Ouça agora:

Primeira Classe
Rádio Rádio
Categoria: Tempo de Refletir

Mais que adultério


Brigadecasal

“Ouvistes que foi dito: Não adulterarás. Eu, porém, vos digo: qualquer que olhar para uma mulher com intenção impura, no coração, já adulterou com ela” (Mateus 5:27 e 28).

Isto é muito sério.

Lembro-me da primeira vez que tentei compreender essa passagem, conta George Knight. Eu tinha 19 anos de idade, fora batizado poucos meses antes, e havia sido um agnóstico.

Ali estava eu em uma loja de conveniências, olhando tolamente para uma mulher enquanto esperava minha esposa. Lógico que eu não estava simplesmente olhando, estava pensando o mesmo tipo de coisas que pensava antes de me tornar cristão.

De repente, isto me ocorreu com o peso de uma tonelada. O Espírito Santo falara à minha consciência de maneira clara e audível. “Você não deve fazer isso. É errado desejar uma mulher e abrigar pensa- mentos como os que você está acolhendo”.

Não me importei muito com a lição. Eu estivera “inocentemente” me deleitando, e Ele interrompeu minha meditação. Senti vontade de dizer ao Espírito Santo que fosse passear.

Na realidade, eu chegara à fronteira entre a tentação e o pecado. A tentação pode se tornar pecado no momento em que me conscientizo dela, quando reconheço que meus pensamentos vaguearam em terreno proibido. A essa altura, tenho duas escolhas. Posso rejeitar a tentação através do poder de Deus, ou posso escolher me demorar mais na tentação e acariciá-la um pouco. Em outras palavras, posso pedir que Deus tome conta de minha vida para que eu consiga vencer, ou posso pedir- Lhe que “suma” a fim de que eu possa desfrutar a lascívia pessoal.

Já descobri que o desejo pelo pecado voluntário me abandona quando me entrego à oração. É o Espírito de Deus que vem em meu socorro quando oro, não só para me causar repugnância pelo desejo pecaminoso, como também para estimular em meu coração o amor cristão aos semelhantes, a mim mesmo e a Deus. A partir de então, não desejarei praticar atos que venham prejudicar nem destruir pessoas e relacionamentos.

Deus deseja ajudar-nos até mesmo no que se refere aos nossos pensamentos, se nós Lhe permitirmos.

Comente