Ouça agora:

Chega Mais Perto
Rádio Rádio
Categoria: Tempo de Refletir

Ajustando as velas


“Como pode ser isso?” (João 3:9, NTLH).

O vento é uma das forças mais poderosas da natureza. Imprevisível e, às vezes, incontrolável. Sentimos a brisa suave da primavera. Mas existem também furacões e tornados que deixam seu rastro de destruição. A invisibilidade não os torna menos reais e poderosos.

Jesus usou uma figura de linguagem para explicar a Nicodemos o novo nascimento. Dirigiu-se ao doutor da lei: “Você não está ouvindo? Deixe-Me repetir. A menos que uma pessoa se submeta a esta criação original – o Espírito de Deus pairando sobre a criação das águas, o invisível movendo o visível, um batismo para uma nova vida –, não é possível entrar no reino de Deus” (Jo 3:5, The Message).

A linguagem de Jesus era tão bonita e convincente que Nicodemos começou a desejar em seu coração o que o Mestre descrevia.

Quantas vezes ao ler um livro, ao escutar um sermão, ao ler um artigo numa revista, sentimos no coração o desejo de mudar a vida. Podemos não nos lembrar do lugar nem do dia, nem de como foi, mas nem por isso a experiência deixa de ser real.

John Ortberg, aproveitando-se da figura de linguagem usada por Jesus, diz que algumas pessoas navegam na vida cristã como se estivessem num barco a remo. Fazem tudo com a própria força, puxando, esticando os músculos. Depois de algum tempo, se cansam e não chegam a lugar algum. Mas quando você compreende a atuação do Espírito, a vida cristã é como navegar num barco a vela. Um bom navegador observa a direção do vento e ajusta as velas. O Espírito é que dará poder para irmos aonde queremos chegar. Novo nascimento é trabalho de Deus; e você e eu temos que nos render a Ele.

“Quando o Espírito de Deus toma posse do coração, transforma a vida. Os pensamentos pecaminosos são afastados, renunciadas as más ações; o amor, a humildade, a paz tomam o lugar da ira, da inveja e da contenda. A alegria substitui a tristeza, e o semblante reflete a luz do Céu. Ninguém vê a mão que suspende o fardo, nem a luz que desce das cortes celestiais. A bênção vem quando, pela fé, a pessoa se entrega a Deus. Então, aquele poder que olho nenhum pode discernir, cria um novo ser à imagem de Deus” (Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 173).

Que experiência maravilhosa é ir a Jesus e permitir que Ele nos faça nascer de novo!

Comente