Ouça agora:

Música
Rádio Rádio
Categoria: Tempo de Refletir

Assuma a responsabilidade


“Porque importa que todos nós compareçamos perante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o bem ou o mal que tiver feito por meio do corpo” (II Cor. 5:10).

Em seus quatro anos, Billy já era o terror do jardim de infância da sua igreja. Empurrava e derrubava as outras crianças, dava-lhes pontapés, e geralmente deixava tudo desarrumado. Um dia, a professora lhe propôs: “Billy, você gostaria de fazer a oração?” O pequeno briguento fez uma oração muito simples: “Jesus, por favor ajude essas crianças a não caírem tanto.” Que pedido! Em uma só frase, ele se eximiu da responsabilidade pelas quedas e pelos ferimentos das outras crianças.

Mudança e responsabilidade andam juntas. Não podemos ter nenhuma mudança de comportamento a menos que assumamos a responsabilidade por nossas ações. Se somos simplesmente vítimas do nosso ambiente, o ambiente torna-se o responsável, não nós. Se somos apenas o produto do que os outros fizeram conosco, então eles são os responsáveis.

Assumir a responsabilidade por nossos atos é o primeiro passo que damos em direção às transformações em nossa vida. A menos que sejamos os donos das nossas ações, sempre teremos desculpas para nossa conduta. Deus nos deu livre-arbítrio, Seu Espírito nos impressiona a fazer o que é correto e nos capacita para isso. A conscientização de que somos moralmente responsáveis por nossos atos, a confissão dos pecados e a decisão de mudar permitem que recebamos o perdão e o poder de Deus. A graça de Deus nos salva da culpa e das garras do pecado.

O ambiente influencia nosso comportamento. Nossas escolhas o determinam. Ninguém escolhe por nós. Deus nos deu a capacidade de fazer nossas próprias escolhas morais. Não seremos julgados com base na decisão de outros. Seremos julgados por nossas próprias decisões. O apelo de Moisés para Israel, milênios atrás, ainda hoje fala ao nosso coração: “Os Céus e a Terra tomo, hoje, por testemunhas contra ti, que te propus a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe, pois, a vida, para que vivas, tu e a tua descendência” (Dt 30:19).

A escolha é nossa. Sua voz ainda nos fala, hoje. Escolha a vida.

Comente