Ouça agora:

Chamada Brasil
Rádio Rádio
Categoria: Lições da Bíblia

Estudo adicional


Texto de Ellen G. White: Profetas e Reis, p. 646-652 (“Condenada a Extorsão”). “Ouvindo Neemias dessa cruel opressão, ele se encheu de indignação. ‘Ouvindo eu, pois, o seu clamor, e estas palavras’, ele diz, ‘muito me enfadei’ (Ne 5:5, 6, ARC). Ele viu que se quisesse ter êxito em derribar o opressivo costume da cobrança precisava tomar posição decidida ao lado da justiça. Com característica energia e determinação, entregou-se à tarefa de levar alívio a seus irmãos” (Ellen G. White, Profetas e Reis, p. 648). “Jesus estabeleceu então um princípio que tornaria desnecessário o juramento. Disse que a exata verdade deve ser a lei da linguagem. ‘Seja porém, o vosso falar: Sim, sim; Não, não; porque o que passa disto é de procedência maligna’” (Mt 5:37, ARC; Ellen G. White, O Maior Discurso de Cristo, p. 67).

 

“Estas palavras condenam todas aquelas frases sem sentido e palavras imprecatórias que beiram a profanidade. Condenam os enganosos cumprimentos, a evasiva da verdade, as frases lisonjeiras, os exageros, as falsidades no comércio, coisas comuns na sociedade e no mundo dos negócios. Elas ensinam que ninguém que busque parecer o que não é, ou cujas palavras não exprimam o sentimento real do coração, pode ser chamado verdadeiro” (O Maior Discurso de Cristo, p. 68).

 

Perguntas para discussão

1. Por que o egoísmo é a essência dos problemas com as finanças e as relações interpessoais?

2. Como evitar a ganância? Qual é a provisão divina contra isso? (Is 58:3-12; Mq 6:6-8).

3. Reflita sobre o dom da fala e o poder das palavras. Jesus é chamado de “o Verbo” (Jo 1:1, 2). O que isso significa? Isso nos ajuda a entender a importância e o peso das palavras?

4. É impressionante que, há milhares de anos, Jesus disse que os pobres sempre estariam entre nós. Somos advertidos a ajudar os necessitados. Como essas duas ideias podem se harmonizar e motivar os cristãos a trabalhar pelos menos afortunados?

Comente