Ouça agora:

Reavivados por sua Palavra
Rádio Rádio
Categoria: Lições da Bíblia

Estudo adicional


Ao longo de toda a Bíblia, somos confrontados com a realidade do livre-arbítrio humano. Mesmo Adão e Eva, que eram perfeitos (Gn 3) tiveram liberdade de escolha e, infelizmente, fizeram a escolha errada. Se seres não caídos, perfeitos, fizeram mau uso da liberdade de escolha, quanto mais seres como nós, mergulhados no pecado! Lembremos que o livre-arbítrio significa liberdade. Apesar da pressão que sofremos de dentro e de fora, não precisamos escolher o que é errado.

 

Podemos, mediante o poder de Deus, fazer as escolhas certas. Portanto, é muito importante avaliar cuidadosamente nossas decisões, especialmente pensando em como elas afetam nossa vida familiar. A livre escolha de Caim de matar seu irmão devastou sua família. A livre decisão dos irmãos de José de vendê-lo à escravidão arruinou a vida do seu pai. “Ele a reconheceu e disse: É a túnica de meu filho; um animal selvagem o terá comido, certamente José foi despedaçado. Então, Jacó rasgou as suas vestes, e se cingiu de pano de saco, e lamentou o filho por muitos dias.

 

Levantaram-se todos os seus filhos e todas as suas filhas, para o consolarem; ele, porém, recusou ser consolado e disse: Chorando, descerei a meu filho até à sepultura. E de fato o chorou seu pai” (Gn 37:33-35). Assim como ocorre na vida, encontramos na Bíblia exemplos da maneira pela qual a livre escolha de membros da família afetam os outros para o bem ou para o mal. Assim foram as escolhas de Corá, Datã e Abirão (Nm 16:1-32; veja também Dn 6:23, 24; Gn 18:19).

 

Perguntas para discussão

 

1. Que escolhas você fez hoje? O que elas revelam sobre você, seu relacionamento com Deus e com os outros? Quais decisões você gostaria que tivessem sido diferentes?

2. Quais personagens da Bíblia fizeram escolhas erradas e o que podemos aprender com elas? Como prejudicaram a própria família?

3. Todos se arrependem de escolhas erradas. Por que o evangelho é uma boa notícia em momentos de arrependimento? Quais promessas bíblicas você reivindica em momentos de angústia e culpa por escolhas erradas?

4. Se alguém o procurasse para conversar sobre casamento, qual conselho você daria? Por quê? Quais princípios bíblicos você indicaria para ajudar essa pessoa a tomar tão importante decisão?

Comente


Fique conectado

Aplicativo

Loja Virtual

Participe