doe agora TV TV
INÉDITO:
  • TER-QUI22:00
REPRISES:
  • DOM10:30
  • QUA03:30
  • QUI00:30
  • SEX09:30
  • SAB09:00
  • SAB20:00

Comente



  • Fernanda Cristina em 12 de setembro de 2017 16:52

    Louvado seja Deus…!
    Olá irmãos,Sou Fernanda,era assembleiana e vou me rebatizar dia 16.Este vídeo me ajudou muito.
    Maravilhoso,de maneira que só vindo de Deus.
    Obrigada.Deus abençoe.



  • SERGIO em 29 de março de 2016 19:33

    Ezequias quanto ao seu comentario no dia 05 de outubro de 2015 as 22:32 gostaria de GENTILMENTE convida-lo a observar o teor das palavras tecidas no seu comentário (NÃO SOU ADVENTISTA, SOU MEMBRO DA ASSEMBLÉIA) e gostaria de convida-lo a exercitar o AMOR dentro do seu comentário a cerca da doutrina adventista ou mesmo do ponto de vista do Pastor Ivan. Afinal podemos possuir TODOS os dons, se assim o espírito de Deus quiser, mas se não tivermos amor………….. bem… vc já sabe, te convido COM TODO RESPEITO a exercitarmos na esfera democrática e liberdade cristã. um teor de palavras de cunho mais respeitoso. Jesus quando foi batizado o espirito desceu sobre ele como pomba, e nao existe em lugar algum na palavra jesus falando em linguas, Ainda assim ele fora batizado com o Espirito Santo. Sabe irmão querido…. vemos muito mas muuito em parte. Que o Senhor CONTINUE lhe abençoando e cobrindo sua vida com a eterna misericordia.



  • EDMILSON em 14 de dezembro de 2015 16:53

    eu sou de uma igreja que se dia ser pentecostal, mais pergunto ezequiel mim mostre na bíblia quantas vezes JESUS CRISTO falou em línguas? e em atos dois (2) se vc for ler e observar realmente aqueles homens falavam línguas estrangeiras e tal que todos que estavam ali entendiam eles em suas próprias línguas,



  • ezequias em 5 de outubro de 2015 22:32

    éh cada coisa, só pelos argumentos da para entender que é adventista. é um povo fraco! somos pentecostais a igreja que mais cresce. agora vem com argumentos fracos e distorcidos. . . Deixa de ser hipócrita e estude a palavra de Deus. pare de vim com argumentos e ensinamentos padrões da sua seita. já passou pela sua cabeça que vc pode estar errado. só pela suas respostas da para ver que vc ñ tem um explicação lógica.mais imposta! “Quem fala línguas não falam aos homens, mas a Deus” VÊ SE CABE NA SUA CABEÇA! quer dizer então quando eu for batizado ñ vou falar na língua dos anjos? quando os discípulos foram batizados muitos acharam que eles estavam loucos,ou bêbados falavam em línguas que ninguém entendiam.mas só Deus sabe! então quando for batizado de acordo com os seus ensinamentos vou falar em outro idioma? será que dá para escolher? gostaria de falar inglês.além do cursinho ser muito caro da trabalho p/ aprender rsrs. . . risos eterno!!! rá rá rá . . .



    • Ailto Santana em 8 de outubro de 2015 11:36

      Estimado irmão em Cristo Ezequias! Leia com atenção o irmão tem certeza que Atos 2 eram linguas de anjos? Por que não é isso está escrito na Bíblia não! “E todos pasmavam e se maravilhavam, dizendo uns aos outros: Pois quê! não são galileus todos esses homens que estão falando? Como, pois, os ouvimos, cada um, na nossa própria língua em que somos nascidos? Partos e medos, elamitas e os que habitam na Mesopotâmia, Judéia, Capadócia, Ponto e Asia,E Frígia e Panfília, Egito e partes da Líbia, junto a Cirene, e forasteiros romanos, tanto judeus como prosélitos, Cretenses e árabes, todos nós temos ouvido em nossas próprias línguas falar das grandezas de Deus.”
      Atos 2:7-11



  • hiago proenca em 1 de setembro de 2015 22:33

    Muito bom presico encontrar ese dvd



    • Ailto Santana em 2 de setembro de 2015 9:26

      Olá Hiago! O jeito mais rápido de lhe atender é você fazer o cadastro no Blog http://www.novotempo.com/estaescrito Ali estão todas as informações (Nome completo e endereço com CEP) que necessitamos para lhe enviar o seu DVD RESPOSTAS.



  • Israel Maia em 28 de abril de 2015 23:42

    A falta de sabedoria e entendimento espiritual levam as pessoas interpretar a Bíblia, e ensinar o erro. A Bíblia e’ a revelação de Deus para nós. Jesus disse as Palavras que vos falo e’ Espirito e vida.
    Quem fala línguas não falam aos homens, mas a Deus, pois e’ linguagem de oração. Paulo disse: Orarei com o espirito e também com o entendimento.1 Coríntios capítulos 12 e 14. Quando o véu for tirado poderão ver.



    • Idely - Instrutora Bíblica e Conselheira em 2 de maio de 2015 19:15

      Olá! Querido amigo e irmão ISRAEL, agradecemos o seu contato. Veja, segundo a Bíblia, o dom de línguas é a capacidade de falar outra língua conhecida, em outro idioma (esse é o significado do termo grego para “língua”) com o objetivo de anunciar a boa notícia e salvação por meio de Cristo.
      Mateus 28:19, 20 diz que devemos “ensinar as pessoas a guardarem todas as coisas…” Observe que, para ensinar, é indispensável conhecer a língua falada do estrangeiro. “A manifestação do Espírito é concedida a cada um visando a um fim proveitoso.” 1 Coríntios 12:7. Concluímos, obviamente, que o falar em língua deve ter uma utilidade; deve ser, ao menos, inteligível. Lembrando: que tenha um propósito evangelístico.
      Aguardaremos seu retorno, conte sempre conosco, que Deus te abençoe muito, um grande abraço dos seus amigos do Está Escrito.



  • Lara em 25 de abril de 2015 22:32

    Ola boa noite gostaria de saber se quem e batizado no espirito santo sempre fala em linguas estranhas?ou n pq sou batizada sinto a uncao e n sinto q falo em linguas



    • Idely - Instrutora Bíblica e Conselheira em 29 de abril de 2015 9:55

      Olá querida amiga LARA, segundo a Bíblia, o dom de línguas é a capacidade de falar outra língua conhecida, em outro idioma (esse é o significado do termo grego para “língua”) com o objetivo de anunciar a boa notícia e salvação por meio de Cristo.
      Mateus 28:19, 20 diz que devemos “ensinar as pessoas a guardarem todas as coisas…” Observe que, para ensinar, é indispensável conhecer a língua falada do estrangeiro. “A manifestação do Espírito é concedida a cada um visando a um fim proveitoso.” 1 Coríntios 12:7. Concluímos, obviamente, que o falar em língua deve ter uma utilidade; deve ser, ao menos, inteligível. Lembrando: que tenha um propósito evangelístico.

      Gostaríamos de estudar a Palavra de Deus contigo por e-mail, seria uma alegria enorme para nós, você aceitaria? Estaremos aguardando seu retorno, conte sempre conosco, que Deus abençoe muito a sua vida, um grande abraço dos seus amigos do Está Escrito.



  • juninho em 21 de abril de 2015 11:54

    eu queria saber a respeito da passagem da biblia que quem fala em linguas fala com Deus..

    Porque o que fala em língua desconhecida não fala aos homens, senão a Deus; porque ninguém o entende, e em espírito fala mistérios.

    1 Coríntios 14:2



    • Idely - Instrutora Bíblica e Conselheira em 26 de abril de 2015 5:48

      Olá! Querido amigo JUNINHO, que alegria poder conversar contigo, desejamos muito poder estudar contigo a Palavra do Senhor e se aprofundar mais neste tema, o que acha? Veja, o dom de línguas dos apóstolos era permanente, não somente falavam com correção de línguas que lhes foram concedidas, mas o dom também lhes permitia falar sua própria língua com uma correção não vista antes do Pentecostes.

      Nem todos os pretensos dons de língua são de origem divina. O verdadeiro dom de línguas é concedido pelo Espírito Santo não para a exaltação pessoal do indivíduo, mas para suprir uma necessidade. O recebimento desse dom leva a pessoa a falar em uma genuína língua de nação, até então desconhecida para ela, sempre com um propósito evangelístico.

      Diga-nos o que achou, conte sempre conosco. Lembre-se Deus te ama muito e deseja fazer parte da sua vida sempre, amém?
      Um grande abraço com alegria, seus amigos do Está Escrito.



  • Gabi em 27 de março de 2015 4:14

    Olá!!
    Estou cm uma grande dúvida a respeito do batismo com o espírito santo. Sou da igreja batista então não é habito nosso essa manifestação. Mas me deparei com um estudo que inicia com o livro de Atos 1.5e6 que é uma ordem de Jesus aos discípulos para que não se ausentem de Jerusalém, pois dentro de poucos dias eles seriam batizados com o espírito santo. E logo em seguida em Atos 2 a partir do verso 1a4, relata então que de fato eles receberam o que Jesus lhes havia dito, o espírito santo desceu sobre eles onde falaram outros idiomas. Isso me levou a crer que de fato trata-se do batismo no espírito santo.
    Obs. Sei que o dom de línguas não se trata da língua dos anjos nem tampouco língua do espírito, mas sim meramente línguas de outros países que tem o objetivo de evangelização. Minha dúvida é apenas quanto ao cumprimento do que Jesus havia lhes falado que dentro de poucos dias seriam batizados com espírito santo e isso aconteceu e foi manifestado com línguas que não eram a deles.
    Me ajudem pois estou meio desesperada sem compreender isso.
    Paz à todos!!!



    • Idely - Instrutora Bíblica e Conselheira em 2 de abril de 2015 15:58

      Olá querida amiga GABI, o batismo com o Espírito Santo está relacionado com o batismo nas águas. Quando somos sepultados nas águas batismais, de forma simbólica estamos sepultando nossa natureza pecaminosa, morrendo para o mundo e ressurgindo para uma nova vida com Cristo. Quando somos batizados pelo Espírito Santo, simbolicamente somos mergulhados no “tanque das virtudes de Cristo” e ressurgimos para vivermos não mais controlados pela natureza carnal, mas pela natureza espiritual (Romanos 8).
      Ao recebermos essa nova natureza, somos batizados pelo Espírito Santo e, a partir daí, começamos a produzir o fruto do Espírito que é um “cacho” formado por nove qualidades lindas de caráter “Mas o Espírito de Deus produz o amor, a alegria, a paz, a paciência, a delicadeza, a bondade, a fidelidade, a humildade e o domínio próprio…” Gálatas 5:22-23. Tais qualidades fazem parte do crescimento contínuo do cristão, como resultado da sua comunhão diária com Cristo e se tornam a maior evidência de que foi batizado pelo Espírito Santo.

      Graças a Deus que a nossa salvação não depende de curas nem de milagres, mas sim da pessoa de Jesus (Atos 4:12) e do batismo e selamento que recebemos do Espírito Santo!
      Nos últimos dias da história do mundo, Deus utilizará mais um selo para identificar os adoradores fiéis dEle (Apocalipse 7:3, 4): a observância do Sábado (leia atentamente Ezequiel 20:12, 20). Aqueles que são batizados com o Espírito Santo e que decidirem ser fiéis aos mandamentos de Deus (Êxodo 20; Mateus 7:21-23; Apocalipse 14:12), aceitarão conscientemente o sábado como verdadeiro dia de guarda e não aceitarão a marca da besta (observância de um falso dia de guarda – Apocalipse 13).

      Vamos aguardar seu retorno, que Deus te abençoe sempre! Um grande abraço seus amigos do Está Escrito.



  • Fernanda Oliveira em 22 de março de 2015 23:13

    A pessoa pode falar em linguas e interpretar sem passar nas aguas dentro da obra e pode colocar a mao em um presbitero e falar pro diabo sair?



    • Idely - Instrutora Bíblica e Conselheira em 25 de março de 2015 23:07

      Olá querida amiga FERNANDA, veja para identificar o verdadeiro dom de línguas, é necessário compreender primeiro o ensino bíblico sobre os dons espirituais.
      Em 1ª Coríntios 12:1-11, Paulo esclarece que “os dons são diversos, mas o Espírito é o mesmo” (verso 4); que eles são distribuídos pelo Espírito “como lhe apraz” (verso 11); e que eles são sempre concedidos “visando a um fim proveitoso” (verso 7).
      Esse fim pode ser “a edificação do corpo de Cristo” (Efésios 4:12) ou a capacitação dos cristãos para a proclamação do evangelho (Atos 1:8).

      Nem todos os pretensos dons de língua são de origem divina. O verdadeiro dom de línguas é concedido pelo Espírito Santo não para a exaltação pessoal do indivíduo, mas para suprir uma necessidade. O recebimento desse dom leva a pessoa a falar em uma genuína LÍNGUA DE NAÇÃO, até então desconhecida para ela, sempre com um propósito evangelístico.
      Aguardaremos seu retorno, conte sempre conosco, que Deus te abençoe muito, um grande abraço dos seus amigos do EE.



  • maria em 28 de fevereiro de 2015 9:21

    Ele dá conforme quer. Conforme Ele quer… Não sei se é a prova do batismo ou não. Mas o orar em línguas não vem apenas do nosso querer, nunca busquei como um objetivo de batismo, mas aconteceu: como explicas?,Como julgar se uma pessoa que recebe esse
    dom, é obediente ou não, Se busca a DEUS ou não, quem pode julgar? Deus conhece o coração de cada um.



    • Idely - Instrutora Bíblica e Conselheira em 1 de março de 2015 9:28

      Olá querida amiga MARIA, que alegria receber seu comentário em nosso blog, agradecemos muito.
      Veja, segundo a Bíblia, o dom de línguas é a capacidade de falar outra língua conhecida, em outro idioma (esse é o significado do termo grego para “língua”) com o objetivo de anunciar a boa notícia e salvação por meio de Cristo.
      Mateus 28:19, 20 diz que devemos “ensinar as pessoas a guardarem todas as coisas…” Observe que, para ensinar, é indispensável conhecer a língua falada do estrangeiro. “A manifestação do Espírito é concedida a cada um visando a um fim proveitoso.” 1 Coríntios 12:7. Concluímos, obviamente, que o falar em língua deve ter uma utilidade; deve ser, ao menos, inteligível. Lembrando: que tenha um propósito evangelístico.
      Saiba que pode contar sempre, vamos aguardar sua opinião a respeito. Que Deus te abençoe sempre, um grande abraço seus amigos do EE



  • Leopoldina em 25 de fevereiro de 2015 12:50

    Não consigo falar em linguas em oração no grupo o qual faço parte. Estava incomodada e busquei e os encontrei amém agora posso falar para as demais o meu entendimento da palavra a qual me sentindo na inguinorancia estando convicta da palavra amém



    • Idely - Instrutora Bíblica e Conselheira em 1 de março de 2015 8:04

      Olá querida amiga LEOPOLDINA, que alegria receber seu comentário em nosso blog.
      Veja, segundo a Bíblia, o dom de línguas é a capacidade de falar outra língua conhecida, em outro idioma (esse é o significado do termo grego para “língua”) com o objetivo de anunciar a boa notícia e salvação por meio de Cristo.
      Mateus 28:19, 20 diz que devemos “ensinar as pessoas a guardarem todas as coisas…” Observe que, para ensinar, é indispensável conhecer a língua falada do estrangeiro. “A manifestação do Espírito é concedida a cada um visando a um fim proveitoso.” 1 Coríntios 12:7. Concluímos, obviamente, que o falar em língua deve ter uma utilidade; deve ser, ao menos, inteligível. Lembrando: que tenha um propósito evangelístico.
      Esta experiência autêntica aconteceu com os discípulos por ocasião do Pentecostes.
      Conte sempre conosco, que Deus te abençoe sempre. Um grande abraço seus amigos do Está Escrito.



  • gilberto em 24 de fevereiro de 2015 13:16

    E pessoa que não e batizada nas águas, ela recebe o batismo do espirito santo e fala em línguas.??



  • Eder em 8 de fevereiro de 2015 0:09

    Graça e paz irmãos.
    O dom de línguas NÃO é a prova do batismo do Espírito Santo. Porque há uma variedade de dons de Deus e o dom de línguas é apenas um deles. Os frutos do Espírito Santo podemos observar em Gálatas 5:22



  • Bárbara em 3 de fevereiro de 2015 2:34

    Paz, tudo que disse sobre línguas estranhas, não compreendidas não serem um dom concedido pelo Espírito Santo foi falta de pesquisa e conhecimento da palavras. Sugiro que leia I Coríntios 14:2.



    • Ailto Santana em 3 de fevereiro de 2015 14:54

      Olá Bárbara!Graça e Paz. Bem então vamos ver o que está escrito em 1ª Coríntios 14:2 Pois quem fala em outra língua não fala a homens, senão a Deus, visto que ninguém o entende, e em espírito fala mistérios.
      1) Línguas estranhas ou outras línguas?

      a. A palavra estranha não aprece no original Grego. É por isso que em algumas traduções esta palavra aparece em letras diferentes (ou itálicos) na bíblia. É um acréscimo daquilo que o tradutor achou que seria.
      b. Paulo não diz que a língua era desconhecida, logo, então, as línguas referidas eram idiomas estrangeiros em uso por nações, mas desconhecidas aos membros da igreja de Corinto.
      c. É erro deduzir que a frase línguas estranhas seria uma língua especial que estaria nascendo em Primeiro como já vimos este termo não aparece no original, e segundo uma vez que o dom já havia sido chamado de variedades de línguas? (I Coríntios 12:10)

      2) Falam de Mistérios? Significado bíblico da expressão “MISTÉRIO”

      PONTO IMPORTANTE: Não são as línguas que são misteriosas, mas sim, elas falam de mistérios.
      Sendo que a bíblia deve ser a sua própria intérprete (I Pedro 1:21), o que ela diz serem estes mistérios? São os segredos ou verdades do plano da salvação, os quais estavam ocultos, e com Cristo, foram sendo esclarecidos e revelados.

      EXEMPLOS:

      1 coríntios 2:7 mas falamos a sabedoria de Deus em mistério, outrora oculta, a qual Deus preordenou desde a eternidade para a nossa glória;…
      12 Ora, nós não temos recebido o espírito do mundo, e sim o Espírito que vem de Deus, para que conheçamos o que por Deus nos foi dado gratuitamente.
      13 Disto também falamos, não em palavras ensinadas pela sabedoria humana, mas ensinadas pelo Espírito, conferindo coisas espirituais com espirituais.

      • Paulo usa o termo “mistério” para resumir todo o plano da salvação que antes estava oculto, mas com o Espírito de Deus este mistério seria revelado.

      I coríntios 4:1 Assim, pois, importa que os homens nos considerem como ministros de Cristo e despenseiros dos mistérios de Deus.

      • A pregação cristã dos apóstolos é apresentada como um mistério.

      Efésios 6:

      18 com toda oração e súplica, orando em todo tempo no Espírito e para isto vigiando com toda perseverança e súplica por todos os santos
      19 e também por mim; para que me seja dada, no abrir da minha boca, a palavra, para, com intrepidez, fazer conhecido o mistério do evangelho,

      • Paulo pede oração aos Efésios para que ele fosse capaz de tornar conhecido o mistério do evangelho com coragem.

      • Outros e exemplos; Rom 16:25; Efésios 1:9; Mateus 13:11…

      3) Ninguém no mundo entende, unicamente Deus?

      • Esta é uma frase mal compreendida pela maioria dos pentecostais e carismáticos, e onde eles se ancoram, afirmando que é só Deus que entende o dom de línguas deles também.
      • Com isto, porém, eles estão criando uma arma contra eles próprios, pelos seguintes motivos:

      a. Se ninguém entende senão unicamente Deus, para que então os esforços de tantos pentecostais querendo provar que ali e acolá, a língua que falam foi entendida?

      b. Se ninguém entende, mas ninguém mesmo, além de Deus, como podem eles harmonizar isto com seu argumento de que o dom de línguas é a capacidade de falar a “língua dos anjos,” se única e exclusivamente Deus é quem entende, então os anjos também não compreendem.

      4) O verdadeiro sentido da frase “ninguém” entende?

      a. É engano interpretar a clausula ninguém entende, em um sentido geral, pois fazer assim, seria contradizer Atos 2: 5-12, onde refere-se que cada um entendia em sua própria língua.

      b. Esse ninguém entende não poderia ser todos os seres do universo, por que ninguém era capaz de falar para todo mundo ao mesmo tempo. E de fato Paulo não estava querendo dizer isso. Ele se referia à igreja de Corinto, ou seja, na igreja de Corinto, ninguém entende.

      c. Era o falar em línguas sem tradução que preocupava Paulo, pois já que não era conhecida, não edificava. (I coríntios 4:12-13)

      d. O próprio Paulo interpretou de maneira bem clara esse verso um pouco mais adiante, através dos versos 26-28:
      26 Que fazer, pois, irmãos? Quando vos reunis, um tem salmo, outro, doutrina, este traz revelação, aquele, outra língua, e ainda outro, interpretação. Seja tudo feito para edificação.
      27 No caso de alguém falar em outra língua, que não sejam mais do que dois ou quando muito três, e isto sucessivamente, e haja quem interprete.
      28 Mas, não havendo intérprete, fique calado na igreja, falando consigo mesmo e com Deus.

      e. Com base nesses verso, podemos agora interpretar corretamente I Coríntios 14:2, da seguinte maneira:

      Por que quem fala língua desconhecida (dos presente e não do intérprete) não fala (ou não deve pôr a falar) aos homens (presentes) senão a Deus (em oração); por que (sendo uma língua desconhecida dos presentes) ninguém o entende, e em espírito fala de mistérios (isto é, das coisas ocultas que Deus revelou).



  • irene em 8 de janeiro de 2015 1:37

    Eu sou evangélica já fiz encontro reencontro fiz estudo bíblico estou em comunhão com Deus mas até agora n fui batizada pelo o Espírito Santo n sei Oq eu fasso e que mais eu quero mais que seja a vontade do Senhor Amém



    • Idely - Instrutora Bíblica e Conselheira em 9 de janeiro de 2015 10:58

      Olá querida amiga IRENE, agradecemos muito o seu contato conosco aqui no blog.
      É maravilhoso saber que tem essa comunhão com Deus, continue firme em Cristo Jesus.
      Irmã você já é batizada? Pois a cerimônia batismal é um todo, uma unidade. É na ação toda que o Espírito é concedido.
      O batismo é sempre batismo na água e no Espírito Santo. Amém!
      Estaremos sempre a sua disposição, nos diga a sua opinião a respeito, saiba que tem novos amigos com quem poderá contar, que Deus guie cada passo que der, um grande abraço dos amigos do EE.



  • Ana em 31 de dezembro de 2014 13:30

    O que significa fogo do Espírito Santo. ?



    • Roberto- Instrutor Bíblico e Conselheiro em 1 de janeiro de 2015 7:53

      Interessante questão querida irmã ANA, o batismo pelo fogo do Espírito é uma linguagem simbólica que, segundo alguns estudiosos, representa o fervor que toma posse do cristão que tem uma vida controlada pela Terceira Pessoa da Trindade. Assim como o fogo aquece e purifica, nós somos purificados e aquecidos pela comunhão com o Espírito Santo e, como resultado, andamos “em novidade de vida” (Romanos 6:4), ou seja, empolgados e felizes pelo que Cristo fez, faz e continuará fazendo por nós.
      Gostaríamos de estudar a Palavra de Deus contigo, seria uma alegria enorme para nós, você aceitaria? Estaremos aguardando seu retorno, conte sempre conosco, que Deus abençoe muito a sua vida, um grande abraço dos seus amigos do EE.



  • Caroline em 11 de dezembro de 2014 14:06

    Só ainda uma dúvida…

    Quanto à 1 Coríntios 13:1, que diz “Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine.”

    Aqui parece haver distinção entre a língua dos homens e a dos anjos. Então será que as línguas estranhas que os pentecostais dizem existir, não seria essa línguas dos anjos, e os diferentes idiomas terrenos, a dos homens?

    Desde já, agradeço. Deus abençoe!



    • Roberto- Instrutor Bíblico e Conselheiro em 12 de dezembro de 2014 7:25

      Olá querida irmã CAROLINE, 1 Coríntios 13 é conhecido como o capítulo do amor. Algumas traduções mais antigas trazem a palavra “caridade”. Ocorre que “caridade”, hoje, significa “dar esmolas”, por isso essa tradução não serve mais. O termo para amor, aqui empregado, é agape.
      Depois de ensinar a respeito dos dons espirituais em 1 Coríntios 12, Paulo declara: “E eu passo a mostrar-vos ainda um caminho sobremodo excelente” (v. 31). Esta é uma sentença de transição. Embora os dons espirituais sejam absolutamente essenciais à igreja, o caminho sobremodo excelente para sua utilização é o amor. Assim, o amor é apresentado, neste texto, não como um dom, mas como um caminho. Alguns coríntios achavam que os possuidores de certos dons eram pessoas extremamente importantes. Mas Paulo afirma que, mesmo que eles tivessem os mais altos dons, e ao máximo, se lhes faltasse amor, não só seriam insignificantes, mas, na verdade, seriam nada (1Co 13:1-2). Podemos ter sucesso, obter bons resultados, ser admirados, apreciados e aplaudidos, mas, sob o ponto de vista de Deus e da eternidade, se nos faltar amor, nada somos. Seremos apenas uma versão moderna do profeta Jonas. Jamais um pregador teve um sucesso imediato tão grande como Jonas. Toda uma grande cidade se converteu. E, contudo, Jonas não amava nenhuma daquelas pessoas. Sua aparente obediência e seu sucesso não brotaram do amor (Jn 3:4–4:3).

      Paulo ainda diz: “E ainda que eu distribua todos os meus bens entre os pobres e ainda que entregue o meu próprio corpo para ser queimado, se não tiver amor, nada disso me aproveitará” (1Co 13:3). Estes dois atos de sacrifício pessoal parecem se aproximar muito do amor prático mais puro e altruísta. Mas “é possível fazer coisas boas para os outros sem os amar, fazer o bem movido por outro motivo que não seja o amor”.5 Pode haver generosidade sem amor. Autodoação sem amor, que busca o louvor, é autopromoção. A pessoa pode dar mais do que as suas propriedades: pode dar a própria vida. Podemos entregar-nos completamente a um ideal, sem contudo fazê-lo por amor. “Dar o próprio corpo por amor é um ato heroico. Mas dar o próprio corpo por amor próprio é um ato de egoísmo”.6 Tais sacrifícios sem amor se perdem. Se o amor é tão necessário, precisamos saber o que ele é. Os versos 4 a 7 retratam o que o amor é, o que o amor não é, e o que o amor é capaz de realizar. Paulo usa verbos que estão todos no presente contínuo, indicando ações e atitudes que se tornam habituais, gradualmente incorporadas através de repetição.

      O amor é paciente, tolerante, tardio em irar-se, longânimo. É benigno. Benignidade é parte do fruto do Espírito. É cortesia, gentileza, doçura de temperamento. O amor não arde em ciúmes ou inveja. “O amor não se aborrece com o sucesso dos outros”.7 Não se ufana. Não se vangloria. Não se gaba de suas virtudes, conhecimento e realizações. Não se ensoberbece. “Há muitas maneiras de se mostrar orgulho, e o amor é incompatível com todas elas. O amor se preocupa em doar-se, e não em afirmar-se”.8 O amor é humilde. Mas não confunda humildade com pobreza, ignorância ou timidez. Aprenda a ser humilde com Jesus. Ele disse: “Vinde… e aprendei de Mim, que sou manso e humilde de coração” (Mt 11:29).

      O amor não se conduz inconvenientemente, com arrogância, com soberba. Não se porta de modo vergonhoso, desonroso, indecente. O amor não é rude porque isso fere os outros. Não se porta com grosseria (BLH). O amor tem uma delicadeza que não deseja ferir. Quando percebemos que nosso comportamento ou nossas atitudes estão prejudicando ou magoando alguém, o amor nos impele a eliminar essas trevas internas através da graça do Senhor. O amor não procura seus interesses, antes emprega a renúncia própria. “Insiste no bem-estar dos outros e não na afirmação de interesses próprios”9 (ver 1Co 10:24). O amor não se exaspera, não é mesquinho. Não é difícil conviver com ele. Não irrita nem provoca os outros. “Não torna a vida dos que o rodeiam miserável, por ter um temperamento nervoso”.10 Não tem má vontade, não é explosivo nem brigão; não se ressente do mal. O amor não imputa o mal. Não acumula ódio dos outros nem guarda queixas. “Quem ama não… guarda mágoas” (BLH).

      Se realmente amarmos alguém com o amor do Senhor, veremos muito mais sua força e seu potencial, em lugar de seus defeitos e fraquezas. Quando ele fizer alguma coisa, irritando-nos, seremos capazes de tratá-lo dentro do contexto do que ele é em Cristo, em vez de aumentar o que aconteceu, a ponto de monopolizar nossa atenção. A palavra “ressentir-se” significa manter sob registro. Assim, o amor não mantém o registro das coisas ditas ou feitas contra nós. Ele perdoa.

      O amor não se alegra com a injustiça, mas se regozija com a verdade. “O amor não se alegra com o mal de nenhuma espécie”.11 Não apoia a injustiça fora ou dentro da igreja. Nem é indiferente quanto a ela.

      Não chama o errado de correto. Quando você for tentado a ser omisso diante de uma injustiça, por medo de “ser queimado”, lembre que “um barco está a salvo em um cais, mas não foi para isso que os barcos foram feitos”. Tome posição contra a injustiça, da maneira certa, no momento certo, no lugar certo, diante da pessoa certa. Também há o perigo de nos alegrarmos não com o que é bom e verdadeiro, mas com o que é obscuro e sórdido.

      Alguns encontram um falso alívio quando veem os outros fracassando e caindo. Mas o amor anseia ver os outros em pé, crescendo e se entristece quando outra pessoa é derrotada. Alegra-se com os que se alegram e chora com os que choram. Não se entrega a fofocas e cobre uma multidão de pecados. O amor tudo sofre, tudo suporta. Como disse a Madre Tereza de Calcutá: “O amor dói”. “O amor não recua facilmente; aguenta”.12 Não com paciência resignada, mas com fortaleza positiva. Não se deixa vencer. Ele sobrevive à tristeza, à decepção, à crueldade, à indiferença. Continua avançando. Jamais vacila e não desiste.
      O amor tudo crê, tudo espera. “Tem uma atitude de confiança para com os outros… Ele prefere crer nas boas intenções dos outros… prefere ser generoso demais a ser desconfiado demais”.13 Leva em conta as circunstâncias e vê nos outros o melhor. O amor retém sua fé. “Está sempre disposto a conceder o benefício da dúvida”.14

      Recusa-se a aceitar o fracasso como final.15 Todo fracasso é apenas uma derrota temporária. Com confiança, ele olha para a vitória final pela graça de Deus. No meio de toda a maldade, ele sabe esperar, por causa das promessas de Deus. O amor, esse amor acima descrito, jamais acaba. Aconteça o que acontecer, suportamos firmes porque em tudo há um propósito: Deus está esculpindo em nós a imagem de Seu Filho.

      Alguém sugeriu que lêssemos 1 Coríntios 13:4-7 retirando a palavra amor e em seu lugar colocando o nome de Jesus. Leia desse modo. O que você acha? Perfeito! Jesus é a personificação do amor. Agora, leia de novo o mesmo texto e coloque nele seu nome. E então? Esse é o sonho de Jesus para a sua vida. Se você consentir, Ele operará de tal modo em seu coração que um dia você poderá ler este texto, sozinho, e dizer para si mesmo: “Como eu era tão diferente do que aqui está retratado; mas agora, já estou bem parecido”.

      Ao introduzir o tema do amor, Paulo o chama de caminho excelente (1Co 12:31). Agora, ao encerrar, ele faz o apelo para seguirmos nesse caminho: “Segui o amor” (1Co 14:1). A ideia é a de ir após, com persistência. Indica uma ação que nunca termina. Seguir o caminho do amor é seguir a natureza do próprio Deus. Nunca devemos cessar de fazer do amor a obra de nossa vida.

      Também devemos lembrar que esse amor precisa ser recebido e que ele só é dado aos que se entregam a Deus16. Através de Seu Espírito, que é a fonte dos dons e também a fonte do amor (Rm 5:5), Ele ajuda o homem a demonstrar pelo próximo o mesmo tipo de amor que Ele demonstrou para todos os homens.

      Esperamos que você analise este assunto com oração e tome a firme decisão de agradar a Deus em todas as coisas. Deus é bom e tudo o que Ele nos pede é para o nosso bem, conte sempre conosco, um grande abraço dos amigos do Está Escrito.



  • lucia em 28 de novembro de 2014 18:27

    existi o batismo de dons de línguas…



    • Idely - Instrutora Bíblica e Conselheira em 1 de dezembro de 2014 6:36

      Olá querida amiga LUCIA, nem todos os pretensos dons de língua são de origem divina. O verdadeiro dom de línguas é concedido pelo Espírito Santo não para a exaltação pessoal do indivíduo, mas para suprir uma necessidade. O recebimento desse dom leva a pessoa a falar em uma genuína língua de nação, até então desconhecida para ela, sempre com um propósito evangelístico.
      Conte sempre conosco, que Deus te abençoe sempre.
      Um grande abraço, seus amigos do Está Escrito.



  • Elison Keese em 21 de novembro de 2014 15:04

    Sim ou não? 1 Coríntios 13:8-12, Paulo diz-nos que o Senhor lhe tinha revelado que estes dons cessariam um dia.



  • Lucas em 20 de novembro de 2014 1:04

    Gostei da resposta, mas bem no fundo, falou-se bastante e não vi nada sobre a verdadeira questão que foi levantada: 1 Co 14.2. Pode ser que eu não tenha percebido… Nisso, peço desculpas. Mas, alguém pode explicar de uma forma simples e bíblica o que, caldas d’água, significaria 1 Co 14.2? Pois Paulo faz distintas a língua dos anjos, ou seja, as línguas “estranhas”…

    Sobre o seguinte comentário:

    “Os pentecostais dizem que o dom de línguas é uma “prova” perante a igreja de que determinado irmão foi “batizado” com o Espírito Santo. Neste caso, o dom seria um sinal para os crentes, o que está totalmente em desarmonia com o que Paulo afirma no verso 22.”,

    sou levado a concluir que sua dedução está incorreta. Como tenho interesse em saber a VERDADE, conversei com pentecostais, que me disseram o seguinte: “As línguas estranhas são a evidência do batismo com/no Espírito Santo e são um sinal para os incrédulos. Pois, ao perceberem que não são capazes de entender (nem estudando todos os idiomas do mundo) o que aquele que fala em línguas quer dizer, será levado a concluir que precisa de “algo mais” para conquistar tal entendimento – o inspirador de tais línguas. Isso faz sentido, pois Paulo diz que aqueles que falam em línguas seriam taxados de loucos (1 Co 14.23). Por que razão alguém atribuiria a um provável bilíngue ou poliglota tal título? Em suma, Rm 8.26 expressa que o Espírito Santo, o nosso hóspede bendito (1 Co 3.16; Ez 36.27), intercede ao Pai em nosso favor, com gemidos INEXPRIMÍVEIS. Falar em línguas edifica aquele que fala (quando não há interprete) pois o Espírito Santo ora a Deus através de nós[…]”.

    Ainda, quanto ao comentário

    “Fica bem claro que o dom de línguas apenas foi utilizado para a pregação do evangelho, visto que não haveria tempo para que aprendesse outro idioma…”,

    não me parece lógico… Por que não haveria tempo? Passados quase 2 mil anos ainda estamos pregando. Não consigo ver a bíblia deixando margem para suposições… Para Paulo, a atualidade dos dons espirituais é real, tanto quanto é hoje… A diferença é que poucos buscam… A maioria prefere ouvir falar que o fulano ou sicrano são profetas, mas não se empenham em evidenciar na sua vida a poderosa presença de Deus.

    Quanto à

    “No caso do dom de línguas, a condição para que ele seja útil é que possa ser COMPREENDIDO (1Co 14:6-11). Para a evangelização e edificação é necessário que os “sons” sejam compreensíveis. Isso deixa totalmente de fora as “línguas estranhas” que vemos nos movimentos pentecostais e carismáticos da atualidade.”,

    Paulo declara que a utilidade existe e é para quem FALA. Veja: “porque o que fala em língua estranha não fala aos homens, senão a Deus; porque ninguém o entende, e em espírito fala mistérios. O que fala em língua estranha edifica-se a si mesmo, mas o que profetiza edifica a igreja. E eu quero que todos vós faleis em línguas…” (1 Co 14.2,4,5a). Se fosse inútil, não precisaria existir tal dom. E claro que a evidência está para o dom de profecia, pois “sem profecia, o povo se corrompe (Pv 29.18). No entanto, está implícito, pelo desejo de Paulo de que todos falem em línguas, que não se pode edificar a IGREJA se o CRENTE não está ‘edificado’.

    Dito isto, o que Paulo está tentado dizer, se supostamente as línguas estranhas se limitam a idiomas da terra?

    Antes de me despedir, quero parabenizar a Novo Tempo pelo empenho em transmitir a Palavra da Verdade através deste site e de cursos gratuitos. Tenho vários cursos já! E nunca me canso de estudar as Sagradas Escrituras, pois nelas encontramos a vida eterna.

    Que a Paz de Cristo esteja com todos nós!



    • Roberto- Instrutor Bíblico e Conselheiro em 23 de novembro de 2014 6:34

      Olá querido irmão e amigo LUKAS, ficamos muito felizes com seu retorno e por poder continuar conversando contigo sobre este assunto.

      Com relação a língua dos anjos assista este vídeo que irá te ajudar bastante no esclarecimento deste assunto, acesse https://www.youtube.com/watch?v=KWKtcSZTeO0

      O batismo com o Espírito Santo está relacionado com o batismo nas águas. Quando somos sepultados nas águas batismais, de forma simbólica estamos sepultando nossa natureza pecaminosa, morrendo para o mundo e ressurgindo para uma nova vida com Cristo. Quando somos batizados pelo Espírito Santo, simbolicamente somos mergulhados no “tanque das virtudes de Cristo” e ressurgimos para vivermos não mais controlados pela natureza carnal, mas pela natureza espiritual (Romanos 8).
      Ao recebermos essa nova natureza, somos batizados pelo Espírito Santo e, a partir daí, começamos a produzir o fruto do Espírito que é um “cacho” formado por nove qualidades lindas de caráter “Mas o Espírito de Deus produz o amor, a alegria, a paz, a paciência, a delicadeza, a bondade, a fidelidade, a humildade e o domínio próprio…” Gálatas 5:22-23.
      Tais qualidades fazem parte do crescimento contínuo do cristão, como resultado da sua comunhão diária com Cristo e se tornam a maior evidência de que foi batizado pelo Espírito Santo.
      Perceba que no batismo de Jesus, o Espírito Santo surgiu exatamente para nos mostrar isso.

      Em Romanos 8:26 este termo “gemidos inexpressíveis”, aparece somente aqui e em Atos 7: 34. O verbo stenázÇ, “gemer” emprega-se para descrever os suspiros do Jesus quando curou ao surdo-mudo (Mar. 7: 34), e também para descrever os sentimentos internos de
      desejo do cristão que anseia o dia da redenção (ROM. 8: 23).
      Não está relacionado a falar em línguas estranhas.

      Sobre quando foi dito que não haveria tempo para saber outro idioma, estávamos nos referindo ao Pentecostes quando em pouco tempo eles deveriam pregar para pessoas de várias partes do mundo e caso não houvesse este dom, jamais conseguiriam pregar e alcançar tanta gente que acabou sendo batizada.

      Assista mais este vídeo que explica sobre o dom de línguas, acesse https://www.youtube.com/watch?v=rlYOp9kuB6o

      Vamos aguardar seu retorno e opinião, olhemos confiantes para o futuro, para aquele glorioso dia em que veremos nosso Salvador face a face. Este é o maior objetivo de Deus para você e sua família, conte sempre conosco um grande abraço dos seus amigos do Está Escrito.



      • Lucas em 30 de novembro de 2014 1:25

        Olá, Rogério – Instrutor! Desculpe pela demora… E já gostaria de informar que, como utilizo a internet do celular (que é bem ruim…), não tenho como assistir os 2 vídeos sugeridos… Desculpe…
        No entanto, algumas dúvidas permanecem. Veja:

        Quanto à

        “Perceba que no batismo de Jesus, o Espírito Santo surgiu exatamente para nos mostrar isso”,

        sendo que o Batismo com o Espírito Santo, em semelhança ao batismo nas águas, significa um ‘mergulho no “tanque das virtudes de Cristo”’, isso parece estranho ao conceito que Paulo tenta demonstrar em Ef 5.18, quando faz uma comparação aos bêbados. Ninguém fica bêbado tomando um copinho hoje, outro amanha, outro depois de amanha… Só se fica bêbado quando extravasa-se em uma mesma ocasião. Certo? Devo “encher a cara” para ficar bêbado… Logo, isso não parece combinar com um “melhoramento gradual”, tal como foi proposto. Neste sentido, a bíblia também parece mostrar uma clara distinção entre TER o Espírito Santo e estar CHEIO do Espírito Santo.
        Como isto se explica?

        Quanto à

        “Em Romanos 8:26 este termo “gemidos inexpressíveis”, aparece somente aqui e em Atos 7: 34. O verbo stenázÇ, “gemer” emprega-se para descrever os suspiros do Jesus quando curou ao surdo-mudo (Mar. 7: 34), e também para descrever os sentimentos internos de
        desejo do cristão que anseia o dia da redenção (ROM. 8: 23).
        Não está relacionado a falar em línguas estranhas”,

        Concordamos que o termo “gemer” aparece em certas circunstâncias. Mas, “inexprimíveis” aparece unicamente em Rm 8.26. Como fica isto? Levando em conta este detalhe, junto ao fato de que “novas línguas”, em Mc 16.17, significa “novas em forma, estrutura”, isto implica obrigatoriamente em uma língua nova no sentido literal da palavra: nova, nova mesmo! Se novas línguas fosse um idioma desconhecido apenas para o “falante”, a palavra grega utilizada seria “neos”.

        Quanto à uma colocação da minha primeira pergunta, como fica o verso 14 de 1 Co 14? Se o idioma é conhecido pelo que fala, por que Paulo diz que a própria mente fica infrutífera?

        O que eu devo concluir quando olho para At 10.44-46? Como todos estavam ouvindo o sermão, é óbvio que todos estavam entendendo. No entanto, por que passaram a falar em novas línguas quando o Espírito Santo veio sobre eles? Eles nem pregaram depois disso! Qual seria a “moral”, se estas línguas são idiomas estrangeiros? A mesma situação acontece em At 19.6…

        Até o momento, a ideia de que essas tais línguas, realmente, são 100% desconhecidas, tanto por quem ouve quanto por quem as fala…

        Aguardo por novas respostas!
        E desculpe pela demora… É que eu estava sem créditos no celular…

        Desde já, grato! Abraço!
        Que a Graça e a Paz esteja conosco.



        • Roberto- Instrutor Bíblico e Conselheiro em 4 de dezembro de 2014 6:52

          Olá querido irmão LUCAS, no Novo Testamento, a evidência do recebimento do Espírito não reside no fenômeno extático exterior, passível de enganosa imitação, mas na conversão do homem a Jesus Cristo, com seus respectivos frutos (Gálatas 5:22-26).

          Quando ocorreu o dom de línguas no NT ele era como um sinal dentre outros. Este dom não veio como conseqüência de uma busca determinada, mas como surpresa (Atos 10:45). O dom não era esperado, exigido nem procurado, como fazem os pentecostais hoje.

          Nosso máximo exemplo – Jesus – em nenhum momento do Seu ministério falou em “línguas estranhas” para provar que era cheio do Espírito.

          O verdadeiro “sinal” da plenitude do Espírito na vida do crente é:
          Atos 2:42-47; 4:32-37 – Desprendimento, amor, comunhão, zelo pela obra do Senhor.
          Romanos 5:5-6 – Amor a Deus e a Seus filhos
          1João 5:2-3 – Obediência

          Deus já havia concedido a Pedro uma revelação sobre o preconceito religioso que ainda estava presente no coração dos judeus, inclusive dele próprio (Atos 10:9-16, 28).

          Após receber a visita de pessoas enviadas por Cornélio, Pedro vai ter com ele, porém leva “alguns irmãos”, para servirem de testemunha da conversão do militar gentio (v. 23).
          Ao chegarem lá, Pedro compreende o significado da visão sobre o lençol, pois ele percebeu que a mensagem do evangelho deveria alcançar todas as pessoas, de todas as nações, independentemente de raças (vv. 28 e 34).

          Após Pedro pregar sobre Jesus e confirmar a conversão do centurião, o Espírito desce sobre os que ouviam o apóstolo, deixando os discípulos judeus “admirados” (v. 44-45), pois viam Cornélio e outros falando em línguas, “engrandecendo a Deus” (v. 46). Imediatamente eles reconheceram que ali estavam pessoas féis a Deus, e concluíram a festa com o batismo de Cornélio nas águas.

          O dom de línguas aqui serviu para quebrar o preconceito que os judeus tinham sobre a aceitação de gentios no Reino de Deus. Tanto é assim, que a Igreja da Judéia ficou querendo mais informações sobre o ocorrido (Atos 11:1-18), e Pedro teve a oportunidade de testemunhar do que ele havia visto com seus próprios olhos.

          Como militar romano, Cornélio também poderia usar o dom de falar em outros idiomas para difundir a mensagem do evangelho em suas viagens pelo Império.

          Em Coríntios, a língua não era “estranha”, mas um dom legítimo que precisava ser orientado.

          O que é um dom espiritual? – Capacitação natural, dada por Deus aos salvos, para um objetivo útil da Igreja.
          O que é um talento? – Capacitação natural, recebida por herança ou adquirida por treinamento, podendo ser usado dentro ou fora da Igreja.

          Os dons SEMPRE são concedidos pelo Espírito com um fim “proveitoso” para a Igreja (1Co 12:7; 1Co 14:12, 19). Portanto, o objetivo principal da concessão do dom é EDIFICAR, INSTRUIR e ORIENTAR a Igreja de Deus (Efésios 4:11-13).

          No caso do dom de línguas, a condição para que ele seja útil é que possa ser COMPREENDIDO (1Co 14:6-11). Para a evangelização e edificação é necessário que os “sons” sejam compreensíveis. Isso deixa totalmente de fora as “línguas estranhas” que vemos nos movimentos pentecostais e carismáticos da atualidade.

          Como é dito que, embora o que fala em línguas não seja entendido por ninguém, mas é dito que o que fala em outra língua se edifica a si mesmo, e que só pode haver edificação se houver entendimento, conclui-se que o que fala em línguas, fala uma língua estrangeira, porque os que falam as “línguas estranhas” atuais dizem sempre que não sabem o que estão falando. Já que o que fala se edifica (1Co 14:1-4), e portanto entende o que fala, então ele certamente fala em um idioma estrangeiro.

          O que ocorre em 1Co 14 é o mesmo dom de Atos 2. O que estava havendo de errado era a desordem com que acontecia o dom, e a irreverência que isto causava ao culto. Por isso Paulo orienta a organização do dom (vv. 26-33, 39-40).

          Os pentecostais dizem que o dom de línguas é uma “prova” perante a igreja de que determinado irmão foi “batizado” com o Espírito Santo. Neste caso, o dom seria um sinal para os crentes, o que está totalmente em desarmonia com o que Paulo afirma no verso 22.

          Paulo também estava interessado em desvincular o culto cristão com o culto à deusa Cibele, que era realizado em Corinto, e que era caracterizado por grandes demonstrações de êxtase e transes.

          ESTUDO DO TERMO GREGO USADO PARA “LÍNGUAS”

          O estudo de uma palavra no seu original bíblico pode nos ajudar a esclarecer algumas dúvidas.
          A palavra grega utilizada para “línguas” é GLOSSA (de onde vem glossário, glossolalia, etc.). Em inúmeras passagens do Novo Testamento, esta palavra (ou suas variações) SEMPRE está vinculada ao idioma falado pelas pessoas e nações.

          Vejamos alguns dos versículos onde esta palavra ocorre:

          Lucas 1:64; Atos 10:46; 1Ped. 3:10; Atos 2:26; Atos 19:6; Apoc. 13:7;
          Rom. 14:11; Rom. 3:13; Apoc. 14:6; 16:10; Filip. 2:11; 1Cor. 12:10, 28, 30; 1Jo 3:18; Tiago 3:5-6; 1Cor. 13:1; Marcos 7:33, 35; Atos 2:3-4; 1Cor. 14:5-6; 1Cor. 14:9; 1Cor. 13:8; 1Cor. 14:18, 23, 39; Apoc. 5:9; 1Cor. 14:22; Apoc. 10:11; Apoc. 7:9; 11:9; Apoc. 17:15; Lucas 16:24; Atos 2:4, 11; Marcos 16:17; 1Cor. 14:2, 4, 13-14, 19, 26-27; Tiago 1:26; 3:8.

          Observe, especialmente, os que estão em destaque.

          Não restam dúvidas, CONFORME O TEXTO BÍBLICO, de que o dom de línguas é uma manifestação sobrenatural para o crente falar em OUTRO IDIOMA ESTRANGEIRO, diferente do seu, para o qual ele não teve qualquer treinamento, com o ÚNICO objetivo de fazer avançar a pregação do evangelho, levando a Igreja de Deus a ser edificada e reconhecida.

          Portanto, o dom bíblico não tem NADA parecido com as manifestações emocionais e confusas que são observadas em algumas igrejas.

          Busque sempre Jesus em oração, converse com Ele, conte-Lhe as suas lutas e tristezas. Tenha certeza que sua oração será respondida, porque “O Senhor está longe dos perversos mas atende a oração dos justos” Prov. 15:29, conte sempre conosco um grande abraço dos seus amigos do Está Escrito.



  • Lui Fernando em 6 de novembro de 2014 17:07

    Boa tarde,
    Assisti ao video e gosto muito da pregação porem não concordo com o ponto de vista do apresentador,
    não tenho muito conhecimento da biblia, começei a seguir os caminhos do Senhor a pouco tempo, mas acho que devem analisar novamente sobre o
    assunto.O que ocorreu em atos dos apóstolos 2.2 não é o mesmo que ocorreu em 1 Coríntios 14.

    em atos 2.2 ocorreu a confirmação do batismo no espirito santo atravez do don de linguas,antes do dia de pentecoste podemos
    notar que dos 9 dons 7 já haviam sido usado pelos profetas e apostolos, com o dia de pentecoste surgiram os 2 ultimos dons o de
    linguas e de interpretação de linguas.Nesse ocasião relamente o nosso Senhor usou o momente para que fosse usado a linguas dos homem para
    que todos podesem entender e louvar a grandeza do Senhor, e nessa ocasião era a linhas dos homem.

    Já em 1 Coríntios 14 é falar em mistérios com Deus na linguas dos anjos, fato isso que o apostolo Paulo ora em linguas estranhas para
    edificação de si mesmo.

    O apresentador disse que o don de lingua não edifica a si mesmo, porem olhe:
    1 Coríntios 14.4 O que fala em linguas desconhecida edifica-se a si mesmo, mas o que profetiza edifica a igreja.

    Estou estudando a respeito dos dons e buscando ao Senhor, ainda tenho muitas duvidas, e estou a disposição para ouvir , obrigado



    • Roberto- Instrutor Bíblico e Conselheiro em 10 de novembro de 2014 6:32

      Olá querido irmão, tudo bem?

      Para entendermos bem o dom de línguas, precisamos compreender aonde aconteceu pela primeira vez este dom.
      Pentecostes era uma festa judaica que acontecia 50 dias após a Páscoa, por ocasião desta festa, iam pessoas de vários lugares, de vários idiomas, então os vários pregadores recebiam um dom do Espírito Santo para poderem pregar em outros idiomas para que todos compreendessem a Palavra de Deus, a grande chave da questão é que o Espírito Santo agia para que falasse num idioma em que as pessoas entendessem, por exemplo:
      Suponhamos hoje um pregador brasileiro que vai pregar nos Estados Unidos, seria necessário o dom de línguas?
      Não, porque se usaria um tradutor e pronto, porém na época não existia este tipo de coisa era necessário que o Espírito Santo agisse pra proporcionar este dom.
      O dom de línguas foi dado aos discípulos capacitando a falar outros idiomas pois não haveria tempo para aprender outro idioma.
      Muitas pessoas que receberam o Espírito Santo não falaram em línguas, como:
      Os samaritanos-Atos 8:15 a 17.
      João Batista- Lucas 1:15.
      Virgem Maria – Lucas 1:35.
      Jesus Cristo que faz parte da trindade, Deus Pai, Filho e Espírito Santo, nunca falou em línguas estranhas, todas mensagens que Jesus passava todos compreendiam.
      O Espírito Santo atua:
      No silêncio absoluto- Habacuque 2:20
      Sem confusão- I Coríntios 14:33
      Com decência e ordem- I Coríntios 14:40
      Sem gritaria- Efésios 4:30,31
      Na Bíblia encontra-se 4 listas de dons espirituais:
      Em I Coríntios 12: 8 a 10 aparece em penúltimo a variedade de línguas, idiomas.
      Em I Coríntios 12:28 aparece em último o dom de línguas.
      Em Efésios 4:11 e Romanos 12: 6 a 8 nem aparece na lista.
      Dom de línguas teve como única intenção a pregação do evangelho para o entendimento do idioma, numa época muitas pessoas reunidas em Corinto, de vários idiomas e os pregadores não falavam tantas línguas para o entendimento de todos.
      Há muitos que dizem que quem não fala em línguas não recebeu ainda o Espírito Santo, porém o que diz em Efésios 1:13 é completamente diferente, que diz que a partir do momento que cremos em Jesus seremos selados pelo Espírito Santo e não a partir do momento que se fala em línguas estranhas.
      Um texto que esclarece muito como é o dom de línguas, quer dizer que era apenas uma forma de falar em outros idiomas, por isso o alerta:
      “Assim vós, se com a língua não disserdes palavras compreensíveis, como se entenderá o que dizeis? Porque estaríeis como se falásseis ao ar” (ler também 1 Coríntios 14: 18, 19, 23).
      Fica bem claro que o dom de línguas apenas foi utilizado para a pregação do evangelho, visto que não haveria tempo para que aprendesse outro idioma e não falar ao vento coisas que ninguém as compreende.
      Em Coríntios, a língua não era “estranha”, mas um dom legítimo que precisava ser orientado.

      O que é um dom espiritual? – Capacitação natural, dada por Deus aos salvos, para um objetivo útil da Igreja.
      O que é um talento? – Capacitação natural, recebida por herança ou adquirida por treinamento, podendo ser usado dentro ou fora da Igreja.

      Os dons SEMPRE são concedidos pelo Espírito com um fim “proveitoso” para a Igreja (1Co 12:7; 1Co 14:12, 19). Portanto, o objetivo principal da concessão do dom é EDIFICAR, INSTRUIR e ORIENTAR a Igreja de Deus (Efésios 4:11-13).

      No caso do dom de línguas, a condição para que ele seja útil é que possa ser COMPREENDIDO (1Co 14:6-11). Para a evangelização e edificação é necessário que os “sons” sejam compreensíveis. Isso deixa totalmente de fora as “línguas estranhas” que vemos nos movimentos pentecostais e carismáticos da atualidade.

      Como é dito que, embora o que fala em línguas não seja entendido por ninguém, mas é dito que o que fala em outra língua se edifica a si mesmo, e que só pode haver edificação se houver entendimento, conclui-se que o que fala em línguas, fala uma língua estrangeira, porque os que falam as “línguas estranhas” atuais dizem sempre que não sabem o que estão falando. Já que o que fala se edifica (1Co 14:1-4), e portanto entende o que fala, então ele certamente fala em um idioma estrangeiro.

      O que ocorre em 1Co 14 é o mesmo dom de Atos 2. O que estava havendo de errado era a desordem com que acontecia o dom, e a irreverência que isto causava ao culto. Por isso Paulo orienta a organização do dom (vv. 26-33, 39-40).

      Os pentecostais dizem que o dom de línguas é uma “prova” perante a igreja de que determinado irmão foi “batizado” com o Espírito Santo. Neste caso, o dom seria um sinal para os crentes, o que está totalmente em desarmonia com o que Paulo afirma no verso 22.

      Paulo também estava interessado em desvincular o culto cristão com o culto à deusa Cibele, que era realizado em Corinto, e que era caracterizado por grandes demonstrações de êxtase e transes.

      Deus tem muitas bênçãos reservadas para você, estude a Bíblia e ore diariamente para descobrir cada uma delas, conte sempre conosco um grande abraço dos seus amigos do Está Escrito.



  • ana nANAA em 5 de novembro de 2014 14:20

    Muitas vezes em minhas orações perguntei ao Senhor porque não falava em línguas? Até que um certo dia, ouvi do pastor que o Espírito Santo toca o coração e ficamos em comunhão e choramos. Hoje graças a este estudo sei que falar em línguas, não faz parte do Espírito Santo. Já fui em várias igrejas e vejo pessoas falarem línguas que a igreja não entende, e depois falar a pessoas isso e aquilo …como pode?



  • milton em 3 de novembro de 2014 20:50

    Caro amigo outro o ouvi você dizer que DEUS odeia tanto o pecador quanto ao pecado mas como pode alguém odiar a outrem e dar o seu filho em sacrifício? Não lhe parece um contraceno? Como explicar. a luz da Bíblia esse ódio?



    • Roberto- Instrutor Bíblico e Conselheiro em 7 de novembro de 2014 17:00

      Veja querido irmão MILTON, Deus ama o pecador, perceba que nós erramos a cada instante e mesmo assim Ele nos perdoa não é mesmo? O que Deus não aceita é a pessoa que não se arrepende de seus pecados e continua vivendo de forma equivocada , mesmo assim, Ele jamais desistirá de trazer esta pessoa para mais perto dEle.

      Como mensurar o tamanho deste amor não é mesmo?

      A Bíblia nos orienta a buscar em primeiro lugar o reino de Deus, procure estudar a Bïblia e orar diariamente em sua vida, verá que maravilhosas bênçãos irão ocorrer pois Deus tem planos muito especiais para você, conte sempre conosco um grande abraço dos seus amigos do Está Escrito.



  • MMMM MMMM em 31 de outubro de 2014 19:58

    OLÁ PASTOR IVAN, MEU NOME É MARCELO E SOU DA ASSEMBLÉIA DE DEUS GOSTEI MUITO DESSA SERIE SOBRE O DOM DE LINGUAS.



    • Roberto- Instrutor Bíblico e Conselheiro em 3 de novembro de 2014 7:17

      Deus seja louvado por isso querido irmão, que alegria sabermos que gostou desta série, que Deus te ajude em seu crescimento espiritual para que você viva cada vez mais conforme a vontade dEle para sua vida, conte sempre conosco um grande abraço dos seus amigos do Está Escrito.



  • Marcos antonio em 24 de outubro de 2014 22:43

    Explica para mim ..oque e falar linguas estranha



    • Idely - Instrutora Bíblica e Conselheira em 28 de outubro de 2014 15:09

      Olá querido amigo e irmão MARCOS, o dom de línguas é falar uma língua humana sem ter estudado Atos 2

      Por duas vezes, Lucas nos diz que o povo ouviu o testemunho dos apóstolos a respeito das maravilhosas obras de Deus na própria língua materna deles. Em Atos 10:41-46 os judeus que acompanhavam Pedro entenderam que Cornélio e os membros da casa dele louvaram a Deus através do dom de línguas.
      O dom linguístico dos apóstolos era permanente. Não somente falavam com correção a línguas que lhes permitia falar sua própria língua com uma correção não vista antes do Pentecostes.

      Os que procuram milagres como sinal da orientação divina estão em grave perigo de ser enganados. É declarado na Palavra que o inimigo operará por meio de seus instrumentos que se afastaram da fé, e eles aparentemente realizarão milagres, chegando a fazer descer fogo do céu, à vista dos homens.

      Por meio de prodígios da mentira Satanás enganaria, se possível, os próprios eleitos. Algumas pessoas têm formas de culto que chamam de dons, e dizem que o Senhor os pôs na igreja.

      Ouça sempre a voz do Senhor, Ele fala com você de várias formas e principalmente através da Bíblia, Ele tem vitórias maravilhosas reservadas para você, conte sempre conosco um grande abraço dos seus amigos do Está Escrito.



  • Eliene em 15 de outubro de 2014 14:50

    e quando João Batista fala: Ele vos batizará com Espírito Santo e com fogo, o que ele quis dizer com isso?



    • Ailto Santana em 15 de outubro de 2014 17:23

      Olá Eliene! Grato por sua participação em nosso Blog. O texto de Mateus 3:11 “Eu vos batizo com água, para arrependimento; mas aquele que vem depois de mim e mais poderoso do que eu, cujas sandálias não sou digno de levar. Ele vos batizará com o Espírito Santo e com fogo” – é uma profecia feita por João Batista e que se cumpriu no Pentecostes conforme está escrito em Atos 2:3 “E apareceram, distribuídas entre eles, línguas, como de fogo, e pousou uma sobre cada um deles.” – Portanto, ao acontecer o fato, os discípulos reconheceram que se tratava do cumprimento das palavras de João Batista.



  • Eliene em 15 de outubro de 2014 14:39

    e sobre as línguas dos anjos que Paulo fala em Coríntios 13



    • Ailto Santana em 15 de outubro de 2014 18:04

      Ok Eliene, sobre a citação de Paulo em 1 Coríntios 13:1 – “Ainda que eu fale as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver amor, serei como o bronze que soa ou como o címbalo que retine” – Paulo é muito claro em dizer “ainda que eu fale…” ele não disse que falava. Um outro detalhe, em que língua falam os anjos? Será que é o fenomeno da Glossolalia uma prova de que é a língua dos anjos? Até o dilúvio havia uma única língua. A confusão de línguas foi usada depois da desobediência. Os que estudam linguística e que creem na Bíblia. Afirmam que: Existem línguas nobres e línguas primitivas.
      Os semitas que vieram de Sem surgiram os povos antigos assírios, babilônios, israelitas, elamitas e ebraitas. Falavam línguas facilmente reconhecíveis, com pouca flexão, com fortes encontros consonantais, com sons guturais fortes. Marcas típicas da família de línguas semíticas entre as quais podemos citar: ugarítico, hebraico e o aramaico. Reminiscências destas línguas ainda hoje podem ser observadas na fala dos judeus e dos povos árabes.
      De Jafé surgiram povos que imigraram para a Europa, por exemplo, os descendentes de Gômer. De Javan, originaram-se os gregos; Magogue originou os povos eslavos. Outros imigraram para o vale do Indo, os descendentes de Madai, e lá se miscigenaram com povos já residentes.
      Os jafetitas são hoje conhecidos como caucasianos, é a região que habitavam antes de se espalharem. Falavam línguas bem diferentes das línguas semíticas, línguas com rica flexão nominal e verbal. Destacando-se o sânscrito, uma antiga e bela língua da qual se originaram as línguas que nós falamos, primeiramente o grego e o latim, e depois as chamadas línguas de cultura como o alemão, o inglês, o francês, o espanhol e o português que é chamada de a “última flor do lácio”.
      Um dos seus filhos de Cão que povoou o Egito, ou os descendentes de Canaã que povoaram a palestina, naquele tempo conhecida como terra de Canaã. Falavam línguas silábicas, aglutinantes, como por exemplo, as línguas faladas pelos ameríndios aqui no Brasil, onde sílabas vão sendo aglutinadas para formar palavras e sentenças. É uma língua mais pobre. Com todo o respeito, o que vemos no movimento pentecostal é uma pobreza de palavras, o que fica difícil de aceitar como língua dos anjos.



  • celina pereira alves em 9 de outubro de 2014 11:56

    tenho duvida soubre o batismo do Espirito Santo, sou batizada nas águas,porém no Espirito Santo acredito que não, porque eu não falo em linguas.



    • Idely - Instrutora Bíblica e Conselheira em 12 de outubro de 2014 10:13

      Querida amiga e irmã CELINA, estamos muito felizes pelo seu contato.
      Veja existem três posicionamentos em relação ao momento em que ocorre o batismo com o Espírito Santo: (1) junto com o batismo das águas, (2) depois e (3) antes.
      Nós, adventistas, cremos que o batismo com o Espírito possui uma íntima relação com o batismo nas águas (Atos 10:44-48; Marcos 1:10; 1 Coríntios 12:13 – aqui Paulo identifica o batismo no Espírito Santo com a conversão ou regeneração).

      O crente é selado com o Espírito Santo após ter aceitado a Jesus e ser batizado com o Espírito. Sendo que isso não é evidenciado necessariamente pelo falar em línguas (ler Efésios 1:13), cremos que o batismo no Espírito Santo não tem ligação com o falar em línguas, a menos que haja uma necessidade evangelística (Atos 2:1-13; Atos 10:46 ; 14:44-48; 19:6).
      O propósito evangelístico do dom de línguas (e não de “autopromoção” perante a igreja) é reforçado em 1 Coríntios 14:22 “…as línguas constituem um sinal não para os crentes, mas para os incrédulos; mas a profecia não é para os incrédulos, e sim para os que crêem.”

      Outra evidência de que o batismo com o Espírito Santo não implica obrigatoriamente o falar línguas está no fato de diversas pessoas, mesmo após terem sido batizadas pelo Espírito, nunca terem falado em outros idiomas, entre elas: os samaritanos (Atos 8:17), Maria (Lucas 1:35), Estêvão (Atos 6:5; 7:55), Saul (1 Samuel 10:10), Gideão (Juízes 6:34), Sansão (Juízes 15:14) Zacarias (Lucas 1:67), Bezalel (Êxodo 31:1-3), João Batista e sua mãe (Lucas 1:15 e 41), os sete diáconos (Atos 6:1-7) e o próprio Jesus Cristo (Lucas 3:22). Ninguém duvidaria que essas pessoas, conquanto não falassem em línguas, tivessem sido batizadas pelo Espírito Santo.

      Assista a esse vídeo que o Pr. Ivan Saraiva fala sobre o Dom de Línguas:http://www.youtube.com/watch?v=iYpGvZg8Mbc

      Aceitaria conhecer mais sobre esse assunto? O que acha de estudar conosco a Palavra do Senhor?
      Estaremos sempre a sua disposição, nos diga a sua opinião a respeito, saiba que tem novos amigos com quem poderá contar, que Deus guie cada passo que der, um grande abraço dos amigos do Está Escrito.



  • Adtiele em 11 de setembro de 2014 21:20

    A bíblia diz q quem fala em línguas edifica a si mesmo. Cm eh para evangelizar?



    • Ailto Santana em 12 de setembro de 2014 10:02

      Olá ADRIELE! Grato por sua pergunta é uma excelente oportunidade para crescermos juntos no conhecimento da Palavra de Deus. Bem no Capitulo 14 de 1 Coríntios temos todos os esclarecimentos. O verso citado pela irmã é o verso 4 “O que fala em outra língua a si mesmo se edifica, mas o que profetiza edifica a igreja.” – simples: se não há interpretação a mensagem só edifica a pessoa que falou. Por isso no verso 13 Paulo enfatiza: “Pelo que, o que fala em outra língua deve orar para que possa interpretar” – E veja ainda o verso 22 “De sorte que as línguas constituem um sinal não para os crentes, mas para os incrédulos…” e Paulo conclui no verso 28 “Mas não havendo interprete, que fique calado na igreja, falando consigo mesmo e com Deus.”



  • ilma em 5 de setembro de 2014 23:57

    Eu tinha duvidas sobre o dom de linguas achava muito estranho porque pessoas falam coisas q ninguem entende..



  • lucianollil em 18 de agosto de 2014 7:28

    Gosto de mais traz palavras de comforto e ensinamentos verdadeiros de jesus de nazeré al contrario de inumeras redes de tv que alem de mostrar coisas satanicas ainda incentiva e apoia coisas que nao condiz temos que vigiar



    • Idely - Instrutora Bíblica e Conselheira em 23 de agosto de 2014 9:38

      Querida amiga e irmã LUCIA, como é maravilhoso poder conhecer as verdades que Deus deixou para todos nós não é mesmo? Como está escrito “santifica-os na verdade, a tua palavra é a verdade” João 17:17
      Estar em comunhão com Deus, orar, louvar e estudar as Escrituras Sagradas é o que nos fortalece e nos ajuda a não cair em enganos que o inimigo coloca todos os dias em nossa frente.
      Por saber disso, gostaríamos de te convidar a conhecer mais da verdade. Aceitaria estudar conosco a Bíblia por e-mail?
      Conte sempre conosco, que a paz de Cristo Jesus esteja sempre contigo e toda sua família.
      Um forte abraço, seus amigos do EE



  • sirlene em 25 de junho de 2014 10:48

    Pastor ainda tenho dúvidas com relação ao dom de línguas pois no versículo 2 do capítulo 14 de 1° corintios Paulo diz assim: “Pois quem fala em outra língua não fala a homens, senão a Deus, visto que ninguém o entende, e em espírito fala mistérios.”
    Ora, se não fala a homens dá-se a entender que não se trata de idioma! Já no verso 4 do mesmo capítulo diz: “o que fala em outra língua a si mesmo se edifica. O que dá a entender que o dom de línguas não é para edificação do outro e sim minha!
    Quero deixar claro que não pertenço a igreja pentecostal, mas esta é uma dúvida que me persegue, da qual ainda não consegui chegar a uma conclusão. concordo com tudo que o pastor disse com relação a forma como esse dom é mal interpretado dentro das igrejas mas o s versículos citados me deixam muito confusa!!!!



    • Instrutor e Conselheiro em 29 de junho de 2014 8:49

      Olá querida irmã SIRLENE, ficamos muito felizes em poder conversar contigo sobre este assunto tão importante. Em Coríntios, a língua não era “estranha”, mas um dom legítimo que precisava ser orientado.

      O que é um dom espiritual? – Capacitação natural, dada por Deus aos salvos, para um objetivo útil da Igreja.
      O que é um talento? – Capacitação natural, recebida por herança ou adquirida por treinamento, podendo ser usado dentro ou fora da Igreja.

      Os dons SEMPRE são concedidos pelo Espírito com um fim “proveitoso” para a Igreja (1Co 12:7; 1Co 14:12, 19). Portanto, o objetivo principal da concessão do dom é EDIFICAR, INSTRUIR e ORIENTAR a Igreja de Deus (Efésios 4:11-13).

      No caso do dom de línguas, a condição para que ele seja útil é que possa ser COMPREENDIDO (1Co 14:6-11). Para a evangelização e edificação é necessário que os “sons” sejam compreensíveis. Isso deixa totalmente de fora as “línguas estranhas” que vemos nos movimentos pentecostais e carismáticos da atualidade.

      Como é dito que, embora o que fala em línguas não seja entendido por ninguém, mas é dito que o que fala em outra língua se edifica a si mesmo, e que só pode haver edificação se houver entendimento, conclui-se que o que fala em línguas, fala uma língua estrangeira, porque os que falam as “línguas estranhas” atuais dizem sempre que não sabem o que estão falando. Já que o que fala se edifica (1Co 14:1-4), e portanto entende o que fala, então ele certamente fala em um idioma estrangeiro.

      O que ocorre em 1Co 14 é o mesmo dom de Atos 2. O que estava havendo de errado era a desordem com que acontecia o dom, e a irreverência que isto causava ao culto. Por isso Paulo orienta a organização do dom (vv. 26-33, 39-40).

      Os pentecostais dizem que o dom de línguas é uma “prova” perante a igreja de que determinado irmão foi “batizado” com o Espírito Santo. Neste caso, o dom seria um sinal para os crentes, o que está totalmente em desarmonia com o que Paulo afirma no verso 22.

      Paulo também estava interessado em desvincular o culto cristão com o culto à deusa Cibele, que era realizado em Corinto, e que era caracterizado por grandes demonstrações de êxtase e transes.

      Vejamos alguns pontos importantes sobre este texto:

      1) Línguas estranhas ? O que são?

      a. A palavra estranha não aprece no original Grego. É por isso que em algumas traduções esta palavra aparece em letras diferentes (ou itálicos) na bíblia. É um acréscimo daquilo que o tradutor achou que seria.
      b. Paulo não diz que a língua era desconhecida, logo, então, as línguas referidas eram idiomas estrangeiros em uso por nações, mas desconhecidas aos membros da igreja de Corinto.
      c. É erro deduzir que a frase ?línguas estranhas?, seria uma língua especial que estaria nascendo em Primeiro como já vimos este termo não aparece no original, e segundo uma vez que o dom já havia sido chamado de ?variedades de línguas? (I Coríntios 12:10)

      2) Falam de Mistérios ? Significado bíblico desta expressão.

      PONTO IMPORTANTE: Não são as línguas que são misteriosas, mas sim, elas falam de mistérios.
      Sendo que a bíblia deve ser a sua própria intérprete (I Pedro 1:21), o que ela diz serem estes mistérios? São os segredos ou verdades dom plano da salvação, os quais estavam ocultos, e com Cristo, foram sendo esclarecidos e revelados.

      EXEMPLOS:

      1 coríntios 2:7 mas falamos a sabedoria de Deus em mistério, outrora oculta, a qual Deus preordenou desde a eternidade para a nossa glória;…
      12 Ora, nós não temos recebido o espírito do mundo, e sim o Espírito que vem de Deus, para que conheçamos o que por Deus nos foi dado gratuitamente.
      13 Disto também falamos, não em palavras ensinadas pela sabedoria humana, mas ensinadas pelo Espírito, conferindo coisas espirituais com espirituais.

      · Paulo usa o termo ?mistério? para resumir todo o plano da salvação que antes estava oculto, mas com o Espírito de Deus este mistério seria revelado.

      I coríntios 4:1 Assim, pois, importa que os homens nos considerem como ministros de Cristo e despenseiros dos mistérios de Deus.

      · A pregação cristã dos apóstolos é apresentada como um mistério.

      Efésios 6:

      18 com toda oração e súplica, orando em todo tempo no Espírito e para isto vigiando com toda perseverança e súplica por todos os santos
      19 e também por mim; para que me seja dada, no abrir da minha boca, a palavra, para, com intrepidez, fazer conhecido o mistério do evangelho,

      · Paulo pede oração aos Efésios para que ele fosse capaz de tornar conhecido o mistério do evangelho com coragem.

      · Outros e exemplos; Rom 16:25; Efésios 1:9; Mateus 13:11…

      3) Ninguém no mundo entende, unicamente Deus?

      · Esta é uma frase mal compreendida pela maioria dos carismáticos e onde eles se ancoram, afirmando que é só Deus que entende o dom de línguas deles também.
      · Com isto, porém, eles estão criando uma arma contra eles próprios, pelos seguintes motivos:

      a. Se ninguém entende senão unicamente deus, para que então os esforços de tantos pentecostais querendo provar que ali e acolá, a língua que falam foi entendida?

      b. Se ninguém entende, mas ninguém mesmo, além de Deus, como podem eles harmonizar isto com seu argumento de que o dom de línguas é a capacidade de falar a ?língua? dos anjos, se única e exclusivamente Deus é quem entende, então os anjos também não compreendem.

      4) O verdadeiro sentido da frase: ninguém entende?

      a. É engano interpretar a clausula ?ninguém entende? , em um sentido geral, pois fazer assim, seria contradizer Atos 2: 5-12, onde refere-se que cada um entendia em sua própria língua.

      b. Esse ninguém entende não poderia ser todos os seres do universo, por que ninguém era capaz de falar para todo mundo ao mesmo tempo. E de fato Paulo não estava querendo dizer isso. Ele se referia à igreja de Corinto, ou seja, na igreja de Corinto, ninguém entende.

      c. Era o falar em línguas sem tradução que preocupava Paulo, pois já que não era conhecida, não edificava. (I coríntios 4:12-13)

      d. O próprio Paulo interpretou de maneira bem clara esse verso um pouco mais adiante, através dos versos 26-28:
      26 Que fazer, pois, irmãos? Quando vos reunis, um tem salmo, outro, doutrina, este traz revelação, aquele, outra língua, e ainda outro, interpretação. Seja tudo feito para edificação.
      27 No caso de alguém falar em outra língua, que não sejam mais do que dois ou quando muito três, e isto sucessivamente, e haja quem interprete.
      28 Mas, não havendo intérprete, fique calado na igreja, falando consigo mesmo e com Deus.

      e. Com base nesses verso, podemos agora interpretar corretamente I Coríntios 14:2, da seguinte maneira:

      Por que quem fala língua desconhecida (dos presente e não do intérprete) não fala (ou não deve pôr a falar) aos homens (presentes) senão a Deus (em oração); por que (sendo uma língua desconhecida dos presentes) ninguém o entende, e em espírito fala de mistérios (isto é, das coisas ocultas que Deus revelo).

      O que pensa a respeito, que as bênçãos do Céu repousem sobre sua vida hoje e sempre, Deus tem planos especiais para sua vida, conte sempre conosco, um grande abraço dos amigos do EE.



  • ivan em 4 de junho de 2014 22:40

    pastor Ivan agora entendir.



  • Maria AndreiaGomes Costa em 29 de maio de 2014 20:07

    Boa noite Pr Ivan Saraiva. Hoje pude aprender um pouco mais sobre o Dom de Linguas. Mas tem pessoas como a Erica de Diogo de Vasconcelos que ainda tem duvidas.Peço que ore por Ela e sua familia e tambem para todos desta cidade. Obrigada.



  • Jhonatan em 24 de abril de 2014 12:55

    Correto. ^^



  • Marcelo Freitas em 18 de abril de 2014 16:56

    Em nenhum lugar nos escritos originais o termo “estranhas” esta ligado a línguas, correto?