Acesso ilimitado


TEMPO DE REFLETIR 1599 – 18 de maio de 2018

“Naquele momento, o véu do santuário rasgou-se em duas partes, de alto a baixo” (Mateus 27:51).

Um dos momentos em que me sentia excluído e tremendamente discriminado ao viajar, era quando, logo depois de iniciado o voo, um comissário de bordo fechava a cortina que separa a primeira classe e a classe executiva do restante dos passageiros. Do lado de lá da cortina, o jantar era servido antes em pratos, talheres e copos especiais. Do lado de cá, isto é, do meu lado, não eram necessários pratos porque cada um recebia o sanduíche na mão mesmo. As cortinas fechadas diziam: “Aqui é uma classe especial, por favor, não passe, não se aproxime, mantenha-se longe.”

A Bíblia fala de outra cortina. Era uma cortina muito bonita, artisticamente trabalhada. Estava naquele lugar havia muitos anos. As cores eram as mesmas usadas na corte real: azul púrpura e escarlata. Nela havia também querubins bordados.

Era uma cortina imensa, de tecido encorpado. Mãos humanas não seriam capazes de rasgá-la. Em sua solenidade, o que aquela grande cortina parecia dizer era: “Pare! Não se aproxime! Nenhum acesso há para você neste lugar.” Apenas o sumo sacerdote tinha direito de passar além da cortina, uma vez ao ano, e somente por alguns momentos.

Na sexta-feira daquela Páscoa, quando Jesus estava morrendo na cruz, a cortina se rasgou de alto a baixo. Isso significou a remoção de todas as barreiras e dificuldades para nos aproximarmos de Deus. As limitações que havia no templo – para gentios, mulheres e escravos – terminaram. Todos igualmente temos acesso a Deus. “Mas agora, em Cristo Jesus, vocês, que antes estavam longe, foram aproximados mediante o sangue de Cristo” (Ef 2:13).

Deus não está mais limitado a um lugar. Ele está acessível em qualquer tempo. Você não precisa ser um gigante espiritual para orar.

A cortina rasgada é um convite de Deus a todos aqueles que desejam se aproximar dEle como um Pai amorável. O véu rasgado é um novo caminho para todos aqueles que reconhecem sua necessidade de um Salvador.

“Vamos então nos aproximar sem medo, confiada e ousadamente do trono da graça (o trono do favor imerecido de Deus para os pecadores), para que recebamos misericórdia (para nossas falhas) e achemos graça e ajuda apropriada e oportuna, vindo justamente quando a necessitamos” (Hb 4:16, Versão Amplificada).


-> Música: Melissa Barcelos, “Santuário”
-> Narração: Amilton Menezes


Saiba como receber as mensagens diárias do Tempo de Refletir:

-> No celular, instale o aplicativo MANAH(Androide iOS).

-> Para ver/ouvir no YouTube, inscreva-se neste Canal: YouTube.Com/AmiltonMenezes7

-> Para receber pelo WhatsApp, adicione 41 9893 2056e mande um recadinho pedindo os áudios.


Você está em : Textos
Compartilhe:


Comente