Os absurdos de Cristo


TEMPO DE REFLETIR 2122 – 23 de outubro de 2019

Mateus 7:3: “Por que vês tu o argueiro no olho de teu irmão, porém não reparas na trave que está no teu próprio?”

Creio que Cristo foi o inventor do método audiovisual, o qual envolve som e imagem. Como em Seu tempo não havia projetores de slides, DVDs e gravadores, Ele falava de tal modo que o povo, ao ouvir, criava na própria mente as imagens. E assim, as lições de Cristo se tornavam inesquecíveis.

Certa vez, um pai de família estava lendo o capítulo 7 de Mateus, no culto familiar, quando, sem razão aparente, o filho menor, de quatro anos, desatou a rir. O pai o repreendeu, dizendo-lhe que o culto era um momento sagrado e, portanto, não era hora de rir. Mas o menino, mal podendo se conter, explicou que achara engraçado o texto que o pai acabara de ler. O pai releu o texto e descobriu que, de fato, a passagem continha uma boa dose de humor, que ele jamais havia percebido: “Por que vês tu o argueiro no olho de teu irmão, porém não reparas na trave que está no teu próprio?”

As crianças alegres reconhecem facilmente o caráter absurdo de qualquer coisa, e as coisas absurdas as fazem rir. E aí estava algo duplamente absurdo: um indivíduo com um poste atravessado no olho, procurando um cisco no olho de seu irmão. Com tal ilustração vívida, as multidões jamais se esqueceriam da lição que Cristo quis ensinar: ninguém deve julgar o outro. Só quem estiver sem pecado tem o direito de procurar faltas nos outros.

Outro absurdo explorado por Cristo: “Ninguém, depois de acender uma candeia, a cobre com um vaso ou a põe debaixo de uma cama; pelo contrário, coloca-a sobre um velador, a fim de que os que entram vejam a luz” (Lc 8:16).

Nesta passagem há também um duplo absurdo. O primeiro, é que um lampião debaixo de uma cama não ilumina a sala; e o segundo é que, pelo fato de ele ter uma chama viva, certamente queimaria o colchão.

Há, portanto, um toque de humor nesse exemplo, através do qual Cristo ensinou que nenhum mistério ou segredo importante para a salvação deve ser ocultado daqueles que se dispõem a ouvir.

Já dissemos que as crianças se divertem mais facilmente do que os adultos, pois são capazes de reconhecer mais prontamente o caráter absurdo de certas coisas. E se reconhecermos que Cristo era um homem bem-humorado, descobriremos uma profundeza ainda maior em Sua afirmação de que “quem não receber o reino de Deus como uma criança, de maneira nenhuma entrará nele” (Mc 10:15).

Que Deus conserve em nós o espírito inocente de uma criança, que é um traço de todo herdeiro do reino.

Permita isso no dia de hoje e ore comigo agora:

Senhor Deus, preciso entender a Tua palavra e a forma simples como apresentava às pessoas daquela época e a nós, em pleno século 21. Por favor, me dê a vontade, a vontade de uma criança, de estudar a Tua Palavra. Em nome de Jesus, amém!


-> Narração: Amilton Menezes


Saiba como receber as mensagens diárias do Tempo de Refletir:

-> No celular, instale o aplicativo MANAH para Android e iOS

-> Para ver/ouvir no YouTube, inscreva-se neste Canal: youtube.com/AmiltonMenezes7

-> Para receber pelo WhatsApp, adicione 41 99507 0705 e mande um recadinho pedindo os áudios.

-> Instagram: @amiltonmenezes7

-> Twitter: @AmiltonMenezes

-> Facebook: facebook.com/AmiltonMenezes


Você está em : Textos
Compartilhe:


Comente



  • GUILHERMINA CORREIA em 23 de outubro de 2019 7:22

    QUE SEJAMOS COMO AS CRIANÇAS !!! AMÉN.
    DEUS O ABENÇOE.