já existia e as fontes de luz foram chamadas às suas funções no quarto dia.
      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira.



      • Clecio Oliveira em 6 de agosto de 2013 1:06

        “Ouve, Israel, o Eterno é nosso D’us, o Eterno é Um.” (Devarim 6:4)
        E volto a afirmar: Mateus 28:19 é tão adulterado quanto a mudança do sábado para o domingo.
        A imersão (batismo) realizado pelos discípulos sempre foram em nome do messias de Israel, Yeshua. (At 2:38, At 8:16, At 10:48, At 19:5)
        Por favor, não vamos fechar os olhos para essas verdade, é hora de deixar qualquer vestígio doutrinário romano de lado e dá enfase verdadeiramente ao que está escrito nas Escrituras Sagradas.



        • Maiara Costa - Equipe em 6 de agosto de 2013 14:11

          Olá Clecio!
          Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.
          Em algumas discussões cristológicas recentes, a indicação em que entram três partes (trinitária) incluída em textos padrões de Mateus 28:19 são freqüentemente suspeitas. O problema é que ele soa muito trinitário para ser incluído nas palavras originais de Mateus. Como resultado, alguns eruditos modernos tem sugerido que o final do evangelho de Mateus poderia bem ter sido adicionado por escribas posteriores sob a influência das controvérsias trinitárias que enredaram na Igreja Cristã nos séculos 3 e 4. A evidência primária onde tais sugestões se baseiam é a citação ou alusão a este texto nos escritos de Eusébio. Como exemplo, nós podemos notar suas palavras na História Eclesiástica, Livro III.5.ii:
          “Depois da ascensão de nosso Salvador, os judeus acrescentaram ao crime cometido contra ele a invenção de inúmeras ameaças contra seus apóstolos: Estevão foi o primeiro que eliminaram, apedrejando-o ; depois dele, Tiago, filho de Zebedeu e irmão de João, a quem decapitaram ; e depois de todos, Tiago, o que depois da ascensão de nosso Salvador foi o primeiro designado para o trono episcopal de Jerusalém e morreu da forma que já descrevemos. E os demais apóstolos sofreram milhares de ameaças de morte e foram expulsos da terra da Judéia. Porém, com o poder de Cristo, que havia-lhes dito: Ide e fazei discípulos de todas as nações em meu nome , dirigiram seus passos para todas as nações para ensinar a mensagem”.
          Com base nesta citação de Eusébio bem como a aparente “fórmula batismal” de Atos e as epistolas, alguns comentadores tem sugerido que a frase trinitária do versículo 19 é uma alteração do texto por inserção de palavras litúrgica ou expansão das palavras originais de nosso Mestre, que ordenou o batismo “em Meu nome” ao contrário de no “nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo”. ¹
          Os que defendem essa idéia são aqueles que não crêem na existência da trindade e preferem acreditar nas palavras de Eusébio que era alguém totalmente inconstante em suas opiniões.
          Os que defendem essa idéia não podem ignorar o fato que há vários outros documentos patrísticos, anteriores a Eusébio que comprovam a autenticidade da expressão em Mateus 28:19.
          Por exemplo, pelo Didaquê, bem como por Clemente, o Pastor de Hermas, Irineu, Tertuliano de Cartago, Hipólito de Roma, e Orígenes de Alexandria. ²

          Porém esses defensores que a Trindade não aparece em Mateus 28:19 deveriam também usar o próprio texto de Eusébio de Cesárea no qual ele admite que Mateus 28:19 está sim no original em grego.
          Escrito por Eusébio e por ele apresentado diante do Concílio de Nicéia.

          Nesse credo Eusébio não apenas nomeia explicitamente ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo, mas também confirma a autenticidade de Mateus 28:19:

          “Cremos em um Deus o Pai Onipotente, Criador de todas as coisas visíveis e invisíveis; e em um Senhor Jesus Cristo, o Verbo de Deus, Deus de Deus, Luz de Luz, Vida de Vida, e Filho unigênito, o primogênito de toda criação, por quem todas as coisas foram feitas; que pela nossa salvação foi feito carne e habitou entre os homens; e sofreu; e ressuscitou no terceiro dia; e ascendeu ao Pai; e virá outra vez em glória, para julgar vivos e mortos. [Cremos] também em um Espírito Santo. Cremos que cada um deles é e existe, o Pai verdadeiramente Pai, e o Filho verdadeiramente Filho, e o Espírito Santo verdadeiramente Espírito Santo; como nosso Senhor, ao enviar seus discípulos a pregar, disse: “Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo”. ²
          Portanto podemos afirmar que a frase: “em o Nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo estão sim escritos nos originais em grego, pois esses textos foram pouco mexidos por copistas.
          Para identificarmos na Bíblia um texto que foi acrescentado por copistas, ele geralmente está entre colchetes e em itálico, ou seja, a letra está deitadinha. E não é o caso de Mateus 28:19.
          O batismo em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, além de igualar as três pessoas da Divindade, demonstra que ao sermos batizados dessa forma passamos a pertencer nos tornamos propriedade exclusiva e ficamos estreitamente relacionados daquele em cujo nome fomos batizados. ³
          Se estudarmos em toda a Bíblia o assunto da trindade perceberemos quão envolvidos com a nossa salvação estão o Pai, Cristo e o Espírito Santo.
          três pessoas da trindade ou divindade e demonstrando que a pessoa que é batizada por imersão em nome da trindade passa a pertencer a mesma e torna-se sua propriedade. ¹
          Quando em Atos aparece o batismo em nome de Jesus, aquilo só de deu por se tratarem de judeus que estavam se convertendo ao cristianismo e passando a aceitar a Cristo como Salvador, ou seja, o batismo foi daquela forma para confirmação da crença deles em Cristo.
          Os apóstolos em momento algum alteraram a ordem vinda de Cristo. Pelo trabalho que a Trindade desempenha em nossa salvação, não faria sentido o batismo ser apenas em nome de Jesus, pois não há distinção entre o Pai, Filho e o Espírito Santo.
          Que Deus te abençoe grandiosamente.
          Um forte abraço.
          Equipe do Na Mira.



          • Clecio Oliveira em 6 de agosto de 2013 21:05

            Olá Maiara Costa, permita-me discordar do seu post, pois há muitos outros enxertos no chamado “novo testamento”, em que não aparece nem em colchetes, e nem em itálico, e mesmo assim, são textos adulterados, a peshita em aramaico e muitas outras versões trás vários textos totalmente diferentes da bíblia cristã ao qual passaram por mãos do sistema religioso romano como é o caso de João Ferreira de Almeida, uma das versões mais adulteradas, só a Bíblia Thompson trás escrito em que há mais de 2 mil erros, e Mateus 28:19 foi sim adulterado, pois as Boas novas de Mattityahu (Mateus) em hebraico aparece claramente a imersão em nome do messias e não na suposta trindade. Ou do contrário há um equívoco dos discípulos, pois todas as imersões foram feitas em nome do messias de Israel, seguido pela imposição de mãos. Mas não acredito que houve um equívoco, pois eles fizeram justamente como o messias ensinou, imergido-os em seu nome.
            Definitivamente, pra mim o Eterno é UM, e não três.



          • Maiara Costa - Equipe em 7 de agosto de 2013 9:43

            Olá Clecio!
            Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a comunhão do Espírito Santo sejam com você (2 Coríntios 13:13).
            Fique a vontade para concordar ou não com que escrevi para você.
            Elohim te deu toda a liberdade para isso.
            Não existe uma tradução bíblica 100%. O que temos é 100% de certeza de que o que está na Bíblia apresenta uma coerência tal que nem mesmo os pequenos erros de tradução afetam o todo harmônico das Escrituras e a ideia principal: a de que Deus amou tanto o mundo que veio até aqui para salvá-lo da morte eterna (João 3:16; Atos 20:28).
            O Novo Testamento não foi escrito em hebraico amigo, mas sim em grego koine que era a lingua falada na época por causa da helenização.
            Que Deus continue te abençoando grandiosamente.
            Um abraço.



          • Clecio Oliveira em 7 de agosto de 2013 19:48

            Olá Maiara, agradeço por sua atenção.
            Vale recordar que neste texto que você citou (2 Coríntios 13:13) mostra claramente o agir mútuo de Elohim através do seu filho Yeshua, e da sua emanação (Ruach HaKodesh).
            Sobre os escritos da B’rit Hadashah, há uma incoerência pois como os talmidim tendo o aramaico como a língua fluente daquela época, e tendo o hebraico como a língua dos serviços religiosos, eles iam escrever em uma língua estrangeira ?
            Há também o fato de no judaísmo ter a Lei Halachá (rabínicas) em que qualquer escrito concernente a religiosidade só poderia ser escrita na mesma língua dos serviços religiosos.
            Um dos maiores erros para a má interpretação das escrituras é o desconhecimento da língua semita, pois existem palavras no idioma hebraico em que a tradução latina (isto inclue também o português) não se encontra palavra equivalente a altura de uma tradução exata.
            PAZ e Graça da parte de Elohim nosso Pai, e do Adon Yeshua HaMashiach.



          • Maiara Costa - Equipe em 19 de agosto de 2013 18:21

            Olá Clecio!
            Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.
            Vale recordar também que a língua oficial para aqueles dias não eram as línguas semitas, mas sim a lingua grega por causa da helenização do império.
            Que Deus te abençoe grandiosamente.
            Um forte abraço.
            Equipe do Na Mira.



  • Diogo em 5 de agosto de 2013 2:07

    Olá equipe do Na mira da verdade, parabéns pelo programa e pelo blog. Confesso que nunca vi claramente na bíblia que Jesus é Deus Pai, embora dê a entender assim. Porém nunca li afirmando que Jesus não é Deus, e sim que é menor que o Pai. No artigo afirma que são iguais em essência, diferenciado assim de politeísmo. Mas é justamente aqui a minha duvida…
    1- Jesus e Deus são iguais em essência assim como eu sou igual a qualquer outro ser humano? O que seria essa essência no sentido de que existisse 03 pessoas sendo apenas uma?
    2- Se Jesus, Deus e o Espirito Santo são um no sentido de divindade, Jesus, Deus e Espirito Santo são: Título, ou divisão do mesmo Deus em 03 pessoas distintas?
    3- Se temos Deus Pai, e Filho, esse título de filho já é suficiente para provar a divindade de Cristo, porém, gostaria de saber porque Filho; Se é porque ele deriva do Pai, ou seja, ele veio após o Pai ou é pelo fato de ter sido gerado como humano na pessoa de Jesus?
    4- Quando Jesus retorna ao céu, porque ele não volta a ser somente o Pai. E se ele sempre foi Filho e o Pai sempre foi Pai assim como o ES sempre existiu, porque a diferença entre Pai e Filho, no sentido que pai vem antes do filho, não igual nem depois mas antes.
    Não estou questionando por capricho, realmente eu não encontro resposta. Sempre uma coisa não bate, e não estou afim de simplesmente aceitar essa ou aquela doutrina, quero entendê-la e crescer espiritualmente.
    Espero que vocês possam me da luz sobre esses assuntos, serei muito grato. Que Deus abençoe ainda mais a vida de cada um de vocês.



    • Maiara Costa - Equipe em 5 de agosto de 2013 10:27

      Olá estimado amigo e irmão em Cristo Diogo!
      Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.
      Muito obrigado por sua participação e por enviar as suas perguntas.
      Primeiramente: Pai, Filho e Espírito Santo não são três manifestações de Deus, mas sim Pai, Cristo e o Espírito Santo são três seres pessoais distintos que formam uma divindade, ou a divindade.
      Essa crença que Deus se manifestou em diferentes ocasiões de três modos diferentes chama-se modalismo, contudo se analisarmos alguns textos bíblicos vemos que isso não é possível (Mateus 28:19; 3:16,17; João 16:13; 17:1-5). Pai, Filho e Espírito Santo tem a mesma essência divina, pois possuem os mesmos atributos da onisciência, onipotência, onipresença e soberania (Romanos 1:7; Mateus 1:23; Romanos 5:9; João 1:1; Atos 5:3,4; Isaías 40:28; Oséias 13:4; Hebreus 1:8-12; 3:7-9; Salmo 90:2; 93:2; Isaías 9:6; Miquéias 5:2; Gênesis 1:2; Hebreus 9:14).
      Como compreender essa questão de três seres distintos formarem uma divindade?
      O texto de Gênesis 2:24 nos ajuda a compreender essa questão.
      “Ouve, Israel, o SENHOR, nosso Deus, é o único SENHOR.” Deuteronômio 6:4.
      Este verso de Deuteronômio, no qual se afirma que há “um único Senhor” de modo nenhum contraria a doutrina da trindade. A palavra hebraica para único (ou um) é echod e não indica uma “unidade absoluta” em muitas passagens bíblicas, mas uma “unidade composta”. Eis um exemplo: “Por isso, deixa o homem pai e mãe e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma (echod) só carne”. Gênesis 2:24. Se a palavra uma (echod) devesse ser interpretada com o sentido mencionado por alguns, então teríamos de admitir que Adão e Eva não eram duas pessoas também; apenas uma. Tal seria um disparate.
      O que significa o termo Filho no grego?
      Essa palavra no grego tem vário significados, mas quando aplicada à Jesus significa a manifestação de Deus em forma humana (Mateus 14:33; 16:16; João 1:49; Mateus 27:54), ou seja, por isso os fariseus queriam matá-lo quando Ele se referia como sendo Filho de Deus (João 5:18), quando Ele se dizia Filho de Deus, tornava-se igual a Deus, pois isso representava que tinha a mesma essência, o mesmo caráter.
      Devemos entender que subsiste uma relação eterna entre o Filho e o Pai na Deidade. Isso quer dizer que em Sua relação eterna com o Pai,é denominado Filho; não porque Ele em certo tempo começou a devirar Seu ser do Pai (em tal caso, Ele não poderia ser coeterno com o Pai), mas porque Ele é e sempre foi a expressão do que é o Pai (Hebreus 14:9; Hebreus 1:3).
      A única diferença que há entre os membros da divindade são suas funções, pois ambos desempenham funções diferentes dentro do plano de redenção.
      Gostaria de recomendar à você que leia o livro: A Trindade da editora CPB para se aprofundar mais nesse tema.
      Contato: 0800-979-06-06 ou cpb.com.br
      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Conte conosco para o que precisar.
      Um forte abraço.



  • Angelo em 5 de agosto de 2013 10:24

    uma sintese perfeita da Trindade e um verdadeiro exemplo que o Pai e o Filho são um na essencia,natureza e carater e 2 nas suas posições de Pai e Filho obedecendo suas posições,funções e oficios….que Deus vos abençoe pastor



  • Diogo em 5 de agosto de 2013 17:01

    Muito obrigado pelo carinho, vou estudar o livro a trindade, e qualquer duvida eu volto a pedir ajuda. Ainda tenho algumas duvidas mas primeiro vou aprofundar no assunto. Obrigado e que Deus abençoe toda a sua vida.



    • Maiara Costa - Equipe em 5 de agosto de 2013 18:01

      Olá estimado amigo Diogo!
      Será sempre uma grande satisfação poder ajudá-lo com suas dúvidas.
      Conte conosco para o que precisar.
      Estamos à disposição.
      Que Deus continue te abençoando grandiosamente.
      Um forte abraço.



  • luis felipe em 6 de agosto de 2013 17:13

    Olá, gosto muito do na mira da verdade, gostaria que se possivel me dessem respostas sobre esse indivíduo, ele está fazendo um verdadeiro “ministério anti na mira da verdade”, não que eu o apoie, mas quero tirar minha dúvidas quanto a palavra de Deus.
    E muitos outros se for discorrendo pelo youtube.



    • Maiara Costa - Equipe em 6 de agosto de 2013 18:29

      Olá Luis Felipe!
      Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.
      Muito obrigado por sua contribuição.
      Já enviei os links para o Leandro Quadros ver e refutarmos essas questões.
      Retiramos os links para que outros internautas não pactuem da mentira.
      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Fique a vontade para nos escrever sobre suas duvidas.
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira.



  • Victor em 6 de agosto de 2013 20:24

    Eu tenho uma duvida quanto profecias,é somente as profecias da Bíblia que se cumpriram,ou há outras profecias que se cumpriram ?



    • Maiara Costa - Equipe em 7 de agosto de 2013 10:01

      Olá Victor!
      Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.
      O que significa a palavra profecia? Será que é só predizer o futuro ou há outra significação?
      A palavra profecia do grego propheteia significa a declaração da mente e do conselho de Deus, é a declaração do que não pode ser conhecido por meios naturais, é a descrição antecipada da vontade de Deus, quer com referência ao passado, presente ou futuro.
      Quero lhe dizer que “prever o futuro” pode fazer parte do trabalho de um profeta, mas não é algo indispensável, nem sua principal atividade, embora grande número de profetas tenha anunciado algo por vir.
      Profecia é uma declaração de Deus para o Seu mensageiro (Amos 3:7), sendo assim essas declarações se cumpriram e em sua totalidade estão registradas na Bíblia, contudo o dom profético é concedido pelo Espírito Santo à quem Ele quer dar (1 Coríntios 12:11), sendo assim há outras pessoas que não são profetas canônicos (que não escreveram livros na Bíblia), mas que receberam dEle o dom de profecia. Para saber se essas profecias estão corretas ou não a própria Bíblia nos ensina como podemos averiguarmos.
      08. Quais as características de um profeta verdadeiro?
      a. 1 João 4:1,2- O verdadeiro profeta ensina que Jesus era de fato um ser humano
      Esse teste exige mais que um simples reconhecimento de que Jesus Cristo viveu sobre a Terra. O verdadeiro profeta deve confessar o ensinamento bíblico da encarnação, Divindade e pré existência, nascimento virginal, verdadeira humanidade, vida sem pecado, sacrifício expiatório, ressurreição, ascensão, ministério intercessório e segundo advento.
      b. Mateus 7:15-23- O verdadeiro profeta produz bons frutos
      Esse conselho é crucial ao se avaliar a reivindicação do profeta. Em primeiro lugar vem a vida do profeta. A vida do profeta deve ser caracterizada pelo fruto do Espírito (Gálatas 5:22,23), não pelas obras da carne (Gálatas 5:19-23). Em segundo lugar, esse princípio diz respeito à influência do profeta sobre os outros. Quais os resultados observáveis na vida daqueles que aceitam as mensagens? Porventura as mensagens do profeta habilitam o povo de Deus para missão e o unem em sua fé (Efésios 4:12-16)?
      c. Deuteronômio 18:21,22- As predições do verdadeiro profeta se cumprem
      Embora as profecias possam representar uma parcela relativamente pequena da mensagem profética, a sua exatidão deve ser demonstrada.
      d. Jeremias 28:1-9; 28:15-17; Isaías 8:20- A mensagem do verdadeiro profeta se harmoniza com todas as mensagens que Deus enviou anteriormente através dos outros profetas.
      Esses textos implicam que a mensagem do qualquer profeta deve estar de acordo com a lei e o testemunho de Deus, manifestados ao longo de toda a Bíblia. Um profeta posterior jamais deverá contradizer um profeta anterior. O Espírito Santo jamais contradiz o Seu próprio testemunho anteriormente concedido, pois em Deus não pode existir variação ou sombra de mudança (Tiago 1:17).
      e. Daniel 10:7-10- Algumas vezes as visões eram acompanhadas por certas alterações no corpo do profeta.
      Enfraquecimento geral
      Fortalecimento (Daniel 10:18,19)
      Ausência de respiração (Daniel 10:17)
      Êxtase, com os olhos bem abertos (Números 24:3,4,15 e 16)
      No êxtase, o profeta não vê nem ouve o que se passa ao seu redor, mas permanece de olhos bem abertos e atento somente ao que Deus está lhe mostrando. É semelhante ao que ocorre conosco quando temos um sonho, pois permanecemos em nosso quarto, mas não temos a consciência do que se passa ao nosso redor. Essas manifestações físicas aconteciam algumas vezes, quando o profeta estava em visão, para que as pessoas presentes pudessem crer que havia um poder sobrenatural atuando sobre o profeta e, assim, tivessem fé.
      Toda a pessoa que reivindica possuir o dom de profecia, deve ser submetida a tais testes. Se enfrentar positivamente todos eles, podemos ter a confiança de que efetivamente o Espírito Santo concedeu a ela o dom de profecia.
      Essa é a forma estimado amigo de distinguirmos o verdadeiro do falso.
      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira.



  • djacy barboza de souza em 6 de agosto de 2013 21:43

    exelente comentario, nao podia rer mais esclarecedor. obrigado



  • magna santos tavares em 6 de agosto de 2013 22:00

    só existe um Deus!



  • marcio tavares de freitas em 6 de agosto de 2013 23:18

    Professor Leandro Quadros sou católico aqui de Rondonópolis no mato grosso e assisto o seu programa quando posso. Me permita fazer algumas indagações: Quando Paulo é arrebatado em espírito aos ceus ele vê um trono branco com ”UM” assentado sobre este trono( que é DEUS) e um outro SER vem e pega um livro nas mãos do que está assentado sobre o trono….Este outo ”SER” (JESUS) é DEUS também? Existem portanto só nesta descrição dois SERES divinos né? E um só DEUS?…POrque no gênesis DEUS pergunta onde está Adão? sendo Q’Ele tem oniciencia, onipresença e onipotencia…obrigado e gostaria de obter respostas…



    • Maiara Costa - Equipe em 7 de agosto de 2013 9:51

      Olá Márcio!
      Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.
      Em Gênesis 3:9 quando Deus pergunta por Adão não é porque Ele não sabia onde Adão estava e o que havia feito, mas sim porque Ele estava dando uma oportunidade para Adão confessar o seu pecado. Deus estava fazendo ali um processo de investigação antes de pronunciar qualquer sentença.
      Mesmo Deus sendo onisciente a sua onisciência não é causativa e não passa por cima dos outros atributos que Ele tem.
      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira.



  • izaias cezário gonçalves em 7 de agosto de 2013 14:23

    Que Deus abençoe suas vidas grandemente



  • Carlos em 7 de agosto de 2013 17:58

    Olá, tudo bem? Gostaria de comentar algumas coisas em relação a esse assunto.

    A base para o monoteísmo se encontra em Deuteronômio 6:4. Esse verso afirma que Deus é um Ser Pessoal, uma Pessoa apenas e não uma Trindade. O contexto desse verso confirma isso.

    Como escrevi em um site de um Irmão, nos comentários, gostaria que os Irmãos analisassem minhas palavras e me corrigissem caso eu estiver errado.

    Primeiramente, eu gostaria de citar o livro de Deuteronômio:

    “Portanto, ó Israel, ouve e cuida de pôr em prática o que será bom para ti e te multiplicará muito, conforme te disse Iahweh, Deus dos teus pais, ao entregar-te uma terra onde mana leite e mel. Ouve, ó Israel: Iahweh nosso Deus é o único Iahweh! Portanto, amarás a Iahweh teu Deus com todo o teu coração, com toda a tua alma e com toda a tua força. Quando Iahweh teu Deus te introduzir na terra que ele, sob juramento, prometeu a teus pais — Abraão, Isaac e Jacó — que te daria, nas cidades grandes e boas que não edificaste…” Deuteronômio 6:3-5 e 10.

    O capítulo 6 de Deuteronômio afirma:

    – “Iahweh, Deus dos teus pais”

    – “…prometeu a teus pais — Abraão, Isaac e Jacó”

    – “Ouve, ó Israel: Iahweh nosso Deus é o único Iahweh!”

    Quando lemos o contexto do capítulo 6, entendemos que ele quer afirmar que Iahweh é o Deus de Abraão, o Deus de Isaac e o Deus de Jacó. Como sabemos, a tradução correta para Deuteronômio 6:4 seria:

    “Ouve, ó Israel: Iahweh é nosso Deus, Iahweh é Um”

    Logo, o Deus dos Patriarcas é uma Pessoa, não duas nem três. Somente um único Ser. Como eu posso ter certeza disso? Vamos perguntar para Jesus sobre quem é o Deus dos Hebreus. Ele responde em João 8:54.

    Jesus respondeu: “Se glorifico a mim mesmo, minha glória nada é; quem me glorifica é meu Pai, de quem dizeis: ‘É o nosso Deus’.

    Portanto, fica fácil de entender que o Deus dos Patriarcas é o Deus dos Hebreus, Ele é Um, ou seja, O Deus dos hebreus é Uma única Pessoa e o próprio Jesus afirmou que o Deus dos Hebreus é o Seu Pai. Não restam dúvidas de que o Pai de Jesus é o Deus dos Hebreus. Para confirmar que O Deus dos hebreus é uma pessoa distinta de Jesus, basta ler Atos 3:13-15 e Êxodo 3:15. Iahweh é o Deus de Abraão, o Deus de Isaac e o Deus de Jacó (Israel). Esse Deus glorificou o Seu Servo Jesus (Atos 3:13-15). Esse Deus e Jesus são distintos mesmo depois da glorificação de Jesus (Atos 3:13-15).

    “O Deus de Abraão, de Isaac, de Jacó, o Deus de nossos pais glorificou o seu servo Jesus, a quem vós entregastes e negastes diante de Pilatos, quando este já estava decidido a soltá-lo. Vós acusastes o Santo e o Justo, e exigistes que fosse agraciado para vós um assassino, enquanto fazíeis morrer o Príncipe da vida. Mas Deus o ressuscitou dentre os mortos, e disto nós somos testemunhas.” Atos 3:13-15.

    “Disse Deus ainda a Moisés: “Assim dirás aos filhos de Israel: ‘Iahweh, o Deus de vossos pais, o Deus de Abraão, o Deus de Isaac e o Deus de Jacó me enviou até vós. Este é o meu nome para sempre, e esta será a minha lembrança de geração em geração.’” Êxodo 3:15.

    E para confirmar, o próprio Jesus afirma que o Deus dos Patriarcas é uma pessoa distinta dele:

    Quanto aos mortos que hão de ressurgir, não lestes no livro de Moisés, no trecho sobre a sarça, como Deus lhe disse: Eu Sou o Deus de Abraão, o Deus de Isaac e o Deus de Jacó? Ora Ele não é Deus de mortos, mas sim de vivos. Errais muito!” Marcos 12:26 e 27.

    Jesus se refere ao Deus de Abraão, o Deus de Isaac e o Deus de Jacó em terceira pessoa, e afirma “Ele não é Deus de mortos, mas sim de vivos”. Logo, isso confirma que Jesus não é o Deus dos patriarcas, mas mostra que ambos são dois seres distintos. Interessante que Jesus afirma indiretamente nesse verso que não era Ele (o próprio Jesus) que estava na sarça ardente. O Deus que falou com Moisés não era Jesus, mas era um Ser distinto, ou seja, era outra Pessoa. Lembre-se que o Deus de Abraão, de Isaac e de Jacó é Iahweh, conforme Êxodo 3:15. Lembrando que o Deus dos Patriarcas é uma pessoa distinta da pessoa de Jesus Cristo, conforme Atos 3:13 a 15.

    O Deus dos Hebreus não é uma trindade, mas é uma única pessoa: O Pai de Jesus Cristo.

    “Jesus respondeu: “O primeiro é: Ouve, ó Israel, o Senhor nosso Deus é o único Senhor, e amarás o Senhor teu Deus de todo teu coração, de toda tua alma, de todo teu entendimento, e com toda a tua força. O segundo é este: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Não existe outro mandamento maior do que esses”.” Marcos 12:29-31.

    Interessante notar que no original hebraico, o termo “Senhor” se refere a Iahweh e Jesus disse no original o seguinte: “Ouve, ó Israel, Iahweh é nosso Deus”. Logo, Iahweh é o Deus de Israel e o Deus de Jesus. Quando Jesus disse “nosso” ele estava se incluindo ao grupo de pessoas que possuem Iahweh como seu Deus. Portanto, Deuteronômio 6:4 não pode ser utilizado para embasar a doutrina da trindade, pois o próprio Jesus afirmou que Iahweh é o Seu Deus. Isso é apenas uma leitura cuidadosa do texto. Prestem atenção! E Jesus passa a citar os mandamentos de amar a Deus e amar ao próximo como a si mesmo. Não existe outro mandamento maior do que esses.

    O escriba que conversava com Jesus entendeu que o Mestre entendia que Iahweh era um Ser único, Uma Pessoa e disse?

    “O escriba disse-Lhe: “Muito bem, Mestre, tens razão de dizer que Ele é o único e não existe outro além dEle…” Marcos 12:32.

    O escriba entendeu que Jesus ao citar Deuteronômio 6:4 não estava fazendo uma referência a uma Trindade, mas Jesus se referia a Deus como sendo uma única pessoa. Lembrando que o contexto de Dt 6:4 afirma que Iahweh é o Deus de Abraão, de Isaac e Jacó e que esse Ser é distinto de Jesus (Atos 3:13 a 15).

    Lembrando: Em João 8:54 Jesus afirmou que Seu Pai é o Deus dos Hebreus, logo, o Pai de Jesus é o Deus do escriba “Ele é o único e não existe outro além dele”.

    Jesus não discordou das palavras do escriba “tens razão de dizer que Ele é o único e não existe outro além dEle”, mas viu que o escriba respondera com inteligência.

    O escriba respondeu corretamente sobre Deus e sobre o amor a Deus e ao próximo. Jesus, vendo que o escriba estava correto em suas respostas disse: “Tu não estás longe do Reino de Deus”.

    Eu gostaria de fazer mais uma colocação:

    Para Jesus, quem é o Deus dos Cristãos? Isso pode ser respondido em João 20:17. Os Cristãos possuem um só Deus, não é verdade? (Deuteronômio 6:4 e 1 Coríntios 8:4-6). Mas quem é?

    “Jesus lhe diz: “Não me retenhas pois ainda não subi ao Pai. Vai, porém, a meus irmãos e dize-lhes: Subo a meu Pai e vosso Pai; a meu Deus e vosso Deus”.” João 20:17.

    Jesus afirmou que o Pai de Maria Madalena era o mesmo Pai de Jesus e que o Deus de Maria Madalena era o mesmo Deus de Jesus Cristo. Maria era uma cristã, logo o Deus e Pai dos cristãos é o mesmo Deus e Pai de Jesus Cristo.

    João 20:17 é um verso muito esclarecedor. Jesus afirmou que Seu Pai é o Pai dos Cristãos e que Seu Deus é o Deus dos Cristãos. O Deus e Pai de Jesus é o Deus e Pai de um Cristão. Quando o apóstolo Paulo afirma:

    “Pois há um só Deus, e um só mediador entre Deus e os homens, um homem, Cristo Jesus.” 1 Timóteo 2:5.

    O termo “um só” é aplicado a uma pessoa única. O verso diz: “um só Mediador”. Quantos Mediadores existem? Apenas um. O Mediador é uma única pessoa, um Ser somente. Esse termo “um só” é aplicado a Jesus Cristo.

    Se “um só Mediador” é Cristo Jesus, um ser pessoal, uma única pessoa, logo as palavras “um só Deus” e referem a um Ser pessoal e único. Elas se referem a um Deus Pessoal, uma única Pessoa distinta do Mediador.

    1 Timóteo 2:5 é muito claro em afirmar que o único Deus é distinto do único Mediador entre o único Deus e os homens. O Ser chamado de “um só Deus” é o Pai de Jesus Cristo. Como sabemos disso? Veja o seguinte verso:

    “Diz-lhe Jesus: “Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida. Ninguém vem ao Pai a não ser por mim.”” João 14:6.

    Jesus é o Mediador entre o Pai (um só Deus) e os homens, conforme João 14:6 e 1 Timóteo 2:5.

    Portanto, temos o seguinte em 1 Timóteo 2:5:

    Um só Deus = Uma única Pessoa = O Pai de Jesus

    Um só Mediador = Uma única Pessoa = Jesus Cristo



    • Maiara Costa - Equipe em 27 de agosto de 2013 10:08

      Olá Carlos!
      Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.
      Se aceitarmos o conceito bíblico de unicidade na pluralidade não teremos dificuldades em entender esta questão.
      Temos muitas evidências na Palavra de Deus de que a Divindade é formada por três seres distintos, mas que são um no poder, no caráter e no propósito. Não são três deuses, mas três pessoas que formam a Divindade. São tão unidos que não podem ser chamados de três deuses
      Podemos ver esse conceito de unicidade na pluralidade comparando os textos de Deuteronômio 6:4 e Gênesis 2:24:
      “Ouve, Israel, o SENHOR, nosso Deus, é o único SENHOR.” Deuteronômio 6:4.
      “Por isso, deixa o homem pai e mãe e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne.” Gênesis 2:24.
      As palavras sublinhadas nos dois versículos, no original hebraico, são as mesmas: echad, que significa “um entre outros”. Do mesmo modo que Deus é “único no sentido plural”, Adão e Eva eram “uma só carne no sentido plural”.
      Caso o texto de Deuteronômio 6:4 estivesse negando a Trindade, Gênesis 2:24 também deveria negar a “pluralidade” de Adão e Eva, uma vez que eles eram “uma só carne”.
      Além disso, se Moisés quisesse negar que a Divindade é composta por mais de uma Pessoa, teria de usar a palavra yachid, que exclui a possibilidade de existirem outros seres inerentes à Divindade, ao invés de echad.
      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira.



  • Carlos em 7 de agosto de 2013 18:04

    Continuando meu comentário anterior…

    Interessante que Ananias foi enviado pelo Senhor até Paulo. Veja esse relato:

    “Certo Ananias, homem piedoso segundo a Lei, de quem davam bom testemunho todos os judeus da cidade, veio ter comigo. De pé, diante de mim, disse-me: ‘Saul, meu irmão, recobra a vista’. E eu, na mesma hora, pude vê-lo. Ele disse então: ‘O Deus de nossos pais te predestinou para conheceres a sua vontade, veres o Justo’ e ouvires a voz saída de sua boca.” Atos 22:12-14.

    Ananias era um homem fiel. Ele sabia que o Ser chamado “O Deus de nossos pais” era um Ser distinto do Justo, que é Jesus. Isso também é confirmado em Atos 3:13-15. O Deus de nossos pais é o Deus de Deuteronômio 6: 3 a 5 e 10. O Deus de nossos pais é o Deus dos Hebreus e Pai de Jesus, conforme João 8:54.

    Isso é mais uma prova que Deuteronômio 6:4 refere-se ao Deus dos Hebreus – o Pai de Jesus Cristo.



    • Maiara Costa - Equipe em 27 de agosto de 2013 10:14

      Olá Carlos!
      Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.
      Como alguém que é o Autor da Vida pode não ser um Ser divino?
      Somente alguém que tem vida originada, não derivada e nem emprestada pode ser considerado como autor da vida.
      Como alguém que é o Pai da Eternidade pode não ser um Ser Divino (Isaías 9:6)?
      Interessante que o próprio Paulo considerava a Cristo como Deus (Romanos 9:5), não nos esqueçamos que Paulo também era judeu piedoso (Filipenses 3:3-6), sem mencionar o fato de que a Bíblia foi escrita por judeus (Romanos 3:1,2).
      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira.



  • Carlos em 7 de agosto de 2013 18:38

    Continuando o meu comentário…

    Que em 1Timóteo 2:5 São Paulo afirmou que o Ser chamado de “um só Deus” é o Pai de Jesus Cristo, devemos ler o que São Paulo escreveu em sua carta aos Romanos.

    “Paulo, servo de Jesus Cristo, chamado para ser apóstolo, separado PARA O EVANGELHO DE DEUS, que ele antes havia prometido pelos seus profetas nas santas Escrituras, ACERCA DE SEU FILHO, que nasceu da descendência de Davi segundo a carne, e que com poder foi declarado Filho de Deus segundo o espírito de santidade, pela ressurreição dentre os mortos – Jesus Cristo nosso Senhor, pelo qual recebemos a graça e o apostolado, por amor do seu nome, para a obediência da fé entre todos os gentios, entre os quais sois também vós chamados para serdes de Jesus Cristo; a todos os que estais em Roma, amados de Deus, chamados para serdes santos: Graça a vós, e paz da parte de Deus nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo. Primeiramente DOU GRAÇAS AO MEU DEUS, MEDIANTE JESUS CRISTO, por todos vós, porque em todo o mundo é anunciada a vossa fé. POIS DEUS, A QUEM SIRVO EM MEU ESPÍRITO, NO EVANGELHO DE SEU FILHO, me é testemunha de como incessantemente faço menção de vós, pedindo sempre em minhas orações que, afinal, pela vontade de Deus, se me ofereça boa ocasião para ir ter convosco.” Romanos 1:1-10.

    Paulo é muito claro nesses versos em afirmar que o Deus dele é um ser distinto de Jesus Cristo ao afirmar “dou graças ao meu Deus, mediante Jesus Cristo” e também quando afirma “Pois Deus, a quem sirvo em meu espírito, no evangelho de seu Filho”. Esses versos escritos por ele são muito claros em afirmar que o Deus de Paulo é um Ser distinto de Jesus Cristo e que esse Deus é o Pai de Jesus Cristo. Logo, esses versos confirmam que o Deus de Paulo é o Pai de nosso Senhor Jesus Cristo e não uma Trindade.

    Em sua carta aos Colossenses, São Paulo também afirma:

    “Paulo, apóstolo de Cristo Jesus pela vontade de Deus, e o irmão Timóteo, aos santos e fiéis irmãos em Cristo que estão em Colossos: Graças a vós, E PAZ DA PARTE DE DEUS NOSSO PAI. GRAÇAS DAMOS A DEUS, PAI DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO, orando sempre por vós.” Colossenses 1:1-3.

    Aqui São Paulo ensina que Deus é o nosso Pai. O Deus de São Paulo também é o Pai de nosso Senhor Jesus Cristo. Logo, existe um único Pai, o nosso Deus.

    “Há um só corpo e um só Espírito, como também fostes chamados em uma só esperança da vossa vocação; um só Senhor, uma só fé, um só batismo; UM SÓ DEUS E PAI DE TODOS, O QUAL É SOBRE TODOS, E POR TODOS E EM TODOS… até que todos cheguemos à unidade da fé e DO PLENO CONHECIMENTO DO FILHO DE DEUS, ao estado de homem feito, à medida da estatura da plenitude de Cristo.” Efésios 4:4-6 e 13.

    Nesses versos acima São Paulo afirma que existe um só Deus de todos e um só Pai de todos, o qual é sobre todos, ou seja, é maior do que todos, e por todos e em todos. Mais a frente ele afirma que o Cristo é o Filho de Deus. Logo, o Deus de quem São Paulo estava se referindo era o Pai de nosso Senhor Jesus Cristo. Portanto, esses versos confirmam que São Paulo era um cristão unitário e não acreditava na doutrina da trindade.

    “Paulo, apóstolo de Cristo Jesus pela vontade de Deus, aos santos que estão em Éfeso, e fiéis em Cristo Jesus: Graça a vós, e paz da parte de DEUS NOSSO PAI, E DO SENHOR JESUS CRISTO. Bendito seja O DEUS E PAI DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO, o qual nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nas regiões celestes em Cristo… para que O DEUS DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO, O PAI DA GLÓRIA, vos dê o espírito de sabedoria e de revelação no pleno conhecimento dele.” Efésios 1:1-3 e 17.

    São Paulo afirma que Deus é o nosso Pai e distinto do Senhor Jesus Cristo. São Paulo também afirma que seja bendito O DEUS E PAI DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO, afirmando assim mostrando que o Senhor Jesus Cristo possui um Deus e um Pai. Mais a frente, São Paulo confirma seu pensamento mostrando que o Senhor Jesus Cristo possui um Deus, o Pai da glória. Portanto, São Paulo entendia que o Senhor Jesus Cristo estava subordinado a Deus mesmo depois de sua glorificação. São Paulo é muito claro em afirmar na carta aos Efésios que o Deus de Jesus Cristo é o mesmo Deus dos cristãos. Existe um Deus apenas, o Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, confirmando que existe um só Deus e Pai de todos (Efésios 4:4-6).

    “sempre DANDO GRAÇAS POR TUDO A DEUS, O PAI, EM NOME DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO, sujeitando-vos uns aos outros no temor de Cristo.” Efésios 5:20-21.

    São Paulo é muito claro em afirmar a identidade de Deus. Ele afirma que Deus é o Pai e que Jesus é o nosso Mediador entre Deus e os homens quando São Paulo afirmou que ele deu graças a Deus, o Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo. Portanto, São Paulo é muito claro em afirmar que o Deus dos cristãos é o Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, um ser distinto do Cristo.



    • Maiara Costa - Equipe em 27 de agosto de 2013 10:16

      Olá Carlos!
      “Porquanto há um só Deus e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem”.

      “Os primeiros seis versos de I Timóteo 2 apresentam um dos maiores testemunhos acerca do escopo universal dos propósitos redentivos de Deus. Observe estas frases, tão familiares aos cristãos agradecidos: ‘Deus nosso Salvador, o qual deseja que todos os homens sejam salvos’ (versos 3 e 4); ‘Cristo Jesus, homem, o qual a Si mesmo Se deu em resgate por todos’ (versos 5 e 6). Entretanto, alguns têm usado os versos 5 e 6 para negar a plena divindade de Cristo Jesus…
      Os antitrinitarianos interpretam essa passagem como significando que, desde que existe ‘um só Deus’ e Jesus é identificado como ‘Cristo-homem’, Jesus não é plenamente Deus, apenas um mediador humano. Neste contexto, entretanto, Paulo naturalmente deveria enfatizar o componente do ser que efetua o papel de ‘Mediador entre Deus e os homens’.
      Observe cuidadosamente que nos versos 1, 2 e 8 o apóstolo salienta a necessidade de ‘súplicas, orações, intercessões… por todos os homens’ (verso 1), de modo que ‘todos os homens’ possam ‘ser salvos’ (verso 4). Portanto, não nos deveríamos surpreender se, no contexto do tema da oração intercessória humana ‘por todos os homens’, o ofício mediatório de Cristo em Sua humanidade recebe ênfase.
      Lembre-se de que em Hebreus o tema de Cristo como mediador e intercessor (na qualidade de nosso sumo sacerdote celestial) sublinha a necessidade de que Ele seja plenamente humano e divino. Hebreus 2:14-18 acentua o Cristo humano, ao passo que Hebreus 7:3 claramente enfatiza o Jesus divino. Neste último texto, Cristo (tal como Melquisedeque, que foi ‘feito semelhante ao Filho de Deus’) é declarado como ‘sem pai, sem mãe, sem genealogia, não tendo começo de dias nem fim de existência… [permanecendo] sacerdote para sempre’.
      Em I Timóteo 2, contudo, Paulo, sem excluir a divindade de Cristo, ressalta Sua profunda identidade com aqueles em favor dos quais é mediador diante de Deus. Alguém observou sabiamente que ‘sendo Deus, Jesus pode representar perfeitamente a Deus diante dos homens, e sendo homem, pode representar perfeitamente o homem diante de Deus’. Hatton comenta que ‘somente sendo Deus pode Jesus compreender as reivindicações de Deus, e somente sendo homem pode compreender plenamente as necessidades dos homens
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira.



  • Carlos em 7 de agosto de 2013 18:47

    Continuando meu comentário…

    São Paulo afirma o seguinte:

    “Pelo que também rogamos sempre por vós, PARA QUE O NOSSO DEUS vos faça dignos da sua vocação, e cumpra com poder todo desejo de bondade e toda obra de fé para que o nome de nosso Senhor Jesus seja glorificado em vós, e vós nele, segundo A GRAÇA DE NOSSO DEUS E DO SENHOR JESUS CRISTO.” 2 Tessalonicenses 1:11-12.

    São Paulo afirma claramente que o Deus dos cristãos é um Ser distinto do Senhor Jesus Cristo ao afirmar “segundo a graça de nosso Deus e do Senhor Jesus Cristo”. Portanto, esses versos são claros em mostrar que o Deus dos cristãos não é uma trindade, mas um Ser pessoal e único, um Ser distinto do Senhor Jesus Cristo.

    Muito Obrigado e um abraço para os Irmãos.

    Fiquem com Deus.



  • Carlos em 7 de agosto de 2013 19:01

    Gostaria de fazer apenas mais um comentário e depois aguardo uma resposta para os comentários que eu tinha feito. O comentário que faço agora envolve os seguintes versos:

    “OUVI UMA GRANDE VOZ NO CÉU DIZENDO: Agora é vinda a salvação e o poder E O REINO DO NOSSO DEUS E A AUTORIDADE DO SEU CRISTO, porque foi precipitado o acusador de nossos irmãos, que os acusava de dia e de noite diante do nosso Deus.” Apocalipse 12:10.

    Esse verso é muito interessante, pois uma grande voz no céu afirmou “… e o reino do nosso Deus, e a autoridade do seu Cristo”. O Deus mencionado nesse verso só pode ser o Pai de nosso Senhor Jesus Cristo. Lendo esse verso, podemos lembrar do Salmo 2:1-2.

    “Por que se amotinam as nações, E os povos tramam em vão? Insurgem-se os reis da terra, E os príncipes conspiram CONTRA JEOVÁ E CONTRA O SEU UNGIDO…”
    Salmos 2:1-2.

    A grande voz do céu afirmava “… e o reino do nosso Deus”. Esse Deus é Jeová, o mesmo Deus de Deuteronômio 6:4 e também afirmava “… e o reino do nosso Deus, e a autoridade do seu Cristo (Ungido). Portanto, o nosso Deus é Jeová (Apocalipse 12:10; Deuteronômio 6:4) e Jesus é o Ungido do nosso Deus conforme os versos que lemos acima.

    Obrigado e um forte abraço para todos os Irmãos.

    Fiquem com Deus.



    • Maiara Costa - Equipe em 27 de agosto de 2013 10:30

      Olá Carlos!
      O texto de Apocalipse 12:10 está se referindo a Cristo no contexto do grande conflito contra o diabo e a sua vitória na cruz do calvário, local onde ficou totalmente evidente a malignidade dele.
      No contexto aqui apresentado Cristo não vem como Deus que é (Filipenses 2:5-8; 1 João 5:20), pois enquanto esteve na Terra veio como um Ser Humano (João 1:14-18), não usou a Sua Divindade em favor de si mesmo em nenhum momento.
      Cristo é o Ungido sim, é o Messias, pois dentro do plano de salvação Ele se subordinou à isso, isso é como já foi explicado no artigo. Os dois tipos de textos que há na Bíblia sobre Cristo. Dentro do plano de salvação, Ele se suborndinou ao Pai funcionalmente, ou seja, apenas em sua função, não nos atributos.
      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um abraço.
      Equipe do Na Mira.



      • Carlos em 27 de agosto de 2013 23:45

        Olá Maiara, tudo bem? Muito obrigado por suas respostas e pela gentileza que a Irmã apresenta em seus comentários. Quando eu tiver um tempo disponível eu gostaria de comentar algumas respostas que a Irmã colocou aos meus argumentos. Por hora estou um pouco ocupado com meus estudos na faculdade. Mas mais uma vez gostaria de lhe agradecer por suas respostas.

        Que Deus abençoe a Irmã e toda a Equipe do Na Mira da Verdade.

        Um abraço para todos.



        • Maiara Costa - Equipe em 28 de agosto de 2013 14:22

          Olá Carlos!
          Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.
          Fique a vontade para responder quando quiser.
          Que Deus abençoe os seus estudos.
          Um forte abraço.
          Equipe do Na Mira.



  • pancho em 8 de agosto de 2013 23:44

    devemos adorar a jesus



    • Maiara Costa - Equipe em 9 de agosto de 2013 9:54

      Olá Pancho!
      Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.
      Cristo é tão divino quanto o Pai e o Espírito Santo (Colossences 2:9; 1 João 5:20; Romanos 9:5), sendo assim Ele é tão digno de receber adoração quanto o Pai.
      A Bíblia nos mostra que em seu tempo Jesus foi reconhecido com um Ser Divino, inclusive recebendo adoração (Mateus 28:17; Lucas 14:33; Hebreus 1:6; Filipenses 2:10,11; Hebreus 13:21; 2 Timóteo 4:18; 2 Pedro 3:18).
      Cristo é Emanuel, ou seja, Deus Conosco (Mateus 1:23).
      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira.



  • Marcelo em 10 de agosto de 2013 18:16

    Então Moisés é Deus tb.
    Jesus foi elevado a uma posição mais exaltada. Ele tem principio sem fim, Parem de iludir com catolicismo as pessoas. Assumam de vez seu ecumenismo e rendam de uma vez por todas graças a o papado, é mais sincero



    • Maiara Costa - Equipe em 13 de agosto de 2013 12:19

      Olá Marcelo!
      Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.
      Qual é a diferença entre imortal e eterno?
      A Bíblia me diz que Deus é eterno (Isaías 40:28) e que possui imortalidade (1 Timóteo 6:15,16). Essa imortalidade Ele concede àqueles que lhe são fiéis ou por meio da glorificação (1 Coríntios 15:52-54) ou por meio da ressurreição.
      Moisés não é eterno, mas recebeu de Cristo a imortalidade quando foi por Ele ressuscitado (Judas 9).
      A diferença entre eterno e imortal é bastante simples.
      Eterno: não tem começo e nem fim.
      Imortal: tem começo, mas não tem fim.
      Sendo assim, Moisés não pode em hipótese alguma ser considerado Um Ser Divino.
      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira.



  • João Paulo em 11 de agosto de 2013 23:17

    Olá amigos ! Tenho dúvida, se o filho se tornou humano para nos salvar como ele era antes? O termo “filho” é usado para termos uma pequena idéia sobre a trindade? A bíblia nos diz algo sobre isso?



    • Maiara Costa - Equipe em 13 de agosto de 2013 15:08

      Olá estimado amigo João Paulo!
      Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.
      A Bíblia nos mostra que Cristo sempre foi Deus (João 1:1-3,14; Filipenses 2:6 e 7; Colossenses 2:9; Romanos 9:5; 1 João 5:20), ela não entra em detalhes quanto a sua forma ou aparência.
      O termo filho apresenta a função de Cristo dentro do plano da redenção, mostra que Cristo enquanto encarnado exercia uma subordinação funcional em relação ao Pai dentro do plano da redenção.
      O termo filho no original em grego aplicado a Cristo significa: neste título, a Palavra Filho é usada a cerca de às vezes relação; as vezes a expressão do caráter. Os discípulos,por exemplo, quando se dirigiam a Ele como o Filho de Deus (Mateus 14?33; 16:16; João 1:49), quando o centurião assim se referiu a Ele (Mateus 27:54), eles provavelmente queriam dizer que Ele era uma manifestação de Deus em forma humana.
      Gostaria de recomendar à você a leitura do livro: O Incomparável Jesus Cristo da editora Unaspress.
      Contato: unaspress.unasp.edu.br
      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira.



  • Richard cirino da siva em 12 de agosto de 2013 12:30

    Estou sofrendo na minha empresa por que sou adventista a 3 meses e a minha empresa esta me prejudicando por não me dexar fougar no sabado e fica me dando varias advertencia e eu posso ser mandado em bora por justa causa e ternho um filha e esposa !



    • Maiara Costa - Equipe em 13 de agosto de 2013 10:44

      Olá Richard!
      Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.
      Muitos filhinhos sinceros de Deus estão tendo contato com a palavra da verdade e estão por meio dela se confrontando com verdades que nunca tiveram oportunidade de conhecer antes e assim, sendo postos em grandes dilemas e pontos de decisões. Estão conhecendo doutrinas bíblicas que não são pregadas pela maioria das igrejas dentre elas o sábado e naturalmente surge a pergunta: “Como posso me manter fiel ao quarto mandamento, sustentar a minha família e manter um emprego? A grande dificuldade para muitos hoje não está em aceitar o princípio bíblico da guarda do sábado, mas sim praticar o mandamento.
      Esteja certo que da mesma forma como Cristo esteve com você quando tomou a decisão de ser fiel a Ele e aceitá-lo como seu Salvador, Ele está com você agora nesses momentos de provação (Mateus 28:20) e saiba que Ele também sabe o que é ser perseguido por causa do dia de sábado.
      Portanto, nunca duvide que Cristo é contigo e que estará sempre ao seu lado.
      Faça o que estiver ao seu alcance para permanecer fiel a Deus e deixe que no limite das impossibilidades Ele atue, pois é especialista nisso, não havendo para Ele impossíveis (Mateus 19:26).
      Continue procurando um emprego ou se for o caso outro emprego, se desfaça de coisas que possam trazer dívidas e confie em Deus, pois Ele tem planos e já tem um lugar preparado para você. Ore, busque a orientação dEle na Bíblia que é a Sua palavra.
      Fazendo a sua parte e permanecendo fiel ao Senhor, com certeza poderá confiar nas promessas que Ele deixou:
      “Honrarei aqueles que Me Honrarem”. (1 Samuel 2:30).
      “Abençoarei o homem que tomar uma decisão firme de não trabalhar nos sábados para não profaná-lo, e de vigiar a sua mão para não fazer o mal”. Isaías 56:2.
      “Já fui moço, agora sou velho, mas nunca vi o justo ser abandonado pelo Senhor, nem seus filhos mendigarem o pão”. Salmos 37:28.
      “E o meu Deus suprirá todas as suas necessidades, por meio das suas gloriosas riquezas em Jesus Cristo”. Filipenses 4:19.
      “Pois é capaz de fazer muito mais do que jamais ousaríamos pedir ou mesmo imaginar, infinitamente além de nossas mais altas orações, anseios, pensamentos ou esperanças”. Efésios 3:20.
      Esse é o Deus ao qual escolhemos servir e Ele é fiel, creia nisso. E nunca se esqueça que aquele que escolhe ser fiel a Deus, será provado.
      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira.



  • Bruno Queiroz em 13 de agosto de 2013 10:23

    Ótimo Estudo,vários textos na Bíblia corroboram a divindade de Cristo (Jo1.1;20.28;Sl45.6-7;Hb1.8;Rm9.5;Tt2.13; Is9.6;1Jo5.20) Jesus é o Soberano Senhor(At4.33;9.17;10.36;16.31;Lc2.11;1Co2.8;Sl24.8-10),Digno de Adoração(Mt2.11;Hb1.6;Ap5.8).o Ouvinte das Orações(1Co1.2;2Co12.8;At7.59),o Criador(Jo1.3;Cl1.15-16;Hb1.3,8,10;Ap3.14),o Eterno(Is9.6;Mq5.2),Onipresente(Mt18.20;28.20;Jo3.13) e Onisciente(Jo16.30;Cl2.3).Portanto Jesus Cristo é Tudo o que Deus é(Cl1.19;2.9). http://estudosbiblicosmanabetel.blogspot.com.br/



    • Maiara Costa - Equipe em 13 de agosto de 2013 11:27

      Olá estimado amigo Bruno!
      Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.
      Muitíssimo obrigado por suas tão preciosas contribuições.
      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira.



  • Evandro Leite em 13 de agosto de 2013 14:45

    Gosto muito deste programa. E principalmente da capacidade que DEUS tem dado ao pastor Leandro Quadro de responder de acordo a palavra dele.



  • jose maria em 16 de agosto de 2013 11:12

    quem criou os dinossauros; eles existiram ou nao



    • Maiara Costa - Equipe em 20 de agosto de 2013 17:50

      Olá José Maria!
      Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.
      A Bíblia não nos traz informações sobre os dinossauros, pois, o seu objetivo não é esse , contudo em Gênesis 1:21 diz que Deus criou “os grandes animais marinhos” terminologia que inclui os animais pré-históricos como os dinossauros, herbívoros, sendo assim, sim, eles existiram.
      Para você se aprofundar nesse assunto gostaria de convidá-lo para acessar o blog: criacionismo.com.br
      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira.



  • KAYPYM em 17 de agosto de 2013 8:17

    a Biblia diz que Deus é unico,um e um só então como conciliar com esta crença de que existe outro deus chamdo filho,se jesus é Deus porque tudo o que ele tem foi dado por outro Deus.

    O PAI É O CABEÇA (CHEFE) DO FILHO.
    “Quero, porém, que saibais: a origem de todo o homem é Cristo, a cabeça da mulher é o homem,
    e a cabeça de Cristo é Deus.” I Cor. 11:3 (BJ)

    OBS: A expressão “a cabeça” significa autoridade superior, chefe ou governante. Exemplo ler Êxodo 18:25. Paulo coloca a afirmação no tempo presente e nesse tempo Jesus estava na sua condição glorificada a destra do Pai.

    O PAI É TAMBÉM O DEUS DO FILHO
    “Jesus lhe diz: ‘Não me toques, pois ainda não subi ao Pai. Vai, porém, a meus irmãos e dize-lhes: Subo a meu Pai e vosso Pai; a meu Deus e vosso Deus.” João 20:17 (BJ)

    OBS: Além desta passagem a outras afirmando que o Pai é o Deus do Senhor Jesus, podemos citar como exemplo: Apocalipse 3:2 e 12. No livro de Apocalipse Cristo já está glorificado, portanto, mesmo depois de glorificado Jesus continua admitindo que o Pai é o Deus dele.

    O PAI FAZ REVELAÇÃO AO FILHO
    “Revelação de Jesus Cristo; Deus lha concedeu para que mostrasse aos seus servos as coisas que devem acontecer muito em breve. Ele a manifestou com sinais por meio de seu Anjo, enviando ao seu servo João.” Apocalipse 1:1 (BJ)

    OBS: Nesta passagem, Jesus já encontra-se no céu, na sua condição glorificada. Este verso é mais uma confirmação de que somente o Pai conhece todas as coisas, do contrário, não haveria necessidade do Pai revelar ao Filho coisa alguma, visto que o Filho também teria o conhecimento de todas as coisas. Outro exemplo: “e sei que seu mandamento é vida eterna. O que digo, portanto, eu digo como o Pai me disse.” João 12:50 (BJ) e João 8:28.

    O PAI DÁ AUTORIDADE AO FILHO
    “Jesus, aproximando-se, falou-lhes, dizendo: Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra.” Mateus 28:18

    OBS: Se alguém recebe autoridade é porque não tinha antes. Mais uma vez fica caracterizado a condição de superioridade do Pai em relação ao Filho.

    O PAI ORDENA AOS ANJOS QUE ADOREM AO FILHO
    “E ao introduzir o Primogênito no mundo, diz novamente: Adorem-no todos os anjos de Deus.”
    Hebreus 1:6 (BJ)

    OBS: Porque a necessidade de dar ordens aos anjos para adorar ao Filho? Sabemos que o ato de adorar é na verdade o ato de obedecer. Neste verso de Hebreus 1:6, a ordem não foi dada apenas aos anjos e para aquela ocasião. Deus ordenou também aos homens que obedecessem ao Seu Filho. Em outras palavras que adorassem Seu Filho. Ler Mateus 17:5 e João 5:23.

    O PAI CONCEDE VIDA AO FILHO
    “Assim como o Pai tem a vida em si mesmo, também concedeu ao Filho ter a vida em si mesmo” João 5:26 (BJ)

    OBS: O texto é claro e diz que a vida do Filho é uma dádiva do Pai. Isso prova que o Filho morreu de verdade e de fato como qualquer pessoa. Se Cristo não morreu completamente e verdadeiramente, os espíritas estão corretos em sua doutrina que diz que a alma é imortal. Mas não é assim que diz a Bíblia, de fato Jesus Cristo morreu e foi ressuscitado por Seu Pai. Ler Atos 13:36-37; Atos 2:27.

    O PAI MANTÉM A VIDA DO FILHO
    “Assim como o Pai, que vive, me enviou e eu vivo pelo Pai, também aquele que de mim se alimenta viverá por mim.” João 6:57 (BJ)

    OBS: Observe que Jesus faz uma comparação de dependência. Ou seja, da mesma forma que a nossa vida depende de Jesus, a vida de Jesus depende do Pai. Uma coisa esta ligado a outra. Uma vida depende da outra.

    O PAI RESSUSCITOU O FILHO
    “Seja manifesto a todos vós e a todo o povo de Israel: é em nome de Jesus Cristo, o Nazareu, aquele a quem vós crucificastes, mas a quem Deus ressuscitou dentre os mortos, é por seu nome e por nenhum outro que este homem se apresenta curado, diante de vós.” Atos 4:10 (BJ)

    OBS: Deus o Pai, é vida, visto que não existe vida sem Deus. Alguns trinitarianos chegam ao absurdo de dizer que Jesus ressuscitou por si mesmo, contrariando dezenas de textos bíblicos que claramente afirmam que o Pai ressuscitou ao Filho.



    • Maiara Costa - Equipe em 19 de agosto de 2013 17:08

      Olá Kaypym!
      Que Deus te abençoe grandiosamente.

      DOIS TIPOS DE TEXTOS SOBRE JESUS

      Algumas pessoas sinceramente não sabem (outros, ignoram) que na Bíblia há pelo menos dois tipos de versículos que tratam da natureza de Cristo. Precisamos considerá-los juntos, se quisermos aprender tudo aquilo que nos foi revelado sobre a Pessoa de Jesus na Bíblia.

      Nas Escrituras encontramos textos que mostram o Salvador no mesmo nível que Deus Pai (Colossenses 2:9) e versos que O mostram numa condição inferior ao Pai (João 14:28).

      – Os versículos que colocam a Cristo no mesmo patamar que as demais pessoas da divindade se referem a Ele em Sua natureza divina.

      – Já os versos que apresentam a Jesus numa condição “inferior” se referem a Ele em Sua condição encarnada, na qual se encontra subordinado ao Pai.

      Essa subordinação de Cristo é apenas funcional e não essencial. Devido à Sua encarnação, Ele assumiu uma função inferior ao Pai, limitando voluntariamente até mesmo a própria Onisciência (Mt 24:36). Porém, na sua essência como Deus, Cristo em nada difere do Pai, tanto que reassume totalmente Sua Onisciência após Sua ascensão: “[…] para que o coração deles seja confortado e vinculado juntamente em amor, e eles tenham toda a riqueza da forte convicção do entendimento, para compreenderem plenamente o mistério de Deus, Cristo, em quem todos os tesouros da sabedoria e do conhecimento estão ocultos”.

      A DIVINDADE DE CRISTO NO EVANGELHO DE JOÃO

      Historicamente, Cristo não foi “conclamado” divino só no Concílio de Nicéia. Muito antes daquela reunião que visava derrubar o arianismo, a Bíblia e cristãos primitivos já acreditavam na Divindade do Salvador. Isso pode ser provado bíblica e historicamente:

      I – O evangelho de João e a Divindade de Cristo
      Na presente carta, vou me deter apenas ao evangelho de João para provar que Cristo é Divino. Vamos ao estudo do que o apóstolo escreveu a respeito de Jesus:

      1 – Contexto histórico

      Para começar, é importante termos em mente que o objetivo do quarto evangelho, escrito no final do século I, foi defender a encarnação e a Divindade de Cristo diante (muito provavelmente) do gnosticismo. O apóstolo queria que as pessoas acreditassem em Jesus como Filho de Deus para que fossem salvas (João 20:30, 31). Interessante que, na linguagem joanina, o termo “Filho de Deus” não significa “ser criado” e nem denota “inferioridade”; para o autor, o título “Filho de Deus” significa igualdade com o Pai na Divindade. Isso é bem claro em João 5:18; 19:7 e na primeira carta dele, cap. 5:20, onde Ele chama Jesus de DEUS: “Também sabemos que o Filho de Deus é vindo e nos tem dado entendimento para reconhecermos o verdadeiro; e estamos no verdadeiro, em seu Filho, Jesus Cristo. Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna.” Perceba que se quisermos entender um termo bíblico, não podemos interpretá-lo de acordo com o significado da língua portuguesa; precisamos levar em conta a língua original em que o texto foi escrito (grego, hebraico ou aramaico) e o significado de qualquer expressão NA CULTURA em que ela está inserida. Portanto, o termo “Filho” na Bíblia, em referência à Cristo, não tem o mesmo significado que em nossa língua portuguesa e cultura ocidental.
      Como disse o Dr. F.F. Bruce, “João conferiu a máxima importância à verdade eterna, que ele identificou com a automanifestação divina, o Verbo que existia no princípio com Deus”. Isso está em harmonia com João 1:1-4 e 14. Se Jesus não fosse DEUS com o Pai, não haveria necessidade de João dizer que Jesus é o Deus que revelou o Pai, por meio da encarnação (leia os textos de João 1:1-4 e 14). E, além disso, se Cristo fosse uma criatura, a salvação por meio Jesus, no evangelho de João (e no restante da Bíblia) perderia o valor. Sim, pois o valor da salvação está no fato de que não foi uma criatura quem veio salvar o ser humano, mas o próprio Deus esteve aqui em carne para solucionar o nosso problema. É por isso que Jesus Cristo é chamado em Isaías 7:14 de “Emanuel”, que significa “Deus conosco”. Deus “não tirou o corpo fora”; Ele mesmo veio resolver o problema do pecado! Reflita nisso com carinho.
      Estas informações são importantes porque assim conseguimos entrar um pouco na mente do autor inspirado quando preparou o relato da vida de Cristo.

      2 – Textos de João que afirmam diretamente que Jesus é Deus eterno

      • João 1:1-3 e 14 – é dito que Jesus era Deus desde o princípio, estava com Deus e que criou TODAS AS COISAS com Ele (se fosse uma criatura, como poderia ser o criador DELE MESMO, sendo que TUDO foi feito por meio dEle? – verso 3). Também nos é apresentado que este DEUS, que esteve com o Pai desde o princípio, encarnou para nos salvar.
      • João 1:15 – Jesus é pré-existente;
      • João 1:18 – Jesus é “Deus Unigênito” que torna o Pai conhecido;
      • João 1:23 – texto muito forte, pois faz menção a Isaías 40:3, onde é dito que alguém prepararia o caminho para a vinda de “Jeová”. João Batista preparou o caminho de Jesus, indicando assim que Jeová de Isaías 40:3 é Cristo!
      • João 1:29, 30 – Cristo é o Cordeiro que tira o pecado do mundo e que já existia antes de vir a este planeta (pré-existência);
      • João 1:34 – o apóstolo dá testemunho de que Cristo é o “Filho de Deus” (lembre-se que “Filho”, na linguagem de João, significa igualdade – ver João 5:18; 19:7);
      • João 1:47-49 – Natanael claramente reconhece que Jesus é o “Filho de Deus”, indicando assim que acreditava ser Ele DEUS;
      • João 1:50 – Jesus afirma que os discípulos verão os anjos voltando a este mundo com Ele – o criador dos anjos;
      • João 2:11 – o primeiro milagre de Cristo, onde Ele transforma água em “vinho” (suco de uva – Isaías 65:8) serviu para que vários discípulos cressem no poder glorioso dEle;
      • João 3:15, 16 – Quem crê em Jesus tem a vida eterna. Só Deus pode dar a vida eterna a alguém por crer nEle, não numa criatura (não faria sentido algum!). Em Atos 3:15, Cristo é chamado de Autor da vida; como poderia ser uma criatura?
      • João 3:36 – quem não crer que Jesus é o “Filho de Deus”, ou seja: quem não acreditar na Divindade de Cristo e não O aceitar como Salvador e Deus, irá se perder;
      • João 5:17, 18 – Quando Jesus afirmou que Deus era o Pai dEle, os judeus quiseram matá-Lo porque entenderam que o termo “Filho” significa igualdade em divindade. Se o Salvador estivesse dizendo que era uma “criatura”, não seria acusado de “blasfêmia”. Portanto, para o apóstolo João, blasfêmia é alguém afirmar que Cristo não é Deus, sendo que no seu livro ele relata 8 milagres (além de outros acontecimentos sobrenaturais) com o objetivo de provar que o Salvador é Divino!
      • João 5:21 – Jesus afirma que tem o mesmo poder que o Pai para ressuscitar, dar a vida!
      • João 5:22 – Cristo é o juiz da humanidade – só Deus pode ser “Justo Juiz”: “Deus é justo juiz…” Salmo 7:11.
      • João 5:23 – A mesma honra que é atribuída a Deus o Pai, deve ser atribuída ao Filho, por também ser Divino!
      • João 5:26 – Cristo tem vida em Si mesmo, do mesmo modo que o Pai ;
      • João 5:28, 29 – Jesus é quem irá ressuscitar os mortos. Isso é feito por Deus, o que cria a vida!
      • João 5:40 – É preciso ir ao Salvador para ter a vida eterna, pois Ele é a fonte;
      • João 5:33, 35, 40, 50 – Jesus é o “pão da vida”, a fonte de vida para todo o que crer nEle como Senhor, Salvador e Deus;
      • João 5:46 – Jesus afirma que “veio de Deus” e que “viu” a Deus;
      • João 6:64 – Cristo é onisciente – característica essa totalmente Divina! (ver também João 18:4);
      • João 6:68, 69 – Pedro confessou pela fé que Cristo era o “Santo de Deus” e não “a criatura de Deus”;
      • João 7:46 – os guardas do templo, que haviam sido designados para prender Jesus, não conseguiram fazer isso de imediato porque viram nEle algo de sobrenatural nas palavras que dizia;
      • João 8:12 – Cristo é a “luz do mundo”. Por aceitarmos essa Luz Divina em nossas vidas, podemos transmiti-La a outros (Mateus 5:13, 14);
      • João 8:23 – O Salvador diz que não é desse mundo, mas de outro. E afirma com clareza no verso 24 que quem não crer em Quem Ele é, irá morrer nos próprios pecados;
      • João 8:36 – Cristo é o que liberta o ser humano do pecado. Característica de um ser Divino, pois o grave problema do pecado não pode ser resolvido por uma criatura;
      • João 8:44 – Jesus demonstra conhecer o diabo “desde o princípio”. Para isso, Ele teria que ter sido o criador do anjo caído (que havia sido criado perfeito, segundo Ezequiel 28:15).
      • João 8:57-59 – esta declaração do próprio Cristo é fantástica. Ele diz ser o “Eu Sou” de Êxodo 3:14! Se autointitulou “Jeová” de modo que os judeus quiseram apedrejá-Lo. Acreditamos no que Jesus disse sobre Si (que Ele era Deus) ou O rejeitamos completamente. Ele foi um Deus-homem que falou a verdade ou um lunático. Não há como ficar no meio termo!
      • João 9:17 – testemunhas oculares viram os sinais miraculosos de Jesus;
      • João 9:38- Jesus foi adorado e não rejeitou tal adoração!
      • João 10:11 – Cristo afirma ser o Deus PASTOR mencionado no Salmo 23 e em Apocalipse 7:17! Como negar tamanha verdade?
      • João 10:18 – Cristo disse que espontaneamente deu a vida Dele e que tinha poder para reassumi-la. Tem que ser Divino para ter um poder desses;
      • João 10:28, 30, 31, 33 – Cristo afirma que Ele e o Pai são uma unidade e, o fato de os judeus quererem apedrejá-Lo demonstra que, com essa declaração, o Salvador estava se fazendo IGUAL a Deus Pai em Divindade;
      • João 10:39 – Cristo diz que o Pai estava nEle e Ele, no Pai, ensinando assim que eles são UM em UNIDADE. Os judeus quiseram apedrejá-Lo novamente por blasfêmia;
      • João 11:25 – Cristo afirma ser a fonte de vida;
      • João 11:43, 44 – Jesus ressuscita um morto com Sua palavra de ordem (não como o fez Elias, que pediu a Deus), indicando que tinha autoridade Divina para dar a vida. Não é por acaso que Atos 3:15 chama-O de autor da vida!
      • João 12:45 – Ver a Jesus é o mesmo que ver a Deus Pai, pois são UM em Unidade (não em personalidade);
      • João 14:1 – Cristo pede que as pessoas creiam em Deus e também nEle. O texto perderia o sentido se Ele fosse uma criatura: “creiam no Criador e em mim, a criatura”;
      • João 14:3 – Ele promete voltar em glória e majestade. Sendo o Juiz de toda a humanidade (João 5:22), Ele é Deus (Salmo 7:11);
      • João 14:6 – Cristo ensina que é o caminho, a verdade e a vida. O Salmo 36:9 nos mostra que Deus é a fonte de vida! Portanto, Cristo é identificado como Deus, autor da existência;
      • João 14:9, 10 – Ver a Cristo é o mesmo que ver o Pai. Se Ele fosse um ser criado, o Pai estaria sendo igualado a uma criatura – atitude blasfema;
      • João 14:13, 14 – Cristo atende orações. Um anjo não poderia fazer isso;
      • João 16:27 – Deus ama quem acredita que Jesus não foi um simples homem, mas que veio de Deus;
      • João 17:3 – Jesus disse que nossa vida eterna depende do correto conhecimento que temos de Deus e dEle também!
      • João 17:5 – Cristo já era um Deus glorioso antes de existir o mundo;
      • João 18:6 – Quando o Salvador disse quem era Ele, os soldados que iriam prendê-Lo caíram por causa da autoridade divina que estava em Suas palavras!
      • João 19:7 – novamente Jesus é acusado de “blasfêmia” porque a si mesmo se fez IGUAL a Deus (por se intitular como “Filho”);
      • João 19:37 – Compare este texto com Zacarias 12:4, 10 onde é profetizado que DEUS seria traspassado. João chama Jesus de “Jeová” sem deixar margem para dúvidas!
      • João 20:28 – Tomé, um judeu, reconheceu a Divindade de Cristo ao chamá-Lo de “Deus meu”. E Tomé não foi considerado um idólatra por adorar a Cristo.
      Não mencionei nessa listagem as evidências do evangelho de João de que o Espírito Santo também é uma Pessoa Divina. Farei isso noutra ocasião, se você quiser continuar estudando comigo sobre o tema.
      A listagem de textos que lhe apresentei é suficiente para crer que Jesus é Deus e Salvador de todo aquele que nEle crer e O aceitar. Ele convida você em Apocalipse 3:20: “Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e cearei com ele, e ele, comigo.” E promete em João 6:37: “Todo aquele que o Pai me dá, esse virá a mim; e o que vem a mim, de modo nenhum o lançarei fora.”

      3 – As declarações de Jesus em João 20:17 e 10:34, 35

      Aqui faremos uso da exegese (aplicar as regras da hermenêutica) para entendermos os textos bíblicos. E uma dessas regras é analisar o contexto interno do texto bem como alguma referência paralela que trate do mesmo assunto.
      Em João 20:17, Jesus chama o Pai de Deus. Isso em nada diminui a Divindade do Salvador do mesmo modo que de Deus Pai não deixa de ser Deus ao chamar a Cristo de Deus (analisaremos depois Hebreus 1:8).
      Já o texto de João 10:34, 35 precisa ser interpretado, como disse anteriormente, levando-se em conta o contexto interno do livro e texto(s) paralelo(s). Quando vamos à Bíblia, descobrimos que a palavra plural “deuses” com letra minúscula era aplicados aos juízes humanos por eles serem representantes de Deus, o Juiz Supremo. E o Salmo 82:6, texto paralelo, comprova isso: “Eu disse: sois deuses, sois todos filhos do Altíssimo”. Leia o contexto (versos 1-5) e veja que neste Salmo Deus está pronunciando um castigo sobre os juízes corruptos!
      Portanto, Cristo não estava dizendo que os líderes judeus eram “deuses” com essência divina, mas estava usando um termo que eles conheciam para defender as próprias declarações de que era Deus. Prova de que o Salvador não estava menosprezando a própria divindade em João 10:34, 35 encontramos no mesmo capítulo, nos versos 38 e 39: “mas, se faço, e não me credes, crede nas obras; para que possais saber e compreender que o Pai está em mim, e eu estou no Pai. Nesse ponto, procuravam, outra vez, prendê-lo; mas ele se livrou das suas mãos.” João 10:38-39. Os judeus entenderam bem que Cristo, em outras declarações do mesmo capítulo, estava se autointitulando Divino.

      4 – O que Deus Pai disse sobre Jesus

      1) O Pai chamou Jesus de DEUS! “Mas acerca do Filho: O teu trono, ó Deus, é para todo o sempre; e: Cetro de equidade é o cetro do seu reino.” Hebreus 1:8. Perceba que Hebreus 1:8, 9 é uma citação do Salmo 45:6, 7, que fala de “Jeová” (ou “Javé” – ninguém sabe ao certo a pronúncia do nome hebraico de Deus);

      2) O Pai disse que Jesus também era “Jeová” como Ele, Criador de todas as coisas! “Ainda: No princípio, Senhor, lançaste os fundamentos da terra, e os céus são obra das tuas mãos; eles perecerão; tu, porém, permaneces; sim, todos eles envelhecerão qual veste; também, qual manto, os enrolarás, e, como vestes, serão igualmente mudados; tu, porém, és o mesmo, e os teus anos jamais terão fim.” Hebreus 1:10-12.

      Analise também que o autor de Hebreus 1:10-12 aplicou a Jesus o Salmo 102:25-27, que se refere ao Deus do Antigo Testamento. Compare os dois textos depois de ler este Salmo: “Em tempos remotos, lançaste os fundamentos da terra; e os céus são obra das tuas mãos. Eles perecerão, mas tu permaneces; todos eles envelhecerão como uma veste, como roupa os mudarás, e serão mudados. Tu, porém, és sempre o mesmo, e os teus anos jamais terão fim.”

      3) O Pai afirmou que Jesus deve ser adorado: “E, novamente, ao introduzir o Primogênito no mundo, diz: E todos os anjos de Deus o adorem.” Hebreus 1:6.

      4) O Pai disse que amava a Jesus: “E eis uma voz dos céus, que dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo.” Mateus 3:17.

      Concluindo: Se formos obedientes ao Pai, chamaremos Jesus de Deus, assim como Deus Pai o faz. E ainda seguiremos a ordem dEle de adorar a Jesus!
      Estude com carinho tudo o que lhe escrevi e enviei. Estarei com o coração aberto às suas colocações e para eventuais evidências bíblicas ou históricas que possua que refutem o que lhe apresentei.
      Deixo-lhe um texto bíblico para sua reflexão:

      “Atendei por vós e por todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos constituiu bispos, para pastoreardes a igreja de Deus [Jesus!], a qual ele [Jesus!] comprou com o seu próprio sangue [Jesus!].” Atos 20:28.

      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira.



      • Marlon em 15 de novembro de 2013 8:30

        Há mentiras nesse texto.
        “Desse modo, o conceito de Triunidade encontrado na Bíblia nada tem a ver com politeísmo…”
        Onde na bíblia se encontra o conceito de um deus triúno??? Desafio a pessoa que escreveu esse texto, a me apresentar a passagem bíblica que faz tal afirmação, ou seja, que diz que Deus é formado por 3 pessoas!
        Estou aguardando!



        • Maiara Costa - Equipe em 3 de dezembro de 2013 16:14

          Olá Marlon!
          E onde estão as mentiras do texto?
          Um forte abraço.



      • Wander em 18 de novembro de 2013 14:02

        Por que não aprovaram meu comentário? Pensei que esse espaço fosse livre para expor ideias de forma civilizada… Bom, talvez tenha ocorrido algum engano… vou colocar mais uma vez meus raciocínios, pois gostaria muito de obter respostas…

        O espírito santo é a terceira pessoa da trindade?

        6 Perguntas sobre a terceira pessoa da trindade

        1) Por que não se ora a ele nas escrituras?

        2) Por que não se adora a ele nas escrituras? Ora, se existe mesmo um deus que é formado por 3 pessoas eternamente co-iguais, é de se esperar que os 3 recebam o mesmo louvor e atenção. Então por que o descaso nas escrituras quanto a se adorar ou orar ao espírito santo? Por que somente YHWH exige adoração para si?

        3) Por que há tantas dúvidas, e não se pode provar de forma cabal que ele é realmente uma pessoa? (Personalização literária não serve pra provar a pessoalidade do espírito de Deus. É comum a Palavra de Deus personificar coisas que não são pessoas. Entre essas estão a sabedoria, o discernimento, o pecado, a morte e a benignidade imerecida. (Provérbios 8:1-9:6; Romanos 5:14, 17, 21; 6:12) O próprio Jesus disse que “a sabedoria é provada justa por todos os seus filhos”, ou por seus bons resultados. (Lucas 7:35) É evidente que a sabedoria não é uma pessoa que tem filhos literais.) Em 1 João 5:6-8, não só o espírito, mas também “a água e o sangue” são mencionados como ‘dando testemunho’. E há centenas de exemplos bíblicos mais sobre esse tipo de personificação. Portanto os textos em que há personificação literária do espírito santo, são insuficientes para provar que ele é realmente uma pessoa. Veja bem que ninguém tem dúvidas de que Deus (YHWH) e seu filho unigênito (Jesus), são dois seres literais e distintos, mas o mesmo não acontece com o espírito santo, como está sendo mostrado. Pense nisso.

        4) Por que a bíblia nos informa o nome de Deus pai (YHWH) e do Messias (Jesus), mas não o nome do espírito santo? Ele é conhecido somente como o “espírito de Deus”? “Adoramos o que conhecemos”(João 4:22)… Podemos dizer que conhecemos a “terceira pessoa da trindade” se nem o seu nome sabemos?? O nome representa a pessoa: Salmo 20:1,5 Apoc. 3:12; 14:1; 22:4

        5) Por que há uma clara hiérarquia onde o espírito santo está claramente abaixo de Deus? Além de ser enviado tanto por Deus e pelo filho (veja o que Jesus disse sobre ser “enviado” em João 13:16, e lembre-se, para o espírito santo não há a desculpa de “natureza humana”), ele ainda é claramente “dado” aos seres humanos pelo pai. Uma “pessoa” divina não pode ser dado ou outorgado pela outra pessoa divina. Se “o Espírito Santo” é co-igual com o Pai, Ele pode estar debaixo da Sua autoridade?

        6) Por que ele é tão ausente em vários textos, muitos onde se cita Jesus e Deus triunfantes e unidos no mesmo propósito, e muitos onde a presença dele seria obrigatória pra magnificar a tal trindade?
        Pra ficar em apenas 3 exemplos, entre centenas que poderiam ser dados:

        Mateus 24:36 “Acerca daquele dia e daquela hora ninguém sabe, nem os ( 1 ) anjos dos céus, nem o ( 2 ) Filho, mas unicamente o ( 3 ) Pai. [Se houvesse uma terceira pessoa, com certeza deixar de mencioná-la para se mencionar os anjos, seria descabido, isso evidencia que no céu existem estas três classes, Deus Pai, Jesus e os anjos.”]

        Revelação 7:10 Só devemos a salvação a Deus e a Jesus Cristo segundo esse texto.

        Revelação 22:3 Por que só Deus e o cordeiro possuem trono?

        OBS:
        Inclusive o texto base dessa página (João 17:3), é mais uma flagrante exclusão do espírito santo da tríade católica!

        BOM É ISSO…

        Obrigado pela oportunidade de me expressar, e se não aprovarem mais uma vez o comentário entenderei o porque.

        Até mais.



        • Maiara Costa - Equipe em 11 de dezembro de 2013 16:00

          Olá Wander!
          Boa tarde.
          Seus comentários não estavam sendo moderados pelo fato que eu estava de licença médica.

          Crer no Espírito de Deus, no Filho de Deus ou em Deus Pai é uma experiência gerida unicamente pela fé. Nossa mente limitada e pecadora prefere naturalmente questionar e descrer.

          Paulo, referindo-se aos descrentes de Deus, declara: “Pois desde a criação do mundo os atributos invisíveis de Deus, seu eterno poder e sua natureza divina, têm sido vistos claramente, sendo compreendidos por meio das coisas criadas, de forma que tais homens são indesculpáveis” (Romanos 1:20).

          Deus é um ser relacional. Elohim (do hebraico אֱלוֹהִים , אלהים, pronunciado Elohim. Elohim é plural em si e em sua concordância) é relacional por ser “echad” (unidade composta). Por ser Pai, Filho e Espírito Santo que Ele pode dizer que é amor. Porque o amor só pode acontecer em algum relacionamento entre seres livres e inteligentes. Deus é amor e sempre foi, por ser essencialmente plural e relacional.

          Quanto ao Espírito Santo, encontramos na profecia bíblica anúncios eloquentes sobre um extraordinário derramamento do Espírito Santo como chuva serôdia (Joel 2). Mesmo em face deste evento prometido, surge uma onda de incredulidade a respeito de sua personalidade. Entendemos que o inimigo de Deus vislumbra que este ponto do conhecimento de Deus é fundamental para estabelecer sua vitória no coração daqueles que aceitam sua proposta de descrer da pessoa do Espírito de Deus.

          Observamos que existe atualmente um empenho apaixonado, por parte de algumas pessoas, que deixaram de crer no Espírito Santo como uma pessoa, para conduzir tantos quantos seja possível a descrer do Espírito, assim como elas. Enquanto, como igreja, o evangelho está sendo pregado e clamamos pelo derramamento do Espírito para conclusão da obra, alguns trabalham para compartilhar sua incredulidade. Assim não entram e impedem de outros a entrar no Reino de Deus (Lucas 11:52). Assim como muitos rejeitaram o Messias, estão rejeitando o Espírito da Verdade (João 16:13) e, naturalmente, estão rejeitando o Filho de Deus também.

          Conhecer a pessoa do Espírito de Deus é necessário, assim como conhecer a pessoa do Filho de Deus e o Pai. Cremos que esse conhecimento não pode ser obtido mediante debate, mas por meio de uma busca pessoal pela intimidade com Deus. É através de uma experiência sincera, de um coração quebrantado, que se pode sentir e compreende na prática a atuação e os papéis divinos desempenhados na vida humana. Então se você tem dúvidas sobre a natureza do Espírito Santo, converse com Ele sobre sua dificuldade, suplique com humildade pelo Seu derramamento e cremos que você viverá uma tremenda experiência de descobertas – é uma questão de fé (Hebreus 10:38).

          Quando uma pessoa decide descrer no Espírito Santo, ela simplesmente fecha as portas do coração para Cristo. Ela pode continuar dizendo que crê no Filho de Deus e que O ama, mas não pode senti-Lo, compreende-Lo e recebe-Lo em seu coração. Porque todas estas obras são realizadas pelo Espírito Santo. Observe que essas pessoas ficam amargas, críticas, confusas, perdidas na igreja (quando insistem em continuar frequentando), embora se sintam superiores pelo privilégio do conhecimento que julgam ter. Nunca vi uma pessoa que não crê no Espirito Santo apaixonada por Jesus e com uma vida cheia de frutos. Seus argumentos são afiados, conseguem torcer detalhes e posiciona-los como verdades capazes de confundir e plantar a incredulidade no coração. Eles se satisfazem ao ver o resultado da dúvida na vida alheia. Estas pessoas podem ser sinceras, bem intencionadas, mas não tem missão genuína, direção e acabam se cansando de peregrinar por caminhos vazios. Quando se organizam como igreja, em pouco tempo sua liderança se desfaz em brigas, por causa do dinheiro (dízimos e ofertas) e outros pecados sexuais. A olhos nus, podemos ver que onde não há o mover do Espírito, não pode haver um movimento genuíno.

          “Todo aquele que disser uma palavra contra o Filho do homem será perdoado, mas quem blasfemar contra o Espírito Santo não será perdoado” (Lucas 12:10).

          Em toda a Bíblia encontramos a participação de um ser que tem personalidade, caráter próprio, que age com poder, pensa, sofre, geme, assiste, intercede… Observe a seguir que a personalidade do Espírito Santo é claramente inferida do testemunho bíblico. As seguintes referências não deixam dúvida a respeito:

          (1) Ele é citado entre pessoas: “Pois pareceu bem ao Espírito Santo e a nós não vos impor maior encargo” (Atos 15:28). Além disso, Ele aparece na fórmula batismal junto ao Pai e ao Filho (Mat. 28:19); seria redundância Jesus mencionar o Espírito Santo, tendo já mencionado o Pai, fosse Ele a mera energia dEste; também não faria sentido Jesus ordenar o batismo em nome de uma Pessoa, o Pai, de outra Pessoa, o Filho, e agora em nome de uma energia, o Espírito.

          (2) Ele é o Senhor (II Coríntios 3:17 e 18). Este termo define personalidade e divindade quando aplicado ao Pai e ao Filho; porque não quando aplicado ao Espírito?

          (3) Ele possui mente (Romanos 8:27). O termo grego traduzido “mente” neste texto em algumas versões é phrónema (alguma coisa que se tem em mente, que passa pela mente, o pensamento), em contraste com nous (a mente como sede da consciência, da reflexão, da percepção, do entendimento, do julgamento crítico e da determinação). O importante é que phrónema pressupõe a existência de nous. Apenas um ser pessoal é dotado de nous, e pode exercer phrónema. O Espírito Santo é um ser pensante, o que implica inteligência. Ele não pode ser menos que uma pessoa.

          (4) Ele tem sentimentos:

          • pode ser contristado – Efésios 4:30
          • expressa anseio – Tiago 4:5
          • possui alegria – I Tessalonicenses 1:6
          • ama – Romanos 15:30
          • expressa vontade – I Coríntios 12:11

          (5) Pode, e deve, ser mantida comunhão com Ele (Filipenses 2:1; II Coríntios 13:13). Não se mantém comunhão com uma energia.

          (6) Não é mero poder, mas tem poder (Romanos 15:19). Seria outra redundância a Bíblia falar do poder do Espírito Santo, fosse Ele mero poder; seria “o poder do poder”!

          (7) Pode-se mentir a Ele (Atos 5:3). Mente-se a uma pessoa e não a uma energia.

          (8) Pode-se-Lhe resistir (Atos 7:51). É possível cumprir o papel de um resistor (componente que impede, ou atenua, o fluxo da corrente elétrica) para com o Espírito Santo? Sim, e isto o pecador faz quando, diante do apelo divino, prefere permanecer no erro. Mas isso não significa que o Espírito Santo não seja uma pessoa, pois não é apenas a uma energia que se resiste. Pessoas também podem ser resistidas, incluindo Deus (11:17). O texto fala de se resistir às claras evidências da verdade, apresentadas pelo Espírito Santo.

          (9) Pode-se guerrear contra Ele (Gálatas 5:17). O que é uma intensificação de resistência ao Espírito Santo.

          (10)Pode-se ultrajá-Lo (Hebreus 10:29). Como é possível ultrajar uma energia? Ultrajar se liga naturalmente ao sentido de afrontar, insultar, difamar, injuriar, ofender deprimir, vilipendiar, desacatar, vituperar, envergonhar. Como se pode fazer tudo isso a uma energia?

          (11)Pode-se blasfemar contra Ele como se blasfema contra o Filho (Mateus 12:31). É possível blasfemar contra uma energia? Blasfema-se contra uma pessoa, como é o caso de Jesus aqui.

          (12)Ele executa específicas funções próprias, não de uma energia, mas de uma pessoa:

          • sonda, perscruta a Deus – I Coríntios 2:10.
          • concede dons para a edificação da Igreja – I Coríntios 12:8 e 12.
          • manifesta-Se nesses dons – I Coríntios 12.7 (em outras palavras, ao conceder dons à Igreja o Espírito Se dá a ela).
          • contende com pecadores – Gênesis 6:3.
          • ordena sobre itens relevantes para a obra e o povo de Deus – Atos 8: 39; 10:19 e 20.
          • envia pessoas no processo do cumprimento de alguma missão – Atos 10:19-20.
          • ensina o que uma vez ouviu – João 16:13 (ouvir não é próprio de uma energia), ver também 14:26; I Coríntios 2:13.
          • revela, especialmente pelo exercício profético – Atos 1:16; II Pedro 1:21; I Timóteo 4:1.
          • testifica através da intuição na consciência, bem como com o testemunho da Igreja – Romanos 8:16; Atos 5:32; Apocalipse 22:17.
          • move o agente humano na captação da revelação divina – I Pedro 1:21.
          • incute novas realidades ainda não percebidas – Hebreus 9:8.
          • indica a correta compreensão do que é revelado – I Pedro 1:11
          • guia os filhos de Deus – Romanos 8:14, inclusive na busca de “toda a verdade” – João 16:13.
          • assiste nas fraquezas – Romanos 8:26.
          • intercede corrigindo nossas orações – Romanos 8:26.
          • produz frutos na vida dos que se submetem a Ele – Galátas 5:22 e 23.
          • lava e renova, o que resulta em salvação – Tito 3:5. Em João 3:5 e 6 este ato é referido por Jesus em termos do novo nascimento.
          • escreve a lei de Deus nas tábuas do coração – II Coríntios 3:3.
          • santifica – II Tessalonicenses 2:13; I Pedro 1:2
          • sela os que são de Deus – Efésios 1:13.

          Como já dissemos, crer em Deus é uma questão de fé, mediante uma experiência pessoal, intima e profunda com Ele. Deus não faz questão de provar que Ele existe, simplesmente nos convida a uma amizade pessoal, e, então, Ele se revela. Quando você aceitar que o Espírito Santo é uma pessoa, se essa for a sua condição, e começar a relacionar-se com Ele, seu jeito de pensar, sentir e agir sofrerão mudanças extraordinárias. Seu coração se encherá de alegria e experimentará um novo nascimento, o do Espírito (João 3:6).

          Um forte abraço.
          Equipe do Na Mira



  • ISAAC ALVES em 22 de agosto de 2013 1:58

    Incrivel uma coisa que nunca deixei de acreditar foi na Santa Trindade toda vez que penso que JESUS e considerado por yns um mero profeta mensageiro de DEUS meu coraçao se aperta pela tristeza de o desqualificarem ele e tudo ele e DEUS SALVADOR DIGNO DE TODO O NOSSO AMOR ELE E TUDO O QUE SEMPRE VOU TER E ELE E QUEM EU SEMPRE VOU PODER CONFIAR AMAR JESUS E A MELHOR EMOÇAO QUE A PESSOA PODE TER POIS FOI ELE QUE SOFREU POR SERES QUE NAO MERECIAM SEU SACRIFICIO E PRA MIM NAO HA AMOR MAIOR



    • Carlos Oliveira em 24 de agosto de 2013 16:11

      “O temor do Senhor é o princípio da sabedoria; …” Salmos 111:10; Provérbio 9:10.
      “À Lei e ao Testemunho! se eles não falarem segundo esta palavra, nunca verão a alva.” Isaias 8:20.
      Meu deleite é conhecer o Deus Altíssimo e partilhar esse conhecimento com aqueles que como eu procuram servi-Lo.
      Aprecio muito o conselho de uma escritora cristã que se encontra escrito no livro “Testemunho para Ministros” página 107 – terceira edição – 1993.

      “A VERDADE PERMANECERÁ”
      ‘ A verdade é eterna e o conflito com o erro somente tornará manifesto o seu poder. Nunca devemos recusar examinar as Escrituras com os que temos razões para crer, desejam saber o que é a verdade. Suponde que um irmão conserve um ponto de vista que difere do vosso, e venha a vós propondo que vos assenteis com ele e façais uma investigação desse ponto das Escrituras; levantar-vos-íeis, cheio de preconceito e condenaríeis suas idéias, ao mesmo tempo que recusais dar-lhe sincera atenção? A única atitude certa seria assentar-vos como cristãos e investigar a posição apresentada, á luz da Palavra de Deus, que revelará a verdade e desmascarará o erro. Ridicularizar-lhe as idéias não lhe enfraqueceria no mínimo a posição, se esta fosse falsa. Nem vos fortaleceria a posição, se esta fosse verdadeira. Se as colunas de nossa fé não suportarem a prova da investigação, já é tempo de o sabermos. Entre nós não deve ser alimentado o espírito de farisaísmo.”



  • Cleverson L Pereira em 23 de agosto de 2013 9:35

    A paz de DEUS estejam com todos. Gostaria de saber a respeito do nome do Senhor JESUS está correto. Na gramatica hebraica não existe a letra J como em JEOVÁ que não é o verdadeiro nome do ETERNO DE ISRAEL….a igreja catolica traduziu como ESUS e depois com o passar do tempo colocaram a letra J para ficar mais facil…gostaria que comentassem a respeito e se é correto dizer YESHUA para JESUS. obrigado.



    • Maiara Costa - Equipe em 12 de setembro de 2013 14:01

      Olá Cleverson!
      Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.
      doutrinas bíblicas. A maior preocupação bíblica não são apresentar nomenclaturas, mas sim fatos.
      O mesmo acontece com os nomes de Cristo e seus discípulos, pois as versões e traduções usam os nomes deles transliterados ou traduzidos do original hebraico e grego. Jesus é a transliteração do grego Iesous e do hebraico Yehoshua que significa Salvador, e o fato de as Bíblias não apresentarem o nome de Cristo como escrito no original em nada diminui ou desacredita sobre o que tem escrito na Bíblia com relação a Cristo e seus discípulos.
      A vontade de Cristo para nós não é que pronunciemos o seu nome na língua original, mas sim que o aceitemos como nosso Senhor e Salvador (Atos 4:12) e nos preparemos para viver eternamente ao lado dEle (João 17:3). Na cultura hebraica o nome não era apenas uma questão de nomenclatura, mas sim estava intimamente relacionado ao caráter da pessoa. Portanto muito mais que pronunciar o nome de Cristo ou dos apóstolos no original deveríamos nós buscar ter o mesmo caráter deles.
      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira.



  • Marcelo em 24 de agosto de 2013 20:37

    Creio sim que Jesus tem divindade, pois Ele de Deus. Agora forçar a existência de uma Trindade é um tanto quanto imaginativo. Pois o próprio texto de João é tão claro quanto a neve. João 17:03



    • Maiara Costa - Equipe em 2 de setembro de 2013 16:11

      Olá Marcelo!
      Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.
      Perceba que João não pensava assim, estude todo o evangelho, principalmente os capítulos 14-16.
      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira.



  • Erico de Souza em 28 de agosto de 2013 0:31

    Em Isaias fica bem claro a superioridade: Eu sou o Senhor, e não há outro; fora de mim não há Deus; eu te cingirei, ainda que tu não me conheças;
    Isaías 45:5



  • Erico de Souza em 28 de agosto de 2013 0:49

    Quando se lê alguns versículos no velho testamento Jesus fica sem vez diante do que foi dito por deus: Porque eu sou o Senhor teu Deus, o Santo de Israel, o teu Salvador; dei o Egito por teu resgate, a Etiópia e a Seba em teu lugar.
    Isaías 43:3
    Vede agora que eu, eu o sou, e mais nenhum deus há além de mim; eu mato, e eu faço viver; eu firo, e eu saro, e ninguém há que escape da minha mão.

    Deuteronômio 32:39

    Eu, eu sou o Senhor, e fora de mim não há Salvador.

    Isaías 43:11
    Portanto, grandioso és, ó Senhor Deus, porque não há semelhante a ti, e não há outro Deus senão tu só, segundo tudo o que temos ouvido com os nossos ouvidos.

    2 Samuel 7:22



    • Maiara Costa - Equipe em 8 de outubro de 2013 16:24

      Olá Erico!
      Muito obrigado por seu contato com o programa Na Mira da Verdade.
      E como você tem certeza que esses textos não estão se referindo a Cristo?
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira



  • Renan dos santos pinto dias em 31 de agosto de 2013 18:26

    amo de mais o na mira da verdade,estou aprendendo de mais, adimiro a capacidade,a inteligencia que Deus da a cada um de voces. que Deus os abençoi.



  • imas em 2 de setembro de 2013 20:39

    Boa noite!
    Gosto do programa.Em mtas duvidas tenho sido esclarecida.Em outras duvidas,elas permanecem!
    Entre essas duvidas o sr.prof.Leandro nao cosiguiu responder,pois varios telespectadores fizeram claro,usando palavras diferentes mas todas com o msm sentido da duvida;Se Jesus e o Deus Todo-Poderoso,pq ele disse a satanas q so o Deus dos ceus deveria ser adorado,como esta escrito?satanas viveu nos ceus com Jesus,os anjos e o Pai Eterno.Entao ele sabia q Jesus era o proprio Deus!Pq satanas disse para adora-lo?E Jesus nao respondeu q esta escrito q deveriam a adorar a ele(Jesus)mas ele respondeu que so ao Pai dos ceus deve ser adorado!.Se ele e o proprio Deus dos ceus,pq qd lhe perguntaram qd ele voltaria e qd seria o grande dia do Senhor,ele respondeu que nem ele e nem os anjos sabiam mas apenas o Pai tem o conhecimento.Pq se Jesus e o proprio Deus,pq temos q orar,clamar e agradecer a Jesus e pedir no proprio nome D’ele?Eu nao entendo?Se Jesus sempre orou ao Pai,se ele e Deus como os senhores dizem,a quem ele pediu para receber seu espirito qd ele estava na cruz?A quem devo adorar sinceramente?vcs q fazem parte deste sistema religioso,onde cada igreja,ministerio,etc,dizem coisas diferentes!vcs nao tem ideia da angustia,desespero q me causam.Uns dizem q devemos adorar so o Pai,outros dizem so adorar o Filho,outros dizem adorar a trindade!!!tenho medo se ser parte daquele grupo q Jesus olhara e dira:vai para tras pois nao te conheco!vcs sao a ultima porta q bato.Estou cansada,triste,angustiada,pois vj pelos acontecimentos mundiais,q ja posso ouvir os passos de Jesus.quero fazer parte da grande multidao de adoradores do Deus do ceus!!!me ajudem…



    • Maiara Costa - Equipe em 4 de setembro de 2013 10:30

      Olá Imas!
      Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.
      O artigo explica que há dois tipos de texto sobre Cristo, os que o apresentam como Deus e os que o aresentam como um ser humano. Cristo em sua condição de encarnado se submeteu, subordinou ao Pai e abriu mão de se utilizar de seus atributos divinos (Filipenses 2:6-8).
      A Bíblia não deixa dúvida que Cristo é Deus no mais pleno sentido da palavra (João 1:1-3,15-18; Romanos 9:5; Colossenses 1:15-17; 2:9; 1 João 5:20).
      Se anjos adoram a Cristo (Hebreus 1:6-13), porque nós não iremos adorá-lo?
      Você não gostaria de receber um curso bíblico para dirimir as suas dúvidas?
      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira.



  • Bruno Reis em 4 de setembro de 2013 19:36

    Perfeita explicação. Mais claro que isso só agua cristalina. Parabens.



  • LAERCIO TREVELIN em 8 de setembro de 2013 15:41

    OBRIGADO TITO E LENDRO QUADRO,TUDO QUE VEM DE DEUS E FORTALICIENTO PARA O ESPIRITO DE CADA UM DE NOS COM E BOM NOS TIRAR AS DUVIDA DAS PALAVRAS E DA ESCRITURAS QUE DEUS ENVIOU PARA NOS BUSCAR A SALVAÇÃO DEUS ABENÇOE PELOS ENCINAMENTOS QUE VOCEIS MOSTRA PARA NOS A PURA VERDADE DE DEUS.



  • ANA LUCIA MARTINS DURÃES em 17 de setembro de 2013 20:31

    Olá leandro quadros, parabéns pelo artigo. Mas tenho uma dúvida, no texto de 1 joão 5:1 diz que cristo foi gerado por Deus, que Jesus é nascido do pai. Jesus é um ser criado por Deus? como entender esse texto? principalmente levando em conta Isaías 9:6? como Jesus pode ser o pai da eternidade, se o texto de joão diz que Jesus é nascido, foi gerado por Deus?



    • Maiara Costa - Equipe em 19 de setembro de 2013 16:42

      Olá Ana Lucia!
      Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.
      Será que 1 João 5:1 está dizendo que Jesus é nascido e gerado de Deus?
      Todo aquele que crê que Jesus é o Cristo é nascido de Deus, e todo aquele que ama o Pai ama também o que dele foi gerado“.
      Perceba querida amiga que o texto não está se referindo a Cristo como tendo nascido ou sido gerado de Deus.
      Quem nasce de Deus e é gerado por Deus é aquele que crê que Jesus é o Salvador (Messias, Ungido) e que ama o que é gerado de Deus, quem é esse gerado de Deus?
      O verso seguinte responde: “Assim sabemos que amamos os filhos de Deus: amando a Deus e obedecendo aos seus mandamentos”.
      Todo aquele que crê em Cristo é nascido de Deus e todo aquele que ama os filhos de Deus que são por Ele gerado.
      Sendo assim, esse texto querida amiga em nada está falando contra a divindade de Cristo que é tão claramente exposta no mesmo capítulo no verso vinte.
      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira.



  • Karen de Mello em 20 de setembro de 2013 21:14

    Gostaria de fazer uma pergunta em relação ao Espírito Santo…

    Sei que o Espírito Santo é uma pessoa individual, e, possui poderes, sentimentos, ou seja, é IGUAL a Deus e a Jesus. Mas, o Espírito é quem afinal? Se Deus é o pai, Jesus é o filho, o Espírito Santo é quem? Seria ele o tio de Jesus? Seria ele o irmão de Jesus? Quem ele é??

    Por favor, caso minha pergunta seja respondida, a resposta poderia vir escrita? Não mande vídeo por favor, estou sem som no meu computador….aguardo a resposta



    • Maiara Costa - Equipe em 25 de setembro de 2013 9:41

      Olá Karen!
      Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.
      Entenda que a nós não foi dado conhecer profundamente os mistérios da Divindade, isso seria como tentar colocar um oceano dentro de um copo d´agua.
      A forma como a Bíblia nos apresenta a Divindade: Pai, Filho e Espírito Santo é apenas uma forma didática para compreendermos o mistério da divindade.
      Essa terminologia Pai e Filho é usada, principalmente, no plano de redenção para nos apresentar qual função desempenhada por cada um com objetivo de ilustrar o amor que Deus tem pela humanidade. E em resposta à sua pergunta quem é o Espírito Santo, João 14:16,17 resposnde, Ele é o Outro Consolador, o papel do Espírito Santo é ser o Consolador.
      Gostaria de recomendar à você duas literaturas: A Trindade e O Seu Amigo o Espírito Santo da editora CPB.
      Contato: 0800-979-06-06 ou cpb.com.br
      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira



  • MARINICE LIRIO em 21 de setembro de 2013 0:29

    AMO A VERDADE SOBRE CRISTO, ADORO ASSISTIR SUAS CLARAS VERSOES BIBLICA, SÃO TREMENDAMENTE ESCLARECEDORAS, MORO EM BARRA VELHA SANTA CATARINA E GOSTARIA QUE ME EMVIASSEM TUDO A RESPEITO PARA ESCLARECIMENTO DA PALAVRA DE DEUS, POR FAVOR AGDEÇO EM NOME DE JESUS …



  • CARLOS BORGES em 24 de setembro de 2013 20:48

    SE A DIVINDADE DE CRISTO FOSSE MENOR QUE A DIVINDADE DO PAI, ISSO SERIA POLITEÍSMO, OU SEJA, DOIS DEUSES, UM DEUS MAIOR E UM MENOR! GRAÇAS A DEUS QUE A DIVINDADE DO FILHO É IGUAL A DO PAI! VEJA:
    “Por isso, pois, os judeus ainda mais procuravam matá-lo, porque não só quebrantava o sábado, mas também dizia que Deus era seu próprio Pai, fazendo-se IGUAL A DEUS”. João 5:18
    IGUAL É IGUAL E PRONTO!



  • José Pato Filho em 12 de novembro de 2013 18:22

    Artigo para,com calma, ler, reler e reter.



  • astrogelino em 17 de novembro de 2013 16:46

    se jesus fosse D-us porque ele se intitulava o filho do homem, e porque a geneologia dele mostrando que ele descendia de Davi, e porque a profecia em Deuteronio 18:15-19 que suscitaria um profeta semelhante a Moises do meio do povo. e qual a explicação para I cor. 15-27,28 onde paulo diz que o proprio filho de sujeitara ao Pai. Que D-us é esse que vai se sujeitar a outro D-us



    • Maiara Costa - Equipe em 22 de setembro de 2014 17:51

      Olá Astrogelino!
      Muito obrigado por seu contato.
      Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.

      Devolvo a sua pergunta com outra muito semelhante a esta:

      Se Jesus não fosse Deus, então, por quê se intitulou Filho de Deus (Mateus 14:33; João 5:17,18; 10:32,33). O termo Filho do Homem descreve a natureza humana de Cristo.

      Agora vamos compreender o texto de 1 Coríntios 15:24,25:

      O texto de 1 Coríntios 15:24,25 está inserido dentro do contexto da ressurreição e da volta de Jesus no qual nos apresenta como o grande conflito entre o bem e o mal terminará. Muitos ao ler esse texto (1 Coríntios 15:24-28) podem querer afirmar que Paulo está dizendo que Cristo é inferior ao Pai, porém esse texto é uma demonstração da unidade de propósitos entre os membros da Divindade, pela qual os atos de um se vêem como o cumprimento da vontade unida de ambos (João 10:30).

      No plano divino para a redenção do mundo, o Pai confiou tudo nas mãos do Filho (Mateus 11:27; Colossenses 1:19). Quando se completar a missão de Cristo e submetidos forem os inimigos de Deus, então Ele entregará “o reino ao Deus e Pai”, pois em sua missão no plano da redenção Cristo nunca tentou engrandecer a si mesmo, mas sim ao Pai, pois quando o Filho veio foi para estabelecer o reino dos céus (Mateus 2:2;4:17; Marcos 1:15).

      Aqui Paulo exalta a missão de Cristo e isso não diminui em nada a Sua divindade que ao encarnar ou se tornar um Ser humano ficou oculta em sua humanidade (Filipenses 2:5,6).

      Nesses textos Paulo mostra que quando chegar o fim do grande conflito (v.24) o supremo propósito de Cristo (João 17:1,4,6) estará cumprido e todo o universo reconhecerá a supremacia do Pai e nada ficará fora da órbita do bondoso controle de Deus.
      Dentro da Divindade não existe diferença entre os três membros: Pai, Filho e Espírito Santo. O que existe é uma subordinação nas funções, ou seja, funcional dentro do plano da redenção. O Pai desempenha uma parte, Cristo outra e o Espírito Santo outra. E nesse capítulo e versos da carta de Paulo aos Coríntios o apóstolo mostra a principal missão de Cristo no plano de redenção.

      Despeço-me com um texto para a reflexão:

      “Então eles gritaram: “Que queres conosco, filho de deus? Vieste aqui para nos atormentar antes do devido tempo?”. Mateus 8:29

      Perceba que até mesmo os demônios reconheceram Cristo como um Ser Divino.

      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.



  • KAYPYM ARAUJO em 25 de novembro de 2013 11:18

    karen esta ai foi oa,e eu tenho outra em cima da sua,se o espirito santo é uma pessoa separda do pai e do filho qual é seu nome? e onde esta escrito na biblia o espirito do espirito santo?



    • Maiara Costa - Equipe em 25 de novembro de 2013 14:41

      Olá Kaypym!
      Boa tarde.
      Se a Bíblia é uma questão de nomenclaturas onde está escrito na Bíblia o nome: Bíblia, Teocracia, Encarnação, Milênio? Que são doutrinas muito bem aceitas pelos cristãos no geral!

      A Bíblia não se preocupa em apresentar nomenclaturas mas fatos.

      Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a comunhão do Espírito Santo sejam com você.
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira



      • KAYPYM ARAUJO em 25 de novembro de 2013 20:07

        MAIRA COSTA EU NÃO SEI TE FALAR DA TEOCATRIA MAIS VOU LHE MOSTRA SOBRE ENCARNAÇÃO,MILÊNIO E BIBLIA.

        BIBLIA> (do grego βίβλια, plural de βίβλιον, transl. bíblion, “rolo” ou “livro”)
        PROVAS:
        Lucas 3.4
        4 Segundo o que está escrito no livro (bíblion, “rolo” ou “livro”) das palavras do profeta Isaías, que diz: Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor; Endireitai as suas veredas.

        -João 20.30
        30 Jesus, pois, operou também em presença de seus discípulos muitos outros sinais, que não estão escritos neste livro (bíblion, “rolo” ou “livro”).

        MILENIO>refere-se a um período de mil anos, equivalente a 10 séculos ou 100 décadas
        PROVAS:
        Apocalipse 20.5
        5 Mas os outros mortos não reviveram, até que os mil anos (Milenio) se acabaram. Esta é a primeira ressurreição.

        -Apocalipse 20.7
        7 E, acabando-se os mil anos (Milenio), Satanás será solto da sua prisão,

        ENCARNAÇÃO> (do latim in carnare, “fazer-se carne”)
        PROVAS:
        João 1.14
        14 E o Verbo se fez carne(encarnação), e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade.

        VEJA QUE MESMO O NOEM NÃO APARECENDO SEUS SIGNIFICADOS APARECEM,AGORA GOSTARIA DE OBTER MINHA RESPOSTA DA PERGUNTA QUE FIZ E VCS APAGARAM,MAIS VOU REFAZER ELA AQUI.
        SE TRINDADE CONSISTE EM TRES PESSOAS DIVINAS DISTINTAS E QUE O NOME DA PRIMEIRA É YHYW E TRANSLITERADO FICA JAVE OU JEOVA,A SEGUNDA É YESHUA E TRANSLIERADO FICA JESUS,
        ENTÃO QUAL O NOME DA TERCEIRA PESSOA DA TRINDADE EM HEBRAICO E SUA TRANSLITERAÇÃO PARA PORTUGUÊS?



        • Maiara Costa - Equipe em 5 de dezembro de 2013 9:29

          Olá Kaypym!
          Bom dia.
          Mas onde aparece escrita essas palavras? Em qual texto? Aí você apresentou apenas a transliteração! De acordo com o seu próprio argumento o fato de não aparecer a nomenclatura mostra que algo não pode ser verdadeiro.

          O nome do Espírito vem do termo hebraico ruach que transliterado para o grego Hagios Pneumathós que no português significa Espírito Santo. Lembremos que a dispensação do Espírito Santo começa no Novo Testamento após a ascensão de Cristo, vejamos as evidências bíblicas da pessoalidade e Divindade do Espírito Santo.

          Em toda a Bíblia encontramos a participação de um ser que tem personalidade, caráter próprio, que age com poder, pensa, sofre, geme, assiste, intercede… Observe a seguir que a personalidade do Espírito Santo é claramente inferida do testemunho bíblico. As seguintes referências não deixam dúvida a respeito:

          (1) Ele é citado entre pessoas: “Pois pareceu bem ao Espírito Santo e a nós não vos impor maior encargo” (Atos 15:28). Além disso, Ele aparece na fórmula batismal junto ao Pai e ao Filho (Mat. 28:19); seria redundância Jesus mencionar o Espírito Santo, tendo já mencionado o Pai, fosse Ele a mera energia dEste; também não faria sentido Jesus ordenar o batismo em nome de uma Pessoa, o Pai, de outra Pessoa, o Filho, e agora em nome de uma energia, o Espírito.

          (2) Ele é o Senhor (II Coríntios 3:17 e 18). Este termo define personalidade e divindade quando aplicado ao Pai e ao Filho; porque não quando aplicado ao Espírito?

          (3) Ele possui mente (Romanos 8:27). O termo grego traduzido “mente” neste texto em algumas versões é phrónema (alguma coisa que se tem em mente, que passa pela mente, o pensamento), em contraste com nous (a mente como sede da consciência, da reflexão, da percepção, do entendimento, do julgamento crítico e da determinação). O importante é que phrónema pressupõe a existência de nous. Apenas um ser pessoal é dotado de nous, e pode exercer phrónema. O Espírito Santo é um ser pensante, o que implica inteligência. Ele não pode ser menos que uma pessoa.

          (4) Ele tem sentimentos:

          • pode ser contristado – Efésios 4:30
          • expressa anseio – Tiago 4:5
          • possui alegria – I Tessalonicenses 1:6
          • ama – Romanos 15:30
          • expressa vontade – I Coríntios 12:11

          (5) Pode, e deve, ser mantida comunhão com Ele (Filipenses 2:1; II Coríntios 13:13). Não se mantém comunhão com uma energia.

          (6) Não é mero poder, mas tem poder (Romanos 15:19). Seria outra redundância a Bíblia falar do poder do Espírito Santo, fosse Ele mero poder; seria “o poder do poder”!

          (7) Pode-se mentir a Ele (Atos 5:3). Mente-se a uma pessoa e não a uma energia.

          (8) Pode-se-Lhe resistir (Atos 7:51). É possível cumprir o papel de um resistor (componente que impede, ou atenua, o fluxo da corrente elétrica) para com o Espírito Santo? Sim, e isto o pecador faz quando, diante do apelo divino, prefere permanecer no erro. Mas isso não significa que o Espírito Santo não seja uma pessoa, pois não é apenas a uma energia que se resiste. Pessoas também podem ser resistidas, incluindo Deus (11:17). O texto fala de se resistir às claras evidências da verdade, apresentadas pelo Espírito Santo.

          (9) Pode-se guerrear contra Ele (Gálatas 5:17). O que é uma intensificação de resistência ao Espírito Santo.

          (10)Pode-se ultrajá-Lo (Hebreus 10:29). Como é possível ultrajar uma energia? Ultrajar se liga naturalmente ao sentido de afrontar, insultar, difamar, injuriar, ofender deprimir, vilipendiar, desacatar, vituperar, envergonhar. Como se pode fazer tudo isso a uma energia?

          (11)Pode-se blasfemar contra Ele como se blasfema contra o Filho (Mateus 12:31). É possível blasfemar contra uma energia? Blasfema-se contra uma pessoa, como é o caso de Jesus aqui.

          (12)Ele executa específicas funções próprias, não de uma energia, mas de uma pessoa:

          • sonda, perscruta a Deus – I Coríntios 2:10.
          • concede dons para a edificação da Igreja – I Coríntios 12:8 e 12.
          • manifesta-Se nesses dons – I Coríntios 12.7 (em outras palavras, ao conceder dons à Igreja o Espírito Se dá a ela).
          • contende com pecadores – Gênesis 6:3.
          • ordena sobre itens relevantes para a obra e o povo de Deus – Atos 8: 39; 10:19 e 20.
          • envia pessoas no processo do cumprimento de alguma missão – Atos 10:19-20.
          • ensina o que uma vez ouviu – João 16:13 (ouvir não é próprio de uma energia), ver também 14:26; I Coríntios 2:13.
          • revela, especialmente pelo exercício profético – Atos 1:16; II Pedro 1:21; I Timóteo 4:1.
          • testifica através da intuição na consciência, bem como com o testemunho da Igreja – Romanos 8:16; Atos 5:32; Apocalipse 22:17.
          • move o agente humano na captação da revelação divina – I Pedro 1:21.
          • incute novas realidades ainda não percebidas – Hebreus 9:8.
          • indica a correta compreensão do que é revelado – I Pedro 1:11
          • guia os filhos de Deus – Romanos 8:14, inclusive na busca de “toda a verdade” – João 16:13.
          • assiste nas fraquezas – Romanos 8:26.
          • intercede corrigindo nossas orações – Romanos 8:26.
          • produz frutos na vida dos que se submetem a Ele – Galátas 5:22 e 23.
          • lava e renova, o que resulta em salvação – Tito 3:5. Em João 3:5 e 6 este ato é referido por Jesus em termos do novo nascimento.
          • escreve a lei de Deus nas tábuas do coração – II Coríntios 3:3.
          • santifica – II Tessalonicenses 2:13; I Pedro 1:2
          • sela os que são de Deus – Efésios 1:13.

          Crer no Espírito de Deus, no Filho de Deus ou em Deus Pai é uma experiência gerida unicamente pela fé. Nossa mente limitada e pecadora prefere naturalmente questionar e descrer.

          Paulo, referindo-se aos descrentes de Deus, declara: “Pois desde a criação do mundo os atributos invisíveis de Deus, seu eterno poder e sua natureza divina, têm sido vistos claramente, sendo compreendidos por meio das coisas criadas, de forma que tais homens são indesculpáveis” (Romanos 1:20).

          Deus é um ser relacional. Elohim (do hebraico אֱלוֹהִים , אלהים, pronunciado Elohim. Elohim é plural em si e em sua concordância) é relacional por ser “echad” (unidade composta). Por ser Pai, Filho e Espírito Santo que Ele pode dizer que é amor. Porque o amor só pode acontecer em algum relacionamento entre seres livres e inteligentes. Deus é amor e sempre foi, por ser essencialmente plural e relacional.

          Quanto ao Espírito Santo, encontramos na profecia bíblica anúncios eloquentes sobre um extraordinário derramamento do Espírito Santo como chuva serôdia (Joel 2). Mesmo em face deste evento prometido, surge uma onda de incredulidade a respeito de sua personalidade. Entendemos que o inimigo de Deus vislumbra que este ponto do conhecimento de Deus é fundamental para estabelecer sua vitória no coração daqueles que aceitam sua proposta de descrer da pessoa do Espírito de Deus.

          Observamos que existe atualmente um empenho apaixonado, por parte de algumas pessoas, que deixaram de crer no Espírito Santo como uma pessoa, para conduzir tantos quantos seja possível a descrer do Espírito, assim como elas. Enquanto, como igreja, o evangelho está sendo pregado e clamamos pelo derramamento do Espírito para conclusão da obra, alguns trabalham para compartilhar sua incredulidade. Assim não entram e impedem de outros a entrar no Reino de Deus (Lucas 11:52). Assim como muitos rejeitaram o Messias, estão rejeitando o Espírito da Verdade (João 16:13) e, naturalmente, estão rejeitando o Filho de Deus também.

          Conhecer a pessoa do Espírito de Deus é necessário, assim como conhecer a pessoa do Filho de Deus e o Pai. Cremos que esse conhecimento não pode ser obtido mediante debate, mas por meio de uma busca pessoal pela intimidade com Deus. É através de uma experiência sincera, de um coração quebrantado, que se pode sentir e compreende na prática a atuação e os papéis divinos desempenhados na vida humana. Então se você tem dúvidas sobre a natureza do Espírito Santo, converse com Ele sobre sua dificuldade, suplique com humildade pelo Seu derramamento e cremos que você viverá uma tremenda experiência de descobertas – é uma questão de fé (Hebreus 10:38).

          Quando uma pessoa decide descrer no Espírito Santo, ela simplesmente fecha as portas do coração para Cristo. Ela pode continuar dizendo que crê no Filho de Deus e que O ama, mas não pode senti-Lo, compreende-Lo e recebe-Lo em seu coração. Porque todas estas obras são realizadas pelo Espírito Santo. Observe que essas pessoas ficam amargas, críticas, confusas, perdidas na igreja (quando insistem em continuar frequentando), embora se sintam superiores pelo privilégio do conhecimento que julgam ter. Nunca vi uma pessoa que não crê no Espirito Santo apaixonada por Jesus e com uma vida cheia de frutos. Seus argumentos são afiados, conseguem torcer detalhes e posiciona-los como verdades capazes de confundir e plantar a incredulidade no coração. Eles se satisfazem ao ver o resultado da dúvida na vida alheia. Estas pessoas podem ser sinceras, bem intencionadas, mas não tem missão genuína, direção e acabam se cansando de peregrinar por caminhos vazios. Quando se organizam como igreja, em pouco tempo sua liderança se desfaz em brigas, por causa do dinheiro (dízimos e ofertas) e outros pecados sexuais. A olhos nus, podemos ver que onde não há o mover do Espírito, não pode haver um movimento genuíno.

          Que você permaneça escolhido de acordo com o pré-conhecimento de Deus Pai, pela obra santificadora do Espírito, para a obediência a Jesus Cristo e a aspersão do seu sangue: Graça e paz lhes sejam multiplicadas.

          Um forte abraço.



  • PAULO AUGUSTO DA COSTA PINTO em 30 de novembro de 2013 15:41

    PROFESSOR LEANDRO, PEÇO-LHE ANALISAR AS SEGUINTES CONSIDERAÇÕES SOBRE O QUE ESCREVEU REFERENTE A JOÃO 17:3.



    • Maiara Costa - Equipe em 2 de dezembro de 2013 10:44

      Olá Paulo.
      O seu link foi enviado ao Leandro Quadros.
      Um forte abraço.



      • PAULO AUGUSTO DA COSTA PINTO em 3 de dezembro de 2013 21:25

        MUITO OBRIGADO, IRMÃ MAIARA.
        AGUARDO A RESPOSTA DO PROFESSOR LEANDRO QUADROS.



        • Maiara Costa - Equipe em 4 de dezembro de 2013 9:39

          Olá Paulo Augusto!
          Disponha.
          Conte conosco para o que precisar.
          Um forte abraço.



  • KAYPYM ARAUJO em 4 de dezembro de 2013 18:22

    gostaria de saber porque minhas perguntas estão sendo excluidas?



    • Maiara Costa - Equipe em 9 de dezembro de 2013 11:08

      Olá Kaypym!
      Bom dia.
      As suas perguntas estão sendo respondidas no limite das possibilidades.
      Um forte abraço.



  • Marcus Vinicius em 5 de dezembro de 2013 16:24

    Uma das coisas que mais chateia no ideário religioso é justamente essa: Todos vivem assegurando que “deus é assim e assado”, ou que “a igreja verdadeira é tal e tal” – como se estas fossem verdades absolutas e inquestionáveis; como se existisse essa tal de “verdade absoluta” (será mesmo?); ou como se o ato de manifestar dúvidas, discordâncias ou questionamentos aos tais dogmas e “certezas da fé” fosse coisa sobremodo ofensiva que devesse ser evitada a qualquer custo e tratada como se fosse uma chaga contagiosa, um crime hediondo.

    Para resumir, a mentalidade parece ser mais ou menos a seguinte: “Duvidou? Que coisa mais feia, você vai direto pro fogo do inferno”.

    Pois é. Dois mil anos depois, o coitado do discípulo Tomé ainda continua recriminado simplesmente porque precisou ver primeiro, para depois crer. Em meu modesto ponto-de-vista, esta foi uma atitude coerente, sábia e ajuizada de sua parte. E mais: Digo que os “Tomés” fazem muita falta hoje em dia!

    Se as pessoas fossem um pouco mais críticas, conscientes, e menos dispostas a aceitar qualquer bobagem que outros lhes apresentem para ser acreditada, elas com certeza não estariam tão suscetíveis a serem ludibriadas por toda sorte de crendices e misticismos vindos de certa cambada de pilantras que vemos por aí – tais como, por exemplo, pais-de-santo, pastores evangélicos, “cientistas criacionistas” (!!!), curandeiros, e assim por diante…

    Assim sendo, meu apelo e recado ao prezado leitor é o seguinte: Não se conforme com os grilhões da ignorância e a superstição. Liberte-se deles! Raciocine, analise, ouse questionar as assim chamadas “verdades absolutas” acerca de deus ou da natureza das coisas. Não tenha medo de buscar respostas reais e satisfatórias às dúvidas e indagações de sua alma. Permita-se o inconformismo com o pensamento de que as coisas estão como estão porque esta é “a vontade de deus” e não há nada que você possa fazer a esse respeito. Não deixe outros pensarem por você, dizerem no que você deve crer ou deixar de crer, nem determinarem o como que fazer ou deixar de fazer. Afinal, você não tem nada a ganhar comportando-se feito uma ovelha alienada a seguir manipuladores e respondendo “amém” para tudo que lhes for dito.

    Concluindo, deixo a todos este pensamento que aprecio bastante:

    “Nas pessoas que clamam ter uma fé inabalada, o farisaísmo e o fanatismo são frequentemente a prova infalível de que a dúvida provavelmente foi reprimida ou de fato ainda está atuando secretamente. A dúvida não é superada pela repressão, e sim pela coragem. A coragem não nega que a dúvida está aí; mas ela aceita a dúvida como expressão da finitude humana e se confessa, apesar da dúvida, àquilo que toca incondicionalmente. A coragem não precisa da segurança de uma convicção inquestionável. Ela engloba o risco, sem o qual não é possível qualquer vida criativa” (Paul Tillich).

    Um abraço.



  • CRISTIANE MaGALHAES em 28 de dezembro de 2013 11:18

    Espero que esse artigo ajude voce a entender sobre a trindade!



  • Fernando de Paula em 28 de janeiro de 2014 13:56

    Gostei bastante da matéria. Foi escrita de maneira bem didática, simples, fácil de entender. Entretanto, o uso de 1 Jo 5:20, me incomodou bastante…

    Deixe me explicar o porque:

    Uma boa tradução, antecede um bom entendimento do texto bíblico. Não sei exatamente qual a tradução utilizada, todavia, o pronome demonstrativo “este” (hoútos), conforme utilizado no texto da tradução usada refere-se ao nome que o antecede, Jesus Cristo. De modo que entende-se que Jesus é “o Deus verdadeiro e a vida eterna”. Muitos eruditos respeitados não aceitam esse conceito.

    O erudito B. F. Westcott, da Universidade de Cambridge, escreveu: “A referência mais natural [do pronome hoútos] não é ao sujeito mais próximo, mas ao predominante na mente do apóstolo.” De modo que o apóstolo João pensava no Pai de Jesus. O teólogo alemão Erich Haupt escreveu: “É preciso determinar se o [hoútos] usado na próxima proposição se refere ao sujeito próximo ou imediatamente precedente . . . ou ao antecedente mais distante, Deus. . . . Ser o texto um testemunho a respeito do verdadeiro Deus, em vez de uma demonstração da divindade de Cristo, parece estar mais em harmonia com a advertência final contra ídolos.”
    Até mesmo a obra Análise Gramatical do Novo Testamento em Grego, publicada em inglês pelo Pontifício Instituto Bíblico de Roma, declara: “[Hoútos]: como clímax dos [versículos] 18-20 é quase certo que se refere ao Deus real e verdadeiro, [em] opos[ição] ao paganismo (v. 21).”

    Muitas vezes hoútos, em geral traduzido “este”, não se refere ao sujeito imediatamente anterior na frase. Outros textos bíblicos ilustram o ponto. Em 2 João 7, o mesmo apóstolo e escritor da primeira carta escreveu: “Muitos enganadores saíram pelo mundo afora, pessoas que não confessam Jesus Cristo vindo na carne. Este [hoútos′] é o enganador e o anticristo.” Aqui, o pronome não pode referir-se ao que vem imediatamente antes — Jesus. É óbvio que “este” refere-se aos que negam a Jesus. Eles são chamados coletivamente de “o enganador e o anticristo”.

    O apóstolo João escreveu no seu Evangelho: “André, irmão de Simão Pedro, foi um dos dois que ouviram o que João dissera e que seguiram a Jesus. Este [hoútos], primeiro, achou seu próprio irmão, Simão.” (João 1:40, 41) É evidente que “este” não se refere à última pessoa mencionada, mas a André. Em 1 João 2:22, o apóstolo usa o mesmo pronome de modo similar.

    Lucas usa o pronome de forma parecida, conforme se vê em Atos 4:10, 11: “No nome de Jesus Cristo, o nazareno, a quem pregastes numa estaca, mas a quem Deus levantou dentre os mortos, por esse é que este homem está aqui são em pé diante de vós. Esta [hoútos′] é ‘a pedra que por vós, construtores, não foi levada em conta, que se tornou a principal do ângulo’.” O pronome “esta” claramente não se refere ao homem curado, embora ele fosse mencionado logo antes da palavra hoútos. Certamente, “esta” no versículo 11 se refere a Jesus Cristo, o nazareno, que é a “pedra angular” sobre a qual a congregação cristã está construída. — Efésios 2:20; 1 Pedro 2:4-8.
    Atos 7:18, 19 também ilustra esse ponto: “Levantou[-se] um rei diferente sobre o Egito, que não sabia nada sobre José. Este [hoútos] usava de estadística contra a nossa raça.” “Este”, que oprimiu os judeus, não era José, mas Faraó, o rei do Egito.

    Essas passagens confirmam a observação feita pelo erudito grego Daniel Wallace, que disse que, no caso dos demonstrativos gregos, “o que talvez seja o antecedente mais próximo no texto pode não ser o antecedente mais próximo na mente do autor”.

    De modo que o apóstolo João se referiu ao pai de Jesus como sendo o verdadeiro e a vida eterna.

    Desculpe-me, caso tenho sido desrespeitoso de minha parte, escrever esse texto… eu o respeito, e me senti no direito de compartilhar esse ponto, já que fica bem evidente, que não podemos usar 1 Jo 5:20 para justificar o ponto que estava sendo abordado referente a Jo 17:3



    • Maiara Costa - Equipe em 28 de janeiro de 2014 15:12

      Olá Fernando de Paula!
      Obrigado por compartilhar o seu ponto de vista.
      Vamos analisar o que o evangelista João escreveu sobre a divindade de Cristo.

      A DIVINDADE DE CRISTO NO EVANGELHO DE JOÃO

      Historicamente, Cristo não foi “conclamado” divino só no Concílio de Nicéia. Muito antes daquela reunião que visava derrubar o arianismo, a Bíblia e cristãos primitivos já acreditavam na Divindade do Salvador. Isso pode ser provado bíblica e historicamente:

      I – O evangelho de João e a Divindade de Cristo
      Na presente carta, vou me deter apenas ao evangelho de João para provar que Cristo é Divino. As informações de outros autores bíblicos poderemos estudar noutra ocasião, se for necessário. Vamos ao estudo do que o apóstolo escreveu a respeito de Jesus:

      1 – Contexto histórico

      Para começar, é importante termos em mente que o objetivo do quarto evangelho, escrito no final do século I, foi defender a encarnação e a Divindade de Cristo diante (muito provavelmente) do gnosticismo. O apóstolo queria que as pessoas acreditassem em Jesus como Filho de Deus para que fossem salvas (João 20:30, 31). Interessante que, na linguagem joanina, o termo “Filho de Deus” não significa “ser criado” e nem denota “inferioridade”; para o autor, o título “Filho de Deus” significa igualdade com o Pai na Divindade. Isso é bem claro em João 5:18; 19:7 e na primeira carta dele, cap. 5:20, onde Ele chama Jesus de DEUS: “Também sabemos que o Filho de Deus é vindo e nos tem dado entendimento para reconhecermos o verdadeiro; e estamos no verdadeiro, em seu Filho, Jesus Cristo. Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna.” Perceba que se quisermos entender um termo bíblico, não podemos interpretá-lo de acordo com o significado da língua portuguesa; precisamos levar em conta a língua original em que o texto foi escrito (grego, hebraico ou aramaico) e o significado de qualquer expressão NA CULTURA em que ela está inserida. Portanto, o termo “Filho” na Bíblia, em referência à Cristo, não tem o mesmo significado que em nossa língua portuguesa e cultura ocidental.
      Como disse o Dr. F.F. Bruce, “João conferiu a máxima importância à verdade eterna, que ele identificou com a automanifestação divina, o Verbo que existia no princípio com Deus”. Isso está em harmonia com João 1:1-4 e 14. Se Jesus não fosse DEUS com o Pai, não haveria necessidade de João dizer que Jesus é o Deus que revelou o Pai, por meio da encarnação (leia os textos de João 1:1-4 e 14). E, além disso, se Cristo fosse uma criatura, a salvação por meio Jesus, no evangelho de João (e no restante da Bíblia) perderia o valor. Sim, pois o valor da salvação está no fato de que não foi uma criatura quem veio salvar o ser humano, mas o próprio Deus esteve aqui em carne para solucionar o nosso problema. É por isso que Jesus Cristo é chamado em Isaías 7:14 de “Emanuel”, que significa “Deus conosco”. Deus “não tirou o corpo fora”; Ele mesmo veio resolver o problema do pecado! Reflita nisso com carinho.
      Estas informações são importantes porque assim conseguimos entrar um pouco na mente do autor inspirado quando preparou o relato da vida de Cristo.

      2 – Textos de João que afirmam diretamente que Jesus é Deus eterno

      • João 1:1-3 e 14 – é dito que Jesus era Deus desde o princípio, estava com Deus e que criou TODAS AS COISAS com Ele (se fosse uma criatura, como poderia ser o criador DELE MESMO, sendo que TUDO foi feito por meio dEle? – verso 3). Também nos é apresentado que este DEUS, que esteve com o Pai desde o princípio, encarnou para nos salvar.
      • João 1:15 – Jesus é pré-existente;
      • João 1:18 – Jesus é “Deus Unigênito” que torna o Pai conhecido;
      • João 1:23 – texto muito forte, pois faz menção a Isaías 40:3, onde é dito que alguém prepararia o caminho para a vinda de “Jeová”. João Batista preparou o caminho de Jesus, indicando assim que Jeová de Isaías 40:3 é Cristo!
      • João 1:29, 30 – Cristo é o Cordeiro que tira o pecado do mundo e que já existia antes de vir a este planeta (pré-existência);
      • João 1:34 – o apóstolo dá testemunho de que Cristo é o “Filho de Deus” (lembre-se que “Filho”, na linguagem de João, significa igualdade – ver João 5:18; 19:7);
      • João 1:47-49 – Natanael claramente reconhece que Jesus é o “Filho de Deus”, indicando assim que acreditava ser Ele DEUS;
      • João 1:50 – Jesus afirma que os discípulos verão os anjos voltando a este mundo com Ele – o criador dos anjos;
      • João 2:11 – o primeiro milagre de Cristo, onde Ele transforma água em “vinho” (suco de uva – Isaías 65:8) serviu para que vários discípulos cressem no poder glorioso dEle;
      • João 3:15, 16 – Quem crê em Jesus tem a vida eterna. Só Deus pode dar a vida eterna a alguém por crer nEle, não numa criatura (não faria sentido algum!). Em Atos 3:15, Cristo é chamado de Autor da vida; como poderia ser uma criatura?
      • João 3:36 – quem não crer que Jesus é o “Filho de Deus”, ou seja: quem não acreditar na Divindade de Cristo e não O aceitar como Salvador e Deus, irá se perder;
      • João 5:17, 18 – Quando Jesus afirmou que Deus era o Pai dEle, os judeus quiseram matá-Lo porque entenderam que o termo “Filho” significa igualdade em divindade. Se o Salvador estivesse dizendo que era uma “criatura”, não seria acusado de “blasfêmia”. Portanto, para o apóstolo João, blasfêmia é alguém afirmar que Cristo não é Deus, sendo que no seu livro ele relata 8 milagres (além de outros acontecimentos sobrenaturais) com o objetivo de provar que o Salvador é Divino!
      • João 5:21 – Jesus afirma que tem o mesmo poder que o Pai para ressuscitar, dar a vida!
      • João 5:22 – Cristo é o juiz da humanidade – só Deus pode ser “Justo Juiz”: “Deus é justo juiz…” Salmo 7:11.
      • João 5:23 – A mesma honra que é atribuída a Deus o Pai, deve ser atribuída ao Filho, por também ser Divino!
      • João 5:26 – Cristo tem vida em Si mesmo, do mesmo modo que o Pai ;
      • João 5:28, 29 – Jesus é quem irá ressuscitar os mortos. Isso é feito por Deus, o que cria a vida!
      • João 5:40 – É preciso ir ao Salvador para ter a vida eterna, pois Ele é a fonte;
      • João 5:33, 35, 40, 50 – Jesus é o “pão da vida”, a fonte de vida para todo o que crer nEle como Senhor, Salvador e Deus;
      • João 5:46 – Jesus afirma que “veio de Deus” e que “viu” a Deus;
      • João 6:64 – Cristo é onisciente – característica essa totalmente Divina! (ver também João 18:4);
      • João 6:68, 69 – Pedro confessou pela fé que Cristo era o “Santo de Deus” e não “a criatura de Deus”;
      • João 7:46 – os guardas do templo, que haviam sido designados para prender Jesus, não conseguiram fazer isso de imediato porque viram nEle algo de sobrenatural nas palavras que dizia;
      • João 8:12 – Cristo é a “luz do mundo”. Por aceitarmos essa Luz Divina em nossas vidas, podemos transmiti-La a outros (Mateus 5:13, 14);
      • João 8:23 – O Salvador diz que não é desse mundo, mas de outro. E afirma com clareza no verso 24 que quem não crer em Quem Ele é, irá morrer nos próprios pecados;
      • João 8:36 – Cristo é o que liberta o ser humano do pecado. Característica de um ser Divino, pois o grave problema do pecado não pode ser resolvido por uma criatura;
      • João 8:44 – Jesus demonstra conhecer o diabo “desde o princípio”. Para isso, Ele teria que ter sido o criador do anjo caído (que havia sido criado perfeito, segundo Ezequiel 28:15).
      • João 8:57-59 – esta declaração do próprio Cristo é fantástica. Ele diz ser o “Eu Sou” de Êxodo 3:14! Se autointitulou “Jeová” de modo que os judeus quiseram apedrejá-Lo. Acreditamos no que Jesus disse sobre Si (que Ele era Deus) ou O rejeitamos completamente. Ele foi um Deus-homem que falou a verdade ou um lunático. Não há como ficar no meio termo!
      • João 9:17 – testemunhas oculares viram os sinais miraculosos de Jesus;
      • João 9:38- Jesus foi adorado e não rejeitou tal adoração!
      • João 10:11 – Cristo afirma ser o Deus PASTOR mencionado no Salmo 23 e em Apocalipse 7:17! Como negar tamanha verdade?
      • João 10:18 – Cristo disse que espontaneamente deu a vida Dele e que tinha poder para reassumi-la. Tem que ser Divino para ter um poder desses;
      • João 10:28, 30, 31, 33 – Cristo afirma que Ele e o Pai são uma unidade e, o fato de os judeus quererem apedrejá-Lo demonstra que, com essa declaração, o Salvador estava se fazendo IGUAL a Deus Pai em Divindade;
      • João 10:39 – Cristo diz que o Pai estava nEle e Ele, no Pai, ensinando assim que eles são UM em UNIDADE. Os judeus quiseram apedrejá-Lo novamente por blasfêmia;
      • João 11:25 – Cristo afirma ser a fonte de vida;
      • João 11:43, 44 – Jesus ressuscita um morto com Sua palavra de ordem (não como o fez Elias, que pediu a Deus), indicando que tinha autoridade Divina para dar a vida. Não é por acaso que Atos 3:15 chama-O de autor da vida!
      • João 12:45 – Ver a Jesus é o mesmo que ver a Deus Pai, pois são UM em Unidade (não em personalidade);
      • João 14:1 – Cristo pede que as pessoas creiam em Deus e também nEle. O texto perderia o sentido se Ele fosse uma criatura: “creiam no Criador e em mim, a criatura”;
      • João 14:3 – Ele promete voltar em glória e majestade. Sendo o Juiz de toda a humanidade (João 5:22), Ele é Deus (Salmo 7:11);
      • João 14:6 – Cristo ensina que é o caminho, a verdade e a vida. O Salmo 36:9 nos mostra que Deus é a fonte de vida! Portanto, Cristo é identificado como Deus, autor da existência;
      • João 14:9, 10 – Ver a Cristo é o mesmo que ver o Pai. Se Ele fosse um ser criado, o Pai estaria sendo igualado a uma criatura – atitude blasfema;
      • João 14:13, 14 – Cristo atende orações. Um anjo não poderia fazer isso;
      • João 16:27 – Deus ama quem acredita que Jesus não foi um simples homem, mas que veio de Deus;
      • João 17:3 – Jesus disse que nossa vida eterna depende do correto conhecimento que temos de Deus e dEle também!
      • João 17:5 – Cristo já era um Deus glorioso antes de existir o mundo;
      • João 18:6 – Quando o Salvador disse quem era Ele, os soldados que iriam prendê-Lo caíram por causa da autoridade divina que estava em Suas palavras!
      • João 19:7 – novamente Jesus é acusado de “blasfêmia” porque a si mesmo se fez IGUAL a Deus (por se intitular como “Filho”);
      • João 19:37 – Compare este texto com Zacarias 12:4, 10 onde é profetizado que DEUS seria traspassado. João chama Jesus de “Jeová” sem deixar margem para dúvidas!
      • João 20:28 – Tomé, um judeu, reconheceu a Divindade de Cristo ao chamá-Lo de “Deus meu”. E Tomé não foi considerado um idólatra por adorar a Cristo.
      Não mencionei nessa listagem as evidências do evangelho de João de que o Espírito Santo também é uma Pessoa Divina. Farei isso noutra ocasião, se você quiser continuar estudando comigo sobre o tema.
      A listagem de textos que lhe apresentei é suficiente para crer que Jesus é Deus e Salvador de todo aquele que nEle crer e O aceitar. Ele convida você em Apocalipse 3:20: “Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e cearei com ele, e ele, comigo.” E promete em João 6:37: “Todo aquele que o Pai me dá, esse virá a mim; e o que vem a mim, de modo nenhum o lançarei fora.”

      3 – As declarações de Jesus em João 20:17 e 10:34, 35

      Aqui faremos uso da exegese (aplicar as regras da hermenêutica) para entendermos os textos bíblicos. E uma dessas regras é analisar o contexto interno do texto bem como alguma referência paralela que trate do mesmo assunto.
      Em João 20:17, Jesus chama o Pai de Deus. Isso em nada diminui a Divindade do Salvador do mesmo modo que de Deus Pai não deixa de ser Deus ao chamar a Cristo de Deus (analisaremos depois Hebreus 1:8).
      Já o texto de João 10:34, 35 precisa ser interpretado, como disse anteriormente, levando-se em conta o contexto interno do livro e texto(s) paralelo(s). Quando vamos à Bíblia, descobrimos que a palavra plural “deuses” com letra minúscula era aplicados aos juízes humanos por eles serem representantes de Deus, o Juiz Supremo. E o Salmo 82:6, texto paralelo, comprova isso: “Eu disse: sois deuses, sois todos filhos do Altíssimo”. Leia o contexto (versos 1-5) e veja que neste Salmo Deus está pronunciando um castigo sobre os juízes corruptos!
      Portanto, Cristo não estava dizendo que os líderes judeus eram “deuses” com essência divina, mas estava usando um termo que eles conheciam para defender as próprias declarações de que era Deus. Prova de que o Salvador não estava menosprezando a própria divindade em João 10:34, 35 encontramos no mesmo capítulo, nos versos 38 e 39: “mas, se faço, e não me credes, crede nas obras; para que possais saber e compreender que o Pai está em mim, e eu estou no Pai. Nesse ponto, procuravam, outra vez, prendê-lo; mas ele se livrou das suas mãos.” João 10:38-39. Os judeus entenderam bem que Cristo, em outras declarações do mesmo capítulo, estava se autointitulando Divino.

      4 – O que Deus Pai disse sobre Jesus

      1) O Pai chamou Jesus de DEUS! “Mas acerca do Filho: O teu trono, ó Deus, é para todo o sempre; e: Cetro de equidade é o cetro do seu reino.” Hebreus 1:8. Perceba que Hebreus 1:8, 9 é uma citação do Salmo 45:6, 7, que fala de “Jeová” (ou “Javé” – ninguém sabe ao certo a pronúncia do nome hebraico de Deus);

      2) O Pai disse que Jesus também era “Jeová” como Ele, Criador de todas as coisas! “Ainda: No princípio, Senhor, lançaste os fundamentos da terra, e os céus são obra das tuas mãos; eles perecerão; tu, porém, permaneces; sim, todos eles envelhecerão qual veste; também, qual manto, os enrolarás, e, como vestes, serão igualmente mudados; tu, porém, és o mesmo, e os teus anos jamais terão fim.” Hebreus 1:10-12.

      Analise também que o autor de Hebreus 1:10-12 aplicou a Jesus o Salmo 102:25-27, que se refere ao Deus do Antigo Testamento. Compare os dois textos depois de ler este Salmo: “Em tempos remotos, lançaste os fundamentos da terra; e os céus são obra das tuas mãos. Eles perecerão, mas tu permaneces; todos eles envelhecerão como uma veste, como roupa os mudarás, e serão mudados. Tu, porém, és sempre o mesmo, e os teus anos jamais terão fim.”

      3) O Pai afirmou que Jesus deve ser adorado: “E, novamente, ao introduzir o Primogênito no mundo, diz: E todos os anjos de Deus o adorem.” Hebreus 1:6.

      4) O Pai disse que amava a Jesus: “E eis uma voz dos céus, que dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo.” Mateus 3:17.

      Concluindo: Se formos obedientes ao Pai, chamaremos Jesus de Deus, assim como Deus Pai o faz. E ainda seguiremos a ordem dEle de adorar a Jesus!
      Estude com carinho tudo o que lhe escrevi e enviei. Estarei com o coração aberto às suas colocações e para eventuais evidências bíblicas ou históricas que possua que refutem o que lhe apresentei.
      Deixo-lhe um texto bíblico para sua reflexão:

      “Atendei por vós e por todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos constituiu bispos, para pastoreardes a igreja de Deus [Jesus!], a qual ele [Jesus!] comprou com o seu próprio sangue [Jesus!].” Atos 20:28

      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira



  • Fernando de Paula em 28 de janeiro de 2014 22:30

    Obrigado Maiara, por ter dado atenção ao que postei. Sua resposta foi muito gentil e evidenciou o carinho que todos vocês tem pelos leitores desse site. Obrigado por dispensar algumas horas de sua vida comigo.

    Li com muito carinho, atenção e com a mente bem aberta, com o único objetivo de encontrar a verdade a cerca desse tema tão empolgante.

    Entretanto, você não comentou nada a cerca de minhas observações sobre 1 Jo 5:20. Você, de maneira bondosa, tentou mostrar como o Apostolo João via a Jesus. Mas, não refutou 1 Jo 5:20. Me desculpe se estou sendo agressivo, por favor, não é essa a intenção.. desejo, apenas absorver conhecimento mais profundo da palavra de Deus. Respeito muito a todos vocês, pois, reconhece que tens discernimento espiritual.

    Todavia, como você mesmo disse, não podemos ver as expressões bíblicas com seu significado apenas em português, e sim como era usado nos tempo biblicos. De modo que, 1 Jo 5:20, o apostolo, se referiu ao pai de Jesus como sendo o Verdadeiro e a Vida Eterna.

    Os texto citados, estou lendo todos com muito carinho, e estou percebendo verdades tocantes que antes não havia considerado. A medida que for avançando, vou postando minhas conclusões. Tudo bem?

    Mais uma vez, muito obrigado por sua atenção e carinho.



    • Maiara Costa - Equipe em 29 de janeiro de 2014 10:57

      Olá Fernando!
      É uma grande satisfação poder manter contato com você novamente.
      Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.
      Antes de dar uma resposta referente ao texto de 1 João 5:20, considerei importante apresentar à você qual o posicionamento do evangelista em relação à Divindade de Cristo, pois isso é o que recomenda uma das regras básicas da hermenêutica (ciência de interpretação da Bíblia), ou seja, avaliar tudo o que a Bíblia tem a dizer sobre o assunto, nesse caso, tudo o que o autor teve a dizer sobre esse assunto. Por essa razão lhe enviei tão extensa lista de versículos.
      Agora em relação ao texto de 1 João 5:20, você está correto, João ali estava falando sobre Deus o Pai, pois estava lidando com o problema do gnosticismo e desta forma refutando argumentos contra a divindade do próprio Pai.
      João apresenta uma das razões de Cristo ter assumido a forma humana (encarnado), revelar o caráter do Pai (João 1:14,18) que é sim o Verdadeiro Deus e a Vida Eterna, contudo, de acordo com comentários bíblicos, o texto também pode ser aplicado à Cristo, mesmo que seu sentido primário não seja esse, pois Cristo e o Pai, ambos são um em natureza, caráter e propósito (João 10:10), sendo assim, nada há de errado em dizer por esse texto que Cristo também é Deus Verdadeiro e a Vida Eterna (Isaías 9:6; João 10:18; Atos 3:15).

      Despeço-me com um texto para reflexão: “Deles são os patriarcas, e a partir deles se traça a linhagem humana de Cristo, que é Deus acima de todos, bendito para sempre!” Romanos 9:5

      Sinta-se a vontade para escrever sempre que quiser.
      Que Deus continue o abençoando grandiosamente.
      Um forte abraço.



  • Gislaine em 4 de fevereiro de 2014 14:00

    Tenho buscado muitas respostas e Graças a Deus tenho encontrado aqui ,gosto muito do programa e como Deus te se revelado por meio do programa na mira da verdade



  • H.M.R em 14 de fevereiro de 2014 19:13

    Escreveste, escreveste, mas nao disseste nada. Onde pois na Biblia mostra que o ES e’ tambem o Unico Deus Verdadeiro? Se Joao 17:3 afirma que ha mais Deus Verdadeiros alem do Pai, como Entao entender I Cor 8:4-6 e I Tim 2:5?.

    A Biblia nao mostra uma Sujeicao Funcional a Cristo. Porque se assim Fosse o escritos aos Corintios (Paulo) nao iria mostrar mais a Sujeicao de Cristo, em I Cor 11:3 e I Cor 15:27. Antes porem o iria por em sua Plena Posicao.

    Pense: Alguem que tem Um Deus, ora pra Ele, adora Ele, acaso nao e’ esse Menor que tal Deus??? Apoc 3:12 Efes 1:17.

    Se pois, as pessoas que usam 17;3 pra provar que so Jeova’ e’ Deus Unico, metem Jesus Na Posicao de deus falso (Como dizes), sera’ que metem do mesmo Jeito os Anjos (Salmos 8:5 e Salmos 82:1-6), os Humanos (Salmos 82:1-6 e Joao 10-34-36) e Moises (Exodo 4:16, 7:1) !??

    Assim como Jeova sempre disse: Eu Sou Deus. Me mostre o Cap, Livro e Vers que Jesus o faz Tambem.

    Quero que saibais que eu nao nego a divindade de Cristo.

    Onde nas Escrituras esta a Chamar o ES de Deus Verdadeiro?

    Porque ele esta alistado no meio de qualidades? Luc 11:13

    de acordo a I Cor 15:27, tudo esta sujeito a Cristo, exceto quem o sujeitou tudo (Somente) e o ES? Porque ele tambem esta sujeito a Cristo?? Acaso nao e’ Tambem Todo -Poderoso???

    Porque e’ Que foi Preciso o Pai conceder Vida propria ao Filho?
    Lemos aii em Joao 5:26: Assim Como o PAI TEM VIDA EM SI MESMO, TAMBEM CONCEDEU AO FILHO TER VIDA EM SI MESMO.
    Mostra aii que Jesus era antes vivo por dependencia pois nao?

    Falar que Jo 10-30 Jesus Iguala-se Plenamente ao Pai, e’ Falar que em Jo 17:21-23 Jesus nos Iguala Plenamente a Trindade ou A Eles. Nao acha?

    Em Cristo habita corporalmente TODA A PLENITUDE DE DEUS, Col 2:9, pois pra Habitar Foi Necessario que Alguem o Achasse Digno de Possuir-la pois nao? Cita tambem Col 1:19 que Diz que foi o Pai que Achou certo nele habitar.
    Agora pois lhe digo, que se for a usar o teu argumento de Col 2:9 tambem direi que todo aquele que conhece Cristo, tambem e’ Plenamente ” Unico Deus Verdadeiro ” Efes 3:19. O teu conceito nao Prova que Jeova’ Seje o UNICO DEUS VERDADEIRO. E ademais, o 1 Joao 5:20, trata-se de Revisar a Todas Trad da Biblia e estudar o Portugues. Aii se chegara a conclusao de que se e’ apresentada no texto.



    • Maiara Costa - Equipe em 18 de fevereiro de 2014 17:48

      Olá Claudio!
      Que a graça e a paz de Cristo Jesus esteja sempre em seu coração.

      O texto de 1 Coríntios 15:24,25 está inserido dentro do contexto da ressurreição e da volta de Jesus no qual nos apresenta como o grande conflito entre o bem e o mal terminará. Muitos ao ler esse texto (1 Coríntios 15:24-28) podem querer afirmar que Paulo está dizendo que Cristo é inferior ao Pai, porém esse texto é uma demonstração da unidade de propósitos entre os membros da Divindade, pela qual os atos de um se vêem como o cumprimento da vontade unida de ambos (João 10:30).
      No plano divino para a redenção do mundo, o Pai confiou tudo nas mãos do Filho (Mateus 11:27; Colossenses 1:19). Quando se completar a missão de Cristo e submetidos forem os inimigos de Deus, então Ele entregará “o reino ao Deus e Pai”, pois em sua missão no plano da redenção Cristo nunca tentou engrandecer a si mesmo, mas sim ao Pai, pois quando o Filho veio foi para estabelecer o reino dos céus (Mateus 2:2;4:17; Marcos 1:15).
      Aqui Paulo exalta a missão de Cristo e isso não diminui em nada a Sua divindade que ao encarnar ou se tornar um Ser humano ficou oculta em sua humanidade (Filipenses 2:5,6).
      Nesses textos Paulo mostra que quando chegar o fim do grande conflito (v.24) o supremo propósito de Cristo (João 17:1,4,6) estará cumprido e todo o universo reconhecerá a supremacia do Pai e nada ficará fora da órbita do bondoso controle de Deus.
      Dentro da Divindade não existe diferença entre os três membros: Pai, Filho e Espírito Santo. O que existe é uma subordinação nas funções, ou seja, funcional dentro do plano da redenção. O Pai desempenha uma parte, Cristo outra e o Espírito Santo outra. E nesse capítulo e versos da carta de Paulo aos Coríntios o apóstolo mostra a principal missão de Cristo no plano de redenção.

      Um forte abraço.
      Deus o abençoe.



  • Paulo Pinto em 10 de março de 2014 13:13

    Aguardo a resposta do prof. Leandro Quadros as minhas onsideracoes



    • Maiara Costa - Equipe em 10 de março de 2014 15:48

      Olá Paulo!
      Assim que chegar ao seu comentário será feita as considerações.
      Que Deus te abençoe.
      Um forte abraço.



      • PAULO AUGUSTO DA COSTA PINTO em 10 de março de 2014 16:32

        OBRIGADO, PREZADA IRMÃ EM CRISTO.
        PARTILHO COM VOCÊ: VÍDEO DO PAPA CUMPRE PROFECIA (!?)
        http://aodeusunico.com.br/?p=4510



        • Maiara Costa - Equipe em 10 de março de 2014 17:25

          Olá estimado amigo Paulo Augusto!
          Obrigado por seu contato com o programa Na Mira da Verdade.
          Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.
          Muito obrigado por compartilhar o vídeo, ele nos mostra que as profecias estão se cumprindo.
          Que Deus te abençoe grandiosamente.
          Um forte abraço.



  • kaypym araujo em 5 de abril de 2014 21:22

    MAIARA COSTA VOU ANALIZAR OQ UE VC FALOU:

    “as onde aparece escrita essas palavras? Em qual texto? Aí você apresentou apenas a transliteração! ”

    SE VC NÃO SABE EU NAÕ FALEI DE NENHUMA TRANSLITERAÇÃO OU VC NÃOS ABE OQ UE TRANSLITERAÇÃO? POR EXEMPLO QUE BIBLIA JÁ É A TRANSLIETARAÇÃO DE BIBLION QUE SIGNIFICA LIVROS OU CONJUNTO DE LIVROS.OUTRO EXEMPLO JESUS É TRALITERAÇÃO DE IESUS DO GREGO E QUE SIGNIFICADO SERIA EU SOU SALVAÇÃO,ENTÃO MOSTREI OS SIGNIFICADOS QUE ESTÃO NA BIBLIA MESMO NÃO CONSTANDO A TRANSLITERAÇÃO.AGORA VC E O LEANDROS QUADROS QUE ME EXCLUIU DA PAGINA DELE ME DEVE UMA RESPOSTA DA SEGUINTE PERGUNTA:

    QUAL NOME DA TERCEIRA PESSOA DA TRINDADE?



    • Maiara Costa - Equipe em 7 de abril de 2014 15:52

      Olá Kaypym!
      Isso já foi respondido a você uma outra vez aqui mesmo no blog e também o amigo Sérgio Eduardo pelo blog dele já o respondeu.
      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.



  • burt walker em 7 de abril de 2014 9:14

    Caro Leandro Quadros , ao citar o texto seria bom até por uma questão de temor piedoso a Deus citar o contexto, pois não fica bem um homem estudado como o sr., defender uma doutrina pagã, sabendo disso Ex quando Jesus disse que seu Pai é o unico Deus verdadeiro era extamente isso que ele queria dizer, ele nunca quis se igualar com seu DEUS e PAI,
    Judas vs 25, o irmão de Jesus acreditando da maneira como Jesus acreditava chama o Deus de o unico Deus. Qudo o sr.,cita João 10:30, o sr. não citou o contexto ,pois no vs 31, Jesus dis que ele é o FILHO de DEUS, não o proprio DEUS, . Por isso que em toda Biblia sempre encontramos os escritores inspirados chamando Jesus de o FILHO DE DEUS, é chamado tambem de SERVO DE DEUS, Atos 4 :30, AOOSTOLO DE DEUS Heb 3:1.
    Paro por aqui um abraço e volte aos primordios qudo pelo menos na questão da trindade voces estavam certos, pena que preferiram se amoldar ao paganismo.



    • Maiara Costa - Equipe em 7 de abril de 2014 15:48

      Olá Burt!
      Obrigado por seu contato com o programa Na Mira da Verdade.
      Que a graça e a paz do Deus Unigênito Jesus Cristo (Jo 1:14,18), esteja sempre em seu coração.

      Vou responder a sua afirmação com algumas perguntas:

      1) O que o Antigo e o Novo Testamento falam sobre Jesus?

      “Por isso o Senhor mesmo lhes dará um sinal: a virgem ficará grávida e dará à luz um filho, e o chamará Emanuel”. Isaías 7:14

      “E tu, Belém-Efrata, pequena demais para figurar como grupo de milhares de Judá, de ti me sairá o que há de reinar em Israel, e cujas origens são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade”. Miquéias 5:2

      “Mas, depois de ter pensado nisso, apareceu-lhe um anjo do Senhor em sonho e disse: José, filho de Davi, não tema receber Maria como sua esposa, pois o que nela foi gerado procede do Espírito Santo. Ela dará à luz um filho, e você deverá dar-lhe o nome de Jesus[3], porque ele salvará o seu povo dos seus pecados. Tudo isso aconteceu para que se cumprisse o que o Senhor dissera pelo profeta: A virgem ficará grávida e dará à luz um filho, e o chamarão Emanuel”, que significa “Deus conosco”. Mateus 1:20-23

      Podemos perceber que Cristo tanto no Antigo Testamento quando no Novo era considerado o Ser Divino que viria para resgatar a humanidade.

      2) Como mostrou o Pai ser Seu Filho uma pessoa da Divindade?

      “Mas a respeito do Filho, diz: O teu trono, ó Deus, subsiste para todo o sempre; cetro de eqüidade é o cetro do teu Reino”. Hebreus 1:8

      3) Como se refere Cristo à eternidade de Seu ser?

      “E agora, Pai, glorifica-me junto a ti, com a glória que eu tinha contigo antes que o mundo existisse“. João 17:5

      “Disse Deus a Moisés: “Eu Sou o que Sou. É isto que você dirá aos israelitas: Eu Sou me enviou a vocês”. Êxodo 3:14

      “Respondeu Jesus: “Eu lhes afirmo que antes de Abraão nascer, Eu Sou!” João 8:58

      4) Quais as evidências bíblicas que Jesus era divino?

      • Mateus 28:18; João 17:2.
      • Colossenses 2:3.
      • Mateus 20:28; Mateus 18:20.
      • Hebreus 13:8; Malaquias 3:6.
      • João 5:26; João 1:4; Atos 3:15.
      • Lucas 1:35; Marcos 1:24.
      • Isaías 9:6; Colossenses 1:17.
      • João 1:3; Colossenses 1:16.
      • Colossenses 1:17; Hebreus 1:3.
      • João 5:28,29.
      • Mateus 9:6; Marcos 2:5-7.
      • Mateus 1:23

      5) Como as pessoas reconheciam ou consideravam Jesus?

      • João 1:1,14.
      • João 20:28
      • Romanos 9:5.
      • Hebreus 1:8,10
      • Mateus 14:33
      • Mateus 28:9

      Se Jesus não considerasse a Si mesmo como Deus, essa teria sido a oportunidade crucial para corrigir essa idéia “equivocada”. No entanto, Ele não o fez. Assim, temos poderosa evidência bíblica da divindade de Cristo.

      6) O que significam os nomes Jesus, Cristo, Messias, Filho de Deus, Filho do Homem e Filho Unigênito? Lucas 1:31; Lucas 2:11; *João 1:41; Mateus 14:33; Mateus 8:20; João 1:14

      Jesus: do grego Iesous é uma tradução (transliteração) da palavra hebraica Josué, que significa Jeová é salvação, ou seja, é o Salvador (Mateus 1:20,21).
      Cristo: do grego Christos que significa ungido, é distintamente um nome próprio. Quando é usado um artigo, por exemplo, o Cristo, está se referindo a Sua pessoa (humanidade), quando a palavra aparece sem artigo, por exemplo, Cristo, significa que Ele é o Único que pelo Seu Espírito Santo e poder habita nos crentes e molda o caráter deles de conformidade com a Sua semelhança (Daniel 9:25,26; Gálatas 2:20). O título Cristo sem o artigo acentua o Seu caráter e relação para com os crentes.

      Filho de Deus: a palavra filho do grego Huios significa primariamente a relação de descendência ao pai. Filho de Deus neste título, a palavra Filho é usada acerca de: 1° Às vezes, a relação e 2° às vezes, a expressão do caráter. Assim, por exemplo, quando os discípulos se dirigiam a Ele como o Filho de Deus (Mt 14:33;16:16; Jo 1:49), quando o centurião romano assim se referiu a Ele (Mt 27:54), eles provavelmente queriam dizer que Ele era uma manifestação de Deus em forma humana (Jo 5:25; Jo 5:18). Devemos entender que subsiste uma relação eterna entre o Filho e o Pai na Deidade. Quer dizer, o Filho de Deus, em Sua relação eterna com o Pai, é denominado “Filho”, não porque Ele em certo tempo começou a derivar Seu ser do Pai (Em tal caso, Ele não poderia ser coeterno com o Pai), mas porque Ele é e sempre foi a expressão do que é o Pai (Jo 14:9). As palavras em Hebreus 1:3: O qual [Jesus], sendo o resplendor da sua glória [de Deus], e a expressa imagem da sua pessoa [Deus], são definições do que significa Filho de Deus. Portanto a deidade absoluta, e não a deidade em sentido secundário ou derivado, é o quer se quer dizer com o título. As palavras Pai e Filho, nunca são usadas para sugerir que o Pai existia antes do Filho. Ao se dirigir ao Pai em Sua oração em João 17, Jesus disse: “ Tu me hás amado antes da criação do mundo” (Jo 17:24). Desta maneira, no infinito passado o Pai e o Filho existiam nessa relação de amor, como também de absoluta deidade.

      Filho do Homem: no novo testamento, esta é uma designação de Cristo. Filho do Homem é o título que Cristo usou para aludir a Si mesmo. Essa expressão pode se referir à Sua humanidade, obra na terra, sofrimento e morte (Mt 8:20;11:19;12:40; 26:2,24) e também à Sua glória na ressurreição e Seu futuro advento (Mt 10:23; 13:41; 16:27,28; 17:9; 24:27; 24:30; 24:37,39,44).
      Enquanto é título messiânico, é evidente que o Senhor aplicou a Si mesmo de modo distintivo, porque indica mais que messiado, até supremacia universal por parte daquele que é Homem. Portanto, põe em relevo a Sua humanidade, humanidade de ordem única em comparação com todos os outros homens, pois é declarado que Ele é do Céu (1 Co 15:47), e mesmo durante o tempo em que esteve aqui embaixo, Ele era “O Filho do Homem, que está no céu (Jo 3:13). Ele não apenas é homem, mas é o Filho do Homem, não pela geração humana, mas pela sua participação das características humanas (exceto o pecado).

      Unigênito: do grego monogenes, é usado cinco vezes, todas nos escritos do apóstolo João, acerca de Jesus como Filho de Deus. Com referência a Jesus, a frase “o Unigênito do Pai” (Jo 1:14), indica que, como o Filho de Deus, Ele era o representante exclusivo do Ser e caráter daquele que o enviou. A glória era de uma relação única e a palavra “Unigênito” não implica um começo de Sua filiação. Sugere, de fato, a relação, mas esta deve ser distinguida da geração conforme é aplicada aos homens. Podemos apenas entender corretamente o termo “unigênito” quando usado para se referir ao Filho, no sentido de relação não originada. A geração não é um evento no tempo, embora distante, mas um fato independente do tempo. O Cristo não se tornou, mas necessariamente e eternamente é o Filho. Ele, uma Pessoa, possui todos os atributos da deidade pura. Sobre este aspecto Ele não é depois do Pai.
      Messias: do hebraico Mãshîah se refere àquele que é ungido com óleo e simboliza o recebimento do Espírito Santo, capacitando-o a fazer uma tarefa designada (Mateus 3:13-17).

      Desta forma, estimado amigo nada há na Bíblia que desabone a crença cristã da Divindade de Cristo e também do Espírito Santo.

      Despeço-me com um texto para reflexão:

      “Edifiquem-se, porém, amados, na santíssima fé que vocês têm, orando no Espírito Santo. Mantenham-se no amor de Deus, enquanto esperam que a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo os leve para a vida eterna”. Judas 20,21

      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.



  • burt walker em 8 de abril de 2014 23:28

    Com todo respeito a defensora da doutrina pagã da trindade ,disso por que sei que no fundo de seu coração você como adventista do 7º Dia, sabe disso ,alias os primitivos adventistas, já sabiam, obvio que você também sabe, não lute contra a verdade, seja humilde por que tentar defender algo que vai contrário a genuína fé, quando você cita Rom 9:5, você despreza
    todo o contesto da carta de Paulo,onde pois no capitulo 9 de Romanos Paulo fala de genealogia de Jesus segundo a CARNE,,e depois fala de DEUS, que é sobre todos, não acredito que você não se aperceba disso,veja Rom 1 :3, que diz, “a respeito de seu FILHO, o qual procedeu do descendente de DAVI, segundo a CARNE. Aliás toda a carta aos Romanos mostra que DEUS È DEUS E PAI DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO,Comprove isso lendo ROMANOS 15:6,que diz “para que , de comum acordo, com uma só boca GLORIFIQUEIS O DEUS E PAI DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO,não lute contra a verdade por que defender um “dogma´´, que você sabe que é mentira,lembre-se que ficarão de fora da salvação todo aquele que gosta da mentira , Apocalipse 22:15.
    Quando você cita João 10:30, não vou nem entrar em detalhes,você sabe o que o contesto diz, Jesus (O DA BÍBLIA )jamais aceitou ser equiparado com DEUS, nem ser chamado de
    bom,Lucas 18:19, Jesus quer na terra quer no céu SEMPRE,se sujeitou ao SEU DEUS E PAI, e seus primitivos seguidores sabiam disso, tenho absoluta certeza que vocês , pastore adventistas, também sabem.
    Vocês citam com frequência Colossenses,2:9, mais de novo esquecem o contexto da carta de Paulo, veja o Colossenses 1:19, que diz “porque DEUS achou bom que morasse nele (JESUS,) toda a plenitude
    Finalizando continuo a dizer se fosse um leigo que afirmasse que Jesus e O Todo Poderoso eu até sorriria e iria ignorar a falta de conhecimento básico da Biblia, mas partindo de teólogos como vocês, eu acho um acinte a minha modesta inteligencia . Um abraço e lembrem-se de Apocalipse:22:15, com respeito a gostar da mentira..



    • Maiara Costa - Equipe em 9 de abril de 2014 11:34

      Olá Burt!
      Bom dia.
      Que a graça e a paz de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo esteja sempre em seu coração.

      Inicio o nosso diálogo de hoje com a seguinte pergunta:

      Têm os Adventistas do Sétimo Dia mudado quanto a algumas posições advogadas por certos adeptos nos primeiros anos, cujas citações ainda circulam? Tais citações não representam incorretamente os ensinos atuais da liderança adventista?

      Respondo que como adventista do sétimo dia, creio que a luz da verdade bíblica é progressiva, e deve brilhar mais e mais até ser dia claro (Pv 4:18), e tenho procurado viver e andar nessa luz progressiva e crescente. Nós Adventistas não temos credos formais e fixos, pois o nosso único credo é a Bíblia.

      Agora vamos à opinião de alguns pioneiros do adventismo e começo por Ellen White que é tão má utilizada e incompreendida por muitos!
      Ela escreveu por volta do ano 1892, em seu livro Conselhos Sobre Escola Sabatinap.34 a seguinte afirmação:

      Ao que está em viva comunhão com o Sol da Justiça, sempre se revelará nova luz sobre a Palavra de Deus. Ninguém deve chegar à conclusão de que não há mais verdades a serem reveladas. O que busca a verdade com diligência e oração encontrará preciosos raios de luz que ainda hão de brilhar da Palavra de Deus.

      Ou seja, Ellen White admite que as concepções e convicções podem ser mudadas ao passo que a Bíblia é aberta para ser estudada com coração sincero e disposto. E foi isso que ocorreu!

      Há mais de um século, os fundadores da Igreja Adventista do Sétimo Dia eram de várias denominações religiosas. Embpra, todos fossem pré-milenistas, alguns eram trinitarianos; outros, arianos, a maioria era arminiana; uns poucos eram calvinistas. alguns insistiam no imersionismo e outros no aspercionismo. Havia diversidades nesses pontos, e a semelhança de outros grupos religiosos, o período inicial foi caracterizado pela transição e adaptação.

      Por mais que alguns pioneiros inicialmente fossem arianos, isso não permaneceu assim, conforme estudamos o desenvolvimento das doutrinas adventistas no decorrer dos anos percebemos que conforme eram iluminados pela luz do Espírito Santo, eram convencidos da verdade conforme expressa na Palavra de Deus. Se você tivesse lido uma fonte primária básica do adventismo, o livro: Em Busca de Identidade saberia disso.

      Conforme já mencionei anteriormente, se você quiser continuar crendo que Cristo é apenas uma criatura, sinta-se a vontade, irei respeitar a sua opinião! E creio que esses diálogos não serão proveitosos caso não tenha a mente aberta para compreender o assunto dentro da Bíblia e da história denominacional adventista.

      Desejo do fundo do coração à você que permaneça escolhido de acordo com o pré-conhecimento de Deus Pai, pela obra santificadora do Espírito Santo, para a obediência a Jesus Cristo e a aspersão do seu sangue: Graça e paz lhes sejam multiplicadas. 1 Pe 1:2

      Um forte abraço.



      • burt walker em 13 de abril de 2014 23:21

        Burt Responde a Equipe.
        1º Não considero Jesus uma “simples criatura´´, não denigram o FILHO DE DEUS, o que eu não aceito é a doutrina PAGÃ DA TRINDADE. Se vocês lerem Atos 5:31,lerão,“Deus a este (Jesus), como agente Principal e Salvador, para dar a Israel arrependimento e perdão de pecados
        2º Citar Provérbios 4 :18, para dizer que foram exclarecidos para refinar a fé, me desculpem
        isso é um absurdo,vocês deixaram uma doutrina CRISTÃ, e se voltaram pra uma doutrina PAGÃ, fizeram exatamente ao contrário , DEIXARAM A VERDADE E VOLTARAM A MENTIRA.
        3º Dizem que em João 17:3, Jesus falava que Deus era o único Deus verdadeira em contraste com os deuses falsos e sendo assim excluía Jesus, ora que coisa feia, a oração de Jesus, nem de longe diz isso, e vocês sabem muito bem isso.
        4º Costumam citar Deut 6:4, e dizem que ali não se refere ao que qualquer pessoa que leia o texto enxerga , JEOVÁ É UM (echad),alias echad é numero ,(numero um ), pois aqui sim temos um contraste entre os PAGÃOS que adoravam TRINDADES (DEUSES ), com os Israelitas que adoravam um ÚNICO DEUS, JEOVÁ,
        Alias yachid ( único ), é adjetivo .Quando Moisés diz, “JEOVÁ NOSSO DEUS É UM SÓ JEOVÁ ,NÃO HAVERIA NECESSIDADE DE DIZER QUE JEOVÁ É ÚNICO.
        5º Vocês dizem que guardam a Lei já começam violando o 1º Mandamento, não vou citar vocês conhecem,se não aplicam é outra coisa.
        6º Lembrem-se yachid, foi aplicado em foi aplicado a Isaque , ele não era o único filho de Abraão, ele ( Abraão ), tinha outros filhos.compare Gen 16:15,com Gen 22:12.
        Finalizando , não levem como pessoal meus comentários estou atacando ideias ,doutrinas e não pessoas gentis como vocês são. Um abraço a todos.



        • Maiara Costa - Equipe em 14 de abril de 2014 9:46

          Olá Burt!
          Bom dia e uma feliz semana.
          Não se preocupe porque não estamos levando para o lado pessoal, por isso continuo dizendo que se você quer continuar crendo desta forma, sinta-se a vontade.

          E apenas reiterando, o termo usado em Deuteronômio 6:4 não é Yachid, mas sim Echad.

          Que Deus te abençoe grandiosamente.
          Um forte abraço.



  • burt walker em 14 de abril de 2014 14:51

    Burt responde : Acho que houve um lapso da parte de vocês, eu não disse que em Deut 6:4 a palavra é yachid, eu disse que a palavra é echad ,(um,). Pois ali Moisés contrasta o DEUS ,único com os deuses pagãos que eram adorados na forma de trindade, veja Deut :6:14.
    Um abraço à todos, boa semana.



    • Maiara Costa - Equipe em 14 de abril de 2014 16:50

      Sim, a palavra Echad também foi usada por Moisés em Gn 2:24 para descrever a unidade composta formada por homem e mulher.
      Um abraço.



  • burt walker em 15 de abril de 2014 21:05

    Burt responde a Equipe: Ola pessoal citar Gen 2:24, para tentar provar que Deut 6:4, echad (um), é uma unidade composta ,partindo de vocês é no minimo indisculpavel,visto o conhecimento que vocês tem de teologia e consequentemente da língua HEBRAICA, lembrem -se de Apoc 22:15,que já citei com respeito a mentira, não se apeguem a dogmas,
    a estamos falando de vida eterna, lembrem-se de João 17:3.
    Por exemplo Eclesiastes 4:9, diz:“Melhor DOIS do que UM,(o grifo é meu),vemos echad (um), sendo contrastado com dois (shnayim), existe uma infinidade de passagens bíblicas
    que mostram que echad é um, creio que não a necessidade que mostra isso na Bíblia naturalmente vocês sabem disso, (claro que sabem) ou não ?.
    Eu tenho uma tradução feita pela, A SOCIEDADE PARA A DISTRIBUICÃO DAS SAGRADAS ESCRITURAS AOS JUDEUS, ( NT ), e essa tradução em 1º Coríntios,8:6 di
    “Todavia para nós há um (echad) só DEUS , o PAI, de quem é tudo e para, quem nós vivemos;e um (echad ) só SENHOR, JESUS CRISTO pelo qual são todas as coisas, e nós por ele.´´, ora da para discutir com Paulo, bem, Paulo era CRISTÃO, por isso ele sabia que
    ECHAD, quer dizer exatamente o que a palavra representa ,UM, ÚNICO , no sentido de não
    haver outro.
    Finalizando, vejam o comentário de Deut 6:4, na Bíblia Sagrada ,( Pentateuco ), traduzida em português, diretamente do texto Hebraico Massoretico, Anotada e Comentada..
    “ È um Deus único ou um só Deus. Doutrina eminentemente monoteista, contrária, sob
    todos os aspectos, a doutrina da existência de um “DEUS TRINO´´. Era contrária á religião EGÍPCIA QUE ACEITAVA A TRINDADE. A forma categórica como o profeta fez esta afirmação, não admite tergiversação, SUTILEZAS TEOLÓGICAS ou SOFISMAS. (raciocinio
    capcioso feito com intenção de ENGANAR ) ( os grifos são meus ).
    Um abraço à todos, nada pessoal.



    • Maiara Costa - Equipe em 16 de abril de 2014 11:57

      Olá Burt!
      Bom dia.
      Graça e paz à você.
      Volto a afirmar que a palavra Echad dentro do hebraico bíblico é de unidade composta, pois foi essa a palavra que Moisés usou para descrever a unidade do primeiro casal, ou seja, um só ser. O que ele quis dizer então em Gênesis 2:24, com o termo hebraico bassad echad?
      Outra coisa o texto de 1 Coríntios 8:6 não foi escrito em Hebraico, mas sim grego koinê.
      Já coloquei vários textos para você sobre a crença de Paulo na doutrina bíblica e cristã da trindade, entretanto, amigo, como já mencionei se você quiser continuar crendo da forma como você crê, sinta-se a vontade.

      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.



      • Daniel em 22 de março de 2017 10:44

        eu sou muito fã da Maiara, ela é muito clara e precisa!



  • burt walker em 16 de abril de 2014 23:40

    Burt responde a equipe: Ola, quando eu citei 1 Cor 8:6 ,eu deixei claro que o estava fazendo em uma tradução judaica , portanto mostrei que ali deixava claro que a palavra um (echad), só Deus
    estava em harmonia com o que Paulo e os cristãos primitivos acreditavam ,e os cristãos verdadeiros hoje também continuam acreditando, DEUS É UM (echad ), DEUS NÃO É
    TRINDADE, quanto 1º Cor 8:6 em grego a palavra ali EÎS < que é o numero um em grego,
    então tanto em HEBRAICO COMO NO GREGO< o que aparece no texto é o numeral
    “UM´´, o que me deixa abismado é que vocês sabem disso, o que os torna mais condenaveis. Continuo lembrando-os Apocalipse 22:15, “Ficarão de fora (da SALVAÇÃO )
    todos os que amam a MENTIRA, pensem nisso, um dia voçês vão se confrontar com a
    realidade, mudem em quanto é tempo, DEUS ODEIA A MENTIRA , e vocês sabem quem
    é o PAI DA MENTIRA, João 8:44.
    Não violem o 1º MANDAMENTO, fica feio para vocês.
    Um abraço à todos , nada pessoal



  • Frankmar Corrêa em 24 de maio de 2014 0:03

    Eu Não acreditava na Doutrina da Trindade.porem depois de pesquisar eu Hoje creio na Doutrina da Trindade.
    Existe um só Deus que é O Pai,O Filho e O Espírito Santo.
    A Doutrina da Trindade é totalmente bíblica e totalmente Cristã.a Doutrina da Trindade é também ensinada pelos Pais da Igreja que são Antigos Cristãos desde o Século II era ensinada também no Seculo III,isso antes do Concilio de Niceia do Século IV.Antigos Cristão do Século II e Século III chamavam Jesus de Deus e já usavam a Palavra Trindade.
    Eu creio na Crença Cristã de um Deus Uno e Trino.



  • Carlos Beck em 4 de agosto de 2014 15:37

    Tudo, como sempre, de acordo com a Bíblia.



  • Gennylson Cruz em 25 de setembro de 2014 20:11

    Obrigado pelos esclarecimentos… Parabéns… estou aprendendo muito com o na Mira da Verdade ! que o SENHOR abençoe a todos.



  • DEISE em 3 de julho de 2015 14:38

    O ESTUDOO….É PERFEITOOO…QUE DEUS ABENCOE RICAMENTE AOS RESPONSAVEIS…



  • Wallacy em 21 de fevereiro de 2017 9:17

    “Todavia para nós há um só Deus, o Pai, de quem é tudo e para quem nós vivemos; e um só Senhor, Jesus Cristo, pelo qual são todas as coisas, e nós por ele.” I Coríntios 8:6



  • Daniel em 22 de março de 2017 10:40

    Perdoe me se ainda não entendi com clareza, mas, existe hierarquia na trindade? Um é superior ao Outro?



    • Manassés em 30 de maio de 2017 17:28

      Olá,

      Não há hierarquia na trindade (Deus é Deus, nem mais nem menos), o que há, de forma extraordinária, são funções variadas no processo da salvação humana.
      Que o Senhor abençoe o seu coração!



  • Daniel em 22 de março de 2017 11:03

    A bíblia como um todo, mostra Jesus como igual ao Pai. Na missão do resgate humano, ocupa posição igual a de Adão durante essa fase, passando a outra posição, conforme desempenha sua parte no Plano de Salvação. Durante a guerra cósmica Jesus ocupa várias posições, mas nunca deixa de ser o que Ele realmente é, Deus! O conceito humano de hierarquia, família, cultura, não podem explicar claramente algo que não é humano!
    Nesta guerra, Jesus sacrificou muito mais do que compreendemos, mas nunca deixou de ser o que Ele é! Quando a guerra terminar, veremos que Ele é o mesmo que sempre foi, pois Deus não pode deixar de ser Deus!
    …Eu sou…



  • celio cleyton em 3 de abril de 2017 15:38

    Deus não pode ser tentado, como pois o diabo tentou a Jesus se Ele é Deus



    • Maiara Costa - Equipe em 5 de abril de 2017 11:38

      Olá amigo Celio!
      Satisfação poder manter contato com você.
      Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.

      Você está totalmente certo: “Deus não pode ser tentado”! (Tiago 1:13).

      É aí que Deus toma uma decisão:

      “Aquele que é a Palavra tornou-se carne e viveu entre nós. Vimos a sua glória, glória como do Unigênito vindo do Pai, cheio de graça e de verdade”. João 1:14

      E quando Ele se tornou em semelhança de um de nós, algo aconteceu:

      “Seja a atitude de vocês a mesma de Cristo Jesus, que, embora sendo Deus, não considerou que o ser igual a Deus era algo a que devia apegar-se; mas esvaziou-se a si mesmo, vindo a ser servo, tornando-se semelhante aos homens”. Filipenses 2:5-7

      Se você estudar as tentações de Cristo a fundo, verá que a maior de todas foi Ele assumir quem realmente era e se independer do Pai e do Espírito. Jesus se tornou um ser humano, por isso, pode ser tentado a nossa semelhança (Hebreus 2:17,18; 4:15,16).

      Que Deus continue te abençoando grandiosamente.
      Um forte abraço.



  • sirlene em 12 de abril de 2017 10:23

    Como fico feliz por existirem homens de Deus com entendimento, e que compartilham disso…Louvo à DEUS pela vida de vcs!!!