Clique aqui e Saiba mais

Ouça agora:

Anjos da Esperança
Rádio Rádio
Categoria: Lições da Bíblia

O fruto do Espírito (Gl 5:22-24)


5. “Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio. Contra essas coisas não há lei” (Gl 5:22, 23, NVI). De que maneira a obediência aos Dez Mandamentos reflete o fruto do Espírito, expresso nesses versos? Veja também Mt 5:21, 22, 27, 28; 22:35-40. Assinale “V” para verdadeiro ou “F” para falso: A. ( ) Quem não mata nem se ira contra seu irmão é paciente e manso. B. ( ) Quem não adultera é fiel. C. ( ) Os Dez Mandamentos não possuem nenhuma relação com o fruto do Espírito

Os Dez Mandamentos não são uma alternativa ao amor; eles nos guiam na maneira pela qual devemos demonstrar o amor a Deus e à humanidade. Por mais que possa transcender à letra da lei, o amor não está em conflito com a lei. A ideia de que o amor a Deus e ao próximo anula os Dez Mandamentos faz quase tanto sentido quanto dizer que o amor pela natureza anula a lei da gravidade. Além disso, em contraste com as quinze palavras que descrevem as obras da carne, o fruto do Espírito é descrito em nove virtudes graciosas. Estudiosos acreditam que essas nove virtudes estão organizadas em três grupos de três, mas quase não há consenso sobre o significado da sua ordem. Alguns veem no número três uma implícita referência à Trindade; outros acreditam que as três tríades reflitam as maneiras pelas quais devemos nos relacionar com Deus, com o próximo e, finalmente, com nós mesmos. Outros ainda veem a lista como, essencialmente, uma descrição de Jesus. Embora cada um desses pontos de vista tenha algum mérito, não devemos ignorar o ponto mais importante e significativo, que é a importância suprema que Paulo dá ao amor na vida cristã. Não é acidental o fato de que o amor aparece como a primeira das nove virtudes na lista de Paulo. Ele já havia destacado o papel central do amor na vida cristã em Gálatas 5:6, 13, e o tinha incluído em suas listas de virtudes em outros lugares (2Co 6:6, 1Tm 4:12; 6:11; 2Tm 2:22). Enquanto todas as outras virtudes aparecem também em fontes não cristãs, o amor é distintamente cristão. Tudo isso indica que o amor deve ser visto não apenas como uma virtude entre muitas, mas como a principal virtude cristã que é a chave para todas as outras virtudes. O amor é o mais elevado fruto do Espírito (1Co 13:13; Rm 5:5) e deve definir a vida e as atitudes de todo cristão (Jo 13:34, 35), por mais difícil que seja, às vezes, demonstrar amor.

 

Quanta abnegação está envolvida no amor? Você pode amar sem renunciar a si mesmo? O que Jesus nos ensinou sobre amor e abnegação?

Comente