doe agora TV TV
INÉDITO:
  • SAB14:30
REPRISES:
  • SEG07:30
  • SEG22:30
  • SAB03:00

Comente



  • Marcelo em 19 de julho de 2013 21:19

    Tudo bem! gostei bastante deste estudo sobre a volta de Jesus… mais na passagem do ladrão na cruz; Jesus diz: hoje mesmo estará comigo no paraíso… ai confundiu…por favor me esclareça.



    • J.Washington em 22 de julho de 2013 10:42

      Marcelo, agardecemos sua participação e envio da pergunta. Veja o que a Bíblia diz:

      “E acrescentou: Jesus lembra-te de mim quando vieres no teu reino. Jesus lhe respondeu: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso” (Lc 23.43) Aparentemente, parece haver uma contradição na palavra de Deus, porém, estudando profundamente este texto, percebemos que o livro Sagrado de Jesus é perfeito e não contém erros doutrinários.

      O que acontece neste caso, é que o verso contém um pequeno “erro gramatical” e de “pontuação” por parte do tradutor e não do próprio Jesus. Analisemos quatro pontos básicos existentes que nos ajudarão na correta interpretação:

      1- A palavra “que” existente em nossa Bíblia não consta no texto original grego. É um acréscimo do tradutor. A escrita seria assim: “Em verdade te digo hoje estarás comigo no paraíso”. Na escrita bíblica, as frases e palavras, eram escritas todas juntas, sem pontuação. Ex: (traduzindo para o português)

      “Emverdadetedigohojeestarascomigonoparaiso”

      Cabe ao estudante da palavra de Deus fazer a separação correta das palavras e pontuá-las adequadamente.

      2 – O entendimento do texto irá depender de onde usarmos a vírgula. Colocando-a depois da palavra “digo”, significaria realmente que, no momento de sua morte, o ladrão iria para o céu com Jesus. Ex: “Em verdade te digo, hoje estarás comigo no paraíso”. Agora, se a vírgula for colocada depois da palavra “hoje”, muda completamente o sentido do texto: “Em verdade te digo hoje, estarás comigo no paraíso”.

      Jesus está dizendo ao ladrão que “hoje”, neste dia em está sendo pregado na cruz, neste dia em que ele está preste a morrer, ele promete um dia ressuscitá-lo e levá-lo para o Céu. O termo “hoje” refere-se ao momento no qual Cristo estava fazendo a promessa. Deve-se também ressaltar que o ladrão pediu a Jesus: “lembra-te de mim quando vieres em teu reino”. Ele sabia que a vinda do reino de Deus era algo futuro.

      3 – O ladrão não foi para o céu naquele dia. Leiamos João 19.31 a 33:

      “Entre os judeus, para que no Sábado não ficassem os corpos na cruz, visto como era a preparação, pois era grande o dia daquele Sábado, rogaram a Pilatos que se lhes quebrassem as pernas, e fossem tirados. Os soldados foram e quebraram as pernas ao primeiro e ao outro que com ele tinham sido crucificados”.

      As pernas do ladrão foram quebradas porque ele estava vivo. Era costume da época, fazer isto para que os criminosos não fugissem. Em algumas vezes os condenados à cruz levavam até uma semana para morrerem.

      4- O próprio Jesus disse que não tinha ido ao céu depois de sua morte. Vejamos João 20.17: “Recomendou-lhe Jesus: Não me detenhas, porque ainda não subi para meu pai, mas vai ter com os meus irmãos e dize-lhes: subo para meu Pai e vosso Pai, para meu Deus e vosso Deus” (grifo meu).
      Analisemos: Jesus morreu numa sexta-feira e ressuscitou num domingo. Como ele iria para o céu com o ladrão na sexta, se no domingo ele disse para Maria Madalena que ainda não havia subido? O livro Subtilezas do Erro, de A.B. Christianini menciona várias traduções que vertem Lucas 23.43 da seguinte maneira: “E Jesus lhe disse: na verdade te digo hoje: estarás comigo no paraíso”.

      Sendo assim, texto de Lucas não contradiz a doutrina do sono da alma (Sl 13.3; Jo 11.11-14). As Escrituras claramente ensinam que a pessoa ao morrer está inconsciente até a volta do Senhor Jesus (Sl 6.5; 115.17; I Ts 4.13-16).

      “Hoje”, exatamente quando parecia que Jesus nunca teria um reino, Ele prometeu ao malfeitor: “Estarás comigo no paraíso.” Verso 43. Jesus deu ênfase ao momento da Sua promessa. “Neste dia da Minha humilhação, você revela fé na Minha exaltação. Neste dia, quando todos os outros Me abandonam, você me chama Salvador. Neste dia em que você chegou ao limite da sua vida, quando você lança a sua alma impotente sobre um Salvador moribundo, Eu lhe prometo. Hoje, declaro como num decreto real a partir da cruz, como se fosse de um trono: Você estará comigo no Paraíso!”
      O ladrão era prisioneiro, mas prisioneiro da esperança – a bem-aventurada esperança. Uma coroa aguarda o ladrão penitente. Ela será sua quando Jesus estabelecer o Seu reino. É este o triunfo da fé.

      Seja feliz!
      J.Washington/Equipe Bíblia Fácil



  • Roberto F Barbosa em 2 de julho de 2013 20:48

    Gosto muito do programa “Bíblia fácil”



  • marciel em 1 de julho de 2013 8:41

    muito bom



  • Leonardo Rosa Lopes em 24 de maio de 2013 11:54

    caro pastor admiro muito os estudos adventista, ate pedi uma revista de estudos
    pois assisti os programas e gostei muito
    mas quanto ao asunto do ladrão na cruz ao lado do nosso SENHOR E SALVADOR
    te digo ELE pode todas as coisas É onipresente e pode sim ter dito ainda hoje estarás comigo no paraíso porque ELE É DEUS nossa natureza humana nossos julgamentos não podem e não tem capacidade de imaginar oque DEUS pode ou não jugamos como se ELE não fosse DEUS
    de certo que Ele viveu como homem mas quando morre na cruz ELE É DEUS TODO PODEROSO SENHOR DO TEMPO CRIADOR DE TUDO ESTA EM TODOS OS LUGARES SABE DE TODAS AS COISAS E É SANTO PODEROSO EM PERDOAR que DEUS os abençoe pastor e parabéns pelos estudos apresentados pela igreja adventista do sétimo dia



    • J.Washington em 17 de junho de 2013 12:53

      Leonardo, agradecemos sua participação. Realmente o poder de Deus é ilimitado. Com relação ao ladrão:

      Jesus prometeu ao ladrão que o levaria para o céu naquele dia?

      “E acrescentou: Jesus lembra-te de mim quando vieres no teu reino. Jesus lhe respondeu: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso” (Lc 23.43) Aparentemente, parece haver uma contradição na palavra de Deus, porém, estudando profundamente este texto, percebemos que o livro Sagrado de Jesus é perfeito e não contém erros doutrinários. O que acontece neste caso, é que o verso contém um pequeno “erro gramatical” e de “pontuação” por parte do tradutor e não do próprio Jesus. Analisemos quatro pontos básicos existentes que nos ajudarão na correta interpretação:

      1- A palavra “que” existente em nossa Bíblia não consta no texto original grego. É um acréscimo do tradutor. A escrita seria assim: “Em verdade te digo hoje estarás comigo no paraíso”. Na escrita bíblica, as frases e palavras, eram escritas todas juntas, sem pontuação. Ex: (traduzindo para o português)

      “Emverdadetedigohojeestarascomigonoparaiso”

      Cabe ao estudante da palavra de Deus fazer a separação correta das palavras e pontuá-las adequadamente.

      2 – O entendimento do texto irá depender de onde usarmos a vírgula. Colocando-a depois da palavra “digo”, significaria realmente que, no momento de sua morte, o ladrão iria para o céu com Jesus. Ex: “Em verdade te digo, hoje estarás comigo no paraíso”. Agora, se a vírgula for colocada depois da palavra “hoje”, muda completamente o sentido do texto: “Em verdade te digo hoje, estarás comigo no paraíso”.
      Jesus está dizendo ao ladrão que “hoje”, neste dia em está sendo pregado na cruz, neste dia em que ele está preste a morrer, ele promete um dia ressuscitá-lo e levá-lo para o Céu. O termo “hoje” refere-se ao momento no qual Cristo estava fazendo a promessa. Deve-se também ressaltar que o ladrão pediu a Jesus: “lembra-te de mim quando vieres em teu reino”. Ele sabia que a vinda do reino de Deus era algo futuro.

      3 – O ladrão não foi para o céu naquele dia. Leiamos João 19.31 a 33:

      “Entre os judeus, para que no Sábado não ficassem os corpos na cruz, visto como era a preparação, pois era grande o dia daquele Sábado, rogaram a Pilatos que se lhes quebrassem as pernas, e fossem tirados. Os soldados foram e quebraram as pernas ao primeiro e ao outro que com ele tinham sido crucificados”.

      As pernas do ladrão foram quebradas porque ele estava vivo. Era costume da época, fazer isto para que os criminosos não fugissem. Em algumas vezes os condenados à cruz levavam até uma semana para morrerem.

      4 – O próprio Jesus disse que não tinha ido ao céu depois de sua morte. Vejamos João 20.17: “Recomendou-lhe Jesus: Não me detenhas, porque ainda não subi para meu pai, mas vai ter com os meus irmãos e dize-lhes: subo para meu Pai e vosso Pai, para meu Deus e vosso Deus” (grifo meu).
      Analisemos: Jesus morreu numa sexta-feira e ressuscitou num domingo. Como ele iria para o céu com o ladrão na sexta, se no domingo ele disse para Maria Madalena que ainda não havia subido? O livro Subtilezas do Erro, de A.B. Christianini menciona várias traduções que vertem Lucas 23.43 da seguinte maneira: “E Jesus lhe disse: na verdade te digo hoje: estarás comigo no paraíso”.

      Sendo assim, texto de Lucas não contradiz a doutrina do sono da alma (Sl 13.3; Jo 11.11-14). As Escrituras claramente ensinam que a pessoa ao morrer está inconsciente até a volta do Senhor Jesus (Sl 6.5; 115.17; I Ts 4.13-16).
      “Hoje”, exatamente quando parecia que Jesus nunca teria um reino, Ele prometeu ao malfeitor: “Estarás comigo no paraíso.” Verso 43. Jesus deu ênfase ao momento da Sua promessa.

      “Neste dia da Minha humilhação, você revela fé na Minha exaltação. Neste dia, quando todos os outros Me abandonam, você me chama Salvador. Neste dia em que você chegou ao limite da sua vida, quando você lança a sua alma impotente sobre um Salvador moribundo, Eu lhe prometo. Hoje, declaro como num decreto real a partir da cruz, como se fosse de um trono: Você estará comigo no Paraíso!”

      O ladrão era prisioneiro, mas prisioneiro da esperança – a bem-aventurada esperança. Uma coroa aguarda o ladrão penitente. Ela será sua quando Jesus estabelecer o Seu reino. É este o triunfo da fé.

      Seja feliz!
      J.Washington/Equipe Escola Bíblica



  • luizalexandrersantos em 10 de maio de 2013 2:29

    parabéns pelo estudo



  • Rita Grohmann em 14 de abril de 2013 0:32

    De receber os estudos biblicos pelo correio, no endereço Rua fiorello Anzolin nº… São José do Cedro .sc cep:89930-000 .
    Sou Adventista Eu e os meus 2 filhos de 12anos e a filha de 10 anos, gostaria de receber estudos biblicos e se for possivel um hinario. fone ;04991486620.grato por sua atenção..



    • J.Washington em 22 de abril de 2013 13:43

      Rita, agradecemos sua participação e interesse em estudar mais a Palavra de Deus.
      Para receber o guia de estudos, basta acessar o link abaixo e informar os dados:

      http://migre.me/eecty

      Seja feliz!
      Equipe Bíblica Fácil



  • Lauren Zambom em 27 de março de 2013 1:36

    Sobre a promessa feita ao ladrão na cruz, considerando que a pontuação esteja correta, estaria Jesus mentindo se considerarmos que os mortos dormem e que aquele só acordaria quando Jesus voltasse( segunda vinda)- para ele, logo em seguida?



    • J.Washington em 27 de março de 2013 11:23

      Lauren, a bíblia no original não tinha pontuação. É verdade, o ladrão morreu, está no pó da terra, e Jesus irá acordá-lo por ocasião da Sua breve volta.

      Seja feliz!
      Equipe Bíblia Fácil



  • lincoln em 25 de março de 2013 2:53

    Boa noite irmão , gosto muito deste programa , gostaria que tira-se uma duvida:
    se em Lucas 23 39 ao 43 fala que um dos ladrões conseguiu no ultimo minuto descansar no Senhor , mas em Marcos 15 fala tambem do mesmo assunto mas no versiculo 32 o que da a entender que os dois zombavam de Cristo , me explique:



    • J.Washington em 25 de março de 2013 11:43

      Lincoln, Jesus prometeu ao ladrão que o levaria para o céu naquele dia?

      “E acrescentou: Jesus lembra-te de mim quando vieres no teu reino. Jesus lhe respondeu: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso” (Lucas 23:43) Aparentemente, parece haver uma contradição na palavra de Deus, porém, estudando profundamente este texto, percebemos que o livro Sagrado de Jesus é perfeito e não contém erros doutrinários. O que acontece neste caso, é que o verso contém um pequeno “erro gramatical” e de “pontuação” por parte do tradutor e não do próprio Jesus. Analisemos quatro pontos básicos existentes que nos ajudarão na correta interpretação:

      1- A palavra “que” existente em nossa Bíblia não consta no texto original grego. É um acréscimo do tradutor. A escrita seria assim: “Em verdade te digo hoje estarás comigo no paraíso”. Na escrita bíblica, as frases e palavras, eram escritas todas juntas, sem pontuação. Ex: (traduzindo para o português)

      “Emverdadetedigohojeestarascomigonoparaiso”

      Cabe ao estudante da palavra de Deus fazer a separação correta das palavras e pontuá-las adequadamente.

      2 – O entendimento do texto irá depender de onde usarmos a vírgula. Colocando-a depois da palavra “digo”, significaria realmente que, no momento de sua morte, o ladrão iria para o céu com Jesus. Ex: “Em verdade te digo, hoje estarás comigo no paraíso”. Agora, se a vírgula for colocada depois da palavra “hoje”, muda completamente o sentido do texto: “Em verdade te digo hoje, estarás comigo no paraíso”.

      Jesus está dizendo ao ladrão que “hoje”, neste dia em está sendo pregado na cruz, neste dia em que ele está preste a morrer, ele promete um dia ressuscitá-lo e levá-lo para o Céu. O termo “hoje” refere-se ao momento no qual Cristo estava fazendo a promessa. Deve-se também ressaltar que o ladrão pediu a Jesus: “lembra-te de mim quando vieres em teu reino”. Ele sabia que a vinda do reino de Deus era algo futuro.

      3 – O ladrão não foi para o céu naquele dia. Leiamos João 19:31 a 33:

      “Entre os judeus, para que no Sábado não ficassem os corpos na cruz, visto como era a preparação, pois era grande o dia daquele Sábado, rogaram a Pilatos que se lhes quebrassem as pernas, e fossem tirados. Os soldados foram e quebraram as pernas ao primeiro e ao outro que com ele tinham sido crucificados”.

      As pernas do ladrão foram quebradas porque ele estava vivo. Era costume da época, fazer isto para que os criminosos não fugissem. Em algumas vezes os condenados à cruz levavam até uma semana para morrerem.

      4- O próprio Jesus disse que não tinha ido ao céu depois de sua morte. Vejamos João 20:17: “Recomendou-lhe Jesus: Não me detenhas, porque ainda não subi para meu pai, mas vai ter com os meus irmãos e dize-lhes: subo para meu Pai e vosso Pai, para meu Deus e vosso Deus”.

      Analisemos: Jesus morreu numa sexta-feira e ressuscitou num domingo. Como ele iria para o céu com o ladrão na sexta, se no domingo ele disse para Maria Madalena que ainda não havia subido? O livro Subtilezas do Erro, de A.B. Christianini menciona várias traduções que vertem Lucas 23:43 da seguinte maneira: “E Jesus lhe disse: na verdade te digo hoje: estarás comigo no paraíso”.

      Sendo assim, texto de Lucas não contradiz a doutrina do sono da alma (Salmo 13:3; João 11:11-14). As Escrituras claramente ensinam que a pessoa ao morrer está inconsciente até a volta do Senhor Jesus (Salmo 6:5; 115.17; 1 Tessalonicenses 4:13-16). “Hoje”, exatamente quando parecia que Jesus nunca teria um reino, Ele prometeu ao malfeitor: “Estarás comigo no paraíso.” Verso 43. Jesus deu ênfase ao momento da Sua promessa.

      Neste dia da Minha humilhação, você revela fé na Minha exaltação. Neste dia, quando todos os outros Me abandonam, você me chama Salvador. Neste dia em que você chegou ao limite da sua vida, quando você lança a sua alma impotente sobre um Salvador moribundo, Eu lhe prometo. Hoje, declaro como num decreto real a partir da cruz, como se fosse de um trono: Você estará comigo no Paraíso!

      O ladrão era prisioneiro, mas prisioneiro da esperança – a bem-aventurada esperança. Uma coroa aguarda o ladrão penitente. Ela será sua quando Jesus estabelecer o Seu reino. É este o triunfo da fé.

      Seja feliz!
      Equipe Bíblia Fácil



    • lincoln em 25 de março de 2013 17:08

      boa tarde irmão , vç não compreendeu minha pergunta em relção a este ponto a respeito do ladrão da cruz , ja compreendi numa explicação do prof leandro quadros em um de seus programas , porem no livro de marcos 15 versiculo 32 o assunto não é abordado igual ao livro de lucas 23 versiculos 39 a 43, onde fala que .
      marcos 15 32 parte b do texto “os que foram crucificados com ele tambem o insultavam”,diferente de lucas 23.



  • Andreia Carla Macedo dos Santos em 17 de março de 2013 20:42

    Boa tarde! Tenho acompanhado os programas do biblia facil e tirado muitas duvidas,gostaria de receber o guia de estudo,mas não consigo fazer o loguin. Dá sempre senha errada, já tentei mudar a mesma; sem sucesso sempre da erro,o que devo fazer?
    Quando e como acontecerá a marca da besta?
    Porque se Jesus esta as portas só falta mesmo esse episodio se concretizar. Me esclareça por favor!
    Obrigado!



    • J.Washington em 20 de março de 2013 13:26

      Andreia, oramos por você. Abaixo, o link para receber o guia de estudo:

      http://migre.me/dLgTF

      A marca da besta não será um número de código de barras. De acordo com as profecias bíblicas e o contexto histórico pelo qual vem se cumprindo as profecias de Daniel e Apocalipse sobre o “Chifre Pequeno” (ver Daniel 7) e “a besta que emerge do mar” (Apocalipse 13), a marca da besta será a imposição da guarda do domingo como dia de repouso estabelecido por este poder mencionado por Daniel e pelo apóstolo João (no Apocalipse).

      O número 666 é apenas simbólico e representa a ‘imperfeição humana’ (enquanto o número 6 simboliza a imperfeição, o número 7 simboliza a perfeição divina, plenitude) e o engano da besta em sua força máxima. A fim de possuir a marca da besta (no futuro), a pessoa terá de adotar uma disposição mental de rebeldia contra o Criador, aceitando outro dia de guarda que, ao invés de exaltar a atividade criativa e a autoridade de Deus, exalta a autoridade do homem. Terá de demonstrar publicamente que aceitou a santidade do domingo ao invés do sábado bíblico (Gênesis 2:1-3; Êxodo 20:8-11; Lucas 4:16).

      Não precisamos nos preocupar com o código de barras, mas temos sim de estar atentos aos sinais dos tempos (Lucas 24:42 e 44) e analisar nosso coração e ver se há algo que está impedindo-nos de comungar com o Senhor e de ter um relacionamento mais profundo com Ele. Que nossa oração seja a mesma do rei Davi: “Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova dentro de mim um espírito inabalável” (Salmo 51:10).

      Estudemos as profecias para que não sejamos enganados por falsos ensinos. Veremos que Deus tem um profundo amor por nós e que nossa vida está em Suas mãos; não há o que temer.

      Seja feliz!
      Equipe Bíblia Fácil



  • missicley santos de oliveira em 13 de março de 2013 4:17

    pastor, o que é o hades e o seio de abraão, conforme a parábola de rico e lázaro.



    • J.Washington em 13 de março de 2013 12:12

      Missicley, agradecemos por sua participação. Vamos estudar um pouco mais a parábola do rico e Lázaro?
      Alguns sugerem que o relato de Lucas 16:19-31 deveria ser interpretado literalmente, como uma descrição do estado do homem na morte. Mas essa interpretação nos levaria a uma série de conclusões inconscientes com o restante das Escrituras. Em primeiro lugar, teríamos de admitir que o Céu e o inferno se encontram suficientemente próximos para permitir uma conversa entre os habitantes de ambos os lugares (versos 23-31). Teríamos de acreditar também após a morte, enquanto o corpo jaz na sepultura, continua existindo de forma consciente uma espécie de alma espiritual que possui “olhos”, “dedo” e “língua”, e que inclusive pode sentir sede (versos 23 e 24).
      Se esta fosse uma descrição real do estado do homem na morte, então o Céu certamente não seria um lugar de alegria e de felicidade, pois os salvos poderiam acompanhar de perto os infindáveis sofrimentos de seus entes queridos que se perderam e até mesmo dialogar com eles (versos 23-31). Como poderia uma mãe sentir-se feliz no Céu, contemplando ao mesmo tempo as agonias incessantes, no inferno, de seu amado filho? Num contexto como esse, seria praticamente impossível o cumprimento da promessa bíblica de que então “não haverá luto, nem pranto, nem dor” (Apocalipse 21:4).

      Diante disso, a maioria dos eruditos bíblicos contemporâneos considera a história do rico e Lázaro (Lucas 16:19-31) como uma parábola, da qual nem todos os detalhes podem ser interpretados literalmente. George E. Ladd, por exemplo, diz que essa história era provavelmente “uma parábola de uso corrente no pensamento judaico e não tenciona ensinar coisa alguma acerca do estado dos mortos”. (O Novo Dicionário da Bíblia [São Paulo: Vida Nova, 1962], vol. 1, p. 512). Sendo esse o caso, temos que procurar entender qual o verdadeiro propósito da parábola.
      Nos capítulos 15 e 16 de Lucas, Cristo apresenta várias parábolas em resposta à preconceituosa discriminação dos escribas e fariseus para com as classes marginalizadas da época (Lucas 15:1 e 2; 16:14 e 15). A parábola de Lucas 16:19-31, que aparece no final desses dois capítulos, é caracterizado por um forte contraste entre “certo homem rico” e bem vestido (verso 19) e “certo mendigo, chamado Lázaro, coberto de chagas” (verso 20). O relato ensina pelo menos duas grandes lições. A primeira é que o status e o reconhecimento social do presente não são o critério de avaliação para a recompensa futura. Em outras palavras, aqueles que, à semelhança dos escribas e fariseus, se julgam mais dignos do favor divino podem ser os mais desgraçados espiritualmente aos olhos de Deus (comparar com Mateus 23).

      A segunda lição é que o destino eterno de cada pessoa é decidido nesta vida, e jamais poderá ser revertido na era vindoura, nem mesmo pela intervenção de Abraão (Lucas 16:25 e 26). A referência à impossibilidade de Abraão salvar o homem rico do seu castigo reprova o orgulho étnico dos fariseus, que se consideravam merecedores da salvação por serem descendentes de Abraão (ver Lucas 3:8; 13:28; João 8:39 e 40, 52-59).

      É importante lembrarmos que um dos princípios básicos da interpretação bíblica é que não devemos fundamentar doutrinas nos detalhes acidentais de uma parábola, sem primeiro verificar se as conclusões obtidas estão em perfeita harmonia com o consenso geral das Escrituras. A própria parábola de Lucas 16:19-31 afirma que, para obter vida eterna, o ser humano precisa viver em plena conformidade com a vontade de Deus revelada através de “Moisés e os profetas” (verso 29; comparar com Mateus 7:21), ou seja, através da “totalidade da Escritura” (L. L. Morris).
      Mesmo não tencionando esclarecer o estado do homem na morte, esta parábola declara, em harmonia com o restante das Escrituras, que os morto só podem voltar a se comunicar com os vivos através da ressurrreição (Lucas 16:31). E, se analisarmos mais detidamente o que “Moisés e os profetas” têm a nos dizer sobre o estado na morte, perceberemos que os mortos permanecem inconscientes na sepultura até o dia da ressurreição final (ver Jó 14:10-12; Salmo 6:4-5; Eclesiastes 9:5, 10; João 5:28 e 29; 11:1-44; 1 Coríntios 15:16-18; 1 Tessalonicenses 4:13-15).

      Seja feliz!
      Equipe Bíblia Fácil



  • Andrea em 13 de março de 2013 1:24

    tenho uma grande duvida, quando o pastor diz que nao existe “que”, e diz que no original hebraico a interpretaçao é ( em verdade te digo hoje, estaras comigo no paraiso).
    mas como Deus permitiria um erro de escrita na biblia? isso confundiria muita gente, nao é?



    • J.Washington em 13 de março de 2013 12:15

      Andrea, obrigado por sua pergunta. Vamos a resposta.
      A versão Almeida Revista e Atualizada (2.ª edição) traduz Lucas 23:43 da seguinte forma: “Jesus lhe respondeu: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso.” Mas se discute se o advérbio “hoje” (grego sémeron) estaria ligado ao verbo que o sucede (“estar”) ou ao verbo que o antecede (“dizer”). Embora a maioria das traduções opte pela primeira alternativa (“te digo, hoje estarás comigo no paraíso”), existem algumas traduções que preferem a segunda opção (“te digo hoje, estarás comigo no paraíso”). Já a Tradução Ecumênica da Bíblia preferiu preservar a ambigüidade do texto original grego: “Em verdade eu te digo, hoje, estarás comigo no paraíso.”

      A problemática envolvida na tradução de Lucas 23:43 é cuidadosamente exposta e analisada por Rodrigo P. Silva em sua tese doutoral, intitulada “Análise Lingüística do Sémeron em Lucas 23:43”, defendida em outubro de 2001 na Pontifícia Faculdade de Teologia Nossa Senhora da Assunção, em São Paulo. Com base em uma minuciosa investigação das ocorrências do advérbio sémeron nos textos gregos do Antigo Testamento (tradução da Septuaginta) e do Novo Testamento, o autor da tese afirma que “na maioria absoluta dos casos” em que existe uma ambigüidade semelhante à de Lucas 23:43, “a ligação de sémeron com o primeiro verbo demonstrou-se a mais natural”. Isso significa que a tradução de Lucas 23:43 mais consistente com a sintaxe original seria “te digo hoje, estarás” (e não “te digo, hoje estarás”).

      Se o propósito de Cristo em Lucas 23:43 fosse prometer ao bom ladrão que este estaria com Ele “no paraíso” naquele mesmo dia, então a promessa acabou não se cumprindo, pois dois dias mais tarde o próprio Cristo afirmou que ainda não subira para Seu Pai (João 20:17). É certo que alguns intérpretes procuram contornar o problema sugerindo uma distinção artificial entre o “paraíso” celestial, para onde iria o bom ladrão, e as “moradas” celestiais, onde habita Deus o Pai. Mas essa tentativa acaba agravando ainda mais o problema, pois o lugar para onde Cristo prometera levar Seus seguidores não é outro senão as “muitas moradas” preparadas “na casa” de Seu Pai (João 14:1-3; ver também Apocalipse 21:3; 22:3 e 4).

      Assim, a versão em espanhol Nueva Reina-Valera 2000 está correta ao traduzir Lucas 23:43 como: “Então Jesus lhe respondeu: ‘Eu te asseguro hoje, estarás comigo no paraíso’.” E esse paraíso é o próprio “paraíso de Deus” (Apocalipse 2:7), onde Cristo habita com Seu Pai, e para onde serão levados os remidos de todas as épocas (Apocalipse 7:9-17).

      Seja feliz!
      Equipe Bíblia Fácil



  • vania de oiveira em 12 de março de 2013 17:33

    A amada paz do grande Deus a todos.Parabéns por este programa,que tem a graça de ensinar esclarecendo,isto é gratificante,e é o que outros deviam estar fazendo pregando a palavra de Deus com todo direito de verdade,do que, ou quem ,realmente leva a salvaçao que é ;nosso senhor Jesus Cristo..em vez de esta mostrando sensacionalismo …Olha eu sou presbiteriana renovada e amo muito a novo tempo,tenho aprendido e tirado muitas dúvidas e gostaria de ter acesso a uma apostilha com estes estudos Bíblicos para eu poder ensinar com mais clareza em meus dicipulados,Se possível me enviar ficarei feliz e agradecida,com perguntas ,respostas e as passagens. Deus abençoa grandiosamente aos amados irmãos em Cristo.



    • J.Washington em 20 de março de 2013 19:01

      Vania, gostamos muito de sua participação. Obrigado pelas palavras e interesse em estudar mais a Palavra de Deus.
      Veja o link abaixo para receber o nosso guia de estudos:

      http://migre.me/dLzfu

      Seja feliz!
      Equipe Bíblia Fácil



  • Elisangela Freitas em 12 de março de 2013 16:42

    Já recebi meu estudo bíblico e acompanho os programas,é um material muito bom para estarmos mais atenta as coisas de Deus.
    Que o senhor Jesus continue abençoando todos e esse lindo ministério.
    Muito obrigada Elisangela Freitas



    • J.Washington em 20 de março de 2013 19:07

      Elisangela, estamos felizes por você está estudando mais a Palavra do Senhor. Contamos com suas orações.

      Seja feliz!
      Equipe Bíblia Fácil



  • norival jacinto em 11 de março de 2013 0:35

    PREZADO PASTOR, ESCUTEI O SR. DIZER , QUE NINGUEM SABE O DIA DA VOLTA DE CRISTO, NEM O FILHO, NEM OS ANJOS SOMENTE O PAI, E SE ALGUEM FIZER ESSA PREVISÃO COM CERTEZA SERIA UM FALSO PROFETA. LENDO ALGUNS LIVROS DA SRA. ELLEN WHITE, ELA CONFIRMA QUE O SR. MILLER, FOI REALMENTE INSTRUIDO POR DEUS PARA SABER O DIA , OU SEJA O ANO DE 1844 E TAMBEM ESTAVA PRESENTE NO DIA DO GRANDE DESAPONTAMENTO ACRIDITANDO QUE SERIA O DIA REALMENTE DA VOLTA DE CRISTO. AGORA A PERGUNTA. COMO UMA VERDADEIRA PROFETIZA IRIA CONCORDAR COM ESSA PREVISÃO. AGUARDO RESPOSTA.



    • J.Washington em 20 de março de 2013 19:13

      Norival, biblicamente falando, Cristo é Deus no mais pleno sentido da palavra (Colossenses 2:9) e na palavra de Deus encontramos dois tipos de texto referente a Cristo. Aqueles que exaltam a Sua Divindade (João 1:1-3; João 10:30; 1 João 5:20) e aqueles que mostram a submissão funcional de Cristo na sua condição de encarnado esses dois citados por você são ótimos exemplos.

      Para entendermos isso existe um texto bíblico muito esclarecedor que está em Filipenses 2:6,7 que diz: “Ele tinha a natureza de Deus, mas não tentou ficar igual a Deus. Pelo contrário, ele abriu mão de tudo o que era seu e tomou a natureza de servo, tornando-se assim igual aos seres humanos. E, vivendo a vida comum de um ser humano” (NTLH- Nova Tradução na Linguagem de Hoje).

      Em outras traduções encontra-se a referência que Cristo se esvaziou, ou seja, mesmo sendo Divino, Ele escondeu a Sua divindade na humanidade e não usou o Seu poder divino em favor de si mesmo, pois se o tivesse feito, Satanás poderia tê-lo acusado de vencer o mal com o Seu poder de Deus.

      Por isso, em Sua condição de encarnado, Cristo realmente não sabia o dia de Sua volta e pediu ao Pai que se possível fosse passasse dEle o cálice de provar as consequências da morte eterna. Por esses textos podemos ter uma pequena compreensão do grande mistério da piedade (1 Timóteo 3:16). Lembrando que o termo mistério em grego misterion significa verdade que estava oculta e foi revelada.

      Seja feliz!
      Equipe Bíblia Fácil



  • Márcio Antunes da Silva em 10 de março de 2013 17:47

    Pastor Arilton Oliveira assiste o programa Bíblia Fácil pela TV Novo Tempo, e ouvi sobre o Monte da Transfiguração, que Moisés foi ressuscitado (Livro de Judas 1:9) o que é verdadeiro e bíblico, e Elias estiveram com Jesus no Monte da Transfiguração. Agora há indício na Bíblia que Enoque, Elias e Moisés, já estão no céu; e também na ocasião da morte de Jesus na Cruz do Calvário,lendo Mateus no capítulo 27 nos versículos de 51 a 53 que está escrito:”Eis que o véu do santuário se rasgou em duas partes de alto a baixo; tremeu a terra, fenderam-se as rochas; abriram-se os sepulcros, e muitos corpos de santos, que dormiam, ressuscitaram; e, saindo dos sepulcros depois da ressurreição de Jesus, entraram na cidade santa e apareceram a muitos.” e lendo também Apocalipse 4:4, onde está escrito: Ao redor do trono (de Deus, na visão do apóstolo João), há também 24 (vinte e quatro) tronos, e assentados neles, 24 (vinte e quatro) anciãos vestidos de branco, em cujas cabeças estão coroas de ouro.” e lendo pela Bíblia, Apocalipse 4: 9 até 11; e Apocalipse 5: 2 até 12; é claro que demonstra que existem 24 (vinte e quatro) anciãos no trono de Deus no céu; e que provavelmente devem ser alguns daqueles corpos de santos que ressuscitaram na morte de Jesus na Cruz e na ressurreição de Jesus, e ministram ajudando no trabalho do Santuário no céu. Portanto, a Bíblia mostra que no céu, estão Enoque, Elias, Moisés e 24 anciãos, com corpos glorificados. E aquelas pessoas que vieram a falecer, estão no pó da Terra, aguardando a Volta de Jesus em Glória e Majestade, com grande clangor de trombetas e com milhões e milhões de anjos celestiais. E também não há base bíblica para que acredite-se que aqueles que morrem estão no paraíso, inferno e ou purgatório, tampouco que haverá um arrebatamento secreto; que grande parte das denominações evangélicas ensinam, baseados em uma parábola de Jesus em Mateus 24 : 40 a 42, onde esta escrito: “ Então, dois estarão no campo, um será tomado, e deixado o outro; duas estarão no moinho, uma será tomada, e deixada a outra. Portanto, vigiai, porque não sabeis em que dia vem o vosso Senhor.” É então criada essa doutrina do arrebatamento secreto, através desses versos desta parábola (da figueira); e é um princípio primário não criar uma doutrina, a partir de uma parábola; principalmente que o contexto está voltado para vigiar e preparar-se para Aquele Grandioso Dia da Volta do Senhor Jesus nas nuvens dos Céus. Outros ainda se apegam a um verso na Bíblia, que diz que a alma volta para Deus; essa alma que volta para Deus é o nefesh em hebraico, que significa espírito ou fôlego de vida, que será novamente dado aos que morreram em Cristo, e que serão ressuscitados e transformados em corpo glorificado no Grandioso Dia da Volta do Senhor Jesus no nosso Planeta Terra. Pastor Arilton de Oliveira, desejo que Deus continue abençoando você e o Programa “Bíblia Fácil” da TV Novo Tempo. Um Abraço Fraternal a todos.



    • J.Washington em 20 de março de 2013 19:25

      Marcio, no texto de Tessalonicenses 5:23, com a expressão “espírito, alma e corpo”, Paulo não está ministrando um estudo sistemático sobre a natureza de homem, mas está dando plena certeza que nenhuma parte da vida do convertido permanece sem ser tocada pelo poder santificador de Deus. Às vezes, a Bíblia usa o linguajar popular do homem e suas possíveis partes, seja corpo e alma, ou corpo e espírito (veja em Mateus 10:28; Romanos 8:10; 1 Coríntios 5:3; 7:34). Em Tessalonicenses esse jeito popular de dizer é usado para enfatizar que nenhuma parte do homem está excluída da influência da santificação. É possível ver significado especial nas divisões que Paulo faz.

      Por “espírito” (pneuma [em grego], veja em Lucas 8:55) pode ser entendido o princípio mais alto de inteligência e pensamento com que o homem é dotado, e com o qual Deus pode comunicar-se por Seu Espírito (veja em Romanos 8:16). É pela renovação da mente pela ação do Espírito Santo que o indivíduo é transformado à semelhança de Cristo (veja Romanos 12:1, 2).

      Por “alma” (psuche veja em Mateus 10:28), quando distinguido de espírito, pode ser entendido aquela parte da natureza humana que se expressa pelos instintos, emoções, e desejos. Esta parte da natureza da pessoa pode ser santificada, também. Quando, pela atuação do Espírito Santo, a mente é trazida em conformidade com a mente de Deus, e a razão santificada passa a ter o controle da natureza mais baixa, os impulsos que de outra forma seriam contrários à Deus se tornam sujeito à sua vontade. Assim o cristão humilde pode alcançar tal altura de santificação que ao estar obedecendo a Deus ele realmente está levando a cabo seus próprios impulsos. Ele se deleita em fazer a vontade de Deus. Ele tem a lei de Deus em seu coração (veja Salmo 40:8; Hebreus 8:10).

      O significado de “corpo” (soma) parece evidente. É a estrutura corporal — carne, sangue e ossos — que é controlada pela natureza superior ou inferior. Quando a mente santificada está no controle, o corpo não é abusado. A saúde floresce. O corpo se torna um instrumento adequado através do qual o cristão ativo pode servir a seu Mestre. Santificação que não inclua o corpo não é completa. Nossos corpos são templos de Deus. Nós deveríamos sempre buscar mantê-lo santo e glorificar a Deus através dele (1 Coríntios 6:19, 20).

      É necessário mencionar que embora a Bíblia fale de duas ou três partes no homem, o faz apenas para efeito didático. Temos componentes mentais, emocionais e físicos, mas somos indivisíveis. Tanto a Bíblia como o nosso linguajar comum e poético não pervertem as coisas. Por exemplo, quando a Bíblia diz que “saiu-lhe a alma e expirou, quer simplesmente dizer: morreu. Quando dizemos “quer uma mãozinha”, “estou distante mas minhas mãos estão estendidas até você”; não pensamos em mão pequena, nem mão de borracha, apenas entendemos: “estou pronto para ajudá-lo”. Quando dizemos “põe a mão na consciência”, ninguém entende que a mão tem tal capacidade; entendemos: “reflita no assunto”.

      Quando Jesus disse: temei aqueles que podem matar o corpo e a alma, Ele deu-nos a entender duas coisas:
      1) Para aqueles que pensam que a alma é imortal Ele disse: cuidado; pois ela pode morrer;
      2) O sentido correto e simples é: “cuidado com o morrer sem estar preparado para a vida eterna, pois de quê adianta ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua vida” (alma)?

      Portanto, as expressões corpo, alma, espírito, coração, rins, pés, mãos, usadas na Bíblia podem receber a interpretação normal que damos a elas sem o vício da interpretação pagã. A sequência apresentada por Paulo – primeiro o espírito, então a alma e finalmente o corpo – não é mera coincidência. Quando o espírito é santificado, a mente se encontra sob o controle divino. A mente santificada, por sua vez, exercerá influência santificadora sobre a alma, ou seja, sobre os desejos sentimentos e emoções. A pessoa em cuja vida a santificação está presente, não irá abusar do corpo, de modo que a saúde física também florescerá. Portanto, o corpo se torna um instrumento santificado através do qual o cristão pode servir ao seu Senhor e Salvador. O apelo de Paulo no tocante à santificação acha-se claramente embasado no conceito da unidade da natureza humana e revela que a efetiva preparação para o segundo advento de Cristo necessita do preparo da pessoa como um todo.

      Seja feliz!
      Equipe Bíblia Fácil



  • João em 10 de março de 2013 15:23

    Pastor, amei seus comentários com relação à volta de Jesus, no entanto, eu fiquei com uma dúvida. Caso Jesus voltasse hoje, eu fosse salvo e um dos meus filhos fosse condenado, eu veria ele ser condenado? E eu sentiria pena ou falta dele quando eu estivesse no paraíso? Obrigado pela atenção.



    • J.Washington em 20 de março de 2013 19:29

      João, com relação ao que você nos perguntou sobre o julgamento, Romanos 14:12 e 2 Coríntios 5:10 afirmam que cada um de nós será julgado por Deus de forma individual. Mas esta parte do julgamento é o julgamento que já está acontecendo no céu. Deus está julgando cada um de nós até a Sua volta. Quando Ele voltar, aqueles que, de acordo com este julgamento, estiverem salvos (Mateus 16:27), serão ressuscitados e levados para o céu para lá viverem por mil anos (o milênio) onde, então, os registros dos céus serão abertos para que todos entendam o porquê de cada salvação e de cada perdição. Os ímpios, ou seja, os que não aceitaram Jesus como seu Salvador pessoal, permanecerão mortos durante o milênio e serão ressuscitados após o milênio, quando todos os salvos já terão compreendido a justiça de Deus. Veja que, num primeiro momento, todo o universo não caído entenderá a justiça de Deus.

      O livro de Daniel no capítulo 7 e versículos 9 e 10 diz: “Continuei olhando, até que foram postos uns tronos, e o Ancião de Dias se assentou; sua veste era branca como a neve, e os cabelos da cabeça, como a pura lã; o seu trono eram chamas de fogo, e suas rodas eram fogo ardente. Um rio de fogo manava e saía de diante dele; milhares de milhares o serviam, e miríades de miríades estavam diante dele; assentou-se o tribunal, e se abriram os livros”. Este texto ilustra perfeitamente o julgamento que acontece agora até a volta de Jesus. Os anjos e os outros mundos não caídos são testemunhas do julgamento de todas as pessoas. Num segundo momento, após a volta de Jesus, os registros serão abertos para os salvos (durante o milênio).

      Os textos a seguir mostram que durante o milênio os salvos terão acesso aos registros celestiais para entender o porquê que alguns foram salvos e outros não (neste período os ímpios estarão mortos na terra – 1 Cor. 6:2 e 3; Apoc. 20:4). Na primeira fase do juízo investigativo, os anjos terão acesso ao registro da vida de cada um; na segunda fase do juízo, a fase de comprovação que ocorre durante o milênio, os justos terão acesso aos registros da vida daqueles que não foram salvos. Este “prestar contas” é importante para que todo o universo tenha certeza de que Deus lidou corretamente com o pecado dos pecadores. Deus permite-se avaliar (Rom 3:4 – “Que Deus continue a ser verdadeiro, mesmo que todas as pessoas sejam mentirosas.

      Como dizem as Escrituras Sagradas a respeito dele: ‘Que fique provado que tu tens razão quando falas e que sejas vencedor quando fores julgado’”).

      Resumindo, podemos entender que o julgamento individual é o que está acontecendo agora. Deus está julgando a cada um, um por vez, diante dos anjos e dos mundos caídos. Mas quando Ele voltar e for prestar contas a nós, será mostrado a todos os que estiverem salvos o livro da vida para que os seres humanos possam avaliar se Deus foi realmente justo. Após esta etapa, Jesus voltará à Terra, os ímpios serão ressuscitados e, então, haverá o fim de tudo. Maiores detalhes sobre isto em um material que estou lhe enviando em anexo intitulado “Como se dará o julgamento final diante de Deus?”.

      Nisto está o segredo do seu sucesso na vida cristã: “Bem-aventurados aqueles que lêem e aqueles que ouvem as palavras da profecia e guardam as coisas nela escritas, pois o tempo está próximo.” Apocalipse 1:3.

      Seja feliz!
      Equipe Bíblia Fácil



  • Rosana Viana de Oliveira Santos em 10 de março de 2013 2:30

    Olá Pastor! Assisti o programa e gostei muito,sempre que posso assisto,gosto muito.Eu fiz inscriçao para participar do proximo programa,preciso e quero muito poder participar mas nao tenho como gravar o video como é pedido,como eu faço? Assisto a novo tempo desde junho do ano passado e vou `a igreja em Tremembe com meus vizinhos que sâo^adventistas,pretendo ser batizada,estou me preparando para isto.Assisti o dia que voce realizou um batismo no Cevisa e fiqei maravilhada e pensei:vou querer ser batizada no Cevisa pelo pastor,se for da vontade de Deus,entreguei nas maos Dele,que seja feita a vontade Dele,Amén.Um grande abraço e parabéns,Rosana



    • J.Washington em 20 de março de 2013 19:32

      Rosana, Deus seja louvado por sua disposição e decisão ao lado da verdade.
      Encaminhamos seu e-mail para a produção do programa.

      Seja feliz!
      Equipe Bíblia Fácil



  • crisley alves de aleluia em 10 de março de 2013 1:56

    ola!pastor Arilton e td equipe da tv novo tempo.O tema abordado sobre a volta de Cristo foi muito bom esclareceu duvidas sobre o “arrebatamento” q era algo muito confuso pra mim,se Deus diz na sua palavra q Ele nao e Deus de confusao.E tambem me deu uma informacao da qual nao sabia:a resurreicao dos q morreram sem a esperanca da Salvacao.Atraves dos estudos q venho acompanhando o Espirito Santo vem movendo meu ser a render me ao pes de Jesus,ja fui membro de uma determinada igreja evangelica nao permaneci mas la desde do dia q descobri, atraves da radio novo tempo, q a volta de Jesus nao sera secreta td olho vera.(os vivos e os mortos q aguardam a volta de Cristo)!muito obrigada! Q Deus os abencoe!



    • J.Washington em 20 de março de 2013 20:25

      Crisley, a Bíblia ensina que vão ocorrer duas ressurreições: “Não vos maravilheis disto, porque vem a hora em que todos os que se acham nos túmulos ouvirão a sua voz e sairão: os que tiverem feito o bem, para a ressurreição da vida; e os que tiverem praticado o mal, para a ressurreição do juízo” (João 5:28-29). Outro texto muito esclarecedor é Apocalipse 20:5-6: “Os restantes dos mortos não reviveram até que se completassem os mil anos. Esta é a primeira ressurreição. Bem-aventurado e santo é aquele que tem parte na primeira ressurreição; sobre esses a segunda morte não tem autoridade; pelo contrário, serão sacerdotes de Deus e de Cristo e reinarão com ele os mil anos” (Apocalipse 2:11).

      Ocorrerá uma ressurreição por ocasião da volta de Cristo, que será somente a ressurreição dos justos (1 Tessalonicenses 4:16); e outra ressurreição que será após o período dos mil anos – a ressurreição dos maus (Apocalipse 20:5). Essa segunda ressurreição não será com o intuito de dar outra chance de salvação para os ímpios, pois a Bíblia diz que nossa chance de salvação é apenas nesta vida (2 Coríntios 6:1-2; Hebreus 3:7-8; 9:27) e que a segunda morte não tem autoridade apenas sobre aqueles que participaram da primeira ressurreição (Apocalipse 20:6). O objetivo de tal ressurreição final dos ímpios é castigá-los (Lucas 12:47, 48) e depois destruí-los definitivamente:

      Quando, porém, se completarem os mil anos, Satanás será solto da sua prisão e sairá a seduzir as nações que há nos quatro cantos da terra, Gogue e Magogue, a fim de reuni-las para a peleja. O número dessas é como a areia do mar. Marcharam, então, pela superfície da terra e sitiaram o acampamento dos santos e a cidade querida; desceu, porém, fogo do céu e os consumiu” (Apocalipse 20:7-9).

      Perceba que nesse verso a Bíblia diz que ao se completarem os mil anos e ocorrer a ressurreição dos maus, Satanás sairá para enganar as nações com o intuito de reuni-las para tomar a Cidade Santa de Deus, que descerá do Céu nesse período (Deus fará sua morada aqui, na Terra renovada). Juntamente com Satanás, essa hoste de ímpios tentará tomar a Cidade de Deus e, no momento em que se aproximarem para fazê-lo, sairá fogo e consumirá a todos. O motivo da ressurreição dos ímpios não é dar-lhes outra chance, mas sim castigá-los e destruí-los de uma vez por todas, para que o pecado tenha fim. Deus terá de fazer isso com lágrimas nos olhos. Ele respeitará a decisão que cada um tomou durante a vida de renegar a salvação por meio de Jesus.

      No fim dos tempos, quando Jesus voltar, haverá duas classes de pessoas: os preparados (Isaías 25:9) e os despreparados (Apocalipse 6:14-17). A qual delas você irá pertencer? Aceite a Jesus como o seu Salvador. Ele quer dar-lhe a vida eterna e lhe proporcionar a oportunidade de encontrar, na primeira ressurreição, seus entes queridos que um dia a morte levou. Entregue sua vida a Ele agora mesmo!

      Seja feliz!
      Equipe Bíblia Fácil



  • Márcio Antunes da Silva em 9 de março de 2013 22:37

    Pastor Arilton Oliveira assiste o programa Bíblia Fácil pela TV Novo Tempo, e ouvi sobre o Monte da Transfiguração, que Moisés foi ressuscitado (Livro de Judas 1:9) o que é verdadeiro e bíblico, e Elias estiveram com Jesus no Monte da Transfiguração. Agora há indício na Bíblia que Enoque, Elias e Moisés, já estão no céu; e também na ocasião da morte de Jesus na Cruz do Calvário,lendo Mateus no capítulo 27 nos versículos de 51 a 53 que está escrito:”Eis que o véu do santuário se rasgou em duas partes de alto a baixo; tremeu a terra, fenderam-se as rochas; abriram-se os sepulcros, e muitos corpos de santos, que dormiam, ressuscitaram; e, saindo dos sepulcros depois da ressurreição de Jesus, entraram na cidade santa e apareceram a muitos.” e lendo também Apocalipse 4:4, onde está escrito: Ao redor do trono (de Deus, na visão do apóstolo João), há também 24 (vinte e quatro) tronos, e assentados neles, 24 (vinte e quatro) anciãos vestidos de branco, em cujas cabeças estão coroas de ouro.” e lendo pela Bíblia, Apocalipse 4: 9 até 11; e Apocalipse 5: 2 até 12; é claro que demonstra que existem 24 (vinte e quatro) anciãos no trono de Deus no céu;e que então alguns daqueles corpos de santos que ressuscitaram na morte de Jesus na Cruz e na ressurreição de Jesus são esses 24 anciãos ministram ajudando no trabalho do Santuário no céu. Portanto, a Bíblia mostra que no céu, estão Enoque, Elias, Moisés e 24 anciãos, com corpos glorificados; e aquelas pessoas que vieram a falecer, estão no pó da Terra, aguardando a Volta de Jesus em Glória e Majestade, com grande clangor de trombetas e com milhões e milhões de anjos celestiais. Abraços, e que Deus abençoando esse programa, que é inspirado pelo Espírito Santo de Deus.



    • J.Washington em 20 de março de 2013 20:28

      Márcio, qunato aos 24 anciãos, os adventistas muitas vezes os identificam como aqueles que se levantaram de suas tumbas quando Cristo ressuscitou (Mateus 27: 52-53; cf. Efésios 4: 8), pois esse é um grupo que se sabe que foi ressuscitado. A ressurreição principal, porém ainda se acha no futuro (1 Tessalonicenses 4: 16). Outra interpretação compara os 24 anciãos com as 24 ordens do sacerdócio levítico. Da mesma maneira como os sacerdotes ministravam diante de Deus no santuário terrestre, assim também João vê os 24 anciãos que ministram no santuário celestial.

      Outros sugerem que os 24 anciãos simbolizam ao Israel em seu sentido mais amplo. Dois anciãos para cada tribo: um que simboliza Israel literal, o povo de Deus antes da cruz; e o outro, ao Israel espiritual, a igreja cristã, o povo de Deus depois da cruz. Desta maneira podem ser comparados com os 12 patriarcas e os 12 apóstolos. Este parecer destaca o caráter simbólico destas representações, em vez de considerar como santos literais que estão agora no céu.

      Alguns intérpretes entendem que os 24 anciãos sejam anjos e não seres humanos. Eles põem a ênfase em que se descreve os anciãos como ministrando as orações dos Santos (capítulo 5: 8), uma obra – dizem eles – que dificilmente seria encomendada a seres humanos.

      Seja feliz!
      Equipe Bíblia Fácil



  • ROSANA COTTA em 9 de março de 2013 20:18

    Tanta iluminação nos servos de Deus da igreja Adventistas…



    • J.Washington em 21 de março de 2013 17:15

      Rosana, agradecemos suas palavras e carinho. Deus seja louvado!

      Seja feliz!
      Equipe Bíblia Fácil



  • Márcio Antunes da Silva em 9 de março de 2013 19:17

    Pastor Arilton Oliveira assiste o programa Bíblia Fácil pela TV Novo Tempo, e ouvi sobre o Monte da Transfiguração, que Moisés foi ressuscitado (Livro de Judas 1:9) o que é verdadeiro e bíblico, e Elias estiveram com Jesus no Monte da Transfiguração. Agora há indício na Bíblia que Enoque, Elias e Moisés, já estão no céu; e também na ocasião da morte de Jesus na Cruz do Calvário,lendo Mateus no capítulo 27 nos versículos de 51 a 53 que está escrito:”Eis que o véu do santuário se rasgou em duas partes de alto a baixo; tremeu a terra, fenderam-se as rochas; abriram-se os sepulcros, e muitos corpos de santos, que dormiam, ressuscitaram; e, saindo dos sepulcros depois da ressurreição de Jesus, entraram na cidade santa e apareceram a muitos.” e lendo também Apocalipse 4:4, onde está escrito: Ao redor do trono (de Deus, na visão do apóstolo João), há também 24 (vinte e quatro) tronos, e assentados neles, 24 (vinte e quatro) anciãos vestidos de branco, em cujas cabeças estão coroas de ouro.” e lendo pela Bíblia, Apocalipse 4: 9 até 11; e Apocalipse 5: 2 até 12; é claro que demonstra que existem 24 (vinte e quatro) anciãos no trono de Deus no céu;e que então alguns daqueles corpos de santos que ressuscitaram na morte de Jesus na Cruz e na ressurreição de Jesus são esses 24 anciãos que ministram ajudando no trabalho do Santuário no céu. Portanto, a Bíblia mostra que no céu, estão Enoque, Elias, Moisés e 24 anciãos, com corpos glorificados; e aquelas pessoas que vieram a falecer, estão no pó da Terra, aguardando a Volta de Jesus em Glória e Majestade, com grande clangor de trombetas e com milhões e milhões de anjos celestiais, sem nenhum arrebatamento secreto (que é uma doutrina feita a partir de uma parábola, ao qual é princípio primário, de que não se criam doutrinas, a partir de parábolas). Pastor Arilton de Oliveira que Deus continue abençoando este divino programa que se chama: Bíblia Fácil da TV Novo Tempo. Abraços.



    • J.Washington em 21 de março de 2013 14:16

      Márcio, o que podemos dizer sobre a crença popular do arrebatamento secreto é o seguinte:

      Simplesmente não está na Bíblia. O verso que fala de maneira mais vívida sobre os santos sendo levados ao Céu está no capítulo 4 de 1 Tessalonicenses:

      “Porquanto o Senhor mesmo, dada a sua palavra de ordem, ouvida a voz do arcanjo, e ressoada a trombeta de Deus, descerá dos céus, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro; depois, nós, os vivos, os que ficarmos, seremos arrebatados juntamente com eles, entre nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e, assim, estaremos para sempre com o Senhor”. 1 Tessalonicenses 4:16, 17.

      Aqui temos um chamado, a voz do Arcanjo, e a trombeta de Deus. Nenhuma dessas coisas indicaria uma vinda secreta. Não é por acaso que esse texto é chamado de “o verso mais barulhento da Bíblia”.

      O arrebatamento secreto foi baseado num processo da teologia conhecida como dispensacionalismo, ensinado em muitas escolas de Bíblia que preparavam ministros para os púlpitos norte-americanos. A ordem dos eventos ensinada por este sistema é:

      1º: O arrebatamento (ressurreição dos justos, santos sendo levados ao céu);
      2º: A grande tribulação;
      3º: A segunda vinda (na realidade, a terceira) em poder e glória;
      4º: O milênio.
      Esta ordem difere da ordem apresentada nas Escrituras. Eis os eventos na ordem como estão na Bíblia:

      Mateus 24
      1º: A grande tribulação (verso 29);
      2º: O escurecimento do Sol e da lua, a queda de estrelas (verso 29);
      3º: A vinda gloriosa do Salvador em poder e majestade (verso 30);
      4º: O arrebatamento visível dos justos (verso 31).

      Marcos 13
      1º: A tribulação (verso 24);
      2º: O escurecimento do Sol e da Lua, a queda das estrelas (versos 24,25);
      3º: Segunda vinda de Cristo em poder e glória (verso 26);
      4º: Os santos são levados para o céu (verso 31).

      Lucas 21
      1º: Os eventos da tribulação (versos 25,26);
      2º: Sinais no Sol, na Lua, e nas estrelas (verso 25);
      3º: Segunda vinda de Cristo em poder e glória (verso 27).

      1 Tessalonicenses 4
      1º: Segunda vinda de Jesus em poder e glória (verso 16);
      2º: A ressurreição dos justos (verso 16);
      3º: Os santos são levados para o céu de maneira visível (verso 17).

      Apocalipse 6
      1º: Terremoto, escurecimento do Sol, a Lua se torna sangue e a queda das estrelas – meteoros (versos 12, 13);
      2º: Segunda vinda de Jesus com poder e muita glória (versos 14-17).

      Joel 2
      1º: Escurecimento do Sol e da Lua (verso 31);
      2º: Segunda vinda de Jesus em glória e majestade (verso 32);
      Não é surpreendente que nenhuma das referências bíblicas dê a ordem dispensacionalista dos eventos?
      Se o arrebatamento secreto não é bíblico, por que tantos pregadores cristãos sinceros falam sobre ele?
      Cada vez mais os pregadores cristãos sinceros estão descobrindo que não é bíblico e estão abandonando esse ensinamento. Como um escritor afirma:

      “O afastamento magnético do Arrebatamento pode ser descrito como uma rua de mão única sem ninguém na contramão – e já se pensa em aumentar a largura para suportar mais tráfego” (Dave McPherson, The Great Rapture Hoax, pág. 13).
      O Dr. Roland V. Bingham, editor de Evangelical Christian (Cristão Evangélico), conta como sua esposa chegou a ele uma noite: – Tenho que ensinar sobre a segunda vinda na minha classe da escola dominical amanhã. Tenho procurado provas do arrebatamento secreto, mas parece que não consigo encontrá-las na Bíblia. Você poderia, por favor, me ajudar a encontrar os textos?”

      – Ah, isso é fácil – ele respondeu desembaraçadamente. Leia 1 Tessalonicenses 4:16.
      – Mas eu já li, e é o verso mais ruidoso (barulhento) da Bíblia!
      O Dr. Bingham deu início a uma profunda pesquisa das Escrituras. Mais tarde ele escreveu:
      “As semanas que se seguiram àquela inocente pergunta e o problema em que me colocou, é uma outra história. Se você aceita a teoria de um arrebatamento secreto da igreja, tente fazer esta pergunta para você mesmo” (H. A. Ironside, The Great Parenthesis, pág. 23).

      Um tempo depois, um amigo seu, G. Campbell Morgan, escreveu uma carta ao Sr. Bingham dizendo: “Suponho que posso dizer que, através dos anos, passei por uma experiência muito parecida com a sua em relação a estas questões proféticas. A frase ‘arrebatamento secreto’ foi para mim, por logo tempo, muito questionável, e absolutamente sem garantias, e sem base nas Escrituras” (Ibidem, pág. 13).

      W. J. Eerdman, um dos maiores expositores da teoria do arrebatamento secreto, e um dos editores consultores da Scofield Reference Bible, escreveu:

      “Se alguém menosprezasse a crença de que Jesus virá a qualquer momento, como se isso tirasse o seu sossego, seria suficiente responder com as palavras do ditado: ‘Melhor a decepção da verdade do que a falsa promessa do erro’” (Ibidem, pág. 35).

      Outros importantes líderes cristãos que mudaram seu ponto de vista são: Charles R. Eerdman, A. J. Gordon, Henry W. Frost, Dr. Harold Ockenga, Phillip Mauro, George Ladd, e muitos outros.

      Existem alguns pregadores e teólogos que não recusam a teoria do arrebatamento, mas que têm expressado dúvidas quanto à sua validade. Harry Ironside, um dos maiores promotores da teoria, confessou a R. Stanley Payne, da estação de rádio de Moody WMBI: “Eu sei que o processo que ensino é cheio de falhas, mas estou muito velho e já escrevi muitos outros livros para fazer qualquer mudança” (Dave McPherson,The Great Rapture Hoax, pág. 86).
      Mesmo aqueles que ensinaram ou ainda ensinam a teoria do arrebatamento admitem que ela não está na Bíblia. C.I. Scofield, autor da Bíblia de Referência Scofield, retratou o arrebatamento como algo completamente novo, algo que não foi mencionado pelos profetas bíblicos. [C. I. Scofield, “The Return of Christi in Relation to the Church” (A Volta de Cristo em Relação à Igreja), Bibliotheca Sacra CIX, 1952, pág. 5].

      John Walvoord diz: “A partida da igreja da Terra obviamente causará um grande alvoroço, embora a Bíblia nunca pareça referir-se diretamente a isto” (John Walvoord, “Christ´s Olivet Discourse on the End oh the Age”, Bibliotheca Sacra CXXVIII, 1971, p. 114).

      William Herrison diz:

      “O fato de que em lugar algum o Novo Testamento declara expressamente que o arrebatamento precede ou não a tribulação, leva à conclusão mais profunda de que o tempo do arrebatamento em relação à grande tribulação deve ser deduzido de uma análise cuidadosa das passagens que são relevantes”. (William K. Harrison, “The Time of the Rapture as Indicated in Certain Scriptures” [A Época do Arrebatamento Indicada em Algumas Escrituras]. Bibliotheca Sacra CXIV, 1957, pág. 318).

      Em Mateus 24:40, 41, lemos: “Então, estando dois no campo, será levado um, e deixado o outro; estando duas moendo no moinho será levada uma, e deixada outra”. Isso não prova que haverá um arrebatamento secreto da igreja?

      Existem três razões por que esta passagem não se refere a um arrebatamento secreto:

      1. No contexto de Mateus, vemos uma aparição literal e visível de Cristo:
      a) “Porque, assim como o relâmpago sai do oriente e se mostra até o ocidente, assim será também a vinda do filho do homem” (verso 27);
      b) “… todas as tribos da terra” verão Sua chegada (verso 30);
      c) Sua vinda será “sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória” (verso 30);
      d) Seus anjos vão reunir os eleitos com um “clamor de trombetas” (verso 31).

      2. Tudo que está relacionado à natureza de uma vinda secreta é atribuído a “falsos cristos”. (versos 24-26);

      3. Os que são deixados para trás não podem continuar em seus afazeres normais como a teoria do arrebatamento secreto ensina. Seu destino é descrito no verso 51:“e separá-lo-á, e destinará a sua parte com os hipócritas; ali haverá pranto e ranger de dentes”.

      Os teólogos dispensacionalistas não ensinam que o arrebatamento é encontrado em Mateus 24. John Darby, um dos criadores do ensino do arrebatamento secreto, e John Walvoord, um importante teólogo dispensacionalista, dizem:
      “É importante ter em mente, no estudo de Mateus 24 e 25, que o arrebatamento não é mencionado nesses capítulos”. (Ver Kelly, The Writings of J. N. Darby, volume IV, págs. 52, 53)

      “… o arrebatamento não é encontrado em lugar nenhum em Mateus, Marcos, ou Lucas (ou em qualquer outra parte do Sermão da Montanha). (Ver John Walvoord, “Christ’s Olivet Discourse on the End of the Age”, Biblioteca Sacra CXXVIII, 1971, pág. 114).

      Paulo diz em 1 Tessalonicenses 5:2 que a vinda de Cristo será como um “ladrão de noite”. Um ladrão vem sem fazer barulho, e esta é minha razão para acreditar no arrebatamento secreto.

      A ilustração de um “ladrão” que vem à noite é usada três vezes na Bíblia: por Cristo, em Mateus 24:43; Paulo. em 1 Tessalonicenses 5:2 e por João, em Apocalipse 3:3. Existem duas perguntas que precisam se respondidas em relação a estas passagens:

      1. Qual o propósito da ilustração? Seria inconcebível assumir que a vinda de Cristo seria como um ladrão em todos os aspectos. Ele é desonesto quanto um ladrão? Ele é digno de desprezo quanto um ladrão?
      Também poderia ser comentado que nem todos os ladrões fazem seu trabalho em silêncio. Alguns deles são bem violentos. Geralmente, seus arrombamentos vêm acompanhados de muito barulho e confusão.
      1 Tessalonicenses 5 começa com o assunto “dos tempos e das estações” (verso 1). Os versos 3 e 4 falam sobre a repentina destruição que virá. Paulo está falando claramente que a segunda vinda de Cristo será tão repentina quanto a do ladrão que chega à noite. Ele não está falando sobre nenhum outro aspecto de um ladrão, e não há nenhum fundamento para fazer alguma comparação entre Cristo e um ladrão, além da que foi proposta pelo próprio texto.

      A ilustração do ladrão em Mateus 24 é usada exatamente da mesma maneira. Os versos 36-44 falam sobre a natureza inesperada da vinda de Cristo. Ele introduz o assunto com as palavras: “Porém, daquele dia e hora ninguém sabe”, (verso 36) e termina com as palavras: “Por isso, estai vós apercebidos também; porque o Filho do homem há de vir à hora em que não penseis” (verso 44).

      Apocalipse 3:3 diz: “E, se não vigiardes, virei sobre ti como um ladrão, e não saberás a que hora sobre ti virei”. Mais uma vez, a analogia do ladrão ilustra Seu aparecimento repentino. Nenhum dos textos refere-se ao evento como sendo secreto.

      2. Qual o contexto das passagens? Todas as três falam sobre uma aparição pública. O livro do Apocalipse diz: “Eis que vem com as nuvens e todo olho o verá”. Apocalipse 1:7.

      1 Tessalonicenses 5:3 completa: “Pois, que, quando disserem: Há paz e segurança, então lhes sobrevirá repentina destruição”. Já a teoria do arrebatamento ensina que a repentina destruição não virá sobe eles, mas que continuarão numa tribulação de sete anos. Algo totalmente o contrário do que acabamos de ler em 1 Tessalonicenses 5:3.
      Nenhuma das ilustrações do “ladrão de noite” sugere uma vinda secreta. Apenas se tiradas de seu contexto…

      Qual é o erro em crer que Jesus “já veio” ou que “virá secretamente?”

      Primeiro: isto não é ensinado pelas Escrituras. Segundo: todo aquele que pratica ou aceita algo que não é verdade, ficará fora do reino dos céus (Apocalipse 22:15). Terceiro: crer que Cristo já veio ou que “arrebatará a igreja secretamente” trará consequencias muito sérias às pessoas que advogam tal crença, pois estarão totalmente despreparadas quando Jesus vier em glória (Mateus 24:30, 31). Assim, elas ficarão apavoradas ao ver o Senhor, pois não acreditavam na Sua vinda visível. Tais pessoas farão parte daquela classe mencionada em Apocalipse 6:14-17:
      “E o céu recolheu-se como um pergaminho quando se enrola. Então, todos os montes e ilhas foram movidos do seu lugar. Os reis da terra, os grandes, os comandantes, os ricos, os poderosos e todo escravo e todo livre se esconderam nas cavernas e nos penhascos dos montes e disseram aos montes e aos rochedos: Caí sobre nós e escondei-nos da face daquele que se assenta no trono e da ira do Cordeiro, porque chegou o grande Dia da ira deles; e quem é que pode suster-se?”

      Ao ver Jesus no céu sem ter acreditado que Ele viria em glória a pessoa será pega de surpresa. Veja o quão é importante acreditarmos na volta gloriosa do Senhor Jesus Cristo conforme é ensinada na Bíblia!
      Logo Ele voltará em glória e majestade para nos buscar:
      “Então, aparecerá no céu o sinal do Filho do Homem; todos os povos da terra se lamentarão e verão o Filho do Homem vindo sobre as nuvens do céu, com poder e muita glória”. Mateus 24:30.

      “Então, se verá o Filho do Homem vindo numa nuvem, com poder e grande glória”. Lucas 21:27.
      “Quando vier o Filho do Homem na sua majestade e todos os anjos com ele, então, se assentará no trono da sua glória” Mateus 25:31.

      Portanto, aceite o verdadeiro ensino bíblico sobre o assunto e siga o conselho do Senhor:
      “Portanto, vigiai, porque não sabeis em que dia vem o vosso Senhor. Por isso, ficai também vós apercebidos; porque, à hora em que não cuidais, o Filho do Homem virá”. Mateus 24:42, 44.

      Vigie e Prepare-se! Jesus está voltando!

      “Aquele que dá testemunho destas coisas diz: Certamente, venho sem demora. Amém! Vem, Senhor Jesus!” Apocalipse 22:20.

      Seja feliz!
      Equipe Bíblia Fácil



  • jacira santos em 9 de março de 2013 18:27

    gostei do ensino de hoje foi bem esclarecedor já que sou uma nova convertida tenho muitas duvidas,espero continuar aprendendo com voçes,mas ficou uma duvida se nos poderemos ser salvos no final de nossas vidas no ultimo instante, por que sermos convertidos durante nossas vidas,eu particularmente aceitei Jesus porque precisava de uma mudança em minha vida, e agradeço a Deus porque tenho mudado bastante e espero mais tranformações,mas o que responder a esta pergunta.obrigada pela resposta fiquei com Deus.



    • J.Washington em 21 de março de 2013 14:20

      Jacira, a salvação não é um ponto isolado em nossa vida. A salvação é um processo. E esse processo começa quando pela fé aceitamos Jesus como nosso Salvador pessoal e Seu sacrifício expiatório. É neste ponto de nossa vida que começa a nascer uma nova criatura. Um novo ser. Uma nova vida. A este acontecimento damos o nome de Justificação.
      Quando dia a dia vivemos uma vida de acordo com a vontade de Deus, buscando a presença de Deus e andando com Ele, passamos então ao processo chamado Santificação. Por ocasião da Volta de Jesus, a salvação será completada, quando por Seu poder, seremos transformados. Para aquele grande acontecimento, damos o nome de Glorificação.

      Nas três fases da salvação nós dependemos inteiramente de Deus, pois a salvação é um ato de Deus, é um dom de divino (Efésios 2:8). O que realmente importa é que entendamos que pela Sua graça, tendo aceitado a Jesus como nosso Senhor e Salvador e vivendo cada dia com Ele em santificação, estamos salvos.

      Não cremos na doutrina que diz: “Uma vez salvo, salvo para sempre”. A vida do cristão é uma constante e tremenda luta contra o pecado. Essa batalha é demonstrada por toda a Bíblia. Paulo escreveu abertamente sobre essa terrível luta: “Porque não faço o bem que quero, mas o mal que não quero, esse faço” (Romanos 7:19). Noutra ocasião, disse que a salvação que nos é oferecida graciosamente, mediante a fé em Cristo, deve ser operada diariamente, “com temor e tremor” (Filipenses 2:12). E por fim, vivendo por preceito e exemplo, já velho e cansado, escreveu para o mundo cristão: “Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé” (2 Timóteo 4:7). Jesus mesmo assegurou: “Mas aquele que perseverar até o fim será salvo” (Mateus 24:13). O cristão deve conservar sua salvação e operá-la diariamente, confirmando-a no poder de Deus, porque conformar-se com a idéia de que o “salvo não se perde”, condescendendo com pecadinhos e negligências, é exatamente o que Satanás deseja.

      O ensino bíblico com respeito à salvação é claro, concreto, definido e simples. “Crê no Senhor Jesus e serás salvo…” (Atos 16:31). Mas, crer em Jesus Cristo implica muito mais do que apenas crer que Ele existe. Não basta crer e não viver segundo essa fé em obediência à Sua palavra. “Os demônios creem e estremecem” (Tiago 2:19), diz a Bíblia. Portanto, precisamos compreender que crer em Cristo é viver segundo Sua vontade, fazendo o que Ele quer, e não o que desejamos. “Não é suficiente declarar ‘eu creio’ e então continuar ignorando ou violando as leis pelas quais Deus governa Seu vasto Universo”. O coração convertido vive em harmonia com a Lei Divina.

      Enquanto existir o pecado neste Planeta, haverá a possibilidade da queda do cristão. Por isso Jesus enfatizou: “vigiai”. “Aquele que está em pé, cuide para que não caia” (1 Coríntios 10:12) Por conseguinte, é perigoso dizer que “o salvo não se perde”. Diz claramente o profeta: Ezequiel 33:12, 18 e 19 – “Desviando-se o justo de sua justiça e praticando o pecado, morrerá nele.” O Apocalipse nos aconselha ainda: “Sê fiel até a morte, e dar-te-ei a coroa da vida” (Apocalipse 2:10).

      A tônica do cristianismo é levar o homem a Cristo. É o convite incessante do evangelho. E ninguém precisa tornar-se santo para ir a Cristo. O homem deve ir a Ele como está. Mas, o homem que vai a Cristo, “volta por outro caminho”: o da obediência total e irrestrita à Sua palavra. Ir a Cristo é fundamental; andar como Ele andou é indispensável. Jesus disse para o moço rico: “Se queres entrar na vida, guarda os Mandamentos… (Mateus 19:16 e 17). O caminho de volta era obediência. O moço recusou e perdeu-se.

      As Escrituras ensinam claramente a maneira correta de servir a Deus. É o caminho contrário à sua própria vontade ou conveniência. Foi Jesus que proferiu estas palavras: João 14:15 “Se Me amardes, guardareis os Meus mandamentos.” Portanto, devemos buscar diariamente a salvação em Jesus, com fé e obediência, crescendo em comunhão e intimidade com Ele, a fim de que não caiamos em pecado. Que Deus nos dê forças para sermos fiéis a Ele até a morte.

      Seja feliz!
      Equipe Bíblia Fácil



  • Giselle Cuba Palmeira dos Santos em 9 de março de 2013 11:55

    Estou tentando realizar meu cadastro para receber o curso bíblia fácil pelo correio, mas não estou conseguindo concluir. Vocês poderiam me ajudar? Desde já agradeço.



    • J.Washington em 21 de março de 2013 14:29

      Giselle, estamos muito felizes por sua decisão de estudar mais a Palavra de Deus. Para receber nosso guia de estudo bíblico, basta acessa o link abaixo e fornecer os dados de envio.

      http://migre.me/dMgBB

      Seja feliz!
      Equipe Bíblia Fácil