Ouça agora:

Música
Rádio Rádio
Categoria: Lições da Bíblia

Paulo em Atenas


Atenas, o centro intelectual da Grécia antiga, estava literalmente entregue aos ídolos. Estátuas de mármore de pessoas e deuses estavam por toda parte, especialmente na entrada da ágora (praça pública), o centro da vida urbana. Paulo ficou tão angustiado com a idolatria dominante que mudou sua prática de ir primeiramente à sinagoga e adotou uma estratégia dupla: ele debatia semanalmente na sinagoga com judeus e gentios devotos, e diariamente em praça pública com os gregos (veja At 17:15-22).

 

Como os atenienses estavam sempre dispostos a ouvir algo novo, alguns filósofos se interessaram pelos ensinamentos de Paulo e o convidaram a se dirigir ao Areópago, o conselho superior da cidade. Em seu discurso, Paulo não citou as Escrituras nem recapitulou a história do relacionamento de Deus com Israel, como fazia quando falava a uma audiência judaica (compare com At 13:16-41). Essa abordagem não faria muito sentido em Atenas. Em vez disso, ele apresentou algumas verdades bíblicas importantes de uma maneira que pagãos cultos pudessem entender.

 

6. Leia Atos 17:22-31. Em seu discurso no Areópago, quais verdades sobre Deus, salvação, história e o ser humano Paulo pregou àquelas pessoas? ___________________________________________________________________

 

A maior parte das palavras de Paulo soaram ridículas àquele sofisticado auditório pagão, cujos conceitos sobre Deus e religião eram muito distorcidos. Não sabemos como Paulo pretendia encerrar sua mensagem, pois ele parece ter sido interrompido no momento em que se referiu ao juízo de Deus sobre o mundo por meio Daquele que Ele ressuscitara dentre os mortos (At 17:31).

 

Essa crença entrava em conflito com dois conceitos gregos: (1) que Deus é totalmente transcendente, não tendo nenhuma relação com o mundo nem interesse nos assuntos humanos; e (2) que quando uma pessoa morre, não pode haver ressurreição. Isso ajuda a explicar por que o evangelho era uma loucura para os gregos (1 Co 1:23) e por que o número de conversos em Atenas foi pequeno.

 

No entanto, entre os que creram estavam algumas das pessoas mais influentes da sociedade ateniense, como Dionísio, membro do Areópago, e Damaris, cuja menção por nome implica que ela possuía alguma influência, se é que não fosse também membro do conselho (At 17:34).

 

A abordagem diferente de Paulo diante do Areópago mostra sua consciência das diferenças sociais e culturais. Ele até citou um poeta pagão (At 17:28) para apresentar seu argumento. Como podemos usar diferentes métodos para alcançar pessoas diferentes?

Comente