Ouça agora:

Música
Rádio Rádio
Categoria: Tempo de Refletir

Levi Mateus


Mateus 9:9: “Partindo Jesus dali, viu um homem chamado Mateus sentado na coletoria e disse-lhe: Segue-Me! Ele se levantou e O seguiu”.

Sabemos pouco de Mateus, um dos doze apóstolos. Mateus é o nome grego. Marcos (2:14) e Lucas (5:27-29) referem-se a ele como Levi, o nome hebraico. Ao encontrarmos Levi Mateus, pela primeira vez, ele está assentado em sua coletoria. É um coletor de impostos, um publicano, quando Jesus inexplicavelmente o chama. Com esse tipo de credencial, Mateus seria um dois últimos, do ponto de vista humano, a ocupar uma posição de destaque na igreja primitiva.

Os coletores de impostos eram grandemente desprezados pela sociedade judaica. Odiados como traidores e hereges, eram considerados piores que os herodianos, aliados da dinastia de Herodes. Os publicanos compravam dos romanos um tipo de franquia para recolherem impostos. Extorquiam dinheiro de seu povo para alimentar os cofres de Roma e, claro, o próprio bolso. Por isso, eram vistos como ladrões. Escórias da sociedade, eram colocados no mesmo nível das prostitutas (Mt 21:31). Marginalizados e cerimonialmente impuros, eram proibidos de entrar numa sinagoga.

Quem era Levi Mateus? Seu nome hebraico parece indicar que seus pais tinham grandes expectativas para ele na linhagem sacerdotal. Aos 12 anos, ele já teria memorizado o Pentateuco. Seu conhecimento do Antigo Testamento é comprovado em seu evangelho. Teria ele tentado seguir o chamado religioso e fracassado? Teria sido reprovado na escola dos rabis? O fato é que, em lugar de servir a Deus, ele entrou no serviço do imperador romano. Um massivo desapontamento para a família! Seus amigos, como é indicado no banquete que Levi Mateus oferece, eram pessoas de seu grupo (Mt 9:10). Marginalizados como ele, foram convidados para serem apresentados a Jesus.

Não é extraordinário? Interessante ainda é que os diferentes coletores de impostos mencionados nos evangelhos encontraram perdão e aceitação em Cristo. Além de Mateus, encontramos Zaqueu (Lc 18:10-14), história provavelmente baseada em um incidente real. Levi Mateus abandonou sua profissão de uma vez por todas. Inicialmente um materialista, não relutou em seguir a Jesus. Sua fome espiritual foi satisfeita em Cristo. Seu brilhante talento legou-nos, pela revelação, um dos mais belos livros do Novo Testamento: o evangelho que leva o seu nome.

Reflita sobre isso no dia de hoje e ore comigo agora:

Nesse momento, Pai, quero orar por aquele ouvinte que tentou Te servir, quem sabe, mas desistiu e hoje serve outras coisas, outras pessoas, outro deus. Por favor. A graça que alcançou Mateus também pode alcançar esse ouvinte agora. Que Ele te aceite como Salvador pessoal. Em nome de Jesus, amém!

Comente