Ouça agora:

Música
Rádio Rádio
Categoria: Reavivados pela Palavra

Ezequiel 23


Ezequiel 23, aí um capítulo bíblico do qual não daria pra fazer um desenho animado, uma animação em 3D, e muito menos um filme. Existe muita produção cinematográfica de vários conteúdos bíblicos, para ajudar a explicitar as mensagens bíblicas. E de muitas partes da Bíblia dá bem pra fazer isso. Mas de Ezequiel 23 não tem jeito não. Você vai entender bem isso quando ler. Principalmente se você ler numa versão mais moderna, como NTLH ou NVI. Mas resumindo pra você, essa alegoria das duas moças revela que a paixão de Israel pela idolatria e pelos costumes do mundo já tinha começado lá no Egito, no tempo da escravidão, muito antes do Êxodo, e tinha acabado causando a ruína de ambas as duas partes do povo israelita. O povo de Deus ficava de conversinhas com povos corrompidos, e terminavam querendo imitar os pagãos. Uma das primeiras alianças com a Assíria tinha sido feita por Jeú. No obelisco negro, de Salmanasar III, tem o rei israelita se prostrando diante do monarca assírio em 840 a. C. Em 722, Samaria foi dominada pelos assírios. Então, assim como o casamento é uma relação muito intima e exclusiva, o relacionamento de Deus com os filhos dEle, pra ser bom, precisa ser do mesmo jeito. Íntimo e exclusivo. E por que Deus é cioso assim, das nossas afeições? Porque Ele é um Deus pessoal, e porque o amor dEle é exclusivo.

Comente