Nunca desistir

Ouça agora:

19-04 TDR 840-bTEMPO DE REFLETIR 840 – 19 de abril de 2016

“Tendo, pois, a Jesus, o Filho de Deus, como grande sumo sacerdote que penetrou os Céus, conservemos firmes a nossa confissão” (Hebreus 4:14).

Siga o raciocínio ou a argumentação de Hebreus. Israel nunca atingiu o repouso espiritual que Deus prometeu. Nem mesmo tiveram a terra de descanso que Deus queria dar-lhes em Canaã. Josué introduziu o povo, mas não pôde desfazer o que Deus havia prometido. Não que o registro responsabilize a Josué por erro ou falha. Israel atraiu conflito e delonga por sua própria incredulidade.

A descrença continuamente nega aos filhos de Deus o seu potencial.  A Palavra de Deus mede a confiança, a crença, e como uma espada, determina os motivos bem como as ações monitoras.  Não pense que alguém pode se esconder de Deus e de Sua Palavra discernidora. Todos nós estamos diante dEle como livros abertos.

O que devemos fazer, então? Tirar vantagem do novo Josué, que já foi adiante para a prometida herança dos santos. Jesus conduzirá Seu povo para a presença de Deus, onde nos aguarda o verdadeiro descanso.

E assim Hebreus nos leva ao grande Sumo Sacerdote. Jesus, nosso Capitão, não somente derrota o mal e provê uma melhor esperança, mas também intercede à mão direita de Deus a fim de dar ao Seu povo descanso do pecado.

Daqui em diante Hebreus olha, e olha novamente para o serviço do santuário. Se Jesus ministra no santuário celestial, que significa isto para aqueles que depositam a fé nEle? Do início ao fim o escritor insiste conosco para que consideremos a Jesus, o melhor.

Um por um dos grandes homens do Antigo Testamento passam diante de nós:  Moisés, Arão,  Josué. Jesus reúne em Si mesmo todas as promessas e qualidades que eles representam, e vai além de tudo o que eles puderam fazer ou ser.

Ele faz o mesmo com o sistema de sacrifícios e sacerdotes do Antigo Testamento. Jesus ofereceu-Se como sacrifício, e o que pode se comparar com isto? Ele toma então Seu próprio sacrifício e o ministra em nosso favor. Ele faz isto sobre Sua autoridade como Sumo sacerdote e designado por Deus. Seu sacrifício se destaca, porque Ele não conheceu pecado. Sua posição sobressai porque Ele reina à mão direita de Deus. Sua autoridade se distingue, porque Ele retém o ofício de Sumo Sacerdote no santuário celestial.

Em Cristo temos o melhor que Deus pode fazer por nós. Como Ele tudo é esperança.

“Jesus abriu o caminho para o trono do Pai, e por meio de Sua mediação pode ser apresentado a Deus o desejo sincero de todos os que a Ele se chegam pela fé” (O Conflito dos Séculos, p. 492).


-> Música: Melissa Barcelos, “Santuário”
-> Locução: Amilton Menezes

Para receber pelo WhatsApp, adicione 41 9893-2056 e mande uma mensagem pedindo os áudios. Se você tem Telegram, adicione nosso canal: telegram.me/tempoderefletir

Você está em: Textos

Compartilhe:


Comente



  • GUILHERMINA CORREIA em 19 de abril de 2016 9:19

    OBRIGADO JESUS, PORQUE CUIDAS DE MIM !!! AMÉN
    DEUS O ABENÇOE.