Nenhuma condenação

Ouça agora:

23-culpa-bTEMPO DE REFLETIR 722 – 23 de dezembro de 2015

“Agora, pois, já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus” (Romanos 8:1).

Seu esqueleto repousa em um abrigo provisório na praia, perto da arrebentação do Atlântico Central. Ele tentou sobreviver sozinho em uma ilha desolada chamada Ascención. Ao lado do homem estava um diário que contava um dos mais notáveis relatos.

Algum crime terrível fez com que as autoridades o abandonassem naquela ilha deserta com apenas um cantil cheio de água, uma machadinha, uma chaleira, uma armadilha e outros poucos itens.

Esse marinheiro anônimo enfrentou um grande sofrimento físico durante sua extenuante luta para sobreviver. Mas uma dor muito maior prevaleceu, algo repetido ao longo do seu diário – a culpa que o consumia.

Não existe nada neste mundo que possa isolar-nos mais do que a culpa. A punição que este prisioneiro anônimo recebeu seria considerada cruel e incomum hoje. Mas ela nos dá uma visão de um de nossos problemas mais profundos – a culpa, a inescapável culpa.

Uma das principais razões por que não conseguimos nos livrar da culpa é que ficamos tentando lidar com os sintomas em vez da raiz do problema. Queremos anestesiar aqueles sentimentos desagradáveis em vez de enfrentar ou lidar com as origens deles.

Jesus revelou nosso problema básico para um fariseu chamado Nicodemos. Ele disse: “A luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz; porque as suas obras eram más. Pois todo aquele que pratica o mal aborrece a luz e não se chega para a luz, a fim de não serem arguidas as suas obras” (João 3:19 e 20).

Algumas pessoas se perderão porque se afastaram da luz. Estas têm medo de ser arguidas. A culpa nunca poderá ser resolvida até que reconheçamos que pecamos.  A culpa não deve ser varrida para debaixo do tapete. Ela é um sinal que aponta para a cura. Somente se ignorarem a culpa é que as pessoas terão um problema crônico com ela.

O propósito da culpa é levar-nos àquele “que tira o pecado do mundo” (João 1:29). Ela deve levar-nos ao nosso Salvador, que nos livra da condenação. Hoje, deixe a culpa do seu coração leva-lo ao Salvador de sua alma. Não a renegue. Aceite que ela existe e corra para Ele.


Ficha Técnica:

-> Texto: Mark Finley
-> Música: Ana Beatriz, “Sem culpa”
-> Locução e edição: Amilton Menezes
-> Finalização: Isa Vasconcelos

Você está em: Textos

Compartilhe:


Comente



  • celi em 19 de novembro de 2016 3:33

    Excelente reflexoes



  • GUILHERMINA CORREIA em 23 de dezembro de 2015 9:33

    SENHOR, POR FAVOR TRANSFORMA A MINHA VIDA.!!! AMÉN.
    DEUS O ABENÇOE.