Ouça agora:

Hora de Orar
Rádio Rádio
Categoria: Tempo de Refletir

O mesmo critério implacável


Mateus 7:2: “Pois, com o critério com que julgardes, sereis julgados; e, com a medida com que tiverdes medido, vos medirão também”.

Nos versículos precedentes, Jesus apresentou o princípio de que não devemos julgar. No verso de hoje Ele fornece uma razão bastante prática por que não devemos julgar os outros. Em suma, a maneira como tratamos os outros, em termos de julgamento, acabará caindo sobre nossa própria cabeça.

Ora, essa é uma conseqüência tão pessoal quanto é possível ser. Mas o que isso significa?

Alguns têm sugerido que as pessoas que vivem censurando e criticando os outros acabam também sendo criticadas por outras pessoas que tendem a aplicar-lhes uma dose de seu próprio remédio. O oposto também é geralmente verdadeiro. Os que são menos críticos dos outros são, em geral, mais apreciados e atacados com menor frequência. Há, portanto, um significado temporal em nosso texto. Mas esse significado não é o único em Mateus 7:2.

A mais importante implicação do sermos julgados de acordo com o juízo com que julgamos os outros deve ser vista em termos do juízo final de Deus. As implicações disto são um tanto assustadoras, quando paramos para pensar no assunto.

Muitos de nós dão pouquíssima atenção às observações críticas que fazemos sobre membros da família, líderes da igreja, colegas de trabalho ou vizinhos. Apenas abrimos a boca, e elas vão saindo dali de maneira quase automática.

Damos pouca atenção até para o que Deus pensa a respeito de nossas atitudes e ações indelicadas e condenatórias. Jesus está nos dizendo, em termos bem definidos, que devemos pensar acerca do que Deus pensa sobre o assunto. E o que Deus pensa está carregado de consequências eternas.

A Bíblia ensina claramente e repetidas vezes que, no juízo final, Deus nos dará o que demos aos outros. Deus nos dá graça, e espera que a transmitamos a outros. Deus nos dá misericórdia, e espera que a transmitamos. Se recusarmos, se transmitirmos apenas condenação e grosseria, podemos aguardar condenação no juízo. Todos quantos hão de entrar no reino eterno terão internalizado o caráter amoroso de Deus.

Não esqueça disso no dia de hoje e ore comigo agora:

Por favor, Pai, mais uma vez pedimos: nos ajude a evitar qualquer tipo de julgamento contra qualquer pessoa. Isso não é função nossa! Por favor, controle nossos instintos. Em nome de Jesus, amém!

Comente