A rejeição do amor

Ouça agora:

15-04 TDR 1201-bTEMPO DE REFLETIR 1201 – 15 de abril de 2017

“Ditas estas coisas, angustiou-Se Jesus em espírito e afirmou: Em verdade, em verdade vos digo que um dentre vós me trairá” (João 13:21).

A malhação do Judas, no sábado de Aleluia, é uma brincadeira através da qual os católicos se vingam de Judas por ter traído Jesus.

Quais teriam sido os motivos que impeliram Judas a trair o Mestre?

A primeira razão pode ter sido a ganância por dinheiro. Judas recebeu trinta moedas de prata dos sacerdotes para trair Jesus. Além disso, João deixa claro que Judas era ladrão (Jo 12:5, 6). Sendo tesoureiro do grupo, e tendo a chave do cofre, ele tirava dali o que não lhe pertencia. Assim, muito antes de trair Jesus, ele traía seus amigos.

Entretanto, seria ingenuidade pensar que Judas traiu Jesus só pelo dinheiro, pois após a traição, vendo que Jesus fora condenado, ele devolveu as 30 moedas aos sacerdotes. E se nos lembrarmos de quanto os judeus odiavam o domínio romano, não precisaremos gastar tempo procurando um segundo motivo. Talvez Judas fosse um desses judeus nacionalistas, que queriam se libertar do jugo romano pela força, e que considerasse Jesus, com Seus poderes miraculosos, como sendo o líder ideal de que precisavam para liderar a grande rebelião. Mas Jesus viera libertar os homens do pecado.

Às vezes nos perguntamos por que Judas foi aceito como discípulo. É que Jesus viu nele certas qualidades que poderiam tê-lo conduzido à grandeza espiritual: convicções fortes, emoções ardentes, e disposição para agir. É verdade que as convicções de Judas o levaram à traição, e o seu remorso ao suicídio. Mas o domínio de tais traços levaram outros homens à grandeza.

Jesus sabia que Judas O trairia, mas não o rejeitou. Antes, o manteve ao Seu lado, procurando contrabalançar a influência negativa exercida pelo diabo na vida desse apóstolo. Assim, Jesus não apenas aceita aqueles que o diabo traz para a igreja, a fim de prejudicá-la, mas também faz o que pode para ganhar essas pessoas para Si. É assim que funciona o reino de Deus. E Jesus quase conquistou Judas!

Infelizmente, porém, chegou o momento decisivo e terrível em que Jesus teve de admitir que Seu amor por Judas havia sido rejeitado, ao dizer: “O que pretendes fazer, faze-o depressa” (Jo 13:27). A sorte estava lançada. Não havia mais razão para demora.

A tragédia de Judas é a tragédia de um homem que pensava saber melhor do que Deus. Ele queria mudar Jesus. Mas Jesus não pode ser mudado por nós. Nós é que precisamos ser transformados por Ele.


-> Música: Melissa Barcelos, “Medley da Cruz”
-> Locução: Amilton Menezes

Para receber pelo WhatsApp, adicione 41 9507 0705 e mande uma mensagem pedindo os áudios. Se você tem Telegram, adicione nosso canal: telegram.me/tempoderefletir – Prefira, porém, o aplicativo MANAH, onde você terá todos os áudios à disposição.

Você está em: Textos

Compartilhe:


Comente