INÉDITO:
  • SEG22:00
REPRISES:
  • DOM10:00
  • SEG04:30
  • TER02:30
  • TER13:00
  • QUI00:30
  • SAB04:00
  • SAB19:00

A diabólica doutrina do “inferno eterno” – Parte 1


Não se assuste com o título do presente artigo, mas, leia o material antes de julgá-lo. Gostaria de repartir com você a posição bíblica (que é bem equilibrada) sobre o castigo dos maus, de maneira que qualquer mente racional/espiritual possa crer naquilo que realmente é a Verdade.

Algumas informações importantes antes do estudo de um assunto tão “melindroso”:

1) A palavra “inferno” que aparece em nossas Bíblias não existe no original grego ou hebraico (e aramaico) – línguas originais. Esse termo é “latim” (significa “lugar inferior”) e, sendo que a Bíblia não foi escrita originalmente em latim, não deveria ter sido adicionada por alguns tradutores (em outras versões não existe a palavra “inferno”, mas, se preserva as originais: hades, tártaros, sheol, Geena).

2) Morte é morte mesmo. Enquanto não aceitar que a ÚNICA esperança para o cristão que hoje descansa é a RESSURREIÇÃO (1 Tessalonicenses 4:18), deixar de acreditar num “tormento eterno” será impossível. É importante que estude a doutrina bíblica sobre o estado do ser humano na morte (Gênesis 2:7, 3:19; Eclesiastes 3:19-21; 9:5, 6 3 10; Salmo 13:3; Daniel 12:2; Lucas 14:14; 1 Tessalonicenses 4:13-18) e compreenda que os mortos voltarão a ter consciência somente quando Jesus voltar (Lucas 14:14), transformá-los e ressuscitá-los (1 Coríntios 15:51-55). Por isso, não estão desfrutando de alguma recompensa (Salmo 115:17) ou punição (2 Pedro 2:4 afirma que até mesmo os demônios estão reservados para um juízo futuro).

3) A doutrina de um “inferno eterno” veio “sob encomenda” da igreja medieval, que usava a pressão psicológica para conseguir indulgências, obediência e apoio para a inquisição (matar os “hereges”). Antes, os gregos dividiam o “hades” em duas partes: uma onde ficavam as “almas” dos bons e outra em que ficavam as “almas” dos maus. Perceba que a origem do ensino é pagã e medieval.

4) Quando Cristo usa em Marcos 9:43-48 o termo “inferno”, no original é “Geena” e se refere não a um inferno existente, mas, ao lago de fogo que EXISTIRÁ depois do milênio (Apocalipse 20).

5) A justiça eterna de Deus não exige uma eternidade de sofrimento, como afirmam alguns teólogos preocupados mais em filosofar do que em estudar a Bíblia. O amor de Deus e a justiça dEle estão de mãos dadas. Por isso, a justiça eterna de Deus precisa ser vista como fazendo parte do Seu amor eterno. Assim, chegaremos à conclusão de que, por ser eternamente justo, o Senhor permitirá que os maus sejam castigados e depois destruídos definitivamente.

Após essas breves considerações, vamos ao estudo. Se quiser aprofundar-se ainda mais no assunto, envie um e-mail para namiradaverdade@novotempo.org.br e solicite o material intitulado “O inferno de fogo”. Nele, faço uma análise de alguns textos e apresento razões para crermos que a doutrina do inferno eterno traz consigo algumas heresias inaceitáveis para o cristianismo.

Quando existirá o lago de fogo

As Escrituras não ensinam que há um inferno de fogo, mas sim que haverá.

Um dia, Deus lançará o diabo e seus seguidores em um lago de fogo (Apocalipse 20:10), que só existirá após o período dos mil anos, como mencionei a princípio. Isso é muito claro nas Escrituras, que ensinam ser o juízo um evento futuro (Atos 17:31).

Portanto, os que não foram dignos da Salvação não se encontram hoje “em sofrimento”, mas, num sono profundo (Jeremias 51:57) até o dia em que serão penalizados (João 5:28, 29).

Todos queimarão como palha?

Não. O sofrimento de alguns pecadores durará um período de vários dias e noites (e até mais), porque cada um será recompensado “segundo as suas obras” (Mateus 16:27).

A Bíblia ensina que o castigo varia em “grau e intensidade”, especialmente nos versos a seguir:

“Ai de ti, Corazim! Ai de ti, Betsaida! Porque, se em Tiro e em Sidom se tivessem operado os milagres que em vós se fizeram, há muito que elas se teriam arrependido com pano de saco e cinza. E, contudo, vos digo: no Dia do Juízo, haverá menos rigor para Tiro e Sidom do que para vós outras.” Mateus 11:21-22.

“Aquele servo, porém, que conheceu a vontade de seu senhor e não se aprontou, nem fez segundo a sua vontade será punido com muitos açoites. Aquele, porém, que não soube a vontade do seu senhor e fez coisas dignas de reprovação levará poucos açoites. Mas àquele a quem muito foi dado, muito lhe será exigido; e àquele a quem muito se confia, muito mais lhe pedirão.” Lucas 12:47-48 (Grifos meus)

Se o grau de castigo fosse o mesmo para todos (aniquilação instantânea ou tormento eterno), por que Jesus afirmou que no dia do julgamento haveria menos rigor para as cidades de Tiro e Sidom e que alguns receberão muitos açoites enquanto que outros ganharão poucos açoites?

Veja o que a escritora Ellen White disse a respeito, com base na Palavra de Deus:

“Uma distinção, porém, se faz entre as duas classes que ressuscitam. “Todos os que estão nos sepulcros ouvirão a Sua voz. E os que fizeram o bem, sairão para a ressurreição da vida; e os que fizeram o mal para a ressurreição da condenação.” João 5:28 e 29. Os que foram “tidos por dignos” da ressurreição da vida, são “bem-aventurados e santos”. “Sobre estes não tem poder a segunda morte.” Apoc. 20:6. Os que, porém, não alcançaram o perdão, mediante o arrependimento e a fé, devem receber a pena da transgressão: “o salário do pecado”. Sofrem castigo, que varia em duração e intensidade, “segundo suas obras”, mas que finalmente termina com a segunda morte. Visto ser impossível para Deus, de modo coerente com a Sua justiça e misericórdia salvar o pecador em seus pecados, Ele o despoja da existência, que perdeu por suas transgressões, e da qual se mostrou indigno. Diz um escritor inspirado: “Ainda um pouco, e o ímpio não existirá; olharás para o seu lugar e não aparecerá.” E outro declara: “E serão como se nunca tivessem sido.” Sal. 37:10; Obad. 16. Cobertos de infâmia, mergulham, sem esperança, no olvido eterno” – O Grande Conflito, págs. 544, 545.

Sendo assim, o diabo ficará no fogo mais tempo do que os outros, pois seus pecados foram em maior proporção (além de ele ser o originador do mesmo – João 8:44 – e tentador dos seres humanos).

Entretanto, a Bíblia não diz que ele e os demais serão atormentados pela eternidade. Depois do castigo proporcional às obras de cada um, Deus destruirá definitivamente o mal e os que se apegaram a ele:

“… os ímpios serão como o restolho; o dia que vem os abrasará, diz o SENHOR dos Exércitos [veja: diz o SENHOR e não os adventistas…], de sorte que não lhes deixará nem raiz nem ramo… Pisareis os perversos, porque se farão cinzas debaixo das plantas de vossos pés, naquele dia que prepararei, diz o SENHOR dos Exércitos.” Malaquias 4:1-3

“Os ímpios, no entanto, perecerão, e os inimigos do SENHOR serão como o viço das pastagens; serão aniquilados e se desfarão em fumaça.” Salmo 37:20.

“E o Deus da paz, em breve, esmagará debaixo dos vossos pés a Satanás. A graça de nosso Senhor Jesus seja convosco.” Romanos 16:20.

A fim de compreender o assunto do “inferno” (na verdade, lago de fogo) biblicamente, não devemos ignorar esses textos.

Isso deveria ser claro para todos nós cristãos, pois, se o diabo e os demais forem “mantidos com vida” para serem “castigados” por um tempo sem fim, seria o mesmo que Deus dar a vida eterna ao diabo, aos demônios e aos que não aceitaram a Cristo. Isso é uma heresia, pois somente os justos comerão da árvore da vida para serem imortais! (Apocalipse 22:2). Leia 1 João 3:15 e comprove que ímpios não têm vida eterna!

O fogo será eterno nas conseqüências (a pessoa nunca mais será ressuscitada) e não na duração (Mateus 25:46).


Você está em : Apologia, Heresias
Compartilhe:


Comente



  • leandro.quadros em 14 de setembro de 2009 17:43

    Bom que o artigo lhe foi útil, Laise! Graças a Deus por isso.

    Pode sim enviar o endereço desse site (imagino alguns). Vamos esclarecer as coisas para os irmãos sinceros.

    Fique com Deus!



    • antony cleriston em 21 de novembro de 2012 22:55

      Boa noite Leandro Quadros
      Me chamo Antony Cleriston, sou da igreja quadrangular da cidade de Camaçari -BA
      confesso que tem muitas coisas na igreja que são pregadas que não está na palavra e não concordo com seus ensinos e já os ensinos dos adventista eu concordo
      e isso tem me feito a buscar muito mais da palavra de Deus e tenho buscado muito estudos de teologia na internet e tenho também comparado com os estudos
      adventista e não adventista e me fez perceber que os argumentos dos adventista são mais aceitáveis e aplausíveis, por ser transparente a veracidade contida diretamente
      nas escrituras sagradas, fico muito feliz em entrar em contato com você através desse e-mail, e fique sabendo que eu te admiro muito como homem de Deus
      porque você tem levado a luz da palavra de Deus para aqueles inclusive eu que tem menos luz a cerca da palavra de Deus a buscar
      a conhecer a verdade através do seu programa sendo guiado pelo Espirito Santo, pois assisto o seu programa e tenho crescido muito em conhecimento e
      venho buscando ainda mais nas escrituras sagradas e também venho ensinando o que aprendi
      com você através do Espirito Santo, pois formei um grupo de estudo em casa
      e todos também vem crescendo no conhecimento e no Espirito Santo.

      gostaria de receber o estudo mais profundo cujo o tema O fogo do inferno, pois li o que você postou a diabólica doutrina do inferno eterno
      eu também concordo com sua tese, só que o grupo que dou estudo já não concorda, eles vão na tese das doutrinas que pregam o tormento eterno por causa que também está escrito no apocalipse 20:10. mas eu tenho esperança e creio que o Espirito santo vai convence-los da verdade.
      pois tenho buscado o conhecimento da palavra para ensinar outros que tem menos conhecimento, para que possam enxergar a verdade e a dimensão grandiosa do Deus puro que em infinito amor que está contido nas escrituras sagradas.
      quero te pedir através do seu programa que mandasse um abraço para minha esposa que se chama Josimeire que também se congrega na igreja quadrangular, ficarei muito agradecido até mais e uma boa noite e que Deus continue te abençoando e abençoando o seu ministério e sua família.



      • Maiara Costa - Equipe em 22 de novembro de 2012 16:23

        Estimado amigo e irmão em Cristo Antony!
        É uma grande alegria poder manter contato com você.
        Muito obrigado por sua participação e fazer parte da família do Na Mira da Verdade da Rede Novo Tempo!
        Que a paz do Senhor esteja sempre em seu coração.
        Um estudo completo sobre esse assunto já foi encaminhado para o seu e-mail.
        E gostaria de deixar aqui também para todos os que tem interesse a recomendação de uma excelente literatura que esclarece esse e muitos outros assuntos que é o livro: Crenças Populares da editora CPB.
        Contato: 0800-979-06-06 ou cpb.com.br
        Que Deus te abençoe grandiosamente.
        Um forte abraço.
        Equipe do Na mira.



  • leandro.quadros em 15 de setembro de 2009 14:39

    Olá, irmão Claudemiro:

    Fico contente em saber que concorda com o posicionamento bíblico a respeito do assunto.

    Citei Ellen White por dois motivos:

    1) Para provar que nós adventistas sempre acreditamos no “grau de punição”, como revelado nas Escrituras. Como Ellen White é a pioneira que mais escreveu sobre o assunto, ninguém melhor que ela para mostrar o pensamento adventista para os irmãos de outras igrejas.

    2) Mesmo não sendo uma “segunda Bíblia” (há no blog um artigo sobre isso), ela faz parte da classe de profetas não canônicos (que não possuem livros na Bíblia – ver 1 Crônicas 29:29; 2 Crônicas 9:29). E, sendo que biblicamente esse tipo de profeta também possui autoridade profética (Davi aceitou as orientações de Natã, mesmo este não tendo livros na Bíblia – ver 2 Samuel 12), precisamos aceitar o que ela escreveu por ter vindo do Espírito Santo – e não dela.

    Nem me interprete mal, caro irmão. Não venero Ellen White; apenas creio no dom profético dado por Deus.

    Um abraço e, obrigado por deixar seu comentário aqui no blog!



  • leandro.quadros em 15 de setembro de 2009 14:49

    Que bom que gostou, amigo Danilo. Sempre disponibilizarei coisas novas para você e os demais internautas. Será um prazer!

    Um forte abraço.



  • leandro.quadros em 15 de setembro de 2009 15:27

    Já que o pessoal do site que me enviou é maldoso, farei alguns comentários aqui no blog para esclarecimento – ok?

    Um abraço Laise e obrigado por seu carinho para com o blog!



  • leandro.quadros em 15 de setembro de 2009 16:08

    Oi, Eduardo:

    Graças ao Bom Deus por você ter tido um subsídio a mais para entender o assunto e explicar ao seu amigo (que “acreditou sem querer acreditar” – hehehe). Conte comigo se precisar de algo – ok?

    Um forte abraço!



  • leandro.quadros em 15 de setembro de 2009 16:10

    Oi, Maria Lidia:

    Realmente, muitas são as perguntas que nos chegam e que não conseguimos responder todas por causa do tempo. Mas, se sinta à vontade para me perguntar e terei muito gosto em auxiliá-la – ok?

    Gostei de saber que conheceu o programa na internet e que irá assistir ao próximo. Vou mandar um abraço pra você.

    Fique com Deus e, até logo!



  • leandro.quadros em 15 de setembro de 2009 16:25

    Oi, Elaine:

    Estamos com um projeto de, no próximo ano, aumentar o programa. Obrigado por sua apreciação e, sempre que puder, estude a Bíblia conosco pela TV, rádio ou internet!

    Deus lhe guarde!



  • Maricélia da silva Ide em 16 de setembro de 2009 10:25

    Tem que aumentar ainda esse ano, uma vez por semana é muito pouco, tem que ser todos os dias, e umas duas horas, pode ser gravado mesmo. Se na novo tempo só passasse o programa na mira da verdade 24 horas por dia, tenho certeza que não ía enjoar de assistir. Bem que vocês podiam planejar de fazer em um sábado um especial do na mira da verdade, com umas 5 horas de programa, ía ser bem legal.



    • leandro.quadros em 17 de setembro de 2009 8:33

      Oi, Maricélia!

      Gostei muito de sua sugestão. Realmente, poderia-se fazer um Sábado especial para atendermos a todas as perguntas possíveis.

      Passarei à produção (inclusive a ideia de ter “todos os dias”, rsrsrs). Obrigado por seu carinho para com o programa!

      Ah! Estamos planejando para aumentar o programa para o próximo ano.

      Um abraço!



  • Walans de Souza em 17 de setembro de 2009 7:24

    Ola Leandro,

    impressionante que como por traz de tudo isso voltamos la no livro de Genesis quando Deus disse “certamente morrereis e a serpente, “certamente NÂO morrereis”…… uma doutrina espirita lançada por Satanás que sempre ecoou atraves dos tempos e que ganha força a cada dia.Estou cercado por católicos e pentecostais que na essencia creem neste inferno eterno mas abordam este assunto com outra roupagem…
    Que conforto eu teria com esta duvida: “Será que meu pai estaria no lugar de tormento ou no seio de Abraão, e se ele estiver no lugar de tormento….??? e afinal, se ha um lugar de tormento alguem teve que criar este lugar, seria Deus o criador de um lugar de tormento onde Satanás habita com seus anjos e os “espiritos” dos mortos??? Isso é muito mais grave do que as pessoas que creem imaginam. Mas eu me conforto nas promessas que encontramos na palavra de Deus de q os justos (e os impios, Deus sabe)quando morrem aguardam a manhã da ressurreição (ou os impios a 2ª ressurreição). Deus nos mostará a td humanidade o quanto é justo em aplicar a sua justiça….

    Fico super feliz pela luz que esta matéria traz ao coração das pessoas, parabens Leandro e que o Espirito Santo continue te ilumindando…..

    Que a graça de Jesus esteja com todos…



    • leandro.quadros em 17 de setembro de 2009 8:06

      Oi, Walans de Souza:

      Muito oportunos os seus comentários. A ideia de apresentou – de que o Criador do amor não poderia ter criado um lugar de dor e tormento – é digna de ser avaliada com atenção por todos os internautas desse blog.

      Obrigado por suas palavras e que Deus o abençoe por sua sabedoria!



  • manoel messias barbosa de oliveira em 19 de setembro de 2009 15:30

    eu estava lendo o comentario da( Maricélia da silva) eu tambem estou de acordo com ela este progama de vcs e tão bom,para levar tanto tempo d,uma apresentação a outra,poderia ser no minimo seis por semana,falar a respeito de DEUS e maravilhoso a todo estate.



  • Walans de Souza em 23 de setembro de 2009 7:14

    (……. Depois de nos insultar, de chamar de Leviano, olha o Alexandre se fazendo de vitima….. ) agora até sei o restante, vai sair falando (se ja não fala) mal dos adventistas pra todos que encontrar mercadejando mentiras e heresias….

    Visitem este breve testemunho….:D
    http://criacionista.blogspot.com/2009/09/o-inferno-afasta-de-deus.html



  • alexandre em 24 de setembro de 2009 12:44

    Wallans! Será que você saberia me dar a definição do dicionário Aurélio de lingua portuguesa , do sentido da palavra leviano?

    Aguardo!



    • leandro.quadros em 24 de setembro de 2009 19:20

      Irmão Alexandre: Pretendo, até segunda-feira, localizar todos os seus posts que estão entre os mais de 500. E, responderei a TODOS. Farei uma resposta padrão e colocarei na primeira página do blog.

      Quero lhe pedir uma coisa (que já o fiz antes): não seja agressivo com os irmãos aqui. Vários têm reclamado de sua postura e isso não é legal. Sei que eu e ninguém aqui é perfeito. Já erramos. Mas, sabemos pedir desculpas e manter um diálogo amistoso, mesmo divergindo nas opiniões.

      Portanto, confio que você não mais usará de sarcasmo, ironia e malediência no trato com os internautas desse blog. Do contrário, terei de dar-lhe o “cartão vermelho”.

      Sinceramente, quero sempre ter a sua presença aqui no blog. Juntos podemos aprender muito de Cristo – se ambos estivermos dispostos a isso.

      Um fraterno abraço.



  • Mats em 27 de setembro de 2009 10:40

    Leandro, tu só tens que te preocupar com inferno se vives em pecado.
    Se estás dentro dos caminhos de Deus, não tens que te preocupar com o inferno.
    A pergunta não é portanto “porque é que Deus criou o inferno” mas sim “porque é que o Leandro tem medo do inferno?”. Há pecado na tua vida? Alguma vez disseste alguma mentira? Roubaste? Fornicaste? Olhaste para uma mulher com más intenções? Então tens toda a razão em estares preocupado com o inferno.
    Mas olha, Deus não enviou o Seu Filho para condenar o mundo mas para que através DELE todos nós possamos ser salvos do inferno. Esse inferno é o justo castigo que todos nós merecíamos por ter violado a Lei Santa de Deus.
    A tua questão resolve-se com a seguinte pergunta:
    “Como é possível que Deus aceite pessoas no Seu céu, sabendo nós que todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus?”
    Como é possível Deus ainda nos amar, mesmo depois de tudo o que já fizemos? Só mesmo um Deus Bondoso e Misericordioso.
    No entanto, um Deus bondoso tem que fazer justiça, e o inferno é o castigo de Deus para todos aqueles que rejeitaram a Revelação que estava disponível a eles.



    • leandro.quadros em 1 de outubro de 2009 9:34

      Não, amigo Mats: uma punição com eterna dor não faz parte da justiça de Deus, mas sim o castigo proporcional às obras, como mencionei no artigo, com base em Mateus 16:27 e Lucas 12:47, 48.

      Medo do “inferno” não tenho por alguns motivos:

      1) A graça de Jesus me possibilitou o perdão e vivo em paz;
      2) O “inferno” não existe;
      3) Existirá no futuro um lago de fogo, como nos ensina Apocalipse 20. Como aceitei a Jesus como meu Salvador, não me preocupo com o mesmo. Minha preocupação é ensinar a Verdade bíblica às pessoas (também sobre esse assunto) para que elas tenham uma compreensão melhor do caráter santo e justo de Deus, que tem sido deturpado pelo diabo.

      Analise com carinho tudo o que escrevi. Não tenha receio de abandonar uma doutrina com essa (do tormento eterno), pois, ela não é bíblica. John Stott, Clark Pinnock, entre muitos outros eruditos evangélicos tiveram coragem para tal. Oro para que o mesmo ocorra com você.

      Um abraço.



  • Eduardo em 3 de outubro de 2009 21:11

    Foi mencionado que “os mortos voltarão a ter consciência somente quando Jesus voltar”. Muito bem, então explique o texto de Lucas 16:22-31, sobre o rico e o mendigo Lázaro,onde o termo “inferno”, no Grego original, é Hades. Foi por acaso uma história fantasiosa contada por Jesus?



  • laisep em 6 de outubro de 2009 13:24

    Gostaria de lhes sugerir um belíssimo sermão do pastor Samuel Ramos, ele fala muito bem sobre “a Ciência da serpente”, está com a data 2007-07-15 o endereço do site está abeixo.
    Dentre os vários sermões que ele disponibiliza lá, está este com o título acima, fala justamente sobre o que o professor Leandro vem falando aqui e outros fatos muito importantes! Vale a pena ouvir!
    http://www.apocalipserevelado.com/sermoes.php



  • laisep em 6 de outubro de 2009 13:52

    Olá Alexandre,
    Só hoje li sua pergunta a mim, mas o site que me referi foi um site que enviei ao Prof. Leandro, um site que colocava uma série de absurdos sobre alguns temas que estudamos aqui; onde pessoas sem o conhecimento bíblico, falavam e atacavam com palavras e até colocavam passagens bíblicas distorcidas para provar suas “verdades”. Eu os refutei várias vezes, junto com outros amigos de várias religiões, mas infelizmente, chegou ao ponto deles colocarem 506 perguntas a nós adventistas, fazendo chacota, nem gostaria de mencionar as perguntas, pois várias delas ofendem não só aos adventistas, mas pessoas sinceras, estudiosos sinceros da Bíblia, usando palavras de baixo calão e etc, em resumo, após eu e váriios outros cristãos termos deixado nossa indignação e falta de respeito com a Palavra de Deus, eles se sentiram envergonhados, pois em NENHUM dos nossos comentários, atacamos ou fomos mal educados… resultado…. eles retiraram esses últimos comentários, por vergonha e hoje esse site não está mais no ar, pois ficou muito claro quem os dirigia, o inimigo!

    Como diz a Bíblia, o meu povo perece por falta de conhecimento mesmo, espero que ao ler essas palavras, os irmãos meditem em quantos Blogs existem por aí, sites que falam de Jesus, falam de salvação e etc, mas tem o objetivo de blasfemar o nome de Deus e maldizer sinceros cristãos, atacando religiões e pessoas que tem o objetivo de levar as verdades Bíblicas da Palavra de Deus ao mundo!!!!



  • leandro.quadros em 8 de outubro de 2009 19:04

    Caro Sidnei: Não pude aprovar o seu comentário por você ter usado um palavreado que não pode sair dos lábios ou do teclado de um cristão.

    Leia Efésios 4:29 (logo abaixo) e peça a Deus o fruto do Espírito (Gálatas 5:22, 23).

    “Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, e sim unicamente a que for boa para edificação, conforme a necessidade, e, assim, transmita graça aos que ouvem.”



  • alexandre em 8 de outubro de 2009 19:57

    Olá laise será que você pode me passar o email, a gente conversa troca msgs, estudos!
    tchau!



  • Geovane Vitor em 15 de junho de 2010 3:54

    Parabéns por sua inteligência e sabedoria Leandro!
    ”Quando eu crescer quero ser igual a você.”
    (risos)
    Quero estudar a Bíblia, pois Jesus recomendou que examinemos as Escrituras, e também quero ter respostas sábias às várias perguntas que me fazem o tempo todo…
    Abraços.



  • joao vanderlei cordeiro em 25 de outubro de 2012 0:52

    Leandro Quadros a paz do senhor Jesus. Jesus Cristo foi crucificado numa estaca ou em uma cruz? Como está escrito nos manuscritos gregos e hebraicos?



    • deboramichele em 25 de outubro de 2012 20:02

      Olá João,
      Para nós será um prazer esclarecer sua duvida, porém o material que temos é extenso e não conseguimos publica-lo aqui no Blog.
      Por isso, por favor, nos envie sua pergunta através do e-mail namiradaverdade@novotempo.com.
      Um abraço e que Deus lhe abençoe!



  • Gustavo Gomes em 25 de janeiro de 2013 17:02

    Pastor Leandro, me tire uma dúvida. Por que então na Bíblia cita-se constamente Inferno e Lago de fogo como locais distintos?? Ou seja, como que o inferno não existe se ele é citado várias vezes na bíblia e o lago de fogo é citado como um outro lugar, aonde o inferno e seus demonios serão lançados e as pessoas que rejeitaram a Cristo? Quer dizer entam que todas as colocações sobre o inferno foram colocadas pela Igreja medieval e disseminadas por todas as Bíblias até hoje?? Porque o entendimento do inferno na bíblia é de algo que existe hoje e o Lago de fogo como algo que existirá. Aonde posso ver na bíblia que o inferno não existe, mas existirá? E se forem colocações na Igreja então foram obras muito bem feitas, para que não fossem inseridos conteúdos desconexos com o entendimento das passagens que se lê.



    • J.Washington em 9 de abril de 2013 18:23

      Gustavo, a Bíblia diz:

      E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram (Apocalipse 21:4 RA).

      O vencedor herdará estas coisas, e eu lhe serei Deus, e ele me será filho. Quanto, porém, aos covardes, aos incrédulos, aos abomináveis, aos assassinos, aos impuros, aos feiticeiros, aos idólatras e a todos os mentirosos, a parte que lhes cabe será no lago que arde com fogo e enxofre, a saber, a segunda morte (Apocalipse 21:7-8 RA).

      O verso de Apocalipse 21:4 irá se cumprir em sua plenitude após a total destruição dos ímpios e de todo o pecado. Isto porque, caso um justo tenha parentes que não sejam salvos e que sejam lançados no lago de fogo, não será feliz ao saber que os mesmos estão sendo atormentados. O texto de Apocalipse 21:4 diz também que não haverá “dor”, o que nos leva à real conclusão de que realmente um dia Deus irá terminar com “toda a espécie de sofrimento” e “dor”, inclusive do lago de fogo e enxofre
      O fato de Deus mencionar o lago de fogo “após” a maravilhosa promessa de que todo mal terminará, não indica que o lago de fogo existirá após a mesma; isto porque o Apocalipse nem sempre segue uma ordem cronológica ao expor as profecias (em alguns casos).

      O que a Bíblia ensina acerca do inferno.

      As Escrituras não ensinam que há um inferno de fogo, mas sim que haverá. Um dia Deus lançará o diabo e seus seguidores em um lago de fogo. No sentido literal, o lago de fogo só existirá após o período dos mil anos. Isto é muito claro nas Escrituras:

      “Então, a morte e o inferno foram lançados para dentro do lago de fogo. Esta é a segunda morte, o lago de fogo” (Apocalipse 20:14 RA). Leia o contexto da passagem e verá que tal lago de fogo será “após o período dos mil anos” que passaremos no céu, e não antes disto. Quando a Bíblia usa a palavra inferno no sentido de fogo, o faz referindo-se ao lago de fogo no fim; e este lago, não será eterno.

      O sofrimento de alguns pecadores ao queimarem, sem dúvida durará um período de vários dias e noites, porque cada pessoa ímpia será recompensada “conforme as suas obras” (Mateus 16:27). Sendo assim, o diabo demorará no fogo mais tempo do que os outros, pois seus pecados foram em maior proporção do que os pecados de qualquer outro (além de ser o originador do mesmo tentador dos seres humanos), mas a Bíblia não diz que ele será atormentado pela eternidade, pois o livro sagrado afirma:

      … os ímpios serão como o restolho; o dia que vem os abrasará, diz o SENHOR dos Exércitos, de sorte que não lhes deixará nem raiz nem ramo… Pisareis os perversos, porque se farão cinzas debaixo das plantas de vossos pés, naquele dia que prepararei, diz o SENHOR dos Exércitos (Malaquias 4:1-3 RA).

      E o Deus da paz, em breve, esmagará debaixo dos vossos pés a Satanás. A graça de nosso Senhor Jesus seja convosco (Romanos 16:20 RA).

      O fogo será eterno nas consequências (a pessoa ímpia nunca mais será ressuscitada) e não na duração. Quando cada ímpio tiver pagado por sua rejeição a Deus (o último será o diabo, que queimará por mais tempo), aí sim o sofrimento acabará por total. Aceite a Jesus como seu salvador pessoal. Um dos maiores sonhos que Ele tem é vê-lo no Céu ao lado dEle. Basta você querer e permitir que o Senhor trabalhe em seu coração.

      Seja feliz!
      Equipe Na Mira da Verdade



  • Samanta Santos em 9 de abril de 2013 14:17

    Pastor Leandro, lendo esse estudo lembrei de um video postado na internet sobre esse assunto no seu programa, porem nao fiquei de acordo com as comparacoes feitas pela pessoa que postou pois a doutrina adventista que estou conhecendo nao e dessa forma. por favor me ajude comentando sobre esse video e dando sua opiniao como sempre com base na palavra de Deus. obrigada Que Deus abencoe.



    • Maiara Costa - Equipe em 9 de abril de 2013 16:42

      Olá estimada amiga e irmã em Cristo Samanta!
      Grande satisfação poder manter contato com você.
      Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.
      Poderia nos informar do que se trata o videio, pois não estamos conseguindo acessar?
      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.
      Equipe do Na Mira.



  • tuliogomes em 19 de janeiro de 2014 12:47

    Quero ver videos sobre o assunto sem mais para o momento grato.



  • Ferreira em 6 de março de 2014 14:14

    Necessitamos urgentemente de mais um Martin Lutero…



    • Maiara Costa - Equipe em 6 de março de 2014 14:22

      Olá estimado Ferreira!
      Que a graça e a paz de nosso Senhor esteja sempre em seu coração.
      Esse chamado o Senhor faz à todos que estiverem dispostos a serem usados por Ele.
      Que Deus o abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.



      • Ferreira em 7 de março de 2014 17:06

        Paz em Cristo!
        Citei Lutero, pois necessitamos de alguém que REALMENTE não tenha medo do VERDADEIRO EVANGELHO, sabe aquele sem distorção, onde tudo pode, onde é mais viável a quantidade do que a qualidade. Foi por isso que Deus usou este homem naquele tempo para fazer tudo o que fez!
        Coragem, ousadia e ainda assim convicção, dizer que o inferno não é eterno não seria a falta de examinar as escrituras de forma mais sucinta ou estamos esquecendo do Apocalipse e colocando em xeque tudo que o evangelho trás!

        Fique na paz!



  • fernando em 13 de março de 2014 8:50

    Bom dia querido irmão.
    Preciso ajuda com respeito a Apocalipse 20:10…
    Eu não acredito no tormento eterno, mas o que esta dizendo esse versículo?



    • Maiara Costa - Equipe em 13 de março de 2014 14:28

      Olá Fernando!
      Obrigado por seu contato com o programa Na Mira da Verdade.
      Para compreender esse texto de uma perspectiva geral da Bíblia, quero recomendar à você que acesse: http://goo.gl/URZsjQ.
      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.



  • carlos fernando em 17 de setembro de 2014 14:47

    olá, boa tarde. estou muito interessado nesse estudo sobre o inferno, mencionado no artigo acima, para quem quer saber mais sobre o assunto…
    gostaria muito de receber esse material para estudo…
    -quando surgiu na história do mundo o ”inferno eterno”(ouvi falar que é uma filosofia pagã)
    -quem criou essa teoria do inferno eterno…
    -quando e em que concílio da IGREJA ROMANA foi estabelecido o inferno eterno como doutrina…
    em fim…
    gostaria de entender, principalmente esses pontos, e outras sugestões de vocês…
    aguardo resposta, por favor, me ajudem!



    • Maiara Costa - Equipe em 17 de setembro de 2014 15:39

      Olá Carlos Fernando!
      Boa tarde.
      Muito obrigado por seu contato.

      Além do estudo que estarei enviando em seu e-mail, também gostaria de lhe recomendar uma literatura que poderá ajudá-lo a compreender do ponto de vista histórico e teológico mais esse assunto, é o livro: Crenças Populares da editora Casa Publicadora Brasileira.

      Contato: 0800-979-06-06 ou http://www.cpb.com.br

      Fique de olho no seu e-mail, tanto na caixa de entrada como no lixo eletrônico, pois estarei enviando agora mesmo o estudo sobre o inferno de fogo.

      Que Deus te abençoe grandiosamente.
      Um forte abraço.



      • carlos fernando em 18 de setembro de 2014 15:05

        olá anjo, brigado pela atenção…
        fico muito grato…
        esse artigo introdutório, a página inicial, eu já li…
        já assisti também alguns vídeos do na mira da verdade, Ivan saraiva…
        quero comprar esse livro, ”crenças populares” mas, enquanto não tenho…
        preciso estudar com o que tenho e com quem me ajudar…
        manda mais informações pra mim viu…
        um abraço…!



        • Maiara Costa - Equipe em 18 de setembro de 2014 15:09

          Oi Carlos!
          Boa tarde.
          Naquilo que eu puder ajudar, conte comigo.
          Um forte abraço.



  • Ana Cristina Leal Pereira de Albuquwrque em 22 de junho de 2015 21:15

    Boa noite.
    preciso ajudar uma pessoa que acredita que irá queimar num fogo eterno.
    pode por favor enviar este texto para meu e.mail?



  • carlos em 5 de janeiro de 2017 20:02

    engraçado a morte na concepção humana e a separação do corpo mas para Deus e diferente segunda morte não quer dizer destruição eterna . embora a palavra deixa algumas evidencias que faz alusão a uma morte eterna mas sabemos que antes da palavra ser editada ela foi proferida primeiro ,foi falada e a biblia também nos mostra um sofrimento eterno mas com sempre vóces vao tentar refutar alegando fauta de imtepretação sendo que jesus foi bem claro na parabola do rico e lazaro lembrano e uma parabola mas clara e o vale de hinom mas como sempre vão desvalorizar a escrita vale resautar que a biblia foi primeiramente proferida depois escrita ate com um periodo de tempo cosideravel



    • Manassés em 1 de junho de 2017 16:27

      Olá,
      A história do rico e de Lázaro, contada por Cristo, tem sido confundida por muitos como uma prova da imortalidade da alma (Veja-se Lc 16:19-31). Esta história, contudo, nada diz sobre almas imortais partindo do corpo dos mortos. Ao contrário, o rico após a morte tinha “olhos” e “língua”, isto é, partes muito reais do corpo. Ele pedira que Lázaro “molhasse na água a ponta do seu dedo”. Se a narrativa deve ser tomada literalmente, então os bons e maus, após a morte, não se transformam em espíritos intangíveis, mas vão para lugares da sua recompensa como seres reais, na posse de seus membros. No entanto, como poderiam eles ir para lá em corpo, uma vez que este havia sido inumado na sepultura? Bom, se ganhou um novo corpo, como ficam as promessas bíblicas da ressurreição de todos, por ocasião da volta de Jesus, que ainda está no futuro?
      Ainda, se isto é um relato literal, então o Céu e o inferno se encontram bastante próximos para permitir uma conversação entre os habitantes de ambos os lugares – situação um tanto indesejável, pelos menos.
      Se os que creem na imortalidade inerente pretendem que esse seja um quadro literal da geografia do Céu e do Inferno, devem então aceitar também literalmente o texto referente às “almas debaixo do altar” clamando por vingança contra seus perseguidores (Veja-se Ap 6:9-11). Se os justos podem ver os ímpios em tortura, que necessidade têm de clamar por vingança?
      Quando o rico pediu que Lázaro fosse mandado de volta à Terra a fim de avisar a outros quanto ao inferno, Abraão respondeu: “Têm Moisés e os profetas; ouçam-nos”. E: “Se não ouvem a Moisés e aos profetas, tampouco acreditarão, ainda que algum dos mortos ressuscite”. (Vs. 29 e 31). A narrativa, portanto, em parte nenhuma fala de espíritos desincorporados, nem que voltem para avisar os homens. Ao contrário, quando fala nessa volta usa o termo “ressuscitar”.
      A fim de evitar a crença de que os espíritos têm corpos e que o Céu e o inferno estão realmente bastante próximos para permitir uma conversação, porventura desejam os espiritualistas considerarem agora essa narrativa uma mera parábola? Neste caso, lembrá-lo-íamos de que os teólogos unanimemente concordam em que não se podem alicerçar doutrinas sobre parábolas ou alegorias. Uma parábola, como outras ilustrações, é geralmente usada para tornar claro um determinado assunto. Procurar formar doutrinas de qualquer porção da narrativa resultaria em absurdo, ou mesmo perfeita contradição. É fora de dúvida que procurar na ilustração a prova para uma crença que seja o extremo oposto da que defende o próprio autor da ilustração, seria violar os mais rudimentares princípios que regem o assunto.
      Nós afirmamos que os defensores da imortalidade da alma, ao usarem esta parábola para provar que os homens recebem sua recompensa ao morrer, colocam Cristo em situação de contradizer-se a Si próprio.
      Em outra parte, Cristo declara explicitamente qual o tempo em que os justos receberão sua recompensa e os ímpios serão lançados no fogo consumidor: ” E quando o Filho do homem vier em Sua glória … todas as nações serão reunidas diante Dele;… então dirá o Rei aos que estiverem à Sua direita: Vinde, benditos de Meu Pai, possuí por herança o reino… Então dirá também aos que estiverem à Sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno” (Mt 25:31-41).
      Não há necessidade que volte alguém para dar aviso sobre o destino depois da morte, porque os vivos “têm Moisés e os profetas; ouçam-nos”.
      Nós, os vivos, somos, portanto, certamente justificados em compreender a parábola em harmonia com o que os profetas têm dito. Malaquias, por exemplo, declara que “aquele dia vem” (é um acontecimento futuro) em que os ímpios sofrerão os tormentos do fogo abrasador. (Veja-se Ml 4:1-3.) Os escritos do Velho Testamento são muito explícitos em afirmar que os mortos, justos ou ímpios, descansam em silêncio e inconsciência na sepultura até o dia da ressurreição (Vejam-se Jó 14:1, 12-5, 20 e 21; 17:13, 19:25-27; Ec 9:3-6 e 10).
      A história é uma parábola, tendo sido este o método usualmente empregado por Cristo nos Seus ensinos, muito embora aqui como em vários outros exemplos, Ele não afirme isso especificamente. Por isso procuramos saber justamente qual a lição que Cristo pretendia ensinar, e não tentamos fazer com que a parábola prove qualquer coisa além disso. Evidentemente, Cristo estava desejoso de repreender os fariseus, “que eram avarentos”. Lc 16:14. Eles, em verdade, bem como muitos dos judeus, mantinham a crença de que as riquezas eram um sinal do favor de Deus, e a pobreza um indício do Seu desagrado. Cristo ministrou-lhes a importante lição de que a recompensa que aguarda os ricos avarentos – os quais nada mais reservam para os pobres do que migalhas de pão – é justamente o oposto ao que os judeus acreditavam.
      Isto é o que a parábola pretende ensinar. Seria tão incoerente pretendermos que Cristo ensinasse por ela que os justos fossem literalmente para o “seio de Abraão”, e que o Céu e o inferno estivessem a uma distância ao alcance da voz, como deduzirmos que Ele ensinasse ser a recompensa concedida imediatamente após a morte. Cristo protegeu esta lição que estava ministrando aos judeus contra a dedução de conclusões errôneas, apresentando-a em forma de uma história.
      Ao empregar a linguagem alegórica, bem podia Ele apresentar os inconscientes mortos mantendo uma conversação, sem forçar a conclusão de que os mortos estivessem conscientes. Em outra parte da Bíblia, encontramos a vívida parábola das árvores que “foram uma vez a ungir para si um rei” e mantiveram entre si uma conversação. (Vejam-se Jz 9:7-15; 2Rs 14:9). Por que não tentar provar por essa parábola que as árvores falam e que elas têm reis? Não, isso seria querer fazê-la provar mais do que era a intenção do autor. Concordamos. A mesma regra aplica-se à parábola do rico e Lázaro.
      Não há nenhuma fagulha de imortalidade em nós. A vida eterna depende exclusivamente de Jesus. Quando alguém morre, só poderá ressuscitar pela ordem divina, pois nada sobrevive ao próprio homem em si. Qualquer tipo de vida ou fagulha de imortalidade sem Cristo é pretensiosa, pois só Deus é imortal (1Tm 6:16).



  • Gabriel de Paula em 10 de janeiro de 2017 0:24

    Realmente, as igrejas normalmente ensinam errado, creio eu para impor medo nos que creem… muitas doutrinas e ensinamentos são imposto naqueles que não querem buscar o conhecimento e se aliena ao conhecimento de outras pessoas. devemos buscar o nosso proprio conhecimento para nao sermos alienados e acreditarmos em tudo oque falam para nós.



  • lucas em 6 de abril de 2017 0:55

    chato isto, firmam suas doutrinas, não na biblia, mas em uma mulher, ou uma pessoa..



    • Maiara Costa - Equipe em 6 de abril de 2017 10:17

      Olá Lucas!
      Bom dia.

      Perdoe discordar de você amigo, mas o artigo ou mesmo as crenças fundamentais desta igreja, não estão firmadas nos escritos de Ellen White!

      Isso você pode confirmar lendo o livro onde estão contidas as nossas crenças fundamentais (Nisto Cremos), e vou compartilhar com você aqui, inclusive, a nossa crença fundamental numero 1:

      “As Escrituras Sagradas, o Antigo e o Novo Testamento, são a Palavra de Deus escrita, dada por inspiração divina por intermédio de santos homens de Deus que falaram e escreveram ao serem movidos pelo Espírito Santo. Nesta Palavra, Deus transmitiu ao homem o conhecimento necessário para a salvação. As Escrituras Sagradas são a infalível revelação de Sua vontade. Constituem o padrão de caráter, a prova da experiência, o autorizado revelador de doutrinas e o registro fidedigno dos atos de Deus na história”. (Nisto Cremos, CPB, 2008),p.11

      Agora em relação a Ellen White, deixemos que ela mesma (através do seus escritos), se defenda desta acusação:

      “Recomendo-vos, caro leitor, a Palavra de Deus como regra de vossa fé e prática. Por essa Palavra seremos julgados. Nela Deus prometeu dar visões nos “últimos dias”; não para uma nova regra de fé, mas para conforto do Seu povo e para corrigir os que se desviam da verdade bíblica”. Primeiros Escritos. p. 78

      “Os escritos da Sra. White indicam constantemente a Bíblia como a grande fonte de toda a verdade espiritual. São abundantes em citações escriturísticas, às quais ela não dá interpretação fantasiosa. Seus escritos não são, pelos adventistas do sétimo dia, considerados um acréscimo à Bíblia, nem seu estudo deve ocupar o lugar do estudo da Bíblia. Ela própria escreveu: A Palavra de Deus é suficiente para iluminar o espírito mais obscurecido, e pode ser entendida por aqueles que a desejam compreender. Não obstante, alguns dos que professam fazer da Palavra de Deus o seu estudo, procedem de maneira que é contrária aos seus mais claros ensinos. Portanto, para que homens e mulheres fiquem sem desculpa, Deus lhes dá testemunhos claros e diretos, fazendo-os voltar à Palavra que negligenciaram seguir.” “Os testemunhos não são para diminuir a Palavra de Deus, mas para exaltá-la e atrair para ela os espíritos, para que a bela simplicidade da verdade impressione a todos.” Vida e Ensinos, p.p 248,249.

      Isso mostra amigo que as crenças fundamentais desta igreja não são extraídas dos escritos de Ellen White, pois não foi para essa finalidade que eles foram dados!

      Se você quiser dialogar para realmente conhecer o que o Adventismo crê, prega e ensina, estamos abertos ao diálogo. Contudo, se quiser permanecer com a visão que possui, respeitaremos também a sua decisão.

      Que Deus continue te abençoando grandiosamente.
      Um fraterno abraço.



  • Elisvar Cavalho Silva em 8 de abril de 2017 11:27

    Excelente ensinos para entendermos pontos difíceis de nossa compreensão. Preciso continuar recebendo estes estudos.



  • William Rezende em 28 de maio de 2017 11:55

    Caros amigos em Apocalipse 20, versículo 10 está escrito o seguinte: E o diabo, que os enganava, foi lançado no lago de fogo e enxofre, onde estão a besta e o falso profeta; e de dia e de noite serão atormentados PARA TODO O SEMPRE.
    Portanto, creio que os homens serão punidos conforme as suas obras, ou seja, faz sentido a punição para os homens não ser eterna, contudo para o diabo, a besta e o falso profeta, Apocalipse 20:10, não deixa dúvidas, é enfático, serão atormentados para todo o sempre. Em Ap 22, 18-19 diz o seguinte: “ Eu, a todo aquele que ouve as palavras da profecia deste livro, testifico: Se alguém lhes fizer qualquer acréscimo, Deus lhe acrescentará os flagelos escritos neste livro; e se alguém tirar qualquer cousa das palavras do livro desta profecia, Deus tirará a sua parte da árvore da vida, da cidade santa das cousas que se acham escritas neste livro”.

    Um grande abraço



    • Manassés em 29 de maio de 2017 12:00

      O significado da expressão “castigo eterno” na Bíblia

      Certa vez li no livro “Porque Creio”, do Dr. D. James Kennedy, na pág. 56[ Subtítulo do livro: “Porque Creio no Inferno”.], um de seus “argumentos” a favor da existência do inferno. Ele fez um comentário sobre a palavra grega para “eterno” – aion – que me deixou intrigado (perguntei-me: como um doutor em teologia pode afirmar uma “barbaridade” dessa?). Veja o que ele disse:

      “A palavra hebraica usada no Velho Testamento para eterno é olam, com seus derivados e cognatos. No Novo Testamento, a palavra paralela é o vocábulo grego aionios, e todos os seus derivados cognatos, derivados de aeí, que significa sempre. Um autor declara que todas as palavras usadas no grego e no hebraico, para se referir à eternidade de Deus e à eternidade das bênçãos dos redimidos no Céu são usadas também para descrever a eternidade dos sofrimentos dos perdidos no inferno (MUNSEY, William Elber – Eternal Retribution. Murfreesboro, TN, Sword of Lord Publishers, 1951, p. 65.). Se a punição do ímpio fosse limitada ao tempo, então chegaria também o dia em que Deus seria extinto, pois os mesmos termos são usados. Se esses termos não descrevem a eternidade, então não existe no grego ou no hebraico uma palavra que significa eternidade – e isso é impossível. Usou-se toda palavra que poderia ser usada para significar eternidade”.

      A seguir, você terá uma série de comentários eruditos a respeito do uso do termo “castigo (ou fogo) eterno” nas Escrituras. Antes, gostaria de destacar que é importante entendermos que expressões e termos bíblicos, escritos em idiomas diferentes (grego, hebraico e aramaico), não devem ser entendidos à luz dos dicionários da língua portuguesa. Precisam ser estudados levando-se em conta o significado que têm nas respectivas línguas originais (neste caso, idiomas da Bíblia). E, terá razões suficientes para desconsiderar o comentário acima feito pelo Dr. James Kennedy.

      “As palavras que se traduzem por “eterno” e “todo o sempre” não significam necessariamente que nunca terão fim. No Novo Testamento, vêm do grego aion, ou do adjetivo aionios. É impossível forçar estes radicais gregos a significarem sempre um período que não tem fim. A palavra aionios, traduzida como “eterno”, “para sempre”, significa literalmente “perdurando por um século”.[ “Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia”, vol. V, pág. 512.]

      Comentando o texto de Filemom 15, afirma o estudioso evangélico H. G. Moule:

      “O adjetivo aionios tende a marcar a duração enquanto a natureza da matéria o permite. E no uso geral tem íntima relação com as coisas espirituais”. ‘Para sempre’ neste verso (Filemon 15) significa permanência de restauração tanto natural como espiritual. Ligado, porém, a Deus significa eterno, para sempre. Também ligado á “vida” que provém de Deus, significa uma vida de duração sem fim”.[Arnaldo B. Christianini, “Sutilizas do Erro” , pág.270 (2a Edição. Casa Publicadora Brasileira).]

      “No grego, a duração de aionios deve sempre se determinar com relação à natureza da pessoa ou coisa a qual se aplica. Por exemplo, no caso de Tibério César, o adjetivo aionios descreve um período de 23 anos, desde sua ascensão ao trono até sua morte”.[ “Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia”, pág. 513.]

      “No Novo Testamento, a palavra aionios se emprega para descrever tanto o fim dos ímpios como o futuro dos justos. Seguindo o princípio já enunciado de que a duração de aionios deve determinar-se pela natureza da pessoa ou coisa a qual se aplica, se deduz que o galardão dos justos é uma vida sem fim, enquanto que a retribuição dos ímpios é morte que não tem fim (João 3: 16; Romanos 6: 23; etc.). Em João 3: 16 se estabelece o contraste entre a vida eterna e perecer. Em 2 Tessalonicenses 1:9 se diz que os ímpios sofrerão “pena de eterna perdição”. Esta frase não descreve um processo que seguirá para sempre senão um ato cujos resultados serão permanentes”[ Ibidem.].

      “O castigo pelo pecado é infligido por meio do fogo (Mateus 18: 8; 25: 41). Que esse fogo seja aionios, “eterno”, não significa que não terá fim. Isto fica claro ao considerar Judas 7. Evidentemente, o ‘fogo eterno’ que destruiu a Sodoma e Gomorra ardeu por um tempo e depois se apagou (tais cidades não estado queimando até hoje!). Em outras passagens Bíblicas, se faz referência ao “fogo que nunca se apagará” (Mateus 3: 12), o qual significa que não se extinguirá até que haja queimado os últimos vestígios do pecado e dos pecadores”[ Ibidem.].
      A Bíblia diz que Sodoma e Gomorra estão postas como exemplo de “fogo eterno”. Quando analisamos 2 Pedro 2:6 percebemos que tais cidades más foram “reduzidas a cinzas”, o que significa que o tipo de castigo dos ímpios nos últimos dias será o mesmo de Sodoma e Gomorra: queimarão e serão reduzidos a cinzas.
      Assim, o significado de aionios (e seus derivados) como uma existência infinita (no caso de referir-se a Deus e à Sua natureza, por exemplo) “não é derivada da expressão em si, mas da expressão com que está associada.” [ Comentário Sobre o Apocalipse do Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia (Instituto Adventista de Ensino, 1979), pág. 271.].
      “51 vezes no Novo Testamento aionios se aplica à eterna alegria dos redimidos, o que, é claro, não possui limitação de tempo. Pelo menos 70 vezes na Bíblia, essa palavra qualifica objetos de uma natureza limitada e temporária; assim, indica apenas uma duração indeterminada. Quando lemos que Deus é “eterno”, isso é verdadeiramente eterno, como entendemos o termo. Quando lemos que as montanhas são “perpétuas”, significa que duram tanto quanto é possível durar uma montanha. A Bíblia, frequentemente, usa aion, aionios e seus derivados hebraicos (olam, em suas várias formas) para falar de coisas que findam. O aspergir do sangue na Páscoa era uma “ordem eterna”. (Êxodo 12:24), assim como o sacerdócio de Arão (Êxodo 29:9; 40:15; Levíticos 3:17), a herança de Calebe (Josué 14:9), o templo de Salomão (I Reis 8:12, 13); o tempo de vida de um escravo (Deuteronômio 15:17) e a lepra de Naamã (2 Reis 5:27). Essas coisas não duraram “para sempre” de acordo com nossa concepção da palavra. Elas duram além da visão daqueles que as ouviram pela primeira vez sendo chamadas “eternas”, e depois disso nenhum tempo limite foi estipulado. Aionios fala sobre o tempo ilimitado, dentro dos limites determinados para aquilo que modifica”[ Henry Feyerabend, “Um Evangelista Responde as 101 Perguntas Mais Frequentes”, pág. 96.].
      Portanto, podemos concluir que a expressão “fogo eterno” na linguagem Bíblica não quer dizer um “período sem fim”. O fogo ou castigo será eterno nas consequências[ Esse é o sentido de Mateus 25:46.], nos resultados (a pessoa nunca mais será ressuscitada) e não na duração do castigo!
      “O Castigo é eterno quanto foi a destruição de Sodoma, mas o ato de punir não continua, perpetuando assim o pecado e o sofrimento”[ Idem, pág. 97.].
      Se o estado de punição continuasse para “todo o sempre” no sentido de eternidade, não poderiam estar na Bíblia passagens como a de Apocalipse 21:4 (e outras), que menciona que não mais haverá o pecado e o sofrimento, pois, se o “tormento” fosse “eterno”, os maus continuariam blasfemando contra Deus no “inferno” (blasfemar contra Deus é pecado) e sofreriam as dores do fogo para sempre (o sofrimento não teria um fim). Haveria uma grande incoerência nas Escrituras. Graças a Deus que não é assim!
      Mesmo que alguns teólogos confundam a mente das pessoas, a Bíblia tem textos claríssimos de que aion pode se referir a um curto período de tempo. Como exemplo há o caso de Davi. A Bíblia afirma que ele seria rei de Israel eternamente (“para sempre”). E a mesma Escritura Sagrada diz que Davi morreu e que reinou sobre Israel 40 anos. (1 Reis 2:10 e 11; 1 Crônicas 29:27 e 28). Paulo também disse que Davi “adormeceu” (Atos 13:36). Perceba que o termo “eternamente” ou “para sempre” nesse verso simplesmente refere-se a um período de 40 anos, tempo em que Davi reinou.
      Os comentaristas que creem no tormento eterno deveriam avaliar esses versos bíblicos que mostram a curta duração de tempo (em alguns casos) no significado de aion. Devemos usar toda a Escritura (Isaías 28:10) para chegarmos a uma conclusão correta sobre uma doutrina. Infelizmente, tal coisa não é feita por muitos irmãos. Mas, creio que Deus dará a eles toda a instrução para que não permaneçam no mesmo equívoco. Caberá a cada um aceitar.
      A vida eterna dos justos não exige um sofrimento eterno para os ímpios, “assim como pastos verdes não exigem vacas verdes” (Pastor Mark Finley).
      Sinta à vontade para manter contato.

      Um abraço,

      Leandro Soares de Quadros
      Consultor e conselheiro
      Jornalista



      • William Rezende em 3 de junho de 2017 12:02

        Obrigado pela resposta. Acima de tudo devemos apregoar o amor de Deus Pai, através do seu filho amado Jesus Cristo. Penso ser um equívoco tentar atrair as pessoas aplicando-lhes a doutrina do medo do inferno. Devemos atraí-las pelas promessas da vida eterna, de gozo e alegria, sem dor, sem sofrimento, sem escassez, sem lágimas, que só é possível através de Cristo. Um forte abraço