Ouça agora:

Hora de Orar
Rádio Rádio
Categoria: Lições da Bíblia

Misericórdia e fidelidade


Quando Jesus foi confrontado por alguns líderes religiosos de Sua época, que O criticaram por comer com “pecadores”, Ele citou o profeta Oseias, ordenando que eles voltassem a seus livros e descobrissem o que Deus realmente quis dizer quando declarou: “Misericórdia quero e não holocaustos” (Mt 9:13, citando Os 6:6). Como veremos, Jesus teve uma vida de cuidado e serviço. Seu relacionamento com os outros, Seus milagres de cura e muitas de Suas parábolas demonstraram e enfatizaram que viver dessa maneira é a melhor forma de expressar verdadeira devoção a Deus.

 

Os líderes religiosos foram Seus maiores críticos, mas também foram o alvo de Suas críticas mais severas. Como os religiosos da época de Isaías, eles acreditavam que asseguravam seu relacionamento especial com Deus por causa de suas práticas religiosas, enquanto estavam explorando os pobres e ignorando os necessitados. Sua adoração estava em desacordo com suas ações, e Jesus não foi discreto em condenar essa hipocrisia.

 

5. Leia Marcos 12:38-40. O comentário de Jesus de que eles devoravam “as casas das viúvas” parece não “caber” nessa lista ou era essa ideia que Jesus estava tentando defender? Por que essas pessoas sofreriam “juízo muito mais severo”?

__________________________________________________________________

 

Talvez o sermão mais assustador de Jesus, especialmente para os religiosos, seja aquele que se encontra em Mateus 23. Cristo não apenas descreveu a religião deles como algo que não ajudava os desfavorecidos, mas considerou essa forma de culto um acréscimo aos fardos desses religiosos. Por suas ações ou, às vezes, pela omissão e falta de cuidado, Jesus disse que eles fechavam “o reino dos Céus diante dos homens” (Mt 23:13). Mas, ao ecoar os profetas dos séculos anteriores, Jesus também tratou diretamente da discrepância entre as sérias práticas desses religiosos e as injustiças que eles toleravam e das quais tiravam proveito.

 

“Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque dais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho e tendes negligenciado os preceitos mais importantes da Lei: a justiça, a misericórdia e a fé; devíeis, porém, fazer estas coisas, sem omitir aquelas!” (Mt 23:23). Jesus logo acrescentou que as práticas e observâncias religiosas não são erradas em si mesmas, mas não devem tomar o lugar do tratamento justo para com as outras pessoas.

 

Como podemos evitar a armadilha de pensar que o conhecimento da verdade seja suficiente?

Comente