Ouça agora:

Música
Rádio Rádio
Categoria: Lições da Bíblia

Estudo adicional


licoes 1305
Ao falar dos títulos de Jesus, “parece lógico começar com ‘Messias’, visto que a
igreja cristã deve seu nome ao equivalente grego Christos, o ‘Ungido’. A palavra
hebraica designa a figura do libertador a quem os judeus aguardavam e que
seria o agente divino na inauguração de uma nova era para o povo de Deus. Tanto
o termo grego como o hebraico derivam de raízes que significam ‘ungir’. É evidente
que, ao chamar Jesus de ‘Cristo’, os escritores do Novo Testamento viam-O
como alguém especialmente separado para uma tarefa específica.
“O título Christos ocorre mais de 500 vezes no Novo Testamento. Embora houvesse
entre os contemporâneos de Jesus mais de um conceito de messianidade,
geralmente se admite que, por volta do primeiro século, os judeus concebiam o
Messias como alguém que possuía especial relacionamento com Deus. Ele surgiria
no fim do tempo, quando o reino de Deus seria estabelecido. Era alguém por
meio de quem Deus interviria na História para o livramento do Seu povo. Jesus
aceitava o título de “Messias”, mas não encorajava seu uso, pois o termo encerrava
conotações políticas que dificultavam o seu emprego. Embora relutasse em tirar
proveito desse título em público para descrever Sua missão, Jesus não repreendeu
Pedro (Mt 16:16, 17) nem a mulher samaritana (Jo 4:25, 26) quando o utilizaram.
Ele sabia que era o Messias, conforme se deduz do relato de Marcos, onde Jesus
afirma que receberia galardão quem desse de beber um copo de água a um de Seus
seguidores, porque eles eram discípulos de Cristo (Mc 9:41)” (Tratado de Teologia
Adventista do Sétimo Dia, p. 186)

Comente