Você cobiça?


TEMPO DE REFLETIR 1801 – 06 de dezembro de 2018

“De fato, a piedade com contentamento é grande fonte de lucro (1 Timóteo 6:6).

Veja a seção de anúncios dos jornais ou procure descobrir quantas páginas sua revista semanal dedica para propaganda. Abra um site e vão pipocar comerciais com ofertas de tudo o que você imagina.

Os publicitários investem milhões de reais para convencer as pessoas de que a vida delas será incompleta se não tiverem uma casa amplamente mobiliada e um carro último modelo.

A mensagem que escutamos hoje em vozes sedutoras é: compre mais, tenha mais. O carro do início do ano já está antiquado. Compre outro. A mansão de ontem é casa hoje, e barraco amanhã. Compre outra.

Não usamos muito a palavra “cobiçar”. Mas duas palavras que chegam bem perto em significado e atitudes são as palavras “ciúme” e “inveja”. Ciúme é o sentimento que tenho quando alguma coisa que me pertence passa para o controle de outra pessoa. A maior parte dos ciúmes surge quando você perde um amigo, o namorado ou namorada para outra pessoa.

A inveja, por outro lado, é o sentimento de tristeza que tenho quando alguém possui algo que eu gostaria de ter. Você tem o emprego que eu gostaria de ter; tomou meu lugar no time; ou comprou o carro do ano antes de mim.

Cobiça, então, é o desejo desordenado de possuir aquilo que pertence a outra pessoa e que eu acho que vai me fazer feliz. Deposito a atenção e o coração em coisas. Enquanto os outros mandamentos lidam com ações e comportamentos, dizendo “não roube”, “seja leal”, o décimo lida com atitudes: “não cobice”, não concentre sua atenção naquilo que não é seu.

A cobiça também aparece quando nos sentimos insatisfeitos com a maneira como Deus derrama Suas bênçãos; quando nos recusamos a ser gratos pelo que Ele nos deu.

Está errado desejar coisas ou habilidades? Não, mas se torna errado quando nossos desejos por outras coisas nos levam a ficar insatisfeitos com o que temos; a deixar de amar as outras pessoas.

“Não ame os caminhos do mundo. Não ame os bens deste mundo. O amor ao mundo expulsa o amor ao Pai. Praticamente tudo o que existe no mundo – seguir seu próprio caminho, desejar tudo para si e querer parecer importante, não tem nada que ver com o Pai. […] O mundo e todos os seus desejos mais cedo ou mais tarde sairão de moda, mas o que faz o que Deus quer permanece pela eternidade” (1Jo 2:15-17, The Message).


-> Narração: Amilton Menezes


Saiba como receber as mensagens diárias do Tempo de Refletir:
-> No celular, instale o aplicativo MANAH(Android e iOS).
-> Para ver/ouvir no YouTube, inscreva-se neste Canal: YouTube.Com/AmiltonMenezes7
-> Para receber pelo WhatsApp, adicione 41 99893 2056e mande um recadinho pedindo os áudios.


Você está em : Textos
Compartilhe:


Comente