Meditação do dia 18/01/17

tumblr_lr9ddvoYh11qjfmbxo1_500_large
 

Versículo por versículo
18 de janeiro

Bendito és Tu, Senhor; ensina-me os Teus preceitos. Salmo 119:12

O estudante da Bíblia deve ser ensinado a aproximar-se dela com um espírito de aprendiz. Devemos pesquisar suas páginas, não em busca de provas para manter nossas opiniões, mas com o objetivo de saber o que Deus diz.

Um verdadeiro conhecimento da Bíblia só pode ser obtido pelo auxílio daquele Espírito pelo qual a Palavra foi dada. E, a fim de obter esse conhecimento, devemos viver de acordo com ele. Temos de obedecer a tudo que a Palavra de Deus ordena. Podemos reivindicar tudo que ela promete. A vida que ela reco­menda é a que, pelo seu poder, devemos viver. Somente quando a Bíblia é consi­derada dessa maneira é que ela pode ser estudada de modo eficaz.

O estudo da Bíblia exige o mais dedicado esforço e a perseverante medita­ção. Com o mesmo empenho e persistência com que o mineiro cava para obter o dourado tesouro da terra, devemos procurar o tesouro da Palavra de Deus.

No estudo diário, o método de estudar versículo por versículo é, muitas vezes, o mais eficaz. Que o estudante escolha um versículo e se concentre em desco­brir o pensamento que Deus colocou ali para ele e, então, reflita sobre esse pen­samento até que se torne seu também. Uma passagem estudada assim, até que seu significado esteja claro, é de mais valor do que o manuseio de muitos capítu­los sem nenhum propósito definido e sem nenhuma instrução evidente obtida.

Uma das principais causas de ineficiência mental e fraqueza moral é a falta de concentração para fins dignos. Nós nos orgulhamos da vasta difusão da litera­tura; mas a multiplicação de livros, até os que em si mesmos não são nocivos, pode ser um mal. Com a imensa quantidade de material atualmente publicado, adul­tos e jovens formam o hábito da leitura apressada e superficial, e a mente perde a capacidade para um pensamento contínuo e vigoroso. Além disso, a imensa quantidade de revistas e livros que, assim como as rãs do Egito, estão se espa­lhando pela Terra não é algo simplesmente banal, inútil e debilitante, mas impuro e degradante. Seu efeito não consiste simplesmente em envenenar e arruinar o pensamento, mas também em corromper e destruir a alma. O espírito e o cora­ção indolentes e sem objetivos são presas fáceis do mal. É nos organismos doen­tios e sem vida que cresce o fungo. A mente ociosa é oficina de Satanás. Que a mente seja dirigida para os elevados e santos ideais. Que a vida tenha um obje­tivo nobre, um propósito cativante, e, assim, quase não sobrará espaço para o mal (Educação, p. 189, 190).

Comente