Fotos incríveis de como a população mundial está mal distribuída

O aumento da população mundial e seus desafios fizeram manchete nos últimos dias. Sim, nós somos 7 bilhões de pessoas, mas essas 7 bilhões definitivamente não estão distribuídas igualmente pelos quatro cantos do mundo.

Os países e regiões têm tamanhos diferentes, assim como suas populações. Há cidades extremamente populosas e países de baixa densidade populacional.

Veja fotos incríveis de como a população mundial é distribuída:

(clique em cima da imagem para visualizar)
[nggallery id=3]

Fonte: Boston.

Compartilhe:

Imagens do planeta terra como você nunca viu

Música de Brian Doerksen

Imagens do documentário da BBC “Planet Earth” series DVD collection!
http://www.amazon.com/Planet-Earth-Complete-David-Attenborough/dp/B000MR9D5E/…

Amplie a tela do vídeo para melhor visualização. ( no canto inferior a direita)

Compartilhe:

Os animais salvam o planeta

Uma maneira interessante e bem humorada de conscientizar sobre alguns problemas que já estamos enfrentando devido ao mau uso dos recursos naturais. Veja os vídeos engraçados produzidos pela Discovery Channel.

Hipopótamo e banho

Sacolas de supermercado

Suricatos e gases tóxicos

Reciclagem

Urso polar e energia

Compartilhe:

9 coisas incríveis sobre os animais

Mitos e mistérios tornam alguns animais ainda mais fascinantes. Vamos explorar algumas descobertas recentes e erros comuns.

veja aqui fotos de 9 animais e descubra coisas incríveis sobre eles:

(clique no botão central , no “canto inferior a direita” para ampliar e em “mostrar informações”)

9 – Papagaios não são apenas gravadores

A fala dos papagaios é geralmente lembrada como um gravador de penas.

Mas estudos que vem sendo feitos há 30 anos continuam a mostrar que esses pássaros fazem muito mais do que apenas uma imitação. Nossos amigos conseguem resolver tarefas linguísticas para crianças de 4 a 6 anos.

Os papagaios parecem compreender conceitos como “igual” e “diferente”, “maior” e “menor”, “nenhum” e números. E o mais interessante é que eles combinam falas e frases, como em um a novela. Um estudo de 2007 sugere o uso de padrões na fala dos papagaios para desenvolver a fala em robôs.

8 – Elefantes são esquecidos, mas não burros

Os elefantes têm o maior cérebro – uma média de cinco quilogramas. Mas eles usam a massa cinzenta ao máximo? A inteligência é difícil de ser quantificada tanto em humanos quanto em animais, mas o quociente de encefalização (QE), uma média entre o tamanho do cérebro de um animal e o esperado para esse tamanho dependendo da massa dele, têm uma boa relação com a habilidade de passar obstáculos e desafios. A média de QE do elefante é 1.88 (os humanos têm entre 7.33 e 7.69, os chimpanzés 2.45 e os porcos 0.27). Inteligência e memória geralmente caminham juntas, o que sugere que a memória do elefante, mesmo que não seja infalível, é muito boa.

7 – Por causa do tamanho, as girafas têm circulação sanguínea única

A gigante girafa, que tem a cabeça geralmente a uns cinco metros de altura, tem algumas dificuldades pois o coração precisa bombear quase o dobro do que o de uma vaca para que o sangue não pare de subir antes de chegar à cabeça. E lá embaixo, a pele das pernas precisa ser muito resistente.

6 – Pintinhos fraternos

É um erro pensar que existem animais preocupados apenas com si próprios. Laços de altruísmo existem para ajudar a sobrevivência daqueles carregando material genético parecido. Os pintinhos praticam uma seleção de parentesco fazendo um pio especial enquanto comem. Esse chamado anuncia para todos os animais próximos que foi encontrada comida.

5 – Os ratos toupeira não são cegos

Com seus fracos olhos e estilo de vida diferente, os ratos toupeira africanos estão entre os roedores mais estranhos. Eles detectam um pouco de luz, e já foi sugerido que usam os olhos mais para sentir as mudanças do ar do que para enxergar. E de acordo com um estudo de 2006, eles não gostam do que veem. Luz indica que talvez um predador tenha entrado no túnel.

4 – Para os castores, os dias são longos no inverno

Os castores praticamente se escondem durante o inverno, vivendo de comida armazenada ou dos depósitos de gordura em seus rabos. Eles conservam energia evitando entrar em contato com o frio, preferindo ficar nas escuras pilhas de madeira e lama. Como resultado, esses roedores, que geralmente saem no pôr do Sol e retornam ao nascer, perdem a noção do sono. O relógio biológico muda, passando a funcionar em um ritmo diário de 29 horas.

3 – Pássaros usam pontos de referência em longas viagens

Você consegue imaginar uma viagem de carro sem placas, indicações, GPS ou mapas? Claro que não, e por isso você não é um pássaro. Pombos podem voar milhares de quilômetros para encontrar o mesmo local, sem dificuldades. Algumas espécies de pássaros fazem um viagem de ida e volta de mais de 30 mil quilômetros todos os anos. Algumas usam imãs naturais para se orientar com o campo magnético da Terra. Um estudo de 2006 sugere que os pombos usam pontos familiares no chão para achar o caminho de casa.

2 – Leite de baleia não é dietético

Cuidar de um recém-nascido não é fácil para uma baleia. Após a gestação de 10 a 12 meses, o bebê nasce com quase um terço do comprimento da mãe – o que significa uma criança de quase 10 metros, para a baleia Azul. A baleia espirra o leite na boca do filho através de músculos ao redor da glândula mamaria, enquanto a criança se mantém firme no mamilo (sim, baleias têm mamilos). Com quase 50% de gordura, o leite de baleia têm cerca de 10 vezes mais gordura do que o humano, o que permite à criança ganhar bastante peso – quase 100 quilogramas por dia.

1 – Crocodilos engolem pedras para nadar

O estômago de um crocodilo é um tanto rochoso, por algumas razões. Para começar, o sistema digestivo do animal têm de tudo, incluindo tartarugas, peixes e pássaros, até girafas, búfalos, leões e (quando acontece uma briga territorial) crocodilos. Em adição a esse ecossistema, existem pedras também. Eles engolem grandes pedras que ficam permanentemente em suas barrigas. Dizem que elas são úteis para mergulhar.

Fonte: LiveScience

Compartilhe:

Google Street View entra na floresta amazônica: Veja as imagens


View Larger Map

Em 2011, o Google anunciou que estava explorando a Amazônia para trazer imagens da floresta e dos rios no Street View. Agora você pode conferir o trabalho, feito em parceria com a Fundação Amazonas Sustentável (FAS), no computador ou celular (ou neste quadro acima).

O Google conseguiu acesso a várias áreas com acesso restrito ao público, então até mesmo quem já foi à Amazônia deveria conferir: clique aqui .

Google e FAS capturaram mais de 50.000 fotos para criar panorâmicas da floresta, rios e comunidades, pedalando o famoso triciclo do Street View pelos caminhos de terra, e navegando pelos rios em barcos com o equipamento do Street View instalado – GPS e câmera com lentes olho-de-peixe (fisheye). Você pode até entrar em comunidades locais e navegar pelo Rio Negro.

O Google não mapeou a Amazônia inteira, apenas um pequeno trecho próximo a Manaus – afinal, a floresta é enorme! Mas eles dizem que muitas áreas, incluindo a reserva Rio Negro – à qual eles tiveram acesso – são restritas ao público em geral. Assim, mesmo quem já entrou na Amazônia verá algo de novo no Street View.

Fonte: Street View via Official Google Blog via Gizmodo US

Compartilhe:

Vídeo mostra queimadas no planeta nos últimos 10 anos

A NASA usou dois satélites (o Terra e o Aqua, lançados em 1999 e 2002, respectivamente) para criar uma animação mostrando as queimadas que o planeta sofreu em vários pontos nesses últimos 10 anos.

Cada ponto vermelho do vídeo é um foco de fogo em alguma floresta, savana e outros biomas espalhados pelo planeta. A coleta de dados foi feita graças ao MOIDS (Moderate Resolution Imaging Spectroradiometer) que fica lá no espaço monitorando ondas de cores emitidas no solo da Terra.

Se você já ficou impressionado com a quantidade de focos no nosso continente, clique aqui para ver o continente africano, responsável por mais de 70% das queimadas do mundo.

 

Wired via Gmind | Vídeo: NASA

 

Compartilhe:

Tippi a garotinha da selva

Muitos assistiram ao filme Mogli – o menino lobo, que contava a história de um menino criado por lobos e animais da selva. Mas e se no lugar dos lobos, colocarmos uma garotinha, filha de pais fotógrafos da vida selvagem?

Sylvie Robert e Alain Degré são pais de Tippi Benjamine Okanti Degré, que nasceu em 1990, na capital da Namíbia.  Os pais documentaram toda a infância de Tippi na savana africana, o que resultou em fotos extraordinárias!

Atualmente, Tippi vive na França, para onde voltou aos 10 anos de idade, e estuda na Universidade de Sorbonne

Após se mudar para a França, Tippi  publicou o livro Tippi na África, que foi traduzido em várias línguas. O best-seller é um romance de vida de Tippi na Namíbia. Ela também criou um website, e voltou para a África para fazer seis documentários sobre a natureza para a Discovery Channel    VEJA O LIVRO MY BOOK OF AFRICA

Veja aqui (http://www.selecoes.com.br/chamado_selvagem – link)  uma entrevista feita pela revista Seleções com a fotógrafa Sylvie Robert, mãe de Tippi, ela conta sobre a difícil adaptação da filha na cidade e sobre a certeza de que ela um dia voltará para a África.

 

Tippi na savana africana:

 

Fonte: Atelliê Fotografia, Wikipedia.

 

Compartilhe:

Sustentabilidade, histórias que fizeram a diferença

Sustentabilidade é uma palavra moderna que está relacionada à preservação do meio ambiente. No quadro Conexão Cidadania, desta quarta-feira (03), o jornalista Felipe Lemos  falou sobre ações nesta área que fizeram a diferença.

Leia mais sobre estas e outras iniciativas cidadãs em www. Felipelemos.com.

Ouça e saiba mais.

Compartilhe:

Animais que podem desaparecer do planeta para sempre

Anualmente, cientistas de diferentes partes do mundo constatam que várias espécies de animais entram em risco de extinção. Mamíferos, répteis, anfíbios e aves podem desaparecer do planeta para sempre.

As causas são diversas: falta de alimento, destruição do habitat, mudanças climáticas e até dificuldade de procriação.

Diversas instituições nacionais e internacionais que atuam em nome da sobrevivência dessas espécies provam diariamente que o ser humano tem a capacidade de transformar o futuro. Basta querer.

Conheça alguns animais que podem desaparecer do planeta para sempre.

Urso Polar
O urso polar é um mamífero nativo da região ártica e se alimenta, sobretudo, de carne.

 

Mico-leão-dourado
O mico-leão-dourado é um primata nativo da Mata Atlântica.

 

Onça-pintada
A onça-pintada é um felino encontrado na região das Américas.
 
Cachorro-vinagre
O cachorro-vinagre é um canídeo nativo da América do Sul e tem grandes habilidades de nado e mergulho.
 
Baleia-azul
A baleia-azul é um mamífero marinho que se alimenta principalmente de pequenos peixes e plâncton.
 
Panda-gigante
O panda-gigante é um mamífero nativo da China e, apesar de dócil, é violento quando irritado.

 

Tigre-de-bengala
O tigre-de-bengala é um mamífero nativo da Índia. Carnívoro, seu corpo pode chegar até três metros de comprimento.
 
Arara-azul grande
A arara-azul grande é nativa da América do Sul e pode ser encontrada no complexo do Pantanal.
 
Cervo do pantanal
O cervo do pantanal é um mamífero ruminante e a espécie de veado de maior porte da América do Sul.
 
Orangotango
O orangotango é um primata originário das florestas da Indonésia e da Malásia.
 
Lobo-guará
O lobo-guará é um canídeo nativo da América do Sul e, no Brasil, a maioria vive na região do cerrado.
 
Tamanduá-bandeira
O tamanduá-bandeira é um mamífero encontrado nas Américas Central e do Sul. Sua alimentação inclui formigas e outros insetos.
 
Ariranha
A ariranha é um mamífero característico do Pantanal e da bacia do rio Amazonas.
 
Gorila-das-montanhas
O gorila-das-montanhas é um primata originário da República Democrática do Congo e de regiões próximas como Uganda e Ruanda, no continente africano.
 
Peixe-boi-marinho
Apesar do nome, o peixe-boi-marinho é um mamífero aquático. Nativo em toda a extensão das Américas, pode chegar a 300 kg.
 
Chimpanzé
 
O chimpanzé é um primata nativo das savanas do continente africano e sua alimentação pode variar de flores e frutas a insetos e pequenos pássaros.
 

 Fonte: MSN Verde.

 

Compartilhe:

Unesco escolhe 25 novos Patrimônios da Humanidade

A Unesco escolheu 25 novos patrimônios da Humanidade em várias partes do mundo. Na nova lista estão locais de beleza natural como a Costa de Ningaloo, na Austrália, as Ilhas Ogasawara, no Japão, e os lagos no grande Vale do Rift, no Quênia. Um deles foi listado também por seu valor cultural: o deserto de Wadi Rum, na Jordânia.

A lista do Patrimônio Mundial da Unesco tem agora um total de 936 locais: 183 naturais, 725 culturais e 28 mistos.

Veja algumas fotos dos patrimônios escolhidos:

A paisagem cultural agropastoril mediterrânea de Causses e Cévennes fica na região central da França. A região montanhosa cortada por profundos vales representa a relação entre os sistemas agropastoris e seu ambiente.
 
O Forte Jesus, em Mombassa, no Quênia, construído pelos portugueses entre 1593 e 1596.
 
Os sítios arqueológicos da Ilha de Meroe, no Sudão, também viraram patrimônio da humanidade. A paisagem semi-desértica entre os rios Nilo e Atbara foi o coração do Reinado de Kush, um grande centro de poder entre os séculos 8 e 4 AC.
 
O deserto de Wadi Rum, na Jordânia, foi o único local inscrito como um patrimônio misto: de valor cultural e beleza natural. O local fica no norte do país, perto da fronteira com a Arábia Saudita.
 
A Costa de Ningaloo, na Austrália, tem vastas regiões de formações calcárias e uma rede de cavernas subterrâneas. Anualmente, tubarões-baleia se reúnem em suas águas, que também abrigam uma variedade de espécies marinhas.
 
A mesquita de Selimiye, na Turquia, domina o horizonte da antiga capital do Império Otomano, Edirne. Sinan, o mais famoso arquiteto otomano do século 16 considerava o complexo, que inclui escolas islâmicas, um mercado coberto, um pátio e uma biblioteca, seu melhor trabalho.
 
Sete grupos de importantes prédios construídos entre 568 e 774 DC em toda a Itália foram agrupados como ‘Os Lombardos na Itália, locais de poder’. Construções como o Monastério de San Salvatore e Santa Giulia, em Brescia (foto) são um registro das conquistas dos lombardos, que imigraram do norte da Europe e desenvolveram sua própria cultura na Itália.
 
As Ilhas Ogasawara, no Japão, apresentam uma ampla variedade de paisagens e abrigam um grande número de animais, incluindo 195 espécies de pássaros ameaçadas de extinção.
 
 

 

Veja mais alguns locais adicionados à lista de patrimônios:

1 – O centro histórico de Bridgetown, a capital de Barbados;
2 – A paisagem cultural do Lago Oeste de Hangzhou, na China;
3 – A paisagem cultural do café, na Colômbia;
4 – O Jardim Persa, no Irã;
5 – A paisagem cultural de Konso, na Etiópia;
6 – A paisagem cultural agropastoril mediterrânea de Causses e Cévennes, na França;
7 – A Fábrica Fagus, na Alemanha;
8 – Os Lombardos na Itália;
9 – Locais de poder; os templos, jardins e sítios arqueológicos representando a Terra Pura budista em Hiraizumi, no Japão;
10 – O Forte Jesus, em Mombassa, no Quênia;
11 – As gravuras rupestres das Montanhas Altai, na Mongólia;
12 – A Catedral de León, na Nicarágua;
13 – O Delta do Saloum, no Senegal;
14 – A paisagem cultural da Serra de Tramuntana, na Espanha;
15 – Os sítios arqueológicos da Ilha de Meroe, no Sudão;
16 – Moradias pré-históricas ao redor dos Alpes, incluindo Suíça, Áustria, França, Alemanha, Itália e Eslovênia;
17 – Antigos vilarejos do Norte da Síria;
18 – A mesquita de Selimiye e seu complexo social, em Edirne, na Turquia;
19 – Os sítios culturais de Al Ain: Hafit, Hili, Bidaa Bint Saud e zonas dos oásis, nos Emirados Árabes Unidos;
20 – A residência dos metropolitanos de Bucovina e Dalmácia, na Ucrânia;
21 – E a Citadela da Dinastia Ho, no Vietnã.

 
Fonte: BBC.

 

Compartilhe: