Ouça agora:

Anjos da Esperança
Rádio Rádio
Categoria: Lições da Bíblia

Pacificação


3. Leia Mateus 5:9. No mundo em que vivemos, como praticar o que Jesus disse nesse texto? (Veja Mc 13:7). Assinale a alternativa correta:

A. ( ) Por meio da força e da ameaça.

B. ( ) Devemos viver em paz e promover a paz, embora saibamos que guerras e conflitos continuarão ocorrendo até a volta de Cristo.

 

Um conflito causa significativo sofrimento. Incluídos nos custos da guerra estão as vítimas diretas e as vidas destruídas, os recursos dedicados à maquinaria militar e o sofrimento contínuo de sobreviventes e veteranos de guerra, mesmo entre os “vencedores”. Há também conflitos menores que marcam inúmeras vidas em famílias e comunidades. Sendo assim, o desejo por justiça não pode ignorar a ordem de pacificar. No centro do evangelho de Jesus está o gracioso e grandioso ato de pacificação de Deus, reconciliando o ser humano pecador com seu Criador (veja 2 Co 5:18-21). E a reconciliação que recebemos se torna o padrão para que sejamos “embaixadores” dessa oferta de restauração de relacionamento para os outros também.

 

4. Isaías 52:7. Como podemos colocar esse texto em prática?

__________________________________________________________________

__________________________________________________________________

 

O evangelho traz a motivação, o modelo e o recurso para trabalharmos pela paz em nosso mundo violento: “O coração que se encontra em harmonia com Deus compartilha a paz do Céu e difunde ao redor de si sua bendita influência. O espírito de paz repousará como orvalho sobre os corações desgostosos e perturbados pelos conflitos mundanos” (Ellen G. White, O Maior Discurso de Cristo, p. 28). No Sermão da Montanha, Jesus disse: “Bem-aventurados os pacifica – dores, porque serão chamados filhos de Deus” (Mt 5:9).

 

Aprofundando a questão, Ele não apenas confirmou o mandamento “não matarás”, mas também disse que não devemos ficar irados nem guardar rancor (Mt 5:21-26) e que devemos amar nossos inimigos e orar por aqueles que nos perseguem (Mt 5:43-48), o que significa que devemos tomar medidas ativas para o bem deles. Há muitas histórias inspiradoras de pessoas que dedicaram a vida à pacificação em lugares de conflito, trazendo vislumbres de reconciliação e cura, aliviando parte do sofrimento trazido por esses conflitos.

 

Como sua igreja pode agir como pacificadora em sua comunidade e em outros lugares?

Comente