Ações de compaixão marcam segundo dia de campori em Curitiba

Por Willian Vieira, com informações de Jéssica Guidolin e Paulo Ribeiro

Bradley Mills, diretor da ADRA Amazonas, contou experiências da atuação junto às comunidades ribeirinhas, aventura que começou ao trocar os Estados Unidos pelo voluntariado no Amazonas.

Além dele, o empreendedor social Fábio Silva esteve entre os destaques da manhã. Em sua abordagem, apresentou projetos contínuos de transformação da sociedade, reforçando que levar o amor de Deus por meio do amor não é algo que tem prazo de validade.

“Muitas vezes, nós até queremos fazer ações, mas queremos voltar para a nossa própria vida. Como se as ações tivessem data agendada. Lembre-se, você não veio aqui só pra ouvir um monte de palestras ou para encontrar um(a) namorado(a). Você veio aqui para que nos espalhemos o que experimentamos aqui e digamos que o Reino de Deus chegou”, enfatiza.

Após as explanações, o ponto mais marcante da manhã tratou do testemunho de José Henrique, jovem de 20 anos que, por conta de uma bala perdida, ficou paraplégico quando ainda tinha 18 anos. Para amenizar o problema do jovem, a igreja presenteou o jovem com uma cadeira de rodas mais nova e moderna do que a que ele utilizava e ainda levou melhorias a sua casa para beneficiar a acessibilidade.

Após um indivíduo que estava na plateia ficar comovido e oferecer ajuda em dinheiro para ajudar o jovem, milhares de jovens resolveram ir até a frente e oferecer recursos próprios em benefício de Henrique. A ocasião inspirou ainda mais os participantes nas ações programadas para o período da tarde, quando centenas de carros e ônibus saíram do parque em direção a comunidades carentes de Curitiba e cidades vizinhas pré-definidas pela organização.

Nestes locais, os jovens ofereceram cestas básicas, itens de higiene pessoal e também passaram horas com os moradores oferecendo atenção, abraços e orações. A novidade do campori urbano, como tem sido chamado nas transmissões ao vivo, tem chamado a atenção dos participantes e de pessoas contempladas pela mobilização.

“Nós queremos mostrar para a juventude adventista que é possível, sim, desenvolver ações em qualquer lugar, seja numa cidade pequena ou grande e que cristianismo não apenas estar em uma igreja sentado num banco, mas sim, impactar a sociedade e ir atrás das pessoas”, reforça o pastor Elmar Borges, líder do departamento da Igreja Adventista do Sétimo Dia que atende os jovens.

Na parte musical, o Art’Trio, da Gravadora Novo Tempo, interpretou canções de seus trabalhos mais antigos e recentes, como o clássico “Adorai” e a canção “O Filho do Homem”.

A programação segue com transmissão ao vivo, na íntegra, por meio da página oficial do evento no Facebook, assim como na página Adventistas Sul. As principais fotos e vídeos vinculados ao evento também tem sido publicados nestes canais e no perfil do Instagram @FortesUSB.

Comente