doe agora Jornalismo Jornalismo

Edson Fachin autoriza inquérito para investigar ministros


O relator da operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, ministro Edson Fachin autorizou a abertura de diversos inquéritos para investigar ministros, parlamentares e políticos que foram citados na delação da Odebrecht.

A relação dos nomes está disponível no site do STF e aponta nove ministros do governo de Michel Temer, 29 senadores e 42 deputados federais.

As investigações contra esses políticos e autoridades vão tramitar no supremo, por conta do foro privilegiado que essas pessoas têm, mas ainda há uma segunda lista, que foi enviada a outros tribunais, e nessa lista, há os nomes dos ex-presidentes Lula, Dilma e Fernando Henrique Cardoso.

A lista foi divulgada terça-feira (11) à noite pelo site do jornal ‘O Estado de São Paulo’ enquanto os parlamentares estavam no congresso nacional. Os deputados tentariam pela terceira vez votar a ajuda financeira aos estados que estão com as contas no vermelho. Os deputados tentam fazer a votação desde o ano passado.

Depois da divulgação da gigante lista do Fachin, o congresso ficou totalmente vazio. De fato, os pedidos de inquérito afetam diretamente tanto base governista quanto oposição.

O PMDB, no senado, e o PT, na câmara, são os partidos com o maior número de congressistas que são alvos de inquéritos. Dos 29 senadores que passam a ser investigados, nove são do PMDB. Na câmara dos deputados, o Partido dos Trabalhadores tem o maior número de representantes: 11 deputados. O PSDB é o segundo partido com o maior número de senadores alvos de inquéritos na Lava Jato.

O presidente do partido, Aécio Neves, é alvo do maior número de inquéritos, com cinco investigações. O psdebista é um dos principais nomes da legenda para as eleições de 2018.

Você está em: Notícias

Compartilhe:


Comente