Ouça agora:

Direto da Redação
Rádio Rádio
Categoria: Lições da Bíblia

Usando seus talentos


7. Leia Mateus 25:13 a 30. O uso dos nossos dons na causa de Deus pode nos ajudar na preparação para a volta de Cristo?

_______________________________________________________________ ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ _______________________________________________________________ ______________________________________________________________

 

Embora essa parábola seja diferente da anterior, ambas falam sobre a necessidade de estar pronto para a volta de Jesus. As duas tratam dos que estavam prontos e dos que não estavam. E ambas mostram o destino daqueles que, por sua negligência espiritual, enfrentaram a perdição eterna. Assim como o azeite representa o Espírito Santo para as dez virgens, as “moedas de ouro” (Mt 25:15, NTLH) representam talentos, que vem da palavra grega talanta. “Os talentos representam dons especiais do Espírito Santo, juntamente com todos os dotes naturais” (Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, v. 5, p. 545).

 

Todos os servos da parábola haviam recebido bens de seu mestre. Perceba que eram talentos de seu senhor (Mt 25:14), que lhes haviam sido confiados “a cada um segundo a sua capacidade” (Mt 25:15). Os dons lhes haviam sido confiados; em um sentido real, esses servos eram mordomos do que não era deles, mas eram responsáveis por esses recursos. Por essa razão, quando o senhor voltou, ele “acertou contas com eles” (Mt 25:19, NVI). Os dons espirituais vêm do Espírito Santo (veja 1Co 12:1-11, 28-31; Ef 4:11). Há boas notícias para os que julgam ter o menor dom. Os dons nunca são recebidos sem o Doador. Portanto, essas pessoas recebem seu dom ao receberem o dom maior: o Espírito Santo.

 

Os dons já são nossos em Cristo, mas nossa posse efetiva depende do nosso recebimento do Espírito Santo e entrega ao Senhor. Esse foi o erro do empregado inútil. Ele recebeu um dom, mas não fez nada com esse recurso. Ele não aperfeiçoou seu dom. Não fez um esforço para obter alguma coisa com o que tinha graciosamente recebido, a fim de multiplicá-lo. Como resultado, Jesus o chamou de “servo mau e negligente” (Mt 25:26) – uma poderosa condenação.

 

Jesus contou essa parábola no contexto dos últimos dias e de Sua volta. O uso dos nossos talentos é fundamental para estarmos preparados para os últimos dias?

Comente