Clique aqui e Saiba mais
doe agora TV TV
INÉDITO:
  • SEG21:00
REPRISES:
  • DOM04:00
  • TER07:30
  • QUI09:00
  • SAB17:00

O Dom de línguas – 1 Coríntios 14:13


O querido telespectador Elvis fez uma pergunta sobre o dom de línguas em 1 Coríntios 14:13. Respondi-o e achei importante também disponibilizar a questão neste espaço do blog:

Que bom receber sua pergunta aqui no blog do programa! Será uma grande satisfação lhe ajudar.

Os irmãos da igreja de Corinto estavam fazendo o uso errado do dom de línguas. Quando lemos especialmente o capítulo 14, percebemos que eles:

1) Não usavam o dom com o propósito evangelístico, pois falam de maneira que os estrangeiros não entendiam – versos 9 e 11;

2) Preocupavam-se mais em “aparecer” do que edificar a igreja – versos 22 e 12;

3) Quando alguém falava em línguas (no grego, o termo significa “idiomas”), tal pessoa não sabia o que dizia ou não possuía um intérprete para ajudá-la – versos 13 e 27;

4) Usavam o dom de forma desordenada – versos 27, 33 e 40.

Com base nesse contexto fica mais fácil compreendermos 1 Coríntíos 14:13. Paulo está dizendo, em outras palavras: “se não há uma pessoa que interprete o dom, então, você que fala em línguas, ore para que Deus dê a você a capacidade de traduzir para os estrangeiros que assistem ao culto a fim de que eles entendam a mensagem e aceitem a Jesus como Salvador”.

Embora alguns cristãos creiam que o dom de línguas em 1 Coríntios 14 seja diferente, ou seja, de uma forma “estática” e “ininteligível”, acreditamos ser ele da mesma natureza de Atos 2, Atos 10 e 19 (assim como em Marcos 16:17) por vários motivos, entre eles:

1) A expressão grega para “língua”, usada em Coríntios é a mesma utilizada em Atos 2: “glôssa”, que significa “língua de nações” ou “idiomas”;

2) O verbo grego “falar” – “laléo” no mesmo capítulo refere-se à “linguagem humana usual”, do “dia-a-dia”;

3) Na expressão “línguas estranhas”, o termo “estranhas” não se encontra no original grego, contrariando assim a ideia de alguma manifestação incompreensível do dom. Veja a tradução da Nova Versão Internacional: “Pois quem fala em uma língua [ou outro idioma] não fala aos homens, mas a Deus. De fato, ninguém o entende; em espírito fala mistérios” 1 Coríntios 14:2..

Desse modo, o dom de línguas de 1 Coríntios 14 (e de outros textos) era o mesmo dado pelo Espírito Santo na ocasião do Pentecostes. E, o problema na igreja de Corinto girava em torno da forma desordenada como o dom era usado.

O dom de línguas tem propósitos evangelísticos. Se o evangelho não for compreendido, as pessoas não serão salvas.

Biblicamente, há apenas um tipo de dom de línguas: aquele pelo qual as pessoas entendem a vontade de Deus para a vida delas.

Espero ter lhe ajudado. Conte comigo sempre que precisar – ok?

Um abraço,

Leandro Quadros
Jornalista e Consultor bíblico


Você está em : Dúvidas, Textos difíceis
Compartilhe:


Comente



  • Louise em 1 de março de 2010 20:31

    Leandro, mt obrigada!
    Estava procurando um artigo como esse para poder explicar para as minhas amigas no colégio!
    Que Deus te abençoe sempre, com esse trabalho maravilhoso que vc tem feito!
    Bjs



  • Raquel em 25 de março de 2010 18:07

    gostei muito deste artigo pois vou mostra-lo a um amigo,as vezes nao sabemos como explicar algumas coisas!teria como mandar este artigo para minha casa!



  • Osvaldo Barbosa em 5 de maio de 2010 10:51

    Maranata professor Leandro! Gostaria que soubesse que estou fazendo uso do seu artigo sobre o “Dom de Línguas” e indicando para meus amigos. Que Jesus te abençoe sempre, ao irmão Kico e a Novo Tempo!



  • Erico Verissimo em 9 de março de 2011 12:41

    Muito Obrigado Professor Leandro.
    sr tem me ajudado a entender melhor a biblia. eu nunca concordei com o uso “dom de linguas” usado pelas igrejas e quando tento explicar para alguem não tenho fundamento, mas agora começo a intender melhor.



  • sebastiao menezes em 2 de abril de 2012 23:59

    Não vamos entrar em contendas por favor. Quem crê e teve experiencias diferente daquilo que vc explicou, não pode concordar.Vejamos a passagem de Pedro e Cornélio. Depois que Pedro explicou para Cornelio e seus parentes e amigos a respeito da salvação em Jesus, olha só, DEPOIS que Pedro entregou a mensagem de Salvação, o dom do ES foi derramado sobre eles, e falavam linguas. Ou seja, a lingua ali não foi para servir de interprete, e nem precisava, todos falavam o mesmo idioma. Existem outros fatos biblicos que eu poderia citar, corroborando com a minha opinião, mas este assunto é complicado e que existe mesmo dois entedimentos.



    • FRATERNIDADEECO em 13 de maio de 2012 14:28

      Caro sabastião menezes você disse que ali todos falavam o mesmo idioma é erro seu ler de novo a passagem e verá o erro , o dom de linguas é o mistério desse assunto como avia pessoas de vários lugares e nacionalidades e para eles serem convertidos precisariam entender o que o espirito santo atravez dos apostolos diziam então o espirito os fez cada um falar um idioma diferante. esse é o mistério :
      E CONHECEREIS A VERDADE E A VERDADE VOS LIBERTARÁ
      ——- JOÃO 8,32.



  • Alexssandro em 20 de junho de 2012 15:27

    Como cristão, devemos entender a Bíblia como um todo e não fazer dela pedacinhos escolhidos para o nosso bel prazer, e contentamento.

    Quando lemos a Bíblia na intenção de entende-la e com pré-disposição de pratica-la, podemos ter certeza de que o Grandioso Instrutor Jeová Deus e seu Rei designado Jesus Cristo, vão agir em nosso favor nos dando entendimento correto derramando sobre nós Espirito Santo!
    E neste respeito, o das “LINGUÁS” a Bíblia como um todo deixa muito claro, que era um dom ou uma ajuda de Deus para que os Judeus que falavam o grego, que até então somente eles tinham na sua maioria a companhia e os ensinamentos de Cristo, pudessem “falar” a outras pessoas de outras nações, que falavam e entendiam outro idioma, sobre as “Boas Novas de Cristo e o Reino de Deus.
    Imaginem!! , Jesus ao ascender aos céus deu a ordem de que os seus discípulos deviam pregar o evangelho a partir de então a “todas as nações até a parte mais distante da Terra” o que incluiria falar outro idioma.
    Não haveria como cada cristão na época cursar uma escola de idiomas, ou tentar as próprias custas aprender outro idioma, essa pregação ou ensinamento tinha de acontecer imediatamente pois envolvia vidas, dessa forma Deus fez um milagre, que pessoas que falavam o grego, pudessem falar outro idioma para que o gentio o estrangeiro pudesse entender, se beneficiar daquelas Boas Novas. De fato o falar em linguás tinha pelo menos 2 objetivos básicos: 1.Pregar o evangelho e faze-lo ser entendido esclarecido. 2. Era um sinal para os incrédulos de que aquele grupo de cristãos e não a classe farisaica tinha a aprovação de Deus e de Jesus Cristo. Isso serviu como impulso a congregação cristã que até então estava no seu inicio como que gatinhando ainda. com o tempo esse evangelho sendo espalhado a muitas nações, ela se espalharia por si só, não havendo necessidade deste dom mais hoje.

    Dons cessaria, acabaria: (1 Coríntios 13:8-10) 8 O amor nunca falha. Mas, quer haja [dons de] profetizar, serão eliminados; **quer haja línguas, cessarão**; quer haja conhecimento, será eliminado. 9 Pois temos conhecimento parcial e profetizamos parcialmente; 10 mas, quando chegar o que é completo, será eliminado o que é parcial.

    (1 Coríntios 13:13) 13 Agora, porém, permanecem a fé, a esperança, o amor, estes três; mas o maior destes é o amor.



  • Luiz Fernando em 22 de setembro de 2012 21:08

    Prezados senhores

    Boa noite

    Primeiramente gostaria de parabenizá-los pelo excelente site.Vocês adventistas são benditos.

    Tenho uma dúvida em relação ao tema.

    Em 1 Co 14:2 diz:
    “Porque o que fala em língua desconhecida não fala aos homens, senão a Deus; porque ninguém o entende, e em espírito fala mistérios.”

    A minha dúvida é se no culto tiver somente crentes e a maioria deles for de uma nacionalidade e um número menor for de outra nacionalidade, e o pregador estiver falando na língua de uma nacionalidade, um grupo vai entender mais o outro não.Aí a palvra ninguém não se aplicaria pois ninguém indicaria a todas as pessoas que estão no culto e não apenas uma parte.
    Sendo assim acho que só tendo crentes no culto o dom de línguas não seria possível mas em 1 Cor. 14;23 diz:

    “Se, pois, toda a igreja se congregar num lugar, e todos falarem em línguas, e entrarem indoutos ou infiéis, não dirão porventura que estais loucos?”

    Na passagem acima indica que é possivel que estando no culto só crente ,seja possível falar em línguas.Assim sendo acho que o dom de línguas é uma língua espiritual santa.

    Um abraço

    Luiz



  • Thais Soler em 3 de outubro de 2012 16:08

    Sobre o Vídeo no Youtube…

    1 – “Até o Jô Soares que não é “teólogo” ENTENDEU, como pode alguém que “lê” a Bíblia não entender essa grosseira contradição Neo-Pentecostal?” – diria que grosseira foi sua palavra, sem AMOR.. diria sem sabedoria, até pelo fato de dizer que esta é uma contradição Neo-pentecostal, visto que este tipo de “discussão” não surgiu a pouco tempo com as igrejas Neo pentecostais (aproximadamente uns 30 anos).

    2 – Que discernimento cristão o Jô Soares têm? “Até o Jô Soares que não é “teólogo”.. sendo teólogo ou não que diferença isso faz? teologia não salva ninguém!! a propósito, já conheci teólogos ateus.. de que adianta “racionalizar” a bíblia, conhecer..estudar.. quando nada faz sentido em sua vida, quando não se vive.. mas as “coisas” de Deus são loucura para aqueles que não as entendem, não é mesmo?
    3 – ” Ainda que eu falasse as línguas dos homens E dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine”.. O amor não é um dom que recebemos de Deus, mas sim uma ordenança.. portanto vivamos mais o AMOR, vivamos mais CRISTO e menos a TEOLOGIA!!

    No Amor de Cristo,
    Thais Soler
    1° Igreja Batista de Tupã – SP



  • fabrine em 10 de novembro de 2012 16:27

    “Porque o que fala em língua desconhecida não fala aos homens, senão a Deus; porque ninguém o entende, e em espírito fala mistérios. 1 Coríntios 14:2



    • Maiara Costa - Equipe em 12 de novembro de 2012 15:13

      Olá Fabrine!
      É uma grande alegria poder manter contato com você.
      Que a paz do Senhor esteja sempre em seu coração.
      Embora alguns cristãos creiam que o dom de línguas em I Coríntios 14 seja diferente, ou seja, de uma forma “estática” e “ininteligível”, nós acreditamos ser ele da mesma natureza de Atos 2 (assim como em Marcos 16:17) por vários motivos, entre eles:
      1) A expressão “língua”, usada em I Coríntios 14 é a mesma usada em Atos 2, ou seja, “glôssa”, significando “língua de nações”;
      2) O verbo “laléo” (falar) neste capítulo refere-se à “linguagem humana usual”;
      3) Na expressão “línguas estranhas”, o termo “estranhas” não se encontra no original, contrariando, assim, a ideia de alguma manifestação incompreensível do dom. Veja a tradução da Nova Versão Internacional: “Pois quem fala em uma língua [ou outro idioma] não fala aos homens, mas a Deus. De fato, ninguém o entende; em espírito fala mistérios (1Coríntios 14:2)”.
      Deste modo, cremos que o dom de línguas de I Coríntios 14 era o mesmo dado pelo Espírito Santo na ocasião do Pentecostes e que o problema na igreja de Corinto girava em torno da forma desordenada como o dom estava sendo usado.
      O dom de línguas tem propósitos evangelísticos; se o evangelho não for compreendido, as pessoas não serão salvas. Biblicamente, há apenas um tipo de dom de línguas: aquele pelo qual as pessoas entendem a vontade de Deus para suas vidas.
      Leia Atos 2 e você entenderá qual é o verdadeiro dom de línguas segundo a Bíblia.
      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.
      Equipe do Namira.



  • Italo em 15 de novembro de 2012 18:42

    prof Leandro pode me explicar 1 corintios 14:2?



    • Maiara Costa - Equipe em 16 de novembro de 2012 10:36

      Estimado amigo Italo!
      É uma grande satisfação poder manter contato com você.
      Que a paz do Senhor esteja sempre em seu coração.
      O que dizer da expressão de Paulo “em espírito fala mistérios”?

      “Pois quem fala em outra língua não fala a homens, senão a Deus, visto que ninguém o entende, e em espírito fala mistérios”. (1 Coríntios 14:2)
      Vejamos este estudo realizado pelo Professor de Teologia Edílson Valiante:

      “A expressão ‘em espírito fala mistérios’ aparentemente apresenta apoio ao sentido estático do dom, contrariando o sentido de todo o capítulo (e NT). Paulo está sempre exortando os erros do abuso do dom, mas aqui parece apoiá-lo. Vamos analisar o verso:
      (a) A maioria das versões não deixa claro que é o “espírito” que fala em mistérios: se algum ser humano ou o Espírito Santo. Dentro do contexto da perícope, Paulo deixa evidente que os dons são do Espírito Santo. Contudo, a NVI e a NASB (versões bíblicas) traduzem por “em seu [do ser humano] espírito…”, mas este “seu” não consta no original.
      (b) O uso da expressão “mistério” (misterion) em Paulo: o termo aparece 5 vezes em I Coríntos (2:7; 4:1; 13:2; 14:2; 15:51) e outras 10 vezes em Colossenses e Efésios. O uso plural se dá somente 3 vezes (I Coríntios 4:1; 13:2; 14:2). Para ele, o sentido de “mistério” é sempre algo uma vez oculto e que agora foi revelado por Deus.
      (c) A ideia chave do verso (e do capítulo) é que os ouvintes deveriam receber os benefícios do dom de línguas. Assim, deveriam proclamar os “mistérios” uma vez ocultos, mas agora revelados, pelo Espírito Santo. O texto jamais tem a ideia de que falar em línguas é falar em espírito somente a Deus, como se esse fosse o propósito do dom. Para que então seria necessária a tradução ou interpretação? Para que seria algo audível, pois posso conversar com Deus em minha mente?
      (d) A expressão “visto que ninguém o entende”, o “o”, pronome pessoal do caso oblíquo, não se encontra no original.
      (e) O fato dos ouvintes não entenderem, não quer dizer que a fala é estática; existem outras razões para isto, tais como: problemas de audição, não ser nativo da língua, muitos estarem falando ao mesmo tempo, falar muito baixo, etc. Paulo diz: “vós, se, com a língua, não disserdes palavra [logos] compreensível [eusemos: claramente reconhecível], como se entenderá o que dizeis?” (v. 9). Aliás, se uma “língua” não pode ser inteligível, deixa de ser língua, pois isto pressupõe entendimento. Paulo resolve o problema da falta de compreensão exigindo a presença sempre de um intérprete, tradutor, que torne a fala compreensível (vs. 13, 27).
      (f) A expressão “entende”, no original, é akouo, que quer dizer “ouvir uma fala ou linguagem”. Assim, o problema não está no ouvido da pessoa, mas na capacidade de compreender o que está sendo dito, ou a língua falada, não necessariamente estática. A LXX (versão bíblica septuaginta) usa a mesma expressão para definir o problema da confusão de línguas em Babel (Gênesis 11:1-9).
      (g) A expressão “outra” em “quem fala outra língua” também não aparece no original.
      (h) Uma tradução do texto seria: “Pois quem fala em língua [como dom], deve falar apenas dos mistérios de Deus ao entendimento dos homens e isto pelo Espírito”.

      E o verso 4?
      “O que fala em outra língua a si mesmo se edifica, mas o que profetiza edifica a igreja”. 1 Coríntios 14:4.
      O Pr. Jobson Santos fez o seguinte comentário acerca deste verso:
      “O que fala em outra língua a si mesmo se edifica porque apenas ele está entendendo (é por isto que a existência de um intérprete era fundamental – ver I Coríntios 14: 13 e 27; caso não houvesse, deveria a pessoa que estivesse falando em línguas ficar calada); já o profeta edifica, além de si próprio, toda a assembleia de crentes, pois todos podem entender”.
      Biblicamente o dom de línguas foi concedido pelo Espírito Santo para fins evangelísticos (Atos 2).
      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira.



  • Italo em 16 de novembro de 2012 20:15

    Obg pela resposta Maiara!Fico muito grato!



  • Italo em 16 de novembro de 2012 20:19

    Maiara, se n for muito incomodo , pode me explicar tbm atos 19, pra quem eles falavam e profetizavam , pois tbm tenho duvidas em relação a este capitulo !
    A paz!



    • Maiara Costa - Equipe em 19 de novembro de 2012 11:00

      Estimado amigo e irmão em Cristo Italo!
      Grande alegria poder manter contato com você.
      Que a paz de nosso Senhor e Salvador Jesus esteja sempre em seu coração.
      Não é incomodo algum em atendê-lo querido amigo. Para nós do Na mira e particularmente para mim é um grande privilégio.
      Antes de explicar essa questão à você um ponto básico importante que deve sempre ter em mente com relação ao assunto do dom de línguas na Bíblia é que o texto base para se compreender o dom de línguas em todos os relatos Atos 10, 1 Coríntios 12,13,14 é Atos 2.
      Vamos a explicação de Atos capítulo 19.
      A natureza do dom de línguas de Atos 19, em virtude de serem usadas as mesmas expressões do cap.2 e 10, e ser da mesma autoria, leva-nos a concluir que eram línguas inteligíveis, idiomas de povos da região.
      O dom de línguas não é um dom que seria dado a todo o crente, pois muitos outros conversos de Paulo em Éfeso, antes e depois deste evento, não é reportado terem falado em línguas. Aliás, o batismo do Espírito não resultava nem resulta automaticamente em glossolalia.
      O propósito deste dom em Éfeso era para que estes “discípulos” pregassem as “boas novas de Cristo” na região da Ásia. Ou seja, aqueles discípulos que haviam se batizado em o nome do Senhor Jesus (Atos 19:1-5) receberam do Espírito Santo a capacidade em falar de uma maneira sobrenatural o idioma daquela região para que pudéssem pregar o evangelho para aquelas pessoas (Atos 19:8-10). Então, quando a Bíblia afirma que eles falavam em línguas e profetizavam, isso quer dizer que eles estavam pregando o evangelho no idioma falado naquela região com o objetivo de levar a mensagem de salvação. O dom de línguas foi dado aqui com o propósito evangelístico.
      Que Deus te continue te abençoando grandiosamente.
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira.



      • Italo em 24 de novembro de 2012 10:57

        Obrigado pelas explicações Maiara ,vc me ajudou muito!
        A paz do Senhor!



        • Maiara Costa - Equipe em 26 de novembro de 2012 12:55

          Meu querido amigo Italo!
          É sempre uma alegria e satisfação poder ajudar pessoas assim como você.
          Que buscam na Palavra de Deus conhecer a Sua vontade.
          Saiba que eu e a equipe do Na Mira estaremos sempre a disposição para atendê-lo.
          Conte conosco para o que precisar.
          Um forte abraço.
          Equipe do Na Mira.



  • Maurício em 11 de janeiro de 2013 0:10

    Tenho um comentário e algumas perguntas a fazer.
    Os primeiros discípulos de Jesus receberam o Espírito de duas formas diferentes e em tempos diferentes:
    1° – Ev. de João 20.22 receberam o Espírito para regeneração do caráter (fruto do Espírito).
    2° – Atos 1.8 (promessa) refere-se à Atos 2 onde receberam o Batismo no Espírito Santo e com fogo, e a evidência inicial foram as línguas de fogo…ou outras línguas, depois profetizaram, operaram milagres, etc (Dons do Espírito).
    Em que momento a pessoa é batizada no Espírito Santo e com fogo (Lc 3.16) e qual é a evidência disso?
    A manifestação dos dons espirituais e do fruto do espírito são demonstrados de forma diferente e separada?



    • Maiara Costa - Equipe em 15 de janeiro de 2013 16:18

      Estimado amigo e irmão em Cristo Mauricio!
      É uma grande alegria e satisfação poder manter contato com você.
      Muito obrigado por sua participação e por fazer parte da familia Na Mira da Verdade.
      Que a paz do Senhor esteja sempre em seu coração.
      Primeiramente os discípulos não receberam o Espírito Santo de maneiras diferentes, mas sim o que ocorreu é que em João 20:22 foi o cumprimento parcial da promessa dos capítulos 14:16-18 e 16:7-15. O cumprimento ou derramento total ou pleno do Espírito se deu cinquenta dias depois no pentecostes (Atos 2).
      Segundo: biblicamente falando de uma maneira geral com poucos excessões, a pessoa recebe o Espírito Santo quando aceita a Cristo como Salvador e se batiza (Efésios 1:13; Mateus 3:16).
      Terceiro: a evidência que a pessoa está batizada com o Espírito Santo não é a manifestação de dons espirituais, mas sim o seu caráter transformado (Gálatas 5:22), pois a manifestação de dons espirituais quem escolhe e quem concede é o Espírito Santo com propósitos evangelisticos e de crescimento para a igreja (1 Coríntios 12:7,11; Efésios 4:9-16).
      Se você querido amigo aceitou a Cristo como seu Salvador e entregou a sua vida a ele assumindo um compromisso de amor por intermédio do batismo, saiba que você recebeu o Espírito Santo e agora pode ser transformado por Ele a cada dia (2 Coríntios 3:18; Filipenses 1:6) e receber dEle os dons espirituais que tem para você trazer outras pessoas para Cristo (1 Coríntios 12:31; 1 Pedro 4:10).
      Busque essa experiência diária com o Espirito Santo, seja batizado por Ele diariamente.
      Gostaria de te recomendar a leitura do livro: Seu Amigo O Espírito Santo da editora CPB.
      Contato: 0800-979-06-06 ou cpb.com.br
      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira.



  • Silva em 17 de março de 2013 10:03

    Olá, algum tempo estou frequentando a Igreja Adventista, tenho uma dúvida que por mais que eu lei sobre o que vocês falam sobre a manifestação do dons de línguas não ser falar em mistério com Deus não consigo entender pois passei por essa experiencia e gostaria de saber o que acontece quando uma pessoa fala em outras línguas quando ora. Todas as vezes que pergunto ao um irmão ele desconversa e explica o que eu já sei. Por favor vocês poderiam falar claramente o que acontece quando ao orar pode-se falar em “línguas estranhas”? Por favor quero um esclarecimento claro sem rodeios, pois até o Pastor da Igreja que estou frequentando esta fugindo do assunto, o que acontece vocês não tem uma explicação obvia para tanto, quero continuar a frequentar a Igreja Adventista mas quero ter certeza realmente que vocês tem a verdade com vocês. Obrigado.



    • Maiara Costa - Equipe em 19 de março de 2013 14:37

      Olá Silva!
      É uma grande satisfação poder manter contato com você.
      Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.
      Primeiramente o termo “estranha” não existe na língua original em que foi escrito o Novo Testamento. Sendo assim, o texto bíblico ficaria da seguinte forma: “O que fala em língua, fala a Deus e não à homens (1 Coríntios 14:2). A palavra língua aqui significa idiomas. Portanto, se a experiência que você teve foi falar com Deus (orar) em outro idioma, mesmo que a congregação não a tenha entendido, Deus a entendeu. Contudo, se a sua experiência foi com línguas estáticas e não inteligíveis, essa manifestação não foi causada pelo Espírito de Deus, mas sim por causa de êxtase espiritual.

      Segundo: A Palavra de Deus é o fundamento da nossa fé e, portanto, é pela Sua Palavra que podemos obter as evidências de nossa posição diante de Deus. Não devemos fazer de nossos sentimentos uma prova pela qual discernir se permanecemos ou não no favor de Deus, se são sentimentos encorajadores ou não. A nossa regra de fé e prática é a Bíblia e não os nossos sentimentos (Jeremias 17:9,10). O verdadeiro dom de línguas na Bíblia tem uma função clara e específica.
      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Conte conosco para o que precisar.
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira.



  • Valtencir em 19 de março de 2013 16:49

    pode alguem falar “linguas estranhas” ou profetisar sem a evidencia do fruto do espirito?



    • Maiara Costa - Equipe em 19 de março de 2013 17:56

      Olá estimado amigo e irmão em Cristo Valtencir!
      É uma grande satisfação poder manter contato com você.
      Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.
      A maior evidência que uma pessoa tem o Espírito Santo não é pelo dom espiritual que possui, mas sim pela presença do fruto do Espírito que são nove qualidades de caráter (Gálatas 5:22,23).
      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira.



  • Ronaldo em 27 de maio de 2013 23:29

    Na resposta dada ao Mauricio em 15 de janeiro, vocês citaram 2 textos (Efs. 1:13 e Mat 3:16) para tentar mostrar que uma pessoa recebe o Esp. Santo quando aceita a Cristo como Salvador E SE BATISA, os textos não foram nada convincentes com relação à necessidade do Batismo nas Aguas para então receber o Esp. Santo, eu creio, baseado em Efs1:13, Atos 5:32, gal.3:14, Luc. 11:13; e principalmente S. joão 5:24 que quando nos convertemos quem nos proporciona esta benção é o Esp. Santo e Ele continua conosco, levando-nos, no crescimento espiritual a passarmos pelo batismo, COMO TESTEMUNHO PÚBLICO DE NOSSA FÉ, não para “Finalmente receber o Esp. Santo (Quando passamos da morte para a vida, não recebemos o Espirito Santo????? Eu entendo a importância do batismo, o próprio Jesus foi batizado, eu não creio que Ele tenha recebido o Esp. Santo somente por ocasião do Batismo, o Esp. Santo se fez presente na forma de uma Pomba para, como o Pai que disse “Este é meu Filho..” demonstrar aprovação pelo ato. Gosto muito de dar estudos Bíblicos e pela graça de Deus já levei muitas almas ao batismo, mas não pq eu tenha encontrado uma evidencia bíblica de que só se recebe o Esp. Santo quando isso acontece. Eu conheço Atos 2: 38 mas não acho que esse texto defenda essa “Doutrina”, por favor poderiam me passas passagens que realmente me convençam de que só se recebe o Esp. Santo depois do Batismo, mesmo que seja no Esp. de Profecia. Muito Obrigado e que Deus continue abençoando vocês.



    • JONATHAN FERREIRA em 15 de agosto de 2013 23:11

      Oquê acontece é que vc está deturpando o dialogo entre as partes,note que a resposta foi a seguinte,eles tiveram o cumprimento parcial nos textos de joão e que o cumprimento completo se deu 50 dias após a promessa,e se isso fosse verdade não teriamos como explicar o ladrão da cruz pois a biblia diz que quem nos convence é o Espirito Santo,sendo assim ele precisaria descer da cruz e ser batizado pra ser salvo,irmão não devemos pegar palavras de pessoas e distorcer,antes se vc querer pregar contra alguém ou instituição conheça primeiro suas crenças,e lembre-se o atacar ou acusar não é de Deus,ore irmão por isso e seja mais sincero nas suas opiniões acerca dos outros,que a paz seja contigo!



  • Laryssa Medeiros em 10 de junho de 2013 20:49

    Muito Obrigado amigo Pastor Leandro Quadros!
    Com seu esclarecimento, vou poder mostrar as minhas colegas do curso.
    Que Deus te abençoe nesse maravilhoso trabalho!
    Boa Noite!



    • Maiara Costa - Equipe em 11 de junho de 2013 11:13

      Olá Laryssa!
      Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.
      Muito obrigado pelo carinho e confiança em nosso ministério.
      Que Deus continue te abençoando grandiosamente.
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira.



  • marliete souto em 3 de outubro de 2013 0:43

    Olá gostei muito deste artigo muito esclarecedor…obrigada…desejo que DEUS o ilumine sempre…



  • Andre em 10 de outubro de 2013 17:30

    um testemunho.: certa vez estava na igreja(denominada pentecostal) aonde o culto a Deus estava maravilhoso, poxa os louvores estavam lindos, houve o momento da mensagem, o preletor( muito simples do estado do pernambuco) da noite se levantou e começou a pregar, em dado momento ele começou a “tropeçar” nas palavras, e derrepente começou a a pregar em outro idioma, me lembro que a igreja ficou um tanto meio ansiosa, já que muitos ou quase todos não mais compreendia, mas logo o preletor voltou a falar de forma que todos ali estavam novamente entendendo. Bom acabou a mensagem e o Preletor fez a questão se teria alguém ali que gostaria de aceitar a Jesus Cristo com o seu único e suficiente salvador, teve algumas pessoas que se levantou e foram a frente mas o que mais me chamou a atenção foi um casal de Austriacos, que não falavam em português e se puseram a frente, eles estavam muitos emocionados, já que receberam de forma muito direta que Jesus queriam salva-los, que Jesus poderia ajuda-los emfim foi muito lindo mesmo…

    p/S os dois estavam acompanhando uma amiga(brasileira que é evangélica), e eles não compreendera nada em português e sim no seu idioma.

    Ora os dons de Deus dados a nós pelo Espirito Santo é para exortação e beneficio da expansão do evangelho e Igreja.

    Hoje em dias este dom esta muito parecido com o rumo que a igreja de corinto estava tomando na quela época em que Paulo a repreendeu.



    • Maiara Costa - Equipe em 10 de outubro de 2013 17:41

      Olá André!
      Muito obrigado por seu contato com o Programa Na Mira da Verdade.
      Você está coberto de razão.
      Muito obrigado por compartilhar essa experiência, isso mostra que o Espírito Santo usa os dons no momento certo para alcançar a mente das pessoas para a salvação.

      “A cada um, porém, é dada a manifestação do Espírito, visando ao bem comum”. 1 Coríntios 12:7

      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira



  • leandro vasconcelos de almeida em 29 de outubro de 2013 13:36

    o dom de linguas biblico é o que esta em atos 2 falar idiomas existentes linguas estrangeiras…o dom de linguas foi dado com objetivo da pregação do evangelho….agora essas linguas esquisitas que as pessoas falam na igreja isso dai é o diabo usando eles essas linguas são a mesma do espiritismo catolicismo magia negra terrero de macunba unbanda camdoble etc….esse bla bla bla todo nessas igrejas não tem nada haver com espirito santo de deus



  • LUCIA em 20 de janeiro de 2014 13:57

    Professor Leandro Quadros; fiz um estudo sobri esse assunto,e achei que havia entendido tudo; mas hoje mi falaram que há na bíblia um texto em que JESUS diz que deu o dom de línguas não para nos comunicar-mos, e sim para que possamos falar com DEUS, sem que o diabo entenda. GOSTARIA DE SABER SI REALMENT EXISTI, E COMO ESPLICAR PARA MINHA IRMA ASSEMBLEIANA. QUE DEUS TI ILUMINE CADA VEZ MAIS



    • Maiara Costa - Equipe em 20 de janeiro de 2014 15:14

      Olá estimada amiga Lucia!
      Onde está o texto bíblico que faz essa afirmação?
      Pois o propósito do dom de línguas na Bíblia sempre foi evangelístico!
      Aguardo a sua resposta.
      Um forte abraço.
      Que Deus te abençoe grandiosamente.



      • lucia em 20 de janeiro de 2014 17:33

        Ola amigos´obrigado por me atender. Esse e o meu conflito com minha irma assembleiana. Ela afirma que existe esse texto, mas não encontrei. por isso estou pedindo ajuda a vocês, para entender e explicar a realidade pra ela. Particularment eu creio que não exist porque para mim seria uma afronta a DEUS dizendo que DEUS teria medo do seu inimigo.



        • Maiara Costa - Equipe em 21 de janeiro de 2014 11:24

          Olá Lucia!
          Você tem razão, quer dizer que Deus tem medo do inimigo e por isso criou um sistema de comunicação com o ser humano que não nem compreensível para ele mesmo?!
          Isso contradiria o texto de Hebreus 1:1,2 que mostra que Deus tem várias formas e maneiras para alcançar as pessoas, sendo a principal delas o conhecimento de Jesus Cristo por meio da Bíblia.
          Essa afirmação contradiria também o texto de 1 Coríntios 12:7 que mostra que o dom de línguas tem um propósito proveitoso que de acordo com Atos 2:5-12 é a evangelização, ou seja, a pregação das boas novas da salvação em Jesus Cristo para todos.
          Por que Deus falaria em língua angélica com um ser humano, sendo que sempre que um anjo esteve na Terra falou numa linguagem compreensível com o ser humano?
          Conte conosco para o que precisar.
          Um forte abraço.



          • LUCIA em 21 de janeiro de 2014 13:10

            Obrigada Maiara por poder contar com vocês; Que DEUS proteja toda equipe da NovoTempo.UM FORTE ABRACO



  • LUCIA em 20 de janeiro de 2014 14:23

    Ola equipe; confesso que ainda tenho duvidas. Afinal mil cérebro não mi ajuda muito, mas estou orando em favor do meu entendimento. estou assustada com o depoimento de uma irma assembleiana. Ela contou que uma senhora disse que ainda iria ver a neta falar em línguas, ate que um dia enquanto o pastor orava; a neta da senhora começou a falar em línguas estranhas com apenas 7 anos de idade. E ELA AINDA RELATA QUE ATE CHOROU DE TAO LINDO QUE FOI. Sei que foi manisfetacao do inimigo de DEUS, mas eu precisava compartilhar com vocês. DEUS ABENCOE CADA VEZ MAIS TODOS VOCES.



  • Malaquias em 28 de outubro de 2014 12:19

    Mas no versículo 39 ele deixa bem claro…não proibas o falar em língua..



    • Maiara Costa - Equipe em 28 de outubro de 2014 15:30

      Olá Malaquias!
      Muito obrigado por seu contato.

      Levando em consideração que a compreensão de Paulo sobre o dom de línguas é a mesma ensinada em Atos 2, ou seja, o falar em outros idiomas existentes no planeta Terra e não línguas estáticas, ele realmente não o proibiu, entretanto, fortemente recomendou que se o mesmo fosse usado, deveria ser com ordem e decência (verso 40), e dentro dos padrões limites estabelecidos por ele neste referido capítulo.

      Concluo este raciocínio com a definição do que é o dom de línguas fornecido pelo Dicionário Exegético Vine [CPAD,2010],p.754:

      É o dom ou a capacidade sobrenatural de se falar em outro idioma, sem nunca tê-lo aprendido.

      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.



  • ernesto em 30 de novembro de 2014 0:32

    Muito obrigada por esclarecer esta duvida de forma compreensiva e biblicamente.



  • RICHARD FERREIRA DA COSTA em 8 de junho de 2015 1:03

    OI LEANDRO QUADROS , ALI EM 1 CORINTIOS ELES FALAVAM MESMO OUTROS IDIOMAS PORCAUSA QUE ELES ERAM INTELIGENTES OU ELES ESTAVAM COM O DOM DE LÍNGUAS ?



    • Maiara Costa - Equipe em 8 de junho de 2015 19:51

      Olá Richard!
      Muito obrigado por seu contato.

      Embora alguns cristãos creiam que o dom de línguas em I Coríntios 14 seja diferente, ou seja, de uma forma “estática” e “ininteligível”, nós acreditamos ser ele da mesma natureza de Atos 2 (assim como em Marcos 16:17) por vários motivos, entre eles:
      1) A expressão “língua”, usada em I Coríntios 14 é a mesma usada em Atos 2, ou seja, “glôssa”, significando “língua de nações”;
      2) O verbo “laléo” (falar) neste capítulo refere-se à “linguagem humana usual”;
      3) Na expressão “línguas estranhas”, o termo “estranhas” não se encontra no original, contrariando, assim, a ideia de alguma manifestação incompreensível do dom. Veja a tradução da Nova Versão Internacional: “Pois quem fala em uma língua [ou outro idioma] não fala aos homens, mas a Deus. De fato, ninguém o entende; em espírito fala mistérios (1Coríntios 14:2)”.
      Deste modo, cremos que o dom de línguas de I Coríntios 14 era o mesmo dado pelo Espírito Santo na ocasião do Pentecostes e que o problema na igreja de Corinto girava em torno da forma desordenada como o dom estava sendo usado.
      O dom de línguas tem propósitos evangelísticos; se o evangelho não for compreendido, as pessoas não serão salvas. Biblicamente, há apenas um tipo de dom de línguas: aquele pelo qual as pessoas entendem a vontade de Deus para suas vidas.

      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.



  • Felipe gomes em 4 de janeiro de 2017 23:04

    Mas para que serve o dom de interpretação se a pessoa já possuir o dom de linguas ? A paz de DEUS.



    • Manassés em 19 de maio de 2017 12:25

      Olá,
      Nós Adventistas do 7o Dia cremos na existência deste dom e que o mesmo poder ser dado por Deus para fins de evangelização, “quando há uma necessidade”. Entretanto, isto não significa que seja obrigatório Deus concedê-lo em todas as épocas.
      O Espírito Santo forneceu o dom aos apóstolos, mas sempre em ocasiões em que era preciso. Como exemplo temos o episódio de Atos 2, onde havia cerca de 18 nações diferentes. O evangelho precisava ser pregado a esta gente, mas os apóstolos não sabiam todas essas línguas para poder pregar. Com isto, Deus achou necessário dotá-los com esta capacidade a fim de levar a mensagem àquelas pessoas.
      Deus nunca dá o dom de línguas quando este não é essencial. Por exemplo: digamos que você vá pregar o evangelho a uma pessoa que é brasileira em uma língua americana (inglês). Será frutífero? Certamente não, pois o objetivo de Deus é que as pessoas COMPREENDAM o evangelho. Não há necessidade de falar em inglês para alguém que entende o português.
      Certa vez a Igreja de Corinto estava enfrentando um problema muito parecido com que muitas igrejas enfrentam hoje: o errado uso do dom de línguas.
      Após saber que eles falavam em línguas a toda hora, Paulo disse-lhes:
      “Assim, vós, se, com a língua, não disserdes palavra compreensível, como se entenderá o que dizeis? Porque estareis como se falásseis ao ar”. 1 Coríntios 14:9.
      Paulo disse a eles que deveriam falar de modo compreensível; senão, seria o mesmo que falar ao ar, ou seja, à toa. E continua: “Porque Deus não é de confusão, e sim de paz. Como em todas as igrejas dos santos…” 1 Coríntios 14:33.
      Biblicamente, o verdadeiro dom de línguas é algo real, que as pessoas entendem. Lembremos que as pessoas no episódio de Atos 2 ficaram perplexas, “porquanto cada um os ouvia (apóstolos) falar em sua própria língua” (Atos 2:7-8), o que não ocorre nas igrejas que professam ter a capacidade de falar em línguas.
      Outro fator que deve ser salientado é que as línguas faladas pelo possuidor do verdadeiro dom são línguas EXISTENTES EM NOSSA CIVILIZAÇÃO TERRESTRE. Não há lógica a afirmação de que Deus possa nos dar uma “língua de anjo” para falar ás pessoas. Ora, isto não seria de valor algum para fins de evangelização e também não é bíblico, pois um anjo quando vinha falar com um profeta (ou outra pessoa) não fazia uso do idioma angélico; falava numa linguagem que a pessoa humana entendesse. Veja alguns exemplos:
      “No princípio das tuas súplicas, saiu a ordem, e eu vim, para to declarar, porque és mui amado; considera, pois, a coisa e entende a visão”. Daniel 9:23.
      Nesta ocasião o anjo Gabriel falou na língua de Daniel (hebraico). Se ele falasse na língua dos anjos, Daniel não entenderia.
      “Respondeu-lhe o anjo: Eu sou Gabriel, que assisto diante de Deus, e fui enviado para falar-te e trazer-te estas boas-novas”. Lucas 1:19.
      Neste episódio, Gabriel falou a língua de Maria.
      Em ambas as circunstâncias foram faladas pelos anjos duas línguas diferentes, mas que existiam e existem aqui em nosso planeta. Eles não falaram em suas próprias línguas, pois assim as pessoas não entenderiam.
      Será que nos tempos modernos os anjos iriam dificultar as cosias? Certamente não. Se no passado eles falavam de modo que as pessoas pudessem entender, no presente também seria o mesmo. Não há relato na Bíblia de que um dia um anjo houvesse falado em uma língua inteligível ou que algum apóstolo tenha falado na língua dos anjos.
      O verdadeiro dom de línguas conforme apresentado nas Escrituras não é algo “incompreensível”, mas sim mostra-nos um tipo de língua existente em nosso planeta.
      Entretanto, o que Paulo quis dizer em I Coríntios 13:1 quando diz: “ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos…”?
      Em I Coríntios 13:1, Paulo assim diz: “Ainda que eu fale a língua dos homens e dos anjos, se não tiver amor, serei como o bronze que soa, ou como o címbalo que retine”. Ele está apenas salientando que mais importante do que falar língua dos homens e dos anjos é ter amor. Não está afirmando que esta manifestação estranha de língua manifestar-se-ia entre nós.
      Portanto, no contexto deste verso Paulo não mencionou a expressão “língua dos anjos” com o intuito de dizer que ele falava em tal idioma ou que em algum momento uma pessoa tivesse tal capacidade. Atente bem para a expressão “ainda que”; ela indica que Paulo não falava tal língua. Ele está supondo que, mesmo que ele falasse tal língua, se não tivesse amor, de nada adiantaria.
      O objetivo principal de Paulo é ensinar aos Coríntios que mais importante do que ter dons espirituais é ter o amor.

      O que dizer da expressão de Paulo “em espírito fala mistérios”?

      “Pois quem fala em outra língua não fala a homens, senão a Deus, visto que ninguém o entende, e em espírito fala mistérios”. (1 Coríntios 14:2).
      Vejamos este estudo realizado pelo Professor de Teologia Edílson Valiante:
      “A expressão ‘em espírito fala mistérios’ aparentemente apresenta apoio ao sentido estático do dom, contrariando o sentido de todo o capítulo (e NT). Paulo está sempre exortando os erros do abuso do dom, mas aqui parece apóia-lo. Vamos analisar o verso:
      (a)A maioria das versões não deixa claro que é o “espírito” que fala em mistérios: se algum ser humano ou o Espírito Santo. Dentro do contexto da perícope, Paulo deixa evidente que os dons são do Espírito Santo. Contudo, a NVI e a NASB (versões bíblicas) traduzem por “em seu [do ser humano] espírito…”, mas este “seu” não consta no original.
      (b)O uso da expressão “mistério” (misterion) em Paulo: o termo aparece 5x em I Coríntos (2:7; 4:1; 13:2; 14:2; 15:51) e outras 10x em Colossenses e Efésios. O uso plural se dá somente 3x (I Co 4:1; 13:2; 14:2). Para ele, o sentido de “mistério” é sempre algo uma vez oculto e que agora foi revelado por Deus.
      (c)A idéia chave do verso (e do capítulo) é que os ouvintes deveriam receber os benefícios do dom de línguas. Assim, deveriam proclamar os “mistérios” uma vez ocultos, mas agora revelados, pelo Espírito Santo. O texto jamais tem a idéia de que falar em línguas é falar em espírito somente a Deus, como se esse fosse o propósito do dom. Para que então seria necessária a tradução ou interpretação? Para que seria algo audível, pois posso conversar com Deus em minha mente?
      (d)A expressão “visto que ninguém o entende”, o “o”, pronome pessoal do caso oblíquo, não se encontra no original.
      (e)O fato dos ouvintes não entenderem, não quer dizer a fala é estática; existem outras razões para isto, tais como: problemas de audição, não ser nativo da língua, muitos estarem falando ao mesmo tempo, falar muito baixo, etc. Paulo diz: “vós, se, com a língua, não disserdes palavra [logos] compreensível [eusemos: claramente reconhecível], como se entenderá o que dizeis?” (v. 9). Aliás, se uma “língua” não pode ser inteligível, deixa de ser língua, pois isto pressupõe entendimento. Paulo resolve o problema da falta de compreensão exigindo a presença sempre de um intérprete, tradutor, que torne a fala compreensível (vs. 13, 27).
      (f)A expressão “entende”, no original é akouo, que quer dizer “ouvir uma fala ou linguagem”. Assim, o problema não está no ouvido da pessoa, mas na capacidade de compreender o que está sendo dito, ou a língua falada, não necessariamente estática. A LXX (versão bíblica septuaginta) usa a mesma expressão para definir o problema da confusão de línguas em Babel (Gn 11:1-9).
      (g)A expressão “outra” em “quem fala outra língua” também não aparece no original.
      (h)Uma tradução do texto seria: “Pois quem fala em língua [como dom], deve falar apenas dos mistérios de Deus ao entendimento dos homens e isto pelo Espírito”.[ Professor Edílson Valiante, Estudos em Pneumatologia (Artur Nogueira, SP: Unasp), pp. 79 e 80.]

      E o verso 4?

      “O que fala em outra língua a si mesmo se edifica, mas o que profetiza edifica a igreja”. 1 Coríntios 14:4.
      O Pr. Jobson Santos fez o seguinte comentário acerca deste verso:
      “O que fala em outra língua a si mesmo se edifica porque apenas ele está entendendo (é por isto que a existência de um intérprete era fundamental – ver I Co 14: 13 e 27; caso não houvesse, deveria a pessoa que estivesse falando em línguas ficar calada); já o profeta edifica, além de si próprio, toda a assembléia de crentes, pois todos podem entender”.
      Espero que este estudo tenha sido útil para seu conhecimento acerca deste assunto.
      Aproveito a oportunidade para recomendar a leitura do seguinte livro que trata a respeito deste assunto, entre outros:
      “Assim Diz o Senhor”, de Lourenço Gonzáles.
      Editora ADOS.
      Tv. Júlio Fróes, 112.
      Engenhoca – Niterói – RJ.
      PABX: (0–21) 2628- 0534.
      FONEFAX (0–21) 2628- 0341.

      Atenciosamente,

      Leandro Soares de Quadros
      Instrutor Bíblico – Conselheiro Espiritual



  • Gabriel em 3 de abril de 2017 9:46

    O Dom de língua é um Dom
    Quando alguém não interpreta é pq é a edificação pra si
    Mas quando a interpretação é falado para casa do senhor nho



    • Maiara Costa - Equipe em 5 de abril de 2017 11:42

      Olá amigo Gabriel!
      Bom dia.

      Concordo com você na parte que afirma o dom de línguas ser um dom, realmente. Ele foi concedido pelo Espírito Santo para evangelizar (Atos 2), agora, não concordo que o dom seja para edificação de si mesmo, pois vai de encontro ao que está escrito em Efésios 4:8-16. O dom jamais foi concedido para a edificação própria, ele é dado para a edificação de outros, a saber, a igreja.

      Que Deus continue te abençoando grandiosamente.
      Um forte abraço.



  • Thiago alves em 20 de abril de 2017 23:01

    Não sei em quem eu acredito sobre os 1 corintios 14;13. todos pentencotais acreditam que Nao é idiomas e sim um falar diferente.



  • Francisco em 5 de maio de 2017 19:18

    Vocês são adventistas?



    • Manassés em 22 de maio de 2017 17:41

      Olá,

      Somos membros da Igreja Adventista do Sétimo Dia.

      Abraço!



  • Veronica em 28 de maio de 2017 13:48

    Quando na bíblia falar de Dom , é pq foi dando pelo espirito santo no dia de pentencostes atos 2 relata sobre isso detalhadamente nos versiculos 17,18.idioma quando alguém pode estudar lingua de qualquer país. E como alguém ter o dom de cantae e outra pessoa não. Mas a pessoa pode aprender cantar, mas não chegará ao mesmo tom que a recebeu o dom.



  • Jefferson do sanosso Queiroz. em 1 de junho de 2017 12:09

    Obrigado que Deus te abençoe